Radar Energia XP | Novembro

Criamos este relatório com notícias do setor de energia que complementam nossos comentários publicados no Morning Call.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo falam sobre os principais assuntos, tendências e companhias que formam o setor. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo que tem impactos diretos ou indiretos no setor; e (ii) Nossos últimos relatórios publicados.

Gostaria de receber esse conteúdo por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!

Sexta-Feira, 26 de Novembro

Elétricas e Saneamento

STF proíbe cobrança de ICMS maior para energia e telecom
O Supremo Tribunal Federal considerou inconstitucional a aplicação de alíquota maior do ICMS sobre o fornecimento de energia elétrica e serviços de telecomunicações. A decisão foi tomada no início da semana, quando o plenário concluiu o julgamento de um Recurso Extraordinário das Lojas Americanas contra lei de Santa Catarina que estabeleceu alíquota de 25% para esses serviços, quando a maioria das operações no estado tem alíquota de 17%. (Canal Energia)

Consumidor continua buscando o menor preço no ACL, aponta Tradener
A comercializadora cresceu em 58% sua carteira de clientes de longo prazo desde o ano de 2019, meses antes da pandemia. A Tradener tem hoje 750 clientes sob o seu atendimento, gestão e comercialização de energia. Levantamento da empresa mostra que historicamente a Tradener tem trazido para seus clientes uma economia de 25 a 30% nos custos de energia. (Canal Energia)

Índice Comerc: Eletromecânica puxa recuo de 0,27% no consumo em outubro
Seis dos onze principais setores da economia apresentaram ligeira queda no consumo de energia em outubro, fazendo com que o consolidado do mês apresentasse retração de 0,27%, afirma o Índice Comerc – que desde 2015 avalia o consumo de 11 principais setores da economia a partir de 3 mil unidades de sua carteira de comercialização, pertencentes a aproximadamente 1.500 empresas que compram energia elétrica no mercado livre. (Canal Energia)

Consumo registrado pela Energisa cai 2,7% em outubro, puxado por residências e zona rural
O consumo consolidado da Energisa caiu 2,7% em outubro na comparação com o mesmo mês do ano passado, para 3.266,9 gigawatt-hora (GWh). O número considera os mercados cativo e livre. (Valor Econômico)

ONS: Carga de energia brasileira deve chegar a 80 gigawatts médios em 2025
A carga de energia do Sistema Interligado Nacional (SIN) deve crescer em média 3,4% ao ano entre 2021 e 2025 e chegar a 80 gigawatts (GW) médios ao final do período, segundo o plano da operação energética do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). (Valor Econômico)

Casa dos Ventos e Comerc preveem US$ 4 bi em projeto de hidrogênio verde no Piauí
A Nexway, empresa de eficiência energética da Comerc, e a Casa dos Ventos anunciaram parceria para desenvolver projetos de produção de hidrogênio verde (H2V) no Brasil. A estratégia envolve tanto projetos de larga escala, olhando a exportação de H2V, como a produção de pequeno e médio porte nas indústrias — uma espécie de geração distribuída de hidrogênio verde. (epbr)

Equatorial investirá R$ 400 milhões no AP
A Equatorial Energia planeja investir R$ 400 milhões até 2023 em obras estruturantes para melhorar a qualidade dos serviços da rede de distribuição de energia elétrica no Estado do Amapá. A companhia assumiu, na terça-feira, o controle da Companhia Energética do Amapá (CEA), depois de vencer o leilão de privatização da antiga estatal em junho deste ano. (Valor Econômico)

Copel estende contrato com a Petrobras de fornecimento de gás para termelétrica
A Companhia Paranaense de Energia (Copel) anunciou nesta quinta-feira que estendeu com a Petrobras o contrato de fornecimento de gás para a sua usina elétrica a gás (UEG) Araucária até dezembro de 2022. De acordo com a empresa, o acordo prevê que a Petrobras forneça 2,15 milhões de metros cúbicos de combustível por dia, sem obrigatoriedade de retirada. (Valor Econômico)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$77,58/Barril -5,64%

CÂMBIO

R$5,56/USD -0,53%

Petróleo recua em dia de feriado nos EUA e à espera de reunião da Opep+
Os preços dos contratos para janeiro do Brent terminaram o dia em queda de 0,03%, a US$ 82,22 por barril, enquanto os preços dos contratos para o mesmo mês do WTI caíram 0,37%, a US$ 78,10 por barril. Os preços do petróleo seguiram recuando, com o Brent fechando praticamente na estabilidade e o WTI caindo, em dia de menor movimentação devido ao feriado do Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos. (Valor Econômico)

Deputados retiram ‘bomba branca’ e aprovam MP da venda direta de etanol
Os deputados aprovaram nesta quinta (25) a MP 1063, que possibilita a venda direta de etanol de usinas diretamente aos postos de combustíveis. A matéria será enviada ao Senado e tem prazo de validade até dia 9 de dezembro para ser avaliada pelo Congresso Nacional. (epbr)

ANÁLISE: Petrobras passa de Evergrande brasileira a grande pagadora de dividendos
Antes da chinesa Evergrande, a empresa já teve a maior dívida do mundo. Nos últimos anos, vendeu ativos e se recuperou depois do maior desastre de gestão e corrupção já visto na história brasileira. (Valor Econômico)

Petrobras tem plano estratégico dentro do esperado, diz Citi
“Entretanto, acreditamos que as eleições do ano que vem e uma mudança em potencial na estratégia de preços e de alocação de capital da companhia são fatores de risco para a tese de investimentos”, afirmam. (Valor Econômico)

Marlim e Sergipe AP saem da carteira de desinvestimento
A Petrobras retomará os projetos de Revitalização de Marlim, na Bacia de Campos, e de desenvolvimento da produção de Sergipe Águas Profundas. Como não obteve sucesso em vendê-los, a petroleira decidiu por retirá-los do seu programa de desinvestimento, por enquanto.  (Petróleo Hoje)

Petrobras seguirá com investimento para apoiar comunidades na compra do gás de cozinha
A Petrobras mantém a intenção de investir R$ 300 milhões em apoio a comunidades carentes na compra de gás de cozinha (GLP), mesmo com o anúncio do programa do governo federal de subvenção ao produto. “O projeto não foi afetado pelo programa de auxílio do governo”, disse o diretor de relacionamento institucional e sustentabilidade da petroleira, Roberto Ardenghy. (Valor Econômico)

Petroleira vai lançar novos processos de venda de refinarias
A Petrobras manteve o compromisso de abertura do mercado de refino e vai lançar novos processos para a venda das refinarias em que não teve êxito no desinvestimento. A companhia vai ampliar investimentos no segmento para aumentar a atratividade dos ativos. (Valor Econômico)

Petrobras dobra previsão de dividendos
O novo plano de negócios da Petrobras consolida a empresa como uma boa pagadora de dividendos. A companhia dobrou as projeções de remuneração aos acionistas em relação ao planejamento estratégico anterior (2021-2025) e prevê distribuir de US$ 60 bilhões a US$ 70 bilhões entre 2022 e 2026. O primeiro plano da gestão de Joaquim Silva e Luna aumenta e em 24% os investimentos, para US$ 68 bilhões nos próximos cinco anos, mas mantém, de uma maneira geral, uma linha de continuidade ante as administrações passadas. (Valor Econômico)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Quinta-Feira, 25 de Novembro

Elétricas e Saneamento

Bolsonaro discute acordo de Itaipu com presidente do Paraguai
O presidente Jair Bolsonaro e seu homólogo paraguaio, Mario Abdo, se encontraram hoje no Palácio do Planalto. No topo da pauta da visita, a revisão do Anexo C do Tratado de Itaipu, que versa sobre as bases financeiras do acordo firmado em 1973. Acordo estabelece que cada país tem direito à metade da energia produzida pela usina, que já foi a maior hidrelétrica do mundo. E que um terá que vender ao outro o que não consumir. Mas terá que ser revisto em 2023. (Valor Econômico)

Enel planeja investir € 5 bi no Brasil em três anos
A holding italiana de energia elétrica Enel deve investir € 5 bilhões no Brasil nos próximos três anos como parte do plano global anunciado ontem pela companhia, que prevê investimentos de €170 bilhões no mundo todo até 2030. (Valor Econômico)

STF julgará quando começa a valer redução de ICMS sobre contas de luz e telefone
O Supremo Tribunal Federal (STF) afirma que o julgamento da modulação de efeitos da decisão que reduziu o ICMS das contas de luz, telefone e internet será incluído na pauta do Plenário Virtual desta sexta-feira. Os ministros vão votar a proposta sugerida por Dias Toffoli, para que a redução tenha validade somente a partir de 2022. (Valor Econômico)

Aneel aprova regras para reequilíbrio de distribuidoras
A Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou as regras de análise dos pedidos de Revisão Tarifária Extraordinária pelas distribuidoras, para corrigir desequilíbrios econômicos decorrentes da pandemia do Coronavírus. A Aneel também estabeleceu a metodologia de cálculo da sobrecontratação involuntária resultante da redução de carga durante a crise sanitária e definiu os critérios para ressarcimento aos consumidores de custos associados à operação de crédito da Conta-Covid em 2020. (Canal Energia)

Noruega amplia aposta e investimentos em energia verde no Brasil
Relatório mostra que setor de energia angariou quase US$ 5 bilhões dos recursos aplicados no último biênio por empresas norueguesas no país, crescendo 67% mesmo com a pandemia. (Canal Energia)

Cade aprova proposta de reorganização societária da Cesp
A Cesp informou que a Superintendência Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica aprovou sem restrições a proposta de reorganização societária pretendida pelos seus acionistas controladores indiretos Votorantim e Canada Pension Plan Investment Board. A joint venture VTRM – formada por Votorantim e CPP Investments encaminhou ao conselho de administração da Cesp proposta de reorganização societária tendo por objeto a incorporação das ações de emissão da Cesp. (Canal Energia)

Níveis descem e reservatórios do Sul admitem 55,4% da capacidade
Os reservatórios do Sul apresentaram queda de 0,2 pontos percentuais na última terça-feira, 23 de novembro, em relação ao dia anterior, e o subsistema opera a 55,4% junto ao SIN, informa o boletim diário do ONS. A energia armazenada mostra 11.023 MW mês e a ENA é de 4.516 MW med, o mesmo que 60% da média de longo termo armazenável no mês até o dia. As UHEs Passo Fundo e G.B Munhoz funcionam com 54,19% e 66,34%, respectivamente. (Canal Energia)

Eletrobras: CGT Eletrosul compra 49% da TSLE por R$ 217,5 milhões
A Eletrobras anunciou nesta terça-feira que a CGT Eletrosul adquiriu uma participação de 49% na Transmissora Sul Litorânea de Energia (TSLE), que era detida pela Companhia Estadual de Transmissão de Energia Elétrica (CEEE-T), por R$ 217,5 milhões. (Valor Econômico)

Equatorial faz aumento de capital da Companhia de Eletricidade do Amapá em R$ 400 mi
A Equatorial Energia informou na noite de terça-feira que foi concluída a compra de 99,983% do capital social da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), com a formalização da concessão prevista para esta quarta-feira, mediante a celebração de contrato de concessão do serviço público de distribuição de energia elétrica. (Valor Econômico)

Renova Energia vende UPI Enerbrás para a Vince Partners
A Renova Energia, em recuperação judicial, comunicou na noite desta quarta-feira (24) que homologou a transação de venda da UPI Enerbrás para o fundo de investimentos em participações em infraestrutura Vinci Partners pelo valor de R$ 265,8 milhões. (Valor Econômico)

Emissão de debêntures incentivadas soma R$ 7,6 bilhões em outubro e bate recorde no acumulado do ano
Nos dez primeiros meses de 2021, emissão alcançou R$ 37,9 bilhões; até então, o maior valor anual tinha sido registrado em 2019, alcançando R$ 33,8 bilhões. Na análise da distribuição setorial em 2021, o destaque foi o setor de energia, que concentrou 60% das emissões. Na sequência vieram transportes (28%), telecomunicações (8%) e saneamento (4%). (Valor Econômico)

STF deve manter validade do novo marco legal do saneamento
O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) começou a julgar nesta quarta-feira a constitucionalidade do Novo Marco Legal do Saneamento Básico, com tendência a mantê-lo nos termos aprovados pelo Congresso Nacional. Hoje, as partes fizeram suas sustentações orais. Os votos dos ministros serão colhidos na sessão de quinta. (Valor Econômico)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$82,15/Barril -0,12%

CÂMBIO

R$5,59/USD -0,25%

Petrobras prevê investir US$ 68 bilhões em plano de negócios de 2022 a 2026
A Petrobras vai investir US$ 68 bilhões entre 2022 e 2026, dos quais 84% serão direcionados para o segmento de exploração e produção (E&P), de acordo com o novo plano estratégico da companhia, divulgado na noite de hoje. O novo plano de negócios é 23% superior ao anterior (2021-2025), que previa um orçamento de US$ 55 bilhões. (Valor Econômico)

Opep+ considera mudar estratégia após liberação de reservas coordenada pelos EUA
A Arábia Saudita e a Rússia estão considerando fazer uma pausa nos recentes esforços para aumentar a produção global de petróleo, de acordo com fontes próximas das discussões, após Washington e outros países terem decidido liberar suas reservas estratégicas da commodity, em uma tentativa de baixar os preços. (Valor Econômico)

Petróleo fecha em queda de olho na oferta e gás sobe com redução de estoques
Os preços do petróleo fecharam praticamente estáveis nesta quarta-feira (24) depois de permanecerem na gangorra durante a maior parte do dia, alternando altas e baixas, em meio a notícias sobre estoques e a reação da Opep+ à liberação das reservas estratégicas anunciada ontem pelos Estados Unidos e outros países. (Valor Econômico)

União pode arrecadar US$ 116 bi com venda de petróleo do pré-sal até 2031
A Pré-Sal Petróleo (PPSA) estima que a comercialização do petróleo que a União tem direito nos contratos de partilha do pré-sal deve gerar receitas de cerca de US$ 116 bilhões, entre 2022 e 2031. Segundo a estatal, a arrecadação será fruto da venda de 1,5 bilhão de barris no período. (Valor Econômico)

Leilão do pré-sal pode marcar estreia de novos produtores de petróleo no Brasil
O leilão dos volumes excedentes da cessão onerosa das áreas de Sépia e Atapu, no pré-sal da Bacia de Santos, representa, para as petroleiras, um acesso imediato a projetos já em fase operacional e pode, a depender dos resultados, atrair dois novos produtores para o país. A americana ExxonMobil e a colombiana Ecopetrol buscam na licitação uma oportunidade para começarem a produzir seus primeiros volumes de petróleo no Brasil. (Valor Econômico)

Com alta do diesel, prefeitos pedem subsídio ao transporte coletivo para evitar aumento de tarifa
Prefeitos de capitais e de cidades da região metropolitana de São Paulo viajaram para Brasília nesta quarta-feira (24) para pedir medidas de subsídio ao transporte coletivo por parte do governo federal para evitar uma alta expressiva das tarifas de ônibus no começo do próximo ano. O pedido é por dinheiro para subsidiar o serviço ou desoneração do óleo diesel. (Valor Econômico)

Ausência de rumos nas mudanças em combustíveis
Em um momento de crises econômica, sanitária e choque de preços de energia, o atual governo tem se valido do expediente da Medida Provisória (MP) para tentar passar reformas que não consegue aprovar através de projetos de lei. Ao ritmo de edição de mais de uma por semana, ao longo de 2021, causa preocupação o uso das MP também para tratar de assuntos de natureza regulatória. Tal é o caso das MP 1063/21 e 1069/21, editadas em agosto passado, e que tratam da comercialização de combustíveis. (Valor Econômico)

Preço dos combustíveis deve continuar pressionado em 2022
O preço do barril do petróleo deve se manter em patamares elevados em 2022, entre US$ 70 e US$ 80, segundo estimativas da consultoria IHS Markit. A expectativa é que a cotação da commodity, nesse nível, mantenha os preços dos combustíveis pressionados no Brasil, num ano marcado por eleições presidenciais, e que a Petrobras continue nos holofotes da pauta política. (Valor Econômico)

Contrariando estimativas, estoques de petróleo dos EUA sobem
Os estoques americanos de petróleo subiram em 1 milhão de barris na semana encerrada na última sexta-feira (19), para 434,0 milhões de barris, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira (24) pelo Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) dos Estados Unidos. A alta surpreendeu já que economistas ouvidos pelo “Wall Street Journal” esperavam um recuo de 0,8 milhão de barris no período. (Valor Econômico)

PPSA estima investimento de US$ 99 bilhões para 27 novas plataformas no pré-sal da partilha de produção
O desenvolvimento da produção dos atuais contratos de partilha da produção com os excedentes da cessão onerosa dos campos de Sépia e Atapu, que serão licitados pela ANP em 17 de dezembro, vão demandar US$ 99 bilhões até 2031, com demanda para novas 27 plataformas de produção do tipo FPSO e a perfuração de 416 poços. (epbr)

O que as petroleiras estão fazendo para descarbonizar o pré-sal?
Com metas globais de redução de emissões, grandes operadoras no pré-sal brasileiro traçam estratégias para reduzir a intensidade de carbono da produção. Em comum, está a busca por mais eficiência, eletrificação e automação de sistemas. (epbr)

Bolsas da Europa fecham sem direção única com covid-19 e alta do petróleo no radar
O índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 0,09%, o FTSE 100, de Londres, avançou 0,27%, em Frankfurt houve queda de 0,37%, e, em Paris, o CAC 40 anotou ligeira queda de 0,03% Os principais índices acionários europeus encerraram a sessão desta quarta-feira (24) sem uma mesma direção diante do temor com uma nova onda de covid-19 na região. O setor de energia, porém, acabou sendo ajudado pelo avanço dos preços do petróleo, na maior parte da sessão, e também com o rali de ontem, quando o contrato Brent avançou mais de 3%. (Valor Econômico)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Quarta-Feira, 24 de Novembro

Elétricas e Saneamento

Consumo de energia no Brasil cai 2,4% na primeira quinzena de novembro, aponta CCEE
Segundo a CCEE, o declínio foi puxado pela menor demanda do mercado regulado, que atende consumidores de menor porte, como pequenos comércios e as residências, e são supridos pelas distribuidoras. As temperaturas mais amenas, principalmente nas regiões Sul e Sudeste, ajudam a explicar a queda. (Valor Econômico)

