XP Expert

Nova projeção para o IPCA de 2023 e PIB dos EUA acima das expectativas em foco

Revisão de projeção para o IPCA 2023 da XP e PIB americano são alguns dos temas de maior destaque nesta sexta-feira, 27/10/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +1.73% | 114.777 Pontos

CÂMBIO -0,14% | 4,99/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

O Ibovespa fechou a quinta-feira em forte alta de 1,7%, aos 114.777 pontos. O mercado se animou com a divulgação de um número dentro do esperado para o IPCA-15, que aumentou a probabilidade de mais um corte de 0,5% na Selic para a próxima reunião do Copom na semana que vem. Destaque para a Vale (VALE3), que surpreendeu o mercado com a divulgação do pagamento de dividendos extraordinários e programa de recompras, subindo 2,1% no pregão. Nos resultados dessa sexta-feira, Grendene (GRND3) e Usiminas (USIM5) reportam seus balanços.

XPInc CTA

Confira todos os resultados do 3º trimestre de 2023

Renda Fixa

As taxas futuras de juros fecharam em queda ao longo de toda a estrutura a termo da curva, apresentando mais intensidade nos vértices de médio e de longo prazo. A surpresa positiva sobre a inflação no Brasil e a queda das taxas dos títulos do Tesouro americano (Treasuries) guiaram o movimento do mercado doméstico. DI jan/25 fechou em 10,805 (-12bps); DI jan/26 em 10,59 (-21bps); DI jan/27 em 10,755 (-24bps); DI jan/29 em 11,17 (-27bps).

Mercados globais

Nos Estados Unidos, os futuros apresentam alta nesta sexta-feira (S&P 500: 0,5%; Nasdaq 100: 0,9%), impulsionados pela reação positiva do mercado à conferência de resultados da Amazon que reportou dados do terceiro trimestre ontem após o fechamento do mercado. As ações da companhia sobem 6,3% nas negociações pré-mercado. Hoje, as petroleiras Exxon, Chevron e Equinor são algumas das empresas a divulgarem resultados pela manhã. Do lado dos dados econômicos, a inflação medida pelo deflator PCE será destaque.

Na Europa, os mercados operam em mistos, com o índice pan-europeu em leve queda (Stoxx 600: -0,1%) após manutenção de juros pelo ECB e com a atenção voltada para os resultados locais. Na China, os mercados fecharam em forte alta (CSI 300: 1,4%; HSI: 2,1%), em recuperação após sequência de quedas. A mídia chinesa noticiou o falecimento de Li Keqiang, ex-primeiro ministro e de segmento opositor a Xi Jinping. 

Economia

No Brasil, o IPCA-15 veio em linha com as expectativas, mas com abertura benigna. A XP reduziu a projeção para o IPCA de 2023 de 4,8% para 4,5%. Na agenda de hoje, teremos a divulgação do resultado primário do governo central pelo Tesouro Nacional.

Na seara internacional, o PIB americano veio acima das expectativas e hoje teremos a divulgação do deflator do PCE, o indicador de preços mais relevante para a condução de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA).

Veja todos os detalhes

Economia

No Brasil, o IPCA-15 trouxe abertura benigna e XP reduz projeção de inflação para 4,5% em 2023; na seara internacional, foco será a divulgação do deflator do PCE nos Estados Unidos

  • No Brasil, o IPCA-15 de outubro veio levemente acima do esperado, em 0,21% m/m (exp. 0,20%; XP: 0,17%), mas com abertura benigna. Destaque para a medida serviços subjacentes, que avançou 0,14%, abaixo do piso das expectativas de mercado. Diante das surpresas benignas de curto prazo e pela redução nos preços da gasolina pela Petrobras, a XP reduziu sua projeção para o IPCA de 2023 de 4,8% para 4,5%. Para 2024, nossa projeção se mantém em 3,9% com viés de baixa;
  • Na agenda doméstica, teremos a divulgação do resultado primário do governo central de setembro pelo Tesouro Nacional às 9:30. A mediana das expectativas de mercado mostra superávit de R$ 11 bi, enquanto a XP projeta R$ 13,7 bi;
  • Nos Estados Unidos, a primeira leitura do PIB avançou 4,9% em termos anualizados, acima da expectativa de mercado de 4,5%. A métrica de consumo pessoal veio em linha com as expectativas de 4,0%, enquanto o seu deflator registrou avanço de 2,4% (exp. 2,5%), a menor variação desde o 4T20. A despeito da surpresa altista de atividade, não acreditamos que os dados alterem as perspectivas de política monetária nos Estados Unidos. Dado o aumento significativo das taxas de juros dos títulos públicos desde a última reunião, a decisão mais prudente deve ser manter as taxas inalteradas – um cenário que os mercados atribuem uma probabilidade de 98%;
  • O Banco Central Europeu (ECB, no acrônimo em inglês) manteve as taxas de referência estáveis após dez altas consecutivas. Embora os dados de inflação não tenham melhorado conforme o esperado, a atividade econômica fraca da região tem sido decisiva para a manutenção dos juros no atual patamar. Desse modo, é esperado que os juros se mantenham no patamar restritivo atual por mais tempo até que a inflação convirja à meta;
  • Hoje teremos a divulgação do deflator do PCE de setembro nos Estados Unidos, o índice de preços de consumo pessoal, medida de maior atenção do Fed. Tanto para o índice cheio quanto para o núcleo, que exclui itens mais voláteis, a expectativa é de avanço de 0,3% m/m.

