Guia de carteira de ações: saiba tudo sobre o assunto!

Entenda o que é uma carteira de ações, como diversificar, seus tipos e os primeiros passos para investir em renda variável.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Guia de carteira de ações: saiba tudo sobre o assunto!

Se você deseja aumentar seus ganhos, uma boa alternativa é aprender como investir em ações para diversificar sua carteira.

No contexto atual econômico, inclusive, a bolsa de valores está entre os melhores ativos para investir no Brasil.

Os juros mais baixos por mais tempo (a taxa básica de juros, a Taxa Selic, está no patamar abaixo do histórico no Brasil) e uma agenda de reformas (Reforma da Previdência aprovada no Senado e discussão sobre a Reforma Tributária) são os principais motivos para pensar na renda variável e bolsa como um de seus destinos de investimentos.

Mas, mesmo com este cenário, poucas pessoas ainda investem em ações porque acreditam ser um tipo de investimento bastante arriscado.

Nos últimos dois anos, no entanto, a bolsa de valores brasileira teve resultados importantes ​​e deve ser considerada uma alternativa para quem deseja investir pensando em longo prazo.

Por isso, preparamos este texto com as principais informações que você precisa saber para investir em ações sem medo e de forma prática e segura, como montar uma carteira de ações eficiente. Confira:

O que são ações?

As ações representam uma fração do capital social de uma empresa. Dessa maneira, ao comprar uma ação, o investidor se torna sócio do negócio, inclusive participando dos lucros e prejuízos, como qualquer empresário.

É importante entender que, ao comprar ações, não há garantias de rentabilidade. Justamente por isso muitas pessoas veem as ações como um investimento de risco, e não como oportunidades.

Tipos de ações

Na dúvida de como montar uma carteira de ações, se atente aos tipos de ações, entendendo seus modelos, vantagens e desvantagens. Esse tipo de atenção poderá diminuir a margem de erros e perdas.

Existem dois tipos básicos de ações:

Ações preferenciais (PN)

Ações preferenciais são as que dão preferência aos acionistas no pagamento de dividendos e também em caso de liquidação da empresa. Isso significa que, em caso de falência, os donos delas têm mais chance de recuperar seu investimento do que aqueles que possuem as ações ordinárias. Na bolsa, esses tipos de ações são identificadas com o final 4, como PETR4.

Ações ordinárias (ON)

Ações ordinárias são as que dão direito ao voto em assembleia para quem é acionista. Quanto maior a quantidade, maior o peso do voto. É possível identificar uma ação como ordinária quando seu código termina com 3.

Além desses tipos, as empresas podem emitir outras classes de ações como PNA, PNB, PNC, que se diferenciam em relação às outras classes de ações de acordo com critérios de distribuição de dividendos, restrição quanto à posse de ações, etc.

Também é possível encontrar as Units, que são “pacotes” com PNs e ONs em uma proporção específica, sendo identificadas com o final 11.

Caso seja seu primeiro contato com ações, verifique o conteúdo sobre os investimentos em ações para iniciantes.

Horários da Bolsa de Valores

Quer investir na bolsa? Então fique de olho no horário de abertura e fechamento de mercado para saber quando poderá fazer o investimento e, então, entender como montar uma carteira de ações será ainda mais interessante, principalmente no primeiro horário. Entenda o porquê:

  • 09h45 às 10h — pré-abertura do mercado, quando ocorre uma espécie de leilão que define o preço de abertura das ações.
  • 10h às 17h — negociação, quando acontecem as negociações e transações.
  • 16h55 às 17h — call de fechamento e leilão de algumas ações para determinar o preço de fechamento.
  • 17h30 às 18h — after market (é uma prorrogação).

Como ganhar dinheiro com uma carteira de ações

Para ganhar dinheiro, é preciso comprar a ação antes que outros investidores queiram comprá-la (esperando a sua valorização), e vendê-la antes que outros investidores resolvam vendê-la.

Por isso, é fundamental entender um pouco sobre o mercado financeiro e como montar sua carteira de ações adequadamente para evitar cair em armadilhas.

Por isso, opte por contratar uma corretora confiável, que poderá realizar uma assessoria de investimentos qualificada. Com os assessores da XP, por exemplo, o foco será o seu perfil de investimentos e seus objetivos de vida.

Por isso, se você é um investidor conservador, poderá ter uma exposição bem pequena ao risco no mercado de renda variável.

É possível então investir em empresas com perspectiva de crescimento no curto prazo para ganhos mais rápidos.

Já quem está de olho no longo prazo, deve optar por escolher empresas com bons fundamentos e que vão ter uma valorização contínua.

O que impulsiona o valor das ações?

