PIB da Zona do Euro em linha com as expectativas no 3º trimestre; no Brasil, setor de serviços apresenta resultados decepcionantes em setembro

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Clique para ouvir

IBOVESPA +1,5% | 107.595 Pontos

CÂMBIO -1,6% | 5,40/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa encerrou a semana passada com ganhos de +1,5%, cotado aos 107.595 pontos, marcando a segunda semana consecutiva de alta com uma redução nas incertezas fiscais.  A Câmara dos Deputados aprovou em segundo turno a PEC dos Precatórios, proposta que abre espaço de cerca de R$ 90 bilhões no teto de gastos, permitindo a implementação no programa Auxílio Brasil. Agora, o texto segue para aprovação no Senado. Uma única alteração em relação ao texto-base foi a exclusão da possibilidade de que o governo pudesse pedir permissão para o descumprimento da regra de ouro de maneira genérica na Lei Orçamentária, considerado uma derrota para o governo. O alívio fiscal, além da temporada de resultados que caminha para o fim, impulsionaram a Bolsa brasileira apesar de dados de vendas do varejo de setembro que vieram bem menores do que esperado, e uma alta significativa do IPCA de outubro.

Mercados globais amanhecem mistos (EUA -0,1% e Europa +0,2%) enquanto investidores aguardam dados sobre as vendas do varejo americano, que darão pistas sobre o comportamento do consumidor em meio a inflação mais elevada no país. Ainda nos EUA, a taxa de juros de 10 anos permanece levemente acima dos 1,6% após iniciar a semana com alta de +4,1 bps. O Bitcoin (-7,0%) amanhece em forte queda após pronunciamento do órgão chinês, National Development and Reform Commission, afirmando que continuará os esforços para reduzir a mineração de criptoativos no país devido a sua alta demanda energética.

No cenário econômico internacional, o PIB da Zona do Euro cresceu 2,2% no 3º trimestre em relação ao trimestre anterior, em linha com as expectativas do mercado. Conforme já havia sido publicado no final de outubro (primeira leitura do PIB), os principais países europeus tiveram ritmos de crescimento econômico heterogêneos no último trimestre. França e Itália registraram expansão acima da média da região, enquanto Alemanha e Espanha exibiram taxas de variação mais modestas. Ainda na agenda de hoje, destaque para a divulgação de indicadores de atividade nos Estados Unidos: vendas no varejo, produção industrial e preços de importação/exportação relativos a outubro, além de dados do mercado imobiliário referentes a novembro.     

No Brasil, no campo econômico, o resultado do setor de serviços foi muito abaixo das expectativas em setembro, conforme publicado pelo IBGE na última sexta-feira. A categoria de serviços prestados às famílias continua em trajetória de recuperação, puxada pela reabertura econômica e aumento da mobilidade. Por outro lado, as demais categorias de serviços tiveram resultados bastante fracos em setembro, com destaque aos serviços de transporte. Apesar disso, o faturamento real do setor terciário cresceu 3% no 3º trimestre em relação ao trimestre imediatamente anterior (e 5,6% desde abril), fornecendo alguma sustentação ao PIB total em meio à desaceleração em outras atividades.

Na agenda econômica de hoje, destaque para a publicação do IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central) referente a setembro. As projeções apontam para queda na comparação com agosto (XP: -0,4%; consenso de mercado: -0,3%). O IBC-Br serve como proxy mensal para o PIB do Brasil, e deve apresentar taxa de variação próxima a zero no 3º trimestre.  

Tópicos do dia

Agenda de resultados

Meliuz (CASH3): Após o fechamento
Mosaico (MOSI3):  Após o fechamento
Ânima (ANIM3): Antes da abertura

Calendário do 3T21

Temporada de resultados do 3º trimestre 2021 – o que esperar?