Empresas

Rumo (RAIL3): Rumo indica possível reequilíbrio na Malha Paulista

  • A Rumo anunciou negociações avançadas para reequilibrar as obrigações de investimentos da Malha Paulista como parte de uma proposta de acordo consensual com o poder concedente;
  • Ainda pendente de aprovação integral do TCU (Tribunal de Contas da União), a proposta envolve melhorias nas obrigações de investimento da Rumo em troca de um reequilíbrio econômico estimado em ~R$ 1,17 bilhão (dos quais R$ 500 milhões são na forma de investimentos ferroviários);
  • Consideramos a proposta de acordo favorável para todas as partes envolvidas, pois:
    • Melhora a eficiência dos investimentos da Rumo, permitindo a maximização da capacidade (ao mesmo tempo que mitiga o risco regulatório e o excesso de estoque);
    • Contribui para a estabilidade jurídica e regulatória através de uma solução consensual;
  • Reiteramos nossa visão positiva sobre a Rumo;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

JBS (JBSS3): Prévia do 3T23 – melhor, mas não empolgante

  • Projetamos que a JBS reportará melhores resultados sequencialmente, com destaque para as operações de Aves e Suínos, tanto nos EUA quanto no Brasil. Do lado negativo, esperamos que a JBS Brasil e Austrália caiam no trimestre, enquanto modelamos a operação de carne bovina dos EUA melhorando marginalmente no trimestre;
  • No geral, projetamos receita líquida de R$ 90,8 bilhões (+3% t/t) e EBITDA ajustado de R$ 5,2 bilhões (+18% t/t), com lucro ainda em queda a/a;
  • A demanda dos investidores pela tese de investimento da JBS está aumentando, mas nossa estimativa de melhora nos lucros da Companhia não deve ser suficiente para desencadear uma reação positiva no preço das ações, em nossa opinião, já que o ritmo de recuperação nas unidades de negócios da Companhia ainda não está claro, além da incerteza quanto à dupla listagem e alavancagem;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Bradesco (BBDC4): A inadimplência pode salvar o trimestre?

  • Ontem (25) o Santander divulgou seus resultados do 3T23, superando as nossas expectativas e também do mercado;
  • Um dos principais destaques foi a melhoria na inadimplência da carteira de crédito (NPL), o que levou a uma melhoria no custo do risco e, consequentemente, no lucro líquido. A inadimplência tem sido um tema importante no setor bancário, especialmente nos últimos 18 a 24 meses, impactando toda a dinâmica da indústria;
  • Espera-se que os bancos que enfrentaram mais desafios nos últimos trimestres (principalmente Bradesco e Santander) se beneficiem mais significativamente à medida que esse indicador se estabiliza;
  • Nesse sentido, alguns investidores começaram a analisar os potenciais resultados do Bradesco para o 3T23 através da leitura dos números do Santander (SANB11);
  • Tendo isso em vista, realizamos uma análise de sensibilidade, assumindo que todas as outras variáveis permanecem constantes, para avaliar o impacto das mudanças no NPL, no custo do risco e no lucro líquido esperado de R$ 4,6 bilhões para o 3T23;
  • No entanto, reafirmamos nossas estimativas apresentadas no relatório anterior;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Copasa (CSMG3): Resultados do 2T23 – Despesas operacionais prejudicam o EBITDA