Brasil será pioneiro na geração de energia eólica offshore na América Latina
Para ajudar na descarbonização da eletricidade e contribuir para que as metas de redução de emissão de gases, firmadas durante o Acordo de Paris, sejam honradas, é necessário que os investimentos no mercado eólico global quadrupliquem. O dado é da Global Wind Energy Council trazido por Rodrigo Ugarte Ferreira, Head de Procurement da Vestas Latam, durante o painel “Competitividade da cadeia produtiva e novos modelos de negócio para a expansão do setor eólico”, no Brazil Windpower 2021. (Canal Energia)

Crise hídrica expõe desafio de manter a matriz limpa
Participação de fontes limpas na oferta de energia tem aumentado no Brasil. Mesmo assim, os desafios brasileiros não são triviais: o país precisará equilibrar demanda de energia em alta, gestão de recursos hídricos cada vez mais complexa, o avanço do gás, a exploração gradual da camada pré-sal e a redução das emissões de dióxido de carbono. (Valor Econômico)

País precisa melhorar gestão do sistema elétrico, diz Abeeólica
Executiva defende emprego mais racional da matriz hidrelétrica e integração com outros usos da água. “Precisamos enxergar as hidrelétricas com os demais recursos que elas oferecem para o sistema, que não são somente a energia elétrica. Precisamos mudar a forma de operar o sistema, é o que trará a mudança para o próprio planejamento do sistema, para que se possa aproveitar melhor os recursos”. (Valor Econômico)

Aneel lança proposta de edital do 1º leilão de transmissão de 2022
A proposta de edital do primeiro leilão de transmissão de 2022 vai entrar em consulta pública na próxima sexta-feira, 26 de novembro. O certame previsto para 30 de junho vai ofertar concessões de empreendimentos localizados nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe. (Canal Energia)

Aneel aprova Regras de Comercialização de 2022
As Regras de Comercialização de Energia Elétrica para 2022 foram aprovadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica nesta terça-feira, 23 de novembro. Elas incluem adequações em módulos que serão aplicadas a partir de dezembro de 2021 para produzir efeitos a partir de janeiro do ano que vem. (Canal Energia)

Mudanças do clima são risco para setor elétrico, diz KPMG
Uma pesquisa da consultoria KPMG com 133 líderes da indústria de energia apontou que 40% dos executivos consideram as mudanças climáticas como o maior risco ao crescimento das empresas nos próximos anos. Em paralelo, 79% dos entrevistados acreditam que os próprios líderes são responsáveis por apontar a urgência do tema das mudanças climáticas nas organizações. (Valor Econômico)

Grandes consumidores reduzem pegada de carbono
Investir em energia renovável para reduzir a pegada de carbono e ter custos mais competitivos, em um momento em que a matriz de eletricidade tem sofrido com preços crescentes e ameaça de desabastecimento, tem sido uma estratégia de empresas de diferentes portes. (Valor Econômico)

As lições da COP26 para o setor de energia renovável
Estamos na direção correta, mas a transição energética precisa ser muito mais rápida. Duas semanas antes da COP26, o Conselho Global de Energia Eólica e mais de 90 líderes globais do setor lançaram um alerta: as instalações de eólica precisam aumentar quatro vezes em relação aos níveis atuais para que a fonte possa fazer seu papel de ajudar os países a atingir o net zero até 2050. (Valor Econômico)

Empresas do setor elétrico devem ter performance financeira estável em 2022, diz Fitch
A alavancagem bruta média do setor, medida pela pela relação entre a dívida total e o Ebitda, deve se manter estável em 3,1 vezes em 2021 e 3,2 vezes em 2022. (Valor Econômico)

Petroquímica brasileira intensifica corrida por energias renováveis
Redução de custos e metas de descarbonização incentivam transição energética na indústria química e petroquímica. A indústria petroquímica brasileira abraçou a transição energética, seja por causa dos custos hoje mais competitivos da energia renovável, seja para reduzir a pegada de carbono e cumprir metas climáticas estabelecidas para as próximas décadas. (Valor Econômico)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$82,27/Barril -0,05%

CÂMBIO

R$5,60/USD +0,27%

Países liberam reservas, mas petróleo volta a subir
Os EUA e cinco outros países, incluindo a China, anunciaram ontem que vão liberar parte de suas reservas estratégicas nacionais de petróleo numa tentativa de baixar os preços da gasolina, que têm pressionado a inflação e desagradado consumidores. Mas a reação inicial dos mercados de petróleo foi de alta após o anúncio, refletindo, em parte, uma percepção de que o volume envolvido é baixo. (Valor Econômico)

Petrobras limita entrega de combustíveis a distribuidoras pelo 2º mês
Petroleira comunicou ao mercado que não atenderá todos os pedidos de entregas de produtos em dezembro, a exemplo do que ocorreu em novembro. Executivos do setor, mais uma vez, alertam para risco de desabastecimento, caso os preços praticados pela estatal em suas refinarias não justifiquem a importação, por empresas privadas, de produtos mais caros no exterior. (Valor Econômico)

EUA vão liberar 50 milhões de barris de petróleo das reservas
O presidente Joe Biden anunciou a liberação de petróleo do estoque estratégico dos EUA em uma tentativa de baixar os preços do petróleo e acabar com uma recuperação do mercado de petróleo bruto que o governo afirmou representar uma ameaça à recuperação econômica global. (ft)

Reserva estratégica não é para controlar alta de preço
Reservas estratégicas servem para casos de choque emergencial na oferta, e não para tentar segurar um aumento de preços conjuntural. Além disso, liberação anunciada é pequena demais para influenciar o mercados. (Valor Econômico)

Bolsas de NY encerram sem direção única, afetadas pela alta do petróleo
Os três principais índices acionários de Wall Street encerraram a sessão desta terça-feira (23) sem uma direção única, ainda sob impacto da indicação de Jerome Powell para mais um mandato à frente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) e diante de um avanço nos preços do petróleo, em dia de anúncio de liberação de reservas estratégicas da commodity. (Valor Econômico)

Entenda a liberação das reservas de petróleo pelos EUA e outros países
Analistas avaliam que medida, especulada nas últimas semanas, terá pouco impacto na redução dos preços da gasolina. Mas a medida também traz riscos, incluindo uma possível reação da Opep+, que ameaça bloquear qualquer alívio. Com tantas incógnitas remanescentes, é difícil dizer se as famílias americanas realmente verão uma queda — se houver — a tempo de evitar uma temporada de viagens de fim de ano brutalmente cara. (Valor Econômico)

Silva e Luna: “Nem todo reajuste que aparece na bomba tem a ver com a Petrobras”
O presidente da Petrobras está em audiência pública no Senado e explicou que a empresa acompanha os preços de mercado, lembrando que o Brasil é importador de combustível. O presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, criticou nesta terça-feira a criação de imposto sobre exportação de petróleo cru, como forma de capitalizar um fundo de equalização de preços dos combustíveis. Essa proposta vem sendo debatida no Senado após a alta dos preços de combustíveis. (Valor Econômico)

Petrobras precisa elevar preço da gasolina em 6%, estima Ativa Investimentos
A Ativa Investimentos estima que a Petrobras precisa aumentar o preço da gasolina em 6% para eliminar a defasagem entre o preço do combustível no país e sua cotação internacional. “Nos últimos reajustes, a Petrobras fez elevações deixando, em média, 14% de potencial altista para trás, o que atribuíamos a uma defasagem temporal na correção”, avalia o economista-chefe da Ativa Investimentos, Étore Sanchez. (epbr)

Plano Estratégico da Petrobras com projeção de alta
O Conselho de Administração da Petrobras (CA) apreciará os indicadores do Plano Estratégico 2022-2026 nesta quarta-feira (24/11). Na comparação com o plano anterior, o novo será mais robusto, com investimentos acima de US$ 55 bilhões para o período 2021-2025. (Petróleo Hoje)

Mandato de biodiesel em discussão no CNPE
A definição do percentual é urgente. Com a mudança no modelo de comercialização, produtores e distribuidoras precisam começar a firmar contratos de venda e compra do biocombustível para abastecer o país em janeiro e fevereiro, mas a demanda ainda é desconhecida. (epbr)

ANP: Arcabouço legal e regulatório é suficiente para abertura do mercado de gás, diz diretora
Symone Araújo citou que a Nova Lei do Gás traz “previsibilidade e segurança jurídica” e que, no âmbito regulatório, houve avanços. A diretora da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Symone Araújo, disse que o atual arcabouço legal e regulatório do país é o suficiente para promover a transição para a abertura do mercado brasileiro de gás natural. (Valor Econômico)

Com apoio da Vibra, BBF fará a 1ª usina de diesel verde do país
Uma das maiores produtoras de óleo de palma do país, a Brasil Biofuels (BBF) fechou uma parceria com a distribuidora Vibra Energia que destravará o projeto para a primeira indústria de diesel verde (HVO) do país. Pelo acordo, a Vibra comercializará, por um valor não revelado, toda a produção da futura fábrica. O investimento da BBF na construção alcançará R$ 1,8 bi. (Valor Econômico)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Terça-Feira, 23 de Novembro

Elétricas e Saneamento

Medidas contra crise hídrica vão causar um rombo de R$140 bilhões
As decisões recentes que o governo tomou para enfrentar a crise hídrica devem custar cerca de R$ 140 bilhões a serem pagos pelo consumidor, segundo cálculos do Instituto Clima e Sociedade (iCS). Isso se deve à inclusão dos jabutis da MP da Eletrobras, à contratação da térmicas para enfrentamento da crise, ao Programa de incentivo à Redução Voluntária de Demanda (RVD), à criação da bandeira escassez hídrica e ao leilão emergencial para contratação e reserva de capacidade. (Canal Energia)

Supremo determina redução de ICMS sobre contas de luz e telefone
O preço das contas de luz, telefone e internet pode ficar menor. O motivo está na alíquota de ICMS que incide sobre o fornecimento de energia e serviços de telecomunicações. Os consumidores conseguiram decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) contra uma prática comum entre os Estados: cobrar percentuais diferenciados, acima da alíquota ordinária, nessas duas situações Estimativa é de que derrota trará R$ 26,7 bilhões em perdas por ano aos Estados. (Valor Econômico)

MME quer enviar nesta semana MP com empréstimo para distribuidoras ao Congresso
O MME (Ministério de Minas e Energia) está finalizando a MP (medidas provisórias) que autorizará um empréstimo para que as distribuidoras de energia elétrica possam cobrir os custos mais altos de compra de energia, e planeja enviar o texto ao Congresso Nacional nesta semana. As empresas têm pressa para que o valor seja liberado já em janeiro. (Canal Energia)

CCEE entrega primeiro estudo para abertura do ACL
A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica concluiu e entregou ao Ministério de Minas e Energia e à Agência Nacional de Energia Elétrica nota técnica com conceitos e aprimoramentos regulatórios que permitirão a entrada de consumidores de menor porte no ACL. (Canal Energia)

Brasil está há 20 anos estagnado em eficiência energética
Segundo especialistas, os potenciais ganhos de eficiência viriam do setor de edificações e industrial. Entretanto, país tem políticas confusas e atrapalhadas. (Canal Energia)

Dommo Energia aprova aumento de capital de R$ 139,7 milhões
Com a operação, serão emitidas 199,6 milhões de novas ações ordinárias; capital social da companhia passará de R$ 457,5 milhões. (Valor Econômico)

Eni vai segregar segmento de energia renovável em nova empresa e planeja IPO em 2022
A Eni estima que a Plenitude alcance um Ebitda de 1,3 bilhão de euros em 2025, com investimentos de 1,8 bilhão de euros entre 2022 e 2025, com renováveis respondendo por mais de 80% do montante. (Valor Econômico)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$78,87/Barril -1,04%

CÂMBIO

R$5,59/USD -0,27%

Petróleo fecha em alta com investidor atento a plano da Opep+ sobre aumento da produção
O petróleo terminou o pregão desta segunda-feira (22) em alta, após ensaiar queda durante a sessão, em meio a relatos de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados (Opep+) estavam repensando os planos para continuar com aumentos modestos na produção. Os preços dos contratos para janeiro do Brent terminaram o dia em alta de 1,02%, a US$ 79,70 por barril, e os preços dos contratos para o mesmo mês do WTI subiram 1,06%, a US$ 76,75 por barril. (Valor Econômico)

Bolsonaro sanciona lei do vale-gás para famílias de baixa renda
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou nesta segunda (22/11) a Lei 14.237/21, que institui o Programa Gás dos Brasileiros, aprovado no Congresso Nacional. A cada bimestre, o programa vai pagar pelo menos 50% da média do preço nacional de referência do botijão de 13 kg de GLP estabelecido pelo Sistema de Levantamento de Preços (SLP) da ANP nos seis meses anteriores. (epbr)

EIA prevê que os preços do petróleo cairão em 2022
Devido ao aumento da produção de petróleo nos países da Opep+ (países membros e e aliados) e EUA, os preços do barril de petróleo devem cair a partir do ano que vem. Segundo a Energy Information Administration (EIA). Descompasso entre demanda e oferta vem gerando preços altos, mas estima-se que o cenário atual sofra reversão (Petróleo Hoje)

Petrobras deve sacrificar fluxo de caixa no curto prazo para se posicionar no longo prazo, diz BTG
O BTG estima que esse aumento de quase 20% no plano estratégico reduz os rendimentos dos dividendos em 2,7 pontos percentuais por ano, ou US$ 8 bilhões totais, assumindo a curva atual de preços do petróleo. “Com um dos menores custos de extração no mundo, o pré-sal é parte integrante para posicionar a Petrobras como uma das últimas e mais eficientes empresas em um cenário de depressão nos preços do petróleo no longo prazo”, comenta o banco. (Valor Econômico)

5G abre novas oportunidades para Petrobras e Vale
Duas das maiores empresas brasileiras, Petrobras e Vale, apostam em aplicações da internet 5G em automação para maximizar lucros e aumentar a segurança das operações de exploração e produção de petróleo e mineração. Até 2030, o setor de óleo e gás como um todo deve agregar até US$ 250 bilhões a mais em resultados. (Valor Econômico)

Portugal é o quarto país da UE a abandonar o carvão na geração de energia
Portugal deixou de usar carvão na produção de eletricidade desde a última sexta-feira (19) e se tornou o quarto país da União Europeia (UE) a adotar a medida, uma das principais discussões da COP26, ocorrida na Escócia no início deste mês. Além de Portugal, outros três países da União Europeia (UE) já abandonaram a queima do carvão: a Bélgica em 2016 e a Áustria e a Suécia no ano passado. (Valor Econômico)

Petrobras terá de custear pessoa exposta a benzeno
A 21ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro obrigou a Petrobras a subsidiar exames médicos periódicos de trabalhadores expostos ao benzeno, substância tóxica que pode causar câncer mesmo em baixas concentrações. (Valor Econômico)

Acionistas devem ganhar mais tempo para vender Braskem
Volatilidade do mercado e cenário de incertezas do país devem atrasar as negociações, previstas para serem concluídas ao longo de 2022. Considerada a “joia da coroa” da Novonor (ex-Odebrecht), as discussões para a venda da fatia de 38,3% na petroquímica Braskem seguem firmes, mas a recente volatilidade do mercado deve atrasar as negociações, que estavam previstas para serem concluídas ao longo de 2022. (Valor Econômico)

Petrobras afirma que participação na Braskem ‘segue fazendo parte’ de portfólio
A Petrobras afirmou há pouco em comunicado que “sua participação na Braskem segue fazendo parte dos ativos contemplados em sua gestão de portfólio”. (Valor Econômico)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Segunda-Feira, 22 de Novembro

Elétricas e Saneamento

ONS: Carga de energia no Sistema Interligado Nacional deve cair 0,2% em novembro
A carga de energia elétrica no Sistema Interligado Nacional (SIN) deve terminar o mês de novembro em 69.583 megawatts (MW) médios, queda de 0,2% em relação a igual mês em 2020. De acordo com o documento, a previsão de queda na demanda por energia está relacionada ao registro do primeiro declínio na produção industrial desde abril, em meio à escassez de matéria-prima e às pressões sobre os preços. (Valor Econômico)

Carga continua a desacelerar e previsão é de queda em novembro, indica ONS
Vazões no Sudeste reduzem mas volume esperado está próximo da média histórica de 91 anos. A terceira revisão semanal do Programa Mensal de Operação para novembro apontou a continuidade da tendência de queda do consumo. Para a terceira versão do documento a perspectiva de carga entrou no campo negativo. A previsão é de retração do consumo em 0,3% a primeira vez em que o sinal de demanda entra na previsão de queda. (Canal Energia)

Importação de energia cresce 63% com crise hídrica no país
A crise hídrica fez as importações de energia elétrica dispararem. A falta de chuvas levou o Brasil a comprar mais energia de vizinhos como Argentina e Uruguai, em contraste com menos importações do Paraguai, cuja usina binacional de Itaipu também sofre com a escassez hidrológica. (Valor Econômico)

Investimento em eficiência precisa triplicar até 2030
Políticas governamentais devem ajudar a aumentar o investimento em eficiência energética em 10% em 2021, para quase US$ 300 bilhões. No entanto, para ser consistente com os níveis previstos no cenário de emissões líquidas zero até 2050 da Agência Internacional de Energia (IEA, em inglês), o investimento anual geral precisaria triplicar até 2030. (epbr)

Indústria enfrenta problemas com gás e eletricidade; soluções não devem vir no curto prazo
PA indústria nacional vem enfrentando problemas nos contratos de gás natural e eletricidade, insumos com grande impacto nas empresas eletrointensivas. Dentre os desafios, a disparada nos preços do gás em 2022, que pode chegar a 300%, prejuízos com programas para a redução voluntária de consumo de eletricidade e a volatilidade dos preços no mercado de curto prazo de energia, que acentuou na atual crise hídrica. (Agência Infra)