Economia

  1. PIB da Zona do Euro em linha com as expectativas no 3º trimestre; no Brasil, setor de serviços apresenta resultados decepcionantes em setembro

Política

  1. Joe Biden e Xi Jinping tiveram o primeiro encontro bilateral
  2. No Congresso americano, democratas continuam avançando a agenda econômica de Biden

Empresas

  1. Cogna (COGN3) – 3T21: Melhorando, mas o quadro ainda não é muito animador
  2. Kora Saúde (KRSA3) – 3T21: Resultados mistos; fundamentos sólidos
  3. Jalles Machado (JALL3) 2T22: um trimestre forte com preços de commodities mais altos e sem perda de produtividade
  4. Ânima (ANIM3) – 3T21: Resultados operacionais impressionantes
  5. Varejo – Vitrine XP 3T21: Análise dos resultados do 3T21
  6. Priner (PRNR3): no 3T21, resultados em linha, mas perspectivas para médio prazo seguem fortes
  7. MercadoLivre anuncia oferta primária de US$1,5bilhão
  8. Principais notícias dos setores

Mercados

  1. Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Cisão da Johnson & Johnson

ESG

  1. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 16/11

Veja todos os detalhes

Economia

PIB da Zona do Euro em linha com as expectativas no 3º trimestre; no Brasil, setor de serviços apresenta resultados decepcionantes em setembro

  • As receitas reais do setor de serviços recuaram 0,6% entre agosto e setembro, após ajuste sazonal, resultado inferior à nossa expectativa (+0,4%) e ao consenso de mercado (+0,5%). A despeito da surpresa baixista, o faturamento real do setor terciário cresceu 3% no 3º trimestre em relação ao trimestre imediatamente anterior, e 5,6% desde abril (dados com ajuste sazonal). A categoria de serviços prestados às famílias continua em trajetória de recuperação, apesar da desaceleração no ritmo de expansão entre agosto e setembro (de 4,3% para 1,3%). A reabertura econômica e o aumento da mobilidade devem manter esses serviços em tendência altista até o início de 2022, em nossa avaliação. De fato, os serviços às famílias devem contribuir de forma relevante para o desempenho do PIB total neste semestre, puxados também pelo deslocamento das despesas das famílias de bens para serviços e recuperação do nível de emprego. Por outro lado, as demais categorias de serviços tiveram resultados decepcionantes em setembro. A diferença entre o resultado efetivo e nossa projeção deveu-se, em grande medida, ao fraco desempenho dos “serviços de transportes e armazenagem” (-1,9% em set/ago, com destaque à expressiva queda de 9% dos “serviços de transporte aéreo”, refletindo a elevação dos preços das passagens no período). Com os resultados de setembro, as receitas reais do índice geral do setor de serviços ficaram 3,7% acima do patamar pré-pandemia (fev/20), mas ainda com diferenças importantes entre os segmentos. Por exemplo, enquanto os “Serviços de informação e comunicação” mostram receitas correntes cerca de 10% superiores às do nível pré-crise, os “Serviços às famílias” situam-se 16% abaixo daquela referência;
  • Na agenda econômica de hoje, destaque para a publicação do IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central) referente a setembro. Estimamos que a proxy mensal do PIB tenha contraído 0,4% em relação a agosto (alta de 1,3% ante setembro de 2020). A mediana das expectativas do mercado aponta para recuo de 0,3% na margem e elevação de 1,5% em termos interanuais. Segundo nossos cálculos, o PIB total ficou estável no 3º trimestre em comparação ao trimestre imediatamente anterior (0%); em comparação ao mesmo trimestre de 2020, esperamos aumento de 4,3% (os resultados do PIB no 3º trimestre de 2021 serão divulgados pelo IBGE em 02/12). Pelo lado da oferta, acreditamos que a expansão acentuada do PIB de Serviços tenha compensado o desempenho negativo do PIB da Indústria e do PIB da Agropecuária no trimestre passado. Por fim, atribuímos um ligeiro viés de baixa à nossa projeção de crescimento de 5% para o PIB de 2021;
  • Em relação ao cenário internacional, o PIB da Zona do Euro (segunda leitura) cresceu 2,2% no 3º trimestre em relação ao trimestre imediatamente anterior, em linha com as expectativas do mercado – os dados foram divulgados nesta manhã (16) pela Eurostat, agência oficial de estatísticas. Na comparação com o 3º trimestre de 2020, a economia da região apresentou expansão de 3,7%. Os principais países europeus apresentaram ritmos de crescimento econômico heterogêneos no último trimestre, conforme já havia sido revelado pela primeira leitura do PIB no final de outubro. Enquanto França (3,0%) e Itália (2,6%) registraram expansão acima da média da região, Alemanha (1,8%) e Espanha (2,0%) exibiram taxas de variação relativamente modestas. Ainda na agenda econômica de hoje, destaque para a divulgação de indicadores de atividade nos Estados Unidos: vendas no varejo, produção industrial e preços de importação/exportação relativos a outubro, além de dados do mercado imobiliário (índice NAHB) referentes a novembro. Os agentes de mercado também irão acompanhar os pronunciamentos de dirigentes do Federal Reserve (M. Bowman – Diretoria do Fed; C. Waller – Diretoria do Fed; L. Mester – Fed Cleveland; T. Barkin – Fed Richmond; M. Daly – Fed San Francisco). Ontem (15), o índice de atividade industrial Empire State, que mensura as condições do setor manufatureiro no Estado de Nova York, saltou de 19,8 em outubro para 30,9 em novembro, muito acima das expectativas do mercado (22,0);
  • Dados econômicos da China divulgados ontem vieram acima das expectativas do mercado. A produção industrial apresentou crescimento interanual de 3,5% em outubro, superando a elevação registrada em setembro (3,1%) e o consenso de projeções dos analistas (3,0%). Enquanto isso, as vendas no varejo tiveram expansão interanual de 4,9% no último mês, acelerando em relação ao ritmo de alta visto em setembro (4,4%) e também surpreendendo positivamente as estimativas do mercado (3,6%).