  • A Copasa reportou um EBITDA ajustado abaixo das nossas expectativas devido aos custos gerenciáveis +4% acima do esperado. Apesar dos resultados terem ficado abaixo das nossas expectativas, foram fortes na comparação anual, com o volume faturado aumentando +3,4% A/A para água e +3,8%A/A para esgoto, bem como a tarifa média +15,7% A/A;
  • Os números reportados, no entanto, foram mais fortes do que as expectativas devido a uma reversão das provisões trabalhistas (não recorrente);
  • Dito isso, temos uma avaliação um pouco negativa do resultado da Copasa no 3T23;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Varejo XP | Roadshow: No modo ‘esperar para ver’

  • Passamos os últimos dois dias no Rio de Janeiro conversando com investidores sobre o setor. No geral, o sentimento permanece cauteloso e o posicionamento leve, enquanto as discussões fiscais continuam a ser um dos principais temas nas conversas;
  • Em termos de posicionamento, SMFT destacou-se como o nome mais consensual, enquanto ARZZ, SOMA, PETZ, varejo alimentar e e-commerce foram os nomes/segmentos mais discutidos;
  • Na nossa opinião, os investidores estão no modo “esperar para ver”, dadas as preocupações sobre o quarto trimestre num ambiente de consumo ainda fraco e uma mais uma possível revisão de lucros no futuro, juntamente à retomada dos riscos fiscais devido ao projeto de lei das subvenções de ICMS;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Petrobras (PETR4) | Relatório de Produção e Vendas + Prévia Financeira 3T23

  • Hoje a Petrobras divulgou seu Relatório de Produção e Vendas do 3T23, e seus números vieram em linha;
  • A produção de petróleo do Brasil ficou 3% acima da expectativa da XP, a produção de derivados ficou -1% ante nossas estimativas, e as vendas internas de derivados ficaram 5% abaixo da expectativa da XP;
  • A produção brasileira de Petróleo aumentou 10% T/T, a produção de derivados aumentou 1% T/T e 4% A/A, e as vendas de todos os produtos vieram +9% T/T;
  • Também divulgamos nossas estimativas para os resultados financeiros da Petrobras no 3T23: esperamos um trimestre sólido para a companhia, com EBITDA ajustado de US$ 14,4 bilhões (+26% T/T);
  • Nossa estimativa de FCO menos CAPEX é de USD 9,6 bilhões e, portanto, nossa previsão de pagamentos mínimos de dividendos (45%) é de ~USD 4,3 bilhões (~R$ 1,6/ação ou ~ 4,5% de yield sobre PETR4);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Multiplan (MULT3): Crescimento real do SSR impulsionado pelo desempenho robusto das vendas

  • A Multiplan registrou resultados mais fortes do que o esperado no 3T23;
  • Operacionalmente, destacamos que as vendas dos lojistas aumentaram 8,1% A/A no trimestre e +5,7% A/A em outubro;
  • Os níveis de ocupação aumentaram para 96,1% (+74bps T/T) e o aluguel nas mesmas lojas (SSR) aumentou 4,3% A/A acima do efeito do ajuste do IGP-DI (2,6% no 3T23), ajudando a receita de locação (+4% A/A);
  • A receita líquida aumentou (+12% A/A), também ajudada por maiores receitas de estacionamento (+15% A/A);
  • Custos de propriedade significativamente menores (-37% A/A) impulsionaram o EBITDA (+21% A/A) e levaram a uma aceleração do FFO (+27% A/A), apoiando outro trimestre de desalavancagem (Dívida Líquida/EBITDA em 1,32x no 3T23 vs. 1,72x no 1T23), o que deve abrir espaço para a MULT acelerar os planos de expansão;
  • Dito isso, reiteramos a Multiplan como nossa principal escolha no setor, com uma recomendação de compra e preço-alvo de de R$ 33,00/ação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Hypera (HYPE3) – 3T23: Resultados em linha com nossas estimativas; geração de caixa e guidance foram destaques

