XP Expert

Sanções ao petróleo russo em pauta

Petróleo russo e desaceleração do crescimento econômico são alguns dos temas de maior destaque nesta terça-feira, 08/03/2022

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir


IBOVESPA -2,52% | 111.593 Pontos

CÂMBIO +0,03% | 5,08/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

O mercado continua apreensivo depois que os EUA revelaram discussões ativas com governos europeus sobre a proibição de importações de petróleo e gás natural russos. Após o pronunciamento da Alemanha, em nome de países europeus, dizendo que não vão parar com as compras, por falta de alternativa viável de curto prazo, os EUA avaliam proibir sozinhos a compra de combustíveis russos.  Na agenda internacional de hoje, temos a divulgação dos dados do PIB da zona do euro para o quarto trimestre do ano passado, que devem mostrar um aumento de 4,6% no ano, enquanto os dados já divulgados mostram que a produção industrial alemã subiu 2,7% no mês de janeiro, muito mais que o esperado. No Brasil, com petróleo do tipo Brent sendo negociado a mais de US$125/barril, os políticos voltam suas atenções para como evitar que os preços internacionais cheguem no consumidor final. Arthur Lira defende um subsídio temporário, com recursos dos dividendos da Petrobrás e Royalties do petróleo, em vez de mudar a política de preços vigente. Alguns membros do governo ressaltam que esses recursos iriam para o Tesouro Nacional, e que abrir mão deles seria de grande impacto na arrecadação. Não está descartado um pedido de estado de calamidade, que possibilitaria utilização de créditos extraordinários para subsidiar o preço dos combustíveis, no entanto, essa opção vem com contrapartidas.

Brasil

A Bolsa brasileira começou a semana acompanhando o mau humor no exterior, com investidores pessimistas em relação aos preços de energia, reflexo do conflito Rússia-Ucrânia, já de olho em um provável embargo ao petróleo russo, como uma forma de sanção ao país de Vladmir Putin. O Ibovespa encerrou o dia em baixa de -2,52%, aos 111.593 pontos, depois de oscilar entre 111 e 114 mil pontos. O dólar ignorou novamente as tensões entre Ucrânia e Rússia e ficou de lado com ajuda do capital estrangeiro. A moeda americana fechou em alta de 0,03%, a R$ 5,079. No mercado de renda fixa, os juros futuros fecharam o dia de ontem com novo movimento de alta, puxadas pelos contínuos temores em relação aos efeitos da guerra entre Rússia e Ucrânia. Ainda não há visibilidade em relação a um cessar-fogo e o risco de um embargo ao petróleo russo aumenta, o que deve levar a novas altas no preço da commodity e, consequentemente, maiores pressões inflacionárias. Na sessão estendida, notícias de que o governo brasileiro estuda congelar os preços de combustíveis levaram a um novo aumento das expectativas. DI jan/23 fechou em 13,105%; DI jan/25 encerrou em 12,20%; DI jan/27 foi para 12,13%; e DI jan/29 fechou em 12,20%.

Mundo

Bolsas internacionais amanhecem em leve alta  (EUA +0,2% e Europa +0,3%), mesmo em um movimento de aversão ao risco dos investidores com o avanço da invasão russa na Ucrânia. Em entrevista ontem, a vice-secretária de Estado americano, Wendy Sherman, anunciou que os Estados Unidos estão avaliando todas as sanções possíveis contra a Rússia, inclusive um embargo às importações de petróleo do país. Como retaliação, a Rússia alertou na segunda-feira (7) que poderia interromper o fluxo de gás natural através de gasodutos da Rússia para a Europa, via o gasoduto existente Nord Stream 1. Na China o índice de Hang Seng (-1,4%) encerra em baixa, assim como outros mercados asiáticos, também refletindo a preocupação com a alta dos preços do petróleo e a desaceleração do crescimento econômico em meio à invasão da Ucrânia pela Rússia.