Política

Joe Biden e Xi Jinping tiveram o primeiro encontro bilateral

  • Joe Biden e Xi Jinping tiveram o primeiro encontro bilateral (ainda que virtual) desde a eleição do americano, marcando importante passo para as relações entre as maiores economias do mundo. Em 3 horas de cúpula, os líderes teriam discutido temas variados como preocupações dos EUA sobre Taiwan, direitos humanos e comércio. Segundo comunicados, os países também reforçam responsabilidade de evitar conflito.  

No Congresso americano, democratas continuam avançando a agenda econômica de Biden

  • No Congresso americano, democratas continuam avançando a agenda econômica de Biden. Após a aprovação do projeto de infraestrutura, a Câmara deve correr para aprovar o Build Back Better Act (de cerca de USD 1,75 trilhão). Apesar de já haver consenso em geral na Casa sobre o projeto, centristas aguardam as contas dos técnicos do Congresso. A votação pode acontecer no fim do da semana. Já no Senado, o tema seria postergado até dezembro – pelo menos;
  • E Biden sancionou o projeto de infraestrutura de USD 1,2 trilhão (USD 550 bi em novos gastos).

Empresas

Cogna (COGN3) – 3T21: Melhorando, mas o quadro ainda não é muito animador

  • A Cogna reportou um prejuízo líquido ajustado de R$122M no 3T21 (vs. nossa estimativa de um prejuízo líquido de R$166M), com uma margem EBITDA ajustada de 20% (+ 1,9% A/A) e uma despesa financeira líquida de R$212M (vs. R$179M no 3T20);
    • Kroton: A receita diminuiu 13% A/A uma vez que (i) a base de alunos presenciais diminuiu 19% A/A enquanto o preço médio diminuiu 15%; e (ii) a base de alunos no EAD cresceu 19% A/A enquanto o preço médio caiu 11%; a margem EBITDA ajustada foi de 23% suportada por redução na PDD e aumento no custo docente;
    • Saber: as receitas ficaram estáveis ​​em relação ao ano anterior, com margem EBITDA ajustada de 24% impulsionada por redução nas despesas administrativas;
    • Vasta: as receitas caíram 10% A/A devido a uma queda acentuada nas receitas de não-assinatura; a margem EBITDA ajustada foi negativa em 25,7%, pressionada pelas despesas administrativas e PDD;
    • Outros Negócios: as receitas aumentaram 13,5% A/A principalmente devido ao aumento de 14,3% A/A nas receitas de PNLD (vendas ao governo); a margem EBITDA ajustada aumentou 7,1 p.p. A/A como resultado da alavancagem operacional.
  • Em suma, os resultados mostram algumas melhorias, embora o quadro ainda não seja muito animador;
  • Acesse o relatório completo aqui.

