XP Expert

Bolsas sem direção; juros nos EUA e possível congelamento de gastos no Brasil no radar

Aumento das taxas de juros, aperto monetário e inflação na zona do euro são alguns dos temas de maior destaque nesta quarta-feira, 18/05/2022

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Áudio disponível em breve.


IBOVESPA +0,5% | 108.789 Pontos

CÂMBIO -2,15% | 4,95/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

Jerome Powell disse que o Fed não hesitará em aumentar as taxas de juros acima do neutro, se necessário, para controlar o aumento dos preços. As vendas no varejo dos EUA aumentaram fortemente em abril, amenizando os temores de uma recessão iminente. A inflação britânica saltou para 9% em abril, seu nível mais alto desde 1982. No Brasil, um forte congelamento nos gastos discricionários será necessário para permitir o aumento dos salários dos servidores públicos.

Brasil

Acompanhando os principais índices dos EUA, a bolsa brasileira engatou a quinta alta consecutiva nesta terça-feira (17), e encerrou a sessão os 108.789 pontos com uma alta de 0,51%. Enquanto o dólar caiu pela quarta sessão consecutiva, fechando  -2,15% e fechando a R$ 4,95. Os juros futuros fecharam em queda nos contratos de curto e médio prazos. O movimento ocorreu devido à apreciação do câmbio, desaceleração do índice divulgado de inflação no atacado (IGP-10) e a retomada do apetite pelo risco no exterior. DI jan/23 fechou em 13,34%; DI jan/24 em 12,99%; DI jan/25 em 12,4%; DI jan/27 encerrou em 12,17%; e DI jan/29 em 12,21%.

Mundo

Mercados globais amanhecem sem direção definida (EUA -0,2% e Europa 0%) enquanto investidores digerem o novo pronunciamento do presidente do Federal Reserve. Na Europa, a inflação ao consumidor do Reino Unido atingiu 9% no acumulado anual, sua nova máxima dos últimos 40 anos. Na China, o índice de Hang Seng (+0,2%) encerra em leve alta após conselheiros políticos reafirmarem a importância da economia digital chinesa e darem suporte à abertura de capital das empresas tanto no país quanto no exterior. O movimento poderá indicar um possível afrouxo na pressão regulatória chinesa sobre as empresas de tecnologia locais. Por fim, o petróleo (+1,0%) amanhece em leve alta, reverberando as expectativas de reabertura econômica e retomada da demanda chinesa pela commodity.

Aperto Monetário

Jerome Powell disse que o Federal Reserve continuará apertando a política monetária até que veja evidências “claras e convincentes” de que a inflação está voltando para a meta de longo prazo de 2% do banco central dos EUA. Ele também disse que o Fed “não hesitará em nada” em aumentar as taxas acima do neutro se os dados justificarem, embora tenha reiterado que as autoridades não sabem com “qualquer confiança” onde está esse nível, dada a força do mercado de trabalho e até que ponto a inflação está acima da meta do banco central. Mais aumentos de 0,5 ponto percentual na taxa, como o que o banco central implementou no início deste mês, são prováveis, com pelo menos mais dois nos próximos dois meses. O Fed pode considerar um quarto aumento da taxa de meio ponto em sua reunião de política monetária em setembro se a inflação não moderar significativamente até lá, antes de reduzir o tamanho de seus aumentos para incrementos 0,25 pp. Os analistas agora esperam que a taxa de fundos federais atinja cerca de 2,8% até o final do ano, um salto considerável em relação ao seu nível atual de 0,75 a 1.

Economia Americana

As vendas no varejo dos EUA aumentaram fortemente em abril, com os consumidores comprando mais veículos motorizados em meio a uma melhora na oferta e aumento dos gastos em restaurantes, proporcionando um forte impulso à economia no início do segundo trimestre. O amplo aumento nas vendas no varejo sugeriu que a demanda estava se mantendo forte, apesar dos ventos contrários da alta inflação, azedando o sentimento do consumidor e aumentando as taxas de juros. As vendas no varejo subiram 0,9% no mês passado. Os dados de março foram revisados ​​para cima para mostrar que as vendas avançam 1,4%, em vez de 0,5%, conforme relatado anteriormente. O aumento das vendas no varejo em abril, que refletiu tanto a forte demanda quanto os preços mais altos, ficou em linha com as expectativas dos economistas. As vendas cresceram 8,2% na comparação anual. O resultado amenizou os temores de uma recessão iminente. A força subjacente da economia foi ressaltada por outros dados que mostram que a produção nas fábricas acelerou em abril.

