XP Expert

STF decide pela retirada do ICMS da base de cálculo do PIS/COFINS e eleva preocupações com o quadro fiscal brasileiro

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA 0,8% | 120.706 Pontos

CÂMBIO 0,1% | 5,31/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa encerrou o pregão de ontem com alta de 0,80%, a 120.706 pontos, corrigindo parte das perdas registradas na véspera. O movimento positivo acompanhou as bolsas internacionais, sobretudo nos Estados Unidos, onde os três principais índices subiram mais de 0,7% após dois pregões seguidos de recuo expressivo, que refletiram preocupações com a inflação americana mais pressionada. Os mercados internacionais seguem em recuperação parcial nesta manhã (EUA: +0,6%; Europa: +0,5%).

Por sua vez, as taxas futuras de juros encerraram a sessão de ontem próximas à estabilidade, com viés de baixa na maioria dos vencimentos, o que não compensou a escalada nas taxas na última quarta-feira. O movimento foi direcionado pelo desempenho do dólar, que operou em queda durante maior parte do dia, e pelo recuo dos juros das Treasuries americanas. DI jan/22 fechou em 4,885%; DI jan/24 encerrou em 7,73%; DI jan/26 foi pra 8,56%; e DI jan/28 fechou em 9,00%.  

No cenário econômico internacional, a leitura de abril do Índice de Preços ao Produtor (PPI) nos Estados Unidos surpreendeu para cima, em linha com a inflação ao consumidor que foi divulgada anteontem. Apesar disso, dirigentes do Federal Reserve (banco central americano) afirmam que serão necessários vários meses de surpresas nos dados para alteração da condução de política monetária. Na agenda de hoje, destaque para a divulgação das vendas varejistas e produção industrial nos Estados Unidos referentes ao mês passado.

No Brasil, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu ontem pela retirada do ICMS da base de cálculo do PIS/Cofins. O ressarcimento poderá ser feito a todas as empresas, considerando o imposto cobrado desde 15 de março de 2017. Para empresas que entraram com processos antes desta data, haverá devolução do valor cobrado desde 5 anos antes da entrada do pedido. O impacto, que segundo o governo pode chegar a R$ 258 bilhões, deve ficar ainda maior, pois o STF decidiu também pelo que consta na nota fiscal (a Fazenda pedia pelo imposto efetivamente recolhido aos Estados).

Em relação ao cenário político local, o Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, recebeu ontem relatório final da comissão mista de reforma tributária, e prometeu detalhar seu plano de trabalho no início da próxima semana. Ele defende uma reforma tributária discutida por etapas. Além disso, o vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos, anunciou em plenário que a medida provisória da Eletrobras será pautada para votação na semana que vem. O relator da medida sinalizou alterações no parecer para atender ao governo e facilitar sua aceitação. Por fim, o Senado aprovou projeto de lei que suspende o reajuste de medicamentos em 2021 e cancela os já concedidos. O texto segue pra votação dos deputados, ainda sem previsão de pauta.  

Do lado das empresas, a Ânima conseguiu nos surpreender em meio ao ambiente difícil do 1º trimestre deste ano, com receita acima do esperado e margens maiores. Acreditamos na proximidade de um ponto de inflexão no que diz respeito ao impacto negativo da pandemia sobre o setor, e esperamos que o ciclo de captação do 2º semestre seja mais promissor. Desta forma, reiteramos nossa recomendação de Compra e preço-alvo de R$15,0/ação.

A Alliar também apresentou resultados melhores do que o esperado devido a maiores receitas de análises clínicas e novos negócios, bem como menores custos e despesas com pessoal, parcialmente compensados por receitas de diagnóstico por imagem abaixo do esperado. O EBITDA ficou 14% acima de nossas estimativas, com uma margem 2,5pp superior ao esperado. No entanto, devemos observar que parte da melhora atual nos resultados da análise clínica está ligada ao teste de Covid-19, o que deve diminuir gradualmente. Assim, permanecemos com recomendação Neutra e reiteramos nosso preço alvo de R$10,0/ação.

Tópicos do dia

Acesse aqui o relatório internacional

Agenda de resultados

Ser (SEER3): Antes da abertura
Cogna (COGN3): Antes da abertura
Priner (PRNR3): Após o fechamento
Vivara (VIVA3): Após o fechamento
Enjoei (ENJU3): Após o fechamento
Cemig (CMIG4): Após o fechamento
Orizon (ORVR3): Após o fechamento
Calendário do 1T21
Temporada de resultados do 1º trimestre 2021 – o que esperar?