Mercado de resíduos sólidos começa a avançar com investimento de empresas em aterros
esteja longe do grau de maturidade do de água e esgoto — que é hoje alvo de leilões disputadíssimos, projetos bilionários e grupos internacionais — os avanços são nítidos. A Caixa, que têm sido um importante gerador de projetos no setor, está estruturando a concessão em São Simão (GO), que incluirá serviços de água, esgoto e resíduos sólidos. (Valor Econômico)

Participação eólica da Eletrobras
A Eletrobras conta atualmente com 706 MW de capacidade instalada de energia eólica, em um total de 43 empreendimentos desta natureza. Deste total, 53% são através de participação em Sociedades de Propósito Específico (SPEs) e 47% são corporativos. Uma das diretrizes de novos negócios do Planejamento Estratégico 2020-2035 da empresa é “Consolidar a liderança em G&T, com foco em energia limpa”. (Canal Energia)

Governo de MG isenta ICMS de importação de equipamentos solares e eólicos
A medida garante aos projetos instalados em território mineiro a competitividade neste mercado. O analista de Promoção de Investimentos da Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior de Minas Gerais, Gustavo Pontello, conta que a mudança atendeu a pedidos do setor, uma vez que a legislação não contemplava as operações de importação, mas apenas as transações internas e interestaduais. (Canal Energia)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$79,17/Barril +0,35%

CÂMBIO

R$5,60/USD +0,70%

Petróleo e gás fecham com forte queda ante temor por nova onda de covid-19
Os preços do petróleo e gás natural fecharam o dia em forte queda hoje, pressionados por temores de uma desaceleração na recuperação econômica à medida que o avanço da covid-19 no continente europeu começa a provocar a adoção de medidas restritivas. A Áustria foi o primeiro país a anunciar, hoje, a volta do lockdown em todo o país. A Alemanha pode ser a próxima a adotar o lockdown diante de um quadro de forte crescimento de contágio. (Valor Econômico)

Petrobras descobre petróleo em poço no Bloco Aram, na Bacia de Santos
Poço está localizado a 240 quilômetros da cidade de Santos, no Estado de São Paulo, e em uma profundidade d’água de 1.905 metros. De acordo com a empresa, o intervalo portador de petróleo foi constatado por meio de perfis elétricos e amostras de fluido, que serão posteriormente caracterizados por meio de análises de laboratório. “Esses dados permitirão avaliar o potencial e direcionar as próximas atividades exploratórias na área.” (Valor Econômico)

Petrobras distribui dividendos recordes, que entram na mira do Congresso para fundo dos combustíveis
A Petrobras e a Vale vão ser as duas maiores distribuidoras de lucros do mercado brasileiro em 2021, com pagamentos recordes de dividendos. É o que aponta levantamento da Economatica a pedido do Estadão. Os pagamentos devem somar pelo menos R$ 136,4 bilhões e vão ser distribuídos a mais de 1 milhão de acionistas – sendo 850 mil da petroleira e quase 300 mil da mineradora. (epbr)

Petrobras diz que investimentos no novo plano estratégico se aproximam de US$ 60 bi a US$ 70 bi
A empresa diz, no entanto, que o plano ainda está sendo analisado pelo seu conselho, não sendo possível confirmar neste momento os termos que serão fixados para o período de 2022 a 2026. A empresa diz, no entanto, que o plano ainda está sendo analisado pelo seu conselho, não sendo possível confirmar neste momento os termos que serão fixados para o período. (Valor Econômico)

Petrobras arremata área no Porto de Santos
A Petrobras arrematou a área STS08A, localizada no Porto de Santos (SP), durante o leilão promovido pela Antaq e pelo Ministério da Infraestrutura na sexta-feira (19/11), na sede da B3, em São Paulo. Estatal irá operar por mais 25 anos, uma vez que a operação anterior era da Transpetro. (Petróleo Hoje)

FT: Andrew Mackenzie, presidente da Shell, renuncia a raízes da Royal Dutch
Em dezembro, 114 anos após a primeira combinação dos braços holandês e britânico da Shell, os acionistas votarão uma proposta do conselho de Mackenzie para tirar o “Royal Dutch” do nome da empresa, entre outros pontos. “Simplicidade é igual à verdade”, disse Andrew Mackenzie ao “Financial Times” em 2015. Na época, ele era executivo-chefe da mineradora BHP Group, a maior do mundo, e estava por embarcar em um ambicioso plano de remodelação, que incluía o desmembramento ou a venda de várias partes das diversificadas operações do grupo. (Valor Econômico)

Eneva anuncia estudos para Terminal de GNL no Maranhão
A Eneva anunciou neste sábado (20/11) que assinou acordo de cooperação com a Servtec Investimentos e Participações para avaliar o desenvolvimento de um terminal de GNL no Porto do Itaqui ou imediações, em São Luís, no Maranhão. As duas empresas podem montar uma  joint venture, na qual a Eneva deterá 51% do total de ações e a Servtec deterá os 49% remanescentes. (epbr)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Sexta-Feira, 19 de Novembro

Elétricas e Saneamento

Governo corta tarifa de importação de painéis solares e zera alíquota para barcos a vela
Segundo a pasta, o Imposto de Importação (II) incidente sobre painéis solares foi reduzido de 12% para 6%; para alguns tipos de bateria de lítio, de 18% para 9%; conversores de corrente contínua pagarão 7% e não mais 14%. Para partes de reatores nucleares, a tarifa de 14% foi zerada. O objetivo da medida é fomentar a diversificação da matriz energética brasileira a partir de fontes limpas, além de reduzir os custos de produção e comercialização de energia, informa em nota. (Valor Econômico)

Relator do PL da portabilidade exclui artigo sobre incentivos para resíduos sólidos
O deputado Edio Lopes (PL/RR), relator do projeto que prevê a abertura total do mercado livre de energia (PL 1917/15), apresentou na última quarta-feira, 17 de novembro, novo parecer no qual retira o artigo que abria a possibilidade de linhas de financiamento e incentivos fiscais para empresas dedicadas à produção de energia elétrica a partir de resíduos sólidos. (Canal Energia)

Eletronuclear se prepara para nova fase
Com a perspectiva de novas instalações nucleares no país nos próximos anos, a Eletronuclear, subsidiária da Eletrobrás responsável pela operação das usinas nucleares de Angra dos Reis (RJ), se prepara para um novo momento em que essa fonte energética volta ao centro das discussões no mundo no contexto dos esforços para zerar as emissões de carbono na geração de energia elétrica. (Valor Econômico)

Santo Antônio Energia estuda alternativas para ir além da geração hidrelétrica
O planejamento estratégico 2022-2026 da quarta maior geradora de energia hidráulica do país deverá trazer iniciativas vistas como “ousadas”. Responsável pela quarta maior hidrelétrica do país, a Santo Antônio Energia deverá seguir o mesmo caminho de outras geradoras e diversificar sua matriz para reduzir os riscos do negócio atrelados à hidrologia. (Valor Econômico)

Complexo solar da AES Brasil será operado só por mulheres
O complexo solar de Tucano (BA – 365,8 MW) , de propriedade da AES Brasil, deve ser operado por um time 100% feminino. De acordo com a CEO Clarissa Saddock, a iniciativa faz parte do programa de diversidade e inclusão da empresa, dentro dos padrões ESG. (Canal Energia)

Ação da Equatorial flagra fazenda desviando energia em Alagoas
Uma ação integrada entre Polícia Militar e a Equatorial Alagoas flagrou furto de energia em uma fazenda no município de Paripueira (AL) na última quarta-feira, 17 de novembro. As equipes confirmaram a instalação de três transformadores clandestinos que alteravam a rede de distribuição em média tensão que atende a propriedade. (Canal Energia)

Comissão da crise hídrica no Senado aprova plano de trabalho
A Comissão da Crise Hidroenergética iniciou nesta quinta-feira, 18 de novembro, a discussão do Plano de Trabalho do colegiado responsável por investigar as causas e efeitos da crise de energia que assola o País. O plano de trabalho, apresentado pelo relator da comissão, senador José Aníbal (PSDB-SP), prevê a realização de seis audiências públicas e três visitas técnicas: Agência Nacional de Energia Elétrica, Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico e Operador Nacional do Sistema Elétrico. (Canal Energia)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$79,76/Barril -1,82%

CÂMBIO

R$5,57/USD +0,83%

Petróleo avança e gás sobe nos EUA mesmo com alta dos estoques
O petróleo Brent com vencimento em janeiro fechou com alta de 1,20%, a US$ 81,24 por barril, e o WTI para o mesmo mês encerrou o dia em alta de 1,22% a US$ 78,50. A virada aconteceu depois da divulgação do índice de atividade manufatureira na área de Filadélfia pela regional do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) do Estado americano. O indicador subiu 15 pontos para 39 e ficou bem acima dos 23 pontos esperados pelos analistas. (Valor Econômico)

MME e Petrobras contra taxação das exportações de petróleo para estabilizar combustíveis
A taxação das exportações do petróleo produzido no país para subsidiar um fundo de estabilização dos preços dos combustíveis não parece coerente e pode afetar a previsão de investimentos de empresas que compraram ativos exploratórios em leilões da ANP. “Temos que analisar em que medida isso vai afetar os investimentos das empresas em projetos de upstream que já foram adquiridos e os próximos leilões”, disse a diretora do MME. (epbr)

O petróleo inverte sinal e já cai quase 2%, com temores sobre pandemia em foco
Os temores sobre a covid-19 e seus impactos na Europa reforçam a cautela nos mercados globais, inclusive sobre a demanda futura do óleo. Às 7h17, o petróleo Wti para janeiro caía 1,80%, a US$ 77,00 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para o mesmo mês recuava 1,85%, a US$ 79,74 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE) (Brodcast)

Vale, Petrobras e bancos recuam e carregam Ibovespa
PEC dos Precatórios segue tirando o sono dos investidores locais. Nas mínimas do dia, o índice marcou seus menores níveis intradiários desde novembro de 2020. Vale ON perdia 2,89% enquanto Petrobras ON e Petrobras PN cediam 0,40% e 0,98%, nesta ordem. (Valor Econômico)

Leilão portuário desta sexta decepciona, mas deve atrair R$ 816 milhões de investimento
Dos seis terminais inicialmente previstos para irem à venda, apenas dois deverão ser efetivamente leiloados. O terminal STS 08A, o segundo e maior terminal de granéis líquidos no porto, recebeu proposta. A grande expectativa é que este contrato fique com a Petrobras, que hoje já opera ambas as áreas, por meio de um contrato precário de sua subsidiária Transpetro. (Valor Econômico)

Eneva encontra novos indícios de gás no Parnaíba
A Eneva encontrou gás natural no poço 1-ENV-26-MA, cuja perfuração foi iniciada no último dia 3, no bloco PN-T-102A, localizado na Bacia do Parnaíba. A empresa notificou os indícios de hidrocarbonetos à ANP nesta terça-feira (16/11). (Petróleo Hoje)

C-Kore assina primeiro contrato no Brasil, para Mero 1
A britânica C-Kore Systems assinou um contrato com a TechnipFMC para o fornecimento de ferramentas de testes, que serão utilizadas para a verificação elétrica dos umbilicais instalados no projeto de Mero 1, operado pela Petrobras. (Petróleo Hoje)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Quinta-Feira, 18 de Novembro

Elétricas e Saneamento

Estudos do ONS apontam melhora nas afluências no Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Norte
Cenários traçados recentemente pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (NOS) mostraram melhoria nas afluências das regiões Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Norte do Brasil. A nova avaliação apontou que o início da transição para o período chuvoso ocorreu no tempo correto, em outubro, ao contrário de 2020, quando as chuvas só iniciaram em dezembro. (Canal Energia)

Expansão da geração soma 6,1 GW a 45 dias do fim do ano
A pouco menos de 45 dias para o encerramento de 2021 o país já acrescentou 6.123,71 MW em novas usinas em operação comercial. Esse volume já está cerca de 25% acima dos 5 GW do acumulado de 2020. Os dados são da Agência Nacional de Energia Elétrica. Apesar disso, esse volume está no sexto lugar entre as maiores adições anuais na última década até agora e se confirmar os 644 MW adicionais esperados ficará como o 5o maior volume desse período. (Canal Energia)

Governo quer privatização da Eletrobras no 1º semestre
Antes esperada para fevereiro de 2022, a operação de capitalização e privatização da Eletrobras agora está prevista para ser realizada até maio do ano que vem, indicou ontem o presidente da empresa, Rodrigo Limp. Ele admitiu ainda que a oferta de ações da estatal pode ficar, inclusive, para junho, mas ressalvou que, caso só se concretize no segundo semestre, a capitalização pode ser afetada pelo calendário eleitoral. (Valor Econômico)

Eletrobras: Abril pode ser uma janela até mais interessante para capitalização, diz CEO
Segundo o executivo, a data limite para a operação de capitalização e consequente privatização da companhia é 14 de maio. (Valor Econômico)

Neoenergia cria barco autônomo para análise de sedimentos em UHEs
A Neoenergia anunciou o desenvolvimento de uma embarcação autônoma para fazer a medição de descargas sólidas em suspensão em reservatórios de hidrelétricas. A necessidade de obtenção desses dados é cada vez mais importante devido às questões de erosão e transporte de sedimentos em rios, sendo possível dar maior precisão e segurança à coleta de amostras, que hoje é feita de forma manual em todo o mundo. (Canal Energia)

BNEF: Brasil deve despontar como mercado global de hidrogênio verde
O Brasil deve despontar nos próximos anos como grande mercado de hidrogênio verde. Em painel realizado na última sexta-feira, 12 de novembro, durante o Brazil Windpower, o analista da Bloomberg New Energy Finance, James Ellis, revelou que o país deverá ter o menor custo nivelado (LCOH) de hidrogênio verde em 2030 entre todos os mercados analisados, com o índice variando entre US$ 0,84 a US$ 1,31/ Kg. Segundo ele, em 2050 o LCOH deve continuar competitivo, com um LCOH entre US$ 0,55 e US$ 0,57/ Kg. (Canal Energia)

Angra 3: contratação de EPC deve ocorrer em meados de 2022
A Eletrobras estima contratar até meados de 2022 o EPCista que será responsável pelas continuidade das obras de Angra 3. A companhia, que até o final do terceiro trimestre havia investido R$ 758 milhões na central, deverá acelerar os montantes aplicados ainda este ano com mais R$ 857 milhões por meio de um aumento de capital sob a sigla AFAC. (Canal Energia)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$80,06/Barril -0,27%

CÂMBIO

R$5,52/USD +0,45%

Petróleo recua mais de 2% com sinais de liberação de reserva dos EUA; gás realiza lucros
Os preços dos contratos para janeiro do Brent terminaram o dia em queda de 2,60% a US$ 80,28 por barril, e os preços dos contratos para o mesmo mês do WTI caíram 3,08%, a US$ 77,28 por barril. (Valor Econômico)

Pacheco busca Petrobras para discutir alta dos combustíveis
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), reuniu-se ontem com a direção da Petrobras para discutir a alta dos preços dos combustíveis. O assunto tem sido debatido no Congresso por meio de um projeto que muda a cobrança de ICMS sobre a gasolina, o qual é defendido pelo governo federal e enfrenta críticas dos Estados. Diante do impasse, Pacheco tenta mediar uma solução. (Valor Econômico)

Petrobras diz que preços precisam ser comparáveis com o mercado internacional
O diretor de comercialização e logística da Petrobras, Cláudio Mastella, saiu hoje em defesa da política de preços de combustíveis da companhia, baseada na paridade de importação (PPI), e disse que os valores precisam ser realistas, atrelados ao câmbio e à cotação do petróleo. Diretor defendeu que o mercado brasileiro depende hoje das importações de derivados, o que justifica a necessidade de que os preços internos respondam às variações dos preços do petróleo. (Valor Econômico)

Petrobras critica taxação das exportações
O diretor de comercialização e logística da Petrobras, Cláudio Mastella, disse que a proposta de taxar as exportações de petróleo, para financiar um fundo de estabilização dos preços dos combustíveis, é “uma solução fácil de curto prazo, mas que gera um efeito terrível na sequência”. Segundo ele, criar “mecanismos artificiais” e “entortar as regras pode acabar afastando investimentos do Brasil. (Valor Econômico)

Em contraponto a Bolsonaro, Mourão afirma ser contra privatização da Petrobras
O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta quarta-feira que o presidente Jair Bolsonaro tem que entender como é a composição do preço dos combustíveis. Para o vice-presidente, não adianta ficar discutindo o ICMS. Bolsonaro tem culpado esse imposto como um dos vilões para o alto preço dos combustíveis e defende mudanças em sua forma de tributação. (IstoÉ)

Petrobras nomeia novos gerentes executivos
Indicações fecham as nomeações restantes das áreas de Comercialização & Logística e Financeira e de Relacionamento com Investidores da petroleira. (Petróleo Hoje)

Carvão ganha com alta do gás natural
Com a escassez de gás natural, as geradoras de energia da Europa que usam o carvão e a linhita (um combustível mais sujo) estão obtendo lucros extraordinários graças à forte demanda por eletricidade e aquecimento. (Valor Econômico)

Aumento dos preços do gás natural pressiona inflação na UE e no Reino Unido
Dados doo Eurostats confirmaram a leitura prévia de que o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) na zona do euro acelerou para 4,1% em outubro, nível mais alto em 13 anos. (Valor Econômico)

Biden pede para comissão que investigue preço de gasolina nas bombas
Dirigentes do Partido Democrata temem que o alto preço dos combustíveis causem uma erosão irreversível na imagem do governo, a ponto de levar à perda do controle da Câmara e do Senado nas eleições de 2022. (Valor Econômico)

Os acordos de energia da Rússia com a China podem sair pela culatra no Kremlin
A crise energética simultânea na Europa e na China – os dois maiores mercados para os hidrocarbonetos russos – deu a Moscou a oportunidade de fechar um novo negócio lucrativo de gás com Pequim. O acordo permitirá que a Rússia venda gás para a China dos mesmos campos que abastecem seus clientes europeus. Isto representa um desafio para a segurança energética da UE. No entanto, com o tempo, uma dependência crescente do mercado chinês também criará desafios para o Kremlin, se ele quiser evitar uma dependência unilateral de Pequim. (ft)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Quarta-Feira, 17 de Novembro