Zona do Euro

A inflação na zona do euro se manteve estável em um recorde de 7,4% em abril, impulsionada pelo aumento dos custos de combustível e alimentos, disse a agência de estatísticas da UE na quarta-feira, reduzindo sua estimativa de 7,5% preliminares. A inflação disparou no ano passado, primeiro devido aos gargalos de fornecimento pós-COVID e, posteriormente, aos efeitos indiretos da guerra da Rússia na Ucrânia, que elevaram os preços de tudo, desde matérias-primas a produtos industriais acabados. A inflação, excluindo energia e alimentos, acelerou para 3,9% em abril, de 3,2% em março, enquanto uma medida ainda mais restrita, que também filtra álcool e tabaco, subiu para 3,5%, de 3%, disse o Eurostat. Essa ampliação da inflação é a principal razão pela qual o BCE quase certamente aumentará as taxas de juros em julho, iniciando o que provavelmente será uma série de mudanças nas taxas que podem elevar sua taxa de depósito negativa de 0,5% de volta ao território positivo antes do final do ano.

Economia Brasil

No Brasil, o Estadão informou na terça-feira que o orçamento pode exigir um congelamento de cerca de R$ 10 bilhões em despesas discricionárias. Esse valor será necessário para conceder o reajuste salarial dos servidores públicos em 5%, além de aumentos adicionais nos salários da Polícia Federal e nos subsídios agrícolas. Dado o atual teto de gastos, serão necessários cortes adicionais nas despesas com custeio e investimento dos ministérios, mas há um risco crescente de que isso possa provocar uma paralisação da administração. Apesar da promessa de aumento a servidores públicos, as pressões das categorias continuam a crescer, com novos anúncios de greves.

Veja todos os detalhes

Economia

Jerome Powell disse que o Fed não hesitará em aumentar os juros acima do neutro, se necessário, para controlar o aumento dos preços. As vendas no varejo dos EUA aumentaram fortemente em abril, amenizando os temores de uma recessão iminente. A inflação britânica saltou para 9% em abril, seu nível mais alto desde 1982. No Brasil, um forte congelamento nos gastos discricionários será necessário para permitir o aumento dos salários dos servidores públicos

