XP Expert

Dia de reunião do Banco Central Europeu e inflação nos EUA

Os agentes de mercado estarão bastante atentos à reunião de política monetária do BCE (Banco Central Europeu) e aos resultados da inflação ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) nos Estados Unidos em fevereiro.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +2,4% | 113.900 Pontos

CÂMBIO -0,9% | 5,01/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

A agenda internacional de hoje traz dois grandes eventos/indicadores macro. Os agentes de mercado estarão bastante atentos à reunião de política monetária do BCE (Banco Central Europeu) e aos resultados da inflação ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) nos Estados Unidos em fevereiro.

Brasil

Ontem houve novo alívio na curva de juros após sinais de que a Rússia deve decidir por acordo de cessar-fogo, o que levou à forte queda nos preços de commodities e, consequentemente, a uma redução nas expectativas de inflação e juros. Além disso, o mercado não acredita que o governo brasileiro adotará medidas de descontrole fiscal para conter a escalada dos combustíveis. Os prêmios mais longos reduziram mais do que os curtos, apesar de ainda se manterem altos. DI jan/23 fechou em 12,915%; DI jan/25 foi para 12,19%; DI jan/27 encerrou em 12,11%; e DI jan/29 fechou em 12,24%.

Com isso, o Ibovespa também apresentou forte alta e fechou aos 113.900 pontos, com variação positiva de 2,43%. O dólar chegou a ficar abaixo dos R$5,00, mas acabou fechando em R$5,01.

Dados de produção e agenda

No Brasil, a produção industrial despencou 2,4% em janeiro, compensando grande parte do salto de 2,9% registrado em dezembro. A retração da indústria ocorreu de forma disseminada entre as classes de atividade, com destaque ao tombo na fabricação de veículos automotores.

Na agenda doméstica de hoje, as atenções estarão voltadas para a divulgação das vendas do comércio varejista (PMC – Pesquisa Mensal do Comércio) e da criação líquida de empregos formais (CAGED) em janeiro. Por fim, o Senado adiou ontem, pela terceira vez, a votação do projeto de lei que cria um fundo de estabilização dos preços de combustíveis, e também do projeto de lei complementar que estabelece valor fixo para cobrança do ICMS sobre tais produtos, após senadores condicionarem as votações a mudanças no decreto de redução do IPI. Estados e municípios reclamam da perda de recursos e o governo já teria cedido ao governo de Amazonas, retirando a Zona Franca de Manaus do decreto. Os temas devem ser retomados na sessão de hoje.

Mundo

Bolsas internacionais amanhecem negativas (EUA -0,7% e Europa -1,3%) enquanto investidores seguem monitorando os desenvolvimentos da guerra entre Rússia e Ucrânia, as oscilações nos preços das commodities e aguardam novos dados de inflação. Nos EUA, o foco ficará por conta da divulgação dos dados de inflação ao consumidor nesta manhã. Na Europa, o mercado acompanhará de perto a reunião de política monetária do Banco Central Europeu, que deverá fornecer pistas sobre os próximos passos dos estímulos econômicos em meio às tensões geopolíticas globais. Na China, o índice de Hang Seng (+1,3%) encerra em sua maior alta das últimas 3 semanas com suporte no arrefecimento nos preços do petróleo nesta quarta-feira. Por fim, o petróleo (+4,9%) amanhece em campo positivo, recuperando parte das perdas após a queda de ontem, catalisada pelo anúncio dos Emirados Árabes Unidos. O país afirmou que irá dar suporte ao aumento de produção da OPEP+ para suprir a falta do petróleo russo devido às novas sanções.

Rússia vs. Ucrânia

O encontro entre os ministros de Relações Exteriores da Ucrânia e da Rússia não produziu resultados efetivos no dia de ontem. Os representantes de alto escalão dos governos indicaram interesse na realização de novas rodadas de conversas.