Elétricas e Saneamento

Chuva acima do prevista afasta risco de racionamento e apagão, diz diretor geral do ONS
A partir desta semana, o ONS começa a ser mais seletivo no acionamento de usinas termelétricas, após meses funcionando com o máximo da potência do sistema elétrico brasileiro para evitar racionamento ou apagões no horário de ponta. (Estadão)

País pode estar em ciclo de aproximadamente 20 anos de predominância de La Niñas
Fatores climáticos de mais longo prazo estão afetando as precipitações na área conhecida como subsistema Sudeste/Centro-Oeste, que concentra a maior parte dos reservatórios de hidrelétricas do país. A La Niña consiste no resfriamento das águas da superfície de parte do oceano Pacífico e acaba diminuindo as chuvas nas principais bacias do sudeste. (Agência Infra)

Energia solar gerada no país já equivale a quase uma Itaipu
A energia solar está cada vez mais presente na vida do brasileiro. Com alto custo da energia elétrica, a capacidade de geração de painéis instalados em telhados e fachadas residenciais saltou de 4,7 GW para 7,3 GW de janeiro a novembro, alta de 53%. (Estadão)

Custo de crédito mais alto pode levar projetos de geração á mortalidade
O custo de crédito pode se tornar um obstáculo a mais novos projetos de geração no fim deste ano ao longo de 2022 e no início de 2023. Investidores enfrentam inflação em dois dígitos, crise política e ruídos sobre austeridade fiscal, além do real em baixa e riscos setoriais. (Agência Infra)

Crise hídrica dá novo impulso ao mercado de aquecimento solar
Com a alta nas contas de luz, o mercado de aquecedores solares deve crescer mais de 30% em novos sistemas instalados em 2022 na comparação anual, segundo a Associação Brasileira de Energia Solar Térmica (Abrasol). (Valor Econômico)

Cemig, EDP, Enel e Petrobras aparecem no Índice Dow Jones de Sustentabilidade
Índice é referência mundial na área da sustentabilidade, a EDP voltou a ser reconhecida como uma das empresas globais com as melhores práticas de sustentabilidade. Já a Cemig é a única empresa do setor elétrico das Américas a ser listada no índice divulgado na sexta-feira. Por sua vez a Petrobras retornou a classificação obtendo nota máxima nos critérios de Materialidade, Relatório Ambiental, Riscos Relacionados à Água e Relatório Social. (Canal Energia)

ONS diz que não está preferindo as térmicas em detrimento ao RVD
Segundo o Operador, o programa é um produto criado para atender a ponta em que o fornecedor é uma indústria e não um agente gerador com energia firme, como é o caso das térmicas. Órgão se manifestou após carta da União pela Energia pedir a volta do programa (Canal Energia)

Meta global para eólica offshore é de 308GW até 2030
Segmento destaca agenda intensa na COP e prevê muito trabalho nos próximos 12 meses para convencer os países a apostarem na fonte. A percepção do GWEC é de que é possível potencializar a produção de energia limpa em larga escala, para descarbonizar a economia de muitos países. (Canal Energia)

Lucro da Eletrobras cai 65,7%, para R$ 965 milhões no 3º trimestre
A receita operacional líquida da companhia atingiu R$ 9,957 bilhões, alta de 50,2% frente aos R$ 6,626 bilhões anotados no terceiro trimestre do ano passado. (Valor Econômico)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$81,67/Barril -0,92%

CÂMBIO

R$5,49/USD +0,78%

Retomada de combustível só em 2022
Apesar da retomada do consumo de combustíveis no Brasil, o mercado ciclo Otto (veículos que rodam a gasolina e/ou etanol), tradicionalmente vinculado ao comportamento de consumo das famílias, ainda não deve se recuperar completamente do tombo observado após a eclosão da pandemia até, pelo menos, 2022. As projeções constam em análise das perspectiva de mercado no curto prazo, da Empresa de Pesquisa Energética (EPE). (Valor Econômico)

CAE adia para dia 30 votação de projeto sobre política de preços da Petrobras
O presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, Otto Alencar (PSD-BA), marcou para o dia 30 a votação de um projeto que força mudanças na política de preços da Petrobras. A proposta é de autoria do senador Rogério Carvalho (PT-SE) e tem como relator o senador Jean Paul Prates (PT-RN). (Valor Econômico)

Máxima da gasolina supera R$ 7 em 19 estados; em dois, encosta em R$ 8
A cotação máxima da gasolina comum já supera R$ 7 em 19 estados: Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, São Paulo e Tocantins, e também no Distrito Federal. (epbr)

Petróleo fecha sem direção única com possível liberação de reservas dos EUA; gás fecha em alta
Os contratos para janeiro do Brent terminaram o dia em alta de 0,46%, a US$ 82,43 o barril, enquanto os preços dos contratos para o mesmo mês do WTI caíram 0,03%, a US$ 79,72 por barril. Os contratos de petróleo terminaram a sessão desta terça-feira sem direção única, enquanto os investidores aguardam mais sinais ou informações acerca da liberação de parte da reserva estratégica de petróleo dos Estados Unidos para baixar o preço da gasolina, e também diante do temor de uma nova onda de covid-19. (Valor Econômico)

Vibra Energia terá trading de derivados no próximo ano
A Vibra Energia pretende começar a operar, no começo de 2022, uma trading de derivados que deve aumentar a competitividade da empresa nas importações de combustíveis no mercado internacional, disse ontem o diretor financeiro da companhia, André Natal. (Valor Econômico)

Vibra Energia: Venda da ESGás está prevista para o 1º semestre de 2022, diz presidente
A ideia da companhia é acompanhar o plano de privatização do governo estadual do Espírito Santo, que possui 51% da concessionária. (Valor Econômico)

Vibra Energia tem resultados positivos com destaque para redução de despesas, diz Ativa
Um destaque do período fica para o ganho de participação de mercado, atingindo 29,1% de forma consolidada no trimestre, avançando 1,5 ponto percentual na comparação com o segundo trimestre. (Valor Econômico)

Minério de ferro e combustível aceleram alta do IGP-10
Impulsionada por combustíveis e minério de ferro mais caros, a inflação apurada pelo Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) subiu, em novembro, 1,19%, após cair 0,31% em outubro – a mais elevada taxa desde junho de 2021 (2,32%), segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV). (Valor Econômico)

Japão planeja subsidiar refinarias para baratear gasolina, na contramão da COP26
O governo do Japão propôs subsidiar as refinarias de petróleo para que elas mantenham o preço da gasolina baixo, poucos dias depois que um grupo de nações concordou em agir mais rapidamente para acabar com os subsídios “ineficientes” aos combustíveis fósseis. (Valor Econômico)

Shell enfrenta ameaça de ‘imposto de saída’ holandês, já que plano de realocação causa protestos
A Shell foi ameaçada com uma pena de saída pelos partidos holandeses da oposição depois que a decisão da empresa de energia de encerrar sua estrutura de compartilhamento duplo e transferir sua base tributária para o Reino Unido desencadeou uma reação política na Holanda. (ft)

Alemanha suspende certificação do gasoduto Nord Stream 2
O regulador de energia da Alemanha disse que “suspendeu temporariamente” a certificação do gasoduto Nord Stream 2, revertendo o projeto de gás apoiado pelo Kremlin e provocando um aumento nos preços do gás no Reino Unido e na Europa continental. (ft)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Terça-Feira, 16 de Novembro

Elétricas e Saneamento

Nível dos reservatórios do Sul e Sudeste/Centro-Oeste deve continuar a subir, diz ONS
A previsão é que os reservatórios do Sul cheguem até o fim deste mês com 53,4% de capacidade, enquanto no Sudeste/Centro-Oeste o volume deve ser de 21,3%. Os níveis dos reservatórios dos subsistemas Sul e Sudeste/Centro-Oeste devem continuar em recuperação até o fim deste mês, apontou a atualização semanal do boletim do programa mensal de operação do ONS. (Valor Econômico)

Aneel prevê aumento médio de 21% nas contas de luz em 2022
Considerada uma das principais vilãs da inflação alta neste ano, a tarifa de energia não deverá dar trégua no ano que vem. Estimativas preliminares de técnicos da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) “apontam para um cenário de impacto tarifário médio em 2022 da ordem de 21,04%, quando avaliado todo o universo de custos das distribuidoras e incluídos esses impactos das medidas para enfrentamento da crise hídrica”. (Valor Econômico)

Boris Johnson diz que COP26 foi o “começo do fim” para o carvão
O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, disse neste sábado (14) que a COP26 chegou a um “acordo que muda as regras do jogo” e “marcou o começo do fim para o carvão”. Johnson e o presidente da conferência, Alok Sharma, falaram sobre o acordo final em uma coletiva de imprensa em Londres. (Valor Econômico)

“Brasil será um exportador de carbono para o mundo”, diz ministro após acordo da COP26
Comentando o texto final de Glasgow, o ministro do Meio Ambiente do Brasil, Joaquim Leite, considerou neste sábado o resultado da conferência bom para o Brasil, apesar de o financiamento climático ter avançado pouco. (Valor Econômico)

Vestas mira potencial eólico no mar do Brasil
Líder mundial em turbinas eólicas, a dinamarquesa Vestas pretende ser um player importante do mercado brasileiro de energia eólica em alto mar (offshore). Essa nova frente do segmento começou a engatar e deve ganhar uma regulamentação até fim do ano. (Valor Econômico)

Bip, da CVC Partners, tem R$ 70 milhões para fazer aquisições
Comprada em junho pelo fundo de private equity CVC Partners, a consultoria italiana Bip planeja investir R$ 70 milhões em duas aquisições no mercado brasileiro em 2022. Para as aquisições, o objetivo é encontrar empresas que possam complementar o portfólio da Bip, que atua em setores como óleo e gás, energia e indústria. (Valor Econômico)

Transição energética inflacionária
A grande maioria das análises econômicas prospectivas estão convergindo para a ideia de que a transição energética deve ser encarada como uma tendência consolidada. Ainda que haja variações na definição conceitual entre as diferentes instituições, todas incorporam a dinâmica de redução na participação relativa das fontes fósseis (carvão, petróleo e gás) na oferta energética dos países, com avanço na participação de fontes alternativas, com destaque para as renováveis. (Valor Econômico)

Cemig tenta acelerar investimentos no 4° tri, mas pode ficar aquém da meta de 2021
A empresa tem tido dificuldades com a aquisição de equipamentos, o que fez com que os volumes de investimentos ficassem abaixo do previsto nos últimos trimestres. (Valor Econômico)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$82,56/Barril +0,62%

CÂMBIO

R$5,45/USD +0,97%

CAE terá votação de projeto que muda política de preços da Petrobras
PL propõe bandas de preços e fundo bancado com tarifa progressiva sobre exportação de petróleo. O presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, Otto Alencar (PSD-BA) a votação de um projeto que força mudanças na política de preços da Petrobras. A proposta é de autoria do senador Rogério Carvalho (PT-SE) e tem como relator o senador Jean Paul Prates (PT-RN). O Valor apurou, no entanto, que a ideia do parlamentar baiano é abrir as discussões sobre o assunto, como forma de preparar terreno para sua deliberação até o fim de novembro. (Valor Econômico)

Petróleo fecha sem direção única ante especulação sobre liberação de reserva estratégica dos EUA
Os preços do petróleo fecharam a primeira sessão da semana sem uma única direção diante de novas especulações sobre a utilização das reservas estratégicas dos Estados Unidos para aliviar a alta nos preços do combustível. Para janeiro, contrato do petróleo Brent, a referência global, terminou em recuo; já o WTI, a referência americana, registrou leve alta. (Valor Econômico)

Petróleo apaga ganhos da semana e fecha em queda no acumulado das últimas 5 sessões
O contrato do petróleo Brent para janeiro fechou em queda de 0,84%, a US$ 82,17 por barril, enquanto o do petróleo WTI recuou 0,98%, a US$ 80,79 por barril. (Valor Econômico)

“Subsídio a combustível fóssil é ineficaz”, diz Steiner
Para diretor de programa da ONU, é necessário ajudar as nações mais pobres da África a cumprir seus compromissos. Steiner, que chefiou o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) por dez anos, diz que o mundo perdeu muito tempo para enfrentar a crise climática, que o Acordo de Paris é viável, que os jovens cobram os pais sobre a questão em cada família e que os compromissos climáticos dos países (as NDCs) conectam economia ao clima. (Valor Econômico)

GNV bate recorde histórico de preço em novembro
O gás natural veicular (GNV) bateu recorde histórico em novembro, sendo vendido a R$ 4,256 o metro cúbico, 39% acima da média histórica (em valores reais), de R$ 3,06, informa o Estadão. Em outubro, a gasolina, o diesel e o gás de cozinha já tinham atingido o seu maior valor desde 2001. (epbr)

Oferta questionada por distribuidoras de gás afeta cerca de 20% da demanda nacional de gás
A oferta de novos contratos de gás natural da Petrobras, questionada pelas distribuidoras, afeta cerca de 20 da demanda nacional, informou a companhia. Diz também que o reajuste, que segundo os clientes, supera 300%, representa as condições de mercado. (epbr)

Compass Brasil tem lucro de R$ 629,9 milhões no 3º trimestre, crescimento de 146%
A Compass Gás e Energia teve lucro líquido de R$ 629,9 milhões no terceiro trimestre deste ano, crescimento de 146,6% ante ganho de R$ 255,4 milhões em igual período do ano passado, segundo demonstrações financeiras enviadas à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta sexta-feira. Os valores referem-se aos atribuíveis aos controladores. (Valor Econômico)

Energisa avalia entrar no mercado de gás natural, diz presidente
“Entendemos o gás como uma oportunidade, seja na distribuição ou na comercialização. O gás é um combustível de transição”, afirmou o presidente do grupo, Ricardo Botelho. (Valor Econômico)

Shell propõe estrutura de ação única e sede fiscal no Reino Unido; ação sobe
A Royal Dutch Shell anunciou nesta segunda-feira (15) que planeja consolidar sua estrutura dupla britânica e holandesa e mudar sua sede fiscal para Londres, uma mudança histórica que, segundo a gigante do petróleo, a ajudaria na transição para a energia de baixo carbono. A empresa tinha sede operacional no Reino Unido, mas sede fiscal na Holanda e uma estrutura de ações de classes A e B desde a unificação em 2005. (Valor Econômico)

A agenda verde de Biden não é o impulsionador do aumento do preço da gasolina nos EUA
Foi Wall Street, não Washington, que colocou as barreiras no crescimento da área de petróleo dos Estados Unidos. Os investidores marcados por anos de crescimento com queima de caixa deram um tempo em uma farra de perfuração alimentada por dívidas que tornou os EUA o maior produtor de petróleo do mundo, mas infligiu bilhões de dólares em perdas aos acionistas. (ft)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Sexta-Feira, 12 de Novembro

Elétricas e Saneamento

Alta de energia varia de 18,2% a 40% pelo Brasil; veja lista
Com alta de 30,3% em 12 meses até outubro, a energia elétrica segue como um dos itens de maior pressão no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Da inflação acumulada no período, de 10,67%, os reajustes na conta de luz respondem por 1,3 ponto percentual. (Valor Econômico)

Energisa vê consumo elétrico voltar ao nível pré-pandemia
O consumo de energia elétrica nas áreas das distribuidoras da Energisa no terceiro trimestre de 2021 superou os volumes registrados em igual período em 2019, antes da pandemia. A demanda por energia nas áreas da companhia ficou em 9.148, 3 gigawatts-hora (GWh), alta de 2,4% na comparação e crescimento de 3% em relação a igual período em 2019. (Valor Econômico)

Suspensão do RVD frustra e causa problemas operacionais para indústria
Segmentos eletrointensivos se mobilizaram para reorganizar processos produtivos e aderir ao programa e agora não podem mais ofertar energia ao sistema. (Canal Energia)

Impacto da eólica no PIB aumenta 26,8% em 2020
Valor adicionado ficou em R$ 61,9 bilhões ante R$ 48,8 bilhões de 2019, na década a fonte adicionou R$ 320,8 bilhões à economia brasileira. (Canal Energia)

Agenda ESG tem acelerado evolução de indicadores sociais da eólica
As ações que cercam a agenda ESG e os objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU (ODS) estão criando um ambiente que pode ser definido como uma coalização social. Ao mesmo tempo em que há o desenvolvimento dos negócios, a preocupação com os impactos sociais da presença das empresas ganha destaque. (Canal Energia)

Copel fala em leilões e solar de grande porte como prioridades
Com o objetivo de sair dos 13% atuais para 25% do seu portfólio composto por eólica e solar nos próximos três anos, a Copel está buscando um projeto de grande porte na fonte fotovoltaica, além de focar na sua participação nos certames de capacidade e transmissão nesse ano e pelo menos mais seis em 2022, disse o presidente da companhia, Daniel Slaviero, nessa quinta-feira, 11 de novembro, em teleconferência ao mercado. (Canal Energia)

Leilão de transmissão de dezembro é atual prioridade da Copel, diz presidente
O leilão de transmissão de energia marcado para dezembro está no foco da estratégia de investimentos da Companhia Paranaense de Energia (Copel), afirmou nesta quinta-feira (11) Daniel Slaviero, presidente da elétrica. Companhia também pretende habilitar a usina termelétrica Araucária (UEGA) para o leilão de reserva de capacidade e cita “excelentes perspectivas”. (Valor Econômico)

Lucro da CPFL Energia no 3º trimestre soma R$ 1,4 bilhão
A CPFL Energia obteve um lucro líquido de R$ 1,43 bilhão entre julho e setembro deste ano, cifra 6,2% superior à registrada em igual período de 2020. De acordo com a companhia elétrica, o resultado foi impulsionado pelos negócios de geração eólica e de distribuição de energia, com evolução favorável do consumo do comércio e indústria nas regiões atendidas pela companhia. (Valor Econômico)

Lucro da Energisa recua 6,3% no 3ºtrimestre, para R$ 863,9 milhões
A receita somou R$ 7,8 bilhões, alta de 59%. Já a receita operacional líquida, sem contar a receita de construção, ficou em R$ 6,6 bilhões, aumento de 53,5% em relação ao terceiro trimestre de 2020. O Ebitda (lucro antes juros, impostos, depreciações e amortizações) totalizou R$ 1,75 bilhão, crescimento de 42% na comparação anual. (Valor Econômico)