Economia

Com os aumentos generalizados nos preços de commodities, a reunião do Banco Central Europeu na quinta-feira (10) passou a ficar em foco, já que os formuladores de políticas agora precisam lidar com a perspectiva de que a inflação, já em níveis recordes, aumente ainda mais no momento em que uma nova crise ameaça a economia. Além disso, A União Europeia vai disponibilizar ainda essa semana seu plano de venda conjunta de títulos, cujo objetivo é financiar gastos com defesa e energia.

Commodities

Após notícias mas firmes de um possível embargo dos EUA e seus aliados europeus ao petróleo e gás natural russo, o petróleo Brent atingiu seu nível mais alto desde 2008, chegando a ser negociado a mais de 140 dólares o barril durante o dia. Esse aumento reflete, não só o medo das novas sanções energéticas à Rússia, mas também atrasos no potencial retorno do petróleo iraniano aos mercados globais. Além disso, o gás, o níquel e o trigo europeus também subiram para níveis recordes em meio a preocupações com interrupções no fornecimento.

Rússia e Ucrânia

A guerra na Ucrânia chega ao 13º dia com intensificação dos ataques em grandes cidades e sem avanços relevantes nas negociações. O governo Zelensky e o governo Putin têm novas conversas marcada para quinta-feira (10). Essas devem acontecer na Turquia e serão as negociações de mais alto escalão até o momento, entre os ministros das relações exteriores. Nas conversas de segunda-feira, “pequenos avanços” foram relatados pelo governo ucraniano sobre corredores humanitários. Segundo o governo russo, as condições sendo estipuladas nas conversas são a rendição total militar da Ucrânia, a mudança da Constituição do país para garantir que nunca irá aderir à Otan ou União Europeia e reconhecer Crimeia, Donetsk e Luhansk como território russo. Vale notar que, em meio a discussões de mais medidas por aliados ocidentais, a Rússia já se converteu no país mais sancionado do mundo. Segundo o Kremlin, em resposta, o país estuda cortar gás para Europa via o gasoduto Nord Stream 1.

Mercado em Gráfico

O rublo, a moeda oficial russa, desde o início de fevereiro, quando se intensificou as tensões geopolíticas com a Ucrânia, chegou a cair mais de -60%. Nesta segunda feira (7) a moeda russa atingiu um novo mínimo histórico, chegando a operar em 132 rublos em relação ao dólar e 144 rublos em relação ao euro. Essa intensificação na desvalorização da moeda russa surge depois que os EUA anunciarem que se prepara, junto com seus aliados, para proibir as importações de petróleo e gás natural da Rússia, numa nova tentativa de asfixiar a economia russa em retaliação à guerra na Ucrânia. A balança comercial de energia garante aos russos uma forte entrada de dólares. Deixar esse canal aberto é uma forma de diminuir os efeitos das sanções do Ocidente. Por outro lado, boicotar as vendas de petróleo e gás russos pode levar a um colapso cambial em pouco tempo, já que o BC da Rússia está sem reservas e o país tem sofrido sanções também de diversas empresas multinacionais se retiraram do país.

Veja todos os detalhes

Agenda de resultados

Vulcabras (VULC3): Após o fechamento

Calendário do 4T21

Temporada de resultados do 4º trimestre 2021 – o que esperar?

