XP Expert

Superquarta, IPCA de novembro e dados de inflação nos EUA na agenda da semana

Resultado de Oracle e espera por decisões de juros são alguns dos temas de maior destaque nesta segunda-feira, 11/12/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Áudio disponível em breve.


IBOVESPA +0,86% | 127.094 Pontos

CÂMBIO +0,37% | 4,93/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

O Ibovespa fechou a semana passada com um desempenho negativo de 0,9%, em 127.094 pontos. O índice foi impactado por dados econômicos internos e externos, além de movimentações da curva de juros. Clique aqui para acessar nosso resumo semanal da Bolsa.

Renda Fixa

Ao final da semana, a curva de juros encerrou em estabilidade nos vértices curtos e com singela alta nos prazos médio e longos. O diferencial entre os contratos com vencimento em janeiro 2025 e 2033 saiu de 54,3 pontos-base na sexta-feira anterior para 55,5 pontos na última semana. A curva, portanto, voltou a ganhar inclinação, impactada, principalmente, pelo aumento da aversão a risco no mercado global e pela alta relevante dos rendimentos (yields) dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos (Treasuries). DI jan/24 fechou em 10,35% (6,5bps no comparativo semanal); DI jan/25 em 10,11% (9bps); DI jan/27 em 10,53% (6,4bps); DI jan/33 em 10,9% (7,7bps); DI jan/37 em 10,93% (3,9bps).

Mercados globais

Nos Estados Unidos, os futuros operam em alta nesta segunda-feira (S&P 500: 0,1%; Nasdaq 100: 0,3%) no aguardo da última reunião do FOMC (conselho de política monetária do Federal Reserve) de 2023. A expectativa é que os juros sejam mantidos no patamar entre 5,25%-5,5%.

Na China, os índices fecharam mistos (CSI 300: 0,6%; HSI: -0,8%), após dados terem mostrado pressões deflacionárias persistentes, impulsionadas pela fraca demanda interna. Na Europa, os mercados operam mistos, com índice pan-europeu de lado (Stoxx 600: 0,0%). 

Economia

No Brasil, teremos Copom na quarta-feira como o grande destaque da semana. Na agenda de indicadores, destaques ao IPCA de novembro e diversos dados de atividade econômica, como a Pesquisa Mensal do Comércio e a Pesquisa Mensal de Serviços. Além disso, o Congresso terá agenda movimentada.

Na seara internacional, teremos decisão de juros nos Estados Unidos, Europa e Reino Unido, além de dados de inflação nos Estados Unidos, de atividade na China e PMIs nos países desenvolvidos.

Veja todos os detalhes

Economia

Semana de super quarta-feira e relevantes indicadores

No Brasil, nesta semana teremos a divulgação do IPCA de novembro na 3ª feira. Esperamos variação mensal de 0,26%, fruto de quedas de bens industriais por conta da Black Friday e da gasolina, após reajustes da Petrobras. Do lado de serviços, esperamos alta moderada, corroborando cenário benigno de desinflação no curto prazo. Na 4ª feira, teremos o principal evento econômico da semana: a decisão da taxa Selic pelo Copom. Esperamos corte de 0,50 p.p. para esta reunião para 11,75%.

Além disso, destaque para a divulgação de indicadores de atividade econômica referentes a outubro. A Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) deve mostrar expansão das vendas varejistas, em linha com o alívio na inflação de curto prazo – sobretudo de alimentos e combustíveis – e aumento da massa de renda disponível. Por sua vez, acreditamos que a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) registrará virtual estabilidade no mês, com sinais mistos entre os segmentos. Por fim, estimamos elevação tímida para a proxy mensal do PIB calculada pelo Banco Central (IBC-Br), confirmando o cenário de desaceleração da atividade doméstica no período recente.

Na pauta fiscal, semana cheia no Congresso, com destaque para o projeto que altera a tributação das subvenções de ICMS, principal aposta do Ministério da Fazenda para elevar a arrecadação a partir do ano que vem. Além disso, estão na pauta a tributação de apostas online, a lei de diretrizes orçamentárias (LDO) de 2024 e os vetos ao arcabouço fiscal e à desoneração da folha.