Entretanto, alguns sinais de avanço nas posições diplomáticas da Rússia e da Ucrânia levaram a ganhos nos mercados financeiros ontem (09). Por exemplo, o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky sinalizou, em entrevista a um canal de televisão dos Estados Unidos, que estaria pronto para discutir o reconhecimento da soberania russa sobre a Crimeia e a independência das regiões separatistas de Luhansk e Donetsk. Além disso, Zelensky afirmou que “esfriou” a ideia de incorporar a Ucrânia à OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), um tema sensível destacado pelo governo russo como uma das razões para invadir o país vizinho. Além disso, segundo a porta-voz da chancelaria russa, Maria Zakharova, os objetivos da Rússia não incluem a ocupação da Ucrânia, a destruição de seu Estado ou a troca de regime.  

Mercado em Gráfico

O níquel, metal usado em aço inoxidável e considerado estratégico na transição energética por ser usado em baterias de carros elétricos, chegou a subir ontem (9) mais de 110% na Bolsa de Metais de Londres (LME), acumulando alta de 250% em dois dias. A alta recorde levou a tradicional Bolsa das commodities a suspender e, em seguida, cancelar todas as transações envolvendo a commodity. O aumento intenso do preço do metal tem como motivos os efeitos da guerra no leste europeu, com a intensificação das preocupações com a oferta da Rússia após a invasão da Ucrânia, uma vez que a empresa russa Nornickel é a maior produtora do mundo do metal, sendo o país responsável pela produção de 10% de todo o níquel consumido no mercado mundial, desequilibrando ainda mais a oferta e a demanda do metal, essencial na transição para a chamada economia de baixo carbono.

Veja todos os detalhes

Agenda de resultados

Arezzo (ARZZ3): Após o fechamento
C&A (CEAB3):  Após o fechamento
Construtora Tenda (TEND3): Após o fechamento
Grupo Moda Soma (SOMA3):  Após o fechamento
Hapvida (HAPV3): Após o fechamento
Kora Saúde (KRSA3): Após o fechamento
Magazine Luiza (MGLU3):  Após o fechamento
Santos Brasil (STBP3): Após o fechamento

Calendário do 4T21

Temporada de resultados do 4º trimestre 2021 – o que esperar?

Economia

Primeiros sinais de flexibilização na guerra da Ucrânia; no Brasil, produção industrial despenca em janeiro

