XP Expert

Ibovespa fecha em 8ª queda consecutiva; decisões sobre juros no Brasil e nos EUA são destaque

Queda do ibovespa e decisões sobre juros são alguns dos temas de maior destaque nesta quarta-feira, 06/15/2022

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,55% | 102.063 Pontos

CÂMBIO +0,0% | 5,12/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

Política monetária no centro das atenções. O comitê de política monetária do banco central americano (FOMC) decide hoje sobre as taxas de juros dos EUA. No Brasil, esperamos que o Copom eleve a taxa Selic em 0,5 pp, para 13,25%. Já na Europa, O Banco Central Europeu está fazendo uma reunião de emergência do seu Conselho para discutir uma estratégia mais ampla para proteger a integridade da região do euro. Finalmente, na China, os principais indicadores econômicos de maio ficaram acima das expectativas, uma vez que o relaxamento das restrições do Covid melhoraram as condições de oferta da economia.

Brasil

O Ibovespa fechou em queda de 0,55% nesta terça-feira (14), aos 102.063 pontos, com um volume de negociação de R$ 23,4 bilhões. O principal índice da Bolsa brasileira recuou pelo oitavo dia consecutivo, na maior série de perdas desde setembro de 2015. Na véspera das decisões do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês) e do Comitê de Política Monetária (Copom), o mercado se posiciona com cautela.

Os juros futuros seguiram a tendência de alta dos últimos dias, com a combinação da disparada dos rendimentos dos títulos de dívida dos Estados Unidos, valorização do dólar, preços do petróleo acima de US$ 120 e iminência de anúncio de reajuste de preços pela Petrobras. DI jan/23 fechou em 13,690%;  DI jan/24 em 13,665%; DI jan/25 em 13,10%; DI jan/27 encerrou em 12,95%; e DI jan/29 em 13,04%.

Saldo Orçamentário

O saldo orçamentário primário do governo central registrou superávit de R$ 28,6 bilhões em abril (de déficit de 6,3 bilhões em março). O resultado ficou abaixo do consenso de mercado (R$ 29,6 bilhões) e acima da nossa projeção (R$ 27,5 bilhões) e atingiu superávit de R$ 79,3 bilhões no acumulado do ano. No acumulado em 12 meses, o resultado primário apresenta pequeno déficit de R$ 4,6 bilhões (0,06% do PIB). Apesar dos bons números atuais, os projetos de cortes de impostos discutidos no Congresso aumentam o risco de sustentabilidade fiscal no médio prazo.

Setor de serviços

A receita real do setor de serviços subiu 0,2% MoM em abril, ligeiramente abaixo da nossa estimativa (0,4%) e do consenso de rua (0,5%). Ainda assim, os resultados indicam que o setor de serviços segue em trajetória positiva, colhendo frutos da reabertura econômica (normalização do padrão de consumo); recuperação do emprego; maiores transferências de dinheiro do governo com base no novo programa de bem-estar; e medidas de estímulo de curto prazo, como a liberação de saques extraordinários do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Política Monetária

No Brasil, o destaque de hoje é a reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom). Esperamos que o Copom eleve a taxa Selic em 0,5 pp, para 13,25%. E deixe as portas abertas para outra alta em agosto. Embora a taxa básica de juros já esteja em um nível contracionista significativo e os números recentes da inflação tenham ficado marginalmente abaixo das expectativas, o balanço de risco para a inflação continua desafiador. Principalmente com a perspectiva de uma política monetária muito mais restritiva nos países desenvolvidos.

O comitê de política monetária do banco central americano (FOMC) decide hoje sobre as taxas de juros dos EUA. Os mercados esperam que o aperto monetário continue, desta vez com um aumento de 0,75 pp na taxa dos Fed Funds (taxa básica de juros). Se confirmado, será o aumento mais forte em quase 30 anos. O comitê também divulgará suas projeções de inflação e crescimento para os próximos anos. Esperamos ver ajustes para cima na previsão da inflação medida pelo Core PCE de 2022 (para 4,3% ano a ano, de 4,1%) e ajustes para baixo nas expectativas do PIB de 2022 para 2,3-2,5% de 2,8%. Naturalmente, após as últimas notícias negativas na frente da inflação, as previsões para a taxa dos Fed Funds para 2022 e 2023 devem subir para pelo menos 3,25% em 2022 e 3,5% em 2023.