Economia

Guerra Rússia/Ucrânia gera incerteza em relação ao crescimento global

  • A União Europeia vai disponibilizar ainda essa semana seu plano de venda conjunta de títulos, cujo objetivo é financiar gastos com defesa e energia;
  • Os EUA avaliam proibir sozinhos as compras de combustíveis russos, uma vez que países europeus, liderados pela Alemanha, já disseram que não vão parar com as compras, por falta de alternativa viável de curto prazo.
  • Na frente de dados econômicos, os dados do PIB da zona do euro para o quarto trimestre do ano passado devem mostrar um aumento de 4,6% no ano, enquanto os dados já divulgados mostram que a produção industrial alemã subiu 2,7% no mês de janeiro, muito mais que o esperado;
  • No Brasil, com petróleo do tipo Brent sendo negociado, nesse momento, em USD 126 o barril, os políticos voltam suas atenções para como evitar que os preços internacionais cheguem no consumidor final. Arthur Lira defende um subsídio temporário, com recursos dos dividendos da Petrobrás e Royalties do petróleo, em vez de mudar a política de preços vigente. Alguns membros do governo ressaltam que esses recursos iriam para o Tesouro Nacional, e que abrir mão deles seria de grande impacto na arrecadação. Não está descartado um pedido de estado de calamidade, que possibilitaria utilização de créditos extraordinários para subsidiar o preço dos combustíveis, no entanto, essa opção vem com contrapartidas;
  • Publicamos o relatório macro mensal de março. Inflação corrente elevada e alta de custos pioraram a perspectiva para o IPCA, mesmo com a taxa de câmbio mais apreciada. Elevamos nossa projeção de 5,2% para 6,2% este ano, e de 3,25, para 3,80% no ano que vem.

Política

A guerra na Ucrânia chega ao 13º dia com intensificação dos ataques em grandes cidades e sem avanços relevantes nas negociações

  • O governo Zelensky e o governo Putin têm novas conversas marcada para quinta-feira (10). Essas devem acontecer na Turquia e serão as negociações de mais alto escalão até o momento, entre os ministros das relações exteriores;
  • Nas conversas de segunda-feira, “pequenos avanços” foram relatados pelo governo ucraniano sobre corredores humanitários. Segundo o governo russo, as condições sendo estipuladas nas conversas são a rendição total militar da ucrânia, a mudança da Constituição do país para garantir que nunca irá aderir à Otan ou União Europeia e reconhecer Crimeia, Donetsk e Luhansk como território russo;
  • Vale notar que, em meio a discussões de mais medidas por aliados ocidentais, a Rússia já se converteu no país mais sancionado do mundo. Segundo o Kremlin, em resposta, o país estuda cortar gás para Europa via o gasoduto Nord Stream 1.

Empresas

Construtoras | Baixa Renda: Atualizando nossos preços-alvo e elevando MRV para compra

  • Estamos revisando nossos preços-alvo para Cury (CURY3), Direcional (DIRR3), MRV (MRVE3 elevando para compra), Tenda (TEND3) e Plano & Plano (PLPL3) para refletir uma perspectiva macroeconômica mais desafiadora, bem como aumento da incerteza política. Também revisamos nossas estimativas operacionais e financeiras de longo prazo;
  • Estamos reduzindo nosso preço-alvo da Cury para R$ 13,00/ação (de R$ 15,00), Direcional para R$ 17,00/ação (de R$ 20,50), MRV para R$ 19,00/ação (de R$ 23,00), Tenda para R$ 28,00/ação (de R$ 38,00) e Plano & Plano para R$ 7,00/ação (de R$ 10,00);
  • Dito isso, agora temos recomendação de compra em todos os nomes de baixa renda, devido ao valuation atrativo e fundamentos robustos de longo prazo, mas favorecemos nomes com foco no topo do programa CVA. Portanto, mantemos a Cury como nossa principal recomendação, negociando a 4,9x P/L em 2022;
  • Clique aqui para ver nosso relatório.

