XP Expert

China corta juros para estimular economia; Bolsonaro se encontrará com Elon Musk

Mercados amanhecem em alta, porém ainda observam atentamente os riscos inflacionários e os temores de recessão.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +0,7% | 107.005 Pontos

CÂMBIO -1,3% | 4,92/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

Mercados amanhecem em alta, porém ainda observam atentamente os riscos inflacionários e os temores de recessão. Os mercados globais estiveram sob pressão esta semana já que os últimos números trimestrais de grandes varejistas como Walmart e Target levantam preocupações sobre uma base de consumidores enfraquecida e a capacidade das empresas de lidar com a inflação de décadas. Ontem, a gigante varejista Ross reportou seus resultados, confirmando a tendência de que a inflação vem sendo a grande vilã do consumo nos EUA. Em dia de agenda internacional e nacional esvaziadas, destaque para o encontro entre o presidente Jair Bolsonaro e Elon Musk, que ocorrerá no interior de São Paulo, para tratar sobre conectividade e proteção da Amazônia.

Brasil

A bolsa brasileira apagou parte das perdas da véspera e fechou em alta nesta quinta-feira (19), em um movimento descolado dos principais índices dos EUA, que caíram devido a temores relacionados à inflação, juros e recessão econômica. Por aqui, ajudou a puxar o índice o fato de os moradores de Xangai, cidade chinesa de mais de 25 milhões de habitantes que estabeleceu restrito lockdown, terem sido liberados a sair para comprar mantimentos pela primeira vez em quase dois meses. Com isso, o Ibovespa fechou em alta de +0,71% aos 107.005 pontos. O dólar voltou a cair e se aproxima do piso dos R$ 4,90, acompanhando a forte correção da moeda exterior. A moeda americana fechou em queda de -1,32%, a R$ 4,92. No mercado de renda fixa, os juros futuros tiveram dia com tendência de queda. Os motivos para esse movimento foram, principalmente, a queda no câmbio, a redução nas taxas dos títulos soberanos dos EUA (Treasuries) e a redução nas expectativas de inflação no curto prazo. O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, afirmou que deve pautar na próxima semana uma projeto de lei para reduzir impostos (ICMS) no petróleo, transportes e energia elétrica e sua declaração acentuou o movimento de queda nas taxas de juros de curto prazo devido possível impacto direto da medida na inflação. DI jan/23 fechou em 13,285%; DI jan/24 em 12,905%; DI jan/25 em 12,235%; DI jan/27 encerrou em 11,975%; e DI jan/29 em 12,03%.

Mundo

Bolsas internacionais amanhecem positivas (EUA +1,2% e Europa +1,5%) devolvendo parte das perdas registradas na semana, que colocaram o S&P 500 perto do território de bear market, e impulsionadas pelo corte na taxa de juros para empréstimos na China. Nos EUA, ontem a Ross reportou resultados aquém do esperado e as ações despencaram -25% no pós-mercado. Os resultados e projeções futuras da companhia reforçaram a mensagem passada pelos balanços do Walmart e Target mais cedo nesta semana, de queda no consumo americano à medida que a inflação deteriora o poder de compra dos consumidores. Na China, ambos os índices CSI 300 (+2,0%) e Hang Seng (+3,0%) encerraram em alta após corte na taxa de juros de referência para empréstimos de longo prazo (LPR) DE 4,6% para 4,45%. O movimento vem para dar suporte à economia chinesa que, por sua vez, passa por forte desaceleração devido às restrições para conter os casos da Covid-19, e estimular a demanda imobiliária no país.

Dados econômicos na Europa

No cenário internacional, a inflação ao produtor da Alemanha atingiu 33,5% no acumulado em 12 meses até abril, superando a taxa de 30,9% registrada em março. Os resultados vieram consideravelmente acima das projeções de analistas do mercado. Mais uma vez, os preços de energia foram os grandes vilões da leitura da inflação. Pelo lado positivo, as vendas no varejo do Reino Unido cresceram 1,4% em abril ante março, resultado muito superior às estimativas, que apontavam para ligeira queda no período.

Banco central Chinês

O banco central da China anunciou a redução de sua taxa de juros de referência para empréstimos de longo prazo. A chamada LPR (Loan Prime Rate) de cinco anos ou mais recuou de 4,60% para 4,45%, seu maior corte desde 2019. O mercado antecipava uma redução mais modesta, para 4,55%. Há expectativa de novas medidas monetárias e fiscais para estimular a economia chinesa em 2022.     

