XP Expert

Renda fixa isenta de IR: uma oportunidade que você pode estar deixando escapar

Os títulos de renda fixa isentos podem apresentar grande vantagem se bem utilizados. Venha entender!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Resumo

– Na renda fixa, é possível evitar o pagamento de imposto de renda através do investimento em títulos isentos.
– Esses títulos existem como forma de incentivo ao investimento privado em alguns setores da economia, como o agronegócio, o imobiliário e de infraestrutura.
– Ao investir, é preciso comparar rendimentos de títulos isentos e não isentos, para identificar as melhores oportunidades e não perde-las.

Os investidores de renda fixa ou aqueles que estão se preparando para começar seus investimentos muito provavelmente já se depararam com os termos “isento de IR” ou “incentivado”, que chamam bastante a atenção. Afinal, não pagar imposto de renda (IR) soa bem animador. E de fato é! No entanto, é importante entender o por que desta isenção existir, as diferenças entre esses ativos e outros não isentos e como identificar as oportunidades.

O que é um título isento de IR?

Na renda fixa, quando investimos em um ativo, esperamos em troca um rendimento, com base em uma taxa predeterminada. Este rendimento, em muitos casos, é tributado de acordo com a tabela regressiva de imposto de renda – quanto mais tempo o investidor mantém o ativo, menor o percentual de imposto que paga.

Além desses investimentos, no entanto, existem aqueles que são isentos da cobrança de imposto de renda, independentemente do prazo. Os ativos isentos mais comuns na renda fixa são LCIs, LCAs, CRIs, CRAs e debêntures incentivadas (também conhecidas como “debêntures de infraestrutura”).

Isso significa que, ao investir em um deles, o investidor não terá essa dedução sobre seus rendimentos ao longo do tempo, conferindo uma maior facilidade no momento de estimar seus ganhos no futuro.

Por que ativos isentos existem?

Uma dúvida comum em relação a investimentos isentos de imposto de renda é o por que de terem essa característica.

Como mencionado no início, eles também são conhecidos como títulos incentivados – e esse incentivo veio do governo federal como forma de impulsionar investimentos privados em determinados setores da economia, como:

  • Agronegócio: Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) e Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA).
  • Imobiliário: Letra de Crédito Imobiliária (LCI) e Certificado de Recebíveis Imobiliário (CRI).
  • Infraestrutura: Debêntures de Infraestrutura.
    • Setores como energia, saneamento, telecomunicações, transporte e logística.

Apesar da isenção de IR, as LCIs e as debêntures incentivadas estão sujeitas ao pagamento de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre os rendimentos.

Quer conhecer mais sobre os títulos de empresas que são isentos de impostos? Leia sobre o crédito privado!

Como saber se a isenção vale a pena?

No exemplo abaixo, qual dos dois títulos hipotéticos você escolheria? O LCA do Banco XYZ ou o CDB do Banco LMN?

Taxas ao ano.

Ao acessar a plataforma da corretora, os ativos isentos costumam apresentar alguma forma de identificação do benefício, para diferencia-los dos não isentos (como por exemplo o ícone amarelo “$” do exemplo). No entanto, muitos investidores não se atentam a este fato e comparam rentabilidades de títulos isentos com não isentos, o que é incorreto.

Voltaremos em breve ao exemplo acima para mostrar qual é, de fato, mais vantajoso.

Na hora de escolher um investimento, todos os fatores são comparáveis. Por isso, é importante pensar: a taxa que estou comprando é melhor do que um ativo de mesma qualidade de crédito e mesmo vencimento (ou seja, de mesmo risco)? Estou comparando taxas líquidas entre si?

Descobrindo o efeito de imposto

Para sabermos qual dos dois é melhor, é necessário fazer um cálculo para comparar “maçã com maçã”. Isso nada mais é do que retornar ao rendimento isento o percentual de imposto de renda que seria cobrado caso o ativo tivesse cobrança de IR (ou seja, chegamos à rentabilidade bruta hipotética desse ativo). Dessa forma, torna-se possível comparar um LCA com um CDB.

No mercado financeiro, isso se chama “gross up”, mas você não precisa se preocupar com o termo em si, somente com a ideia.

Voltando ao nosso exemplo, se fizéssemos essa conta, “devolvendo” o imposto ao título e chegando à taxa bruta equivalente (comparável), teríamos o seguinte resultado de rendimentos:

Taxas ao ano.

Não parece mais tão vantajoso investir no CDB nesse caso, certo?

Para o exemplo, utilizamos títulos que facilitam o cálculo: eles não possuem fluxos periódicos de pagamentos (como juros semestrais) e são prefixados. Sendo assim, basta “retornar” o imposto:

  • Investimento inicial em 23/02/2022
  • Vencimento do investimento será em 01/01/2025
  • Prazo em que o dinheiro ficará investido = 1.043 dias corridos
  • De acordo com a tabela regressiva, a alíquota do IR para esse prazo é de 15%

O correto a se fazer é descontar o imposto a partir da rentabilidade diária, que demanda cálculos um pouco mais complexos (como feito para o resultado apresentado acima). Porém, é possível simplificar e chegar a uma aproximação calculando:

Utilizando o exemplo acima e o cálculo simplificado, a taxa equivalente resultaria em 12,05%. Ou seja, é apenas uma aproximação para dar uma ideia, mas é sempre importante conferir o valor exato.

Os cálculos para chegarmos ao resultado para ativos com juros periódicos (como CRAs, CRIs e debêntures incentivadas) e com remunerações que não sejam prefixadas (como IPCA+ ou %CDI) são mais complexos. Temos que estimar, por exemplo, a inflação e juros acumulados até o vencimento.

Para isso e para confirmar a taxa equivalente de cálculos estimados, vale sempre contar com o auxílio de um assessor de investimentos.

Títulos isentos valem a pena?

Como mostramos acima, tudo é uma questão de comparação e de se realizar cálculos (de preferência com o auxílio de um assessor de investimentos).

O importante é não tomar decisões precipitadas ao comparar títulos que, na verdade, não são comparáveis. Tomando este cuidado e encontrando taxas interessantes, pode sim ser muito vantajoso investir em ativos isentos e desfrutar de oportunidades com boas rentabilidades.

Gostou? Tem alguma dúvida ou sugestão? Deixe nos comentários abaixo!

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “XP”) tem caráter meramente informativo, não constitui e nem deve ser interpretado como sendo material promocional, solicitação de compra ou venda, oferta ou recomendação de qualquer ativo financeiro, investimento, sugestão de alocação ou adoção de estratégias por parte dos destinatários. Os prazos, taxas e condições aqui contidas são meramente indicativas. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados.
Os instrumentos financeiros discutidos neste material podem não ser adequados para todos os investidores. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.