Cemig lucra R$ 421 milhões no 3º tri, queda de 27,2% em base anual
A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) registrou lucro líquido consolidado de R$ 421 milhões no terceiro trimestre deste ano, o que representa queda de 27,2% em relação ao mesmo período de 2020, conforme informações divulgadas pela empresa há pouco. (Valor Econômico)

Equatorial segue atenta a novas oportunidades em energia renovável e saneamento
A intenção, segundo ele, é aumentar as margens na ocasião da recontratação dos ativos da Echoenergia. O presidente da Equatorial Energia, Augusto Miranda, disse que a empresa segue atenta a novas oportunidades de negócios nos setores de geração de energias renováveis e saneamento básico. (Valor Econômico)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$81,89/Barril -1,18%

CÂMBIO

R$5,40/USD -1,74%

Brasil deve incentivar mais combustíveis fósseis. “O importante é geração de emprego”, diz ministro
Enquanto países presentes na COP26 em Glasgow debatem sobre a manutenção ou não do texto que aponta na direção de eliminação de subsídios a combustíveis fósseis, o Brasil diz claramente que vai manter seus incentivos em nome da geração de empregos. (epbr)

Petróleo avança com Opep revisando projeção de demanda; gás natural dispara na Europa
Os preços dos contratos para janeiro do Brent terminaram o dia com avanço de 0,28%, a US$ 82,87 por barril, e os preços dos contratos para outubro do WTI subiram 0,31%, a US$ 81,59 por barril. (Valor Econômico)

Opep revisa para baixo projeção de demanda por petróleo em 2021
Em relatório, a Opep disse que a demanda global por petróleo crescerá em 5,7 milhões de barris por dia neste ano, 160 mil barris diários a menos do que a leitura da expectativa do mês passado. (Valor Econômico)

Deputado apresenta PL que cria incentivo ao biogás; Ministério da Economia já criticou ideia
Entre as formas de incentivar o biocombustível está a contratação de usinas que geram energia via biogás nos leilões até atingimento de 1000 MW, por meio de um percentual fixo em cada certame, com período de suprimento de 15 anos, nos leilões a serem realizados até 2027 . (Petróleo Hoje)

3R capta R$ 2,1 bilhões em novo follow-on
A 3R Petroleum captou R$ 2,1 bilhões em nova oferta pública de ações, liquidada no último dia 9. A companhia utilizará os recursos captados com o follow-on e a emissão de debêntures, comunicada ao mercado em outubro, para pré-pagar a dívida bruta de aproximadamente US$ 130 milhões, informou o diretor Financeiro e de Relações com Investidores. Objetivo do follow-on também foi preparar a 3R para a aquisição do Polo Potiguar, cuja assinatura é esperada até janeiro, segundo diretor da companhia. (Petróleo Hoje)

Petrobras propõe quadruplicar preço do gás natural para as distribuidoras em 2022
A Petrobras propôs aumentar entre duas e quatro vezes o preço do gás natural em 2022, nos novos contratos que está negociando com as distribuidoras estaduais, informa o Valor. Se o reajuste se confirmar, deverá ser repassado para o consumidor final de gás canalizado. (epbr)

PetroReconcavo está atenta a aquisições e quer se consolidar como fornecedora de gás natural
A empresa tem sido um dos atores mais ativos no processo de desinvestimentos de campos maduros da Petrobras, em terra. A empresa tem sido um dos atores mais ativos no processo de desinvestimentos de campos maduros da Petrobras, em terra. Mas a companhia não tem, a princípio, pretensões de comprar campos marítimos “pelo menos no médio prazo”. (Valor Econômico)

3R Petroleum tem produção de 6.666 barris equivalentes por dia em outubro
Em outubro, o portfólio teve manutenção programada na Unidade de Processamento de Gás Natural III e processo de calibração (em andamento) das estações de medição nos Polos Macau e Potiguar. (Valor Econômico)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Quinta-Feira, 11 de Novembro

Elétricas e Saneamento

Geração eólica evitou racionamento e apagões em 2021
Durante o Brazil Windpower, os debatedores trataram da operação do Sistema Interligado Nacional (SIN) em tempos de crise hídrica como a que o Brasil vive atualmente e concluíram que a geração eólica foi a responsável pela segurança do sistema elétrico no momento mais agudo da crise hídrica. (Canal Energia)

Gasolina, energia e gás de botijão somam mais de um terço da inflação de 10,67%
O preço da gasolina acumula alta de 42,72% nos últimos 12 meses, energia, 30,27%, e gás de cozinha, 30,27%. Na inflação de 10,67% acumulada em 12 meses até outubro, segundo o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), gasolina, energia elétrica e gás de botijão representam 35,61% da alta, ou pouco mais de um terço. Os itens administrados têm sido a principal fonte de pressão para os preços nos últimos meses. (Valor Econômico)

Transmissão terá papel fundamental na transição energética
Durante o painel “Papel das energias renováveis para enfrentar a emergência climática’, realizado nesta quarta-feira, 10 de novembro, durante o Brazil Windpower, a importância da transmissão foi ressaltada dentro do cenário da inserção de renováveis e transição energética, além da eletrificação da economia. (Canal Energia)

Brasil pode expandir alcance da produção da cadeia eólica
Condições criadas pela política de conteúdo local, associadas às características e recursos naturais, mercado e perspectiva de descarbonização da matriz forma ambiente favorável. (Canal Energia)

Volume diminui e submercado Nordeste opera a 36,4%
Os reservatórios nordestinos registraram recuo de 0,1 pontos percentuais em seu volume útil e trabalham a 36,4%, aponta o boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) da última terça-feira, 9 de novembro. (Canal Energia)

Lucro da Copel quadruplica no 3º trimestre, para R$ 2,852 bilhões
A Companhia Paranaense de Energia (Copel) teve lucro líquido de R$ 2,852 bilhões no terceiro trimestre deste ano, 320% acima dos R$ 680 milhões de igual período de 2020, segundo demonstrações financeiras enviadas à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta quarta-feira. Os valores referem-se aos atribuíveis aos controladores. (Valor Econômico)

Lucro da Taesa atinge R$ 536,9 milhões no 3º trimestre
A empresa de transmissão de energia Taesa fechou o terceiro trimestre com lucro líquido de R$ 536,9 milhões, uma queda de 18,3% na comparação com os R$ 657,4 milhões anotados em igual período do ano passado. (Valor Econômico)

Lucro da Equatorial sobe 93,8% no 3º trimestre
A Equatorial Energia registrou lucro líquido atribuído aos controladores de R$ 1,41 bilhão no terceiro trimestre deste ano, um avanço de 93,8% em relação ao mesmo período de 2020. A receita líquida cresceu 78% no comparativo anual, para R$ 7,5 bilhões. (Valor Econômico)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$82,84/Barril +0,24%

CÂMBIO

R$5,50/USD +0,10%

Petrobras propõe aumentar em até quatro vezes o preço do gás natural em 2022
A Petrobras propôs aumentar, entre duas e quatro vezes, o preço do gás natural em 2022, nos novos contratos que a estatal está negociando com as concessionárias estaduais, segundo a Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás). A entidade pretende entrar com uma representação no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), contra a petroleira, e pede que as bases dos contratos vigentes sejam mantidas. (Valor Econômico)

Demanda brasileira por gasolina deve retornar a nível pré-pandemia em 2022, diz Platts
O relatório de petróleo da consultoria S&P Global Platts para a América Latina foi divulgado antecipadamente ao Valor. De acordo com a consultoria, com a melhoria na mobilidade e o relaxamento das restrições para combater a covid-19, o consumo do combustível no país ao longo do quarto trimestre deste ano já deve se manter próximo aos registrados no último trimestre de 2019. (Valor Econômico)

Governo define este mês mistura obrigatória de biodiesel para 2022, quando terminam os leilões da ANP
Na próxima reunião do CNPE, em 22 de novembro, o governo vai definir a mistura obrigatória do biodiesel para 2022, disse o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, nessa terça (9/11). O percentual de mistura foi reduzido diversas vezes desde 2020, mas especialmente este ano, em razão do preço do óleo de soja. (epbr)

Bolsonaro vai discutir pós-pandemia e alta do petróleo em viagem ao Oriente Médio
A viagem do presidente Jair Bolsonaro ao Oriente Médio servirá para uma “discussão em alto nível” sobre o cenário mundial pós pandemia, inclusive a alta do petróleo, informou nesta quarta-feira o embaixador brasileiro Kenneth Félix da Nóbrega, secretário de negociações bilaterais no Oriente Médio, Europa e África do Ministério das Relações Exteriores. (Valor Econômico)

Petróleo recua com dólar forte no mercado internacional e alta de estoques
Os preços do petróleo fecharam em forte queda hoje no mercado internacional pressionados pelo expressivo avanço do dólar ante as demais moedas por sua vez provocado pela maior inflação já registrada nos Estados Unidos em 30 anos. A comercialização do petróleo é feita em dólares e qualquer avanço repentino em uma direção pressiona os preços do petróleo é feita em dólares e qualquer avanço repentino em uma direção pressiona os preços do petróleo em outra. (Valor Econômico)

Estoques de petróleo dos EUA subiram menos que o esperado
Segundo o Departamento de Energia (DoE), os estoques americanos subiram em 1 milhão de barris, na semana encerrada na sexta-feira (5); consenso era de alta de 1,3 milhão de barris no período. (Valor Econômico)

Vendas de etanol no país caem e atingem seu menor patamar desde o início da pandemia
As vendas de etanol anidro e hidratado feitas pelas usinas do Centro-Sul para dentro e fora do país totalizaram 2,14 bilhões de litros em outubro, o menor volume desde abril de 2020, quando o mercado foi fortemente abalado pelo início da pandemia, segundo a União das Indústrias de Cana-de-Açúcar (Unica). A comercialização no mês passado caiu 29,8% em relação a outubro de 2020 e 13% em comparação com setembro deste ano. (Valor Econômico)

Descompasso entre oferta e demanda de petróleo nos EUA gera preços altos, diz EIA
Com a demanda por petróleo nos Estados Unidos voltando a atingir níveis pré-pandêmicos, os preços de petróleo bruto estão ficando mais elevados. Isso acontece porque a demanda está crescendo mais rápido do que a oferta de petróleo disponível, causando uma redução nos estoques do país. (Petróleo Hoje)

Petrobras conclui venda da Breitener por R$ 301 milhões
A Petrobras comunicou que concluiu a venda da sua participação acionária de 93,7% na Breitener Energética pelo total de R$ 301 milhões. A operação foi concluída com o pagamento de R$ 248 milhões à Petrobras, já com ajustes previstos no contrato. Além desse valor, há R$ 53 milhões em pagamentos contingentes, atrelados à remuneração futura da Breitener na venda de energia. (Valor Econômico)

Preço do petróleo sobe mais um lembrete da influência da Arábia Saudita sobre Biden
Enquanto os motoristas americanos enfrentam o aumento dos preços dos combustíveis, a Arábia Saudita mais uma vez se vê o foco da frustração de Joe Biden. Quando o presidente dos EUA lamentou o fracasso dos maiores produtores de petróleo do mundo em bombear mais petróleo para ajudar a baixar os preços , ele apontou dois países: a tradicional adversária Rússia e a antiga parceira da Arábia Saudita. Falando na reunião do G20 no mês passado, Biden disse que eles não produziram mais “para que as pessoas possam ter gasolina para ir e voltar do trabalho. . . [estava] não estava certo ”. (Financial Times)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Quarta-Feira, 10 de Novembro

Elétricas e Saneamento

Racionamento e apagão estão descartados, afirma ministro
Com a chegada das primeiras chuvas no Sudeste e no Centro-Oeste, autoridades do setor elétrico se arriscam a dizer que o pior da crise hídrica já passou. Ontem, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou que o país já pode se considerar livre de um programa de racionamento compulsório de energia e riscos de apagões (blecautes), como em 2001. (Valor Econômico)

Mercado livre de energia já pode ter mais 70 mil clientes
Segundo estudo da CCEE, esse é o número de consumidores no país que poderia migrar do fornecimento cativo. Uma das principais bandeiras do setor elétrico, a abertura do mercado livre de energia a todos os consumidores, segue em discussão no Congresso, mas o potencial de crescimento, dentro dos limites atuais, ainda não se esgotou. (Valor Econômico)

Créditos da Eletrobras com a CCC chegam a R$2,8 bi
A Aneel atualizou para R$ 2,78 bilhões o valor a ser pago à Eletrobras por despesas comprovadas com geração termelétrica, mas não reembolsadas pela Conta de Consumo de Combustíveis em razão das exigências de eficiência econômica e energética. A atualização se deve à inclusão de valores referentes ao período de maio de 2016 a junho de 2017 não repassados à Amazonas Energia, antiga distribuidora da estatal. (Canal Energia)

Carteira de crédito do Sicredi para equipamentos de energia solar superou R$ 3,5 bi
O Sicredi informou que, com o aumento da demanda por financiamentos para a aquisição de equipamentos de energia solar, sua carteira de crédito para essa modalidade superou R$ 3,5 bilhões, 110% mais que um ano atrás. (Valor Econômico)

Ministro espera armazenamento do SIN em 25,4% ao fim de novembro
Em audiência pública no Senado realizada nesta terça-feira, 9 de novembro, o ministro Bento Albuquerque afirmou que a expectativa do Ministério de Minas e Energia é que o armazenamento do Sistema Interligado Nacional no final de novembro fique em torno de 25,4%, sem indicação de uso de reserva operativa para o atendimento. (Canal Energia)

Neoenergia firma PPA de dez anos com a Âmbar
A Neoenergia firmou um contrato de comercialização com a Âmbar, braço energético do grupo J&F, que inclui empresas como JBS, Eldorado Brasil Celulose, Flora, PicPay e Banco Original. O acordo acontece na modalidade PPA (no inglês, Power Purchase Agreement), com o grupo acessando 30MWmédios proveniente de dois novos complexos eólicos em construção no Nordeste pelos próximos dez anos, a partir de 2023. (Canal Energia)

Compartilhamento de postes… e de infraestrutura de dados especiais
O compartilhamento de postes e de outras estruturas entre empresas de energia e telecom é, acima de tudo, uma enorme janela de oportunidade econômico-financeira que, por falta de regulamentação, não está sendo aproveitada. Segundo a própria Aneel, em estudo de 2019 do prof. Efraim Pereira da Cruz, 85% das distribuidoras faturam, em média, menos de um ponto de fixação nos postes. (Agência Infra)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$84,77/Barril -0,01%

CÂMBIO

R$5,49/USD -0,83%

Governo vê pouco espaço para mexer em combustíveis
Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, destacou que Petrobras é uma sociedade de economia mista e que a maior parte dos acionistas não é da União. Integrantes do governo e executivos da Petrobras têm defendido a política de preços de combustíveis, baseada na paridade de preços internacionais, reforçando os limites da atuação do governo como o maior acionista individual da companhia. (Valor Econômico)

Petróleo fecha em alta com oferta restrita da commodity
Os preços dos contratos para janeiro do Brent terminaram o dia em alta de 1,61%, a US$ 84,78 por barril, enquanto os preços dos contratos para outubro do WTI subiram 2,71%, a US$ 84,15 por barril. O petróleo encerrou a sessão desta terça-feira (9) em alta diante do cenário de restrição da commodity, ainda que o governo dos Estados Unidos aponte para uma possível venda de sua reserva estratégica. (Valor Econômico)

Maior parte dos acionistas da Petrobras não é União, diz ministro em comissão do Senado
Ao falar sobre a alta de preço dos combustíveis, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, reafirmou que a Petrobras é uma sociedade de economia mista e que a maior parte dos acionistas não é União. Em audiência pública na Comissão de Infraestrutura do Senado, ele afirmou hoje que 63% dos acionistas são privados, com fundos de pensão do exterior e do Brasil. (Valor Econômico)

Petrobras: Reinjeção de gás é decisão técnica e econômica, diz gerente
A injeção alternada de água e gás pode aumentar entre 25% e 30% o volume recuperável de petróleo em alguns campos do pré-sal. O gerente-executivo de reservatórios da Petrobras, Tiago Homem, defendeu que as altas taxas de reinjeção de gás natural, nos campos do pré-sal, se justificam por decisão técnica e econômica. (Valor Econômico)

Comissão do Senado aprova convite para ministro de Minas e Energia esclarecer alta de combustíveis
Presidente da Comissão articula votar até o fim de novembro um projeto que força mudanças na política de preços da Petrobras. A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) aprovou, nesta terça-feira (09), um requerimento de convite para que tanto o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, como o presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, prestem esclarecimentos sobre a alta no preço dos combustíveis. A data da audiência, no entanto, ainda não foi definida. (Valor Econômico)

Acordo entre Petrobras e ANP para royalties do xisto é denunciado na CVM
A ANP fará nesta terça (9/11), às 14h, audiência pública sobre proposta de acordo para os royalties da produção de petróleo e gás proveniente de xisto na Unidade de Industrialização do Xisto (SIX), da Petrobras, em São Mateus do Sul (PR). A audiência também será transmitida pelo canal da ANP no YouTube. (epbr)

Rússia inicia envio de gás para Europa e preços fecham em forte queda
Os preços do gás natural registraram forte queda nesta terça-feira (9) na Europa, depois que um tuíte da estatal russa de energia Gazprom, na manhã de ontem, informou que a companhia “aprovou e iniciou a implementação de um plano para o envio de gás para cinco reservatórios subterrâneos de estocagem na Europa em novembro. A postagem também diz que “os volumes e as rotas de transporte do gás foram definidas”, sem esclarecer quais são. (Valor Econômico)

Braskem reverte prejuízo e tem lucro de R$ 3,5 bi no 3º trimestre
Maior petroquímica das Américas, a Braskem registrou lucro líquido atribuído a sócios da empresa controladora de R$ 3,5 bilhões no terceiro trimestre, comparável a prejuízo líquido de R$ 1,41 bilhão um ano antes, apesar da piora do resultado financeiro. A forte melhora dos spreads (margens) das principais resinas petroquímicas, combinada ao maior volume de químicos e PP nos mercados americano e europeu, explica a melhora de resultados no trimestre. (Valor Econômico)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Terça-Feira, 09 de Novembro

