XP Expert

Ibovespa encerra em queda de -5,0%; Aumento das percepções de risco fiscal no Brasil marcou a semana

Não conseguiu acompanhar de perto o mercado durante a semana? Resumimos para você os principais destaques!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Ibovespa: -5,0% | 112.253 pontos

Em uma semana de aumento da percepção do risco fiscal brasileiro e quase 60 empresas do Ibovespa reportando seus resultados do 3T22, o Ibovespa encerrou em queda de -5,0% aos 112 mil pontos. Nas ações com os piores retornos da semana, estão AMER3 e MGLU3, com queda de mais de 26%, impactadas, tanto por resultados trimestrais que decepcionaram o mercado, quanto pelo fato do setor de varejo ser sensível ao cenário macro e aumento do risco fiscal no país. Na ponta positiva, GGBR4, CMIN3 e VALE3 subiram mais de 13%, devido às expectativas de alta nos preços do minério de ferro e aço, com a flexibilização das políticas de Covid na China.

Nos Brasil, o IPCA apresentou elevação mensal de 0,59% em outubro, muito acima das estimativas. A mudança no cenário de deflação, visto nos últimos 3 meses, para a volta do aumento da inflação deveu-se, principalmente, ao aumento mais acentuado do que o previsto nos preços de combustíveis e produtos de higiene pessoal. A projeção da equipe de Economia da XP para a variação do IPCA em 2022 subiu ligeiramente de 5,6% para 5,8%, e, para 2023, a projeção é de 5,2%. Na política, o governo eleito anunciou seus primeiros membros da equipe de transição. Também é esperado que o novo governo apresente em poucos dias uma PEC para aumentar os gastos, visando viabilizar os auxílios sociais iniciados pelo governo atual e prometidos em campanha. Além disso, em discurso público, o presidente eleito Lula destacou a necessidade de aumentar os gastos para retomar o crescimento econômico e gerar empregos. A comunicação recente de Lula e rumores sobre a equipe de transição pesaram sobre os ativos financeiros. Sinalizações de enfraquecimento do arcabouço fiscal vigente e de expansão significativa das despesas públicas geraram quedas pronunciadas no mercado acionário, além de uma disparada da taxa de câmbio e piora da curva de juros.

Nos EUA, o CPI avançou 0,4% em outubro ante setembro, aquém do consenso de mercado. Com o arrefecimento das altas nos preços, investidores agora ponderam se o Federal Reserve poderá desacelerar o ritmo do aperto monetário. As surpresas benignas com a inflação ao consumidor levaram a forte elevação das bolsas americanas. Os índices S&P 500 e Nasdaq encerraram a semana em alta de 5,9% e 8,1%, respectivamente. Nas eleições parlamentares no país, os republicanos tomaram o controle da Câmara por uma margem mais estreita do que o esperado. A disputa para o Senado ainda está aberta. Vale ressaltar que, historicamente, a bolsa americana tende a subir após o resultado e o fim das incertezas com as eleições.

Na China, o veículo de mídia governamental anunciou a flexibilização de algumas medidas contra a Covid-19. A China reduzirá o tempo de quarentena para viajantes internacionais de sete dias para cinco dias, e se comprometeu a minimizar as consequências econômicas de sua política. O mercado global reagiu de maneira positiva às flexibilizações, assim como as commodities, com altas, principalmente, nos preços do minério de ferro e o aço.


Perdeu algum resultado da semana? Confira abaixo os destaques

Fonte: Economática, XP Research.

JHSF (JHSF3): Resultados positivos, impulsionados por receita acima do esperado

Panvel (PNVL3): Resultados fortes no 3T

Multilaser (MLAS3): Multi reporta resultados fracos no 3T22

Vivara (VIVA3): Resultados sólidos no 3T

Magalu (MGLU3): Resultados fracos no 3T

Via (VIIA3): Resultados fracos no 3T22

Oncoclínicas (ONCO3) – 3T22: Forte crescimento e margens saudáveis

Vittia (VITT3) – 3T22: resultados fortes e acima das nossas estimativas

Hidrovias do Brasil (HBSA3) – 3T22: Volume Mais Forte Com Melhoras Operacionais no Corredor Norte; Positivo

Rumo (RAIL3) – 3T22: Surpresa Positiva nos Yields Suportando Retorno nos Investimentos Futuros; Positivo

