XP Expert

Bolsas em alta nesta quarta; inflação nos EUA e no Reino Unido em destaque

Inflação nos Estados Unidos e Reino Unido são alguns dos temas de maior destaque nesta quarta-feira, 14/02/2024

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Áudio disponível em breve.


IBOVESPA -0,15% | 128.026 Pontos

CÂMBIO -0,72% | 4,96/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

O Ibovespa teve uma semana de recuperação, subindo 0,7% em reais e 1,0% em dólares aos 128.026 pontos. A semana foi marcada por notícias macro importantes. Globalmente, o presidente do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) reiterou um tom de cautela em relação ao corte de juros; a China anunciou novos estímulos econômicos, animando os mercados por lá; enquanto tensões geopolíticas continuam no Oriente Médio. No campo doméstico, a inflação medida pelo IPCA veio mais forte do que esperado.

As maiores altas desta semana foram Petz (PETZ3, +12,4%) e Casas Bahia (BHIA3, +8,6%), ambas se beneficiando de movimentos técnicos após múltiplos pregões de perdas. As maiores quedas da semana foram Bradesco (BBDC4, -12,1%; BBDC3, -9,1%), após resultado do 4T23 vir abaixo do consenso, e Azul (AZUL4, -11,5%), devido a um atraso no anúncio de incentivos governamentais para o setor.

Para saber mais, veja o nosso resumo semanal da Bolsa.

Renda Fixa

No comparativo semanal, a curva de juros encerrou perto da estabilidade na ponta curta, e em alta nos demais vértices. O diferencial entre os contratos com vencimento em janeiro 2026 e 2034 saiu de 86,2 pontos-base na sexta-feira passada para 87,0 pontos na última semana. Portanto, a curva apresentou pequeno ganho na inclinação. DI jan/25 fechou em 10,02% (3,2bps no comparativo semanal); DI jan/27 em 9,97% (10,1bps); DI jan/29 em 10,4% (10bps); DI jan/33 em 10,74% (9,6bps); DI jan/37 em 10,77% (6,6bps).

Mercados globais

Nesta quarta-feira, os mercados operam em alta nos Estados Unidos (S&P 500: 0,5%; Nasdaq 100: 0,6%), após um dia de forte queda sucedendo a divulgação da inflação ao consumidor americano (CPI) de janeiro, que veio acima das expectativas e contribuiu para alta nas taxas das treasuries, com a queda na expectativa de um corte de juros pelo Fed na próxima reunião. A temporada de resultados continua: durante o feriado no Brasil, foram divulgados os resultados de Coca-Cola, Zoetis, Lyft, Airbnb, Instacart e Kraft Heinz, entre outros.

Na Europa, os mercados operam em alta (Stoxx 600: 0,5%), acompanhando o movimento dos mercados nos EUA. Em Hong Kong, o índice fechou em alta (HSI: 0,8%) na volta do ano novo lunar, enquanto a Bolsa de Xangai segue fechada devido ao feriado.

Economia

A inflação ao consumidor de janeiro nos EUA, divulgada ontem, ficou acima das expectativas e provocou queda nas bolsas e alta dos juros dos títulos públicos.  O número reforça a visão de que a fase final do processo de desinflação está mais difícil, e que o Fed irá esperar (pelo menos) até maio para começar a remover o aperto monetário.

Na Europa, notícias melhores. A inflação ao consumidor no Reino Unido ficou abaixo do esperado em janeiro, e a produção industrial da zona do Euro de janeiro surpreendeu positivamente. O PIB da zona do euro se manteve estagnado no último trimestre do ano passado, mas o emprego segue crescendo – o que deixa o Banco Central Europeu em situação desconfortável.

No Brasil, o fluxo de notícias está calmo devido ao Carnaval. Os destaques do restante da semana são a Pesquisa Focus do Banco Central de amanhã, que incorporará o IPCA de janeiro; e as discussões no Congresso sobre a medida provisória que reduz a desoneração sobre a folha de pagamento às empresas (MP 1.202).