  • Alguns sinais de avanço nas posições diplomáticas da Rússia e da Ucrânia levaram a ganhos nos mercados financeiros ontem (09). Por exemplo, o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky sinalizou, em entrevista a um canal de televisão dos EUA, que estaria pronto para discutir o reconhecimento da soberania russa sobre a Crimeia e a independência das regiões separatistas de Luhansk e Donetsk. Além disso, Zelensky afirmou que “esfriou” a ideia de incorporar a Ucrânia à OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), um tema sensível destacado pelo governo russo como uma das razões para invadir o país vizinho. Ainda sobre a adesão da Ucrânia à OTAN, Zelensky declarou que não quer ser presidente de um “país que está mendigando algo de joelhos” (tradução própria). Além disso, segundo a porta-voz da chancelaria russa, Maria Zakharova, os objetivos da Rússia não incluem a ocupação da Ucrânia, a destruição de seu Estado ou a troca de regime. De acordo com a autoridade, “estão ocorrendo negociações com os ucranianos para acabar o quanto antes com o banho de sangue sem sentido e a resistência das Forças Armadas da Ucrânia. Alguns progressos foram feitos”;
  • A agenda internacional de hoje (10) traz dois grandes eventos/indicadores macro. Os agentes de mercado estarão bastante atentos à reunião de política monetária do BCE (Banco Central Europeu). A autoridade divulgará novas projeções para PIB e inflação na região. O mercado espera redução das expectativas de crescimento econômico em 2022 e elevação das projeções para a inflação, devido sobretudo à elevação adicional dos preços internacionais de commodities no período recente. Por fim, destaque para a publicação da inflação ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) nos Estados Unidos em fevereiro. A mediana das projeções dos analistas indica alta de 7,8% para o índice geral no acumulado dos últimos 12 meses, e de 6,4% para a medida de núcleo – exclui os itens voláteis de energia e alimentos (ou seja, aceleração frente aos resultados registrados em janeiro, de 7,5% e 6,0%, respectivamente). Os pedidos iniciais de seguro-desemprego nos Estados Unidos também serão divulgados hoje, tendo como referência a semana encerrada em 05/mar. Por sua vez, o (aguardado) encontro entre os ministros de Relações Exteriores da Ucrânia e da Rússia não produziu resultados. No entanto, os representantes de alto escalão dos governos indicaram interesse na realização de novas rodadas de conversas;
  • A produção industrial brasileira despencou 2,4% entre dezembro e janeiro, após ajuste sazonal, compensando grande parte do expressivo crescimento de 2,9% observado na leitura anterior. Este resultado veio pior que a nossa estimativa e o consenso de mercado (ambos em -1,9%). Em comparação a janeiro de 2021, o volume produzido na indústria contraiu 7,2% (XP e consenso: -6,3%). O desvio entre a nossa projeção e o resultado efetivo deveu-se, em grande medida, ao desempenho mais fraco que o esperado da Indústria Extrativa – ainda que já considerássemos o impacto negativo das paralisações de extração de minério de ferro em Minas Gerais causadas pelas fortes chuvas no início do ano. A retração da produção industrial em janeiro ocorreu de forma disseminada entre as categorias econômicas. Destaque para as quedas significativas dos agrupamentos de Bens de Consumo Duráveis (-11,5% em jan/dez) e Bens de Capital (-5,6% em jan/dez). Em relação ao primeiro, chamamos a atenção para a influência do tombo na fabricação de veículos automotores (-17,5% em janeiro após alta de 15,2% em dezembro). Várias montadoras destravaram linhas de produção no último mês de 2021 na esteira da maior disponibilidade de insumos, mas esta melhoria teve curta duração. Não esperamos recuperação consistente da indústria brasileira nos próximos meses. A escalada do conflito militar na Ucrânia adiciona pressão sobre custos de produção, piora condições financeiras e deve postergar a normalização das cadeias de suprimentos globais;
  • Na agenda doméstica de hoje, as atenções estarão voltadas para a divulgação das vendas do comércio varejista (PMC – Pesquisa Mensal do Comércio) em janeiro. O time econômico da XP estima que o varejo ampliado contraiu 0,8% em comparação a dezembro, após ajuste sazonal (-2,2% ante jan/21), enquanto o consenso de mercado aponta para recuo de 1,1% (-2,5% ante jan/21). As projeções são mais favoráveis para o varejo restrito, que exclui veículos e materiais de construção (XP: 0,3% em jan/dez e -2,7% em jan-22/jan-21; consenso: 0,4% em jan/dez e -2,6% em jan-22/jan-21). Destaque ainda para a publicação do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) referente a janeiro, com expectativa de criação líquida de aproximadamente 150 mil vagas formais. Por fim, o Senado adiou ontem, pela terceira vez, a votação do projeto de lei que cria um fundo de estabilização dos preços de combustíveis, e também do projeto de lei complementar que estabelece valor fixo para cobrança do ICMS sobre tais produtos, após senadores condicionarem as votações a mudanças no decreto de redução do IPI. Estados e municípios reclamam da perda de recursos e o governo já teria cedido ao governo de Amazonas, retirando a Zona Franca de Manaus do decreto. Os temas devem ser retomados na sessão de hoje.   

Política

O encontro de mais alto escalão entre a Rússia e Ucrânia desde o início da guerra, entre os ministros das relações exteriores dos países, Sergey Lavrov e Dmytro Kuleba, respectivamente, não produziu resultados