Mundo

Mercados globais amanhecem positivos (EUA +0,5% e Europa +1,0%) enquanto investidores aguardam a decisão de política monetária do Federal Reserve. Participantes do mercado esperam um aumento de 75 bps na taxa básica de juros americana, o que seria a maior alta registrada desde 1994. Na Europa, o Banco Central Europeu realizará um comitê de política monetária de emergência para discutir um plano de ação após as taxas dos títulos de dívida de 10 anos da Itália subirem para 4%, o maior patamar dos últimos 8 anos. Na China, ambos os índices CSI 300 (+1,3%) e Hang Seng (+1,1%) encerraram em alta após surpresa positiva nos dados econômicos. A produção industrial aumentou +0,7% no comparativo anual vs. expectativas de uma contração de -0,9% do consenso da Bloomberg. Já as vendas do varejo caíram -6,7% ano contra ano enquanto os analistas esperavam uma queda de -7,1%.

Desaceleração dos Resultados

Empresas globais no 1º trimestre de 2022 apresentam evidências da desaceleração dos resultados. O fim da temporada de resultados do 1º trimestre de 2022 reforçou o movimento de desaceleração que estamos acompanhando desde o trimestre passado, com uma surpresa menos positiva e menor crescimento dos lucros nos Estados Unidos.  Além dos balanços, muitas companhias também divulgam suas perspectivas, ou atualizaram seus guidances, com revisões negativas das expectativas para os próximos períodos. Frente a deterioração do cenário, o movimento de correção do múltiplo de Preço/Lucro (P/L) do S&P 500 se intensificou nos últimos meses, levando o indicador para baixo da média histórica dos últimos 10 anos. Porém, apesar da correção, esperamos que o cenário de volatilidade alta nos mercados se mantenha.

China: Relaxamento das Restrições do COVID

Na China, os principais indicadores econômicos de maio ficaram acima das expectativas, uma vez que o relaxamento das restrições do Covid melhorou as condições de oferta da economia. A produção industrial recuperou para um crescimento anual de 0,7% em maio, ante a queda de 2,9% em abril. As vendas no varejo continuam em território negativo (-6,7% a/a), mas caindo menos que o esperado (-7,1%) e menos que o mês anterior (11,1%). A recuperação deve continuar à medida que a reabertura continua e os estímulos ao crédito do governo fazem efeito.

Zona do Euro

O Banco Central Europeu está fazendo uma reunião de emergência do seu Conselho. De acordo com as notícias da Bloomberg, o BCE está discutindo uma estratégia mais ampla para proteger a integridade da região do euro, e se o banco deve reinvestir nos ativos adquiridos durante seu programa de compra de ativos anti-Covid. À medida que a inflação aumenta e o BCE sugere um aperto monetário à frente, os juros dos títulos dos países da zona do euro estão subindo rapidamente. O título italiano de 10 anos, por exemplo, superou ontem 4% (contra 1% no final do ano passado).

Veja todos os detalhes

Economia

Política monetária no centro das atenções, com as decisões de juros nos EUA e no Brasil. Economia chinesa começa a se recuperar

  • O comitê de política monetária do banco central americano (FOMC) decide hoje sobre as taxas de juros dos EUA. Os mercados esperam que o aperto monetário continue, desta vez com um aumento de 0,75 pp na taxa dos Fed Funds (taxa básica de juros). Se confirmado, será o aumento mais forte em quase 30 anos. O comitê também divulgará suas projeções de inflação e crescimento para os próximos anos. Esperamos ver ajustes para cima na previsão da inflação medida pelo Core PCE de 2022 (para 4,3% ano a ano, de 4,1%) e ajustes para baixo nas expectativas do PIB de 2022 para 2,3-2,5% de 2,8%. Naturalmente, após as últimas notícias negativas na frente da inflação, as previsões para a taxa dos Fed Funds para 2022 e 2023  devem subir para pelo menos 3,25% em 2022 e 3,5% em 2023;
  • Na China, os principais indicadores econômicos de maio ficaram acima das expectativas, uma vez que o relaxamento das restrições do Covid melhoraram as condições de oferta da economia. A produção industrial recuperou para um crescimento anual de 0,7% em maio, ante a queda de 2,9% em abril. As vendas no varejo continuam em território negativo (-6,7% a/a), mas caindo menos que o esperado (-7,1%) e menos que o mês anterior (11,1%). A recuperação deve continuar à medida que a reabertura continua e os estímulos ao crédito do governo fazem efeito;
  • O Banco Central Europeu está fazendo uma reunião de emergência do seu Conselho. De acordo com as notícias da Bloomberg, o BCE está discutindo uma estratégia mais ampla para proteger a integridade da região do euro, e se o banco deve reinvestir nos ativos adquiridos durante seu programa de compra de ativos anti-Covid. À medida que a inflação aumenta e o BCE sugere um aperto monetário à frente, os juros dos títulos dos países da zona do euro estão subindo rapidamente. O título italiano de 10 anos, por exemplo, superou ontem 4% (contra 1% no final do ano passado);
  • No Brasil, o destaque de hoje é a reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom). Esperamos que o Copom eleve a taxa Selic em 0,5 pp, para 13,25%. E deixe as portas abertas para outra alta em agosto. Embora a taxa básica de juros já esteja em um nível contracionista significativo e os números recentes da inflação tenham ficado marginalmente abaixo das expectativas, o balanço de risco para a inflação continua desafiador. Principalmente com a perspectiva de uma política monetária muito mais restritiva nos países desenvolvidos;
  • O saldo orçamentário primário do governo central registrou superávit de R$ 28,6 bilhões em abril (de déficit de 6,3 bilhões em março). O resultado ficou abaixo do consenso de mercado (R$ 29,6 bilhões) e acima da nossa projeção (R$ 27,5 bilhões) e atingiu superávit de R$ 79,3 bilhões no acumulado do ano. No acumulado em 12 meses, o resultado primário apresenta pequeno déficit de R$ 4,6 bilhões (0,06% do PIB). Apesar dos bons números atuais, os projetos de cortes de impostos discutidos no Congresso aumentam o risco de sustentabilidade fiscal no médio prazo;
  • A receita real do setor de serviços subiu 0,2% MoM em abril, ligeiramente abaixo da nossa estimativa (0,4%) e do consenso de rua (0,5%). Ainda assim, os resultados indicam que o setor de serviços segue em trajetória positiva, colhendo frutos da reabertura econômica (normalização do padrão de consumo); recuperação do emprego; maiores transferências de dinheiro do governo com base no novo programa de bem-estar; e medidas de estímulo de curto prazo, como a liberação de saques extraordinários do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Empresas