Economia

  1. A inflação do produtor nos EUA surpreende e sobe acima do esperado pelo mercado, assim como o CPI divulgado na quarta, mas Fed mantem postura dovish. No Brasil, STF decide por excluir o ICMS da base de cálculo do PIS/Cofins

Política

  1. Arthur Lira recebe relatório da comissão mista de reforma tributária
  2. Vice da Câmara confirma inclusão da MP da Eletrobrás na pauta da próxima semana
  3. Senado aprova projeto que suspende reajuste de medicamentos; texto vai à Câmara

Empresas

  1. Petrobras (PETR4): Resultado do 1T21 acima do consenso de mercado (A recomendação da XP na Petrobras e toda cobertura de Óleo & Gás permanece sob revisão)
  2. Incorporadoras 1T21 – Cyrela, Even, EZTec, Lavvi e Melnick divulgam resultados
  3. Happy Hour (ou Rave?) de resultados no varejo: 1T21 de Magalu, Renner, Soma, C&A, Mateus e Westwing
  4. Sabesp (SBSP3): Resultados do 1T21 abaixo do esperado; Avanço na redução da exposição cambial é ponto positivo
  5. Sanepar (SAPR11): Crise hídrica do Paraná impacta resultados do 1T21; Mantemos Neutro
  6. Ânima (ANIM3) – 1T21: Melhores margens + maiores sinergias da Laureate = a matemática que gostamos
  7. brMalls (BRML3) – 1T21: Sólido trimestre dado receita acima do esperado
  8. Bemobi (BMOB3): Resultados sólidos no 1T; Estratégia de diversificação no caminho certo
  9. Alliar (AALR3) – 1T21: Resultados positivos com margens melhores que o esperado
  10. Ser (SEER3) – 1T21: Desempenho impressionante no ensino à distância, mas o presencial segue penalizando
  11. Mills (MILS3) – 1T21: A Mills por hora; resultados positivos e acima das expectativas
  12. Méliuz (CASH3): Aquisição da Melhor Plano
  13. Notícias Diárias do Setor Financeiro
  14. Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

ESG

  1. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 14/05

Veja todos os detalhes

Economia

A inflação do produtor nos EUA surpreende e sobe acima do esperado pelo mercado, assim como o CPI divulgado na quarta, mas Fed mantem postura dovish. No Brasil, STF decide por excluir o ICMS da base de cálculo do PIS/Cofins

  • Ontem os dados de PPI nos EUA surpreenderam para cima e subiu 0,6%, ante expectativa de 0,3%, assim como os dados de CPI na quarta. Dentro dos dados do PPI, o mais relevante para o PCE são os serviços médicos, que tornaram a avançar. Após pulso observado em janeiro, esse agrupamento vinha mantendo variações “bem comportadas”, mas nessa observação de abril tornou a avançar, piorando as perspectivas para o PCE;
  • Na Agenda, nos EUA, às 9;30 tem divulgação das vendas de varejo de abril, para a qual espera-se avanço de 1% m/m no total e 0.7% m/m no núcleo. No mesmo horário, também sai preço de importação e exportação. Às 10:15 sai produção industrial, também de abril. Consenso é de crescimento de 1% m/m. E às 11:00 tem confiança do consumidor da Universidade de Michigan. Atenção para as expectativas de inflação;
  • No Brasil, o STF decidiu ontem pela que a exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e da Cofins vale a partir de 15/03/17. Para quem entrou com recursos a partir dessa data, a decisão foi modulada, e estão ressalvadas apenas quem moveu processos até 15 de março daquele ano. Os ministros decidiram também pelo que consta na nota fiscal (a Fazenda pedia pelo imposto efetivamente recolhido aos Estados), isso implica que o impacto fiscal de BRL 258 bilhões em 5 anos estimado pelo governo deverá ser substancialmente maior;
  • Conforme o esperado, o Senado aprovou projeto que devolve BRL 50 bi cobrados a mais na conta de luz aos consumidores. O valor será devolvido em abatimentos na conta de luz nos próximos 5 anos; o projeto segue para a Câmara;
  • E ontem Senado aprovou também o projeto de lei que susta os reajustes de medicamentos em 2021 e suspende os já realizados. Ainda sem data para votação, a indústria, que esperava a derrota no Senado, tenta impedir a aprovação na Câmara, segundo o time XP Política. Impacto no IPCA pode chegar a -15 pontos base.