Elétricas e Saneamento

Consumo de energia cai 5,7% em outubro, afirma CCEE
Temperaturas mais amenas no Sudeste e Sul do país contribuíram para redução de 5,7% no consumo de eletricidade do Brasil em outubro na comparação com o mesmo período do ano passado. A afirmação deriva dos dados preliminares do Boletim InfoMercado Quinzenal da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, mostrando que o país utilizou 62.918 MW médios do Sistema Interligado Nacional (SIN) no último mês. (Canal Energia)

Hidrogênio para reduzir o carbono da matriz energética
A redução dos custos da energia elétrica obtida de fontes renováveis contribui para a descarbonização da matriz energética, bem como para obter economicamente hidrogênio (H2) por eletrólise da água. A tecnologia é conhecida e os custos, declinantes, atenderão à necessidade de reduzir emissões de gases de efeito estufa (GEE). (Valor Econômico)

Bandeira para tarifa social, energia nova e importação impactam empréstimos às distribuidoras
A decisão da ANEEL de aplicar a bandeira amarela para os consumidores da tarifa social em novembro junto à entrada de energia nova, além da importação de eletricidade, mexeram nas contas que governo e distribuidoras estão fazendo para auxiliar essas empresas com custos que não estão sendo cobertos pela bandeira tarifária. (Agência Infra)

ONS suspende recebimento de ofertas de redução voluntária da demanda de energia
O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) deixou de receber ofertas de recursos adicionais de geração de energia e de resposta voluntária da demanda (RVD), duas medidas emergenciais lançadas neste ano para fazer frente à crise hídrica.
Segundo a nota do órgão, a suspensão reflete a melhora das condições hidroenergéticas, a efetividade das ações emergenciais e a garantia de suprimento de energia em 2021. (Valor Econômico)

Energia solar se populariza e vira opção contra alta da conta de luz
O aumento na quantidade de imóveis inseridos ao sistema por radiação solar pode ser notado em números da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). Entre 1° de janeiro e 5 de novembro do ano passado foram realizadas 125.880 conexões em residências pelo país, enquanto em igual período deste ano, o montante saltou para 205.225 novas instalações, um crescimento de 63%. (Valor Econômico)

TRF1 suspende liminar e Aneel confirma contratação simplificada de reserva
Depois de conseguir suspender a liminar que impedia a ratificação do procedimento simplificado para contratação de energia de reserva, a Agência Nacional de Energia Elétrica homologou o resultado do leilão no último sábado, 6 de novembro. A decisão do desembargador Ítalo Fioravante Mendes, presidente do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, mantém os efeitos da suspensão até o trânsito em julgado das decisões de mérito nas ações principais. (Canal Energia)

Votorantim Energia acerta aquisição de 50% da Way 2
A Votorantim Energia assinou acordo de investimento na Way2, empresa de tecnologia especializada em telemedição e gerenciamento de energia. Com o acordo, os sócios fundadores da Way2 e a Votorantim terão respectivamente 50% de participação na companhia. O investimento tem por objetivo acelerar o plano de expansão da Way2 no mercado de energia. (Canal Energia)

AES Brasil e Alcoa assinam contrato de longo prazo em dólar para fornecimento de energia
A AES Brasil anunciou a assinatura de um contrato de compra e venda de energia em dólar com a fabricante americana de alumínio Alcoa. Com prazo de 15 anos, o acordo prevê o fornecimento de 150 megawatts (MW) médios de energia renovável a partir de 2024. (Valor Econômico)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$83,81/Barril +0,46%

CÂMBIO

R$5,54/USD +0,33%

Petróleo fecha em alta e gás avança com incerteza sobre abastecimento na Europa
Petróleo e gás natural fecharam a segunda-feira (8) em terreno positivo, com o gás seguindo sua escalada diante da escassez do produto na Europa. O petróleo fechou em alta diante da informação de que a Arábia Saudita elevou seus preços oficiais de venda para clientes asiáticos. Já o gás natural registrou forte avanço na sessão de hoje, devido à incerteza em relação ao envio russo de um volume maior de gás natural para a Europa. (Valor Econômico)

Bolsonaro responsabiliza Petrobras por preços
O presidente Jair Bolsonaro afirmou ontem que vê “crescendo tendência” de movimentos de greve entre caminhoneiros, em razão da escalada de preços dos combustíveis. O chefe do Executivo voltou a criticar a Petrobras por sua política de preços, afirmou que a estatal só existe para os seus acionistas e o melhor que poderia fazer pelo social seria baratear os preços. (Valor Econômico)

Bolsonaro reafirma que quer “se livrar” da Petrobras, e gasolina atinge o maior valor do século
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a repetir no sábado (6/11) que o governo estuda alguma forma de privatizar a Petrobras. Em discurso a apoiadores após uma motociata na cidade de Ponta Grossa (PR), o presidente afirmou que deseja “se livrar” da estatal, segundo O Globo. (epbr)

Gasolina tem nova alta semanal e custa em média R$ 6,710, diz ANP
O diesel, por sua vez, manteve-se estável com ligeira alta de 0,2%, para R$ 5,425 o litro. No caso do etanol hidratado, o aumento médio foi de 0,04%. (Valor Econômico)

Entenda a alta do preço do diesel e como ela afeta a economia
A escalada do preço do óleo diesel espalha uma série de reflexos em setores diversos da economia brasileira: do transporte de carga e passageiros até a produção de alimentos no campo. O diesel mais caro levou a uma onda de crítica dos caminhoneiros a política de preços da estatal. (Folha de S. Paulo)

Petrobras fechou R$ 26 bilhões em contratos com empresas do Rio em 2020
A Petrobras informou que assinou recentemente um protocolo de intenções com o governo do Estado para o desenvolvimento industrial do entorno do Polo GasLub (antigo Comperj). O Estado recebeu, ainda, R$ 42 milhões em projetos socioambientais da companhia, no ano passado. (Valor Econômico)

Petrobras vende fatia em empresas de energia por R$ 155,6 mi
A Petrobras finalizou a venda de suas participações acionárias de 20% na Termelétrica Potiguar (TEP) e de 40% na Companhia Energética Manauara (CEM) para a Global Participações Energia (GPE), por meio de suas subsidiárias GFT Participações e GFM Participações. A operação foi concluída com o pagamento de R$ 155,6 milhões à petroleira, já com os ajustes previstos nos contratos, sendo R$ 79,4 milhões pela TEP e R$ 76,2 milhões pela CEM. (Canal Energia)

Anapetro questiona na CVM acordo entre Petrobras e ANP sobre royalties de unidade de xisto
A Associação Nacional dos Petroleiros Acionistas Minoritários da Petrobras (Anapetro), vinculada à Federação Única dos Petroleiros (FUP), ingressou com uma denúncia na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) contra a proposta negociada entre a Petrobras e a Agência Nacional do Petróleo (ANP) para o pagamento de RS 559 milhões devidos em royalties sobre a produção de óleo e gás na Unidade de Industrialização do Xisto (SIX), no Paraná. (Valor Econômico)

Bolsonaro culpa Petrobras por lucros “absurdos” e critica STF por “excesso de interferência”
O presidente Jair Bolsonaro afirmou que vê “crescendo tendência” de movimentos de greve entre caminhoneiros, em função da escalada de preços dos combustíveis. E classificou a recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre as emendas de relator como “excesso de interferência do Judiciário”. (Valor Econômico)

PetroRio mira venda de ações e dívida para comprar campos da Petrobras
Os campos de petróleo da Petrobras são avaliados em mais de US$ 4 bilhões. “A PetroRio precisará de financiamento”, disse o diretor-presidente da empresa, Roberto Monteiro, em entrevista. “Uma parcela será suprida por uma oferta follow-on no Brasil e outra da emissão de um bond nos Estados Unidos.” (Valor Econômico)

Braskem faz acordo com Lummus para licenciamento da tecnologia de eteno verde
A Braskem assinou um acordo com a americana Lummus Technology para o licenciamento em conjunto da tecnologia de eteno verde da empresa brasileira em dois projetos, um em desenvolvimento na América do Norte e outro em análise na Tailândia. (Valor Econômico)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Segunda-Feira, 08 de Novembro

Elétricas e Saneamento

Racionamento ainda é risco e pode tirar 1,9 ponto do PIB, diz LCA
O risco de racionamento em 2022 diminuiu após as chuvas de outubro, mas a possibilidade de faltar energia elétrica no ano que vem ainda é significativa. Um corte de 20% no consumo – como houve em 2001/02 – ao longo de seis meses subtrairia 1,9 ponto percentual da variação do Produto Interno Bruto (PIB) do país, segundo simulação feita por Bráulio Borges, economista sênior da LCA Consultores. (Valor Econômico)

Ministro confirma que país terá nova usina nuclear
O ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque, confirmou que, além de Angra 3, o Brasil terá uma nova usina nuclear indicada no Plano Decenal de Energia (PDE) 2031. Os estudos em busca de um local para a construção do projeto já começaram. (Valor Econômico)

Aneel derruba liminar e confirma térmicas que custarão R$ 39 bi de 2022 a 2025
Em meio a uma disputa judicial e sob críticas do mercado, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) homologou em reunião extraordinária neste sábado os resultados do leilão para contratação de térmicas emergenciais para os próximos cinco anos. (Valor Econômico)

Casa dos Ventos e Nexway Energia se unem para investir US$ 4 bi em hidrogênio verde
A Casa dos Ventos fechou uma parceria para desenvolver projetos de hidrogênio verde no Brasil com a Nexway Eficiência, do grupo Comerc Energia. O investimento estimado é de mais de US$ 4 bilhões ao longo dos próximos 10 anos. A parceria entre as empresas visa também desenvolver projetos de forma conjunta com os clientes atuais de ambas as companhias. (Valor Econômico)

GreenYellow compra 90% das usinas solares da japonesa FazSol
A GreenYellow, do grupo francês Casino, concluiu a compra de 90% em cinco usinas solares de geração distribuída da FazSol, empresa fundada pela japonesa Shizen Energy e pela Espaço Y, holding brasileira que atua no segmento de construção civil. As usinas de geração fotovoltaica estão localizadas na região de Brasília (DF) e têm capacidade de 4,4 megawatts no pico (MWp). O valor do negócio não foi divulgado. (Valor Econômico)

Casa dos Ventos mira energia sob medida para grandes clientes
Uma das primeiras empresas a apostar na energia eólica no país, a Casa dos Ventos se consolidou como uma importante desenvolvedora de projetos e geradora dessa fonte. Agora, o plano é ir além do fornecimento de energia. Em modelo de ‘alfaiataria’, empresa visa, por exemplo, projetos solares dentro de unidades fabris; e avalia linhas de transmissão para conectar sistemas isolados. (Valor Econômico)

Omega Geração conclui incorporação da Gargaú Energética
A Omega Geração comunicou que foi concluída nesta sexta-feira (5) a incorporação da Gargaú Energética, localizada em São Francisco de Itabapoana (RJ). Com isso, a empresa será extinta e todas as ações emitidas por ela serão canceladas. (Valor Econômico)

Mercado de carbono é chave para as discussões da COP-26
A Conferência deverá estabelecer base comum para o mecanismo em termos globais que seja híbrido entre livre e regulado para que as especificidades regionais possam ser respeitadas. (Canal Energia)

Engie foca em renováveis complementares e fusões e aquisições
Com bons resultados financeiros no último trimestre, o diretor financeiro da Engie Brasil, Marcelo Malta, disse durante teleconferência ao mercado nesta sexta-feira, 5 de novembro, que o foco da companhia seguirá nas fontes renováveis e na ampliação dos investimentos em usinas solares para complementar seu portfólio de eólicas nos próximos anos. (Canal Energia)

Aprovação do Marco Legal da GD é apenas um dos desafios da nova gestão da ABGD
Guilherme Crispim é o novo presidente eleito da entidade terá como desafio para o próximo biénio também os custos e disponibilidade de equipamentos e entraves com distribuidoras. (Canal Energia)

AES Brasil: Contratos de energia em dólar se tornam uma nova linha de negócio para a empresa
O primeiro contrato de fornecimento de energia em dólar assinado pela AES Brasil estreia uma nova avenida de negócios para a geradora, afirmou a diretora-presidente, Clarissa Sadock. Com prazo de 15 anos, o PPA (contrato de compra e venda de energia, na sigla em inglês) prevê o fornecimento de 150 MW médios de energia convencional a partir de 2024. (Valor Econômico)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$83,55/Barril +0,98%

CÂMBIO

R$5,52/USD -1,49%

Petrobras conclui venda de participações na Termelétrica Potiguar e Energética de Manauara por R$ 155,6 milhões
A Petrobras concluiu nesta sexta-feira (5) a venda de suas participações acionárias de 20% na Termelétrica Potiguar (TEP) e de 40% na Companhia Energética Manauara (CEM) pelo total de R$ 155,6 milhões. (Valor Econômico)

Petrobras: União não tem estudo em andamento sobre desestatização da companhia
A Petrobras informou ter recebido comunicação do Ministério de Minas e Energia (MME) e do Ministério da Economia (ME) afirmando não haver nenhum fato a ser comunicado neste momento pela União no que diz respeito à da desestatização da companhia. (Valor Econômico)

COP26 não deve se esquecer da precificação de carbono 
As empresas precisam de clareza em torno da regulamentação, impostos e metas líquidas de zero. A única maneira de incentivar o mundo a mudar para esse futuro mais caro e de baixo carbono é tornar os combustíveis fósseis mais caros, o que significa mais precificação de carbono. Esses esquemas geralmente assumem a forma de impostos sobre as emissões dos poluidores ou sistemas de “cap and trade” que limitam o quanto as empresas podem emitir antes de ter que pagar mais. (Financial Times)

Petróleo fecha em alta superior a 2,5%, mas encerra a semana em queda
O petróleo encerrou a sessão desta sexta-feira (5) em alta, tentando recuperar as perdas das últimas sessões, que levaram a commodity a terminar a semana em queda acumulada. A alta de hoje ocorreu enquanto os investidores digerem todos os possíveis riscos para o preço do petróleo no curto prazo, com os Estados Unidos avaliando se vende suas reservas para baixar o preço da gasolina e a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados (Opep+) mantendo o ritmo moderado no aumento da produção. (Valor Econômico)

Aquisição do Polo Urucu virou plano B, diz presidente da Eneva, sobre negociações com Petrobras
O presidente da Eneva, Pedro Zinner, disse nesta sexta-feira (5) que as negociações com a Petrobras sobre a aquisição do Polo de Urucu se estenderam por mais tempo que o desejado e que a companhia tem, hoje, outras oportunidades dentro do portfólio de projetos de crescimento. Segundo ele, a compra do ativo seria, hoje, um “plano B”. (Valor Econômico)

Aquisição de Albacora e Albacora Leste aumenta em 120% a produção da PetroRio, diz Citi
Petrobras anunciou que iniciou negociações exclusivas com o consórcio formado pela PetroRio e Cobra pela venda da sua participação nos dois campos. A possível aquisição dos campos de Albacora e Albacora Leste vai criar valor para a tese de investimentos da PetroRio, diz o Citi. O banco americano destaca que a produção de petróleo da companhia aumentaria em cerca de 120% com a entrada dos ativos. (Valor Econômico)

Brasil se torna o maior importador de GNL dos EUA
Crise energética brasileira aprofundou a dependência do GNL norte-americano. Diante da severa crise hídrica que “secou” os reservatórios hidrelétricos, o Brasil liderou as importações de GNL dos EUA em outubro, afirmou a S&P Global Platts Analytics. Durante aquele mês, o Brasil recebeu 11 cargas dos norte-americanos, uma à frente dos espanhóis. (Petróleo Hoje)

3R fará novo follow-on no próximo dia 8
O Conselho de Administração da 3R Petroleum aprovou o valor de R$ 33 por ação para o novo follow-on que a companhia pretende fazer na próxima segunda-feira (8/11), na B3. Serão ofertadas novas 65,7 milhões de ações ordinárias, que aumentarão o capital social da companhia para aproximadamente R$ 4,15 bilhões. (Petróleo Hoje)

ANP libera delivery e “bomba branca” em resolução que altera comercialização de combustíveis
A Diretoria da ANP aprovou nessa quinta (04/11) resolução que altera regras relativas à comercialização de combustíveis. Uma das principais mudanças é a autorização para o delivery de combustíveis, tema que gerou uma série de polêmicas e disputas judiciais. Pela nova regra, o delivery poderá ser exercido a partir de autorização específica da ANP. E inicialmente estará restrito à gasolina C e ao etanol hidratado. (epbr)

Setor de óleo e gás terá inventário de emissões
A indústria brasileira de óleo e gás se prepara para fazer, pela primeira vez, um inventário detalhado das emissões de gases de efeito estufa do setor no país. Enquanto autoridades do mundo todo se reúnem na 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26), em Glasgow (Escócia), sob protestos de jovens ativistas contra a falta de medidas mais drásticas para conter o aquecimento global, a diretora-executiva corporativa do Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP), Cristina Pinho, conta que as petroleiras estão cientes das pressões por descarbonização e assumirão um papel importante não só no financiamento climático, mas também no desenvolvimento das novas tecnologias da transição energética. (Valor Econômico)

Cade determina que Rumo pague R$ 247 milhões por abuso de poder econômico
A O colegiado do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) determinou que a Rumo Logística Operadora Multimodal S/A e a ALL (América Latina Logística), paguem uma multa de R$ 247 milhões por infração À ordem econômica. (Agência Infra)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Sexta-Feira, 05 de Novembro

Elétricas e Saneamento

Vai ter crise energética no Brasil?
Com preços altos, crise ambiental e insuficiência de renováveis, empresas e consumidores se viram para não ficar no escuro e sem água. (Valor Econômico)

Commodities energéticas têm maior alta mensal em 22 anos
O preço das commodities energéticas no Brasil teve em outubro a maior alta mensal em mais de 22 anos, conforme medido pelo Índice de Commodities Brasil (IC-Br), divulgado ontem pelo Banco Central (BC). No mês passado, o IC-Br Energia cresceu 19,98% em relação a setembro. Foi a alta mais intensa desde março de 1999, quando o indicador teve alta de 24,52% na comparação com fevereiro daquele ano. (Valor Econômico)

