XP Expert

Biden deve anunciar uso de reservas de petróleo; veja o Radar Energia XP | Março

Criamos este relatório com notícias do setor de energia que complementam nossos comentários publicados no Morning Call.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo falam sobre os principais assuntos, tendências e companhias que formam o setor. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo que tem impactos diretos ou indiretos no setor; e (ii) Nossos últimos relatórios publicados.

Gostaria de receber esse conteúdo por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!

Quinta-Feira, 31 de Março

Destaques: (i) EUA: Biden deve anunciar uso de reservas de petróleo. (Valor Econômico); (ii) Petróleo fecha em alta após dados de estoques dos EUA. (Valor Econômico); (iii) Equipamentos fotovoltaicos podem ser tributados indevidamente a partir de sexta-feira. (Valor Econômico).

Elétricas e Saneamento

Equipamentos fotovoltaicos podem ser tributados indevidamente a partir de sexta-feira
O setor acompanha com apreensão uma possível cobrança de ICMS após alteração na nomenclatura aduaneira – HS. À princípio não há nenhuma mudança de impostos, mas falta segurança jurídica, pois o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) não atualizou os convênios do setor solar, pois as NCMs descritas são da tabela do Sistema Harmonizado anterior. (Valor Econômico)

Cemig espera concluir venda de fatia da Taesa e outros ativos este ano, diz presidente
A companhia fechou 2021 com lucro líquido de R$ 3,75 bilhões, 31% acima do resultado de 2020. A Cemig espera concluir neste ano a venda da participação que possui na Taesa, bem como a venda de outros ativos fora de Minas Gerais, disse em teleconferência para analistas o presidente da companhia, Reynaldo Passanezi Filho. (Valor Econômico)

Cemig quer venda de ativos fora de MG em 2022
A Cemig tem um plano de desinvestimentos em curso e que se dependesse de sua vontade seria executado ainda este ano. A empresa afirmou nesta quarta-feira, 30 de março, que trabalha para negociar suas participações na Santo Antônio Energia, Norte Energia, Taesa e Aliança Geração, além de outras em menor escala. Essa afirmação é do presidente da empresa, Reynaldo Passanezi, que não apontou um cronograma específico para a negociação. “Nosso objetivo é concluir ainda este ano e nos concentrarmos na Cemig”, afirmou ele. (Canal Energia)

Abril terá comportamento de período úmido, avalia Climatempo
O mês de abril é conhecido como uma época de transição do período úmido, que começa normalmente a partir do final de outubro a início de novembro, para o seco. Nessa época pode apresentar comportamento com qualquer uma das duas características. E na avaliação da Climatempo, a perspectiva de 2022 é que seja um mês mais úmido, apesar de começarmos a ver eventos mais relacionados ao seco, de menor volume de vazões. (Canal Energia)

Gerador terá que assumir riscos na disputa por acesso à rede
A Agência Nacional de Energia Elétrica abriu consulta pública para discutir a regulamentação do art. 1º do Decreto 10.893, que dispensou a apresentação da informação de acesso para pedidos de outorgas de empreendimentos renováveis protocolados até o último dia 2 de março. A proposta da Aneel condiciona a emissão dessas autorizações à declaração formal do empreendedor de reconhecimento de todos os riscos assumidos no processo. (Canal Energia)

Heineken oferece energia renovável ao consumidor
Depois de começar a conectar bares e restaurantes a seu programa de energia renovável, no ano passado, a fabricante de cerveja Heineken estende o benefício à casa do consumidor. Após se cadastrar no site da plataforma batizada de Green Your City, o consumidor pode ter acesso a um sistema de geração distribuída de energia renovável, como solar, eólica ou biomassa. (Valor Econômico)

. . .

XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Assine conteúdos exclusivos aqui!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

 

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 106,8/Barril -5,87%

CÂMBIO

R$ 4,78/USD +0,62%

Petróleo fecha em alta após dados de estoques dos EUA
O contrato do petróleo Brent para junho fechou em alta de 3,46%, a US$ 111,44 por barril, enquanto o do WTI americano para maio subiu 3,43%, a US$ 107,82 por barril. (Valor Econômico)

EUA: Biden deve anunciar uso de reservas de petróleo
O presidente dos EUA, Joe Biden, está se preparando para anunciar a liberação de até 1 milhão de barris de petróleo por dia da reserva estratégica dos EUA, segundo pessoas familiarizadas com os planos. (Valor Econômico)

Minoritário eleva disputa por vaga na Petrobras
Com os temores de interferência do governo na Petrobras, a disputa pelas vagas para o conselho de administração da companhia na Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária (AGOE) do dia 13 de abril promete ser acirrada. Os acionistas minoritários da empresa estão se articulando para ampliar os representantes no conselho e o número de candidatos aumentou. (Valor Econômico)

Petrobras alerta investidor estrangeiro que Bolsonaro poderá mudar política de preços
“O presidente brasileiro tem feito, algumas vezes, declarações sobre a necessidade de modificar e ajustar a política de preços para condições domésticas”, cita o documento enviado à SEC, a comissão de valores mobiliários dos Estados Unidos. “Diante de declarações do presidente brasileiro, uma nova direção ou Conselho de Administração poderá propor alterações nas políticas de preço, inclusive com decisão de que essa política não busque alinhamento com preços internacionais”, completa o texto no trecho sobre riscos financeiros relacionados à empresa. (CNN)

Estrangeiras e independentes já respondem por 28,4% da produção de óleo por concessionário
As empresas estrangeiras e as petroleiras independentes já respondem por 28,4% da produção de petróleo por concessionário, segundo dados publicados pela ANP na quarta-feira (30/3), referentes ao mês de fevereiro. A diferença é de 9,2% em relação ao mesmo período no ano passado, no qual essas companhias respondiam por 26% da produção de óleo por concessionário. (Petróleo Hoje)

Mudança na Petrobras vira pauta para presidenciáveis
Não foi apenas o mercado que repercutiu, nessa terça (29/3), a troca do general Joaquim Silva e Luna pelo consultor Adriano Pires no comando da Petrobras, promovida pelo presidente Jair Bolsonaro (PL). A mudança foi a ordem do dia de pré-candidatos à Presidência. (epbr)

Brasil é autossuficiente, mas quanto falta para virar gigante do petróleo?
Apesar de ser considerado autossuficiente em petróleo, o Brasil compra do exterior derivados do recurso natural, por conta das características do produto que é extraído no país e da estrutura das nossas refinarias. Boa parte das nossas refinarias foi construída na década de 1970, quando o petróleo do tipo leve era importado. (Petróleo Hoje)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Orizon (ORVR3): Um jovem gigante? Aumentando nosso preço-alvo para R$40/ação e reiterando Compra (link)
  • CESP (CESP6): Aprovação Final da Reorganização Societária e Nova Marca ‘Auren Energia’ (link)
  • O Gambito Da Rainha: O que um embargo ao Petróleo da Rússia significa para a oferta Global, o Brasil e a Petrobrás? (link)
  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Quarta-Feira, 30 de Março

Destaques: (i) Para analistas, Petrobras manterá paridade. (Valor Econômico); (ii) Petróleo fecha em queda com otimismo sobre acordo entre Rússia e Ucrânia. (Valor Econômico); (iii) Hidrelétricas na Amazônia voltam aos holofotes em ano eleitoral. (epbr).

Elétricas e Saneamento

Revisão da RAP vai atingir 70 transmissoras em 2022
Um grupo de 70 concessionárias de transmissão com empreendimentos licitados vai passar esse ano por revisão da Receita Anual Permitida dos contratos. Para 69 delas, que terão a RAP ofertada em leilão reavaliada, pode haver aumento médio nominal de 10,6%, com impacto real (descontada a inflação) de 0,6%. À exceção da CGT Eletrosul, que está fora dessa lista, a soma das receitas das demais empresas pode sair de R$5,1 bilhões para R$ 5,7 bilhões a partir de julho. (Canal Energia)

Auren pretende crescer com a compra de ativos e com o mercado livre de energia
Outro foco de crescimento da empresa está na fonte solar com projetos em andamento que devem adicionar 1,7 GW. Em teleconferência com investidores, os executivos da Auren, a nova elétrica fruto da reorganização societária dos ativos de CPP Investiments e do grupo Votorantim, disseram que a severa crise hídrica de 2021 impactou a margem da companhia no período. (Valor Econômico)

Hidrelétricas na Amazônia voltam aos holofotes em ano eleitoral
Depois de quase dez anos sem licitar novos projetos hidrelétricos de médio ou grande porte no Brasil, em janeiro, o governo federal revelou que voltou a estudar a construção de três grandes usinas na bacia do rio Tapajós, no noroeste do Pará, em um dos locais mais preservados da Amazônia. “Não houve nenhuma conversa prévia ou anúncio para o mercado. Foi uma surpresa mesmo”, garante Roberto Kishinami, do Instituto Clima e Sociedade (ICS), uma organização sem fins lucrativos que luta pela justiça climática. (epbr)

Brasil atinge 10 GW de potência instalada em Geração Distribuída
A Geração Distribuída vem ganhando cada vez mais força e cresce em ritmo acelerado no primeiro trimestre de 2022. Ao atingir a marca de 10 GW de potência instalada nessa terça-feira, 29 de março, o país passou de 9 GW para o patamar atual em 67 dias. (Canal Energia)

Reservatórios do Sul tem elevação de 0,7 p.p em seus níveis e operam com 44,4%
Todos os outros subsistemas continuam apresentando crescimento no volume de seus reservatórios. Os reservatórios da região Sul continuam em crescimento e apresentaram elevação de 0,7 ponto percentual na última segunda-feira, 28 de março, segundo o boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). O subsistema trabalha com 44,4% de sua capacidade. A energia armazenada marca 8.734 MW mês e ENA é de 11.550 MW med, equivalente a 97% da média de longo termo armazenável no mês até o dia. As UHEs G.B Munhoz e Passo Fundo funcionam com 60,99% e 30,44%, respectivamente. (Canal Energia)

Credores da Usina São Fernando aprovam venda para a Pedra Agroindustrial
Grupo vai pagar R$ 661 milhões pela empresa ao longo de 20 anos. A Pedra Agroindustrial, grupo sucroalcooleiro que três usinas em São Paulo e é sócio da Copersucar, deverá ser a nova dona da Usina São Fernando, em Dourados (MS), que está falida e parada há mais de um ano. Em assembleia realizada hoje (29/3), os credores da usina concordaram com a venda à Pedra detrimento da proposta apresentada pela Energética Santa Helena. (Valor Econômico)

Reciclagem de resíduos sólidos estaciona em 3%
Brasil produz 250 mil toneladas de lixo por dia e recicla apenas 3% do total. O Brasil precisa de soluções para destinação das cerca de 250 mil toneladas de lixo que produz diariamente. O país pouco avançou desde a implantação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, em 2010. A reciclagem se mantém nos 3%, segundo a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe). (Valor Econômico)

. . .

 

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 112,3/Barril +1,91%

CÂMBIO

R$ 4,75/USD -0,31%

Petróleo fecha em queda com otimismo sobre acordo entre Rússia e Ucrânia
Os contratos futuros do petróleo fecharam em queda nesta terça-feira, estendendo as perdas do dia anterior e revertendo os ganhos vistos de manhã, com o otimismo em relação às negociações de paz entre a Rússia e a Ucrânia compensando a sinalização da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados (Opep+) de que o grupo não elevará a produção. (Valor Econômico)

Para analistas, Petrobras manterá paridade
Adriano Pires é bem-recebido, mas trocas constantes aumentam percepção de risco político. A demissão de Joaquim Silva e Luna da presidência da Petrobras e sua substituição pelo engenheiro Adriano Pires, confirmada ontem à noite pelo governo federal, não deve trazer alterações bruscas na política de preços da companhia, pelo menos no curto prazo, na opinião de analistas. (Valor Econômico)

Silva e Luna diz que a Petrobras não é lugar para aventureiros
O presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, que deixará o cargo no dia 13 de abril, afirmou ontem que a empresa “não é lugar para aventureiros”. Um dia após o anúncio oficial de sua demissão, ele ressaltou que não é permitido fazer “política pública” nem “política partidária” na estatal, e que existe um embate entre o “racional” e o “emocional” nas discussões do preço dos combustíveis. (Valor Econômico)

De Lula a Moro, presidenciáveis criticam troca no comando da Petrobras promovida por Bolsonaro
Há ataques ao futuro presidente e defesa de que mudança é “cortina de fumaça” para ocultar problemas. Com exceção do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), os principais pré-candidatos à Presidência criticaram nesta terça-feira (29) a troca de comando na Petrobras ordenada por Jair Bolsonaro (PL). O presidente demitiu o general Joaquim Silva e Luna da presidência da companhia e escolheu o economista Adriano Pires para substituí-lo. (Valor Econômico)

Opep+ pede confiança em sua estratégia de oferta de petróleo
Os EUA e outros grandes países importadores têm feito apelos para que o grupo aumente a produção da commodity após a invasão da Ucrânia pela Rússia. A Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos afirmam que os EUA precisam confiar na estratégia da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados , a Opep+. A Casa Branca e autoridades de outros grandes países importadores pedem que o grupo aumente a produção de petróleo após a Rússia invadir a Ucrânia. (Valor Econômico)

Petrobras: Mudança no comando não deve alterar profundamente política de preços, dizem analistas
A indicação de Pires deve trazer questionamentos de governança por causa da proximidade dele com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e como consultor de outras empresas do setor de energia. A troca no comando da Petrobras não deve causar alterações profundas na política de preços de combustíveis, apesar do contexto negativo em que aconteceu a mudança, diz o Goldman Sachs. Para o Credit Suisse, a troca deve aumentar a percepção de risco de interferência por conta da alta pressão em torno da política de preços da companhia. (Valor Econômico)

O que defende Adriano Pires, indicado do governo para comandar a Petrobras
O presidente Jair Bolsonaro (PL) encontrou uma saída para demitir o general da reserva Joaquim Silva e Luna do comando da Petrobras e indicar para seu lugar o consultor Adriano Pires, sócio-fundador do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE). (epbr)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Orizon (ORVR3): Um jovem gigante? Aumentando nosso preço-alvo para R$40/ação e reiterando Compra (link)
  • CESP (CESP6): Aprovação Final da Reorganização Societária e Nova Marca ‘Auren Energia’ (link)
  • O Gambito Da Rainha: O que um embargo ao Petróleo da Rússia significa para a oferta Global, o Brasil e a Petrobrás? (link)
  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Terça-Feira, 29 de Março

Destaques: (i) Bolsonaro decide demitir presidente da Petrobras. (Valor Econômico); (ii) Adriano Pires é indicado à presidência da Petrobras. (Valor Econômico); (iii) Auren, a nova elétrica de CPP e Votorantim, estreia na B3. (Valor Econômico).

Elétricas e Saneamento

Auren, a nova elétrica de CPP e Votorantim, estreia na B3
Controladora da CESP e com foco em ativos renováveis, nova elétrica tem receita líquida pro-forma de R$ 6,5 bilhões e mira aquisições. Fruto da reorganização societária dos ativos do grupo Votorantim e do fundo canadense CPP Investiments no setor de energia, a Auren Energia estreou ontem suas ações no Novo Mercado da B3, avaliada em torno de R$ 16 bilhões. A companhia chega com disposição para crescer e se posicionar entre as grandes geradoras de energia do país. (Valor Econômico)

Lucro da Renova Energia recua 34,7% no 4º trimestre de 2021
A Renova Energia, empresa em recuperação judicial, registrou lucro líquido de R$ 160,2 milhões no quarto trimestre de 2021, em queda de 34,7% em relação ao lucro líquido de R$ 245,3 milhões obtido no quarto trimestre de 2020. (Valor Econômico)

Eneva: Cade aprova aquisição de parte da Eletronorte
A Superintendência do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou um negócio que envolve a aquisição pela Eneva de 49% das ações da Amapari atualmente detidas pela Eletronorte. Com esse negócio, a Eneva passará a deter a totalidade do capital social da Amapari. A empresa compradora atua na geração de energia elétrica de forma integrada ao setor termoelétrico envolvendo gás natural. (Valor Econômico)

Cade aprova aquisição de 100% da Gemini pela Energisa
A companhia compradora opera nas áreas de distribuição, transmissão, comercialização e geração de energia, já a vendedora está na linha transmissões de energia. A companhia compradora opera nas áreas de distribuição, transmissão, comercialização e geração de energia e faturou mais de R$ 750 milhões no ano passado. Já a vendedora está na linha transmissões de energia. (Valor Econômico)

Taesa anuncia R$ 1,2 bi em debêntures
A Taesa quer captar R$1,2 bilhão em debêntures simples, com o pagamento aos investidores acontecendo em até três séries para 2029, 2032 e 2037, informou a companhia em comunicado ao mercado na última sexta-feira, 25 de março. O coordenador líder da operação é o Banco Santander e os investidores terão a isenção do imposto de renda. (Canal Energia)

Todos as regiões apresentaram elevação em seus reservatórios
A Região Norte teve crescimento de 0,2 ponto percentual nos níveis de seus reservatórios, no último domingo, 27 de março, segundo o boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). O subsistema está operando com 98,1% da capacidade. A energia armazenada mostra 15.011 MW mês e a ENA aparece com 31.990 MW med, o mesmo que 121% da MLT. A UHE Tucuruí segue com 98,69%. (Canal Energia)

Mercado livre de energia se prepara para a tokenização de ativos
Qualquer investidor poderá ter acesso, ainda que de forma indireta, a ativos financeiros que hoje são transacionados exclusivamente por agentes monitorados pela complexa legislação do setor elétrico brasileiro (Agência Infra)

. . .

 

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 112,4/Barril -0,07%

CÂMBIO

R$ 4,77/USD +0,53%

Bolsonaro decide demitir presidente da Petrobras
Silva e Luna será substituido por Adriano Pires, em decisão discutida com Forças Armadas. Em meio à sua insatisfação e de seus aliados políticos com os reajustes dos preços dos combustíveis e seus efeitos inflacionários em ano eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro decidiu ontem demitir o atual presidente da Petrobras, o general Joaquim Silva e Luna, e nomear para o cargo o consultor Adriano Pires, especialista em energia. (Valor Econômico)

Adriano Pires é indicado à presidência da Petrobras
Em meio à insatisfação de aliados com a atual gestão da Petrobras e com o risco de a alta dos preços dos combustíveis corroer sua taxa de aprovação entre os eleitores, o presidente Jair Bolsonaro decidiu ontem retirar o general da reserva Joaquim Silva e Luna da presidência da Petrobras e indicou o economista Adriano Pires para o cargo. (Valor Econômico)

Como foi armada a conspirata contra o general
Um dos maiores críticos das gestões do PT à frente da Petrobras, o economista Adriano Pires, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro e fundador do Centro Brasileiro de Infraestrutura, será submetido, no cargo de presidente da companhia, a pressões iguais – ou maiores – do que aquelas que a levaram ao fundo do poço. (Valor Econômico)

Importação de combustíveis pelo país recua em janeiro
As importações líquidas de diesel e gasolina no Brasil caíram em janeiro, aponta o relatório mensal da consultoria S&P Global Commodity Insights, antecipado ao Valor. Ao todo, o volume importado de gasolina no mês ficou praticamente zerado, enquanto as importações de diesel ficaram em 105 mil barris por dia (barris/dia), em média, menor volume desde setembro de 2018. (Valor Econômico)

Troca na Petrobras é aceno à população, mas política de preços deve seguir igual
A mudança na presidência da Petrobras é um aceno do presidente Jair Bolsonaro à população de que está buscando uma solução para o aumento nos preços dos combustíveis, mas, na prática, a política de preços da companhia deve seguir inalterada, afirmaram analistas ouvidos pelo Valor. (Valor Econômico)

Petróleo fecha em forte queda após anúncio de lockdown em Xangai
O contrato do petróleo Brent para junho fechou em queda de 6,71%, a US$ 109,49 por barril, enquanto o do petróleo WTI para maio recuou 6,97%, a US$ 105,96 por barril. Os contratos futuros do petróleo fecharam a sessão desta segunda-feira (28) em forte queda, pressionados pelos temores de que novos lockdowns na China para conter um novo surto de covid-19 no país prejudiquem a demanda pela commodity. (Valor Econômico)

Symone Araújo é nomeada assessora e permanece na ANP
Symone Araújo foi nomeada assessora do diretor geral da ANP, Rodolfo Saboia nesta segunda (28/3). A decisão está publicada no DOU. Com isso, Symone permanece na ANP após o fim de seu mandato na diretoria, que se encerrou na sexta (25). A ANP passa a ter apenas um diretor titular, Saboia, três substitutos e, agora, volta a ficar com uma diretoria vaga. (epbr)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Orizon (ORVR3): Um jovem gigante? Aumentando nosso preço-alvo para R$40/ação e reiterando Compra (link)
  • CESP (CESP6): Aprovação Final da Reorganização Societária e Nova Marca ‘Auren Energia’ (link)
  • O Gambito Da Rainha: O que um embargo ao Petróleo da Rússia significa para a oferta Global, o Brasil e a Petrobrás? (link)
  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Segunda-Feira, 28 de Março

Destaques: (i) Alta dos combustíveis ainda inquieta o governo (Valor Econômico); (ii) Consumo nacional de energia deve crescer 3,7% em abril, na comparação anual. (Valor Econômico).