O cenário de juros baixos no Brasil estimula quatro fatores que impulsionam o valor da ações. São eles:

  1. Maiores lucros de empresas na bolsa: um cenário de retomada de atividade econômica significa que os lucros das empresas podem superar as expectativas de analistas, seguindo o efeito da alavancagem operacional e de menores despesas financeiras.
  2. Espaço para menores taxas de juros: em um cenário de maior visibilidade do ponto de vista fiscal, também haverá espaço para a taxa de juros ficar menor por mais tempo. Isso devido ao cenário atual de inflação baixa, desemprego elevado e capacidade ociosa. A taxa Selic segue com seu menor registro na história do Brasil.
  3. Menor custo de capital: a evolução das reformas deve aumentar o apetite a risco de investidores na bolsa. Por exemplo: uma redução de 1% no custo de capital das empresas leva a um aumento de, em média, 12,5% no preço das ações.
  4. Maior alocação: em um cenário econômico mais otimista, o apetite a risco tende a aumentar, e com isso a alocação em bolsa pode crescer. Seja via entrada de capital estrangeiro ou via maior alocação dos fundos em bolsa.

Para entender ainda mais sobre como investir na bolsa, dê uma conferida no vídeo abaixo. É rápido e eficiente:

Primeiros passos para investir

Investir exige uma série de conhecimentos prévios. Trouxemos aqui os três primeiros e principais passos para isso. Confira:

1) Planejamento financeiro

Lembre-se que estamos falando de um investimento de risco. Não é recomendável que se aplique todo o dinheiro em ações. Assim, o ideal é diversificar os investimentos e aplicar somente uma pequena parte na bolsa, sempre considerando o seu perfil de investidor na hora de escolher este percentual.

2) Abra a conta em corretora

O próximo passo é abrir uma conta em uma plataforma de investimentos para comprar suas ações. Na XP, isso pode ser feito sem custos e 100% online.

3) Escolha as ações

Para ter um rendimento adequado, é preciso escolher as ações certas para o seu perfil. Por isso, mais abaixo, vamos te ensinar a como montar uma carteira de ações!

A XP oferece uma série de ferramentas para seus clientes que auxiliam na melhor escolha, como relatórios e carteiras recomendadas criadas pelo time de analistas.

Se você ainda não tem conta na XP, abra a sua aqui.

Como montar uma carteira de ações em 6 passos

Neste ponto, você já conhece várias dicas e estratégias para investir. Por isso, confira agora como montar uma carteira de ações em apenas 6 passos, tornando-a muito eficiente e sólida!

Existem duas formas de investir em ações aqui no Brasil.

  • De forma direta, isto é, o próprio investidor compra e vende as ações na Bolsa e é responsável por monitorar a sua própria carteira.
  • Ou via fundos de ações, nos quais você investe numa gestora especializada e, nesse caso, a própria equipe é responsável por comprar os papéis e também monitorar o portfólio.

Aqui na XP Investimentos você tem acesso a essas duas opções de investimento e você pode escolher de acordo com o seu conhecimento sobre ações e a sua disponibilidade de tempo.

É importante dizer que a gente está falando aqui sobre a porção da sua carteira de renda variável. O nosso time de Alocação publica mensalmente uma recomendação para diferentes perfis de investidor (buscando menos risco para os conservadores e maiores ganhos no curto prazo – porém mais expostos as volatilidades do mercado – para os investidores mais agressivos.

Caso você opte por investir diretamente em ações, como os brasileiros têm feito cada vez mais, seguem os 6 passos sobre como montar uma carteira de ações, incluindo se essa for a sua 1° carteira.

1) Tolerância ao risco

Primeiramente, mesmo fora do universo de renda variável, existem várias opções com riscos diferentes. Por exemplo, portfólios mais concentrados e ações mais voláteis oferecem mais riscos do que portfólios diversificados e ações menos voláteis.

Nesse passo você, por exemplo, poderia excluir as ações small caps, que têm menor liquidez.

2) Valor a ser investido

Esse passo é muito importante porque ele define a porcentagem de seu portfólio total que vai estar em ações. E, claro, aqui você estipula o número de papéis ou de ações que você vai conseguir comprar.

Lembrando que o lote padrão da B3 é composto de 100 ações. Ele evita que você acesse o mercado fracionário, no qual a liquidez é menor. Então se o papel ou ação custa 30 reais você terá que investir, no mínimo, 3 mil reais para acessar aquela ação.

3) Disposição para o longo prazo

As ações, em resumo, são o investimento ideal para o longo prazo. Estamos falando de cinco a dez anos. Ou seja, esse dinheiro não deve ser usado nos próximos meses ou até nos próximos anos. Para isso, já tenha uma reserva de emergência escondida na manga.

Claro que existem investidores que procuram auferir ganhos em ações no curto prazo, mas essa abordagem demanda maior disponibilidade de tempo e de estudos, maior acompanhamento do mercado e também uma maior tolerância a risco.