Na China, a inflação ao consumidor desacelerou para -0,5% a/a em novembro. Trata-se de mais um indício de fraqueza da economia chinesa. Enquanto isso, o índice de preços ao produtor (PPI) caiu 3% em doze meses, ante -2,6% em outubro.

A agenda internacional desta semana será recheada de eventos importantes. Na 3ª-feira, destaque para o índice de preços ao consumidor (CPI) dos Estados Unidos referente a outubro. Na 4ª-feira, serão divulgados os dados para a inflação (PPI) ao produtor de novembro nos Estados Unidos. No mesmo dia, teremos o principal evento da semana – a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA). Nesta reunião, haverá também a atualização das projeções macroeconômicas dos membros do comitê de política monetária do Fed (FOMC, sigla em inglês). Na 5ª-feira, será a vez do Banco Central Europeu anunciar sua decisão de política monetária para a zona do euro e do Banco da Inglaterra para o Reino Unido. A expectativa é que os três bancos centrais mantenham as suas taxas de juros de referência inalteradas. No mesmo dia, também serão divulgados os dados de atividade na China, incluindo produção industrial, vendas no varejo e o relatório de emprego – estes indicadores são referentes a novembro. Na 6ª-feira, destaque para as leituras preliminares dos índices PMI referentes a dezembro nos Estados Unidos, zona do euro e Reino Unido. O índice PMI reflete uma sondagem com empresários sobre as condições econômicas e de negócios nos países. Por último, os dados de produção industrial de novembro nos EUA serão anunciados.


Empresas

WEG (WEGE3): Agenda de investimentos robusta para apoiar crescimento

  • A WEG realizou na última sexta-feira seu Investor Day 2023, em sua sede em Jaraguá do Sul (SC);
  • A empresa continua buscando uma taxa de crescimento orgânico de dois dígitos no futuro (embora vejamos como desafiador no curto prazo), apoiada por:
    • (i) uma agenda de investimentos robusta (como ilustrado pelo expressivo capex para aumentar a capacidade de produção de T&D); assim como
    • (ii) desenvolvimento de novos produtos, seguindo tendências de mercado (como oportunidades em mobilidade elétrica e T&D, que a empresa enfatizou durante o evento).
  • Vemos com bons olhos os detalhes fornecidos pela WEG sobre sua estratégia de internacionalização (fortalecida pela aquisição da Regal), assim como o anúncio (inesperado) de  um plano de sucessão;
  • Mantemos nossa recomendação Neutra por conta dos níveis atuais de valuation;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Tenda (TEND3) | Insights do Tenda Day 2023

  • As principais conclusões foram:
    • Novas diretrizes operacionais foram reveladas, com foco na geração de caixa;
    • A Tenda deve se beneficiar das atualizações não implementadas do MCMV “FGTS Futuro” e RET 1, dada a sua grande exposição ao Faixa 1 do programa habitacional MCMV;
    • As primeiras aquisições de unidades no programa Pode Entrar devem ocorrer entre dezembro/23 e o final do 1T24;
    • Os programas habitacionais regionais podem ser importantes em 2024 (com a aproximação das eleições), com destaque para a “Casa Paulista” em São Paulo;
    • A Alea deve ter um crescimento de lançamentos mais conservador em 24 e 25 para aumentar as margens (meta de margem bruta de novas vendas de ~25%-29% no 4T25);
  • Embora o Investor Day da Tenda não tenha trazido muitas novidades em relação a 2022, vemos com bons olhos as novas diretrizes da Tenda a abordagem mais conservadora da Alea em relação aos lançamentos em 2024-25, pois as vemos como fatores chaves para o processo de recuperação da rentabilidade da empresa;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