Elétricas e Saneamento

Consumo nacional de energia deve crescer 3,7% em abril, na comparação anual
A carga de energia no Sistema Interligado Nacional (SIN) deve chegar a 71.435 megawatts médios (MWm) em abril, aumento de 3,7% em relação a igual mês em 2021. A previsão está na atualização semanal do boletim mensal de operação do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), divulgada nessa sexta-feira (25). (Valor Econômico)

Interligação com Venezuela será incorporada à concessão da Eletronorte
O Ministério de Minas e Energia autorizou a Agência Nacional de Energia Elétrica a incorporar os bens e as instalações da Interligação Elétrica Brasil-Venezuela ao contrato de concessão de transmissão da Eletronorte. A estatal vai receber indenização de R$ 2,2 milhões (a preços de junho de 2021) por investimentos realizados fora da concepção original do sistema de transmissão que atendia o estado de Roraima. (Canal Energia)

ONS prevê reservatórios em elevação em abril
O volume de reservatórios continua a subir em todo o país. Segundo a projeção do Operador Nacional do Sistema Elétrico, na comparação com o volume desta sexta-feira, 25 de março, é esperado aumento nos quatro submercados. A projeção revelada no segundo dia da reunião do PMO de abril é de que os níveis no Sudeste/ Centro-Oeste alcancem 69% da capacidade. No Norte e no Nordeste a expectativa é de quase chegar à totalidade, sendo 98,2% e 95%, respectivamente. No sul está o menor nível esperado com 40,5%. (Canal Energia)

ISA Cteep inicia construção de projeto pioneiro de baterias para armazenar energia
A companhia de transmissão de energia fechou contrato com um consórcio formado pela You.On Energia e a TS Infraestrutura para executar as obras do 1º projeto no país de baterias em larga escala para armazenar energia no Sistema Integrado Nacional (SIN). (Valor Econômico)

Light terá novo plano de desenvolvimento
O novo presidente do conselho de administração da Light, Wilson Poit, está trabalhando em parceria com o antigo ocupante do cargo, Firmino Sampaio, em um novo plano para a companhia. Os executivos conversaram sobre o tema com analistas em teleconferência na sexta-feira. “Estamos preparando há um tempo um plano junto ao Firmino, aos demais conselheiros e à diretoria, não só para resolver os desafios do presente, especialmente ligados ao combate de perdas, mas também para orientar a Light ao futuro, para novas receitas e novos negócios”, disse Poit. (Valor Econômico)

Região Sul tem aumento de 1,9 p.p e opera com 38,3% da capacidade
Superando a queda das últimas semanas, a região Sul teve aumento de 1,9 ponto percentual nos níveis de seus reservatórios e está operando com 38,3% de sua capacidade de armazenamento, na última quinta-feira, 24 de março, se comparado ao dia anterior, segundo o boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). A energia retida é de 7.531 MW mês e ENA aponta 11.635 MW med, valor que corresponde a 78% da MLT. As UHEs G.B Munhoz e Passo Fundo funcionam com 50,97% e 29,44%, respectivamente. (Canal Energia)

. . .

 

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 116,4/Barril -3,51%

CÂMBIO

R$ 4,74/USD -1,75%

Alíquota única do ICMS dos combustíveis e seu impacto
Após ter sido anunciado forte aumento no preço cobrado pelos combustíveis nas refinarias, o Congresso aprovou às pressas o Projeto de Lei Complementar nº 11 de 2020, que já foi sancionado na íntegra pela Presidência e convertido na Lei Complementar nº 192, publicada na sexta-feira, dia 11 de março de 2022 (LC 192). (Valor Econômico)

Alta dos combustíveis ainda inquieta o governo
O rumo da inflação no Brasil depende em grande parte do rumo dos preços do petróleo. O presidente Jair Bolsonaro, cujos instintos intervencionistas são conhecidos, está mais preocupado do que nunca neste momento com isso, porque pode arruinar sua campanha pela reeleição. (Valor Econômico)

Quatro distribuidoras respondem por 70% da meta de CBios de 2022
Quatro distribuidoras de combustíveis serão as responsáveis pelo cumprimento de 70% da meta de compra de Créditos de Descarbonização (CBios) deste ano. A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) definiu ontem (24/3) a fatia de cada distribuidora, calculada com base na participação dessas empresas no mercado de combustíveis. (Valor Econômico)

Alta do petróleo impulsiona revitalização de campos maduros no Brasil
O aumento nos preços do barril de petróleo é um estímulo adicional para que companhias independentes façam investimentos para revitalização de campos de petróleo e gás considerados maduros, ou seja, aqueles que já passaram do pico de produção, indicam especialistas. A contribuição dessas áreas para um eventual aumento da produção nacional com a guerra entre Russia e Ucrânica, entretanto, seria baixa. (Valor Econômico)

Estados driblam desoneração com novo ICMS do diesel
Os estados aprovaram a nova tributação do ICMS do diesel, que passará a valer em todo o Brasil a partir de 1º de julho, para atender à nova lei aprovada este mês no Congresso Nacional. Com isso, querem evitar o impacto na arrecadação que seria provocado por um dispositivo de transição na lei, que obrigaria os estados a usar uma média de 60 meses para definir o preço médio do diesel sobre o qual incidem as alíquotas percentuais, que deixarão de existir. (epbr)

Fecombustíveis alerta ANP sobre possível desabastecimento de combustíveis no país
Segundo a entidade, a revenda já está passando por um contingenciamento nas entregas de óleo diesel por todas as distribuidoras. Em função disso, a Fecombustíveis achou necessário chamar a atenção da agência reguladora para dois aspectos: o desabastecimento de combustíveis e o risco à competitividade dos postos “bandeira branca”. (Petróleo Hoje)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Orizon (ORVR3): Um jovem gigante? Aumentando nosso preço-alvo para R$40/ação e reiterando Compra (link)
  • CESP (CESP6): Aprovação Final da Reorganização Societária e Nova Marca ‘Auren Energia’ (link)
  • O Gambito Da Rainha: O que um embargo ao Petróleo da Rússia significa para a oferta Global, o Brasil e a Petrobrás? (link)
  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Sexta-Feira, 25 de Março

Destaques: (i) Solução para baratear gasolina está difícil, afirma líder do governo (Valor Econômico); (ii) Principais traders alertam que preços podem ultrapassar US$ 200 o barril. (Valor Econômico); (iii) Sabesp tem lucro de R$ 567,5 milhões no 4º trimestre de 2021, queda de 31,7%. (Valor Econômico).

Elétricas e Saneamento

Sabesp tem lucro de R$ 567,5 milhões no 4º trimestre de 2021, queda de 31,7%
A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo teve lucro líquido de R$ 567,5 milhões no quarto trimestre de 2021, recuo de 31,7% ante o ganho de R$ 831,5 milhões em igual período de 2020, segundo demonstrações financeiras enviadas à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta sexta-feira. Os valores referem-se aos atribuíveis aos controladores. (Valor Econômico)

Carga em abril deve crescer 3,7%, projeta ONS
A projeção de carga para o mês de abril aponta para uma expansão de 3,7% na comparação com o mesmo período do ano passado. Se a previsão se confirmar serão 71.435 MW médios. Os dados foram apresentados pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico nesta quinta-feira, 24 de março, durante o primeiro dia de reunião do PMO para o próximo mês. Em março a expectativa é de fechar o mês em alta de 1,5%, com 73.820 MW médios. (Canal Energia)

Cesp deixa de existir e é criada a Auren Energia
As ações da Cesp deixarão de ser negociadas na B3 e passará de categoria A para B ante a Comissão de Valores Mobiliários. Passam a ser substituídas pela controladora VTRM que teve sua razão social alterada para Auren Energia. Conforme deliberação da AGE, ocorrerá a saída da companhia do Nível 1 de governança corporativa da B3. Enquanto os papeis da VTRM passarão a ser negociadas no Novo Mercado a partir do dia 28 de março de 2022. (Canal Energia)

Pesquisadores denunciam nova mordida em recursos de P&D no PL 414
Alterações previstas no PL 414 na destinação de recursos do Programa de Pesquisa e Desenvolvimento da Aneel podem enfraquecer a cadeia de inovação no país, paralisando a contratação de projetos importantes para a modernização do próprio setor elétrico. O alerta é feito por pesquisadores ligados a Centros de Pesquisa, startups e empresas de base tecnológica, que denunciam uma nova tentativa de redirecionar o orçamento das empresas de geração, transmissão e distribuição, depois da “mordida” autorizada em 2020 pela Medida Provisória 998 (atual Lei 14.120). (Canal Energia)

Nordeste conta com 91% do volume de sua capacidade
Operando com 91% de sua capacidade de armazenamento, os reservatórios do Nordeste apresentaram crescimento de 0,1 ponto percentual na última quarta-feira, 23 de março, se comparado ao dia anterior, segundo o boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). A energia armazenada marca 47.021 MW mês e ENA de 16.982 MW med, equivalente a 125% da MLT. A hidrelétrica de Sobradinho marca 94,27%. (Canal Energia)

Linhas de transmissão superaram projeções em mais de 300%
Entre 2011 e 2020, os investimentos em linhas de transmissão no país superaram em mais de 300% o que havia sido previsto pela EPE (Empresa de Pesquisa Energética) no Plano Decenal referente ao período. Em relação à extensão das linhas, o total ultrapassou em 13% o projetado pela empresa. (Poder360)

. . .

 

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 118,1/Barril -0,77%

CÂMBIO

R$ 4,83/USD -0,25%

Solução para baratear gasolina está difícil, afirma líder do governo
O líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP-PR), afirmou nesta quinta-feira que o Executivo está estudando muitas formas de reduzir o preço da gasolina, mas que esbarrou em muitas travas legais e não tem encontrado uma solução. “Vejo muita dificuldade que nós consigamos achar uma fórmula que supere todas essas dificuldades”, disse. (Valor Econômico)

Principais traders alertam que preços podem ultrapassar US$ 200 o barril
Pierre Andurand, um dos gestores de fundos hedge mais conhecidos do setor, disse ontem que os suprimentos de petróleo russo para a Europa poderão desaparecer depois da invasão da Ucrânia por Vladimir Putin, o que levará a uma reformulação duradoura dos mercados mundiais de energia. (Valor Econômico)

Petróleo caro ajuda a revitalizar os campos maduros
O aumento nos preços do barril de petróleo é um estímulo adicional para que companhias independentes façam investimentos para revitalização de campos de petróleo e gás considerados maduros, ou seja, aqueles que já passaram do pico de produção, indicam especialistas. (Valor Econômico)

Canadá ampliará exportações de petróleo e gás para compensar sanções à Rússia
“A indústria canadense tem a capacidade de aumentar suas exportações de petróleo e gás em 2022 em até 300 mil barris por dia”, destacou o ministro de Recursos do país. “Nossos amigos e aliados europeus precisam que o Canadá e outros países se manifestem. Eles estão dizendo que precisam de nossa ajuda para se livrar do petróleo e gás russos no curto prazo”, disse o ministro de Recursos do Canadá, Jonathan Wilkinson, em nota. (Valor Econômico)

Petróleo fecha em queda ante possível liberação de reservas dos EUA e aliados
Os preços do petróleo terminaram a sessão desta quinta-feira (24) em baixa, em meio a informações de que os Estados Unidos e seus aliados estão estudando a liberação de reservas estratégicas para tentar arrefecer a alta dos valores dos barris. Também há um aumento nas expectativas por um acordo nuclear entre Irã e EUA, o que liberaria mais petróleo no mercado e ajudaria a reduzir a restrição da oferta. (Valor Econômico)

EUA e aliados estudam liberar reservas estratégicas de petróleo para amenizar efeitos da guerra
Os Estados Unidos e seus aliados estão estudando a liberação de mais reservas estratégicas de petróleo para minimizar os efeitos de redução da oferta da Rússia, em meio à guerra com a Ucrânia. A notícia fez as cotações do petróleo caírem mais de 2% nesta quinta-feira. (Valor Econômico)

Repasse do petróleo à bomba pode chegar a 66% em 2022
BC estima que impacto na inflação pode ser maior que 2021. O preço da gasolina no Brasil deve ser ainda mais sensível ao do petróleo em 2022 do que foi em 2021, quando os combustíveis contribuíram com um terço da alta de 10,06% do IPCA, diz o Banco Central no Relatório de Inflação (RI) de março, divulgado ontem. (Valor Econômico)

Mudanças no ICMS dos combustíveis geram perdas de R$ 30 bilhões aos Estados, diz presidente do Comsefaz
Estados estimam em R$ 30 bilhões as perdas que terão com as alterações na tributação dos combustíveis adotadas na tentativa de conter preços, disse nessa quinta-feira (24) Décio Padilha, presidente do Comitê Nacional dos Secretários de Fazenda dos Estados e do Distrito Federal (Comsefaz). São perto de R$ 14 bilhões com o congelamento, por 17 meses, do ICMS do diesel. (Valor Econômico)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • O Gambito Da Rainha: O que um embargo ao Petróleo da Rússia significa para a oferta Global, o Brasil e a Petrobrás? (link)
  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Quinta-Feira, 24 de Março

Destaques: (i) Aliança com centrão aumenta pressão pela troca de presidente da Petrobras. (Folha de São Paulo); (ii) Lucro da Equatorial aumenta 1,4% no 4º trimestre de 2021, para R$ 1,421 bilhão. (Valor Econômico); (iii) Cesp passa a ser negociada como Auren Energia a partir de segunda-feira na B3. (Valor Econômico).

Elétricas e Saneamento

Lucro da Equatorial aumenta 1,4% no 4º trimestre de 2021, para R$ 1,421 bilhão
A Equatorial Energia teve lucro líquido de R$ 1,421 bilhão no quarto trimestre de 2021, aumento de 1,4% ante o ganho de R$ 1,401 bilhão em igual período de 2020, segundo demonstrações financeiras enviadas à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta quarta-feira. Os valores referem-se aos atribuíveis aos controladores. (Valor Econômico)

Cesp passa a ser negociada como Auren Energia a partir de segunda-feira na B3
A Cesp (Companhia Energética de São Paulo) informou ao mercado na manhã desta quinta-feira (24) que suas ações serão negociadas na B3 até esta sexta-feira (25) e, a partir de segunda-feira (28), passarão a adotar o nome Auren Energia, sob o ticker AURE3. (Valor Econômico)

Relator defende votação do PL 414 logo após votação da urgência
O relator do PL 414 na Câmara dos Deputados, Fernando Coelho Filho (União-PE), disse que pretende sugerir ao presidente da casa, Arthur Lira (PP-AL), que submeta ao plenário a urgência do projeto apenas quando tiver no horizonte a possibilidade de votar também o mérito da matéria. A ideia é evitar que o texto fique sujeito a demandas e a pressões, uma vez que a versão final do parecer deve ser divulgada no site da Câmara após a votação da urgência. (Canal Energia)

Livre escolha tem de chegar ao consumidor de baixa tensão
Passou da hora de o consumidor brasileiro de energia elétrica ter liberdade de escolha. O Projeto de Lei 414/2021, que discute a portabilidade da conta de luz e moderniza o marco regulatório do setor elétrico para ampliar o mercado livre, foi apontado como uma das prioridades do governo federal na agenda legislativa deste ano. (Valor Econômico)

Energisa destina R$ 14 bi a negócios não regulados
O objetivo é, nos próximos quatro anos, elevar de 8% para 25% a participação das atividades não reguladas. O grupo Energisa planeja investir R$ 14 bilhões, até 2026, para expandir suas atividades não reguladas – nos segmentos de geração distribuída, comercialização no mercado livre e serviços de valor agregado. A empresa criou uma nova unidade de negócio para englobar as operações, com o nome de (Re)energisa. (Valor Econômico)

Reservatórios do Norte marcam 98% nos níveis de seus reservatórios
Apresentando níveis estáveis de seus reservatórios na última terça-feira, 22 de março, segundo o boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), a região Norte está operando com 98% de sua capacidade. A energia armazenada está em 15.001 MW mês e ENA é de 33.019 MW med, equivalente a 122% da média de longo termo armazenável no mês até o dia. A UHE Tucuruí segue com 98,62%. SE/CO opera com 62,3%, Nordeste com 90,9% e Sul com 35,8%. (Canal Energia)

Copel avança com desinvestimentos de Foz do Areia e Compagas
Para ficar com seu principal ativo de geração ainda em portfolio, a Copel trabalha para efetuar a venda do controle da hidrelétrica Foz do Areia no final de 2023, enquanto a alienação de sua fatia majoritária na Compagas poderá ser realizada ainda este ano, avaliou o presidente da companhia, Daniel Slaviero, durante teleconferência com analistas nessa quarta-feira, 23 de março. A estatal possui 51% das ações sobre a distribuidora de gás canalizado do Paraná, com a participação restante da japonesa Mitsui e da Gaspetro. (Canal Energia)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 121,5/Barril -0,06%

CÂMBIO

R$ 4,84/USD -1,45%

Aliança com centrão aumenta pressão pela troca de presidente da Petrobras
O presidente da Petrobras, general Joaquim Silva e Luna, corre o risco de ser substituído no próximo mês caso Jair Bolsonaro (PL) reforce acordo com centrão, grupo político que, pela reeleição do presidente, defende um nome mais flexível ao controle de preços dos combustíveis. Até Guedes chancelou substituto ao Silva e Luna. (Folha de São Paulo)

Estados mantêm congelamento do ICMS dos combustíveis e vão ao STF contra mudança no tributo
Em reunião realizada nessa terça (22/3), os governadores decidiram prorrogar o congelamento do ICMS sobre a gasolina por mais três meses — o prazo final era 31 de março — e adotar a alíquota única do imposto para o diesel, conforme lei aprovada pelo Congresso e sancionada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (PL). (epbr)

Para ampliar oferta global, ministro promete mais petróleo brasileiro
O Brasil deve aumentar a produção diária de petróleo em cerca de 10% em 2022, disse ontem o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. O anúncio foi feito na abertura da reunião de ministros de Energia de diferentes países promovida pela Agência Internacional de Energia (AIE), em Paris. (Valor Econômico)

Brasil vai aumentar em 10% a produção de petróleo para ajudar a estabilizar o mercado
Há duas semanas, o Valor informou que o governo brasileiro havia se comprometido com os Estados Unidos a expandir a produção de óleo e gás como forma de ajudar a manter a regularidade do abastecimento no mundo, afetado diretamente pelos efeitos da invasão russa na Ucrânia. (Valor Econômico)

Petróleo fecha na máxima de mais de 2 semanas com queda nos estoques dos EUA
Receios em relação à invasão da Ucrânia também impulsionaram os preços dos contratos do Brent, que avançou 5,29%,na sessão, e do WTI, que valorizou 5,17%. Os contratos futuros do petróleo fecharam em forte alta, nesta quarta-feira (23), encerrando a sessão na máxima de mais de duas semanas, após a divulgação dos dados dos estoques nos Estados Unidos — que recuaram mais que o esperado, o que é positivo para os preços — e com receios renovados sobre a invasão da Ucrânia. (Valor Econômico)

Estoques de petróleo dos EUA contrariam expectativa e recuam na semana passada
Os estoques americanos de petróleo caíram 2,508 milhões de barris na semana encerrada na última sexta-feira (18), para 413,399 milhões de unidades, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira (23) pelo Departamento de Energia dos EUA (DoE, na sigla em inglês). O aumento contrariou a expectativa dos analistas consultados pelo “Wall Street Journal”, de leitura estável no período. (Valor Econômico)

Shell fará nova campanha de perfuração em 2023
A petroleira lançou bid para afretar uma sonda. Algumas empresas, entretanto, já informaram que não possuem disponibilidade para atender a campanha. A Shell não especifica as áreas de locação dos poços tampouco se a campanha será voltada à exploração ou intervenção. A aposta do mercado é que a campanha será realizada no bloco C-M-713, C-M-659 ou C-M-757, na Bacia de Campos. (Petróleo Hoje)

Eneva inicia mais uma perfuração na Bacia do Amazonas
Esse não é o primeiro poço perfurado pela companhia neste bloco, já que o 1-ENV-27D-AM começou a ser perfurado em 9 de dezembro de 2021, em profundidade de 2,4 mil m, sendo finalizado no dia 1º de janeiro de 2022 e concluído no dia 8 do mesmo mês. A sonda utilizada para as atividades foi a Queiroz Galvão VIII, da Constellation (antiga QGOG). (Petróleo Hoje)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • O Gambito Da Rainha: O que um embargo ao Petróleo da Rússia significa para a oferta Global, o Brasil e a Petrobrás? (link)
  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Quarta-Feira, 23 de Março

Destaques: (i) Surge primeiro cotado para substituir Silva e Luna na Petrobras. (epbr); (ii) Privatização da Eletrobras pode ficar para agosto, admite presidente. (Valor Econômico).