  • Segundo Kuleba, o russo reiterou que os ataques não parariam até que Ucrânia atendesse as demandas de Vladimir Putin, como desmilitarização, reconhecimento da independência da região de Donbas e reconhecimento da Crimeia como território russo, demandas que o governo Zelensky não estaria pronto para aceitar. Vale notar, no entanto, que tanto Kuleba quanto Lavror indicaram interesse em realizar novas rodadas de conversas;  
  • No campo de batalha, autoridades ucranianas reportaram intensificação de ataques. Por exemplo, foram reportados ataques a instituições de saúde na região de Maripuol, entre elas uma maternidade. Nesse contexto, organismos internacionais continuam alertando a ampliação de uma crise humanitária no país;
  • No lado das sanções, a Casa Branca está estudando sanções contra a Rosatom, a estatal de energia atômica russa. No entanto, o país abandou planos de auxiliar a Polônia na entrega de aeronaves MiG-29 para Ucrânia. Segundo autoridades americanas, a medida foi considerada muito arriscada e aumentaria possibilidade de conflito direto entre Rússia e OTAN. 

Empresas

Número de mulheres investidoras na Bolsa cresce 40% desde 2020 e atinge 1,18 milhão – XP Monitor

  • Em fevereiro número de investidores pessoas físicas (PFs) na Bolsa brasileira (B3) atingiu 5.026.399. Em relação a janeiro, houve um aumento de 13.711 investidores PFs, equivalente a um crescimento mensal de +1,0%;
  • A maioria dos investidores da Bolsa encontram-se na faixa etária dos 26 a 35 anos, com 1.679.835 contas ativas em fevereiro, representando 33,4% de todas as contas. Continuando a tendência vista desde 2013, dados mais antigos disponibilizados, as pessoas estão começando a investir cada vez mais jovens;
  • Em relação à regiões, ainda há uma concentração de investidores no Sudeste do país. Os estados de SP, RJ e MG juntos possuem 56,8% do total de investidores, 39,8 pontos percentuais (p.p.) à frente de PR, RS e SC somados (17,0%);
  • A representatividade de mulheres na Bolsa ainda é pequena, em 23,5% no último mês, mas continua apresentando crescimento. Apesar de uma representatividade ainda pequena, o número de mulheres vêm crescendo em ritmo acelerado, com alta de +39,7% desde 2020, atingindo 1,18 milhão;
  • Por fim, observa-se um grande aumento no número de investidores com interesse em BDRs, hoje são 1,4 milhão representando 22% do estoque. Além disso, em termos relativos, esse foi o produto que mais cresceu em 2020, registrando um aumento de 994% no número de CPFs cadastrados;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

AmBev (ABEV3): Feedback da conferência com os gestores da companhia

  • Realizamos uma videoconferência que reuniu Jean Jereissati (CEO da AmBev), Lucas Lira (CFO da AmBev) e diversos investidores no dia 8 de março;
  • Os principais destaques foram: (i) 2022 será um ano de alta volatilidade; (ii) o plano estratégico elaborado em 2019 continua conforme planejado; (iii) a empresa está confortável em relação à segurança de seu fornecimento de insumos; (iv) A estratégia de M&A será mais orientada por tecnologia e sinergias do que por portfólio; e (v) a recuperação do Brasil deve ser o principal impulsionador do crescimento orgânico do EBITDA em 2022;
  • Apesar de um 2022 desafiador, tanto do ponto de vista de custos quanto do cenário macro brasileiro, saímos da reunião com nossa visão positiva sobre a AmBev reiterada, pois acreditamos que uma nova AmBev surgiu após a pior crise de todos os tempos, aumentando sua vantagem sobre os pares, por isso restabelecemos nossa classificação de compra em ABEV3;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo

CSN Mineração (CMIN3): Menores volumes prejudicando a diluição de custos fixos; Negativo

