Guia completo: O que é Taxa Selic e qual seu rendimento

Aprenda tudo sobre a Selic: o que é a taxa Selic, como investir em alta e baixa, Selic Meta, Selic Over. Leia e saiba mais.


Compartilhar:


Entender o que é a taxa Selic e como ela afeta os seus investimentos é fundamental para todo e qualquer investidor.

Isso porque este índice tão falado no mercado financeiro acaba influenciando o comportamento também de outros indicadores, como o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) e o CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

Ao entender como funciona a Selic e como os altos e baixos influenciam o mercado, ficará mais fácil usar ela ao seu favor para poder ganhar mais dinheiro.

Preparamos este guia completo com tudo que você precisa saber sobre a taxa Selic e para aprender como investir com melhores rendimentos.

Vamos lá!

O que é Taxa Selic?

A Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira. Por isso, ela é usada no mercado interbancário para financiamento de operações diárias, com lastro em títulos públicos federais.

O significado da sigla é simples: Sistema Especial de Liquidação e Custódia. Trata-se de um sistema usado pelo governo (mais precisamente pelo Banco Central) para controlar emissão, compra e venda de títulos.

Diariamente, as instituições financeiras fazem o gerenciamento do caixa para que honrem seus compromissos. Os bancos que possuem um saldo positivo de caixa (captaram mais) emprestam dinheiro por 1 dia para os bancos que apresentam saldo negativo de caixa (emprestaram mais) e em contrapartida recebem títulos públicos como garantia. Essa operação é conhecida como fechamento de caixa.

A taxa de juros Selic é obtida a partir da média ponderada dos juros praticados nessas operações de empréstimos entre bancos que são lastreadas em títulos públicos e têm um dia útil de prazo. É calculada e divulgada diariamente pelo Sistema Especial de Liquidação e Custódia).

Muitos investidores acreditam que o COPOM¹ (Comitê de Política Monetária) dita a taxa Selic. No entanto, o Comitê determina a meta para a taxa Selic. A taxa Selic META é o principal instrumento adotado pelo Banco Central para conduzir a política econômica e controlar a inflação.

Essa taxa tem relação direta com a inflação, que é medida pelo IPCA, influenciando a economia brasileira como um todo.

Como funciona a taxa Selic?

A taxa Selic é o principal instrumento de política monetária do BC para controlar a inflação. Por isso, a equipe do Copom se reúne a cada 45 dias para decidir os rumos da taxa de juros para o período seguinte.

Os resultados da economia do Brasil e os movimentos dos mercados internacionais podem influenciar essa taxa, que em 2015 passou dos 14%.

Com esse parâmetro estabelecido, os bancos conseguem determinar qual será a taxa de juros dos empréstimos diários que eles fazem uns ao outros.

Por ser um índice importante, a Selic acaba afetando diversos tipos de investimentos que estão indexados a ela, principalmente os de renda fixa.

Taxa Selic Hoje

Para verificar qual a Taxa Selic atual, você pode acessar o site do Banco Central: Consultar no BCB.

O que é Selic Meta?

A Selic Meta é a principal taxa de juros da economia, sendo responsável por regular todas as outras taxas do país

Quando a Selic Meta sobe, isso significa que aumentou o custo do dinheiro, o que desestimula os investimentos e influencia de forma negativa na geração de empregos e outros parâmetros econômicos.

Sempre que se fala então sobre queda da Selic, referimos à Taxa Meta, que é definida nas reuniões periódicas do Copom.

O que é Selic Over?

A taxa Over é a média ponderada de todas as operações feitas no Sistema Selic com lastro (garantia) em títulos públicos federais com prazo de 1 dia.

O termo vem do inglês Overnight (durante a noite, em tradução livre).

No caso de operações feitas com a garantia nos títulos públicos federais, é criada essa taxa conhecida como Over.

Essa Selic Over, portanto, influencia diretamente na determinação do valor do CDI.

Taxa Selic e a Inflação

Como já foi dito, os dois índices sofrem influência mútua e inversamente proporcional.

Assim como o CDI, a inflação medida pelo IPCA serve como indexador da rentabilidade de alguns investimentos de renda fixa, como o Tesouro Direto.

De forma geral, o IPCA é pago junto com uma taxa que faz com que exista um ganho real sobre a inflação.

Então, quando a taxa Selic cai, a inflação sobe (e os seus rendimentos também aumentam).

Inclusive, o Banco Central costuma usar a Selic como mecanismo para controlar a inflação e mexer no consumo das famílias.

Como a Selic influencia seus investimentos

Quando existe queda da Selic, significa que o Banco Central quer estimular o consumo e reduzir o valor do crédito.

Desta forma, as pessoas buscam mais por empréstimos e fazem a circulação de dinheiro aumentar.