Kora Saúde (KRSA3) – 3T21: Resultados mistos; fundamentos sólidos

  • A Kora registrou prejuízo líquido de R$15M no 3T21 (vs. lucro líquido estimado de R$8M):
    • As receitas aumentaram 110% A/A suportadas por aquisições e por um aumento de 42% A/A no ticket médio;
    • A margem EBITDA ajustada foi de 24,2%, pressionada pelos custos relacionados a Covid-19 e pela decisão da empresa de manter capacidade ociosa;
    • As despesas financeiras líquidas foram de R$43M, pois a empresa possui uma dívida líquida de R$1B (ex. arrendamentos).
  • Apesar dos resultados mistos, os fundamentos permanecem sólidos, considerando que a empresa está entregando de forma consistente sua estratégia de crescimento inorgânico e que os impactos negativos são transitórios;
  • Acesse o relatório completo aqui.

Jalles Machado (JALL3) 2T22: um trimestre forte com preços de commodities mais altos e sem perda de produtividade

  • A Jalles Machado divulgou seus resultados para o 2T22 (Ano Fiscal 3T21) com o EBIT crescendo 29% A/A, abaixo do que esperávamos, uma vez que a empresa recompôs estoques antes da entressafra e devido à entrega insuficiente de açúcar orgânico devido a problemas logísticos;
  • A margem EBIT aumentou para 62,6% nos 6M-21/22 (vs. 42,4% nos 6M-20/21), um aumento menor do que os pares, já que 1/3 de suas receitas não são relacionadas a commodities (alfa inferior);
  • Nenhuma notícia da promessa de M&A, e nos perguntamos se é razoável continuar esperando, já que as melhores oportunidades provavelmente estão no passado;
  • Continuamos otimistas com a Jalles Machado e reiteramos nosso rating de Compra com a preço-alvo de R$14/ação;
  • Clique aqui para ler o relatório completo.

Ânima (ANIM3) – 3T21: Resultados operacionais impressionantes

  • A Ânima reportou lucro líquido ajustado de R$59M no 3T21; os destaques foram:
    • As receitas aumentaram 133% A/A, principalmente suportadas por aquisições recentes;
    • A margem EBITDA ajustada foi de 42,3% (+13,7 p.p. A/A), impulsionada por (i) uma diluição de 5,8 p.p. A/A nos custos caixa graças aos ganhos de eficiência do modelo acadêmico E2A, e (ii) uma diluição de 5,8 p.p. A/A nas despesas corporativas;
    • Segundo a empresa, das sinergias anuais estimadas de R$350M com a aquisição da Laureate, R$35M já foram geradas no 3T21;
    • As despesas financeiras líquidas foram de R$307M (R$201M sem arrendamentos), geradas por uma dívida líquida de R$4,7B (R$3,1B sem arrendamentos).
  • Os resultados foram sólidos, pois a empresa apresentou grandes melhorias operacionais, reforçando nossa visão positiva em relação ás ações – independentemente do elevado endividamento;
  • Acesse o relatório completo aqui.

Varejo – Vitrine XP 3T21: Análise dos resultados do 3T21

  • Enjoei foi a última empresa de nossa cobertura a reportar resultados do 3T21. O GMV e receitas continuam a crescer mas as margens seguem pressionadas;
  • Os principais destaques do varejo nesta temporada de resultados foram os nomes discricionários focados no público de alta renda, que continuaram a reportar um sólido crescimento de receitas e margens fortes, apesar de as empresas de vestuário também terem reportado crescimentos sólidos. No entanto, o Atacarejo e farmácia também se mostraram resilientes;
  • Clique aqui para ver o relatório completo.