Revisão da expectativa de crescimento do PIB

O time econômico da XP revisou a expectativa de crescimento do PIB em 2022, de 0,8% para 1,6% (LINK). A atividade doméstica cresceu fortemente nos últimos meses, em linha com o aumento adicional da mobilidade, a expansão da renda disponível às famílias e o salto nos preços internacionais das commodities. O PIB deve ter crescido 1,4% no 1º trimestre de 2022 em comparação ao 4º trimestre de 2021, muito acima das projeções iniciais. A estimativa para a alta do PIB em 2023 permaneceu em 0,5%.  

Veja todos os detalhes

Economia

Inflação ao produtor da Alemanha em abril vem muito acima das expectativas; no Brasil, atenções voltadas ao Relatório Bimestral de Receitas e Despesas

  • Conforme divulgado ontem (19) pelo Conference Board, a medida de Indicadores Antecedentes dos Estados Unidos recuou 0,3% entre março e abril, em grande parte devido ao menor volume de alvarás de construção residencial e à queda na confiança do consumidor, apontando para crescimento mais moderado da economia local nos próximos meses. O consenso de mercado indicava estabilidade no período. A métrica considera a ponderação de 10 indicadores com o intuito de mostrar se a economia americana está melhorando ou piorando. Apesar do declínio suave do indicador no mês passado, a atividade econômica dos Estados Unidos permanece em trajetória de recuperação sólida. Conforme também divulgado nesta quinta-feira, os pedidos iniciais de seguro-desemprego nos Estados Unidos aumentaram de 197 mil para 218 mil (com ajuste sazonal) na semana encerrada em 14 de maio, atingindo o patamar mais elevado desde janeiro. O consenso dos analistas apontava para 200 mil solicitações no período. No entanto, o mercado de trabalho americano segue bastante apertado, com aumentos expressivos de salários. Este quadro contribui para a persistência da pressão inflacionária;
  • Na agenda econômica internacional desta sexta-feira (20), destaque para a publicação da confiança do consumidor da zona do euro – leitura preliminar – referente a maio (consenso: -16,9; anterior: -22,0). Já divulgado nesta manhã, o Índice de Preços ao Produtor (PPI, sigla em inglês) da Alemanha saltou 33,5% em abril de 2022 em relação a igual mês de 2021, superando a taxa anual de 30,9% registrada em março. Na comparação mensal, o indicador apresentou elevação de 2,8%, consideravelmente acima da expectativa do mercado (de 1,4%). Mais uma vez, os preços de energia, que subiram 2,5% frente a março e 87,3% ante abril de 2021, foram o principal fator por trás do expressivo aumento no índice geral. Excluindo tais preços, o PPI alemão exibe alta de 16,3% no acumulado dos últimos 12 meses. Pelo lado positivo, as vendas no varejo do Reino Unido cresceram 1,4% em abril ante março, resultado muito superior ao consenso dos analistas de mercado, que apontava para queda mensal de 0,3%. Na comparação anual (contra abr/21), as vendas do comércio britânico recuaram 4,9%, mas ainda assim ficaram 4,1% acima do patamar pré-pandemia. Por fim, o Banco do Povo da China (PBoC, o banco central chinês) anunciou a redução de sua taxa de juros de referência para empréstimos de longo prazo. A chamada LPR (Loan Prime Rate) de cinco anos ou mais recuou de 4,60% para 4,45%. O mercado estimava uma redução mais modesta, para 4,55%. Há expectativa de novas medidas monetárias e fiscais para estimular a economia chinesa em 2022;
  • Segundo afirmação do Presidente da Câmara dos Deputados do Brasil, Arthur Lira, o projeto de lei que estabelece um teto de cobrança do ICMS para produtos como combustíveis e energia será votado na próxima terça-feira (24). O Projeto de Lei Complementar (PLP) 18/22 altera a classificação de combustíveis (gasolina, etanol e diesel), energia elétrica, telecomunicações e transporte público coletivo para bens e serviços essenciais. Com tal mudança, o ICMS passaria a ter alíquota máxima de 17%. O impacto fiscal aos estados seria de aproximadamente R$ 60 bilhões em 2022, segundo cálculos do time econômico da XP que consideram a incidência em todo o ano e a atualização dos valores pela variação da arrecadação do ICMS nos primeiros meses de 2022 ante o mesmo período do ano passado. Por se tratar de uma redução de tributo, não haveria necessidade de respeito ao chamado “princípio da anterioridade”, podendo a medida entrar em vigor imediatamente se a lei assim dispuser. No que diz respeito à inflação, o impacto da redução de todas as alíquotas estaduais para 17% poderia chegar a -1,38 p.p. sobre o IPCA, sendo dividido em: -0,29 p.p. para energia elétrica; -0,74 p.p. para gasolina; -0,01 p.p. para etanol; e -0,34 p.p. para telecomunicações;
  • De acordo com fontes da imprensa, a equipe econômica do governo federal fechou o Relatório Bimestral de Receitas e Despesas (a ser publicado hoje à tarde) com a previsão de bloquear quase R$ 10 bilhões em despesas para abrir espaço no teto de gastos para subsídios agrícolas, sentenças judiciais e outros dispêndios obrigatórios. O valor não incluiria remanejamentos para conceder reajustes aos servidores públicos (além do montante de R$ 1,7 bilhão já previsto no orçamento para tal finalidade). Há possibilidade de o governo federal conceder um aumento linear de 5% para o funcionalismo público, o que custaria cerca de R$ 6,3 bilhões e demandaria um rearranjo mais significativo nas despesas;
  • O time econômico da XP revisou a expectativa de crescimento do PIB em 2022, de 0,8% para 1,6% (LINK). A atividade doméstica cresceu fortemente nos últimos meses, em linha com o aumento adicional da mobilidade, a expansão da renda disponível às famílias e o salto nos preços internacionais das commodities. O PIB deve ter crescido 1,4% no 1º trimestre de 2022 em comparação ao 4º trimestre de 2021, muito acima das projeções iniciais. Há expectativa de elevação adicional no 2º trimestre, ainda que a um ritmo moderado, mas retração ao longo do 2º semestre, devido sobretudo às condições monetárias mais restritivas e ao crescimento econômico global mais fraco. A projeção para a alta do PIB em 2023 permaneceu em 0,5%.

