Ibovespa sobe em dia de recuperação dos mercados globais

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Clique para ouvir

IBOVESPA 0,81% | 125.401 Pontos

CÂMBIO -0,59% | 5,22/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa encerrou a sessão da terça-feira (20) com elevação de 0,81%, atingindo 125.401 pontos. Este movimento acompanhou o desempenho positivo das bolsas internacionais, com destaque às americanas, que exibiram recuperação após perdas relevantes na véspera, quando as preocupações relacionadas à disseminação da variante delta do coronavírus aumentaram a aversão global ao risco e levaram a correções nos preços de ativos. O índice Dow Jones subiu 1,62% a 34.511 pontos, o Nasdaq teve alta de 1,57% a 14.498 pontos e o S&P 500 avançou 1,52% a 4.323 pontos.   

Enquanto isso, a cotação do dólar recuou 0,59% e alcançou R$ 5,22. As taxas futuras de juros encerraram mais uma sessão em queda, refletindo a baixa nos juros das Treasuries dos Estados Unidos de vencimentos curtos e médios. Os investidores também ponderaram o recuo da inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M). DI jan/22 fechou em 5,755%; DI jan/24 encerrou em 7,75%; DI jan/26 foi para 8,33%; e DI jan/28 fechou em 8,72%.

Hoje, as principais bolsas internacionais amanhecem positivas (EUA: +0,4; Europa: +1,2%), lideradas por empresas mais cíclicas, de lazer e turismo. Os juros dos títulos soberanos de 10 anos nos Estados Unidos também sobem e voltam ao patamar de 1,24%, ainda muito abaixo das taxas de 1,75% vistas em março deste ano.

Ainda na cena internacional, o pacote de investimentos em infraestrutura nos Estados Unidos continua em destaque em meio a tensões entre parlamentares. Sem acordo entre os partidos, a votação protocolar para início dos trabalhos marcada pelo líder democrata Chuck Schumer deve ser rejeitada nesta quarta-feira. O principal ponto de contenção consiste no financiamento dos US$ 600 bilhões em novos gastos, após pressão republicana para abandonar a ampliação da autoridade do Internal Revenue Services (IRS). Continuam também as negociações entre democratas sobre o Plano das Famílias Americanas, projeto de cunho social que é considerado essencial pela ala mais à esquerda do partido.

Com dados de pouca relevância na agenda econômica internacional, os mercados estarão atentos à publicação de resultados corporativos. Hoje, os destaques serão as divulgações da Coca-Cola, Johnson & Johnson, Verizon e Whirlpool nos Estados Unidos, além de Iberdrola na Espanha e Antofagasta no Reino Unido.

No Brasil, o Presidente da República Jair Bolsonaro reiterou o interesse em reajustar o Bolsa Família para “no mínimo” R$ 300 em novembro (o benefício médio atual corresponde a cerca de R$ 192 mensais). Sobre a reforma tributária, o Presidente disse que vetará o texto casa haja aumento da carga tributária. Ainda, o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, tem interesse em editar a MP das Ferrovias para viabilizar investimentos privados no setor. Na agenda doméstica de indicadores, destaque para a divulgação dos dados de arrecadação tributária federal às 11:00 (consenso de mercado: R$ 139,8 bilhões).

Por fim, no lado corporativo, a B3 anunciou a nova metodologia do ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial), indicador do desempenho das empresas bem posicionadas na agenda ESG. Vemos o anúncio como positivo, uma vez que contempla critérios mais rígidos, incentiva a adesão das empresas à agenda ESG e aumenta a credibilidade das companhias melhor posicionadas no ISE (link relatório completo). Além disso, publicamos um relatório com nossas expectativas para todos os resultados das empresas da nossa cobertura do setor de varejo no 2º trimestre de 2021.

Tópicos do dia

Agenda de resultados

Calendário do 2T21
Temporada de resultados do 2º trimestre 2021 – o que esperar?

Economia

  1. Sem destaques da agenda econômica, mercados seguem preocupados com variante delta do coronavírus

Política

  1. Política internacional: Sem acordo, voto protocolar sobre pacote de infraestrutura deve ser rejeitado

Commodities

  1. Siderurgia: Mercado de aço prevê estabilidade nos preços no curto prazo

Empresas

  1. Vitrine XP: O que esperar dos resultados do Varejo no 2T21
  2. Trisul (TRIS3) – 2T21: Resultado operacional continua melhorando gradativamente
  3. C&A (CEAB3): Reconhecimento de créditos tributários no valor de R$230 milhões
  4. Notícias Diárias do Setor Financeiro
  5. Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional
  6. Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias de hoje do setor

Internacional

  1. Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Carros por assinatura

ESG

  1. B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo
  2. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 21/07

Veja todos os detalhes

Economia

Sem destaques da agenda econômica, mercados seguem preocupados com variante delta do coronavírus