Já a inflação acaba sofrendo o efeito contrário e tende a aumentar quando a Selic cai.

Para as empresas, a Selic baixa faz com que o endividamento caia e a capacidade de desenvolvimento suba.

No caso dos investidores, o corte de juros acaba afetando diretamente o rendimento de investimentos de renda fixa, como o Tesouro Direto.

Mas, por outro lado, acaba significando uma grande oportunidade de ganhos na renda variável.

No caso do Tesouro, por exemplo, o título que mais é influenciado por esses movimentos é o Tesouro Selic, que tem um rendimento semelhante ao comportamento do índice.

Outra aplicação que sofre efeitos negativos imediatos com uma queda da taxa Selic é a poupança, que em momentos de taxa abaixo de 8,5% ao ano acaba rendendo 70% dela.

Ou seja, quanto mais a Selic cai, menos ainda rende a poupança. Mais um motivo para que ela deixe de ser considerada um investimento.

CDI x Selic

Como falamos, o CDI é o Certificado de Depósito Interbancário. Por ser um título privado, ele é emitido e usado somente entre os bancos nos empréstimos de curtíssimo prazo.

Seu valor é definido com base nos juros praticados, tendo uma relação direta com a taxa Selic.

Na prática, os empréstimos são feitos considerando-se a Selic e recebidos de acordo com o CDI. A semelhança de seus comportamentos é justamente para não criar disparidades de lucratividade ou prejuízos.

Onde investir com a Selic alta

Seguindo a lógica inversamente proporcional, quando a Selic está em alta, os investimentos de renda fixa acabam se destacando frente aos de renda variável.

Como foi possível ver em 2015, quando a Selic chegou a bater os 14,25% ao ano, os títulos do Tesouro Direto, principalmente o Tesouro Selic, eram excelentes alternativas de rentabilidade e segurança.

Onde investir com a Selic baixa

Diante de um cenário de taxas de juros baixas, a opção mais segura para garantir rentabilidades acima da taxa Selic é optar por investimentos que façam pagamento acima de 100% do CDI.

Neste caso, é preciso ter muita atenção aos investimentos disponíveis, já que é preciso ter certeza que os riscos envolvidos não estejam fora do seu perfil de investidor.

Afinal, no mundo dos investimentos a regra é simples: quanto maior o risco, maior tende a ser o retorno.

Ou seja: se você quer investir em opções mais rentáveis que a renda fixa, é preciso correr mais riscos.

Quais Empresas e Setores se Beneficiam no cenário de Juros baixo

Uma pergunta que temos recebido é como o tema de juros baixos por mais tempo impacta os investimentos na Bolsa. Por isso, para explicar quais setores e empresas tendem a se beneficiar desse cenário, preparamos este conteúdo especial.

No geral, o principal impacto é a redução no custo de dívida das companhias. E, para mensurar esse efeito, é preciso analisar: (1) a parcela da dívida cujo custo é atrelado à Selic; e (2) o patamar de endividamento, que pode ser medido pelo indicador “Dívida Líquida em relação ao EBITDA”.

Por ordem de grandeza, os setores da nossa cobertura mais beneficiados são locação de veículos, shoppings, elétrico e varejo. Por outro lado, vemos impacto reduzido para os setores de mineração e siderurgia, papel e celulose e alimentos e bebidas.

Conclusão

Agora que você já sabe o que é a taxa Selic e como ela influencia diretamente os seus investimentos, é importante usar essa informação para investir melhor.

Como muitos investimentos estão diretamente ligados à variação da taxa Selic, é essencial que você acompanhe a evolução deste índice para ter sempre controle sobre os rendimentos do seu dinheiro.

Em tempos de juros mais baixos, portanto, os investimentos de renda fixa acabam sofrendo bastante perda de rentabilidade. A renda variável, pelo contrário, acaba se tornando mais atrativa.

Uma dica interessante é sempre escolher aplicações feitas por bons emissores e que paguem sempre mais do que 100% do CDI.

Na plataforma da XP é possível encontrar os melhores investimentos para fazer o dinheiro render, independente do cenário. Abra sua conta para aproveitar as oportunidades.

Sabendo o que é a taxa Selic e como ela pode ser usada a seu favor, a tendência é que a sua rentabilidade aumente.

Quer entender ainda mais sobre economia? Conheça o curso “Cenários e investimentos: macroeconomia para investidores“. Aprenda sobre os impactos das políticas econômicas do país na sua estratégia de investimentos e descubra como variáveis como inflação, taxa de juros e PIB podem impactar seus rendimentos.

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Receba nosso conteúdo por email

Seja informado em primeira mão, não perca nenhuma novidade e tome as melhores decisões de investimentos

Corretora Home Broker Autorregulação Anbima - Ofertas Públicas Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Certificação B3

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.