Elétricas e Saneamento

Privatização da Eletrobras pode ficar para agosto, admite presidente
A Eletrobras ainda trabalha com a expectativa de realizar a operação de capitalização e a consequente privatização da empresa em maio, mas há possibilidade de que o processo seja concluído somente em agosto, admitiu ontem o presidente da companhia, Rodrigo Limp, em teleconferência com analistas. (Valor Econômico)

Eletrobras ainda projeta capitalização até 13 de maio
A Eletrobras ainda trabalha com a perspectiva de que a capitalização da empresa ocorra até 13 de maio, a data limite que utiliza como base os resultados anuais, divulgados na noite da última sexta-feira, 18 de março. Nesse período, o Tribunal de Contas da União deverá aprovar o valor mínimo das ações, a avaliação da empresa (valuation) feito por duas empresas diferentes contratadas pelo BNDES, a estatal deverá apresentar à CVM a oferta e se aprovada publicar com antecedência para viabilizar a operação de emissão de ações, e ainda fazer o roadshow da operação. Caso perca a data, a próxima data limite, referente aos resultados do primeiro trimestre de 2022, vai até meados de agosto. (Canal Energia)

Carga de energia cresce 8% em 2021 pela retomada da atividade econômica, mostra Eletrobras
Ao todo, a estatal respondeu por cerca de 30% da geração de energia total no país no período. A carga de energia elétrica no Brasil cresceu 8% em 2021, dada a recuperação das atividades econômicas depois dos impactos sentidos em 2020 pela pandemia, apontou o presidente da Eletrobras, Rodrigo Limp, em teleconferência com analistas nesta terça-feira. (Valor Econômico)

Em ano de crise hídrica, Itaipu otimiza produção de energia
Segundo o diretor-geral brasileiro da companhia, a binacional contribuiu focando na otimização da sua produção, de modo a garantir o melhor aproveitamento possível da água. Mesmo com menos água disponível em 2021, por conta da pior escassez hídrica dos últimos 91 anos, a usina hidrelétrica de Itaipu Binacional conseguiu melhorar os níveis de eficiência e produtividade, o que ajudou o Brasil a passar pela fase mais crítica da crise. (Valor Econômico)

Copel negocia parceria para leilão de transmissão
A Companhia Paranaense de Energia (Copel) planeja disputar o próximo leilão de linhas de transmissão, marcado para junho. A empresa tem negociado com parceiros para participar em consórcio da concorrência de três blocos, localizados no Sudeste do país. (Valor Econômico)

Deputado apresenta PL que unifica ICMS sobre combustíveis e energia em 17%
Seg O deputado Danilo Forte (PSDB-CE) apresentou um novo projeto de lei que mexe na cobrança de ICMS sobre combustíveis. A proposta atinge também energia, comunicação e transporte coletivo e fixa uma alíquota máxima de 17% sobre esses serviços. (Agência Infra)

Nordeste opera com 82,3% de sua capacidade
Operando com 82,3% de sua capacidade de armazenamento, os reservatórios do Nordeste apresentaram crescimento de 0,3 ponto percentual na última quarta-feira, 03 de março, se comparado ao dia anterior, segundo o boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). A energia armazenada marca 42.552 MW mês e ENA de 16.708 MW med, equivalente a 120% da MLT. A hidrelétrica de Sobradinho marca 80,04%. (Canal Energia)

Abertura do ACL pode custar R$ 0,05 por MWh, aponta Abraceel
Um novo estudo realizado pela Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia calcula que o valor médio a ser pago pela abertura do mercado a todos os consumidores é de R$ 0,05/MWh até o ano de 2035. Esse valor é considerado conservador e pode ser até menor, pois depende do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD).  (Canal Energia)

CCEE: Consumo de energia elétrica sobe 1% em fevereiro
O consumo de energia elétrica no Brasil registrou aumento de 1% em fevereiro em relação ao mesmo período do ano passado, segundo informações preliminares do Boletim InfoMercado Quinzenal da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE. O país demandou 68.430 megawatts médios, impactado pela maior participação do mercado livre, que teve alta 4,7%, com 23.496 MW médios. No mercado regulado foram consumidos 44.934 MW médios, redução de 1%. (Canal Energia)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 115,5/Barril -0,08%

CÂMBIO

R$ 4,94/USD -1,42%

Comissão do Senado convida Silva e Luna
A Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) do Senado aprovou ontem um convite ao presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, para que ele explique os critérios de distribuição de mais de R$ 100 bilhões em dividendos pela companhia. (Valor Econômico)

Surge primeiro cotado para substituir Silva e Luna na Petrobras
Caio Mario Paes de Andrade, titular da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, subordinada ao Ministério da Economia, vem sendo cotado para substituir Joaquim Silva e Luna no comando da Petrobras. A ligação com a pasta de Paulo Guedes daria a ele um selo “pró-mercado”, diz o Valor. (Valor Econômico)

Petróleo fecha em leve queda, pressionado pela guerra na Ucrânia e dados de estoques nos EUA
Apesar dessa pressão nos preços, o contrato do petróleo Brent para junho fechou a US$ 111,83 por barril, enquanto o do WTI para maio anotou preço de US$ 109,76 por barril. Os contratos futuros do petróleo fecharam a sessão desta terça-feira (22) em leve queda, depois de oscilarem entre ganhos e perdas ao longo do dia, tendo sido puxados para baixo, por um lado, por um movimento de realização de lucros após a alta de quase 20% acumulada pela commodity nas últimas três sessões, mas recebendo suporte por outro da cautela com os temores geopolíticos. (Valor Econômico)

Petrobras confirma oferta vinculante do consórcio Eneva e PetroReconcavo pelo Polo Bahia Terra
A Petrobras confirmou nessa terça-feira (220 que recebeu uma oferta vinculante do consórcio formado por Petroreconcavo e Eneva pelo seu ativo Polo Bahia Terra. Segundo a estatal, a nova rodada ocorre após a conclusão, sem êxito, de negociação para venda dos ativos ao consórcio formado pela Aguila Energia e Participações e Infra Construtora e Serviços, iniciada outubro passado. Na ocasião, as empresas apresentaram proposta superior a US$ 1,5 bilhão. (Valor Econômico)

Lucro líquido da PetroRecôncavo sobe 14,6% no 4º trimestre, para R$ 72,3 milhões
A PetroRecôncavo fechou o quarto trimestre de 2021 com lucro líquido de R$ 72,3 milhões, registrando um acréscimo de 14,6% na comparação com os R$ 63 milhões de um ano antes. No ano passado, esse resultado somou R$ 176,9 milhões, revertendo prejuízo de R$ 81,7 milhões informado em 2020. (Valor Econômico)

Produção de petróleo e gás da Petrobras cai 4,9% em fevereiro ante janeiro, diz ANP
A produção de petróleo e gás natural da Petrobras em fevereiro, mês com menos dias, caiu 4,9% na comparação com janeiro, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), para 2,702 milhões de barris de óleo equivalente diários (boe/d). (Valor Econômico)

ICMS sobre gasolina seguirá congelado até o fim de junho
Pressionados a reduzir o ICMS sobre combustíveis, os governadores decidiram prorrogar por 90 dias a fórmula de cálculo do imposto para a gasolina, que mantém os preços congelados a valores de novembro de 2021.  A medida perderia validade no dia 31 de março, mas agora valerá até o fim de junho. (Valor Econômico)

Cade confirma venda do Polo Potiguar para 3R
Cade decidiu pela aprovação, sem restrições, da aquisição do Polo Potiguar pela 3R Petroleum. O acordo celebrado com a Petrobras, antiga proprietária do ativo, em janeiro deste ano, aguardava a ratificação do órgão regulador. O contrato foi fechado em U$ 1,385 bilhão. (Petróleo Hoje)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • O Gambito Da Rainha: O que um embargo ao Petróleo da Rússia significa para a oferta Global, o Brasil e a Petrobrás? (link)
  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Terça-Feira, 22 de Março

Destaques: (i) Máxima da gasolina supera R$ 8 em 11 estados; diesel encosta em R$ 8. (epbr); (ii) Petróleo fecha em forte alta com temores sobre escassez de oferta. (Valor Econômico); (iii) Saneamento possui demanda represada e atrai novos players. (Valor Econômico).

Elétricas e Saneamento

Saneamento possui demanda represada e atrai novos players
Quase dois anos após a sanção da Lei 14.026, que instituiu o novo marco regulatório e fixou a meta de 2033 para a universalização dos serviços de água e esgoto, o setor de saneamento vive um momento agitado, com avanço do capital privado, concessões bilionárias licitadas, chegada de novos investidores e indefinições sobre o futuro das companhias estaduais. (Valor Econômico)

Guerra deixa a transição energética mais distante
Apesar dos compromissos levantados na COP 26, o uso de carvão no mundo aumentou desde o início da guerra para seus maiores patamares na história, provocando elevações nas emissões de poluentes, enquanto a produção de energia limpa ficou abaixo do nível necessário para que as metas climáticas sejam atingidas. (Valor Econômico)

Consumo de energia elétrica avança em fevereiro, aponta CCEE
O consumo de energia elétrica no Brasil em fevereiro foi de 68.430 megawatts médios (MWm), alta de 1% em relação a igual mês em 2021, segundo dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). (Valor Econômico)

Eletrobras vê recuo de 11% no lucro em 2021
A Eletrobras registrou lucro líquido consolidado de R$ 5,7 bilhões em 2021, um valor 11% inferior ao de 2020. O resultado Ebitda (antes de juros, impostos, depreciação e amortização) recorrente ficou em R$ 19 bilhões, aumento de 35% na comparação com o ano de 2020. Esse indicador sem ser recorrente, apresentou alta de 44% na mesma base de comparação. (Canal Energia)

ONS: carga cresce 1,1% em fevereiro
A carga no Sistema Interligado Nacional no mês de fevereiro cresceu 1,1% em relação a igual mês de 2021, de acordo com dados do Boletim de carga mensal do Operador Nacional do Sistema Elétrico . Na comparação com janeiro desse ano, houve uma variação positiva de 2,1%, enquanto no acumulado de 12 meses a carga do SIN teve variação positiva de 3,7% na comparação ao mesmo período anterior. (Canal Energia)

BNDES anuncia primeira aquisição de créditos de carbono
O BNDES aprovou a operação-piloto para aquisição de até R$ 10 milhões em créditos de carbono, a primeira de sua história. As compras serão voltadas em um primeiro momento para títulos predominantemente de origem REDD+ (Redução de Emissões Provenientes de Desmatamento e Degradação Florestal), Reflorestamento e Energia. (Canal Energia)

Fernando de Noronha recebe estrutura para consolidar mobilidade elétrica na ilha
O arquipélago de Fernando de Noronha recebe um novo impulso no processo de descarbonização da ilha. Nesta segunda-feira (21), a Neoenergia lançou oficialmente o Trilha Verde, projeto que irá a​mpliar a mobilidade elétrica, com a inserção de 18 veículos elétricos no Patrimônio Natural da Humanidade, reconhecido pela Unesco. (Neoenergia)

Disputa por agências reguladoras se acirra; novos nomes surgem e sabatinas ficam para abril
O BNDES Houve uma intensa movimentação política nos bastidores do governo ao longo da última semana por cargos em diretorias das agências reguladoras da área de energia. Um novo nome na disputa por uma vaga no colegiado da ANEEL. (Agência Infra)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 115,5/Barril -0,08%

CÂMBIO

R$ 4,94/USD -1,42%

Máxima da gasolina supera R$ 8 em 11 estados; diesel encosta em R$ 8
O preço médio da gasolina comum está em R$ 7,32, ainda de acordo com dados da agência. As maiores cotações foram registradas no Maranhão e no Rio de Janeiro, onde o combustível tem máxima de R$ 8,32. A cotação máxima do diesel já supera R$ 7 em 21 estados. Bahia e Maranhão, onde o litro do combustível tem máximas de R$ 7,98 e R$ 7,97, respectivamente, são os estados com as maiores cotações para o derivado do petróleo. do Iêmen na Arábia Saudita. (epbr)

Petróleo fecha em forte alta com temores sobre escassez de oferta
O contrato do petróleo Brent para junho fechou em alta de 6,51%, a US$ 111,92 por barril, enquanto o do WTI para maio subiu 5,95%, a US$ 109,23 por barril. Os contratos futuros do petróleo fecharam em forte alta nesta segunda-feira (21), com temores de escassez de oferta da commodity, em meio à possibilidade de novas sanções da União Europeia (UE) contra as exportações de petróleo russo e após um ataque de rebeldes houthi do Iêmen na Arábia Saudita. (Valor Econômico)

Medo de escassez faz Brent subir mais de 6%
Instalações da Saudi Aramco foram atingidas por mísseis; Arábia Saudita se exime por possível falta da commodity. Os contratos futuros do petróleo fecharam em forte alta ontem, com os investidores avaliando os temores de escassez de oferta da commodity, em meio à possibilidade de novas sanções da União Europeia (UE) contra as exportações de petróleo russo e após um ataque de rebeldes houthi do Iêmen na Arábia Saudita. (Valor Econômico)

Corrida por combustíveis fósseis “é loucura”, diz ONU
O secretário-geral das ONU, António Guterres, qualificou de ‘’loucura’’ a corrida pelo uso de combustíveis fósseis para reduzir a dependência energética em relação à Rússia. Alertou que isso ameaça as já combalidas metas de combate as mudanças climáticas. (Valor Econômico)

Arábia Saudita diz que não pode ser responsabilizada por alta nos preços do petróleo
A Arábia Saudita disse nesta segunda-feira (21) que não será responsabilizada pela escassez no mercado global de energia, ao alertar que os ataques de mísseis a instalações de petróleo por rebeldes houthis apoiados pelo Irã no Iêmen, irão interromper o fornecimento. (Valor Econômico)

Shell descobre gás na Bacia de Campos
Dois meses após ter realizado a perfuração do poço pioneiro do bloco C-M-791, na Bacia de Campos, a Shell encontrou indícios de gás. A descoberta, feita em lâmina d’água de 2.917 metros, foi notificada à ANP na segunda-feira (21/3). (Petróleo Hoje)

Projeto do Congresso abre brecha para Petrobras mudar política de preços, dizem empresas do setor
Com objetivo de barrar votação, integrantes do mercado apontam a deputados que texto para nova lei é confuso e abre caminho para rever política de preços da empresa. (Petróleo Hoje)

Petrobras vira futebol político nas próximas eleições brasileiras
Com a inflação de dois dígitos prejudicando sua popularidade, o presidente Jair Bolsonaro atacou um grande aumento de preços da gasolina, diesel e gás de cozinha pela Petrobras este mês, após um salto nos índices de referência do petróleo após a guerra na Ucrânia. (ft)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • O Gambito Da Rainha: O que um embargo ao Petróleo da Rússia significa para a oferta Global, o Brasil e a Petrobrás? (link)
  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Segunda-Feira, 21 de Março

Destaques: (i) Independência de novo conselho da Petrobras em xeque. (Valor Econômico); (ii) Bolsonaro segue fritando Silva e Luna. (epbr); (iii) Shell anuncia 17 GW em eólicas offshore no Brasil. (epbr).

Elétricas e Saneamento

Shell anuncia 17 GW em eólicas offshore no Brasil
A Shell Brasil divulgou nesta sexta (18/3) que deu início ao licenciamento ambiental junto ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Ibama) de seis projetos de geração de energia eólica offshore no Brasil, que somam mais de 17 GW de potência. (epbr)

CEEE-G não recebe propostas e leilão é cancelado
O governo do Rio Grande do Sul informou nesta sexta-feira, 18 de março, que não houve entrega de propostas para a compra do controle acionário da CEEE-G, em evento ocorrido nesta manhã, na sede da B3, em São Paulo. Assim, a sessão pública de leilão, marcada para o próximo dia 23 não será realizada. (Canal Energia)

CPFL acredita em leilões de LTs mais disputados ainda esse ano
A CPFL acredita em um 2022 com muito mais disputas nos leilões de transmissão. Em teleconferência realizada na manhã desta sexta-feira, 18 de março, o CEO do Grupo, Gustavo Estrella, reconheceu que o momento atual é difícil e que a competição deve ser mais forte ainda do que já tem sido nos últimos anos. Aliada a isso, houve o aumento expressivo dos custos em mão de obra e escassez de materiais e impactos nas cadeias logística. (Canal Energia)

ONS: carga no SIN deve crescer 1,7% em março
A carga de energia no Sistema Interligado Nacional deve ter um aumento de 1,7% ao fim de março, de acordo com dados do Informe do Programa Mensal de Operação referente ao período de 19 a 25 de março. A previsão anterior era de aumento de 2%. A carga no Sudeste/ Centro-Oeste deve ter um aumento de 2,2%. No Nordeste, a previsão é de aumento de 3,6%, enquanto no Sul o crescimento previsto é de apenas 0,5%. O Norte é a única região que deverá ter queda na carga, de 2,4%. (Canal Energia)

Belo Monte planeja parque solar para compensar baixa produção
Em busca de alternativas para ampliar sua geração de energia, a concessionária Norte Energia, dona da usina de Belo Monte, pretende construir um parque solar dentro da área da própria hidrelétrica, instalada no rio Xingu, na região de Altamira, no Pará. (CNN)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 111,9/Barril +3,72%

CÂMBIO

R$ 5,01/USD -0,37%

Independência de novo conselho da Petrobras em xeque
A nova eleição para o conselho de administração da Petrobras, marcada para 13 de abril, pode renovar até quatro das onze cadeiras do colegiado no momento em que cresce a pressão por mudanças na política de preços dos combustíveis da estatal. União indicou oito nomes para AGO da estatal em 13 de abril, os quais se declararam neutros; especialistas questionam essa isenção. (Valor Econômico)

Bolsonaro segue fritando Silva e Luna
O presidente Jair Bolsonaro (PL) defendeu nessa quinta (17) que a Justiça deve cobrar da Petrobras explicações sobre o aumento dos preços dos combustíveis. O presidente da República segue forçando a demissão do presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna. (epbr)

Petróleo avança na sessão com temores sobre a oferta, mas semana foi de perdas
O contrato do petróleo Brent para junho fechou a sessão desta sexta em alta de 1,45% e a semana com queda de 3,3%; já o contrato do WTI para maio subiu 1,34% hoje e caiu 3,9% na semana. Os contratos futuros do petróleo fecharam a sessão desta sexta-feira (18) em alta, mas anotaram a segunda queda semanal consecutiva, depois de baterem novas máximas de 14 anos na segunda-feira da semana passada, com os investidores avaliando os impactos da invasão da Ucrânia sobre a oferta da commodity. (Valor Econômico)

AIE pede restrições à circulação de veículos para reduzir demanda por petróleo
Na avaliação do diretor-executivo da Agencia Internacional de Energia, os mercados da commodity estão “em situação de emergência” e o cenário “pode piorar” em meio à guerra entre Rússia e Ucrânia. A Agência Internacional de Energia (AIE) pediu nesta sexta-feira (18) que os países adotem medidas emergenciais para reduzir a demanda por petróleo em meio à guerra entre Rússia e Ucrânia. (Valor Econômico)

Petrobras reforça que momento é ‘desafiador e de alta volatilidade’ e não pode antecipar decisões sobre preços
Companhia detalhou que, em um primeiro momento, apesar da disparada dos preços internacionais, ao avaliar a conjuntura de mercado e preços conforme governança estabelecida, decidiu não repassar de imediato a volatilidade. (Valor Econômico)

‘Estratégia do BC de atrelar sua política ao petróleo é arriscada’
Com o início do aperto monetário pelo Federal Reserve (Fed, o banco central americano), o cenário, sem dúvidas, se mostra desafiador para emergentes. Alguns fatores, contudo, ajudam a amenizar potenciais ambientes, como o fato de os bancos centrais de emergentes estarem adiantados no processo de alta de juros e de esses países se beneficiarem da apreciação cambial, já que são produtores de commodities, afirmou ao Valor o novo economista-chefe da Galapagos Capital, Jaime Valdivia. (Valor Econômico)

Enauta apresenta melhor resultado de sua história
A Enauta divulgou  melhor resultado da história da companhia. A empresa alcançou um lucro líquido de R$ 1,4 bilhão em 2021, o que representa um aumento de 1.065% em comparação com 2020. O valor recorde foi motivado pela elevação do valor do óleo com baixo teor de enxofre de Atlanta e pelo aumento de sua participação no ativo, além da alta no Brent que atingiu um pico de U$ 86 em outubro. (Petróleo Hoje)

Superávit em petróleo e derivados amortece no Brasil impacto da guerra
A invasão da Ucrânia pela Rússia deflagrou um novo choque de preços de petróleo, com potencial de espalhar novas rodadas de pressões inflacionárias e minar o crescimento da economia global. Mas, desta vez, o Brasil tem um amortecedor que não tinha em outras crises deste tipo. (Terra)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • O Gambito Da Rainha: O que um embargo ao Petróleo da Rússia significa para a oferta Global, o Brasil e a Petrobrás? (link)
  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Sexta-Feira, 18 de Março

Destaques: (i) Planalto pressiona por demissão de Silva e Luna. (Valor Econômico); (ii) Sob pressão, governadores marcam reunião em Brasília para discutir combustíveis. (Broadcast); (iii) Bolsonaro diz que bandeira escassez hídrica e contratos com termelétricas acabam em abril. (Broadcast).