  • A Hypera reportou resultados neutros no 3T23, com lucro líquido de R$ 500M;
    • A receita líquida aumentou 5,0% A/A, impactada negativamente pela dinâmica desfavorável dos medicamentos antigripais, mas influenciada positivamente por outros fluxos de varejo e vendas no mercado institucional;
    • A margem EBITDA aumentou 1,6 p.p. A/A devido a menores despesas de marketing mais do que compensando maiores despesas comerciais e de P&D em relação à receita, além de um mix pior;
    • O resultado foi parcialmente consumido pelas despesas com juros, que aumentaram A/A devido ao maior endividamento líquido;
    • A conversão de caixa operacional ficou acima de 90%, enquanto o fluxo de caixa livre atingiu 56% do EBITDA;
    • A empresa também afirmou que poderá entregar cerca de 95% de seu guidance para 2023E.
  • Vimos um trimestre difícil para a Hypera, mas destacamos que ela manteve uma alta geração de caixa e está a caminho de entregar números próximos ao guidance para 2023E;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Suzano (SUZB3) | Resultados do 3T23: Resultados decentes em celulose em meio a um trimestre desafiador; Novos investimentos anunciados

  • Hoje (26), a Suzano reportou resultados melhores que o esperado:
  • EBITDA de R$ 3,7 bilhões -6% T/T e -57% A/A (+22% XPe), -6% T/T e -57% A/A (+22% XPe e +11% vs. consenso), implicando em margem EBITDA de 41,3% (-1 p.p. T/T). Os principais destaques são:
    • Menores preços de celulose (-5% T/T em USD) e volumes (-1% T/T), embora refletindo uma combinação de receita melhor que o esperado, levando a resultados mais resilientes em meio a um trimestre desafiador para a indústria de celulose; e
    • Menores custos caixa de celulose por tonelada (ex-manutenção, -7% T/T), implicando uma perspectiva sólida para o 4T23E uma vez que os preços de celulose refletem os aumentos já anunciados.
  • A Suzano também anunciou três novos investimentos: uma fábrica de papel tissue e uma nova caldeira de biomassa na fábrica de celulose em Aracruz e uma nova unidade de fluff em Limeira (capex de R$ 1,1 bilhão [ex-créditos fiscais de ICMS]);
  • Reiteramos nossa visão positiva para as ações de papel e celulose, e da Suzano como nossa top pick;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Santos Brasil (STBP3): Tese de investimento permanece forte, apesar de alguns contratempos

  • Estamos atualizando nossas estimativas para Santos Brasil;
  • Reiteramos nossa visão positiva sobre a ação, baseada em:
    • Dinâmica positiva de oferta/demanda no Porto de Santos;
    • Resultados consistentes refletidos na forte remuneração dos acionistas (8,0% de rendimento de dividendos para 2024);
    • Valuation barato (EV/EBITDA 2024E 7,5x, abaixo dos níveis históricos – 15,5% de TIR real).
  • Apesar do sólido cenário de investimento, notamos uma recente deterioração nos resultados de curto prazo, impulsionada principalmente por volumes globais mais fracos, resultando em estimativas abaixo do guidance/consenso para 2023;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Vale (VALE3) | Resultados do 3T23: Anúncio de dividendos como principal destaque em meio a resultados neutros