Pardini (PARD3) – 3T22: Resultados prejudicados pela normalização do mix de vendas

Jalles Machado (JALL3) 2T23 (ano-fiscal 3T22): resultados mais fracos com pressão de custos

Raízen (RAIZ4) 2T23 (ano-fiscal 3T22): resultados fracos em tempos turbulentos

Copel (CPLE6): Sem surpresas no 3T22, distribuição impulsionando os resultados

Locaweb (LWSA3): Expansão de margem EBITDA no caminho certo; resultados do 3T22

B3 (B3SA3): Resultados sólidos apesar do ADTV pressionado | Revisão 3T22

Marfrig (MRFG3) 3T22: resultados em linha com o esperado, refletindo a desaceleração da América do Norte

Santos Brasil (STBP3) – 3T22: Valuation Descontado e Grande Espaço para Pagamento de Dividendos

Lavvi (LAVV3): Expansão da margem bruta compensada pela desaceleração da receita líquida

Eletrobras (ELET3): Resultados do 3T22 ainda poluídos

Alupar (ALUP11): Resultados consistentes no 3T22

Equatorial (EQTL3): Resultados sólidos no 3T22 e ótimo desempenho operacional

Hapvida (HAPV3) – 3T22: Resultados mistos, com um ganho pontual

Positivo (POSI3): Resultados sólidos e começando a desalavancar

BRF (BRFS3) – 3T22: um trimestre pouco animador, embora esperado

Minerva (BEEF3) – 3T22: resultados fortes em uma tendência positiva

Mater Dei (MATD3) – 3T22: Resultados neutros, levemente acima das nossas expectativas

Orizon (ORVR3): Sabesp adquire 20% da URE Barueri

3R Petroleum (RRRP3): One-offs impactando o EBITDA, mas vemos um caminho para um re-rating à frente

Iguatemi (IGTI11): Crescimento robusto de SSR, levando a resultados sólidos conforme o esperado

C&A Brasil (CEAB3): Resultados melhores do que o esperado no 3T

TOTVS (TOTS3): Resultados fortes no 3T22; Superando nossas estimativas por 3 trimestres consecutivos

Bradesco (BBDC4): Resultados pressionados por NII mais fraco e provisões crescentes | Revisão 3T22

BTG Pactual (BPAC11): Resultados sólidos impulsionados pelo crescimento robusto em todas as linhas de receita | Revisão 3T22

Grupo Soma (SOMA3): Fortes resultados do 3T22

Natura &Co. (NTCO3): Resultados mistos do 3T

Cury (CURY3): Superando nossas estimativas com excelente margem bruta e receita recorde

Ambipar (AMBP3): 3T22 com forte crescimento em receitas e margens

Direcional (DIRR3): Resultados robustos como esperado, impulsionados por um sólido lucro líquido

Ecorodovias (ECOR3) – 3T22: Tarifas Médias e Tráfego Mais Altos Levando a um EBITDA Comparável +19% A/A; Neutro

Carrefour Brasil (CRFB3): Resultados fracos no 3T

BR Partners (BRBI11): Resultados pressionados por receitas mais fracas, mas perspectiva continua positiva | Revisão 3T22

Ser Educacional (SEER3) – 3T22: Resultados pouco animadores após uma temporada de captação fraca

Omega Energia (MEGA3): Ventos fracos, controle sólido de custos

brMalls (BRML3): Forte receita de aluguel e crescimento do FFO acima das nossas estimativas

Grupo Mateus (GMAT3): Resultados mistos no 3T

Enjoei (ENJU3): Resultados em linha no 3T

Americanas (AMER3): Resultados fracos no 3T

Yduqs (YDUQ3) – 3T22: Resultados sem destaques impactados por uma temporada de captação negativa

Randon (RAPT4) – 3T22: Recuperação Sequencial da Margem EBITDA Impulsiona o Sólido Desempenho Operacional

CCR (CCRO3) – 3T22: Performance Positiva de Tráfego, Como Esperado; Neutro

Construção Civil: Revisão dos Resultados do 3T22 para CYRE3, EZTC3, PLPL3, MELK3 e EVEN3

Aeris Energy (AERI3) – 3T22: Problemas de Produção Levam a Resultados Fracos Como Esperado

Cogna (COGN3) – 3T22: Melhoras operacionais, mas ainda pressionada pelo endividamento