GPA (PCAR3): Possível Follow-on anunciado

  • Hoje, o GPA divulgou um fato relevante anunciando uma possível oferta primária de R$1bi, a ser utilizada para o pagamento de dívidas. Caso a oferta se concretize, estimamos uma potencial diluição de 50% para os acionistas que não participem, enquanto a alavancagem de 2024 cairia em 0,4x Dívida líquida / EBITDA (IFRS), para 2,5x;
  • Além disso, a companhia está indicando um novo conselho de administração, com a indicação de três novos membros independentes e um novo presidente do conselho;
  • No geral, apesar de valorizarmos o foco do GPA em melhorar sua estrutura de capital, enxergamos um momento desafiador para a oferta, devido ao cenário macroeconômico atual e a reestruturação da companhia. Mantemos nossa recomendação Neutra e preço-alvo de R$5,0/ação.
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Rumo (RAIL3): Tracker Mensal de Ferrovia – Dados de Volume de Novembro de 2023

  • A Rumo reportou volumes positivos em nov/23 (+10% A/A) de 6,6 bilhões de TKU, apoiados por uma forte safra de milho (volumes de milho +17% A/A);
  • Este mês apresentou um desempenho positivo de volume após outubro de 23 (+3% A/A) ter sido afetado por níveis de produtividade abaixo do ideal no Porto de Santos devido às fortes chuvas;
  • Em uma base LTM, o market share da Rumo caiu para 38% refletindo a fraqueza do 1T23 (vs. 44% em 2022 e 42% em 2021), com o Arco Norte aumentando para 36% (vs. 33% em 2022 e 31% em 2021) ;
  • Reiteramos nossa perspectiva positiva para as exportações de grãos do Centro-Oeste do Brasil e as perspectivas de preços da logística no médio prazo;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Banco do Brasil (BBAS3): Principais pontos do Non-Deal Roadshow

  • Durante esta semana, realizamos um non-deal Roadshow (NDR) com a equipe de Relações com Investidores do Banco do Brasil, Janaina Storti e Marcelo Alexandre, em SP, para discutir os resultados da empresa e as expectativas futuras. O NDR gerou grande interesse dos investidores, com todas as vagas disponíveis sendo preenchidas;
  • Entre os principais destaques das discussões estavam: i) as tendências da carteira de crédito para 2024, ii) a potencial desaceleração da rentabilidade, iii) a capacidade do banco de manter a eficiência em um ambiente de menor crescimento das receitas, e iv) os riscos relacionados ao Banco Patagônia na Argentina. Apesar de prevermos uma desaceleração nos resultados do banco no próximo ano, as conversas aumentaram nossa confiança de que o banco ainda será capaz de sustentar parte de sua dinâmica de ganhos e entregar resultados sólidos;
  • Portanto, reafirmamos nossa recomendação de Compra e preço-alvo de R$ 61,0/ação);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Data Expert | Análise do WASDE – Dez/23

  • Relatório baixista com principais destaques: (i) maiores importações globais e estoques aliviando redução na safra 23/24; (ii) USDA manteve previsão para safra de milho no Brasil, apesar de expectativas de redução; e (iii) a perspectiva global para o algodão continua baixista, mas maiores importações da China são um leve sinal altista;
  • Não podemos culpar investidores por preocupações com clima no Brasil, mas lembramos que estoques globais são elevados. Além disso, hoje o NOAA atualizou seu modelo ensemble indicando clima favorável para janeiro;
  • De modo geral, reiteramos nossa classificação Neutra para os produtores de grãos (SLC e BrasilAgro) e nossa visão de que preços saudáveis dos grãos devem beneficiar resultados dos processadores ao longo de 2024 (BRF, Seara/JBS e M. Dias Branco);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Elétricas e Saneamento: Entenda os efeitos das mudanças na regra do JCP

  • Neste relatório, mapeamos as empresas brasileiras do setor de energia e saneamento para entender sua exposição aos benefícios fiscais do JCP. Temos acompanhado um grande fluxo de notícias sobre os Juros sobre Capital Próprio (JCP), com debates em torno de regras mais flexíveis em vez de sua eliminação;
  • Nesse sentido, analisamos o potencial impacto no lucro líquido caso o JCP seja removido ou limitado a 50% do lucro líquido. Neste último cenário, não vemos um impacto significativo em nossa cobertura, pois a maioria das empresas do setor tem um payout de JCP inferior a 50% do lucro líquido;
  • Destacamos que isso não se aplicaria apenas a CPLE e CMIG, que têm a maior exposição ao JCP entre as empresas de energia e saneamento, em porcentagem do lucro líquido de 2022. Mesmo assim, sob as novas regras, o efeito é limitado nessas empresas;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