  • Hoje (26), a Vale reportou resultados neutros no 3T23. Destacamos:
  • EBITDA Aj. pró-forma foi de US$ 4,5 bilhões -1% vs. XPe e -4% vs. consenso (+8% T/T);
  • Com os números operacionais já divulgados, destacamos as soluções de minério de ferro como destaque positivo (EBITDA ajustado +13% T/T), com custo caixa C1/t melhorando 7% T/T e, em nossa visão, mitigando parte das preocupações dos investidores no não cumprimento do guidance para o ano de 2023 de US$ 21,5-22,5/t (embora esperemos que esteja mais próximo do topo do guidance);
  • Além disso, a Vale também anunciou dividendos de US$ 2,0 bilhões (a serem pagos em 1º de dezembro de 2023), o que acreditamos refletir a confiança da empresa na geração de caixa e na conclusão da transação da Vale Metais Básicos no curto prazo;
  • Reiteramos nossa recomendação Neutra para a Vale;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Bancarização avança, mas uso de conta é limitado (Valor);
    • Pix leva a explosão em transações bancárias desde 2021, e também aumenta fraudes, diz Febraban (Broadcast);
    • Rotativo do cartão: bancos dizem que proposta do BC não resolve e limite do parcelado é simbólico (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Anatel mantém proibição à Vivo de ran sharing no 5G na aprovação do acordo com Winity (telesintese);
    • Tarifa do telefone fixo da Oi vai ficar 11% mais barata (telesintese);
    • Amazon corta custos, foca no comércio on-line e lucra US$ 9 bi  (Valor);
    • Intel supera expectativas para lucro e receita no 3º trimestre e ação dispara (Valor);
    • Clique Aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Lira diz que tributação dos incentivos fiscais do ICMS é próxima matéria a ser discutida na Câmara (Estadão);
    • Trava para carga tributária não garante que não haverá aumento de imposto, diz FecomercioSP (Estadão);
    • Black Friday e festas de fim de ano não animam comércio, revela CNC (Diário de Pernambuco);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Bebidas
      • Vendas do Grupo Heineken caem no mundo, mas Amstel cresce 40% no Brasil (Guia da Cerveja);
    • Alimentos
      • Na Seara, duas inaugurações (com R$ 1 bilhão no meio) (NeoFeed);
      • Bulgária relata surto de gripe aviária em fazenda comercial de produção de ovos (Agrimidia);
    • Agro
      • Ukraine says its Black Sea grain corridor is working (Reuters);
      • BrasilAgro prefere pagar dividendos a comprar terras, mas isso não deve se repetir (AgFeed);
    • Biocombustíveis
      • Preço do carbono ainda não justifica SAF de etanol no Brasil, diz CEO da GranBio (NovaCana);
      • Petrobras e Equinor veem oportunidades na captura de carbono a partir de biocombustíveis (NovaCana);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Saúde: XP Daily | Sua dose diária de notícias
    • MS Apresenta o Maior Crescimento Percentual de Beneficiários com Planos(Medicina S/A);
    • MPF e MPTCU Atestam Cumprimento dos Prazos da Finalização da Fábrica da Hemobrás (Ministério da Saúde);
    • Panorama – Saúde Suplementar: ANS Divulga Dados até Julho de 2023 (ANS);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • Setores de minério e petróleo reagem a ‘imposto do pecado’: ‘vai afetar todos os consumidores’ (Estado de S. Paulo);
    • Confaz anuncia alta do ICMS para combustíveis a partir do ano que vem: Alíquota fixa do imposto sobre gasolina e etanol aumentará 12,5% e passará de R$ 1,22 para R$ 1,3721. (Estado de S. Paulo);
    • “Por que mexer no que está funcionando?” diz conselheiro da Petrobras; ele teme “outra class action”: Como conselheiro da Petrobras há sete anos, Marcelo Mesquita nunca teve papas na língua quando se trata de defender a companhia e o interesse dos acionistas minoritários que ele representa (Brazil Journal);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Agenda do dia: Inflação PCE nos Estados Unidos é destaque (Valor);
  • Agroindústria tem melhor mês de agosto em sete anos (Globo Rural);
  • Energisa e Bradesco assinam memorando para aporte de até R$ 2 bi em distribuidoras no Nordeste (Valor);
  • Moody’s Local atribui AA.br à Prati, Donaduzzi & Cia Ltda.; perspectiva estável (Moody’s Local);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Fundo imobiliário da XP fecha acordo com gigante dos transportes; Índice empilha mais derrotas (Money Times);
    • Dividendos de 127 FIIs podem ser tributados com PL das ‘offshores’ aprovado na Câmara; confira lista (InfoMoney);
    • CPTS11 divulga queda nos resultados de setembro; estratégia do FII será reciclagem de portfólio (FIIs);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

ESG

ArcelorMittal e EDP assinam acordo para avaliar uso de hidrogênio verde no aço | Café com ESG, 27/10

  • O mercado encerrou o pregão de quinta-feira em território positivo, com o IBOV e o ISE em alta de +1,72% e +2%, respectivamente;
  • Do lado das empresas, (i) a JBS reduziu as compras de gado de fazendas com irregularidades do ponto de vista ambiental, de acordo com dados divulgados ontem por promotores federais em sua última rodada de auditorias no Pará – o documento mostra que 6% das compras de gado auditadas pela JBS vieram de fazendas potencialmente incluídas numa lista por violações ambientais ou de direitos humanos vs. 17% e 32% nos ciclos de auditoria anteriores; e (ii) a ArcelorMittal e a EDP assinaram um memorando de entendimento para avaliar a viabilidade técnica e econômica de uma planta-piloto de produção de hidrogênio verde e seu uso no processo de fabricação de aço – o estudo de cooperação começou em agosto e a previsão é que o estudo seja concluído em um ano;
  • Na política, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, discutiu com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, a criação de novos mecanismos de financiamento para projetos de transição energética – segundo a proposta apresentada, nasceria um “fundo verde” gerido pelo BNDES, além de uma nova forma de transação tributária, condicionada a investimento em ações que diminuam os gases de efeito estufa;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG. 

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.