  • Jerome Powell disse que o Federal Reserve continuará apertando a política monetária até que veja evidências “claras e convincentes” de que a inflação está voltando para a meta de longo prazo de 2% do banco central dos EUA. Ele também disse que o Fed “não hesitará em nada” em aumentar as taxas acima do neutro se os dados justificarem, embora tenha reiterado que as autoridades não sabem com “qualquer confiança” onde está esse nível, dada a força do mercado de trabalho e até que ponto a inflação está acima da meta do banco central. Mais aumentos de 0,5 ponto percentual na taxa, como o que o banco central implementou no início deste mês, são prováveis, com pelo menos mais dois nos próximos dois meses. O Fed pode considerar um quarto aumento da taxa de meio ponto em sua reunião de política monetária em setembro se a inflação não moderar significativamente até lá, antes de reduzir o tamanho de seus aumentos para incrementos 0,25 pp. Os analistas agora esperam que a taxa de fundos federais atinja cerca de 2,8% até o final do ano, um salto considerável em relação ao seu nível atual de 0,75 a 1;
  • As vendas no varejo dos EUA aumentaram fortemente em abril, com os consumidores comprando mais veículos motorizados em meio a uma melhora na oferta e aumento dos gastos em restaurantes, proporcionando um forte impulso à economia no início do segundo trimestre. O amplo aumento nas vendas no varejo sugeriu que a demanda estava se mantendo forte, apesar dos ventos contrários da alta inflação, azedando o sentimento do consumidor e aumentando as taxas de juros. As vendas no varejo subiram 0,9% no mês passado. Os dados de março foram revisados ​​para cima para mostrar que as vendas avançam 1,4%, em vez de 0,5%, conforme relatado anteriormente. O aumento das vendas no varejo em abril, que refletiu tanto a forte demanda quanto os preços mais altos, ficou em linha com as expectativas dos economistas. As vendas cresceram 8,2% na comparação anual. O resultado amenizou os temores de uma recessão iminente. A força subjacente da economia foi ressaltada por outros dados que mostram que a produção nas fábricas acelerou em abril;
  • A inflação no Reino Unido saltou para 9% em abril, seu nível mais alto desde 1982, com um aumento vertiginoso nas contas de energia domésticas reguladas. O índice de preços ao consumidor subiu 2,5% no mês, o maior aumento mensal desde 1991, já que o teto dos preços da eletricidade e do gás doméstico foi ajustado para refletir o forte aumento nos preços no atacado causado pela invasão da Ucrânia pela Rússia. Isso agravou um desequilíbrio já acentuado entre oferta e demanda. O núcleo da inflação, que exclui os preços voláteis de alimentos e energia, também subiu fortemente, em 0,7%, à medida que uma economia em reabertura rapidamente se deparou com gargalos causados ​​em parte por problemas na cadeia de suprimentos decorrentes da pandemia e em parte por uma escassez de trabalhadores causada pela perda de trabalhadores da União Europeia da sua força de trabalho;
  • A inflação na zona do euro se manteve estável em um recorde de 7,4% em abril, impulsionada pelo aumento dos custos de combustível e alimentos, disse a agência de estatísticas da UE na quarta-feira, reduzindo sua estimativa de 7,5% preliminares. A inflação disparou no ano passado, primeiro devido aos gargalos de fornecimento pós-COVID e, posteriormente, aos efeitos indiretos da guerra da Rússia na Ucrânia, que elevaram os preços de tudo, desde matérias-primas a produtos industriais acabados. A inflação, excluindo energia e alimentos, acelerou para 3,9% em abril, de 3,2% em março, enquanto uma medida ainda mais restrita, que também filtra álcool e tabaco, subiu para 3,5%, de 3%, disse o Eurostat. Essa ampliação da inflação é a principal razão pela qual o BCE quase certamente aumentará as taxas de juros em julho, iniciando o que provavelmente será uma série de mudanças nas taxas que podem elevar sua taxa de depósito negativa de 0,5% de volta ao território positivo antes do final do ano;
  • No Brasil, o Estadão informou na terça-feira que o orçamento pode exigir um congelamento de cerca de R$ 10 bilhões em despesas discricionárias. Esse valor será necessário para conceder o reajuste salarial dos servidores públicos em 5%, além de aumentos adicionais nos salários da Polícia Federal e nos subsídios agrícolas. Dado o atual teto de gastos, serão necessários cortes adicionais nas despesas com custeio e investimento dos ministérios, mas há um risco crescente de que isso possa provocar uma paralisação da administração. Apesar da promessa de aumento a servidores públicos, as pressões das categorias continuam a crescer, com novos anúncios de greves.

Empresas

Magalu (MGLU3) cai 11% após resultado; Entenda o movimento

  • As ações da Magalu caíram 11% hoje, após divulgação de resultados mistos de 1T22, com o crescimento pressionado pelo cenário macro e uma forte queima de caixa de R$3,6bi, enquanto a rentabilidade apresentou sinais de melhor;
  • Mantemos nossa recomendação Neutra. Apesar da forte queda do papel, seguimos com uma visão cautelosa decorrente da manutenção de um cenário macro ainda desfavorável para o consumo de bens duráveis, enquanto o ciclo de alta de juros tanto aqui no Brasil como nos Estados Unidos é um desafio para empresas com perfil de crescimento, como é o caso da Magalu;
  • Clique aqui para o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Novo marco de garantias é 1º passo para arcabouço legal e regulatório moderno, diz Febraban (Valor);
    • Banco Inter (BIDI11) espera expansão do crédito em 50% este ano; ações fecham em alta (Infomoney);
    • Buffett investe US$ 51 bi – e monta posição no Citi (Brazil jornal);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Mudança no frete dos combustíveis poderia reduzir preços, dizem especialistas (Valor);
    • Varejistas veem melhora em abril e maio (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Preço do boi vivo segue perdendo preço no decorrer de maio (Pecsite);
    • Boa Safra (SOJA3) enxerga espaço para ampliar outras culturas no portfólio (Infomoney);
    • México suspende tarifas de importação para carne de frango (Avisite);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Oposição intensifica ofensiva contra privatização da Eletrobras na véspera do julgamento no TCU. (Valor Econômico);
    • Aliados de Lira vão discutir aumento da conta de luz com Aneel e novo ministro de Minas e Energia. (Valor Econômico);
    • Petróleo fecha em queda e interrompe rali após 4 sessões de ganhos. (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Walmart decepciona mercado enquanto JD.com supera as estimativas