Elétricas e Saneamento

Setor elétrico financia seus projetos de várias formas
Em 2021, a captação das empresas ficou acima de R$ 60 bilhões mais que o dobro do ano anterior, segundo dados da B3. Para alcançar melhores condições de financiamento, o setor elétrico vem buscando novos meios de alavancagem para seus projetos de crescimento – novos ou expansões -, seja por meio de debêntures, fundos de investimento, certificados de recebíveis imobiliários, títulos externos ou por emissão de ações em aberturar de capital. (Valor Econômico)

Lucro da CPFL Energia avança 34,5% no 4º trimestre, puxado por distribuição e geração
A CPFL Energia registrou um lucro líquido de R$ 1,33 bilhão no quatro trimestre de 2021, representando um crescimento de 34,5% na comparação com o mesmo período de 2020, quando a empresa reportou um lucro de R$ 989 milhões. O resultado é fruto da melhora do desempenho operacional nos mercados de distribuição e geração. (Valor Econômico)

Energisa reporta lucro de R$ 522 milhões no 4º trimestre
O grupo Energisa reportou lucro líquido atribuído aos controladores de R$ 522,1 milhões no quarto trimestre de 2021, alta de 274,2% ante igual período do ano anterior, conforme balanço financeiro divulgado nesta quinta-feira (17). (Valor Econômico)

Mulheres transmitindo energia: uma reflexão sobre a presença feminina no setor elétrico
Há séculos, batalhamos para diminuir os abismos e as disparidades que dificultam a muitas de nós o desenvolvimento profissional. Ainda há baixa representatividade e um importante caminho para ampliar a participação feminina nesse ambiente de maioria masculina, escreve Gabriela Desirê. (epbr)

Equatorial lança plataforma interativa de energias renováveis do Maranhão
A Equatorial Energia lançou na última segunda-feira, 14 de março, a Plataforma Eosolar, um Atlas Digital Interativo que reúne de forma inédita os estudos e informações sobre o potencial de geração de energia renovável eólica e solar que o Maranhão possui, associado a outros importantes indicadores estratégicos desse segmento.  (Canal Energia)

Bolsonaro diz que bandeira escassez hídrica e contratos com termelétricas acabam em abril
O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta quinta-feira, 17, em transmissão ao vivo nas redes sociais que a bandeira escassez hídrica e os contratos do governo com termelétricas vão acabar em abril. (Broadcast)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 109,1/Barril +2,26%

CÂMBIO

R$ 5,03/USD -1,16%

Sob pressão, governadores marcam reunião em Brasília para discutir combustíveis
Governadores desembarcam na próxima semana em Brasília para discutir a mudança na tributação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) dos combustíveis, a principal fonte de arrecadação dos Estados. (Broadcast)

Planalto pressiona por demissão de Silva e Luna
O Planalto segue em modo eleitoral e deve se desviar mais ainda do teto de gastos. Incapaz de articular propostas com começo, meio e fim, ou que simplesmente façam sentido, ou ainda de fazê-las em seu tempo correto, Bolsonaro espalha incertezas em várias direções, como se já não bastassem os dissabores com efeitos inflacionários dos reajustes, que recaem com peso desproporcional sobre os mais pobres. (Valor Econômico)

Abicom diz que não há espaço para reduzir preços dos combustíveis
A elevada volatilidade dos preços do petróleo e dos combustíveis no mercado internacional impede a Petrobras de reduzir os valores de gasolina e óleo diesel no país. É o que aponta levantamento da Associação Brasileira de Importadores de Combustíveis (Abicom). (epbr)

Petróleo fecha em alta e retoma os US$ 100, sem avanço no acordo entre Rússia e Ucrânia
O contrato do petróleo Brent para junho fechou em alta de 8,28%, a US$ 103,56 por barril, enquanto o do WTI para maio subiu 8,61%, a US$ 101,65 o barril. (Valor Econômico)

‘Fritura’ de Silva e Luna afeta ações da Petrobras
O governo decidiu expor o presidente da Petrobras, o general da reserva Joaquim Silva e Luna, a um processo de “fritura” pública. Com o desgaste, o Palácio do Planalto espera que ele peça demissão. Nos bastidores, integrantes da ala militar do governo também criticam a atuação “insensível” do colega na condução da crise dos combustíveis. (Valor Econômico)

Ações da Petrobras aceleram queda com possível saída de Silva e Luna do comando da estatal
O presidente Jair Bolsonaro teria encontrado uma solução para mudar presidência da companhia, diz colunista. (Valor Econômico)

Governo deixa de blindar diretoria da Petrobras a questionamentos no Senado
No meio da crise dos combustíveis, o Executivo não mobilizou sua base aliada para evitar que os diretores sejam convocados ou convidados a prestar esclarecimentos aos parlamentares. O Valor apurou que, ao contrário do que costuma acontecer, o Executivo não mobilizou sua base aliada para evitar, desta vez, que o presidente da estatal, Joaquim Silva e Luna, e diretores da empresa pública sejam convocados ou convidados a prestar esclarecimentos nas comissões temáticas do Senado. (Valor Econômico)

Brasil tem a gasolina mais cara do mundo? Veja 9 perguntas e respostas sobre combustíveis
Os preços dos combustíveis passaram a ser assunto diário da agenda política, num debate muitas vezes poluído. Por isso, o Valor elucida nove pontos sobre esse mercado que mexe no bolso dos brasileiros. (Valor Econômico)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • O Gambito Da Rainha: O que um embargo ao Petróleo da Rússia significa para a oferta Global, o Brasil e a Petrobrás? (link)
  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Quinta-Feira, 17 de Março

Destaques: (i) Governo teme ‘perder janela’ na Eletrobras e pressiona o TCU. (Valor Econômico); (ii) Petróleo recua com progresso diplomático entre Rússia e Ucrânia e dados de estoques dos EUA. (Valor Econômico); (iii) Estoques semanais de petróleo dos EUA sobem em 4,3 milhões e contrariam previsões. (Valor Econômico).

Elétricas e Saneamento

Governo teme ‘perder janela’ na Eletrobras e pressiona o TCU
O governo pediu à cúpula do Tribunal de Contas da União (TCU) que dê aval definitivo para a privatização da Eletrobras até a segunda semana de abril, com a justificativa de que haverá perda da “janela de oportunidade” para a operação caso esse prazo seja ultrapassado. (Valor Econômico)

Com petróleo caro, geração por térmicas a diesel é suspensa
A alta do preço do barril de petróleo, um dos reflexos da guerra entre Ucrânia e Rússia, levou o Operador Nacional do Sistema Elétrico Brasileiro (ONS) a tomar a decisão de não despachar as usinas termelétricas a diesel para o Sistema Interligado Nacional (SIN). Isso significa que elas deixaram de operar. (Valor Econômico)

Brasil pode ter energia eólica offshore em menos de 5 anos, prevê presidente da Neoenergia
O Brasil poderá ter a primeiras usinas de geração de energia eólica em alto-mar em até cinco anos, indicou o presidente da Neoenergia, Mário Ruiz-Tagle. O grupo está conduzindo estudos com sistemas de medição de vento para projetos dessa fonte no Rio, Rio Grande do Sul e Ceará. (Valor Econômico)

Contratos de energia eólica e solar no mercado livre crescem 37% em 2021
Apesar da expansão, houve uma desaceleração em relação a 2020, quando o segmento cresceu 2,6 vezes. Um estudo feito pela consultoria Clean Energy Latin America (Cela) mostrou que o volume de energia renovável contratada no mercado livre de energia para projetos eólicos e solares cresceu 37% entre janeiro de 2021 e fevereiro de 2022. (Valor Econômico)

Aneel rejeita questionamento sobre lastro para energia de reserva
A diretoria da Aneel considerou inadmissível pedido de medida cautelar da Associação Brasileira de Energia Eólica e da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica para o afastamento da exigência de lastro e de penalidades por insuficiência de lastro de energia de reserva. A regra é aplicada desde 2011 aos empreendimentos a biomassa e foi estendida às fontes eólica e solar pela Resolução Normativa 909, de dezembro de 2020. (Canal Energia)

Corrida por geração distribuída escapa de obstáculos para importação de equipamentos
O setor de energia solar nacional conseguiu trazer equipamentos de geração fotovoltaica comprados no exterior – principalmente da Ásia – sem enfrentar maiores dificuldades no processo de importação. O atendimento vem ocorrendo normlamente tanto para a aquecida demanda construída por grandes projetos centralizados como para demanda da chamada distribuída, que compreende instalações em residências, comércios e indústrias. (Agência Infra)

Índice Comerc aponta crescimento no consumo de energia de 6,21% em fevereiro
O Índice Comerc apontou que o consumo de energia se intensificou no mês de fevereiro, com alta de 6,21% no consolidado mensal ante 2,16% em janeiro. O desempenho é resultado da performance de todos os onze setores da indústria analisados. (Canal Energia)

Região Norte atinge a marca de 98,3% nos níveis de seus reservatórios
Com crescimento de 0,2 ponto percentual nos níveis de seus reservatórios na última terça-feira, 15 de março, segundo o boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), a região Norte está operando com 98,3% de sua capacidade. A energia armazenada está em 15.041 MW mês e ENA é de 33.131 MW med, equivalente a 120% da média de longo termo armazenável no mês até o dia. A UHE Tucuruí segue com 99%. (Canal Energia)

Fundo dinamarquês pode aportar mais de US$ 6 bi em eólicas offshore no Brasil
Dos 80 GW de eólica offshore em licenciamento em mares brasileiros, 7 GW são desenvolvidos por braços de investimento do fundo de pensão dinamarquês PensionDanmark e têm aportes estimados em, no mínimo, US$ 6 bilhões. Na agenda dos investidores, está o marco regulatório, que precisa definir as regras de acesso às áreas offshore e, eventualmente, a inserção da energia no mercado. (enbr)

Ministro diz que espera sabatina de incados para ANEEL e ANP no Senado nesta semana
O ministro de Minas e Energia acredita que o Senado Federal pode sabatinar os sete indicados para as agências do setor de energia feitas pelo MME ainda essa semana. (Agência Infra)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 101,8/Barril +3,90%

CÂMBIO

R$ 5,09/USD -1,27%

Mourão diz que o preço do litro da gasolina não voltará a R$ 4
O litro da gasolina ao consumidor não retornará ao patamar de R$ 4, mas é possível voltar à casa de R$ 6, opinou hoje o vice-presidente da República, Hamilton Mourão. Para o general da reserva, houve “muita histeria” sobre o recente reajuste aplicado pela Petrobras, tendo em vista os impactos mundiais da pandemia e da guerra. (Valor Econômico)

Petróleo recua com progresso diplomático entre Rússia e Ucrânia e dados de estoques dos EUA
O contrato futuro do WTI com vencimento em maio fechou em queda de 1,26%, a US$ 93,59 o barril, enquanto o contrato do tipo Brent para junho recuou 2%, a US$ 95,64 o barril. Os preços do petróleo fecharam em queda pelo terceiro dia seguido nesta quarta-feira (16), em meio a notícias mais positivas sobre o progresso diplomático entre a Rússia e a Ucrânia, além dos dados semanais que mostraram aumento nos estoques da commodity nos Estados Unidos. (Valor Econômico)

Pacheco cobra Petrobras e diz esperar contribuição da estatal para reduzir preços dos combustíveis
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse nesta quarta-feira que está aguardando respostas da Petrobras sobre perguntas que “estão no ar”. Segundo ele, a estatal precisa explicar como contribuir para a redução dos preços dos combustíveis. Pacheco voltou a criticar os lucros da empresa num momento em que o preço do litro alcança até R$ 11, segundo ele, nos postos de gasolina. (Valor Econômico)

Estoques semanais de petróleo dos EUA sobem em 4,3 milhões e contrariam previsões
Os estoques americanos de petróleo subiram em 4,345 milhões de barris na semana passada, para 415,907 milhões de unidades, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira pelo Departamento de Energia dos EUA (DoE, na sigla em inglês). A previsão de alguns analistas era de queda de 1,8 milhão de barris no período. (Valor Econômico)

Bolsonaro escala pressão contra Silva e Luna
O recuo dos preços do petróleo nos últimos dois dias se tornou mais um elemento para o presidente Jair Bolsonaro (PL) cobrar a Petrobras sobre os preços dos combustíveis e reforçar o processo de “fritura” do presidente da petroleira, o general de reserva Joaquim Silva e Luna. (epbr)

A verdade sobre o nível de produção das refinarias da Petrobras, por Rodrigo Lima e Silva
A Petrobras tem atualmente 12 refinarias em operação no Brasil, produzindo diariamente gasolina, diesel, querosene de aviação (QAV), óleo combustível, entre outros derivados de petróleo. São produzidos em média 1,8 milhão de barris destes produtos por dia. (epbr)

Petrobras encontra petróleo em Três Marias
A Petrobras encontrou indícios de petróleo na descoberta de Três Marias, que, originalmente, foi notificada à ANP apenas com indícios de gás, segundo informações obtidas pelo PetróleoHoje via assessoria de imprensa. A agência reguladora informou que houve uma atualização das informações encaminhadas na primeira Notificação de Descoberta, que foi disponibilizada no site da ANP em janeiro deste ano. (Petróleo Hoje)

Diretores da Shell são processados por ‘não preparar’ a empresa para net zero
O processo, encaminhado na Justiça britânica pela organização de direito ambiental ClientEarth, tem como principal argumento que o plano para zerar emissões líquidas não é consistente e específico o suficiente. (Valor Econômico)

AIE: Guerra e sanções devem colocar mercado de petróleo em déficit
A invasão da Rússia à Ucrânia e as sanções sobre as exportações de petróleo russo ameaçam causar um choque à oferta da commodity, que tende a pesar na economia global e colocar as condições de mercado em déficit, a menos que os maiores produtores aumentem a produção, disse a Agência Internacional de Energia (AIE). (Valor Econômico)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • O Gambito Da Rainha: O que um embargo ao Petróleo da Rússia significa para a oferta Global, o Brasil e a Petrobrás? (link)
  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Quarta-Feira, 16 de Março

Destaques: (i) Empréstimo dá alívio de apenas 2,7% na conta de luz. (Valor Econômico); (ii) Petróleo fecha abaixo de US$ 100, com temores sobre surto de covid-19 na China. (Valor Econômico); (iii) Bolsonaro cobra da Petrobras recuo em alta de combustíveis. (Valor Econômico).

Elétricas e Saneamento

Empréstimo dá alívio de apenas 2,7% na conta de luz
Dos R$ 5,3 bilhões inicialmente prometidos, menos da metade será usado para aliviar pressão sobre consumidor. O novo empréstimo bilionário prometido para socorrer o setor elétrico será capaz de atenuar os aumentos nas contas de luz somente em 2,69% em 2022, segundo cálculos da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). (Valor Econômico)

Consumidor vai pagar por empréstimo bilionário ao setor elétrico
A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou, na terça-feira (15/3), um novo empréstimo ao setor elétrico para cobrir os custos da crise energética do ano passado. O total chega a R$ 10,5 bilhões, e o ressarcimento às empresas geradoras será dividido em duas partes, sendo a primeira parcela de R$ 5,3 bilhões. Mas se este ano o consumidor terá algum alívio, poupado de um pesado repasse nas tarifas de luz, para 2023 não tem jeito — a conta será paga por toda a sociedade. (Correio Braziliense)

Contexto traz de volta debate sobre geração nuclear
O atual momento de alta nos preços dos combustíveis, devido à guerra na Ucrânia, e a transição para fontes de energia de baixa emissão de carbono geram debates que devem incluir o papel da geração de energia nuclear no Brasil, disse o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Thiago Barral. “O momento que estamos vivendo de escalada de preços traz à tona a reflexão sobre a segurança energética”, afirmou ontem em evento do Centro Brasileiro de Relações Internacionais (Cebri).(Valor Econômico)

Guedes pede pressa, mas ministros do TCU não dão prazo para a privatização da Eletrobras
Terminou na noite desta terça-feira (15) a reunião entre os ministros Paulo Guedes (Economia) e Bento Albuquerque (Minas e Energia) e a cúpula do Tribunal de Contas da União (TCU). No encontro, Guedes e Bento tiraram dúvidas sobre o processo de privatização da Eletrobras, ressaltaram a importância do negócio e, principalmente, do ‘timing’ para uma decisão do órgão de controle. (Valor Econômico)

Contas de luz terão reajustes de 2 dígitos em 2022, projeta diretor da Aneel
Deverão ser liberados R$ 5,3 bilhões numa primeira fase do empréstimo e mais R$ 5,2 bilhões numa segunda etapa. Deste total, somente R$ 2,33 bilhões serão usados para aliviar a pressão tarifária em 2022.(Valor Econômico)

PL 414 deverá ser votado até início de abril, aponta relator
O PL 414/2021, que trata da modernização do setor elétrico, deverá ser votado em plenário na Câmara dos Deputados até o início de abril. Essa perspectiva de cronograma foi revelada pelo relator do projeto, o deputado Fernando Coelho Filho (União/PE). Ele está esperando a definição do cronograma na Casa e a votação da urgência do projeto para oficializar o relatório. (Canal Energia)

Aneel aprova empréstimo de R$ 5,3 bi para distribuidoras
A Agência Nacional de Energia Elétrica estabeleceu em R$ 5,3 bilhões a primeira tranche do empréstimo às distribuidoras para o enfrentamento dos impactos da escassez hídrica. O valor pode chegar a R$ 10,5 bilhões, se for contratada uma segunda parcela do financiamento. (Canal Energia)

Níveis sobem 1 p.p e submercado Nordeste atinge 87%
Os reservatórios nordestinos apresentaram alta de 1 ponto percentual em seu volume útil, que consta a 86,9% na última segunda-feira, 14 de março, em comparação ao dia anterior, informa o boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). A energia retida é de 43.284 MW mês e ENA aponta 17.454 MW med, valor que corresponde a 123% da média de longo termo armazenável no mês até o dia. A hidrelétrica de Sobradinho marca 87,19% (Canal Energia)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 101,2/Barril -5,32%

CÂMBIO

R$ 5,12/USD +1,30%

Petrobras diz à Justiça que suspensão de reajuste traria desabastecimento e caos
Depois de ser intimada pela Justiça a se manifestar em ação que questiona o aumento de combustíveis anunciado na semana passada, a Petrobras disse que a suspensão do reajuste poderá levar ao “desabastecimento” e ao “caos” no País. (Broadcast)

Petróleo fecha abaixo de US$ 100, com temores sobre surto de covid-19 na China
Os contratos do petróleo entraram em “bear market” — um nível técnico que indica tendência de queda e é definido por uma queda de mais de 20% em relação ao pico recente — 5 sessões após atingirem máximas de 14 anos.(Valor Econômico)

Bolsonaro cobra da Petrobras recuo em alta de combustíveis
A queda na cotação do barril de petróleo para menos de US$ 100 ontem levou o presidente Jair Bolsonaro a cobrar da Petrobras que retorne seus preços aos níveis da semana passada. Em evento no Palácio do Planalto, o presidente voltou a reclamar da “falta de sensibilidade” da estatal na aplicação do mais recente reajuste. (Valor Econômico)

Bolsonaro provoca Petrobras a devolver preços de combustíveis “aos níveis da semana passada”
O presidente Jair Bolsonaro disse esperar que a Petrobras retorne ao preço dos combustíveis da semana passada, diante do que considera um indicativo de volta à normalidade na cotação do petróleo. Em evento no Palácio do Planalto nesta terça-feira, o presidente volta a dizer que faltou sensibilidade à estatal na aplicação do último reajuste.(Valor Econômico)

Análise: Queda do petróleo aumenta coro por cautela do Copom
O que está em discussão é o que o comitê, que luta para trazer uma inflação de 10,54% ao ano para a meta de 3,25% em 2023, vai sinalizar para as suas reuniões seguintes. A queda da cotação do petróleo abaixo de US$ 100 o barril aumentou a defesa de economistas e operadores do mercado financeiro de uma postura mais cautelosa do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), que abre hoje a sua reunião que decidirá o rumo da taxa básica de juros.(Valor Econômico)

Em guinada histórica, sauditas avaliam vender petróleo em yuan à China
A China compra mais de 25% do petróleo exportado pela Arábia Saudita. Se o produto for negociado em yuans, essas vendas aumentarão o prestígio da moeda chinesa e reduziria a hegemonia do dólar. (Valor Econômico)

Cade investiga política de preços da Petrobras para combustíveis
Depois da alta anunciada em meados de janeiro, o Cade abriu um processo no qual investiga se a Petrobras abusa da posição de dominante no mercado por meio de sua política de preços. A estatal hoje é responsável por cerca de 80% do combustível consumido no Brasil, sendo o restante importado. (O Globo)

Shell pode enfrentar novo litígio climático na Europa
Quase um ano após ser condenada por um tribunal holandês a reduzir suas emissões de CO2 em 45% até 2030 (em relação aos níveis de 2019), a Shell pode enfrentar novo processo relacionado a metas climáticas. Desta vez no Reino Unido. Advogados ambientais da ClientEarth preparam uma ação legal contra os diretores da Shell, questionando o plano de transição da empresa. (epbr)

21 blocos com período exploratório mínimo a vencer até o fim do ano
De acordo com levantamento realizado pelo PetróleoHoje, existem 21 blocos com o primeiro período exploratório mínimo a vencer até 11 de novembro de 2022. Do total, 12 concessões pertencem à Petrobras. Dos nove blocos restantes, três pertencem à PetroRio, dois à Imetame e à 3R Petroleum, enquanto Shell e BGM detêm um cada. (Petróleo Hoje)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • O Gambito Da Rainha: O que um embargo ao Petróleo da Rússia significa para a oferta Global, o Brasil e a Petrobrás? (link)
  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Terça-Feira, 15 de Março

Destaques: (i) Petrobras: recolhimento aos cofres públicos ultrapassou os R$ 200 bi no ano passado. (Broadcast); (ii) Petróleo fecha em forte queda com otimismo sobre negociações entre Rússia e Ucrânia. (Valor Econômico); (iii) Custo da energia seguirá alto, apesar da melhora hídrica (Valor Econômico).