Na análise fundamentalista, acreditamos, em suma, que o valor das ações no médio e longo prazo reflete os resultados das empresas e também os retornos para os acionistas.

Na nossa visão, essa abordagem mitiga os riscos relacionados a notícias e também reduz o efeito manada que algumas ações produzem no mercado.

4) Diversificação

Uma das palavras mais usadas no universo de investimentos: diversificação. Com ações não é diferente, inclusive, é muito importante diversificar as empresas na Bolsa. Na nossa visão, com oito, dez ou mais ações você consegue mitigar os principais riscos específicos de uma empresa ou de um setor.

Então, é importante você ter na sua carteira papéis que são descorrelacionados e evitar, por exemplo, ter duas ações do mesmo setor, como dois bancos ou duas empresas de shopping.

Outra recomendação é colocar um componente global nessa carteira. Ou seja, mitigar os riscos que são relacionados especificamente ao Brasil. Duas ações muito usadas para causar esse efeito na carteira são, por exemplo, a Vale (VALE3) e a Suzano (SUZB3), que são exportadoras e têm grande parte das receitas fora do Brasil.

5) Escolher as ações

É importante levar em consideração nesse momento o risco de cada ação e também a sua liquidez. Lembrando que as ações mais negociadas fazem parte do índice Bovespa (Ibovespa). Portanto, vale a pena checar as empresas que estão neste momento no índice.

Muitos investidores gostam de usar casas de análise, como a própria XP Investimentos, para auxiliar na sua tomada de decisão e investimento em ações. E isso realmente é muito benéfico para escolher as ações, pois os especialistas estão de olho diariamente e conhecem, de fato, as empresas.

Uma outra abordagem do investidor, que pode levar mais tempo, é o estudo mais aprofundado das empresas do seu interesse para tomar suas decisões de investimento.

Por fim, é importante dizer que essas casas de análise produzem carteiras já prontas, de acordo com as estratégias de investimento

6) Acompanhe sua carteira de ações

Depois de montar sua carteira, o próximo e último passo é acompanhar as ações que você escolheu. Aqui, não existe regra predefinida. Assim, essa parte é considerada um processo bastante pessoal.

Olhar o preço de uma ação diariamente pode gerar ansiedade para o investidor iniciante e causar reações impulsivas. A ideia é você estar confortável em segurar por anos empresas que você confie e que veja um futuro bom aos negócios dessas companhias.

Então, encontre uma periodicidade que você se sinta bem. Talvez a cada 15 dias, uma vez por mês ou uma vez a cada três meses. Mesmo assim, é importante dizer que não se pode “largar” as ações, mesmo pensando a longo prazo.

As empresas podem sofrer algum tipo de choque, por diversos motivos, e isso pode afetar as ações. Por isso, é preciso ficar atento.

Ademais, atente-se aos balanços trimestrais que as empresas divulgam em seus sites, na parte de Relações com Investidores (RI). São com essas informações que os analistas e profissionais se baseiam para precificar e saber se a ação vale a pena.

Ficou alguma dúvida sobre como montar uma carteira de ações, então assista esse vídeo rápido. Aproveita e compartilhe com seus amigos que também desejam investir:

Como abrir conta na XP para investir na bolsa

Não há custos para abrir e manter uma conta na XP Investimentos, e nem para fazer retiradas via TED dos seus rendimentos. Você somente será cobrado de acordo com os custos inerentes à categoria do investimento que realizar.

O processo de abertura de conta é online e feito por meio do preenchimento de um cadastro. A validação dos dados informados ocorre de forma eletrônica e segura, o que elimina a necessidade de envio de documentos comprobatórios.

Assim que for finalizado e aprovado o cadastro, você receberá um e-mail com os dados de login e senha para acessar sua conta na XP.

Como usar o Home Broker da XP

O home broker é uma ferramenta online que permite mais facilidade e agilidade ao investidor.

O uso da plataforma da XP não tem custos e conta com múltiplos perfis de monitoramento e oportunidades de mercado vindas diretamente da área de análise da XP Investimentos.

Para usar o home broker, o investidor precisa fazer login na área de cliente do site do XP. O item correspondente à plataforma está localizado no canto superior da página.

Caso ainda tenha dúvidas, assista ao vídeo abaixo com o passo a passo para usar a plataforma.

Abra sua conta sem custos na XP e faça seu dinheiro render mais. Assim, você vai poder aproveitar as melhores oportunidades e entender como investir em ações e ter mais rentabilidade ao diversificar seus investimentos.

Além disso, confira nossos cursos na Xpeed. No curso A Grande Tacada você aprenderá como é possível multiplicar o capital investido em 3x, 5x, 10x ou mais em operações de curto prazo com risco controlado.

Você está na trilha:

Ações para iniciantes

Total relatórios

Aprenda Investir - Leitura recomendada

26 relatórios

Duração total

Aprenda Investir - Duração total

266 minutos de leitura



Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.