CCEE: PLD médio de 2021 deve ficar em R$ 282,48/ MWh
A projeção média de PLD para 2021 é de R$ 282,48/ MWh. o valor foi divulgado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica durante o Encontro PLD. Para 2022, a expectativa é de R$ 146,33/ MWh. Em um cenário mais otimista, o PLD deve ficar em R$ 276,09/ MWh este ano e ano que vem, em R$ 82,21/ MWh. Já no cenário de limite inferior, de viés pessimista, a média é de R$ 292,60/ MWh para 2021 e de R$ 266,43/ MWh em 2022. A CCEE também mirou um cenário de limite inferior com geração térmica máxima, que traz uma média de PLD em R$ 132,05/ MWh. (Canal Energia)

Abertura do mercado de energia pode criar boom de investimentos em 2022, diz CEO da Omega
O CEO da Omega, Antonio Bastos, afirmou na última quinta feira que a abertura do mercado livre para clientes de baixa tensão pode ser interessante para o governo em 2022, que é ano eleitoral, por conta de um potencial “boom de investimentos” . (Agência Infra)

Lucro da Engie avança 30,4% no 3º trimestre, para R$ 639 milhões
A receita operacional líquida do grupo de energia elétrica chegou a R$ 3,3 bilhões, alta de 5,6% sobre os valores alcançados no terceiro trimestre do ano passado. (Valor Econômico)

Lucro da Eneva cresce 553% no 3º trimestre e soma R$ 363 milhões, recorde para o período
A Eneva registrou lucro de R$ 363 milhões no terceiro trimestre de 2021, aumento de 553% em relação a igual período no ano passado. O valor é recorde para a companhia em um terceiro trimestre. (Valor Econômico)

Lucro da Eneva dispara com maior geração térmica pela crise hídrica
A empresa de energia Eneva anunciou nesta quinta-feira uma disparada em seu lucro líquido do terceiro trimestre, que atingiu o melhor resultado da história para o período, com ganhos impulsionados pelo maior despacho de suas usinas termelétricas, enquanto o país lida com a crise hidrelétrica. (IstoÉ)

Lucro da Enel recua 14,2% entre janeiro e setembro, para 2,51 bilhões de euros
A italiana Enel, controladora da Enel Brasil, registrou lucro líquido de 2,51 bilhões de euros (o equivalente a US$ 2,91 bilhões) nos primeiros nove meses de 2021, queda de 14,2% na comparação com um ano antes, quando reportou lucro de 2,92 bilhões de euros. (Valor Econômico)

Omega Geração tem prejuízo líquido de R$ 25,7 mi no 3º tri, ante lucro na base anual
A Omega Geração registrou prejuízo líquido de R$ 25,7 milhões no terceiro trimestre, revertendo o lucro de R$ 37,6 milhões visto no mesmo período do ano anterior. Já a receita líquida entre julho e setembro somou R$ 454,9 milhões, alta de 45% sobre o mesmo período de 2020. (Valor Econômico)

Isa Cteep avança na transformação digital e inaugura 1ª subestação digital do SIN
A cidade de Lorena, no interior de São Paulo, recebe a primeira subestação digital da rede básica do Sistema Interligado Nacional (SIN), desenvolvida pela ISA CTEEP, maior transmissora privada de energia elétrica do País. Empreendimento representa um marco rumo à Subestação 4.0 e vai duplicar o abastecimento de energia para a região do Vale do Paraíba, que passa a contar com um sistema redundante. (Canal Energia)

Socorro de R$ 15 bi do governo deve dar liquidez a distribuidoras, analisa Fitch Ratings
A Fitch Ratings avalia que o governo federal tem tomado medidas eficazes para mitigar o risco de liquidez das distribuidoras de energia do Brasil. Segundo a agência de classificação, um novo aporte de caixa, de até R$ 15 bilhões, em discussão entre governo, instituições financeiras e agentes do setor, deve compensar os descasamentos de fluxo de caixa decorrentes da alta de custos com compra de energia. (Canal Energia)

Nuclear, eólica offshore, hidrogênio e térmicas: as apostas de Bento Albuquerque na COP26
O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse que confia que será possível contratar novas usinas nucleares a partir de leilões de energia no curto prazo, com a construção privada de novos projetos. “Estimamos, para os próximos 30 anos, uma expansão de até 10 GW em fonte nuclear. Sempre com o setor privado construindo”, afirmou ele. (epbr)

Agência cobra plano de recuperação de distribuidora de energia de Roraima
Aneel diz que é “preocupante” situação da Roraima Energia que acumula dívida superiores a R$ 877 milhões. (Estadão)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$80,98/Barril +0,55%

CÂMBIO

R$5,60/USD 0,29%

Gasolina atinge maior valor do século nas bombas
Alta dos combustíveis pode levar IPCA próximo a 10% no fim do ano. Os preços dos combustíveis voltaram a subir no mercado brasileiro, na semana passada, após o novo reajuste da Petrobras nas refinarias. De acordo com levantamento da Agência Nacional de Petróleo (ANP), o litro do diesel S-10, com menor teor de enxofre, subiu 4,8% em relação à semana anterior, para um valor médio, na bomba, de R$ 5,29. Já o litro da gasolina aumentou 3,15%, para R$ 6,562. Com isso, outubro se tornou o mês mais caro deste século para os consumidores da gasolina. (Valor Econômico)

Recusa da Opep+ em aumentar produção ameaça recuperação econômica, dizem EUA
Os Estados Unidos afirmaram nesta quinta-feira (4) que a recusa da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados (Opep+) de acelerar o aumento da produção coloca em risco a recuperação da economia global. Além disso, a Casa Branca disse estar preparada para usar as ferramentas disponíveis para reduzir os preços dos combustíveis. (Valor Econômico)

Casa Branca afirma que Opep corre risco de recuperação econômica
A Casa Branca disse que a Opep + arrisca colocar em perigo a recuperação econômica global ao se recusar a acelerar o aumento da produção de petróleo e alertou que os EUA estão preparados para usar “todas as ferramentas” necessárias para reduzir os preços dos combustíveis. (Financial Times)

Petróleo recua com dólar mais alto e possível venda de reserva dos EUA
Os preços dos contratos para janeiro do Brent terminaram o dia em queda de 1,76%, a US$ 80,54 por barril, enquanto os preços dos contratos para dezembro do WTI caíram 2,53%, a US$ 78,81 por barril. (Valor Econômico)

Leilão do pré-sal de dezembro atrai pelo menos 9 empresas
Ao menos nove petroleiras manifestaram o interesse no leilão dos volumes excedentes da cessão onerosa dos campos de Sépia e Atapu, no pré-sal da Bacia de Santos. A licitação está marcada para 17 de dezembro e envolve o pagamento total de R$ 11,1 bilhões em bônus de assinatura pelos ativos. A Agência Nacional de Petróleo (ANP) informou ontem que habilitou oito empresas para a rodada: Chevron, Enauta, Equinor, ExxonMobil, Petrogal, Petronas e TotalEnergies estão aptas a participar como operadoras e a colombiana Ecopetrol como não operadora. (Valor Econômico)

Presidente da CAE articula projeto que muda política de preços da Petrobras
O presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, Otto Alencar (PSD-BA), articula votar até o fim de novembro um projeto que força mudanças na política de preços da Petrobras e sugere a criação de um imposto sobre exportação de petróleo cru, como forma de capitalizar um fundo de equalização de preços dos combustíveis. A proposta atende a um apelo dos governadores, que travam uma queda de braço com o governo Jair Bolsonaro. (Valor Econômico)

ANP libera venda de produto concorrente em posto ‘com bandeira’
A diretoria da Agência Nacional de Petróleo (ANP) aprovou ontem um pacote de mudanças nas regras do mercado de combustíveis. Dentre as principais novidades do novo regulamento estão os temas da tutela de fidelidade à bandeira e do delivery de combustíveis. A ANP determinou, via resolução, que o posto bandeirado que opte por comercializar combustíveis de outros fornecedores deverá exibir, na identificação do combustível, o nome fantasia dos fornecedores. (Valor Econômico)

Ultra prevê melhora na Ipiranga no 4º tri
Duas questões recorrentes deixaram marcas negativas nas demonstrações financeiras e nas ações da Ultrapar: os resultados fracos da Ipiranga e a pouca visibilidade quanto aos planos de futuro do grupo. No dia seguinte à divulgação dos resultados do terceiro trimestre, a direção do Ultra reforçou a mensagem de que as margens da distribuidora de combustíveis já estão em rota de recuperação. (Valor Econômico)

Diários da COP26: Carvão na mira, OPEP+ “golpeada” e consórcio de governadores
A coalizão OPEP+ decidiu manter a trajetória de aumento da produção de óleo, frustrando a demanda de países consumidores, especialmente dos EUA, que cobram, especialmente da Arábia Saudita, um aumento da oferta para conter a inflação global. (epbr)

Projeto de Lei propõe programa de incentivo ao biogás
O deputado Arnaldo Jardim (Cidadania/SP), vice-presidente da Frente Parlamentar de Energia Renovável (FER), apresentou na última quarta-feira, 03 de novembro, uma proposta de criação do Programa de Incentivo à Produção e ao Aproveitamento de Biogás, de Biometano e de Coprodutos Associados (PIBB). (Canal Energia)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Quinta-Feira, 04 de Novembro

Elétricas e Saneamento

Lucro da AES Brasil cresce mais de oito vezes no 3º trimestre
Uma das maiores geradoras de energia do país, a AES Brasil encerrou o terceiro trimestre de 2021 com um lucro líquido de R$ 430,8 milhões, cifra mais de oito vezes superior aos R$ 51,1 milhões apurados entre julho e setembro do ano passado. (Valor Econômico)

Aumento da demanda mundial por bens impacta o setor de energia, diz presidente do Banco Central
O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou nesta quarta-feira (3) que bancos centrais de todo o mundo “estão lidando com o deslocamento da demanda” do consumo de serviços para bens, o que vem “causando disrupção das cadeias”. “A transição para ir para uma economia mais verde será mais difícil do que imaginávamos”, disse Campos. “Por isso, precisamos ser mais criativos”, completou. (Valor Econômico)

Brasil pode contratar novas usinas nucleares em leilões até meados da década, diz Bento Albuquerque
O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, confia que será possível contratar novas usinas nucleares a partir de leilões de energia no curto prazo, com a construção privada de novos projetos. “Estimamos, para os próximos 30 anos, uma expansão de até 10 GW em fonte nuclear. Sempre com o setor privado construindo”, afirmou o ministro à epbr nesta quarta (3), em Glasgow, na Escócia. Bento participa da COP26. (epbr)

Termelétricas são necessárias para segurança energética, diz Bento Albuquerque
O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse à epbr que a energia termelétrica é necessária para manter a segurança energética do país e que a expansão da geração térmica não significa “sujar” a matriz brasileira.“ Elas [termelétricas] são para ser utilizadas. Isso significa reserva de capacidade. Não são utilizadas 365 dias por ano, 24h por dia. Quando não tem vento, não tem sol, não tem água, tem que usar termelétricas para ter segurança”, defendeu. (epbr)

Eólica offshore será incluída em concorrência com outras fontes nos leilões
O Ministério de Minas e Energia (MME) acredita que será possível incluir a contratação de parques eólicos offshore a partir de 2022 nos leilões de energia, afirmou o ministro Bento Albuquerque à epbr nesta quarta (3), em Glasgow. A regulamentação das eólicas offshore não está definida. O governo pretende publicar um decreto em dezembro, com a inclusão de leilões para concorrência pelo direito de exploração dos polígonos marítimos, antecipou a epbr em outubro. (epbr)

Aneel rejeita pedido de revisão de regras de constrained-off
A Agência Nacional de Energia Elétrica negou pedido da Engie de revisão de dispositivos da Resolução Normativa 927/2021, que estabeleceu procedimentos e critérios para apuração e pagamento de restrição de operação por constrained-off de geradoras eólicas. A decisão confirma o entendimento da Aneel de que normas de caráter geral, aprovadas após consulta pública, não podem ser alteradas em um processo sem discussão. (Canal Energia)

COP26: especialistas chamam compromisso brasileiro de “pedalada climática”
O Brasil firmou importantes compromissos durante a 26ª edição da Conferência das Partes, a COP26, que está acontecendo em Glasgow, na Escócia, entre eles, de meta de reduzir a emissão de carbono em 50%, mas especialistas veem anúncio do governo brasileiro como um tipo de “pedalada climática” na tentativa de passar uma imagem de ambição ambiental ao mundo. (Canal Energia)

Governos são fundamentais para incentivar energia limpa, aponta relatório na COP 26
Relatório elaborado utiliza estudo de caso da nacionalização de conteúdo para a fonte eólica como política bem sucedida no incentivo à energia limpa. (Canal Energia)

Light leva energia solar a clientes de baixa renda
Em busca de reduzir perdas com desvios de energia e levar desenvolvimento social a regiões de baixa renda, a Light vai lançar um projeto de eficiência energética em comunidades carentes no Rio de Janeiro. Com investimento inicial de R$ 6 milhões, o projeto piloto vai instalar tecnologias de geração de energia solar e eficiência energética na comunidade Pilar, em Duque de Caxias, baixada Fluminense. (Valor Econômico)

AES garante mais clientes para projeto eólico
Geradora está perto de fechar primeiro contrato de venda de energia em dólar para um grupo exportador. Em meio à crescente busca das empresas por contratação de energia elétrica de fontes renováveis, a AES Brasil conseguiu garantir três novos contratos para avançar com o projeto Cajuína, complexo eólico de 1,1 gigawatt (GW) de potência que está sendo construído no Rio Grande do Norte. (Valor Econômico)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$83,18/Barril +1,45%

CÂMBIO

R$5,59/USD -1,42%

Petróleo fecha em queda superior a 3% na maior perda dos últimos três meses
Os preços do petróleo caíram mais de 3% na sessão desta quarta-feira, dias antes do encontro mensal da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados (Opep+) e também diante de um estoque da commodity maior do que o estimado nos Estados Unidos. (Valor Econômico)

Estoques de petróleo nos EUA avançam mais que o esperado
Os estoques americanos de petróleo subiram em 3,29 milhões de barris na semana encerrada na última sexta-feira (29 de outubro), para 434,102 milhões de unidades, de acordo com dados divulgados nesta quarta (3) pelo Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) dos Estados Unidos. O aumento foi maior do que a expectativa dos analistas consultado pelo “Wall Street Journal”, de alta de 1,5 milhão de barris no período. (Valor Econômico)

Vale tem menor preço do ano e Petrobras assume posto de empresa com maior valor de mercado
A ação da Vale, em queda de 7%, caminha para fechar o dia no menor preço do ano, por volta de R$ 67, depois de ter chegado ao pico de R$ 106 no fim de julho. Com isso, a Petrobras, apesar de acompanhar a cotação do petróleo, que fechou na maior queda em três meses, assume o posto de empresa mais valiosa da bolsa. (Valor Econômico)

Pacto veta verba pública para energia fóssil
A declaração deve ser divulgada hoje, durante a COP26, em Glasgow, de acordo com fontes próximas às negociações. O documento tem uma página e, se confirmado, será uma dura ação contra o fluxo de dinheiro dos bancos públicos de desenvolvimento para projetos de combustíveis fósseis. (Valor Econômico)

Importação cresce mais e reduz saldo de outubro
Superávit da balança comercial no mês foi de US$ 2 bilhões, queda de 54,5% contra outubro de 2020 e menor valor registrado desde 2015 para o período. A importação de derivados de petróleo e de fertilizantes, impulsionada, respectivamente, pela crise hídrica e pela expectativa de safra recorde em 2021, explica parte da aceleração mais recente de preços das importações, avalia José Augusto de Castro, presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB). Para ele, os desembarques devem continuar pressionadas até o final do ano. (Valor Econômico)

Leilão de Sépia e Atapu será teste para disciplina de capital das petroleiras, diz consultoria
O leilão dos volumes excedentes da cessão onerosa dos campos de Sépia e Atapu, no pré-sal da Bacia de Santos, será um “teste emocionante” para a disciplina de capital das empresas, na avaliação da Wood Mackenzie. A rodada está marcada para 17 de dezembro e envolve a cobrança de bônus de assinatura de R$ 11,1 bilhões, num momento em que as petroleiras aproveitam a valorização da commodity para recuperarem o caixa, depois de um 2020 difícil para o setor. (Valor Econômico)

Resultados econômicos de Sépia e Atapu ainda não são convincentes, diz Wood Mackenzie
“Em um cenário de preço Brent de $35 por barril, estimamos a taxa interna de retorno (TIR) ​​de Atapu pouco acima de 10%, enquanto Sepia falha em fornecer retornos de dois dígitos. E isso pressupõe lances vencedores com a participação governamental mínima nos lucros”, comenta Hayum. A avaliação é de Luiz Hayum, do time de pesquisa da Wood Mackenzie para a América Latina. (epbr)

Preço de gás natural dispara mais de 17% na Europa com temor de que Rússia não cumpra promessa de elevar remessas
Os preços do gás natural dispararam nesta quarta-feira (3) na Europa diante de novos temores de que não haverá estoques o suficiente do combustível para serem utilizados durante o inverno. O contrato futuro do gás TTF – negociado na Holanda e referência para o preço do produto no continente europeu – subiu 17,46% no dia e fechou a 79,41 euros por megawatt-hora. (Valor Econômico)

Países devem limitar financiamento público a projetos de combustíveis fósseis
Estados Unidos, Reino Unido e outros 18 países devem assinar uma declaração conjunta para pôr fim ao financiamento dos bancos públicos de desenvolvimento a projetos estrangeiros de exploração de petróleo, gás e carvão até o fim do próximo ano. A intenção é priorizar o financiamento de iniciativas de geração de energias limpas. (Valor Econômico)

3R Petroleum finaliza aquisição da Duna Energia
A 3R Petroleum informou ao mercado nesta quarta-feira que concluiu a aquisição da Duna Energia, que pertencia ao BTG Pactual. A compra, anunciada no último mês de junho, foi avaliada em R$ 73,3 milhões. (Valor Econômico)