Elétricas e Saneamento

Custo da energia seguirá alto, apesar da melhora hídrica
As chuvas volumosas neste início de ano causaram perdas humanas e desastres em algumas cidades do país. Mas, ao menos, melhoraram o nível dos reservatórios de água depois da pior crise hídrica dos últimos 91 anos ocorrida em 2021. Uma consequência natural seria a redução das tarifas de energia elétrica, que tanto pesaram – e ainda pesam – no bolso do brasileiro. Isso seria especialmente bem-vindo neste momento de escalada da inflação. Essa expectativa, porém, pode ser frustrada ao menos parcialmente em consequência dos erros do governo na administração da crise hídrica. (Valor Econômico)

Dinheiro flui para fundos de energia verde em meio a promessas de corte de combustíveis russos
Os investidores adicionaram mais de US$ 886 milhões a alguns dos maiores fundos negociados em bolsa que investem em energia limpa na semana passada, quando os EUA e a Europa tomaram medidas para reduzir a dependência dos combustíveis fósseis russos. A mudança para a energia verde é fundamental para os planos climáticos da União Europeia, e a invasão da Ucrânia pela Rússia obrigou o bloco a acelerar seu cronograma de adição de energia eólica e solar para ajudar a substituir o abastecimento russo até 2027. (Valor Econômico)

Geração distribuída deve adicionar 8 GW no Brasil em 2022, diz presidente da ABGD
Para Guilherme Chrispim, presidente da Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD), “2022 será o ano da corrida ao sol”. À epbr, o executivo conta que o setor espera alcançar, em um ano, resultado semelhante ao da última década, e adicionar 8 GW de potência.Entre 2012 e fevereiro de 2022, a geração distribuída acumulou 9,4 GW de potência no Brasil — dos quais 9,2 GW são de instalações fotovoltaicas. (epbr)

Setor defende plena competição na disputa por acesso à transmissão
O Ministério de Minas e Energia decidiu ouvir informalmente representantes de consultorias e de associações do setor elétrico sobre a contratação em leilão da margem de escoamento para acesso de geradores à rede de transmissão. E recebeu a recomendação de que será necessária a definição de critérios claros que garantam a plena competição e o acesso isonômico dos agentes, selecionando os que de fato pretendem tirar o projeto do papel. (Canal Energia)

ONS: no pior cenário, níveis no SE/CO devem chegar a 53% ao fim de agosto
Avaliação do Operador Nacional do Sistema Elétrico mostra que mesmo no pior cenário de chuvas, o armazenamento do Sudeste/Centro-Oeste em 31 de agosto de 2022 estará em 53%, ou seja, 32,3 pontos percentuais acima do verificado na mesma data em 2021. O nível para um mês de agosto não é alcançado desde 2013, quando o volume verificado era de 55,15%. A avaliação para os próximos seis meses foi apresentada durante a última reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico. Foram usados cenários de vazão construídos com base nas chuvas verificadas nos anos de 2009 e 2018. (Canal Energia)

MME prorroga contribuições dos interessados na CPAMP
O Ministério de Minas e Energia informou através da Portaria Nº 624/GM/MME, publicada no Diário Oficial da União da última sexta-feira, 11, que irá prorrogar por mais sete dias o prazo para contribuições à Consulta Pública 121/2022. A nova data de encerramento da CP será a próxima sexta-feira, 18 de março. (Canal Energia)

Brasil tem novo recorde de carga com 80.454 MW médios
O Brasil teve um novo recorde de carga média do Sistema Interligado Nacional na semana passada. Segundo dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico, volume foi de aproximadamente 80.454 MWmed no último dia 10 de março. O recorde anterior, no SIN, foi de 80.439 MWmed no dia 25 de janeiro deste ano. (Canal Energia)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 101,2/Barril -5,32%

CÂMBIO

R$ 5,12/USD +1,30%

Petrobras: recolhimento aos cofres públicos ultrapassou os R$ 200 bi no ano passado
A Petrobras recolheu R$ 202,9 bilhões em tributos próprios, retidos e participações governamentais no Brasil, no ano passado. Esse valor representa um aumento de aproximadamente 58% em relação a 2020, afirmou a empresa em comunicado. Nos últimos seis anos, o recolhimento aos cofres públicos soma R$ 1 trilhão. (Broadcast)

Petróleo fecha em forte queda com otimismo sobre negociações entre Rússia e Ucrânia
O contrato do petróleo Brent para maio fechou em queda de 5,12%, a US$ 106,90 por barril, enquanto o contrato do WTI para abril fechou em queda de 5,78%, a US$ 103,01 por barril. Os contratos futuros do petróleo fecharam em queda acentuada nesta segunda-feira (14), com relativo otimismo em relação às negociações entre a Ucrânia e a Rússia, ainda que os bombardeios a cidades ucranianas continuem. Além disso, a possibilidade do cancelamento de sanções contra a Venezuela levanta a possibilidade de ampliação da oferta da commodity, ajudando a derrubar os preços. (Valor Econômico)

Petrobras vê demanda maior do que a oferta
Segundo o executivo, o mundo vai seguir demandando petróleo nas próximas décadas uma vez que a transição para fontes de baixo carbono será gradual. Nesse contexto, a Petrobras, que hoje é responsável por menos de 3% da produção global de óleo e gás, tem o objetivo de ampliar a produção nos próximos anos, disse Chaves. “Temos que transformar recurso em riqueza. Esses recursos ajudam a financiar a transição energética”, afirmou. (Valor Econômico)

Brasil tem limitações para elevar produção imediata de petróleo
O governo brasileiro se comprometeu a aumentar a produção de petróleo, em resposta à articulação liderada pelos Estados Unidos para atenuar os impactos das sanções à Rússia sobre a oferta global. Apesar de ter ampliado as exportações, nos últimos anos, o Brasil tem, contudo, uma capacidade limitada para elevar a produção de imediato. Qualquer contribuição brasileira, no curto prazo, será marginal, na avaliação de especialistas. (Valor Econômico)

Washington recua de aproximação com Maduro na Venezuela
A viagem de três altos funcionários da Casa Branca a Caracas em uma missão secreta provocou uma reação violenta entre republicanos e democratas e o governo voltou atrás. O governo do presidente dos EUA, Joe Biden, viu a crise na Ucrânia como uma oportunidade de retomar o diálogo com o regime de Nicolás Maduro na Venezuela, na esperança de garantir uma fonte alternativa de petróleo e tirar de Moscou um aliado importante. (Valor Econômico)

Petrobras seguirá com planejamento de longo prazo mesmo com a alta do petróleo causada pela guerra
Estatal também passará a adotar metas de redução da intensidade de emissões de gases de efeito estufa para os segmentos de energia e logística e revê metas de emissões de metano nas operações de exploração e produção. (Valor Econômico)

Mourão sai em defesa de Silva e Luna no comando da Petrobras
Dirigente da petrolífera está sob pressão depois de reajustes de combustíveis acima de dois dígitos. A permanência no cargo do presidente da Petrobras, o general de reserva Joaquim Silva e Luna, foi defendida ontem pelo vice-presidente da República, Hamilton Mourão. O vice-presidente afirmou que Silva e Luna, irá aguentar a pressão à frente do cargo em meio à alta dos combustíveis. O colega de caserna, segundo Mourão, “sempre foi resiliente”. (Valor Econômico)

Aumenta pressão sobre a Petrobras pelos preços dos combustíveis
Companhia recebeu várias críticas no meio político e ainda colocou na berlinda o comando da companhia — há menos de um ano na gestão. O reajuste de gasolina, diesel e GLP nas refinarias da Petrobras, que entrou em vigor na sexta (11/3), provocou mais que corridas a postos e revendedores na véspera do aumento. Recebeu uma série de críticas no meio político e ainda colocou na berlinda o comando da companhia — que sequer completou um ano de gestão. (epbr)

Bolsonaro volta a culpar governos estaduais por preço alto da gasolina
O presidente Jair Bolsonaro admitiu ontem que o litro da gasolina está sendo vendido a quase R$ 10 em algumas partes do país. Questionado por apoiadores sobre o preço do combustível, Bolsonaro voltou a culpar os governos estaduais pelo que ele considera uma “sanha arrecadatória” dos governadores. (Valor Econômico)

Corte de PIS/Cofins sobre gasolina ainda não chegou à área econômica
A desoneração da gasolina e eventualmente mais subsídios ao diesel não estão fora do radar. A redução a zero do PIS/Cofins sobre a gasolina, informada pelo presidente Jair Bolsonaro no último sábado, ainda não chegou à área econômica. Não há medida nessa direção sendo formulada, informa-se nos bastidores. Por enquanto, pelo menos. (Valor Econômico)

Verdade inconveniente: ociosidade do refino como instrumento para aumentar preços da gasolina
Ausência de concorrência no mercado de refino pode gerar controle da ociosidade dos parques por governos, escreve Ricardo Borges Gomide. Ao longo dos anos, em maior ou menor proporção, têm sido comuns as críticas à intervenção governamental em preços de combustíveis. É um assunto conhecido. Não vamos falar disso aqui. (epbr)

EIA: Europa é um mercado crucial para exportações do petróleo russo
Embora a dependência europeia das importações de petróleo seja a principal vantagem russa nas negociações e no combate às sanções desde o inicio do conflito com a Ucrânia, um eventual corte nas relações com a UE impactaria fortemente a economia de todos os lados. Cerca de 49% do óleo e 74% do gás natural exportados pelo país foram destinados ao mercado europeu em 2021. (Petróleo Hoje)

Preços internacionais colocam gás natural no Brasil sob pressão
A guerra da Rússia contra a Ucrânia já começa a afetar o mercado de gás natural brasileiro. Os preços do petróleo tipo Brent e do gás disparam no comércio global, chegando, na primeira semana de março, a valores recordes em relação aos dos últimos anos. (Petróleo Hoje)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • O Gambito Da Rainha: O que um embargo ao Petróleo da Rússia significa para a oferta Global, o Brasil e a Petrobrás? (link)
  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Segunda-Feira, 14 de Março

Destaques: (i) Ambiente de negócios para venda de refinarias da Petrobras se deteriora no Brasil. (Valor Econômico); (ii) Câmara aprova ICMS monofásico para combustíveis. (Petróleo Hoje); (iii) Geração de energia no Brasil teve um acréscimo em janeiro de 482 MW, montante suficiente para atender cerca de 1 milhão de pessoas (Brasil61).

Elétricas e Saneamento

Focus Energia deixa de existir e projetos passam para controle da Eneva
Após a conclusão da combinação de negócios, a Eneva confirmou a incorporação da Focus Energia, que a partir de agora deixa de existir e os projetos passam para controle da holding. Além de diversificar o portfólio em energias renováveis, outra meta da Eneva é fortalecer a posição de comercialização de energia. (Valor Econômico)

Geração de energia no Brasil teve um acréscimo em janeiro de 482 MW, montante suficiente para atender cerca de 1 milhão de pessoas
Geração de energia no Brasil teve um acréscimo em janeiro de 482 MW, somente em janeiro. O montante suficiente para atender cerca de 1 milhão de habitantes. Ao longo de 2021, a geração de energia se expandiu em cerca de 7.562 MW, além de 200 usinas que entraram em operação, o que pode atender cerca de até 17 milhões de domicílios. Os dados são do Ministério de Minas e Energia (MME). (Brasil61)

Reservatórios de três regiões devem encerrar março com maior volume para o mês em 10 anos, diz ONS
Reservatórios das usinas hidrelétricas do subsistema Sudeste/Centro-Oeste devem chegar ao final de março com capacidade de 62,7%, maior volume para o mês desde 2012, segundo a atualização semanal do boletim mensal de operação do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). (Valor Econômico)

ONS: carga em março continua com previsão de alta de 2%
A segunda revisão semanal do Programa Mensal de Operação de março aponta estabilidade em relação às projeções da semana passada. A expectativa é de que a carga apresente elevação de 2% na comparação com o mesmo período do ano passado, mesmo índice da versão anterior. Enquanto isso, as vazões devem apresentar um índice equivalente ao que foi apresentado sete dias atrás. (Canal Energia)

Aneel liberou operação comercial de 513,3 MW em fevereiro
A Agência Nacional de Energia Elétrica liberou em fevereiro 513,3 MW em geração de energia para operação comercial. O quantitativo obtido neste ano, de 995,5 MW, equivale a 13% do incremento na matriz energética previsto para este ano, de 7.625,08 MW. Fevereiro obteve acréscimo de 346,57 MW de usinas eólicas e 100 MW de solares fotovoltaicas, as quais representam juntas 87% da ampliação de potência no mês. Entraram em operação ainda 48,73 MW em usinas termelétricas e 18 MW em pequenas centrais hidrelétricas. (Canal Energia)

Fitch afirma ratings da Equatorial e eleva Echoenergia para ‘AA+(bra)’
A agência de classificação de risco Fitch Ratings removeu a Observação Negativa e afirmou o Rating Nacional de Longo Prazo ‘AA+(bra)’ do Grupo Equatorial para as subsidiárias no Pará, e de Transmissão. Ao mesmo tempo a agência removeu a Observação Positiva e elevou o Rating Nacional de Longo Prazo da recém adquirida Echoenergia Participações de ‘A+(bra)’para ‘AA+(bra)’. A Perspectiva dos três ratings corporativos é Estável. (Canal Energia)

Marco para eólica offshore deve priorizar transição sobre arrecadação, avalia Carlos Portinho
O relator do marco das eólicas offshore (PL 576/21), senador Carlos Portinho (PL/RJ), indica que deve modificar a versão inicial do texto com regras para geração de eólicas offshore e privilegiar expansão do setor sobre o modelo de arrecadação com outorgas. Em entrevista ao político epbr, o parlamentar defende que a experiência internacional pode ser usada como base para estudos, mas que o Brasil precisa de um modelo “mais próximo da nossa realidade”. (epbr)

Os cinco países que podem liderar a próxima onda de eólicas flutuantes
A O relator do marco das eólicas offshore (PL 576/21), senador Carlos Portinho (PL/RJ), indica que deve modificar a versão inicial do texto com regras para geração de eólicas offshore e privilegiar expansão do setor sobre o modelo de arrecadação com outorgas. Em entrevista ao político epbr, o parlamentar defende que a experiência internacional pode ser usada como base para estudos, mas que o Brasil precisa de um modelo “mais próximo da nossa realidade”. (epbr)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 107,9/Barril -4,27%

CÂMBIO

R$ 5,05/USD +0,76%

Ambiente de negócios para venda de refinarias da Petrobras se deteriora no Brasil
O aumento da pressão política sobre os preços da Petrobras e a ameaça de um novo programa de subsídios para os combustíveis elevaram a percepção de risco dos investidores e podem colocar uma pá de cal na abertura do refino no país. Na avaliação de especialistas, achar compradores para as unidades colocadas à venda pela estatal já tinha se tornado uma missão pouco provável para 2022, mas o ambiente de negócios se deteriorou ainda mais na última semana. (Valor Econômico)

Câmara aprova ICMS monofásico para combustíveis
Num movimento político rápido e coordenado, a Câmara dos Deputados aprovou, na quinta-feira (11/3), o projeto de lei que prevê a incidência única do ICMS sobre combustíveis, inclusive importados, com base em uma alíquota fixa por volume comercializado em todo o país. O texto segue para sanção presidencial. (Petróleo Hoje)

Bolsonaro sanciona projeto que determina alíquota única de ICMS para combustíveis
O presidente Jair Bolsonaro sancionou na noite dessa sexta-feira (11/3), na íntegra, o Projeto de Lei Complementar (PLP) nº 11, de 2020, que prevê a cobrança em uma só vez do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre combustíveis, inclusive importados. O ICMS único também valerá para o gás natural e para o querosene de aviação. A sanção foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União. (epbr)

Fundo de estabilização de combustíveis traz incertezas ao mercado, apontam especialistas
Congresso pode estar “dando ao Poder Executivo possibilidades de intervenção no setor”, alerta Rosemarie Bone, coordenadora do Laboratório de Economia do Petróleo da UFRJ. Ainda é incerto como vai funcionar, na prática, o fundo para ajudar a estabilizar os preços dos combustíveis e, dependendo de como for a versão final do texto, pode não haver efetiva redução de preços aos consumidores finais, segundo especialistas. (Valor Econômico)

Entenda o pacote de combustíveis do Senado em cinco pontos
Os preços dos combustíveis estiveram nos holofotes da agenda política em Brasília esta semana. O escalada da guerra na Ucrânia e o anúncio de sanções americanas ao petróleo russo levaram a commodity a se aproximar dos US$ 140 na segunda-feira. Ao fim da semana, na quinta-feira, o Senado deu a resposta, ao aprovar dois projetos de lei que visam atenuar os impactos da alta do barril sobre o mercado doméstico. (Valor Econômico)

Debate sobre preços e subsídios piora cenário para privatizações
O aumento da pressão política sobre os preços da Petrobras e a ameaça de um novo programa de subsídios para os combustíveis elevaram a percepção de risco dos investidores e podem colocar uma pá de cal na abertura do refino no país. Na avaliação de especialistas, achar compradores para as unidades colocadas à venda pela estatal já tinha se tornado uma missão pouco provável para 2022, mas o ambiente de negócios se deteriorou ainda mais na última semana. (Valor Econômico)

Aumento do petróleo deve reforçar receita com royalties
Paralelamente à pressão sobre preços de combustíveis, as altas cotações de petróleo devem contribuir este ano para um novo recorde nas receitas totais de royalties e participações especiais de União, Estados e municípios. O valor total das participações governamentais pode saltar dos R$ 77,82 bilhões em 2021 para R$ 111,5 bilhões neste ano, segundo cálculos do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE) feitos a pedido do Valor. (Valor Econômico)

Brasil se compromete com EUA a produzir mais petróleo, diz MME
A disparada do preço do petróleo, provocada pelas incertezas no mercado internacional com a guerra na Ucrânia, levou os Estados Unidos a fazer um apelo ao Brasil para ampliar a sua produção. A secretária de energia do governo americano, Jennifer Granholm, fez o pedido ao ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, durante conversa por videoconferência na quinta-feira. (Valor Econômico)

Preço médio do gás chega a R$ 150 e revendedores parcelam botijão em SP
O mega-aumento de 16,1% aplicado pela Petrobras no gás de cozinha desde a última sexta-feira (11/3) já foi repassado aos consumidores no estado de São Paulo. Com isso, o preço médio do botijão é de R$ 150 e os revendedores estão parcelando o valor em até dez vezes no cartão de crédito, segundo Robson Carneiro dos Santos, presidente do Sergás (Sindicato das Empresas Revendedoras de Gás). (Valor Econômico)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • O Gambito Da Rainha: O que um embargo ao Petróleo da Rússia significa para a oferta Global, o Brasil e a Petrobrás? (link)
  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Sexta-Feira, 11 de Março

Destaques: (i) Petróleo dispara e força países a conter alta no preço dos combustíveis. (Valor Econômico); (ii) Privatizada, refinaria na Bahia vende combustíveis 6,4% mais caro que a Petrobras. (g1); (iii) Petróleo recua pelo 2º dia seguido e se distancia das máximas de 14 anos. (Valor Econômico).