  • Dados de poucos destaques no exterior, alguns mercados ainda sofrem impacto do temor de que a variante delta do coronavírus possa prejudicar a retomada da economia no mundo, mas já fazem correções da queda anterior;
  • Temporada de resultados do 2º trimestre continua, também contribuindo para melhor humor dos mercados. Hoje destaques serão as divulgações dos resultados da Coca-Cola co., Johnson & Johnson, Verizon e Whirlpool nos EUA, além de Iberdrola na Espanha e Antofagasta no Reino Unido;
  • No Brasil, o presidente Bolsonaro reiterou o interesse em reajustar o Bolsa Família para “no mínimo” R$ 300 em novembro (benefício médio atual é R$ 192 mensais). Sobre a reforma tributária, disse que vetará o texto casa haja aumento da carga tributária;
  • O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, tem interesse em editar a MP das ferrovias para viabilizar investimentos privados no setor;
  • Agenda traz dados de arrecadação as 11:00 (esperado R$ 139,8 bilhões).

Política

Política internacional: Sem acordo, voto protocolar sobre pacote de infraestrutura deve ser rejeitado

  • No lado internacional, o pacote de infraestrutura continua em destaque em meio a tensões entre parlamentares. Sem acordo entre os partidos, a votação protocolar para início dos trabalhos marcada pelo líder democrata Chuck Schumer deve ser rejeitada nesta quarta-feira (21). O principal ponto de contenção permanece o financiamento dos USD 600 bi em novos gastos, após pressão republicana para abandonar a ampliação da autoridade do Internal Revenue Services (IRS);
  • Continuam também as negociações entre democratas sobre o Plano das Famílias Americanas, o projeto de cunho social que é considerado essencial pela ala mais à esquerda do partido. No entanto, o custo planejado de USD 3.5 trilhões não conta com apoio de moderados como Joe Manchin, cujo voto é preciso para aprovar a inciativa devido a margem estreita do partido no Senado. Sem avanços nesse lado, o pacote de infraestrutura pode enfrentar resistência dos senadores democratas, que vinculam o andamento de um pacote ao do outro;
  • E o apertado calendário para o acordo de tributação global coloca em cheque os planos de Janet Yellen.  

Commodities

Siderurgia: Mercado de aço prevê estabilidade nos preços no curto prazo

  • De acordo com os dados divulgados pelo Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (INDA), a indústria do aço vem demonstrando que está chegando ao nível normal, com novo aumento nas vendas e aumento no consumo;
  • Segundo a entidade, as vendas de aço pelos distribuidores cresceram 3,3% em junho no comparativo com o mesmo mês do ano passado, para 364,4 mil toneladas. No acumulado do ano, os distribuidores comercializaram 1,92 milhão de toneladas, alta de 28,8% em relação ao primeiro semestre de 2020. Vale destacar que também houve forte crescimento nas compras pelos distribuidores de 17% em relação a junho de 2020;
  • O principal destaque no mês foi a alta de 104% no volume de aço importado no semestre, totalizando 944,4 mil toneladas. Segundo o INDA, essa alta nas importações deverá reduzir as margens dos distribuidores locais, uma vez os volumes que chegaram em junho foram comprados em janeiro e fevereiro, quando os preços eram US$ 200-300/ton mais baixos que o produzido no Brasil. No entanto, a queda das margens dos distribuidores é vista como resultado da normalização da indústria, uma vez que esses agentes operam com margens de 25-30%, ante nível de 15% antes da pandemia;
  • Além disso, há a expectativa de uma acomodação nos preços do aço e que dificilmente haverá novos aumento de preço pelas usinas este ano. Desde o início da pandemia, os reajustes nos preços foram na ordem de 160% a 170%;
  • Segundo o INDA, o prêmio (diferença entre o preço do aço produzido no Brasil e o importado) está atualmente entre 13% e 17%;
  • Clique aqui para ler o relatório completo.

Empresas

Vitrine XP: O que esperar dos resultados do Varejo no 2T21

  • Nesse relatório, nós discutimos a nossa expectativa para todos os resultados de 2T21 da nossa cobertura, explorando as tendências de cada segmento assim como as companhias que devem ser os destaques (e estarem na vitrine) dessa temporada de resultados;
  • Nós esperamos sólidos resultados de 2T21 para o setor de modo geral, apesar de vermos os varejistas tradicionais e as farmácias como os principais destaques;
  • Em relação a empresas, vemos como os principais destaques positivos do trimestre a Arezzo&Co e a Vivara no segmento de varejistas tradicionais, empresas de farmácias de modo geral e Assaí em supermercados;
  • Clique aqui para ler o relatório completo.

Trisul (TRIS3) – 2T21: Resultado operacional continua melhorando gradativamente

  • Trisul lançou 2 projetos de média renda no segundo trimestre de 2021, somando um VGV total de R$413 milhões (crescimento de 14% ano contra ano e 26% trimestre contra trimestre), o que levou a companhia a mais que dobrar seus lançamentos no primeiro semestre de 2021 (R$742 milhões) versus primeiro semestre de 2020 (R$361 milhões);
  • Vendas líquidas atingiram R$246 milhões (crescimento de 42% ano contra ano e 39% trimestre contra trimestre), levando a uma velocidade de vendas (VSO) de 15% (contra 14% no trimestre anterior), o que vemos como positivo dado as restrições comerciais em São Paulo até o final de abril;
  • A Trisul reportou sólida prévia operacional referente ao segundo trimestre. Mantemos nossa visão positiva para o papel e recomendação de compra e preço-alvo de R$14,0/ação.