  • CSN Mineração (CMIN) divulgou números abaixo do esperado no quarto trimestre de 2021. O EBITDA ajustado de R$ 850 milhões ficou 25% abaixo das nossas estimativas e 29% abaixo do consenso. A margem EBITDA ajustada foi de 35,7% no 4T21 (+6%p.p T/T e -30p.p A/A);
  • Os principais destaques foram os menores volumes de vendas e a forte queda nos preços do minério de ferro. O caixa líquido (caixa – dívida bruta) atingiu R$ 6,1 bilhões (de R$ 7,2 bilhões no 3T21), ou 0,6x EBITDA, devido à geração de caixa negativa no trimestre;
  • Vemos esses resultados como negativos, devido aos menores volumes e aumento nos custos. Vemos as ações da CMIN sendo negociadas em 3,2x EV/EBITDA 2022 versus pares australianos em 4,6x, em média. Reiteramos nossa recomendação de Compra com preço alvo de R$7,8/ação considerando a expectativa de crescimento da empresa e o valuation atrativo;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Varejo: Feedback da semana de Calçados da XP; Demanda sólida, mas inflação deve ser monitorada

  • Realizamos nosso primeiro XP Footwear Day esta semana com varejistas, distribuidores e associações do segmento de calçados para obter uma atualização mais detalhada sobre a dinâmica do setor;
  • Trazemos quatro destaques: i) A demanda permanece sólida por itens de esportes/conforto enquanto os sapatos casuais estão ganhando força; ii) A inflação de matérias primas segue preocupando, com repasses já em vigor e trade-down para produtos mais baratos sendo observados; iii) Sustentabilidade, moda e conforto como tendências estruturais; e iv) a dinâmica tributária deve ser monitorada;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Varejo: Natura&Co, Via e Pague Menos reportam resultados do 4T21

  • Hoje, três empresas de nossa cobertura reportaram resultados: Natura&Co., Via e Pague Menos;
  • A Natura&Co. foi o principal destaque, com as sinergias da Avon surpreendendo positivamente, levando a um EBITDA acima do esperado. Entretanto, a Via também apresentou bons resultados, com a redução de despesas beneficiando o EBITDA. Por fim, a Pague Menos reportou resultados em linha;
  • Clique aqui para acessar o relatório de Natura. Clique aqui para acessar o relatório de Via. Clique aqui para acessar o relatório de Pague Menos.

Iochpe-Maxion (MYPK3) 4T21: Desempenho Sequencial Positivo de Receita; Sazonalidade Afetando a Rentabilidade

  • A Iochpe-Maxion apresentou resultados neutros no 4T21, com EBITDA recorrente de R$ 317 milhões +33% A/A (-2% vs. nossas estimativas);
  • Do lado positivo, destacamos:
    • (i) perfil resiliente contínuo da receita, com crescimento de 33% A/A (+6% T/T) refletindo uma melhora sequencial de veículos leves (+9% T/T, especialmente impulsionado pela América do Norte) e a manutenção de um forte desempenho dos veículos comerciais (+102% vs. níveis pré-pandemia);
    • (ii) indicadores de desalavancagem encorajadores, com dívida líquida/EBITDA de ~2,3x no 4T21 vs. ~2,7x no 3T21 (e vs. ~6,5x no 4T20).
  • No lado negativo, notamos uma contração da margem EBITDA ajustada de ~4p.p. vs. o 3T21, provavelmente refletindo impactos sazonais, em nossa visão, dada a atividade industrial geralmente menor no final do ano (margens estáveis ​​em relação ao ano anterior);
  • Reiteramos nossa recomendação de Compra para Iochpe-Maxion e preço-alvo de R$ 27,00/ação;
  • Clique aqui para ler o relatório completo.

Embraer (EMBR3) 4T21: Forte Desempenho de Geração de Caixa; Guidance para 2022 Mais Fraco do que o Esperado

  • A Embraer reportou resultados neutros no 4T21, com um EBITDA ajustado de US$ 107 milhões abaixo de nossas estimativas explicado principalmente pelo impacto de US$ 43 milhões relacionado ao acordo recentemente alcançado com a Força Aérea Brasileira (efeito contábil não caixa nos números do 4T21);
  • Observamos:
    • (i) forte desempenho do fluxo de caixa, com geração de caixa livre de US$ 452 milhões no 4T21 levando a uma geração anual de caixa de US$ 292 milhões, bem acima das indicações anteriores da empresa de ~US$ 100 milhões (suportando redução da alavancagem para atingir 3,5x dívida líquida/ EBITDA vs. 5,6x em 2019); e
    • (ii) forte desempenho de rentabilidade das divisões de Aviação Executiva e Serviços, com a margem bruta permanecendo em sólidos níveis de 21% e 28%, respectivamente.
  • Além disso, a empresa divulgou seu guidance para 2022, com receitas e lucro operacional abaixo do esperado versus nossas estimativas e consenso, implicando em potencial espaço para revisões para baixo de estimativas, em nossa opinião;
  • Mantemos nossa visão positiva em relação à Embraer apesar da volatilidade esperada de curto prazo;
  • Clique aqui para ler o relatório completo.