Elétricas e Saneamento

BNDES vai financiar energia solar direto para consumidores na região Norte
A linha de financiamento se chama “Amazônia Solar” e a previsão é que esteja disponível em abril. Os consumidores finais de energia elétrica da região Norte do Brasil, principalmente da Amazônia, poderão acessar os recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) sem a intermediação de bancos para financiar placas fotovoltaicas para gerar energia elétrica. (Valor Econômico)

CCEE: liquidação do MCP em janeiro movimenta R$ 3,3 bilhões
A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica finalizou, nesta quinta-feira, 10 de março, as operações financeiras do Mercado de Curto Prazo referentes a janeiro de 2022. O processo manteve os padrões históricos de movimentação, liquidando R$ 3,3 bilhões dos R$ 4,45 bilhões contabilizados. (Canal Energia)

Eólica mostra potencial de 40 GW em lagoas no RS
O Sindicato da Indústria de Energias Renováveis do Rio Grande do Sul (Sindienergia/RS) montou um Grupo de Trabalho para levantar informações técnicas e discutir aspectos e impactos socioambientais sobre a instalação de parques eólicos em lagoas no estado. Conforme explica a sócia do escritório Souto Correa e coordenadora do Comitê Socioambiental do Sindienergia, Juliana Stangherlin, o objetivo é contribuir para a construção de um embasamento legal e técnico que incentive tal atividade, que demonstra potencial de 40 GW para três lagoas.(Canal Energia)

Materializando a transição energética no setor de óleo e gás no Brasil
Dentre os inúmeros desafios do Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP) para o ano de 2022, está o de coordenar as discussões sobre transição energética e mudanças climáticas do setor de óleo e gás (O&G).Incluindo a disseminação de informações e mostrar que a indústria não se furta ao seu papel descarbonizador na transição energética, muito pelo contrário! (epbr)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 110,8/Barril +1,35%

CÂMBIO

R$ 5,01/USD -0,11%

Petróleo dispara e força países a conter alta no preço dos combustíveis
Subsídios e impostos são algumas das ações adotadas para reduzir o impacto do aumento da commodity. A cotação do barril de petróleo passou de US$ 130 na abertura dos mercados nesta segunda-feira, diante do risco de proibição da importação por Estados Unidos e da Europa ao produto russo, como mais uma retaliação a Moscou diante da invasão da Ucrânia. (Valor Econômico)

Petróleo recua pelo 2º dia seguido e se distancia das máximas de 14 anos
O contrato do petróleo Brent para maio fechou em queda de 1,62%, a US$ 109,33 por barril, e o contrato do WTI para abril fechou em queda de 2,46%, a US$ 106,02 por barril. Os contratos futuros do petróleo fecharam em queda nesta quinta-feira (10), estendendo as perdas de ontem e continuando a se distanciar das máximas de 14 anos, alcançadas na terça-feira (8), quando o anúncio de sanções às importações de petróleo russo pelos Estados Unidos alimentou uma disparada nos preços da commodity. (Valor Econômico)

Privatizada, refinaria na Bahia vende combustíveis 6,4% mais caro que a Petrobras
A gasolina na Refinaria de Mataripe, antiga Landulpho Alves (Rlam), na Bahia, vendida pela Petrobras para a Acelen, empresa criada pela Mubadala Capital, dos Emirados Árabes, custa 6,4% a mais do que a vendida pela estatal. A diferença em relação ao valor do diesel S-10 é menor, 2,66%. (G1)

Paulo Guedes descarta aplicar subsídios aprovado no Senado, com apoio do governo
O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou logo após a aprovação do PL 1472/2021 no Senado Federal que apenas se a crise provocada pela guerra na Europa se intensificar, o governo começará a “pensar em subsídio” para o diesel. O projeto aprovado pelo Senado Federal conta um vale-combustível proposto pelo próprio governo federal aos parlamentares e inclui a criação de uma espécie de fundo para subsidiar diesel, gasolina e GLP. (epbr)

Petrobras: Reajuste sinaliza autonomia mas eleva pressão sobre a gestão, dizem analistas
A maioria dos analistas lembra que o reajuste – de 18,7% no preço da gasolina, de 24,9% no diesel e de 16% no gás liquefeito de petróleo (GLP) – reduz, mas não zera a defasagem. Os analistas viram com bons olhos o reajuste nos preços da gasolina e do diesel anunciados pela Petrobras nesta quinta-feira. O aumento, após 57 dias de manutenção, reduz a defasagem em relação aos preços internacionais e foi apontado como um sinal de independência da empresa, apesar de aumentar a pressão sobre a gestão. (Valor Econômico)

Petrobras: Reajuste de preços reduz risco de escassez de combustíveis, diz BTG
Com esses níveis de preços, as distribuidoras passam a ficar em uma posição muito mais confortável para voltar a importar produtos. A primeira consequência da alta dos preços dos combustíveis pela Petrobras é reduzir o que se percebe como principal risco para a cadeia de fornecimento: a escassez, segundo o BTG Pactual. Além disso, a medida busca a paridade de preços com o mercado internacional. (Valor Econômico)

Presidenciáveis culpam política de preços da Petrobras e venda da BR por alta dos combustíveis
Petrobras vai reajustar em 18,7% o preço da gasolina e em 24,9% o do diesel nas refinarias. O Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) será reajustado em 16%. O reajuste nos preços dos combustíveis anunciado pela Petrobras foi criticado pelos pré-candidatos ao Palácio do Planalto nas redes sociais. A Petrobras informou hoje que, a partir de amanhã, vai reajustar em 18,7% o preço da gasolina e em 24,9% o do diesel nas refinarias. O Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) será reajustado em 16%. (Valor Econômico)

Petróleo passa a cair com esforços dos EUA em elevar oferta
Investidores voltam a avaliar cenário de incertezas diante da guerra entre Rússia e Ucrânia. O petróleo apagou os ganhos firmes exibido pela manhã, quando corrigia parte da queda de mais de 10% registrada um dia antes, mas voltou a ser negociado em queda nesta tarde de quinta-feira, em meio aos esforços dos Estados Unidos em buscar novos fornecedores. (Valor Econômico)

Petrobras faz fortes reajustes e Senado vota mudanças
Os megarreajustes de combustíveis feitos ontem pela Petrobras pioram muito as perspectivas da inflação e colocam o Banco Central perto de descumprir as metas pelo segundo ano consecutivo. Tudo foi nebuloso na decisão do aumento de 24,9% do diesel, 18,7% na gasolina e 16% no gás de cozinha. Não se sabe por que a Petrobras esperou 57 dias para realinhar tanto os preços. (Valor Econômico)

Análise: Reajuste da Petrobras dá sinal positivo a mercado, mas pode colocar pressão política sobre preços
Ao anunciar um aumento de 18,7% para a gasolina e 24,9% para o diesel, a Petrobras dá um sinal ao mercado – não só financeiro, mas o da economia real – de que está disposta a continuar a repassar, ainda que parcialmente, a alta dos preços internacionais do petróleo. (Valor Econômico)

Compass negocia venda da participação da Gaspetro em sete distribuidoras
A Compass, do grupo Cosan, assinou promessas de venda de participação de até sete das 18 distribuidoras de gás natural onde a Gaspetro é minoritária — a subsidiária da Petrobras tem o controle acionário (capital total) da GasBrasiliano (100%) e é sócia minoritária nas outras 17 empresas. O nome do possível comprador não foi revelado. (epbr)

Mais dois campos marginais são declarados comerciais
As empresas Barra Bonita Óleo e Gás e Imetame declararam a comercialidade dos campos de Barra Bonita e Bela Vista, respectivamente, segundo informações da ANP. Ambos foram adquiridos na 13ª Rodada de Licitações da ANP, realizada em 2015, na etapa referente às áreas com acumulações marginais. (Petróleo Hoje)

Pré-qualificação para FPSOs no radar Petrobras
A Petrobras prorrogou o prazo do processo de pré-qualificação de empresas para o fornecimento de novos FPSOs sob o regime de EPC (Engineering, Procurement and Construction), com capacidade para 180 mil bpd e 7 milhões de m³/dia de gás. A nova data, fixada para 18 de março, não deve ser adiada novamente. (Petróleo Hoje)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • O Gambito Da Rainha: O que um embargo ao Petróleo da Rússia significa para a oferta Global, o Brasil e a Petrobrás? (link)
  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Quinta-Feira, 10 de Março

Destaques: (i) Preço dos combustíveis sobe com menos força no Brasil que no resto do mundo. (Valor Econômico); (ii) Queda de 70% nas exportações de petróleo deixará Rússia sem moeda estrangeira para importar. (Valor Econômico); (iii) Reservatórios têm ‘condições favoráveis’ de atendimento ao país, diz comitê governamental de energia. (Valor Econômico).

Elétricas e Saneamento

Engie capta R$ 65 milhões para PPP de iluminação pública
A Engie obteve um financiamento inédito de R$ 65 milhões para a Parceria Público-Privada (PPP) de Iluminação Pública de Uberlândia (MG), gerida pela companhia, por meio de debêntures incentivadas de infraestrutura. A emissão foi a primeira no Brasil a conseguir enquadrar um empreendimento do segmento de iluminação pública em projetos de infraestrutura pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, etapa necessária para promover o lançamento desse tipo de título. A transação tem vencimento em janeiro de 2034 e foi coordenada pela XP. (Valor Econômico)

Reservatórios têm ‘condições favoráveis’ de atendimento ao país, diz comitê governamental de energia
O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) confirmou nessa quarta-feira (9) que o sistema mantém “condições favoráveis” de atendimento ao país, corroboradas pelas chuvas verificadas no início deste ano. “O armazenamento do SIN [Sistema Interligado Nacional] já alcançou patamar superior às projeções apresentadas anteriormente ao Comitê, com valor de 63,6% em 8 de março de 2022”, informou o colegiado, em nota divulgada pelo Ministério de Minas e Energia (MME). (Valor Econômico)

Eólica e UTE recebem autorização de 98,25 MW entre operação comercial e em teste
A Agência Nacional de Energia Elétrica autorizou para início da operação em teste, a partir de 09 de março, unidades geradoras da EOL Tucano VI, que juntas somam 49,6 MW de capacidade instalada, e estão localizadas no estado da Bahia. Para operação comercial, a Aneel liberou 48,65 MW da UTE Jaguatirica II, localizada no estado de Roraima. (Canal Energia)

CMSE mantém despacho térmico limitado a 8 GWméd
O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico manteve o despacho térmico fora da ordem de mérito para atendimento à região Sul. A decisão foi anunciada em reunião nesta quarta-feira, 9 de março, e reforça determinação aprovada no mês passado em reunião extraordinária do colegiado. (Canal Energia)

Comissão especial vai analisar PL 414
O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) determinou a criação de comissão especial para analisar o PL 414, que trata do novo modelo comercial do setor elétrico. Apesar da decisão, é provável que o texto siga da comissão diretamente ao plenário para votação, por meio da aprovação de requerimento de urgência, avalia o diretor da Dominium Consultoria Leandro Gabiati. (Canal Energia)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 117,3/Barril +5,56%

CÂMBIO

R$ 5,01/USD -0,84%

Câmbio ajuda a atenuar salto do petróleo, diz Bram
Com a Selic já de volta aos dois dígitos e expectativas crescentes de um ciclo de aperto ainda mais longo, que coloque o juro básico em torno de 13% ao ano, o canal do câmbio “voltou a funcionar” e ajudou a atenuar o impacto dos preços do petróleo em reais, observa o economista-chefe da Bradesco Asset Management (Bram), Marcelo Toledo. (Valor Econômico)

Preço dos combustíveis sobe com menos força no Brasil que no resto do mundo
O aumento dos preços dos combustíveis é uma realidade global, diante da valorização recente do petróleo, mas, no Brasil, onde a Petrobras está há 56 dias segurando reajustes nas refinarias, a inflação dos derivados tem ocorrido de forma mais suave. Levantamento do GlobalPetrolPrices, site de pesquisa de mercado que monitora 170 países diferentes, mostra que o diesel ficou, na média, 3,4% mais caro nos postos ao redor do mundo, nas últimas duas semanas, enquanto, no mercado brasileiro, a alta foi de 1,2% na mesma base comparativa, em dólar. (Valor Econômico)

Casa Branca diz à indústria do petróleo ‘precisamos de mais’ à medida que os preços dos combustíveis disparam
Os EUA estão engajados em uma busca cada vez mais frenética para substituir os suprimentos de petróleo perdidos da Rússia, enquanto tentam consertar as divergências diplomáticas no exterior e aumentar a produção doméstica para impedir que os preços dos combustíveis saiam do controle. (ft)

EUA propõem afrouxar sanções à Venezuela em troca de petróleo
Num sinal de que negociações podem avançar, Maduro liberta presos americanos. Autoridades americanas exigiram ontem que a Venezuela forneça pelo menos uma parte das exportações de petróleo para os EUA como parte de um eventual acordo para aliviar as sanções ao comércio de petróleo do país. A informação foi dada por duas fontes. (Valor Econômico)

Distribuidoras e postos relatam dificuldades para comprar combustíveis
Distribuidoras e postos de combustíveis começam a enfrentar dificuldades para comprar produtos devido à suspensão de importações por empresas privadas diante da elevada defasagem entre os preços internos e as cotações internacionais. (Valor Econômico)

Emirados Árabes Unidos querem aumento da produção de petróleo na Opep para conter alta dos preços
O embaixador do país em Washington, Yousef al-Otaiba, confirmou a decisão de pedir um aumento da produção aos demais países da Opep, em comunicado enviado ao jornal britânico “Financial Times”. “Nós somos a favor do aumento da produção e incentivaremos a Opep a considerar níveis mais altos de produção”, disse o diplomata. (Valor Econômico)

Para amortecer alta dos combustíveis, Mourão defende subsídio com recursos da Petrobras e do governo
A melhor alternativa para amortecer a alta do petróleo ao consumidor final é subsidiar os combustíveis com recursos da Petrobras e do próprio governo, defendeu nessa quarta-feira (9) o vice-presidente, Hamilton Mourão. A alternativa causaria menos danos no futuro, na avaliação do general da reserva. (Valor Econômico)

Estoques de petróleo nos EUA caem mais que o esperado na semana passada
Os estoques americanos de petróleo caíram 1,863 milhão de barris na semana encerrada na última sexta-feira (4), para 411,562 milhões, de acordo com dados divulgados nesta quarta (9) pelo Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) dos Estados Unidos. A queda foi bem maior do que a esperada pelos analistas consultados pelo “Wall Street Journal”, que projetam recuo de 400 mil barris no período. (Valor Econômico)

Queda de 70% nas exportações de petróleo deixará Rússia sem moeda estrangeira para importar
As receitas em moeda estrangeira da Rússia caíram à medida que mais compradores estrangeiros evitam seu petróleo bruto após a invasão da Ucrânia, corroendo seu poder de compra para as principais importações. O país já enfrenta uma escassez aguda de moedas estrangeiras depois que a maioria de suas reservas foi congelada por sanções internacionais. Um declínio contínuo na receita relacionada ao petróleo reduziria sua capacidade de pagar por carros, semicondutores e outros produtos amplamente importados. (Valor Econômico)

Sem acordo para subsídios, Senado adia novamente votação de projetos para combustíveis
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD/MG) decidiu adiar para amanhã (10/1) a votação dos projetos em discussão como promessas de redução dos preços dos combustíveis. Falta consenso entre governo federal, Senado e estados sobre quais medidas serão, de fato, propostas. (epbr)

Petróleo tem forte queda com comentários de Zelensky e possível aumento de produção da Opep
O contrato do petróleo Brent para maio fechou em queda de 13,15%, a US$ 111,14 por barril, no maior recuo diário da referência global da commodity em quase dois anos. Os contratos futuros do petróleo fecharam a sessão desta quarta-feira (9) em forte queda, com a referência global da commodity, o Brent, anotando a sua maior queda diária em quase dois anos. O recuo ocorre após o fechamento mais elevado para os preços do petróleo desde 2008. (Valor Econômico)

PetroRio bate recorde em fevereiro
A PetroRio fechou o mês de fevereiro com a maior produção de sua história. Em nota divulgada na terça-feira (8/3), a companhia publicou os dados operacionais daquele mês, quando registrou produção recorde de 35,7 mil boe/dia. O principal impulsionador foi a produção do Cluster Polvo + TBMT, que cresceu 6% em relação a janeiro e alcançou pela primeira vez 18 mil boe/dia. (Petróleo Hoje)

3R aumenta produção em fevereiro
A 3R Petroleum produziu 9,2 mil boe/dia em fevereiro, um aumento de 3,1% em relação ao mês anterior. O resultado representa o quinto mês consecutivo em que a companhia registra um aumento na produção. O Polo Potiguar, recém adquirido pela petroleira, não foi incluído no relatório, pois a aquisição ainda não foi concluída pela ANP. (Petróleo Hoje)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • O Gambito Da Rainha: O que um embargo ao Petróleo da Rússia significa para a oferta Global, o Brasil e a Petrobrás? (link)
  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Quarta-Feira, 09 de Março

Destaques: (i) EUA vão interromper importação de óleo, carvão e gás da Rússia. (epbr); (ii) Petróleo fecha em alta após EUA anunciarem proibição de importações da Rússia. (Valor Econômico); (iii) Emissões de carbono do setor de energia foram as mais altas da história em 2021. (epbr).

Elétricas e Saneamento

Emissões de carbono do setor de energia foram as mais altas da história em 2021
As emissões globais de dióxido de carbono (CO2) relacionadas à energia aumentaram 6% em 2021 para 36,3 bilhões de toneladas e superou os níveis históricos. O aumento veio na esteira da recuperação da economia mundial após a crise do covid-19, com os países dependendo do carvão — a fonte mais suja de energia — para impulsionar esse crescimento. (epbr)

Lei nº 14.300/22 e consórcio de energia elétrica
No dia 6 de janeiro, entrou em vigor a Lei nº 14.300, que instituiu o Marco Legal da Microgeração e Minigeração Distribuída – a chamada Geração Distribuída (GD) -, o Sistema de Compensação de Energia Elétrica (SCEE) e o Programa de Energia Renovável Social (PERS). Dentre outros, a nova lei tem como objetivo aprimorar as regras da GD, trazendo maior segurança jurídica e regulatória aos agentes e ampliando o acesso de participantes interessados na geração e consumo de energia de fonte renovável. (Valor Econômico)

Dia Internacional da Mulher: Presença feminina em cargos de liderança no setor elétrico não passa de 20%
Enquanto Isa Cteep, com 43%, e Omega Energia, com 33%, apresentam a maior presença feminina em cargos de diretoria, Alupar, Cemig, Eneva, Equatorial, Focus e Taesa não têm mulheres nessas posições. Uma pesquisa feita pela consultoria Bravo GRC, especializada em governança, riscos, compliance e ESG, mostrou que a presença de mulheres em cargos de liderança nas empresas do setor elétrico brasileiro não ultrapassa de 20%, em média. (Valor Econômico)

Presença feminina cresceu mas é de apenas 33% em renováveis
A presença feminina no setor elétrico teve avanço quantitativo na última década, acompanhando um movimento de maior conscientização das empresas em relação às ações de inclusão no geral, que abrange não apenas a temática de gênero, mas também a da diversidade. Os números, no entanto, ainda não são muito animadores, alerta a presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica, Elbia Gannoum, destacando que apenas 33% da força de trabalho vem das mulheres, segundo dados da Agência Internacional de Energias Renováveis. (Canal Energia)

Operando com 27,3% da capacidade, reservatórios do Sul seguem em queda
Em queda, os reservatórios da região Sul apresentaram recuo de 0,2 ponto percentual, e trabalhavam com 27,3% na última segunda-feira, 07 de março, se comparado ao dia anterior, segundo o boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), a energia armazenada marca 5.374 MW mês e ENA é de 3.083 MW med, equivalente a 40% da média de longo termo armazenável no mês até o dia. As UHEs G.B Munhoz e Passo Fundo funcionam com 28,36% e 28,06%, respectivamente. Todos os outros subsistemas apresentaram crescimento no volume de seus reservatórios. (Canal Energia)

Mineração de criptomoedas pode impactar Brasil, avalia PSR
A busca de mineradores por países mais vantajosos para atividade poderá ter o Paraguai como destino na América Latina. (Canal Energia)

Empresas registram aumento da presença feminina no setor elétrico
Hoje o mundo celebra o Dia da Mulher. Dias de luta, de resiliência, de determinação e claro, de conquistas. No setor elétrico não é diferente. Cada dia mais mulheres seguem conquistando espaço num ambiente predominantemente masculino. Na EDP, por exemplo, a empresa comemora o mês da mulher reafirmando que pretende aumentar em 20% a presença feminina na liderança da companhia até o fim deste ano.  (Canal Energia)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 126,9/Barril -0,85%

CÂMBIO

R$ 5,05/USD -0,52%

Petróleo fecha em alta após EUA anunciarem proibição de importações da Rússia
O contrato do petróleo Brent para maio fechou a sessão em alta de 3,87%, a US$ 127,98 por barril, enquanto o do petróleo WTI para abril subiu 3,60%, a US$ 123,70 por barril. Os contratos futuros do petróleo fecharam mais uma sessão em forte alta, nesta terça-feira (8), depois que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou oficialmente a proibição de importações de petróleo da Rússia, em retaliação à invasão da Ucrânia. (Valor Econômico)

EUA vão interromper importação de óleo, carvão e gás da Rússia
O presidente dos EUA anunciou nesta terça (8/3) que serão interrompidas todas as importações para o país de óleo, carvão e gás natural da Rússia, em resposta à invasão da Ucrânia. “Não vamos subsidiar a guerra de Putin”, disse. (epbr)

GUEDES: NÃO TEM CONGELAMENTO DE PREÇOS DE COMBUSTÍVEIS, ESQUECE ESSE ‘TROÇO’
O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse a jornalistas na noite desta terça-feira, 8, ao deixar o prédio do Ministério, que “não tem congelamento” de preços de combustíveis. “Esquece esse ‘troço'”, respondeu o ministro, que entrou no carro e logo deixou o local. (Broadcast)

AIE pode liberar mais petróleo para conter alta de preços
Chefe da agência afirmou que também está discutindo a situação com os países produtores de petróleo, principalmente no Oriente Médio, e criticou Arábia Saudita e Emirados Árabes por se recusarem a ampliar a produção. O diretor-geral da Agência Internacional de Energia (AIE), Fatih Birol, disse nesta terça-feira que os países membros da entidade estão prontos para liberar mais petróleo de suas reservas estratégicas para conter a alta dos preços nos mercados. (Valor Econômico)