Veja todos os detalhes

Economia

Inflação ao consumidor nos EUA supera expectativas e atinge os mercados

  • Divulgado ontem, o Índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos EUA aumentou 0,3% mês a mês em janeiro, acima das expectativas (consenso: 0,2%). A inflação anual caiu de 3,4% para 3,1% devido a um efeito de base favorável. Mas o  núcleo da inflação (ex-alimentação e energia) aumentou 0,4%, também acima do esperado (consenso: 0,3%), e sua variação anual manteve-se em 3,9%, vem acima da meta de 2.0% do Fed (banco central do país). O resultado mostra que as pressões de preços continua, especialmente no lado dos serviços. Entendemos que o número reforça a visão de que a fase final do processo de desinflação está mais difícil, e que o Fed irá esperar (pelo menos) até maio para começar a remover o aperto monetário. Os mercados reagiram negativamente. Os índices de ações caíram e os juros dos títulos do Tesouro de 10 anos subiram após a divulgação. Esta manhã os mercados estão se recuperando um pouco;
  • Melhores notícias do outro lado do Atlântico. A inflação ao consumidor de janeiro do Reino Unido ficou em -0,6% esta manhã, resultado abaixo do esperado (-0,3%). A inflação anual situou-se em 4,0%, enquanto seu núcleo (excluindo ítens voláteis) recuou para 5,0%, ante 5,1% em Dezembro. Após a divulgação, os mercados futuros incorporam agora cerca de 0,70 p.p. de cortes nas taxas básicas de juros por parte do Banco de Inglaterra este ano, reduzindo parte da reação negativa gerada ontem pelo CPI dos EUA. A maior probabilidade implícita nos preços de mercado é de um primeiro corte em agosto;
  • O PIB da zona euro permaneceu estável no 23T4, de acordo com a primeira prévia divulgada hoje. O resultado veio após ligeira queda no terceiro trimestre, sugerindo que a região está próxima de uma recessão. EM notícia mais positiva, a produção industrial de dezembro saltou 2,6% mês a mês, bem acima das expectativas (-0,2%). Além disso, o resultado de novembro foi revisada para cima. O mercado de trabalho também permaneceu surpreendentemente resiliente na região, mesmo com a estagnação do PIB. O emprego cresceu 0,3% no quarto trimestre, acelerando em relação ao terceiro trimestre (0,2%);
  • No Brasil, o fluxo de notícias está calmo devido aos feriados de Carnaval. Os destaques do restante da semana são a Pesquisa Focus do Banco Central de amanhã, que incorporará o IPCA de janeiro acima das expectativas divulgado na semana passada; e as discussões no Congresso sobre a medida provisória que reduz a desoneração sobre a folha de pagamento às empresas (MP 1.202).

Empresas

Usiminas (USIM5): Resultados do 4T23 – Indicações de melhoria gradual a partir do 1T24E

  • A Usiminas reportou melhora nos resultados do 4T23, com EBITDA Aj. de R$ 265 milhões refletindo um sólido desempenho da divisão de mineração e um desempenho ainda fraco da divisão de siderurgia (embora apresentando melhorias vs. 3T23);
    • Com as indicações da empresa de preços unitários de aço estáveis no 1T24E (veja detalhes abaixo) e nenhuma razão imediata para acreditar em aumentos de preços no curto prazo, ainda não está claro para nós o ritmo e a magnitude das melhorias de custos para impulsionar a recuperação da lucratividade na divisão de aço, possivelmente explicando o baixo desempenho das ações da Usiminas hoje (embora seja razoável esperar que parte dessa redução de custos já seja reportada no 1T24E);
    • Por fim, acreditamos que com o capital de giro agora mais próximo dos níveis normalizados, a geração futura de FCL deverá ser mais limitada, dadas as perspectivas acima mencionadas para a indústria siderúrgica. Reiteramos nossa recomendação Neutra para a Usiminas;
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