Omega Energia (MEGA3): Adquire as Expansões de Assuruá

  • Em 07 de março de 2022, a Omega Energia divulgou um Fato Relevante informando que assinou o acordo para aquisição de: (i) 40% de Assuruá 4 (211,5MW); (ii) 20% de Assuruá 5 (243,6MW) e (iii) os direitos relacionados às expansões eólica e solar do projeto que inclui o desenvolvimento de Assuruá 6 e 7 e Assuruá Solar. A companhia pagará R$ 262 milhões pelos ativos e direitos, sendo R$ 57,2 milhões em caixa e quatro parcelas anuais de R$ 51,2 milhões;
  • Com isso, a empresa deterá 100% dos ativos (455,1MW) e o seu direito a expansões que, juntas, podem chegar a 617,6MW de capacidade instalada adicional com direito a 50% de desconto na TUST;
  • Consideramos a transação como neutra para a Omega Energia, uma vez que estimamos uma taxa de retorno justa para as ações com base em nosso modelo proprietário desenvolvido para os ativos adquiridos. Por outro lado, do ponto de vista estratégico, a aquisição é positiva, pois agora a Omega Energia poderá desenvolver e expandir o restante do portfólio;
  • Continuamos a ver a Omega como uma das melhores histórias de risco-retorno em nossa cobertura e nossa top-pick no setor. Mantemos nossa recomendação de Compra da Omega Energia, com preço-alvo de R$ 17/ação;
  • Clique aqui para conferir.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • ‘Estamos focados no longo prazo’, diz fundadora do Nubank (Valor);
    • O Banco Central e o choque de petróleo e alimentos (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Quase 60% das famílias de baixa renda começaram o ano de 2022 inadimplentes (Estadão)
    • Mercado passa a ver Selic a 8,25% em 2023, mostra Focus (Folha)
    • Dados de cerca de 300 mil usuários do Mercado Livre vazam (Folha)
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Trigo volta a atingir limite de alta na bolsa de Chicago (Valor);
    • Emissões de CBios estão mais fracas do que um ano atrás (Valor).
    • Guerra gera mais custos ao setor de carnes do Brasil, mas também abre espaço para exportações (Infomoney);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Bolsonaro é aconselhado a apoiar suspensão de reajuste de combustíveis durante guerra. (Valor Econômico);
    • Biden deve ir à Arábia Saudita para pedir aumento da produção de petróleo. (epbr);
    • Omega Energia assina acordo para compra do complexo eólico Assuruá por R$ 262 milhões. (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Os fundos imobiliários mais recomendados pelos analistas para comprar em março; FIIs de logística ganham peso e lideram a seleção (InfoMoney);
    • Investidores com cotas do FII HGCR11 terão direito a R$ 1,05 em rendimentos (Estadão);
    • Número de brasileiros investindo em FIIs cresce 660% em 3 anos (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o Radar Imobiliário completo.

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Uber eleva estimativas de lucro

  • Microsoft inaugura seu quarto data center na Índia;
  • Uber eleva suas estimativas de lucro;
  • GM anuncia nova fábrica de materiais de bateria no Canadá;
  • Aumento dos preços do petróleo possuem um grande impacto na inflação dos Estados Unidos;
  • Clique aqui para ver o relatório.

ESG

Após conflito Rússia e Ucrânia, UE pode aumentar a geração de energia renovável e reduzir dependências | Café com ESG, 08/03

  • Na segunda-feira, o mercado fechou em território negativo, com o Ibov e o ISE em queda de -2,5% e -3,8%, respectivamente;
  • No Brasil, (i) ontem foi o último dia do prazo da consulta pública da minuta de uma circular da Superintendência de Seguros Privados (Susep) para começar a regular as seguradoras não só com relação à gestão dos riscos climáticos, mas também outros riscos ambientais e sociais; e (ii) de acordo com um estudo da universidade de Exeter, do Instituto Potsdam e da universidade técnica de Munique, a floresta amazônica está perdendo sua capacidade de se recuperar da destruição, e partes dela estão se aproximando de “um ponto de inflexão catastrófico”;
  • No internacional, a União Europeia vai elaborar um plano hoje para reduzir as importações de gás russo em 2/3 dentro de um ano, enquanto busca reduzir sua dependência do abastecimento de combustível do país após a invasão da Ucrânia – para Frans Timmermans, comissário europeu do Green Deal, o bloco poderia importar mais gás natural liquefeito, aumentar rapidamente a geração de energia renovável e reduzir a demanda com medidas de eficiência. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.