C&A (CEAB3): Reconhecimento de créditos tributários no valor de R$230 milhões

  • A companhia publicou um fato relevante ontem à noite onde informou uma decisão favorável do STF em relação ao reconhecimento de créditos tributários referentes à exclusão do ICMS da base de Pis e Cofins;
  • Os valores finais ainda estão sendo apurados mas estimativas iniciais indicam um total de R$230 milhões (5,9% do valor de mercado), a ser reconhecido no resultado do 2T21;
  • Vemos o anúncio como positivo e mantemos recomendação de Compra com preço alvo de R$18,0 por ação.

Notícias Diárias do Setor Financeiro

  • Acesse este relatório com notícias do setor financeiro que complementam nossos comentários publicados no Morning Call, mas que não consideramos relevantes o suficiente para serem analisadas. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

  • Nesta publicação diária, trazemos as principais notícias do setor de varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.) nacional e internacional, complementando nossa visão sobre as tendências e acontecimentos mais importantes do dia. Além disso, o relatório contém um resumo dos múltiplos e recomendações para as empresas de nossa cobertura;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias de hoje do setor

  • Quais tópicos costumamos abordar? Notícias relevantes para os segmentos de proteínas (bovina, suína e frango); açúcar & etanol; milho e soja; exportações brasileiras; dentre outras. Confira os destaques de hoje:
    • Na Rússia, controle de preços de alimentos pode prejudicar setor de grãos (Reuters);
    • No Brasil, desestatização do Porto de Santos pode ir a consulta em setembro (Valor Econômico);
    • Nas Américas, 31 países se unem para defender suas exportações agroalimentares diante de exigências ‘verdes’ (Valor Econômico);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo: Clipping XP Agro, Alimentos e Bebidas.

Internacional

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Carros por assinatura

  • Netflix reporta receita em linha com o consenso e decepciona em lucros. A empresa também divulgou dados sobre o aumento de assinantes pagos da plataforma, que apesar de superarem expectativas, mostram uma desaceleração de crescimento;
  • Na Noruega a startup iMove conclui a sua primeira rodada de aportes com US$22,3 milhões de captação. Com isso, a empresa busca implementar o seu serviço de carros elétricos por assinatura;
  • A Microsoft anunciou uma versão do Windows que será acessível via nuvem e por qualquer sistema operacional com um navegador web. A companhia visa atender a uma demanda por acesso ao sistema de dispositivos móveis, que continua cresceste em virtude dos modelos de trabalho híbridos;
  • Projeções de lucro por ação dos próximos 12 meses parecem não acompanhar a apreciação dos ativos de tecnologia. Caso a correlação histórica entre os lucros e a performance das ações se confirme mais uma vez, uma correção pode estar a caminho;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

ESG

B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo

  • Na segunda-feira, dia 19 de julho, a B3 anunciou a nova metodologia do ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial), o índice brasileiro que tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das empresas bem posicionadas na agenda ESG (Environmental, Social and Governance). A nova versão, recém anunciada, ficará válida em janeiro de 2022 e visa o aprimoramento e maior aplicabilidade do ISE, tanto como uma referência de investimentos ESG quanto como uma ferramenta objetiva e eficaz de gestão de sustentabilidade para empresas e outros atores do mercado;
  • Vemos o anúncio como positivo, uma vez que: (i) contempla critérios mais rígidos e específicos, contribuindo para a realização de questionários mais robustos; (ii) incentiva a adesão das empresas à agenda ESG, assim como a divulgação de dados que comprovem todas as medidas tomadas; (iii) promove o compromisso das empresas brasileiras com a agenda climática global e com os ODS, evidenciadas pelas parcerias externas; e (iv) aumenta a credibilidade das empresas melhor posicionadas no ISE, dado que o peso das companhias na composição da carteira não será mais baseado no seu valor de mercado, mas sim, pelo melhor desempenho ESG;
  • Na nossa visão, além da atual onda de mudança impulsionada pela sociedade civil e pelos investidores, também acreditamos que as mudanças impostas pela regulamentação estão e terão, cada vez mais, um papel importante em direcionar as empresas a caminho de melhores práticas ESG. Embora haja claramente muito a ser feito em relação ao tema no Brasil, evoluções, como a feita pela B3, possuem um papel importante na evolução da agenda ESG no país;
  • Neste relatório, nós trazemos: (i) uma visão da metodologia anterior; (ii) um olhar a cerca da nova metodologia; e (iii) nossa opinião em relação à mudança;
  • Clique aqui para ler o conteúdo completo.

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 21/07

  • Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo falam sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança;
  • Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance histórica do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP;
  • Por que essas informações são importantes? Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.