Lavvi (LAVV3) – Resultados 4T21: Expansão da margem bruta compensada por receita abaixo do esperado

  • A Lavvi apresentou resultados mistos no 4T21, explicados pela receita líquida de R$ 109 milhões, abaixo das nossas estimativas (-28% vs. nossa projeção), prejudicada pelo maior cancelamento de vendas e o mix de receita (menor POC) afetado negativamente pelas vendas de novos lançamentos. Do lado positivo, a margem bruta atingiu sólido patamar de 39,3% (+1,9 p.p. vs. nossa projeção e -0,8 p.p. A/A). Portanto, o lucro líquido ficou abaixo de nossas estimativas, atingindo R$ 25 milhões (-24% vs. nossas estimativas). A Lavvi também reportou uma sólida geração de caixa de R$ 35 milhões, impulsionada pelo pré-pagamento mais rápido do que o esperado dos projetos Villa Versace e Grand Vitrali;
  • Do lado operacional (divulgado anteriormente), os lançamentos atingiram R$ 211 milhões no 4T21 vs. 331 milhões no 3T21. Este volume foi composto por um projeto lançado (Grand Vitrali). Além disso, as vendas contratadas líquidas totalizaram R$ 155 milhões no 4T21 (vs. R$ 192 milhões no 3T21), levando a um VSO saudável de 22% no 4T21 vs. 27% no 3T21, apesar do cenário macro desafiador. O recente lançamento do projeto Grand Vitrali já está 46% vendido no trimestre, o que vemos como indicativo positivo da sólida demanda no segmento de alta renda;
  • Como resultado, podemos ver uma reação ligeiramente negativa das ações;
  • Clique aqui para ver nosso relatório completo.

Vulcabras (VULC3) e Grendene (GRND3): confira destaques de reuniões exclusivas com as empresas

  • Nesta semana, a XP realizou o seu primeiro evento focado no setor de Calçados. Por meio de uma série de conversas com fabricantes, varejistas e associações do segmento, procuramos obter uma visão atualizada do segmento. Neste relatório, trazemos nossa leitura das reuniões que realizamos com a Grendene (GRND3) e a Vulcabras (VULC3). Para conferir o relatório completo, clique aqui;
  • No caso da Grendene, um dos principais tópicos discutido foi a performance de suas diferentes linhas de produtos, com destaque para a Melissa. Outros pontos abordados incluem a pressão de custos e os repasses de preço feitos para mitiga-la, conforme discutimos abaixo. Vale lembrar que temos recomendação Neutra para GRND3, com preço-alvo de R$ 10,70 por ação;
  • No caso da Vulcabras, destacamos as fortes perspectivas para 2022 e, especialmente, para o primeiro trimestre. A companhia entende que, no 1T22, deve apresentar uma taxa de crescimento similar, senão maior, do que aquela apresentada em 2021. Além disso, a empresa tem expectativa de seguir aumentando sua margem bruta. Nesse sentido, mantemos nossa visão construtiva para VULC3, com recomendação de Compra e preço-alvo de R$ 12 por ação.

Explorando estrategicamente as oportunidades em Small Caps: Indo a Fundo no Outliers com a HIX Capital

  • A HIX Capital é uma gestora independente focada no mercado acionário, fundada em 2012, que conta com mais de R$ 2 bilhões sob gestão e é conhecida pelo seu DNA de economia real;
  • Descubra como a HIX captura as melhores oportunidades explorando estrategicamente as oportunidades em Small Cpas: Clique aqui para conferir o conteúdo completo.