Política

Arthur Lira recebe relatório da comissão mista de reforma tributária

  • O presidente da Câmara, Arthur Lira, recebeu ontem relatório final da comissão mista de reforma tributária das mãos de Rodrigo Pacheco e Roberto Rocha – sem a presença do relator, Aguinaldo Ribeiro – e prometeu detalhar seu plano de trabalho no início da próxima semana. Ele defende uma reforma tributária discutida por etapas.

Vice da Câmara confirma inclusão da MP da Eletrobrás na pauta da próxima semana

  • O vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos, anunciou ontem em plenário que a medida provisória da Eletrobras será pautada para votação na próxima semana. O relator da medida sinalizou alterações no parecer para atender ao governo e facilitar sua aceitação pelo plenário.

Senado aprova projeto que suspende reajuste de medicamentos; texto vai à Câmara

  • O Senado aprovou ontem projeto de lei que suspende o reajuste de medicamentos em 2021 e cancela os já concedidos. O texto segue pra votação dos deputados, ainda sem previsão de pauta.  

Empresas

Petrobras (PETR4): Resultado do 1T21 acima do consenso de mercado (A recomendação da XP na Petrobras e toda cobertura de Óleo & Gás permanece sob revisão)

  • O EBITDA da Petrobras no 1T21 veio R$48,9bi, 4% acima do consenso de mercado da Bloomberg de R$46,8 bilhões. Esse EBITDA representou um avanço de 30% sobre o mesmo período do ano passado e de 4% em relação ao quarto trimestre de 2020;
  • O resultado forte foi suportado principalmente por dois fatores: (i) alta do petróleo (Brent subiu +24% no trimestre) e (ii) aumento no volume de vendas de derivados (vendas de diesel 12% maiores A/A);
  • O destaque do trimestre foi a redução da dívida líquida da empresa em 7,5% T/T, atingindo U$ 58,4 bilhões, fruto dos esforços da gestão do Castello Branco;
  • No after hours em Nova York, os resultados foram bem recebidos: a ADR da empresa subiu +3,2%, atingindo US$ 9,52.

Incorporadoras 1T21 – Cyrela, Even, EZTec, Lavvi e Melnick divulgam resultados

  • Cinco companhias da nossa cobertura reportaram resultados na noite passada (13/05), sendo elas as incorporadoras de média e alta renda Cyrela, Even, EZTec, Lavvi e Melnick;
  • No geral, vemos o resultado das incorporadoras como positivas. A maioria delas apresentaram margens brutas estáveis ou marginalmente maiores. Apesar do recente aumento de custos de material de construção, as incorporadoras listadas conseguiram repassar parcialmente os custos mais elevados nos preços dos imóveis e os recebíveis atrelados à inflação (índice INCC) também proporcionam algum nível de proteção para as margens brutas. Embora esperamos algum impacto das restrições comerciais nos resultados do segundo trimestre, acreditamos que a recuperação das vendas deve ser relativamente rápida ao longo dos próximos trimestre. Com isso, mantemos nossa visão construtiva para o setor, sendo EZTec (EZTC3) e Lavvi (LAVV3) as nossas preferidas no setor;
  • Para mais detalhes, confira o relatório completo.

Happy Hour (ou Rave?) de resultados no varejo: 1T21 de Magalu, Renner, Soma, C&A, Mateus e Westwing

  • Seis companhias da nossa cobertura reportaram resultados nessa noite (13/05), sendo duas de ecommerce (Magalu e Westwing), todas empresas de vestuário (Lojas Renner, Grupo Soma e C&A) e a última de supermercados (Grupo Mateus);
  • Os destaques positivos foram Magalu, Grupo Soma e Grupo Mateus enquanto os negativos foram Lojas Renner e C&A. Clique aqui para ver nossa visão de todos resultados.