Ministros tentam preservar política da Petrobras
Principal preocupação do governo é com possível desabastecimento. A reunião realizada ontem na Casa Civil para discutir soluções para a alta na cotação do petróleo foi inconclusiva. O governo está dividido, mas ministros e demais autoridades avançaram em alguns pontos, como o esforço para preservar a política de preços da Petrobras, alvo de críticas do presidente Jair Bolsonaro. (Valor Econômico)

Petróleo sobe e ações caem com nova sanção
Agravamento das incertezas geopolíticas, com a nova sanção americana ao petróleo da Rússia, eleva a volatilidade dos mercados financeiros. Os preços do petróleo continuaram a subir ontem, depois que os EUA anunciaram a proibição das importações da Rússia. Isso levou também os índices acionários de Wall Street a estender as perdas. Para o Goldman Sachs, apesar do impacto nos preços, a sanção dos EUA ao petróleo russo terão um “efeito mínimo” nos mercados globais de combustível. (Valor Econômico)

Presidente cancela agenda no Rio para tratar de crise dos combustíveis
O presidente Jair Bolsonaro irá participar esta manhã de reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, o de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. O tema do encontro será a crise dos combustíveis, cujos preços devem subir em função da escalada de preços do petróleo em função da guerra entre Rússia e Ucrânia. (Valor Econômico)

Governo busca saída eleitoral para escalada do petróleo
A economia global encarou em pouco tempo dois choques de extraordinária potência – depois da covid-19, uma guerra em solo europeu, envolvendo Rússia, a agressora, e Ucrânia. Se o primeiro choque provocou uma depressão nas atividades econômicas, o segundo lançou os preços reais do petróleo perto do recorde (US$ 129 o barril ontem), enquanto os da energia e commodities alimentares, como trigo e soja, seguem rota análoga. Não há um bom caminho para escapar dessa escalada a curto prazo. (Valor Econômico)

Proposta de subsídio temporário para conter alta dos combustíveis ganha força no governo
Em meio à escalada de preço dos combustíveis, agravada pela invasão da Rússia à Ucrânia, o governo avançou nesta tarde na busca de uma solução para tentar conter mais aumentos para o consumidor. A proposta mais concreta, discutida em uma reunião hoje na Casa Civil, continua sendo a adoção de uma política de subsídios temporária, de curto prazo para para barrar a alta dos preços na bomba. (Valor Econômico)

Bolsonaro intensifica pressão por interferência em preços da Petrobras
Está prevista para esta terça (8/3) a reunião entre integrantes do governo e da Petrobras que pode determinar mudanças na política de Preço de Paridade de Importação (PPI) para os combustíveis, em vigor desde outubro de 2016. A alteração é criticada pelo Ministério da Economia, mas apoiada pela ala política do governo que está de olho na reeleição de Jair Bolsonaro (PL). (epbr)

Após crítica, Shell anuncia saída imediata da Rússia
Grupo não vai realizar novas compras de petróleo russo. A Shell disse que vai se retirar totalmente da Rússia e que deixará, de imediato, de realizar novas compras de petróleo russo, dias após uma das principais empresas de energia ter sido criticada por lucrar com uma carga de petróleo bruto russo barato. (Valor Econômico)

Pré-sal alcança 75% da produção nacional
A produção do pré-sal em janeiro atingiu uma participação recorde de 74,7% na produção total do país. Foram produzidos 2,912 milhões de boe/dia, sendo 2,292 milhões de bpd e 98,6 milhões de m³/dia de gás natural, registrando também um recorde no volume produzido. Houve aumento de 7,5% se comparado ao mês anterior e o principal fator para o aumento na produtividade foi a inauguração de novos poços, em especial em Sépia e Sépia Leste. (Petróleo Hoje)

Açu Petróleo, Petrobras e Transpetro assinam acordo inédito de compartilhamento de infraestrutura
A Açu Petróleo assinou com a Petrobras e a Transpetro o primeiro acordo de compartilhamento de infraestrutura para óleo cru. Voltada a rede do Osduc (Cabiúnas-Reduc), a operação viabilizará a conexão da futura linha que interligará o Terminal de Petróleo, no Porto do Açu, em São João da Barra (RJ), ao Terminal de Cabiúnas, localizado em Macaé (RJ). (Petróleo Hoje)

O que a proibição do petróleo russo significa para os mercados globais de energia?
A proibição da Casa Branca às importações de petróleo russo para os EUA, anunciada na terça-feira, é a medida mais significativa até agora em uma guerra energética global em rápida escalada entre a Rússia e o Ocidente após a invasão da Ucrânia por Vladimir Putin. (ft)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • O Gambito Da Rainha: O que um embargo ao Petróleo da Rússia significa para a oferta Global, o Brasil e a Petrobrás? (link)
  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Terça-Feira, 08 de Março

Destaques: (i) Bolsonaro é aconselhado a apoiar suspensão de reajuste de combustíveis durante guerra. (Valor Econômico); (ii) Biden deve ir à Arábia Saudita para pedir aumento da produção de petróleo. (epbr); (iii) Omega Energia assina acordo para compra do complexo eólico Assuruá por R$ 262 milhões. (Valor Econômico).

Elétricas e Saneamento

Brasil perde R$ 20 bilhões ao ano por falta de políticas para uso do aquecimento solar de água
Cálculo feito pela Associação Brasileira de Energia Solar Térmica (Abrasol) aponta que brasileiros perdem cerca de R$ 20 bilhões anualmente por falta de políticas públicas de incentivo ao uso do aquecedor solar de água. No entendimento da entidade, o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o parlamento mostram não ter nenhuma informação sobre os ganhos proporcionados pelos equipamentos, o que prejudica milhares de famílias. (Valor Econômico)

Omega Energia assina acordo para compra do complexo eólico Assuruá por R$ 262 milhões
Segundo a companhia, o negócio será concretizado por meio da compra de debêntures conversíveis de emissão do ativo Assuruá 4, equivalente a 20% do capital total, e do ativo Assuruá 5, com conversão correspondente a 40% do capital total, por meio do pagamento de R$ 57,2 milhões. (Valor Econômico)

Derrubando muros do setor elétrico
É comum dizer que os brasileiros têm opinião sobre tudo. De estratégia no futebol, passando pela economia e até geopolítica internacional, emitimos nosso pensamento.Quando o assunto é energia, nos limitamos a dizer que a conta está cara. “Os olhos da cara”, na linguagem popular. (epbr)

Investidores internacionais querem financiar descarbonização do Brasil, mas enfrentam escassez
Estudo da gestora de ativos Janus Henderson sugere que a demora do governo brasileiro e de empresas do setor privado para criar planos de investimentos rumo à neutralidade de emissões é a razão pela qual países latino-americanos estão atrasados no financiamento climático quando comparados a outros mercados. (epbr)

Comerc aposta em saída infralegal para mercado varejista de energia 
Maior comercializadora do Brasil na modalidade varejista, a Comerc — por meio da sua nova subsidiária Comerc Futuro — acredita que uma revisão do Ministério de Minas e Energia (MME) pode viabilizar mais rapidamente a ampliação do mercado livre de energia elétrica. (epbr)

Reservatórios apresentaram aumento no volume útil
A Região Norte apontou um crescimento de 0,3 ponto percentual no nível dos reservatórios. Os dados são do último domingo, 6 de março, segundo o boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). O subsistema está operando com 97,6% da capacidade. A energia armazenada mostra 14.939 MW mês e a ENA aparece com 31.180 MW med, o mesmo que 119% da MLT. A UHE Tucuruí segue com 98,62%. (Canal Energia)

Aneel recebe contribuições para Tomada de Subsídios para revisão de Procedimentos de Rede
A Agência Nacional de Energia Elétrica abriu na última quinta-feira, 3 de março, prazo para receber contribuições para a Tomada de Subsídios 004/2022. O objetivo é o aprimoramento das propostas de revisão dos submódulos 4.5 e 6.5 dos Procedimentos de Rede em função de mudanças na Resolução Normativa 614/2014, alterada pela REN 947/2021. (Canal Energia)

Conta Bandeira tem valores fixados pela Aneel
A Superintendência de Gestão Tarifária da Agência Nacional de Energia Elétrica fixou os valores da Conta Centralizadora dos Recursos de Bandeiras Tarifárias (Conta Bandeiras), para fins da liquidação das operações do mercado de curto prazo junto à Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, referente à contabilização de janeiro de 2022. (Canal Energia)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 127,29/Barril +3,31%

CÂMBIO

R$ 5,08/USD +0,03%

Bolsonaro é aconselhado a apoiar suspensão de reajuste de combustíveis durante guerra
A ideia de pedir aos acionistas da Petrobras uma “cota de contribuição” diante da guerra, com a suspensão temporária dos reajustes dos combustíveis apenas durante o conflito, ganha adeptos dentro do governo. A sugestão foi apresentada ao presidente Jair Bolsonaro na manhã desta segunda-feira. Consta do Projeto de Lei 1.472/21, relatado pelo senador Jean Paul Prates (PT-RN). (Valor Econômico)

Biden deve ir à Arábia Saudita para pedir aumento da produção de petróleo
A Assessores de Joe Biden avaliam uma viagem do presidente dos EUA à Arábia Saudita para convencê-los a bombear mais petróleo, informa o Axios. A viagem reforçaria a gravidade da crise energética global com a invasão da Ucrânia pela Rússia. (epbr)

Lira acena para subsídio temporário e defende manter política de preços da Petrobras
“Acho que todo mundo de bom-senso sabe que não dá para passar para o consumidor um aumento de US$ 80 para US$ 140 do barril do petróleo”, afirmou o presidente da Câmara, em entrevista ao Valor. (Valor Econômico)

Por que preços do barril podem escalar ainda mais
Em 2008, pouco antes de Vladimir Putin enviar tanques russos para a Geórgia, o petróleo atingiu seu maior patamar na história de quase US$ 150 por barril. Foi em 2008, pouco antes de Vladimir Putin enviar tanques russos para a Geórgia. O preço do petróleo acabou atingindo seu maior patamar na história de quase US$ 150 por barril. A interrupção da produção russa pode elevar os preços do petróleo para mais de US$ 200 por barril. (Valor Econômico)

EUA avaliam proibir sozinhos a compra de petróleo russo
Os EUA estão dispostos a levar adiante uma proibição de importação de petróleo russo sem a participação dos aliados europeus, devido à invasão da Ucrânia pela Rússia, disseram à Reuters duas pessoas a par da questão. Já a União Europeia (UE), que depende mais da energia importada da Rússia e que teria mais dificuldade de cortar subitamente esse fornecimento. (Valor Econômico)

O que acontece se o Ocidente deixar de comprar petróleo da Rússia?
O salto nos preços das commodities seguiu-se a uma declaração no fim de semana do secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, de que Washington e seus parceiros europeus estão discutindo a proibição às importações de petróleo da Rússia. Se imposto, o embargo representará uma mudança significativa na resposta do Ocidente à guerra travada por Moscou na Ucrânia. Washington e seus aliados impuseram sanções punitivas ao sistema financeiro e à elite da Rússia, mas até agora eles evitaram as exportações de energia por temerem uma reação dos eleitores ao aumento dos preços da gasolina e das contas de aquecimento. (Valor Econômico)

Petróleo fecha em alta, mas modera ganhos após se aproximar dos US$ 140 por barril
O contrato do petróleo Brent para maio fechou em alta de 4,31%, a US$ 123,21 por barril, já o WTI para abril subiu 3,21%, a US$ 119,40 por barril. Os contratos futuros do petróleo fecharam mais uma sessão em forte alta, mas moderaram bastante os ganhos em relação às máximas intradiárias, quando chegaram a flertar com o nível dos US$ 140 por barril, em meio aos temores sobre possíveis sanções às exportações russas da commodity. (Valor Econômico)

Fatura do petróleo pode chegar a 5% do PIB mundial, diz UBS
A fatura global de gastos com petróleo pode chegar a 5% do Produto interno Bruto (PIB) mundial, o que equivale a US$ 4,6 trilhões, se o preço do barril permanecer em US$ 125 neste ano, segundo uma nota do banco UBS destinada a clientes. (Valor Econômico)

Boicote ao petróleo da Rússia causaria estragos econômicos em todas as direções, diz Capital Economics
Economia russa sofreria contração de até 25%, com virtual risco de calote da dívida soberana e corporativa; nos países ricos, haveria queda no poder de compra, racionamento de energia e recessão. “A economia russa sofreria uma contração de até 25%, fazendo com que os riscos de calote da dívida soberana e corporativa se cristalizem”, disse a Capital Economics. (Valor Econômico)

Alta do petróleo é impulsionada por pânico, dizem integrantes da Opep+
Ameaça de possíveis sanções às importações de petróleo da Rússia, um dos maiores exportadores de petróleo e gás do mundo, está impulsionando a alta das cotações da matéria-prima. Conforme os preços do petróleo sobem acima de US$ 130 o barril, alguns membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (grupo conhecido como Opep+) dizem que o rali está sendo impulsionado pelo pânico – e não por um descompasso entre demanda e oferta no mercado. (Valor Econômico)

Conselho de Administração da Petrobras sob pressão
A decisão do governo de indicar Rodolfo Landim para a Presidência do Conselho de Administração da Petrobras colocou a petroleira em mais uma saia justa, o que acabou dividindo opiniões. Ao optar novamente por escolher um executivo que responde à ação na Justiça, o presidente Jair Bolsonaro testa outra vez a área de Governança & Conformidade e estressa ainda mais a sua tensa relação com a companhia. (Petróleo Hoje)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • O Gambito Da Rainha: O que um embargo ao Petróleo da Rússia significa para a oferta Global, o Brasil e a Petrobrás? (link)
  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Segunda-Feira, 07 de Março

Destaques: (i) Preços do petróleo disparam enquanto aliados ocidentais discutem proibição de importação da Rússia. (ft); (ii) ‘Energia renovável fica mais atrativa no atual cenário’. (Valor Econômico).

Elétricas e Saneamento

‘Energia renovável fica mais atrativa no atual cenário’
Para Luiz Barroso, aumento do preço do petróleo pode estimular a demanda de biocombustíveis. O ex-presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e atual presidente da consultoria PSR, Luiz Barroso, enxerga oportunidades, principalmente no Brasil, para as energias renováveis com a alta dos preços de petróleo e gás causada pela invasão da Ucrânia pela Rússia. (Valor Econômico)

Para especialistas, mundo não deve desistir de usina nuclear
Usinas nucleares são seguras e podem contribuir para uma matriz energética global mais limpa, embora não sejam uma fonte renovável e existam dificuldades na estocagem de resíduos, segundo acadêmicos ouvidos pelo Valor. Mas o ataque russo à central ucraniana Zaporizhzhia, onde um prédio do complexo pegou fogo na quinta-feira, demonstra o receio que essa fonte representa, sobretudo em tempos de guerra. (Valor Econômico)

Parlamentares veem janela para energia renovável
O ano eleitoral dificulta a arregimentação de quórum, mas a Frente Parlamentar de Energias Renováveis, presidida pelo deputado Danilo Forte (PSDB-CE), vê na crise energética mundial desencadeada pela guerra na Ucrânia uma janela para a reação do Congresso. (Valor Econômico)

Consumo de energia no país deve crescer 2% em março, na comparação anual
A carga de energia no Sistema Interligado Nacional (SIN) deve encerrar março com volume de 74.201 megawatts médios (MWm), aumento de 2% em relação a igual mês em 2021. A estimativa consta da atualização semanal do programa mensal de operação do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), publicada nessa sexta-feira (4). (Valor Econômico)

AES Brasil foca na diversificação do portfólio para retomar lucro
Até 2026, estão previstos aportes de R$ 3,8 bilhões, considerando a construção dos complexos eólicos na Bahia e no Rio Grande do Norte, além da modernização e manutenção de ativos em operação. Apesar das perdas financeiras causadas pela crise hídrica, a AES Brasil já nota uma melhora significativa dos níveis dos reservatórios, por conta de um regime de chuvas mais favorável, e já vê um cenário de melhora com a diversificação da matriz. (Valor Econômico)

Equatorial paga R$ 7 bilhões e conclui compra da Echoenergia
A Equatorial Energia informou em comunicado ao mercado que concluiu a compra de 100% das ações representativas do capital social da Echoenergia Participações. Com o fechamento da operação, a subsidiária Equatorial Transmissão será a titular de 100% das ações representativas da Echoenergia, pagando o valor total de R$7.034.084.199,30, valor após correção pela variação do CDI e ajustes usuais. O valor inicial da compra era de R$ 6,7 bilhões. (Valor Econômico)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 112,43/Barril +1,78%

CÂMBIO

R$ 5,03/USD -1,55%

Preços do petróleo disparam enquanto aliados ocidentais discutem proibição de importação da Rússia
Os preços do petróleo dispararam na segunda-feira para mais de US$ 139 o barril depois que os EUA disseram que estavam em “discussões ativas” para proibir as importações de petróleo russo, abalando os mercados quando Moscou alegou que interromperia os bombardeios na Ucrânia para permitir que civis escapassem de quatro cidades da linha de frente. (ft)

Petróleo fecha semana em alta de mais de 20% com temores sobre a invasão da Ucrânia
O petróleo Brent acumulou alta de 20,60%, enquanto o WTI subiu 21,08%, no período. Os contratos futuros do petróleo fecharam em alta, em meio a uma escalada dos temores sobre a invasão da Ucrânia, depois que tropas russas tomaram a maior usina nuclear em operação na Europa. Enquanto isso, o contrato do petróleo Brent para maio fechou a sessão em alta de 6,92%, a US$ 118,11 por barril. (Valor Econômico)

Landim vai enfrentar escrutínio em candidatura na Petrobras
A indicação do presidente do Clube de Regatas do Flamengo, Rodolfo Landim, para a presidência do conselho de administração da Petrobras, confirmada pela empresa em fato relevante na noite de sábado, provocou reações antagônicas entre especialistas, fontes ligadas à empresa e analistas de bancos de investimento. (Valor Econômico)

Importadores criticam a Petrobras por defasagem do preço dos combustíveis
A diferença entre os preços nas refinarias e os internacionais aumentou para 27% no caso do diesel e para 22% no da gasolina, segundo a Abicom. A falta de resposta da Petrobras ao aumento dos preços do petróleo está inviabilizando economicamente a importação de gasolina e diesel para o Brasil, disse a Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom). (Valor Econômico)

Shell afirma que interrompeu ‘maior parte’ de atividades com petróleo russo
A Shell divulgou nota na qual reafirma que interrompeu a maior parte de suas atividades que envolvem o petróleo russo, mas ressaltou que segue adquirindo a commodity e outros derivados para algumas refinarias e plantas químicas “para garantir a produção de combustíveis e produtos essenciais dos quais as pessoas e as empresas dependem todos os dias”. (Valor Econômico)

Petrobras receberá US$ 2,12 bi da CNOOC por cessão de 5% da participação no campo de Búzios
A Petrobras comunicou nesta sexta-feira (4) que assinou com a chinesa CNOOC Petroleum a cessão de 5% de sua participação no contrato de partilha de produção de volume excedente da cessão onerosa para o campo de Búzios, no pré-sal da Bacia de Santos. A companhia receberá US$ 2,12 bilhões, calculado com data base de 1º de setembro do ano passado e com a cotação do dólar a R$5,07. (Valor Econômico)

Presidente do conselho da Petrobras deve ser substituído por Rodolfo Landim, diz colunista
O presidente do conselho de administração da Petrobras, o almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira, deve renunciar ao cargo. Ele mesmo fez a afirmação, segundo a agêcia de notícias Reuters. De acordo com o colunista Lauro Jardim, de O Globo, o governo Bolsonaro prepara a indicação de Luiz Rodolfo Landim Machado, presidente do Flamengo e ex-funcionário de carreira da petroleira, para comandar o colegiado. (Valor Econômico)

Governo estuda opções para conter alta da gasolina
O governo Bolsonaro está decidido a conter o preço dos combustíveis. Ao fim de uma semana em que o barril do petróleo ultrapassou a barreira dos US$ 100, pela primeira vez desde 2014, o presidente Jair Bolsonaro e seus auxiliares mais próximos resolveram adotar medidas para evitar novas altas da gasolina e do diesel no país. Há temor sobre as consequências eleitorais do efeito inflacionário da alta dos combustíveis para Bolsonaro, candidato à reeleição. (Valor Econômico)

Gás natural: Brasil precisa ampliar infraestrutura
A eventual interrupção no fornecimento vem sendo examinada com lupa por todos os analistas – afinal, a Alemanha e a Europa dependem em grande parte da importação de energia da Rússia, sobretudo de gás. Ainda é muito cedo para um prognóstico preciso, mas o conflito no leste europeu tem potencial de elevar o preço do gás natural no mercado internacional, o que também pode impactar o mercado brasileiro. (epbr)

TBG autorizada a construir obra de interligação com o TGS
No último dia 25, a ANP autorizou a TBG a construir o trecho de duto que irá viabilizar a entrada do gás proveniente do Terminal Gás Sul (TGS), localizado na Baía de Babitonga, em São Francisco do Sul (SC). Com etapa de construção e montagem já iniciada, a primeira fase da conexão permitirá o recebimento de até 5 milhões de m³/dia de gás natural ainda no primeiro semestre de 2022. (Petróleo Hoje)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Sexta-Feira, 04 de Março

Destaques: (i) Petróleo fecha em queda de mais de 2% ainda pressionado pelas tensões na Ucrânia. (Valor Econômico); (ii) Contrato com concessionária russa para exploração de petróleo no AM segue mesmo com guerra, diz ANP. (G1); (iii) Painel solar é item para casa mais desejado no Brasil, diz pesquisa; veja ranking. (IstoÉ Dinheiro).