Estapar (ALPK3): no quarto trimestre de 2021, empresa consolida retomada, conforme esperado

  • No 4T21, a Estapar divulgou resultados melhores, consolidando seu processo de retomada, como já era esperado devido ao afrouxamento de restrições de mobilidade e do avanço do processo de vacinação no Brasil;
  • No trimestre, a receita da companhia atingiu R$ 265 milhões, um crescimento de 44% A/A e 6% acima das nossas estimativas. A companhia também destacou que, em janeiro, a receita atingiu 93% da base comparável de 2019;
  • Do lado positivo, destacamos a conclusão do processo de alongamento da dívida de curto prazo da companhia. Ainda assim, diante das incertezas do cenário de mobilidade, mantemos nossa recomendação Neutra para ALPK3;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas, Energia (óleo & gás e elétricas) e Fundos Imobiliários (FIIs).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • BCE alerta para perdas de bancos europeus em meio à guerra (Valor);
    • BC autoriza aumento de capital do Banco Pan, com incorporação de ações da Mosaico (Valor);
    • Mercado já vê inflação a 7% e Selic a até 14% com guerra na Ucrânia e disparada do petróleo (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Putin não tem saída, e isso realmente assusta; leia o artigo de Thomas L. Friedman (Estadão);
    • Renda em queda e inflação (Estadão);
    • Mercado Livre é terceira varejista alvo de ataque hacker em 6 meses (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Ao consolidar balanço da BRF, Marfrig assume o controle de fato (Valor);
    • Commodities: USDA faz ajustes aquém do previsto, e grãos caem em Chicago (Valor);
    • Enquanto a guerra estimula a corrida pelo trigo, o mundo tem espaço limitado para crescer mais (Bloomberg);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Preço dos combustíveis sobe com menos força no Brasil que no resto do mundo. (Valor Econômico);
    • Queda de 70% nas exportações de petróleo deixará Rússia sem moeda estrangeira para importar. (Valor Econômico);
    • Reservatórios têm ‘condições favoráveis’ de atendimento ao país, diz comitê governamental de energia. (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Como fica o investimento em fundos imobiliários com a expectativa de elevação da inflação em 2022? Analistas respondem (InfoMoney);
    • O mercado de FIIs dois anos após o início da pandemia; confira as oportunidades de ganho do setor (MoneyTimes);
    • Fundos imobiliários de shoppings sinalizam recuperação em 2022 (Suno);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | E-commerce no Twitter

  • Amazon deverá receber aprovação da União Europeia para a compra da MGM;
  • Twitter implementa novas ferramentas para e-commerce;
  • TikTok encara novos desafios em virtude da guerra;
  • Dominância russa no fornecimento de commodities pode agravar crise de abastecimento;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

ESG

Governo do RJ e Nasdaq desenvolvem nova bolsa de valores focada em créditos de carbono | Café com ESG, 10/03

  • Na quarta-feira, o mercado fechou em território positivo, com o Ibov e o ISE em alta de +2,4% e +4,1%, respectivamente;
  • No Brasil, (i) uma nova bolsa deve começar a funcionar no estado do Rio de Janeiro no segundo semestre de 2022, fruto de uma parceria entre o Governo do Rio e a Nasdaq, focada na compra e venda de créditos de carbono e ativos ambientais como energia, clima e florestas; e (ii) o aumento da aversão ao risco global provocado pela guerra tornou ainda mais complicada as emissões de dívida externa, mas bancos veem uma brecha para operações que seguem parâmetros ESG, uma vez que a demanda dos investidores por papéis atrelados a metas de sustentabilidade tem potencial para tornar as captações ainda vantajosas para o emissor;
  • No internacional, um projeto do Banco Mundial que usa blockchain para combater a mudança climática está sendo desenvolvido e deve funcionar como uma estrutura central, mas descentralizada, para a criação de uma espécie de câmara de compensação global de créditos de carbono, levando o consumo energético em conta;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.