Sabesp (SBSP3): Resultados do 1T21 abaixo do esperado; Avanço na redução da exposição cambial é ponto positivo

  • A Sabesp reportou resultados mais fracos do que o esperado no 1T21, com EBITDA ajustado de R$1.616,0 milhões vindo -5,5% e -2,6% abaixo das nossas estimativas e do consenso, respectivamente;
  • Do lado positivo, destacamos os avanços na agenda de redução da exposição cambial da companhia, com a dívida em moeda estrangeira atingindo 20% em março de 2021 contra 55% em março de 2020;
  • Por outro lado, vemos o EBITDA ajustado abaixo do esperado, como reflexo de: (i) tarifas médias -2,7% menores que nossas estimativas, que acreditamos refletir um mix de clientes com maior participação do segmento residencial nos volumes, dados os efeitos da pandemia de COVID-19 sobre a demanda dos clientes industriais e comerciais, parcialmente compensadas por (iii) custos gerenciáveis -2,1% abaixo das nossas estimativas e (iii) volumes de água e esgoto em linha (-0,3%) com as nossas estimativas, (crescendo +2,3 % em relação ao ano anterior);
  • O lucro líquido de R$496,9 milhões ficou abaixo de nossas estimativas de R$623,4 milhões e do consenso da Bloomberg de R$542,0 milhões, refletindo principalmente maiores despesas financeiras líquidas (-R$354,4 milhões vs. nossas estimativas de -R$233,1 milhões). Mantemos nossa recomendação Neutra nas ações da Sabesp com preço-alvo de R$50/ação.

Sanepar (SAPR11): Crise hídrica do Paraná impacta resultados do 1T21; Mantemos Neutro

  • A Sanepar divulgou os resultados do 1T21 mais fracos do que o esperado, com um EBITDA ajustado de R$523,9 milhões, -14,5% abaixo da nossa estimativa de R$612,8 milhões;
  • O resultado mais negativo reflete os impactos causados pela crise hídrica no estado do Paraná e consequente necessidade de adoção de medidas de mitigação adotadas pela companhia (rodízio de abastecimento na Região Metropolitana de Curitiba – Programa META20). Como resultado, os volumes faturados de água e esgoto caíram 5,2% A/A e 5,1% A/A, respectivamente. Por outro lado, elogiamos a redução dos custos gerenciáveis apresentada pela companhia (-2,6% na comparação anual e -7,4% vs. nossas estimativas);
  • Por fim, o lucro líquido de R$246,5 milhões também veio abaixo 23% da nossa estimativa de R$320,5 milhões, também reflexo do resultado operacional mais fraco;
  • Daqui para a frente, nossa maior preocupação continua sustentada pelas incertezas em relação ao desenrolar da atual crise hídrica do estado do Paraná, na qual acreditamos ser essencial monitorar. Mantemos nossa recomendação neutra nas ações da Sanepar (SAPR11) com preço alvo de R$ 24,50/unit

Ânima (ANIM3) – 1T21: Melhores margens + maiores sinergias da Laureate = a matemática que gostamos

  • A Ânima conseguiu nos surpreender em meio ao ambiente difícil do 1T21 com receita acima do esperado (ticket médio maior), margens maiores e uma nova estimativa de sinergias relacionadas à aquisição da Laureate de R$350M, comparado a R$230M anteriormente: 52% maior! Também acreditamos que estamos chegando em um ponto de inflexão no que diz respeito ao impacto negativo da pandemia no setor e esperamos que o ciclo de captação do 2S21 seja mais promissor. Dessa forma, reiteramos nossa recomendação de Compra e preço-alvo de R$15,0/ação;
  • A captação da Ânima caiu 4% A/A (13% abaixo das nossas estimativas), no entanto, a taxa de evasão menor (7% vs 8% no 1T20 e 10% das nossas estimativas), combinada com o impacto positivo das aquisições levou a um aumento base de alunos de 8% A/A (6% abaixo de nossas estimativas) que chegou a 130 mil alunos de graduação;
  • A receita líquida atingiu R$416M, um aumento de 23% A/A e 9% acima de nossas estimativas devido a um ticket médio maior que o esperado (15% acima de nossas estimativas) e 12% maior A/A;
  • Com um desempenho robusto em termos de margens – liderado pela redução principalmente de custos de pessoal – o lucro bruto foi de R$269M vs a nossa estimativa de R$241M e R$212M no 1T20, com uma margem bruta de 64,5% – 1,70p.p. acima de nossas estimativas e 1,67p.p. acima do reportado no 1T20;
  • As maiores despesas corporativas compensaram o ganho de margem bruta, levando a uma Margem EBITDA Ajustada de 35,2%, praticamente estável A/A e 1,03p.p. acima de nossas estimativas. O EBITDA ajustado atingiu R$147M, um aumento de 24% A/A e 12% acima de nossas estimativas;
  • Clique aqui para saber mais detalhes.