Rumo (RAIL3): Volumes da Rumo Estáveis A/A em Mai’22; Continuamos Esperando um 2S’22 Forte

  • A Rumo reportou volumes neutros em maio (estáveis A/A, ou -8% A/A se excluirmos os números da Malha Central), ainda impactados pela quebra de safra na região Sul do Brasil (volumes de soja -10% A/A devido principalmente a uma queda de 76% A/A na Operação Sul [apenas ~5% dos volumes totais, vs. ~19% em maio’21]);
  • No entanto, continuamos esperando volumes fortes ao longo do ano, respaldados pelas sólidas perspectivas de safra de milho no Mato Grosso no 2S’22 (o que, em nossa opinião, suporta o guidance de volume da Rumo para 2022);
  • Nos últimos doze meses, a Rumo continuou ganhando participação de mercado (45% em maio’22 LTM, vs. 42% em 2021 e 40% em 2020), com o Arco Norte (incluindo Hidrovias do Brasil) caindo para 30% (vs. 31% em 2021 e 34% em 2020);
  • Reiteramos nossa perspectiva positiva para as exportações de grãos do Centro-Oeste do Brasil e as recomendações de Compra para RAIL3 e HBSA3;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

3R (RRRP3): Destaques do Investor Day + Dados de Produção de maio

  • A 3R Petroleum sediou seu primeiro 3R Investor Day para discutir os principais tópicos sobre suas principais conquistas desde o IPO. As principais conclusões do evento foram: (i) visão positiva sobre a operação do cluster Papa Terra e os próximos passos para melhorar a produção; (ii) oportunidades de midstream e downstream em potiguar; (iii) cluster Peroa trazendo flexibilidade ao sistema de gás, (iv) força da equipe e outras informações relevantes;
  • Em relação aos dados de produção de maio, Rio Ventura foi o destaque positivo, apresentando mais um sólido crescimento de produção enquanto os resultados de Macau ficaram abaixo das expectativas. No entanto, a 3R reiterou que o problema era com o ativo da Petrobras que parou a produção por 3 dias devido a um raio que atingiu um de seus transformadores e afetou o rateio da produção (lembre-se que esta não foi a primeira vez que a 3R teve problemas em torno da medida da Petrobras da produção de Macau). De acordo com o 3R, esse problema será resolvido até agosto, quando a estrutura de medição e rateio do volume mudar e eles não estarão mais à vontade da Petrobras nessa questão;
  • Embora entendamos as preocupações dos investidores com os riscos de execução da 3R, destacamos que os múltiplos estão muito descontados neste momento (segundo menor EV/2P entre os pares) e reiteramos nossa recomendação de Compra com um preço alvo de R$ 82,50/ação.