  • Walmart decepciona mercado com aumento dos custos e lucratividade abaixo do esperado;
  • JD.com supera as estimativas, apesar do crescimento de receita trimestral mais lento;
  • Home Depot aumenta projeções para o ano;
  • Indicador utilizado nos Estados Unidos sinaliza recuo da inflação;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

Alocação & Fundos

Decisão da CVM sobre dividendos do fundo Maxi Renda (MXRF11) assegura o segmento de FIIs

  • A CVM decidiu por unanimidade reconhecer a regularidade do tratamento contábil dado à distribuição de dividendos Lucro Caixa Excedente em prejuízos/lucros acumulados, e não como amortização de cotas integralizadas, pelo fundo Maxi Renda (MXRF11);
  • Em extrato da ata é possível verificar que o Colegiado decidiu que não deve ser imposto nenhum limite na distribuição de rendimentos em relação a eventual excesso entre o lucro contábil e o lucro caixa apurado, prevalecendo dessa forma o que já foi estabelecido na lei 8.668/93;
  • Ainda ficou claro a preocupação da CVM com os aspectos informacionais, ou seja, de acordo com o Colegiado é necessário assegurar clareza aos investidores quando houver distribuição de lucro caixa distribuído em excesso em relação ao lucro contábil do período;
  • A demanda por maiores informações é um benefício para o segmento de FIIs como um todo, e principalmente para os seus investidores. Ainda a CVM pode estudar a exigência de uma padronização informacional sobre o tema, com possíveis alterações nas suas normas de elaboração e divulgação das Demonstrações Financeiras dos FIIs. Acesse aqui o relatório completo.

26 anos de história e pioneirismo na gestão independente: conheça a Gap Asset

  • Semanalmente, aos sábados, um novo episódio do Outliers é divulgado nos agregadores de podcasts. Aproveitaremos a grande qualidade dos assuntos abordados e escolheremos um para analisarmos a fundo. No caso desta versão discorremos com mais detalhes sobre a gestora Gap Asset, e a sua estratégia em multimercado Gap Absoluto, além abordarmos a versão em previdência do fundo o Gap Absoluto XP Seg IQ;
  • Conheça com mais detalhes uma das pioneiras na gestão independente no Brasil, além de entender seus diferenciais e estrutura e gestão;
  • Clique aqui para conferir o conteúdo completo.

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Decisão da CVM sobre dividendos do fundo Maxi Renda (MXRF11) assegura o segmento de FIIs (Conteudos Xpi);
    • Após proposta de compra, cotas de FII Continental Tower (CJCT11) sobem quase 19% (MoneyTimes);
    • 4 maneiras de investir no mercado imobiliário (MoneyTimes);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

ESG

Vale anuncia que 83% da sua produção de níquel agora possui verificação independente de baixo carbono | Café com ESG, 18/05

  • • O mercado fechou o pregão de terça-feira em território positivo, com o Ibov e o ISE em alta de +0,5% e +1,5%, respectivamente;
  • • No Brasil, ontem, a Vale anunciou que 83% do níquel produzido pela companhia agora tem verificação independente de baixo carbono – a empresa recebeu certificação da Intertek Group sobre operações no Canadá e no País de Gales;
  • • No internacional, (i) o Parlamento Europeu avançou seu plano para aplicação mais rápida e sobre mais produtos importados da taxa de carbono, o que pressionará mais os exportadores parceiros, inclusive os brasileiros – o relator da proposta, o deputado social-democrata holandês Mohamed Chahim, disse que a taxa carbono “é a única ferramenta que temos para incentivar nossos parceiros comerciais a descarbonizar sua indústria”; e (ii) Bruxelas quer arrecadar € 20 bilhões para financiar a saída da UE da energia russa com a venda de licenças de emissão de carbono excedentes – uma medida que corre o risco de atingir as metas climáticas do bloco, tornando mais barato queimar combustíveis fósseis. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.