Priner (PRNR3): no 3T21, resultados em linha, mas perspectivas para médio prazo seguem fortes

  • Na última sexta-feira (12), após o fechamento do mercado, a Priner postou seus números para o 3T21. A empresa entregou números robustos no período, com destaque para o forte crescimento de receita, em linha com o que havia sido divulgado pela empresa em sua prévia operacional no começou de outubro;
  • A Priner registrou uma receita líquida de R$ 124 milhões, 2% abaixo do que esperávamos, mas ainda 125% acima do 3T20, devido ao aumento da demanda tanto por serviços onshore quanto offshore. Por outro lado, como já esperávamos, as margens da empresa apresentaram ligeira compressão, sobretudo devido a custos relacionados com a Covid-19;
  • Nesse sentido, as margens EBITDA e líquida vieram ligeiramente abaixo das nossas estimativas, ficando em 10,4% (esperávamos 11%) e 3,1% (esperávamos 4,7%), respectivamente. Ainda assim, nós seguimos confiantes que as perspectivas de médio prazo para a Priner seguem fortes do ponto de vista operacional, e, portanto, mantemos nossa recomendação de Compra para o papel, com um preço-alvo de R$ 13,4 por ação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

MercadoLivre anuncia oferta primária de US$1,5bilhão

  • O MELI anunciou ontem à noite sua intenção de fazer uma oferta de US$1,5 bilhão em ações (~2% do seu valor de mercado). De acordo com a companhia, os recursos serão destinados para usos diversos;
  • De acordo com o Brazil Journal, três bancos ligaram para clientes ontem à noite para distribuir durante a madrugada uma oferta. O bloco será precificado hoje de manhã antes do mercado abrir em NY;
  • Vemos a notícia como negativa para as empresas do setor de ecommerce, uma vez que dá maior liquidez para o líder de mercado no Brasil, o que deve adicionar pressão à competição no país.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • O Pix completa seu primeiro ano nesta terça-feira e se consolida como o item de maior sucesso da Agenda BC#. (Valor);
    • Bancos recompõem margens, mas veem 2022 mais difícil. Atividade fraca e juros em ascensão levam a previsões de alta gradual da inadimplência. (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Brasil deve amargar uma década de desemprego alto, aponta pesquisa. (Folha);
    • Nielsen vê alta de 20% nos pedidos do ecommerce com impulso da Black Friday (Folha);
    • Vendas de Natal devem injetar R$ 68,4 bilhões no varejo (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Jalles Machado dá baixa em operações de hedge e tem perda contábil no trimestre (Valor);
    • Lucro líquido da Tyson Foods mais que dobra no 4º trimestre, para US$ 1,35 bilhão (Valor);
    • Heineken to Buy Distell for $2.5 Billion in Africa Expansion (Bloomberg);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Nível dos reservatórios do Sul e Sudeste/Centro-Oeste deve continuar a subir, diz ONS. (Valor Econômico);
    • Aneel prevê aumento médio de 21% nas contas de luz em 2022. (Valor Econômico);
    • CAE terá votação de projeto que muda política de preços da Petrobras. (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Cisão da Johnson & Johnson

  • Johnson & Johnson anuncia cisão da empresa;
  • Aposta da Amazon no setor de saúde;
  • Elon Musk continua vendendo ações da Tesla;
  • O número de usuários de criptomoedas dobrou no primeiro semestre de 2021;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

ESG

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 16/11

  • Na sexta-feira, o mercado encerrou em território negativo, com o Ibov e o ISE em queda de -1,2% e -1,4%, respectivamente. Ontem, o mercado estava fechado devido ao feriado;
  • No cenário nacional, um estudo do Observatório de Bioeconomia da FGV mostrou que, particularmente no Brasil,  o desafio de reduzir as emissões de gases de efeito estufa advindas da pecuária pode ser facilitado com a aceleração da recuperação de pastagens degradadas e da adoção de sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF);
  • No internacional, na COP26, (i) foram fechadas as formas de funcionamento do artigo 6.2 do Acordo de Paris, após seis anos da assinatura do acordo, concluindo as normas do comércio de créditos de carbono entre países; e (ii) os preços do carbono europeu saltaram para um pico acima de €66/tonelada ontem, com traders apostando que o resultado das negociações climáticas da COP26 provavelmente fortalecerá os mercados de emissões que são vistos como uma ferramenta-chave de descarbonização. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.