Varejo: Feeedback da 1ª Conferência do Mercado de Beleza da XP

  • Na última semana, a XP realizou sua 1ª Conferencia sobre o mercado de Beleza, com mais de 10 companhias de diferentes tamanhos e posicionamentos, incluindo: Belong Be, Beyoung, Botoclinic, B4A, EspaçoLaser, Forever Liss, Granado, JustforYou, O Boticário, Rennova, Sallve and Skelt;
  • De uma maneira geral, as principais mensagens da conferência foram: i) o cenário macro ainda é um desafio para o crescimento de volume e rentabilidade; ii) redes sociais reduziram as barreiras de entrada, aumentando a competição; iii) a penetração do canal online deve continuar a crescer, apesar da omnicanalidade ser um foco; e iv) há apetite para fusões e aquisições (M&A);
  • Clique aqui para o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • BB e Caixa disputam Plano Safra (Valor);
    • Volume médio de ações negociado na B3 cai 8,5% em maio, para R$ 30,4 bi (Valor);
    • XP inicia negociação de bitcoin e ether dentro do aplicativo em julho (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Cade deve julgar venda da Extrafarma para Pague Menos no dia 22. (Valor);
    • Mercado Livre dobra número de cidades atendidas e oferece entregas no mesmo dia para 100 municípios. (E-commerce Brasil);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Atlas Renewable compra projeto da Voltalia e entra no mercado eólico no Brasil. (Valor Econômico);
    • MME divulga mudanças em equipe. (Valor Econômico);
    • Petróleo fecha em queda com possibilidade de sobretaxas a empresas de petróleo. (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Empresas globais no 1º trimestre de 2022: evidências da desaceleração dos resultados

  • O fim da temporada de resultados do 1º trimestre de 2022 reforçou o movimento de desaceleração que estamos acompanhando desde o trimestre passado, com uma surpresa menos positiva e menor crescimento dos lucros nos Estados Unidos;
  • Além dos balanços, muitas companhias também divulgam suas perspectivas, ou atualizaram seus guidancescom revisões negativas das expectativas para os próximos períodos;
  • Frente a deterioração do cenário, o movimento de correção do múltiplo de Preço/Lucro (P/L) do S&P 500 se intensificou nos últimos meses, levando o indicador para baixo da média histórica dos últimos 10 anos. Porém, apesar da correção, esperando que o cenário de volatilidade alta nos mercados se mantenha;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo, ver a análise consolidada dos números e a o resultado das principais empresas globais nesse período.

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Coinbase anuncia demissão de 18% dos funcionários

  • Coinbase anuncia demissão de 18% dos trabalhadores;
  • Toyota, pressionada por investidores, promete acelerar a produção de EVs;
  • AT&T vê a possibilidade de um segundo aumento de preço nos planos de telefonia móvel à medida que os custos aumentam;
  • Poder de fabricação de chips da China cresce;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

Alocação & Fundos

Performance e Longevidade: o jeito Bogari de operar no mercado acionário

  • O que mede a longevidade de uma gestora de ações? E a performance? O cenário atual coloca à prova estratégias historicamente vencedoras?
  • Nada melhor do que falar sobre o desempenho dos fundos de ações neste momento de mercado analisando uma das gestoras de ações mais longevas e performáticas da indústria de fundos de investimentos brasileira;
  • Neste relatório, confira com mais detalhes o fundo Bogari Value que reflete o resultado das estratégias da gestora Bogari Capital;
  • Clique aqui para conferir o conteúdo completo.

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Fundos imobiliários da Rio Bravo vão executar garantias de CRI inadimplente (InfoMoney);
    • Fiagro: Como as garantias dos CRAs adicionam segurança a esse tipo de investimento (MoneyTimes);
    • Ifix fecha novamente em queda e completa sétima sessão seguida de perdas; 47 FIIs pagam dividendos (InfoMoney);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

ESG

Ambev e Petrobras avançam em iniciativas sustentáveis | Café com ESG, 15/06

  • O mercado fechou o pregão de terça-feira em território negativo, com o Ibov e o ISE em queda de -0,5% e -1,0%, respectivamente;
  • No Brasil, do lado das empresas, (i) a Ambev está firmando parcerias com empresas do setor de energia com parques eólicos no Nordeste, como Neoenergia Oitis, 2W Energia e Engie Brasil Energia, a fim de utilizar energia eólica em todas as suas operações no país nos próximos dois anos; e (ii) a Petrobras anunciou a chegada de um navio “sustentável” ao Brasil no fim de maio, o Suezmax DP2 Eagle Colatina, que deve contribuir para a redução de emissões de carbono no transporte marítima por economizar energia – a companhia afirmou que a redução do consumo médio de combustível chega a 24% na comparação com embarcações da mesma classe;
  • Do lado da política, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Ministério da Infraestrutura brasileiro vão desenvolver um plano nacional de descarbonização no setor de transporte, um dos maiores emissores de carbono no país – o objetivo dessa parceria é ajudar Brasil a implementar tecnologias e marcos regulatórios para atingir as metas nacionais de redução nas emissões dos gases de efeito estufa do setor para os anos de 2025 (-37%) e 2030 (-43% de gases emitidos). Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.