brMalls (BRML3) – 1T21: Sólido trimestre dado receita acima do esperado

  • A brMalls apresentou um resultado sólido do primeiro trimestre, apesar da nova rodada de restrições durante o trimestre. Embora esperamos uma reação positiva do mercado, mantemos nossa recomendação neutra e preço-alvo de R$10,7/ação;
  • Como esperado, os números operacionais foram afetadas pela nova rodada de fechamento dos shopping centers (o portfólio da companhia operou, em média, 70% de sua capacidade). Embora as vendas nas mesmas lojas (SSS) tenha caído 25,3%, o aluguel mesmas lojas (SSR) mostrou um desempenho mais positivo, crescendo 1,0% A/A devido às concessões de descontos menores em relação ao ano anterior e aos primeiros sinais de recuperação nos aluguéis. Ainda, a inadimplência líquida atingiu 14,3% e o custo de ocupação aumentou para 15,2% (3,0 p.p A/A). Além disso, sua taxa de vacância permaneceu relativamente estável em 3,7% (-0,3 p.p T/T e +0,6 p.p A/A);
  • O FFO ajustado foi de R$85 milhões (58% vs. XPe e -38% A/A), principalmente devido a um desempenho mais forte na receita líquida e provisões para inadimplência abaixo das estimativas. No balanço patrimonial, a companhia registrou uma geração de caixa de R$92 milhões, levando a uma dívida líquida/EBITDA para 4,8x (comparado a 4,6x no 4T20).

Bemobi (BMOB3): Resultados sólidos no 1T; Estratégia de diversificação no caminho certo

  • A Bemobi reportou resultados sólidos, embora em linha, no primeiro trimestre, com a receita líquida e o EBITDA crescendo 8% e 12% A / A, respectivamente. Apesar de um trimestre desafiador devido à Covid-19 e seu impacto no segmento pré-pago, a Bemobi registrou um sólido crescimento de receita de 8% A/A no 1T21. O EBITDA totalizou R$ 23,9 milhões, crescendo 12% A/A, superando o crescimento da receita e entregando uma expansão de margem de 1,2p.p. (38,3%). A Bemobi conseguiu manter sua alta taxa de conversão de EBITDA em caixa de 68,7%;
  • As receitas internacionais aumentaram sua relevância neste trimestre e representaram 41% da receita total (vs. ~ 35% no 1T20), mantendo seu crescimento em ritmo acelerado. Com isso, mantemos nossa recomendação de COMPRA e preço-alvo de R$ 30/ação para o final de 2021 para BMOB3;
  • Clique aqui para conferir o conteúdo completo.

Alliar (AALR3) – 1T21: Resultados positivos com margens melhores que o esperado

  • A Alliar apresentou resultados melhores do que o esperado devido a maiores receitas de análises clínicas e novos negócios (R$10M no trimestre) e menores custos e despesas com pessoal, parcialmente compensados por receitas de diagnóstico por imagem abaixo do esperado. O EBITDA ficou 14% acima de nossas estimativas atingindo R$64 milhões com uma margem 2,5pp  melhor do que o esperado. Além disso, pelo lado positivo, a empresa anunciou que decidiu investir em um núcleo técnico operacional (“NTO”), o que reforça o compromisso da empresa com análises clínicas que atualmente representam 21% do faturamento. No entanto, devemos observar que parte da melhora atual nos resultados da análise clínica está ligada ao teste Covid-19 que deve diminuir gradualmente. Além disso, o principal negócio da empresa – diagnósticos por imagem – apresentou uma queda de 5% em relação ao trimestre anterior, com o ticket médio em ressonância magnética 0,4% menor que o 1T20. Assim, permanecemos com recomendação Neutra para AALR3 e reiteramos nosso preço alvo de R$10,0/ação;
  • Os exames de ressonância magnética totalizaram 174mil, 7% abaixo de nossas estimativas, enquanto os exames de análises clínicas de 2,7 milhões ficaram 3% acima do esperado. Em termos de ticket médio, os exames de ressonância magnética ficaram apenas 2% acima de nossas estimativas e os exames de análises clínicas ficaram 16% maior do que o esperado devido ao impacto positivo do teste para a Covid-19;
  • A receita líquida de R$285M ficou 2% acima de nossas estimativas. Os menores custos e despesas com pessoal levaram a uma margem EBITDA 2,5pp acima do esperado atingindo 22,4%. O EBITDA totalizou R$64M vs nossa estimativa de R$56M. Impostos abaixo do esperado resultaram em um lucro líquido 33% acima de nossas estimativas totalizando R$13 milhões;
  • Clique aqui para saber mais detalhes.