B3 (B3SA3): Anúncio do Guidance 2024 e renovação do programa de recompra de ações

  • A B3 anunciou em 7 de dezembro a renovação do seu programa de recompra de ações, para além do Guidance para 2024, reafirmando simultaneamente o Guidance atual para 2023. De um modo geral, o Guidance para o próximo ano estava mais ou menos em linha com as nossas estimativas para a B3. Consideramos os anúncios como neutros para a empresa;
  • Os volumes continuam a ser fracos, e o potencial fim do JCP poderia ter um impacto maior na B3 em comparação com outros nomes em nossa cobertura. Além disso, existe uma preocupação crescente com os novos operadores que podem intensificar a ameaça competitiva para a B3. Atualmente negociando a 14,4x P/E24, preferimos outros players do segmento de mercado de capitais no Brasil;
  • Como resultado, vemos os anúncios como neutros para a empresa e mantemos nossa visão conservadora para a ação. (Recomendação neutra preço-alvo de R$13,6/ação);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Impasse deve manter teto de juros no rotativo (Valor);
    • XP quer aumentar a 15% participação no mercado de investimentos, até 2026 (Valor);
    • Maquininhas de cartões rebatem acusação de bancos sobre parcelado sem juros ‘pirata’ (InfoMoney);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Sem dívida na Itália, Grupo TIM poderá voltar a crescer no Brasil, diz presidente (Valor);
    • Smartphones 5G representam 60% da receita de vendas da Allied (mobiletime);
    • Winity ameaça renunciar aos 700 MHz (telesintese);
    • WiFi 7: 41% das operadoras planejam lançar a tecnologia em 2024 (telesintese);
    • Clique Aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • BREAKING: GPA contrata bancos para follow-on de R$ 1 bi; propõe novo board: (Brazil Jorunal)
    • Com IPO próximo, Shein eleva em 60% a comissão no Brasil, de 10% para 16% (Valor);
    • Disputa na MP das Subvenções pode custar R$ 10 bi aos cofres do governo em 2024 (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Bebidas
      • Haddad se reúne com banqueiros e trata de JCP e impasse no rotativo dos cartões (Valor);
      • Do mundo virtual ao real, mas ainda não no Brasil: conheça a Heineken Silver (Guia da Cerveja);
    • Alimentos
      • Pork Prices Extend Plunge in Bad Deflationary Omen for Chinese Economy (Bloomberg);
      • Singapore Halts Poultry From Parts of Japan on Bird Flu: ST (Bloomberg);
    • Agro
      • Funds chip away at huge CBOT grain shorts amid demand-driven rally (Reuters);
      • Representações do agro argentino querem regras claras com Milei (Valor);
    • Biocombustíveis
      • ANP vai aprofundar estudos sobre concorrência no mercado de combustíveis (Nova Cana);
      • Comissão quer fixar repasse de receita com CBios para produtores de cana em 80% (Nova Cana);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Saúde: XP Daily | Sua dose diária de notícias
    • TJSP derruba reajuste imposto por plano de saúde coletivo SulAmerica (Valor Econômico);
    • Comissão de Defesa do Consumidor debate regulação do preço de remédios no Brasil (Câmara);
    • Decisões de TJSP reforçam entendimento contrário ao reembolso assistido (Jota);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • 3R Petroleum tem produção de 44,8 mil barris de óleo equivalente por dia em novembro (Valor Econômico);
    • Chefe da Opep pede que países membros rejeitem acordos sobre combustíveis fósseis na COP 28 (Valor Econômico);
    • Mina da Braskem cede sob a Lagoa Mundaú (Valor Econômico);
    • Petrolífera americana Chevron pode ter que limitar atividades na Venezuela;
    • Maduro recorre a Putin em meio à crise com Guiana e EUA;
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • XP Daily: As principais notícias do setor Imobiliário 
    • Construção revisa projeção de crescimento e deve fechar 2023 com queda de 0,5% (CBIC);
    • Brasileiros tiram R$ 3,3 bilhões da poupança em novembro (muito menos do que em outubro) (Valor)
    • Rio tem déficit de mais de 220 mil moradias (Extra Globo);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Estratégia