Elétricas e Saneamento

Painel solar é item para casa mais desejado no Brasil, diz pesquisa; veja ranking
Um levantamento do site Quinto Andar em parceria com o Datafolha levantou os artigos mais mais desejados pelos brasileiros em suas casas. O painel solar próprio está no topo da lista de desejos. 73% dos moradores de casa e 74% dos de apartamentos querem um para economizar na conta de luz e gerar a sua própria energia. (IstoÉ Dinheiro)

Equatorial conclui compra da Echoenergia por R$ 7,03 bilhões
A Equatorial Energia comunicou ao mercado que assinou nessa quinta-feira (3) contrato concluindo a operação na qual comprou a totalidade do capital social da Echoenergia, por pouco mais de R$ 7,03 bilhões. A operação foi realizada por meio da subsidiária Equatorial Transmissão, que passa a ser titular das ações representativas da empresa adquirida, e o fundo de investimento Ipiranga, detido pela Actis. (Valor Econômico)

Frente parlamentar de energias renováveis vê janela na guerra da Rússia contra a Ucrânia
O ano eleitoral dificulta a arregimentação de quórum, mas a Frente Parlamentar de Energias Renováveis, presidida pelo deputado Danilo Forte (PSDB-CE), vê na crise energética mundial desencadeada pela guerra na Ucrânia uma janela para a reação do Congresso. Esta janela tanto pode dar impulso à agenda do presidente Jair Bolsonaro, que retomou a ofensiva pela exploração de terras indígenas, quanto conter os danos provocados sobre a transição da matriz energética pela MP que privatizou a Eletrobras e pela lei aprovada em dezembro do ano passado prorrogando os subsídios para a energia a carvão. (Valor Econômico)

Termelétricas recebem liberação de 20 MW para teste
A Agência Nacional de Energia Elétrica autorizou para início da operação em teste, a partir de 28 de fevereiro, unidades geradoras das usinas termelétricas Pau Rainha e Santa Luz, que juntas somam 20 MW de capacidade instalada, e estão localizadas no estado de Roraima. As liberações foram publicadas no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 3 de março. (Canal Energia)

Geração a biomassa cai 7,5% em 2021, afirma Unica
A geração de bioeletricidade para a rede, incluindo os resíduos sucroenergéticos, biogás, lenha, lixívia, resíduos de madeira, capim elefante e casca de arroz atingiu 25,4 mil GWh em 2021, segundo levantamento da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) a partir de dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). Cana gerou 79% da bioeletricidade ofertada à rede e poupou 14% da energia capaz de ser armazenada nos reservatórios das UHEs pela disponibilidade da fonte no período seco e crítico para o setor. (Canal Energia)

Nordeste opera com 82,3% de sua capacidade
Região Norte conta com 97,5%, SE/CO com 58,4% e Sul com 27,9% nos níveis de armazenamento. Operando com 82,3% de sua capacidade de armazenamento, os reservatórios do Nordeste apresentaram crescimento de 0,3 ponto percentual na última quarta-feira, 03 de março. (Canal Energia)

A descentralização à luz da transição energética, por Emílio Matsumura e Pablo Silva
O professor e físico Luiz Pinguelli Rosa faleceu na manhã desta quinta-feira, 03 de março, aos 80 anos. A causa da morte não foi informada. Graduado em Física pela UFRJ, mestre em Engenharia Nuclear pela Coppe/UFRJ e doutor em Física pela PUC-Rio, Pinguelli foi diretor da Coppe por quatro mandatos e presidente da Eletrobras, entre 2003 e 2004. O docente também era membro titular da Academia Brasileira de Ciências, orientador de dezenas de dissertações de mestrado e teses de doutorado. (epbr)

Morre o ex-presidente da Eletrobras, Luiz Pinguelli Rosa
O professor e físico Luiz Pinguelli Rosa faleceu na manhã desta quinta-feira, 03 de março, aos 80 anos. A causa da morte não foi informada. Graduado em Física pela UFRJ, mestre em Engenharia Nuclear pela Coppe/UFRJ e doutor em Física pela PUC-Rio, Pinguelli foi diretor da Coppe por quatro mandatos e presidente da Eletrobras, entre 2003 e 2004. O docente também era membro titular da Academia Brasileira de Ciências, orientador de dezenas de dissertações de mestrado e teses de doutorado. (Canal Energia)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 112,43/Barril +1,78%

CÂMBIO

R$ 5,03/USD -1,55%

Petróleo fecha em queda de mais de 2% ainda pressionado pelas tensões na Ucrânia
Os preços dos contratos para maio do Brent terminaram em queda de 2,18%, a US$ 110,46 o barril, e os preços dos contratos para abril do WTI caíram 2,45%, a US$ 107,67 o barril. O petróleo teve seu rali das últimas sessões interrompido nesta quinta-feira (3), dia em que a commodity operou com bastante instabilidade, e terminou em queda. A crise na Ucrânia, causada pela invasão russa, prossegue, ainda que hoje representantes russos e ucranianos tenham se encontrado e concordado em criar um corredor humanitário para que a população civil saia das cidades sitadas. (Valor Econômico)

Contrato com concessionária russa para exploração de petróleo no AM segue mesmo com guerra, diz ANP
A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) afirmou que o contrato com a concessionária russa Rosneft para exploração de petróleo no Amazonas segue normalmente, mesmo com o conflito envolvendo a Rússia e a Ucrânia. (G1)

Petróleo vai conviver com preços mais voláteis, diz Oddone
Impulsionados pela guerra entre Rússia e Ucrânia, os preços do barril do petróleo superaram, nos últimos dias, a barreira dos US$ 110 – patamar que não se via desde 2014. Para o ex-diretor-geral da Agência Nacional de Petróleo (ANP) e atual presidente da Enauta, Décio Oddone, a commodity caminha para uma maior volatilidade e, possivelmente, para patamares estruturalmente mais altos. (Valor Econômico)

Sob pressão da inflação, Bolsonaro quer que Petrobras abra mão de parte do lucro
O presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta quinta-feira (3) que a Petrobras deveria abrir mão de parte de seu lucro para reduzir o preço dos combustíveis aos consumidores. A declaração se soma a uma série de manifestações públicas que Bolsonaro fez nos últimos meses e que foram contra as políticas de preços da empresa e contra a autonomia de seus executivos. (Valor Econômico)

Manhã no mercado: Petróleo tem máxima desde 2008 com guerra na Ucrânia
Os mercados financeiros globais seguem ponderando as consequências da guerra na Ucrânia e, no oitavo dia desde a invasão da Rússia ao país, agentes do mercado ficam atentos ao andamento de negociações entre representantes russos e enviados ucranianos para uma nova rodada de conversas. Em meio aos temores de interrupção do fornecimento da oferta, o preço do barril do petróleo West Texas Intermediate (WTI), a referência americana da commodity negociada na Nymex, renovou a máxima desde 2008, potencializando os riscos inflacionários da crise geopolítica. (Valor Econômico)

Petrobras manterá preços em equilíbrio com mercado internacional, sem repassar ‘volatilidades conjunturais’
A Petrobras confirmou que vai seguir com o compromisso de manter os preços de combustíveis no Brasil em equilíbrio com o mercado internacional. Em nota após ser questionada sobre eventuais reajustes com a alta do preço do barril devido à crise no leste europeu nos últimos dias, a petroleira, entretanto, ressalvou que vai evitar repassar volatilidades externas e da taxa de câmbio causadas por eventos conjunturais. (Valor Econômico)

Guerra na Ucrânia reforça votação de PLs de combustíveis no Senado
A guerra na Ucrânia e a disparada da cotação do petróleo tornou a pauta de combustíveis mais urgente, segundo o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD/MG).O parlamentar defendeu pelas redes sociais que “mais do que nunca” se faz necessário medidas que impeçam o aumento dos preços dos combustíveis. (epbr)

União Europeia pode reduzir importações de gás natural da Rússia em mais de um terço, diz IEA
Uma análise da Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês) divulgada nesta quinta (3/2) indica que a União Europeia poderia reduzir suas importações de gás natural russo em mais de um terço no prazo de um ano, por meio de uma combinação de medidas consistentes com o Green Deal Europeu. (epbr)

Enauta irá perfurar dois poços adicionais com a sonda Alpha Star
Enauta exerceu a opção de extensão do contrato da sonda Alpha Star, da Constellation, para a perfuração de dois poços em Atlanta. Em nota divulgada na sexta-feira (25/02), a petroleira afirma que os poços adicionais fazem parte do desenvolvimento do Sistema Definitivo (SD) do campo. O valor total da operação é estimado em U$ 35 milhões. As perfurações devem ocorrer até 2024. (Petróleo Hoje)

Conflito no leste europeu irá retrair a demanda por petróleo, diz Rystad
Os impactos econômicos da guerra entre Ucrânia e Rússia vão ter consequências em todo o mercado internacional, em especial, no setor energético. De acordo com uma pesquisa realizada pela Rystad Energy, o conflito vai resultar em uma perda de 1 milhão de bpd na demanda global.  (Petróleo Hoje)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Quinta-Feira, 03 de Março

Destaques: (i) Petróleo rompe barreira dos US$ 110 o barril. (Valor Econômico); (ii) O ocidente colocará um embargo ao fornecimento de petróleo e gás russo? (Financial Times); (iii) Geração solar no Brasil alcança mesma capacidade instalada de Itaipu; veja regras para ter seu painel. (InfoMoney).

Elétricas e Saneamento

Geração solar no Brasil alcança mesma capacidade instalada de Itaipu; veja regras para ter seu painel
O Brasil acaba de chegar à marca histórica de 14 gigawatts (GW) de capacidade instalada de energia solar fotovoltaica, a mesma potência da usina hidrelétrica binacional de Itaipu, informou a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar).A marca leva em conta parques centralizados e a geração própria de energia em telhados, fachadas e pequenos terrenos, a chamada geração distribuída. (InfoMoney)

Financiamento solar somou R$ 16,2 bi em 2021
O financiamento para geração de energia solar no Brasil bateu a marca de R$ 16,2 bilhões em 2021, segundo levantamento feito pela Clean Energy Latin America (Cela) com as principais instituições financeiras que promovem o fomento neste tipo de geração de energia. (Valor Econômico)

Estaria a conta de luz fora de controle?
Consumidor pagaria menos se o governo reduzisse sua sanha arrecadatória. Em anos de crise, a população fica especialmente atenta ao comportamento de tarifas de serviços públicos essenciais como energia elétrica, telecomunicações, água e esgoto. No caso de energia elétrica, qualquer explicação sobre aumentos de tarifas é ainda mais desafiadora em função da complexidade da conta de luz, a começar por dezenas de impostos e e encargos que responderam por 49,1% da receita do setor em 2020. (Valor Econômico)

Guerra pode acelerar transição energética global
O conflito entre Rússia e Ucrânia pode acelerar o processo de transição energética rumo a uma geração de energia mais baseada em fontes renováveis, na visão de especialistas ouvidos pelo Valor. Com a alta do petróleo, como resultado da guerra, as fontes renováveis, como solar e eólica, tendem a ficar economicamente mais competitivas. Existe também uma necessidade dos países da Europa Ocidental de reduzir a dependência energética da Rússia. (Valor Econômico)

Omega Energia prospecta novos negócios nos Estados Unidos
Depois de registrar um lucro líquido de R$ 297 milhões no último trimestre de 2021, aumento de 443% em relação a 2020, a Omega Energia planeja expansão das operações no mercado americano. Em teleconferência com investidores, o presidente da empresa, Antonio Bastos, disse que está prospectando negócios nos Estados Unidos, mas com uma abordagem diferente da aplicada no Brasil. (Valor Econômico)

Térmicas puxam alta de 28,8% no consumo de gás em 2021
O consumo de gás natural no Brasil atingiu 76 milhões de metros cúbicos/dia na média acumulada em 2021, aumento de 28,8% na comparação com o ano anterior, quando foram consumidos 59 milhões de m³ ao dia, informa o boletim mensal compilado pela Abegás. O resultado é atribuído principalmente a alta de 51,7% na demanda das usinas termelétricas, que totalizou exatos 33,9 milhões de m³ por dia. (Canal Energia)

Fonte solar ultrapassa 14 GW no Brasil
O Brasil acaba de ultrapassar a marca de 14 GW de potência instalada entre usinas fotovoltaicas de grande porte e painéis em telhados, fachadas e pequenos terrenos. A informação consta de um  levantamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) e representa a superação da potência instalada da hidrelétrica de Itaipu (14 GW, Brasil /Paraguai) e segue em quinto lugar na matriz elétrica nacional. (Canal Energia)

Consumo da Energisa cresce 2,4% em janeiros
O consumo consolidado de energia elétrica entre os mercados cativo e livre do Grupo Energisa chegou a 3.115,8 GWh em janeiro, aumento de 2,4% em relação ao mesmo mês do ano anterior, sendo a maior taxa para o mês desde 2019, informa o último boletim da companhia. As classes residencial e comercial puxaram mais de 73% da alta no mês. Clima quente, maior calendário de faturamento e retomada de atividades presenciais foram os principais fatores que impactaram no resultado das classes em evidência. (Canal Energia)

EDP e Abradee cancelam Sendi 2022
A EDP e a Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica comunicaram em nota o cancelamento do XXIV Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica – Sendi 2022, previsto para acontecer em junho de 2022 em Vitória (ES). Segundo a nota à imprensa, a decisão foi motivada pelas muitas incertezas geradas pelo atual estágio da pandemia, que poderão levar a maiores restrições a eventos no decorrer do ano. (Canal Energia)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$ 116,36/Barril +3,04%

CÂMBIO

R$ 5,10/USD -0,94%

Petróleo rompe barreira dos US$ 110 o barril
WTI fecha em US$ 110,60, maior cotação em mais de uma década; Brent fica em US$ 112,93. O petróleo terminou em forte alta na sessão de ontem, dia em que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados (Opep+) se reuniram e decidiram expandir a produção em linha com o esperado. O avanço dos preços da commodity ocorre mesmo com a Rússia dizendo estar pronta para buscar diálogo com representantes ucranianos. A queda dos estoques de barris dos Estados Unidos também ajudou a dar impulso aos preços. O contrato WTI chegou a seu nível mais alto desde 2011. (Valor Econômico)

O ocidente colocará um embargo ao fornecimento de petróleo e gás russo?
Desde que os líderes ocidentais começaram a ameaçar Vladimir Putin com sanções abrangentes sobre a Ucrânia, ficou claro que tais medidas procurariam evitar a interrupção do fornecimento de energia – a força vital da economia ocidental tanto quanto da Rússia. “Nada está fora da mesa”, disse Biden na quarta-feira – mesmo quando a secretária de imprensa Jen Psaki enfatizou os riscos associados a essa ação. (ft)

Novas sanções dos EUA atingem petróleo e gás
Objetivo de longo prazo é enfraquecer o status da Rússia como principal fornecedor, “protegendo os consumidores americanos”. Depois do boicote de várias empresas e sanções aos bancos russos, os EUA anunciaram ontem nova onda de penalidades econômicas contra a Rússia devido à invasão da Ucrânia, incluindo controles de exportação destinados à indústria de petróleo e gás, força vital da economia do país. (Valor Econômico)

Petróleo fecha em alta com o WTI alcançando maior valor em mais de uma década
Os preços dos contratos para abril da referência americana da commodity subiram 6,95%, a US$ 110,60 o barril, valor mais alto desde 3 maio de 2011. O petróleo terminou em forte alta na sessão desta quarta-feira (2), dia em que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados (Opep+) se reuniram e decidiram expandir a produção, em linha com o esperado. O avanço dos preços da commodity ocorre mesmo com a Rússia dizendo estar pronta para buscar diálogo com representantes ucraniano. (Valor Econômico)

Joe Biden anuncia liberação de 60 milhões de barris de reservas estratégicas
O presidente dos EUA, Joe Biden, anunciou na noite desta terça (1º) que os EUA e 30 outros países chegaram a um acordo para liberação de 60 milhões de barris de reservas estratégicas de óleo, para compensar os efeitos da invasão russa à Ucrânia. “Nesta noite, posso anunciar que os EUA trabalhou com 30 outros países para liberar 60 milhões de barris de reservas ao redor do mundo. Os EUA vão liderar esse esforço”, disse. (epbr)

Estoques de petróleo no EUA contrariam estimativas e caem 2,6 milhões de barris na semana
Os estoques americanos de petróleo caíram em 2,6 milhões de barris na semana passada, para 413,4 milhões de barris, de acordo com dados divulgados pelo Departamento de Energia dos Estados Unidos (DoE, na sigla em inglês). A queda está bastante descolada do projetado por economistas ouvidos pelo “The Wall Street Journal”, de avanço de 2,2 milhões de barris no período. (Valor Econômico)

Opep+ aumentará oferta de petróleo em meio à guerra da Rússia contra Ucrânia
A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) concordaram, nesta quarta-feira (2), em promover outro reforço modesto nos suprimentos de petróleo para abril. A decisão ocorreu em reunião discreta, que foi ofuscada pela turbulência do mercado desencadeada pela guerra da Rússia contra a Ucrânia. (Valor Econômico)

Conflito leva defasagem de preços da Petrobras ao maior nível desde 2016
Com o pico dos preços do petróleo nos últimos dias, a defasagem da Petrobras para a paridade internacional se acentuou e, segundo estimativas de mercado, já atinge o R$ 1 no diesel – o maior patamar desde que a empresa começou, em 2016, a vender combustíveis com preços alinhados à paridade de importação. A estatal está há 49 dias sem mexer nos preços nas refinarias e um novo reajuste é questão de tempo, à medida que o agravamento da guerra na Ucrânia pressiona a cotação da commodity, de acordo com analistas. (Valor Econômico)

Petrobras avalia crise da Ucrânia para decidir reajustes dos combustíveis
O presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, disse nessa quinta (24/2) que o cenário internacional após a invasão da Ucrânia pela Rússia ainda é de muita incerteza e volatilidade para uma definição de eventuais reajustes dos combustíveis nas refinarias da companhia. (epbr)

Preço do petróleo dispara com o avanço da guerra
Avanço dos preços da commodity ocorre mesmo com a Rússia dizendo estar pronta para buscar diálogo com representantes ucranianos. A guerra da Ucrânia, que entra hoje em seu 8º dia, tem afetado diretamente o preço da energia, somando-se às consequências humanitárias do conflito. Ontem o petróleo teve forte alta, apesar de a Opep+ decidir ampliar a produção, em linha com o esperado. A queda dos estoques nos Estados Unidos também afetou as cotações. (Valor Econômico)

ExxonMobil sairá de projeto bilionário na Rússia
ExxonMobil afirmou nesta terça (1º) que vai tomar medidas para interromper as suas operações em Sakhalin-1 e não fará novos investimentos na Rússia. A empresa tem negócios no país há mais de duas décadas. “A ExxonMobil apoia o povo da Ucrânia enquanto ele busca defender sua liberdade e determinar seu próprio futuro como nação. Lamentamos a ação militar da Rússia que viola a integridade territorial da Ucrânia e coloca em perigo seu povo”, diz. (epbr)

Antaq analisa arrendamento da Petrobras no Porto do Rio
Esse é o terceiro contrato de transição assinado com a Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), para o arrendamento de uma área no terminal multiuso. O contrato, assinado no último dia 19, prevê o arrendamento de instalação portuária de 42 mil m², localizada no Terminal Multiuso 1 do porto. Fazem parte deste arrendamento os berços do Cais São Cristóvão, delimitados entre os cabeços 166 e 190, os berços do Cais da Gamboa, delimitados entre os cabeços 134 e 146, assim como outras áreas definidas no contrato. (Petróleo Hoje)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Petrobras (PETR4): EBITDA um pouco abaixo da nossa expectativa, mas ainda uma forte geração de caixa (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 4T21 sem surpresas; Neutro (link)
  • Data Expert: Monitor semanal de Preço de Paridade de Importação da Petrobras (link)
  • Petróleo em alta: como o preço dos combustíveis pode afetar seus investimentos? (link)
  • Orizon (ORVR3): Orizon adquire aterro sanitário no Centro-Oeste; Positivo (link)
  • Setor Elétrico: Como funciona o Mercado Livre de Energia? (link)
  • Omega Energia (MEGA3): Mais que um operador (link)
  • Petrobras (PETR4): Revisão da meta de curva de produção e confirmação da oferta da Braskem (link)
  • Petrobras (PETR4): Anúncio de novo aumento nos combustíveis (link)
  • CESP(CESP6): Comitê Independente Aprova Relação de Troca na Incorporação da CESP pela Votorantim; Positivo (link)
  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.