Ser (SEER3) – 1T21: Desempenho impressionante no ensino à distância, mas o presencial segue penalizando

  • A Ser postou resultados bastante impressionantes na frente de ensino à distância (EAD), com alunos 123% acima do ano anterior e 39% acima da XPe (embora a receita tenha sido apenas 6% maior, devido ao ticket médio inferior). No entanto, o presencial ainda está sob pressão: a base de alunos caiu 9% no comparativo anual e ficou 8% abaixo da XPe, resultando em uma queda de 1% na receita consolidada e também 1% abaixo da XPe;
  • As despesas de marketing aumentaram para suportar o ciclo de captação, pressionando a margem EBITDA que caiu 3,0p.p. A/A e ficou 1,9p.p. abaixo da XPe, levando a uma redução de 13% no EBITDA que ficou 9% abaixo de nossas estimativas;
  • O lucro veio melhor do que o esperado devido a menores despesas financeiras (em descontos concedidos) e a reversão de impostos;
  • Apesar do desempenho positivo no segmento de EAD continuamos com recomendação Neutra para SEER3 e reiteramos nosso preço alvo de R$17,0/ação devido ao desempenho ainda fraco do presencial, também estamos cautelosos com relação às tendências do ticket médio de EAD e devemos observar que houve uma melhora de 2,0p.p. na margem bruta relacionada às menores despesas com ocupação, que deve subir novamente com a retomada das aulas presenciais.

Mills (MILS3) – 1T21: A Mills por hora; resultados positivos e acima das expectativas

  • A Mills divulgou um forte resultado no 1T21, acima das nossas expectativas pelo segundo trimestre consecutivo, seguindo a trajetória positiva observada no 3T20/4T20 e entregando um lucro líquido de R$7,4 milhões vs um prejuízo líquido de R$1 milhão no 1T20 e superando em 10,3% nossa estimativa;
  • A companhia teve uma receita líquida de R$153,6 milhões (+21,8% a/a e 11,9% acima da XPe), com a unidade de aluguel de plataformas aéreas representando 86% desse montante. As linhas de custos e despesas avançaram menos do que o crescimento de receita e vieram em linha com nossas estimativas, consequentemente, a Mills conseguiu entregar um EBITDA de R$56,1 milhões, (+46,3% a/a e 19,6% acima da XPe) combinado com uma forte expansão da margem que veio em 36,5% (+6,1pp a/a e 2,4pp acima da XPe);
  • Com a unidade de construção também contribuindo positivamente para o resultado (EBITDA de R$4 milhões vs R$0,2 milhão no 1T20) e atingindo o breakeven, a Mills entregou um lucro líquido de R$7,4 milhões – o terceiro lucro trimestral consecutivo;
  • Após uma alta de 66% das ações desde o início da cobertura em 1º de março (vs 9,7% do Ibov), reiteramos nossa recomendação de Compra por acreditar que os ciclos de rentabilidade e crescimento já chegaram e devem continuar;
  • Clique aqui para saber mais detalhes.

Méliuz (CASH3): Aquisição da Melhor Plano

  • Méliuz anunciou ontem um acordo de aquisição da Melhor Plano, marketplace que oferece comparação de preços e serviços oferecidos por terceiros a clientes, por R$ 10,3 milhões;
  • O acordo complementa a compra da Promobit na estratégia do Méliuz de crescer sua base de usuários a um custo baixo;
  • Nossa visão é positiva e acreditamos que o Méliuz deveria reforçar sua posição de liderança para crescer sua base de usuários e aproveitar mais efeitos de rede.

Notícias Diárias do Setor Financeiro

  • Acesse este relatório com notícias do setor financeiro que complementam nossos comentários publicados no Morning Call, mas que não consideramos relevantes o suficiente para serem analisadas. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

  • Nesta publicação diária, trazemos as principais notícias do setor de varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.) nacional e internacional, complementando nossa visão sobre as tendências e acontecimentos mais importantes do dia. Além disso, o relatório contém um resumo dos múltiplos e recomendações para as empresas de nossa cobertura;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 14/05

  • Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo falam sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança;
  • Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance histórica do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP;
  • Por que essas informações são importantes? Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.