PetroReconcavo (RECV3): Mais um trimestre com EBITDA acima do esperado

JBS (JBSS3) 3T22: a diversificação mostra sua força mais uma vez

Sabesp (SBSP3): Resultados sólidos no 3T22, reajuste tarifário totalmente capturado no trimestre

Bemobi (BMOB3): Resultados sólidos no 3T22, como esperado

Itaú (ITUB4): Resultados positivos em geral | Revisão 3T22

Azul (AZUL4) – 3T22: Melhora da Margem Mesmo em Ambiente Difícil de Custos; Neutro

Fras-le (FRAS3) – 3T22: Demanda Resiliente do Mercado de Reposição Mostrada em Números; Positivo

Iochpe-Maxion (MYPK3) – 3T22: Ambiente de Custos Inflacionários Resultou em Números Piores do que o Esperado no 3T22

Rede D’Or (RDOR3) – 3T22: Mais um trimestre com algumas notícias boas

Taesa (TAEE11): Resultados sólidos no 3T22, sem surpresas

MRV (MRVE3): Resultado inferior às expectativas, impactado pela falta de vendas da Resia

Unifique (FIQE3): 3T22 mais fraco do que o esperado refletindo crescimento orgânico lento

Banco do Brasil (BBAS3): Resultados fortes de cima a baixo | Revisão 3T22

Trisul (TRIS3): Resultados abaixo do esperado, prejudicados pelo lucro líquido fraco

Gerdau (GGBR4): Outro trimestre forte, apesar de dinâmica macro mais negativa

Engie Brasil (EGIE3): Resultados sólidos no 3T22

Petz (PETZ3): Resultados em linha no 3T22

Arezzo&Co. (ARZZ3): Resultados do 3T22 sólidos e em linha

CBA (CBAV3)| 3T22: Números decentes, apesar dos preços mais baixos do alumínio

Aura Minerals (AURA33): Momento de curto prazo fraco, mas com sinais positivos para o longo prazo

Méliuz (CASH3): Resultados fracos – O crescimento robusto afetou as despesas operacionais | Revisão 3T22

Pague Menos (PGMN3): Resultados do 3T22 em linha

TIM (TIMS3): Resultados sólidos no 3T22, como esperado; Melhoria consistente da margem e sólido crescimento da receita

Guararapes (GUAR3): Resultados melhores no 3T22

BrasilAgro (AGRO3) – 1T23 (FY 3T22): uma visão complexa, porém enviesada para o lado positivo

Tupy (TUPY3) – 3T22: Melhoria Sequencial de Receita Suportada pela Depreciação do Real

Movida (MOVI3) – 3T22: Lucro Líquido Menor do que o Esperado com a Diminuição da Margem de Seminovos; Negativo

São Martinho (SMTO3) – 2T23 (ano-fiscal 3T22): resultados em linha com revisão de guidance

Embraer (EMBR3): Dados Operacionais do 3T22

d1000 (DMVF3): Sólidos resultados do 3T22

Calendário de resultados da próxima semana

Fonte: Research XP.

Mercados

Fonte: Bloomberg, Research XP. Dados até 11/11/2022

Câmbio e juros

O Dólar fechou a semana com alta de +5,28% em relação ao Real, em R$ 5,33/US$. Já a curva DI para o vértice de janeiro/31 abriu +156bps na semana, atingindo 13,19%.

Fonte: Bloomberg, Research XP. Dados até 11/11/2022

Fluxo de estrangeiros na Bolsa brasileira

Nessa semana, o saldo acumulado da movimentação dos investidores estrangeiros na Bolsa foi cerca de R$-0,7 bilhões.

Fonte: Bloomberg, Research XP. Dados até 11/11/2022

O que esperar para semana que vem?

Na próxima semana, o mercado continua atento aos discursos de dirigentes do Fed, na expectativa da próxima reunião de política monetária. Nos EUA, a inflação ao produtor e indicadores de atividade de outubro são destaque. Na Europa a prévia de dados de emprego e PIB do terceiro trimestre, assim como a inflação do consumidor, serão chave.

No Brasil, o destaque segue sendo a transição de governo e notícias relacionadas ao arcabouço fiscal. No campo de dados econômicos, o destaque será o IBC-Br, proxy do PIB para o mês de setembro.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.