XP Agronegócio | Brasil em foco nos novos números do WASDE

  • Relatório misto, com mais soja e menos milho no mundo do que as expectativas. No Brasil, a safra 23/24 foi reduzida em 1 mi t, mas a safra velha teve aumento de 2 mi t, adicionando aos estoques finais e aumentando pressões baixistas. Por outro lado, o milho teve safra brasileira reduzida em 3 mi t, alinhada com as estimativas de mercado;
  • Continuamos com o lema “rain makes grain”, pois é o clima nos próximos dois meses que definirá o tamanho da safra de milho no Brasil, o USDA apenas alterou sua estimativa de área, não de produtividade;
  • No geral, ainda vemos um risco relevante de baixa para os produtores de grãos (SLC, BrasilAgro), enquanto os preços saudáveis dos grãos devem continuar favorecendo os lucros dos processadores ao longo de 2024 (BRF, Seara/JBS e M. Dias Branco);
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Setor de seguros fatura R$ 388 bilhões em 2023, diz Susep (Valor);
    • Sicoob concede R$ 46 bi em crédito a empresas em 2023 (Estadão);
    • Cenário benigno para assessorias de investimento vem junto com consolidação (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Claro Brasil tem Ebitda de R$ 5,22 bilhões no 4º trimestre, alta de 2,3% (Valor);
    • Importação de painéis solares desacelera em 2023 (Valor);
    • “Vamos pedir acesso aos 700 MHz”, diz Menezes, da Ligga (telesintese);
    • Positivo vai modernizar fábrica para produzir dispositivos 5G (telesintese);
    • Clique Aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Fazenda e Congresso abrem negociação sobre prazo e alcance da reoneração da folha (Estadao);
    • Importados já representam um quarto consumo nacional de produtos fabricados pela indústria (Estadao);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Bebidas
      • Heineken shares slide on 2024 outlook (Reuters);
      • Cerveja começa 2024 com inflação moderada e menor do que o IPCA (Guia da Cerveja)
    • Alimentos
      • WK Kellogg raises annual profit forecast on steady demand for its packaged food (Reuters);
      • RS registra seu 1º foco de gripe aviária em aves silvestres em 2024 (Globo Rural).
    • Agro
      • US farm income set for biggest plunge in 18 years as prices cool way off (Reuters);
      • Agrogalaxy negocia waiver com credores; pedido deve ser aceito, dizem fontes (TheAgriBiz).
    • Biocombustíveis
      • Tereos poderá vender etanol do Brasil a países da Europa e à Califórnia (Globo Rural).
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Saúde: XP Daily | Sua dose diária de notícias
    • DASA (DASA3): Alteração na Diretoria Estatutária (RI da Companhia);
    • Farmacêuticas brasileiras detém 60% do mercado nacional (Panorama Farmacêutico);
    • Saiba quem lidera a venda de novos produtos nas farmácias (Panorama Farmacêutico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • Presidente da Petrobras diz que estatal está mais próxima de voltar à refinaria da Bahia privatizada no governo Bolsonaro (O Globo);
    • Petrobras tem maior uso da capacidade de refino em nove anos (Petróleo Hoje);
    • Silveira ganha queda de braço com Prates e mantém seus conselheiros na Petrobras (O Globo);
    • STF julga novo recurso em ação sobre ICMS na transferência de mercadorias entre filiais (Valor Econômico);
    • A crise do Mar Vermelho está pressionando os mercados de petróleo (Oil Price);
    • Planos de perfuração de petróleo da Exxon na Guiana irritam a Venezuela (Reuters);
    • O boom de fusões e aquisições no setor de energia está apenas começando, diz Ebel, CEO da Enbridge (Bloomberg);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • XP Daily: As principais notícias do setor Imobiliário
    • Retirada de recursos da poupança pressiona mercado imobiliário (Agência Brasil);
    • Governo vai liberar em março ‘FGTS futuro’, para facilitar compra da casa própria, veja as regras (O Globo);
    • Hora de sair do aluguel? Em 2024, cresce busca por compra de imóveis (Valor Investe);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Aneel multa Enel SP em R$ 165,8 milhões por atuação após temporal de novembro (Canal Energia);
    • Governo de SP prepara nova fase para a privatização da Sabesp (InfoMoney);
    • Aneel tem vitória em disputa judicial sobre PLD mínimo e TEO Itaipu (MegaWhat);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Renda fixa

Tudo sobre Renda Fixa no mês (e o que esperar)

  • A curva de juros encerrou o mês em queda ao longo de toda a sua estrutura a termo, com mais intensidade nos vencimentos médios e curtos;
  • No mercado primário de títulos públicos federais, os leilões de janeiro arrecadaram um volume superior ao mês anterior, totalizando R$ 166 bilhões;
  • No mercado secundário de crédito privado, destacamos o mês de abril com a maior concentração de debêntures a vencer dentro dos próximos doze meses, com R$ 11,9 bilhões;
  • Quanto aos ratings corporativos, em janeiro de 2024, houve um maior equilíbrio em relação às movimentações, com número de downgrades (rebaixamentos) próximo ao de upgrades (elevações);
  • Acesse aqui relatório completo.

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Inflação forte derruba NY e muda apostas para Fed (Valor);
  • Debênture sem isenção volta com prazo mais longo após turbulência (Valor);
  • Tereos poderá vender etanol do Brasil a países da Europa e à Califórnia (Globo Rural);
  • Fitch Atribui Pela Primeira Vez Rating ‘AA+(bra)’ à Petro Rio Jaguar e à Sua Proposta de Debêntures (Fitch).
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Cotistas do KNCR11 aprovam 10ª emissão de cotas; quais são os próximos passos? (FIIs);
    • Total de investidores de fundos imobiliários atinge 2,58 milhões (FIIs);
    • BTLG11 recebe R$ 25 milhões da venda de um imóvel; veja quanto o FII ainda receberá (FIIs);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

ESG

Em breve.


XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.