Petro Rio reverte prejuízo e lucra R$ 125 milhões no 3º trimestre
A Petro Rio fechou o terceiro trimestre com lucro líquido de R$ 125,5 milhões, revertendo prejuízo de R$ 117,7 milhões em igual período do ano anterior. A receita líquida da companhia entre julho e setembro ficou em R$ 939,5 milhões, uma alta de 92,2% na comparação com os R$ 488,6 milhões de igual período de 2020. (Valor Econômico)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Quarta-Feira, 03 de Novembro

Elétricas e Saneamento

Tarifa Social: Bandeira tarifária será amarela em novembro
A bandeira tarifária, que atualmente é paga apenas pelos consumidores que recebem o beneficio da tarifa social de energia elétrica, passou de vermelha patamar 2 em outubro para amarela em novembro. Com isso, o custo adicional de R$ 9,49 a cada 100 kWh consumidos, cai para de R$ 1,87. (Canal Energia)

ANA limita geração de usinas para poupar água
Após ser beneficiado com medidas excepcionais para livrar o país de novo racionamento, o setor elétrico é pressionado a manter parte das ações emergenciais para, desta vez, garantir a recuperação do nível de armazenamento de sete reservatórios estratégicos no período chuvoso, entre dezembro deste ano e abril do ano que vem. (Valor Econômico)

Em raro momento de convergência ONS apoia plano
O corte na vazão de água de hidrelétricas no próximo período chuvoso, apesar de limitar a geração de energia no curto prazo, conta com o apoio do Operador Nacional do Sistema (ONS). Talvez pelas implicações da crise hídrica deste ano, que colocou o país sob risco de racionamento, a entidade responsável pela operação do sistema elétrico e a Agência Nacional de Águas vivem um raro momento de convergência de posições. (Valor Econômico)

Fundo da BlackRock para energia renovável capta US$ 673 milhões
A BlackRock levantou US$ 673 milhões para o fundo “Climate Finance Partnership” (CFP). A iniciativa público-privada, criada para financiar a infraestrutura climática em países emergentes, tem como objetivo acelerar a transição global para uma economia zero em carbono, sem deixar países em desenvolvimento pelo caminho. (Valor Econômico)

Deputados correm para aprovar marco do mercado de carbono
O autor do PL 528/21, que cria um mercado brasileiro de créditos de carbono, deputado federal Marcelo Ramos (PL/AM), confia que será possível chegar a um acordo para aprovar o projeto na quarta (3). O deputado, que também é vice-presidente da Câmara, reconhece que a agenda é difícil, com a pauta dos precatórios, mas defende a urgência do tema como uma ação efetiva do Brasil durante a COP26, que iniciou nesse domingo (31) em Glasgow, na Escócia. (epbr)

Governo aponta margem para redução de renováveis na matriz
Para o setor de energia, o governo brasileiro anunciou na COP26 objetivo de alcançar participação entre 45% e 50% de energias renováveis na matriz energética em 2030. (epbr)

Emissões de gases de efeito estufa do setor de energia diminuem em 4,5% no Brasil em 2020
Um estudo do Sistema de Estimativas de Emissões de Gases de Efeito Estufa (SEEG), do Observatório do Clima, feito com cinco setores da economia que respondem pelas emissões do Brasil, mostrou que o setor de energia no Brasil teve uma redução de 4,5% das emissões de gases de efeito estufa. (Canal Energia)

Eletrobras pré-seleciona bookruners para capitalização
A Eletrobras informou em comunicado ao mercado na última sexta-feira, 29 de outubro, que pré-selecionou Bradesco BBI, Caixa Econômica Federal, Citi, Credit Suisse, JP Morgan, Morgan Stanley e Safra como bookrunners do Sindicato de Bancos que ficará responsável pela estruturação da operação de follow on que culminará com a privatização da empresa. (Canal Energia)

Climatempo apresenta o boletim “La Niña a bordo: Qual o impacto no setor de energia?”
Depois de explicar como o fenômeno La Niña pode alterar a precipitação na América do Sul, a Climatempo destaca como o setor de energia pode ser afetado. Para a recuperação dos reservatórios, são necessárias estações chuvosas de qualidade, isto é, uma estação com alto volume de chuva bem distribuída temporal e espacialmente. Em uma fase de La Niña, a expectativa é que a geração hídrica no Sul do país seja afetada negativamente, principalmente em episódios canônicos, dada a possível redução da precipitação e, consequentemente, do abastecimento dos rios e reservatórios. (Canal Energia)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$83,18/Barril -1,79%

CÂMBIO

R$5,67/USD +0,43%

Petróleo fecha em queda leve em NY antes de reunião da Opep+
Os contratos futuros de petróleo fecharam em baixa nesta terça-feira, com investidores se antecipando à reunião entre a Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep) e países aliados ainda nesta semana. É esperado que o grupo, conhecido como Opep+, anuncie um aumento na produção diária em 400 mil barris neste mês. (Valor Econômico)

Bolsonaro quer usar dividendos da Petrobras para reduzir preço do diesel
Presidente disse que o governo federal não tem interesse nos dividendos recebidos pelos lucros da petroleira e conversa com a equipe econômica para que esses recursos sejam usados para abater o preço do diesel. (Valor Econômico)

Petróleo avança com expectativa de que Opep+ não mudará estratégia; gás recua em NY
O contrato do petróleo WTI fechou em alta de 0,6% a US$ 84,05 por barril, e o petróleo Brent com vencimento em janeiro avançou 1,18%, a US$ 84,71 o barril. Os contratos futuros do petróleo fecharam em alta nesta segunda-feira na expectativa do resultado da reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) que será realizada na quinta-feira (4). Para o analista sênior da Oanda, Craig Erlam, está claro que traders e investidores não estão esperando nenhuma mudança a ser efetivada pela Opep+. (Valor Econômico)

Petróleo acelera alta antes da reunião da Opep e aliados
Os investidores alimentam expectativas de que os países da Opep+ permaneçam relutantes em acelerar a produção, apesar do aperto na oferta de petróleo. (Valor Econômico)

Bolsonaro diz que Petrobras vai aumentar combustíveis em 20 dias e quer usar dividendos para subsidiar diesel
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse, em Roma, que a Petrobras vai anunciar um novo reajuste no preço dos combustíveis em 20 dias. “A Petrobras anuncia, isso eu sei extraoficialmente, novo reajuste em 20 dias”, destacou a CNN Brasil e outros veículos de imprensa.  Novamente, Bolsonaro criticou os reajustes promovidos pela empresa: “Isso não pode acontecer. A gente não aguenta, porque o preço do combustível está atrelado à inflação”. Também reclamou de governos anteriores, como o de Michel Temer, quando teve início a política de Preço de Paridade de Importação (PPI). (epbr)

Petrobras contradiz Bolsonaro e afirma que não há decisão sobre novo reajuste de preços
A Petrobras disse que os ajustes de preços dos seus produtos são realizados no curso normal de seus negócios e seguem as suas políticas comerciais vigentes. O comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) vem após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) dizer a jornalistas na Itália que a estatal pretende novo reajuste nos preços dos combustíveis daqui 20 dias. (Valor Econômico)

Produtores criticam novo modelo de comercialização de biodiesel
A Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) considerou “desastroso” o sistema que substituirá os leilões públicos a partir de 2022, e disse que ele desrespeita a liberdade econômica. Para a entidade, as novas regras geram insegurança ao setor produtivo com “interferência desnecessária” no mercado. (Valor Econômico)

Etanol, diesel renovável, captura de carbono e punir desmatadores: diretrizes e promessas do Brasil para o clima
A meta revisada esta semana é “empatar” as emissões e retiradas de gases do efeito estufa da atmosfera em 30 anos, considerada conservadora por ambientalistas. O governo foca, por exemplo, em interromper o desmatamento, mas apenas o ilegal, com antecipação dessa meta de 2030 para 2028. (epbr)

SURF de Búzios 9 na fila para ser liberado
A Petrobras pretende lançar o edital da megalicitação para contratação de SURF (sistema de coleta submarina) do 9º módulo de Búzios em 2022. O plano da petroleira para o campo do cluster de Santos foi confirmado por André Cordeiro, gerente executivo de Sistemas Submarinos da Diretoria de Desenvolvimento da Produção. (Petróleo Hoje)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Segunda-Feira, 01 de Novembro

Elétricas e Saneamento

ONS prevê melhora dos reservatórios no Sudeste e Centro-Oeste em novembro
O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) prevê afluências acima da média no subsistema Sudeste/Centro-Oeste em novembro, o que deve auxiliar na melhora dos reservatórios das hidrelétricas. Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico, a quantidade de água que chega às usinas hidrelétricas, em unidade de energia, deve ser de 106% da média de longo termo no mês. (Valor Econômico)

Novembro inicia com chuvas acima da média no Sudeste, aponta ONS
Carga é estimada em 1,3% a mais quando comparada ao mesmo período de 2020, sendo que no Norte e Nordeste o consumo deverá se situar acima de 5%. (Canal Energia)

Reservatórios da região Sul seguem em crescimento e operam com 50,3% da capacidade
A região Sul continua apresentando crescimento em seus níveis de seus reservatórios, com 0,6 ponto percentual e operando com 50,3% de sua capacidade de armazenamento, na última quinta-feira, 28 de outubro, se comparado ao dia anterior, segundo o boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). (Canal Energia)

Eletrobras pré-seleciona instituições financeiras para capitalização
A Eletrobras informou ao mercado que pré-selecionou as instituições financeiras, como coordenadores líderes do Sindicato de Bancos que ficará responsável pela estruturação da operação de follow on. São elas: Bank of America, BTG Pactual, Goldman Sachs, Itaú BBA, XP Investimentos. (Canal Energia)

Privatização da Eletrobras pode ser adiada com análise do TCU
O processo de privatização da Eletrobras pode sofrer um novo revés, mesmo depois de o Congresso Nacional ter autorizado a venda da estatal. Até agora, o governo vinha trabalhando com a operação no primeiro trimestre de 2022, provavelmente em fevereiro. Porém, técnicos do Executivo já avaliam que haverá um atraso de pelo menos dois meses no processo. (Valor Econômico)

Echoenergia tem um portfólio de 1,1 GW de projetos já prontos para construção, diz Equatorial
Executivos da Equatorial Energia destacaram nesta sexta-feira (29) a perspectiva de rápido crescimento do portfólio da Echoenergia, empresa de geração renovável recém-adquirida pelo grupo. A ideia é financiar com dívida parte relevante dos valores envolvidos na aquisição. Porém, eles não forneceram mais detalhes, já que a companhia está em período de silêncio. (Valor Econômico)

Aquisição bilionária da Equatorial reforça meta em diversificação dos negócios
Empresa tem braços nos segmentos de distribuição, comercialização de energia e saneamento. Entrada do grupo no segmento de renováveis visa diversificar ainda mais os negócios. (Canal Energia)

Vibra Energia fará emissão de até R$ 1,8 bilhão em debêntures
A Vibra Energia, antiga BR Distribuidora, anunciou que fará uma emissão de debêntures em até R$ 1,8 bilhão, sendo que a distribuição parcial terá valor mínimo de R$ 1,5 bilhão. A oferta será feita no regime de esforços restritos, ou seja, distribuída apenas a investidores institucionais e qualificados. (Valor Econômico)

G20 tem acordo limitado sobre usinas a carvão
Os líderes do G20 chegaram a um acordo, pouco antes da abertura da COP26 (sigla para a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas), para acabar com o financiamento a usinas termelétricas a carvão no exterior, embora não tenham incluído nos termos o fim do uso do carvão para gerar eletricidade em seus próprios países. (Valor Econômico)

Créditos de descarbonização precisam chegar a mais investidores, diz presidente da Unica
O mercado regulado de carbono engloba pouco mais de 21% das emissões mundiais, de acordo com o Banco Mundial. Na prática, são 64 iniciativas de precificação de carbono. A China passou a fazer parte, há poucos meses, do grupo que obriga empresas e governos a se responsabilizar sobre os gases de efeito estufa. Além de adotar ações para maior eficiência com menor impacto ambiental, os países devem fazer a compensação de poluentes usando créditos ofertados pelo mercado voluntário, como o em vigor no Brasil. (Valor Econômico)

O que falta para conectar Roraima?
A linha de transmissão Manaus-Boa Vista, se e quando pronta, finalmente tirará Roraima da condição de ser o único Estado do Brasil sem acesso à malha de transmissão elétrica de dimensão continental conhecida como Sistema Interligado Nacional (SIN). Sem a linha de transmissão, Roraima continuará a encarecer em bilhões de reais as tarifas de eletricidade. (Valor Econômico)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$84,53/Barril +0,97%

CÂMBIO

R$5,64/USD +0,37%

Petróleo encerra em alta e termina mais um mês de ganhos acumulados
O petróleo avançou nesta sexta-feira (29), interrompendo três sessões de queda. Além da performance positiva hoje a commodity encerrou outubro com ganho acumulado, em um mês marcado pelo temor do desarranjo entre oferta e demanda no setor de energia. No saldo acumulado de outubro, o WTI terminou com ganho de 11,38%, enquanto o Brent cresceu 6,62%; é o segundo ganho mensal consecutivo do petróleo em ambos os recortes. (Valor Econômico)

Preço do barril de petróleo deve manter ritmo de alta
Os contratos futuros do barril de petróleo registraram forte alta em outubro, reflexo do avanço do consumo de combustíveis, em meio ao avanço da vacinação contra a covid-19 e ao relaxamento das restrições à mobilidade no mundo. Analistas apontam que o cenário deve se manter nos próximos meses e afirmam que há possibilidade de o barril atingir patamares ainda mais elevados em 2022. (Valor Econômico)

Senado avalia mudanças no ICMS sobre combustíveis
Pressionado por governadores, o Senado ainda oscila em relação aos rumos do projeto que muda a cobrança de ICMS sobre os combustíveis. Como forma de resolver o problema da alta da gasolina, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), tem insistido num “ajuste” na política de preços da Petrobras, o que não é bem visto pela equipe econômica. (Valor Econômico)

Gasolina sobe 3,1% em média nos postos e preço chega a R$ 7,889 em Bagé
O preço médio da gasolina subiu 3,1% nas bombas esta semana e já há postos vendendo o produto por R$ 7,889 em Bagé (RS), segundo a pesquisa semanal de preços da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis). (Valor Econômico)

ANP pretende monitorar estoques de combustíveis
A agência realizará uma consulta e audiência públicas para avaliar proposta de uma ferramenta de BI que recebe informações diárias sobre os estoques. (Petróleo Hoje)

Petrobras rebate críticas ao lucro de R$ 31,42 bilhões
A Petrobras rebateu as críticas do governo sobre seu lucro excessivo, reafirmando o compromisso com política de paridade internacional dos preços dos combustíveis. O posicionamento foi apresentado pelo presidente da petroleira, Joaquim Silva e Luna, na sexta-feira (29/10), durante coletiva sobre o resultado financeiro do terceiro trimestre. (Petróleo Hoje)

Para Décio Oddone, é “equívoco” controlar preço de combustível
Não existe uma “saída milagrosa” para reduzir os preços dos combustíveis. Em momento em que a Petrobras volta aos holofotes da pauta política, diante da inflação dos derivados e de ameaças de uma nova greve dos caminhoneiros, o ex-diretor-geral da Agência Nacional de Petróleo (ANP) e atual presidente da Enauta, Décio Oddone, vê no conceito do controle dos preços um “equívoco”. Ele relativiza propostas como a criação de fundos de estabilização e subsídios como o Vale Gás, e prega o avanço da agenda liberal no setor e ajustes na tributação para que, no futuro, os consumidores colham os frutos da abertura do mercado. (Valor Econômico)

Luna diz que Petrobras cumpre a lei, e Estado escolhe o que fazer com dividendos
A Petrobras não pode fazer políticas públicas, afirmou o presidente da estatal, Joaquim Silva e Luna, em entrevista coletiva nesta sexta-feira, em referência às críticas ao aumento dos preços de combustíveis praticados pela companhia. O executivo complementou afirmando, no entanto, que o Estado pode escolher o que fazer com os dividendos que recebe da estatal. Silva e Luna lembrou também que o aumento do preço do barril de petróleo ocorre no mercado internacional. (Valor Econômico)

Petrobras avalia distribuir dividendos de forma trimestral ou semestral a partir de 2022
O ano de 2021 será de transição para a política de dividendos da Petrobras, dado que a estatal atingiu a meta de reduzir a dívida bruta para menos de US$ 60 bilhões e que a distribuição dos proventos não compromete a alocação de capital da companhia, segundo o diretor financeiro e de relacionamento com investidores, Rodrigo Araújo. (Valor Econômico)

Petrobras indica aumento no plano de investimentos
Diante da recente valorização do petróleo, a Petrobras vê espaço para aumentar o patamar de investimentos no novo planejamento estratégico 2022-2026, previsto para ser anunciado no fim deste mês. Ao mesmo tempo, depois de alcançar a esperada redução da dívida, a petroleira também espera que o novo plano de negócios se concentre em manter a alavancagem sob controle e em consolidar a companhia como uma grande pagadora de dividendos. (Valor Econômico)

Diplomacia global age para impedir petróleo acima de US$ 100
Ao longo do último ano, os países consumidores de petróleo ficaram mais apreensivos com o avanço de preços do barril: primeiro para US$ 50, depois US$ 75 e agora mais de US$ 85. Quando Vladimir Putin, o presidente russo que é um dos líderes do cartel Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados, a Opep+, alertou que US$ 100 era uma possibilidade, os alarmes realmente soaram. (Valor Econômico)

Grandes petrolíferas enchem o caixa com alta dos preços e reforçam dividendos
Após anos de retornos baixos, os investidores buscaram garantias das petroleiras de que elas irão moderar o crescimento e se concentrar nos pagamentos aos acionistas. As grandes empresas petrolíferas estão gerando seus maiores fluxos de caixa em anos, e estão repassando grande parte para aos acionistas em vez de investir na produção. (Valor Econômico)

Equinor, Galp, Shell e Compass vencem chamada pública da Bahiagás
A Bahiagás anunciou nesta sexta-feira (29/11) que Equinor, Galp, Shell e Compass, do Grupo Cosan, venceram a chamada pública promovida pela distribuidora para o fornecimento de gás natural a partir de 1o de janeiro de 2022. A empresa está agora negociando os contratos que serão assinados. (epbr)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.