Perspectivas Globais: Da Resiliência à Cautela

  • Publicamos o Relatório Perspectivas Globais, com nossas visões para os principais mercados de renda variável ao redor do mundo;
  • Mantivemos a visão negativa para Estados Unidos, considerando cenário de cautela para 2024;
  • Muitas das razões que justificavam as visões mais pessimistas para 2023 seguirão presentes no novo ano, que não contará com os amortecedores que anularam seus efeitos no passado;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Central banks prepare to rebuff investors over path of interest rates (Financial Times);
  • Próximos passos do Copom para Selic dividem mercado (Valor);
  • Mina da Braskem cede sob a Lagoa Mundaú (Valor);
  • GPA contrata bancos para follow-on de R$ 1 bi; propõe novo board (Brazil Journal);
  • Fitch Coloca Ratings do Grupo Serena em Observação Negativa (Fitch);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • FII de logística cai mais de 10% após cortar dividendo pela metade (InfoMoney);
    • RECR11: com rendimento de 130% do CDI, fundo “enche o carrinho” de novos ativos (FIIs);
    • Lucro do XPML11 salta 6,85% e FII paga R$ 26 milhões em dividendos; Veja o valor por cota (FIIs);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

COP28 se aproxima do fim: Aliança Global de Descarbonização e taxa de carbono da UE em pauta | Café com ESG, 11/12

  • O mercado fechou a semana passada em território negativo, com o IBOV e o ISE registrando queda de -0,9% e -0,2% respectivamente. Já o pregão de sexta-feira encerrou com o IBOV subindo +0,86% e o ISE avançando +0,32%;
  • No Brasil, o braço de soluções da Energisa, a (re)energisa, está se preparando para o início de um novo negócio de biometano, cujo pontapé foi dado em agosto com a aquisição da empresa de biofertilizantes Agric, com operações em Santa Catarina, por R$60 milhões – a empresa pretende colocar em operação uma usina localizada em Campos Novos com capacidade de processar 25 mil metros cúbicos por dia de biometano, de olho no grande potencial de negócios com a fonte;
  • Na COP28, (i) segundo a Agência Internacional de Energia, os compromissos de redução de emissões previstos na nova Aliança Global de Descarbonização, assumidos por cerca de 130 países e 50 empresas de combustíveis fósseis, ainda deixarão o mundo longe de limitar o aquecimento global em 1,5ºC acima dos níveis pré-industriais – a implementação do conjunto de medidas apenas reduziria a disparidade de emissões entre a trajetória atual e um cenário de 1,5ºC em cerca de um terço até 2030; e (ii) um plano da União Europeia para tributar a poluição de carbono emitida para fabricar bens importados acendeu um debate em Dubai, uma vez que os países em desenvolvimento temem que tais tarifas prejudiquem os meios de subsistência e o crescimento econômico – por meio do imposto previsto no Mecanismo de Ajuste das Fronteiras de Carbono, a UE espera estabelecer um preço para o carbono emitido para fabricar produtos com utilização intensiva de energia, como ferro, aço, cimento, fertilizantes e alumínio noutros países;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.

Declaração de H2V na COP28, acordo ELET6 & BNDES e índices verdes da Bloomberg | Brunch com ESG 

  • Pensando em melhor auxiliar os investidores, o Brunch com ESG é um relatório publicado todos os domingos pelo time ESG do Research da XP que busca destacar os principais tópicos da agenda na semana;
  • Na última semana, destacamos: (i) Na COP28, Brasil adere à declaração de intenções sobre hidrogênio de baixo carbono; (ii) ELET6 e BNDES lançam estratégia de matchfunding para a Amazônia na COP28; e (iii) Bloomberg amplia oferta de índices verdes de renda fixa;
  • Clique aqui para ler o conteúdo completo.  

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.