Empresas

As Lições do 1º trimestre para o Varejo: Macro ainda é um desafio, mas indicações são positivas para o 2T e 2S22

  • Neste conjunto de relatórios, consolidamos as principais métricas e indicadores de cada segmento do varejo após os resultados do 1T21, destacando as lições e aprendizados para o setor;
  • Reiteramos Grupo Soma, Assaí, Petz and RD como nossas top-picks no setor;
  • Clique para os relatório de e-commerce, consumo discrionário, varejo alimentar e varejo farma.

Tech Brasil: Feedbacks da Conferência XP Tech

  • Nesse relatório trazemos os principais destaques da 1ª edição da XP Tech Conference (17/05) com a participação de 14 empresas brasileiras listadas: Allied, Bemobi, CSU, Dotz, Eletromidia, Enjoei, G2D, Infracommerce, Intelbras, Locaweb, Multilaser, Positivo, Totvs e Zenvia. A conferência contou com a participação de executivos C-level das companhias listadas e mais de 100 investidores locais;
  • Nesse cenário de incerteza com a elevação da inflação global e consequente elevação nas taxas de juros afetando as empresas de tecnologia, o momento foi muito oportuno para discutirmos os fundamentos e revisitarmos as teses de investimento da nossa cobertura;
  • Clique aqui para conferir o conteúdo completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Nubank lança solução para pagamentos de cartão por aproximação, usando o app (Valor);
    • Getnet anuncia saída da bolsa 7 meses após listagem (Valor);
    • BB Seguridade fecha parceria com Pamcary para oferecer seguros de transportes a grandes empresas (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Tribunal do Cade julgará compra do BIG pelo Carrefour Brasil no dia 25 de maio (Folha);
    • XP melhora projeção para PIB do Brasil neste ano, mas revisa estimativas de inflação para cima (Folha);
    • ONU corta previsão para crescimento do PIB global em 2022, de 4% para 3,1% (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Oferta de boi cresce e favorece frigoríficos (Valor);
    • Mesmo com preços altos, demanda por defensivos segue firme (Valor);
    • Bacon, frango e carne bovina não ficarão baratos tão cedo (Bloomberg);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Conta de luz não deve sentir efeito de privatização da Eletrobras. (Valor Econômico);
    • Privatização da Eletrobras: Veja os próximos passos e o que muda com a venda da estatal. (Valor Econômico);
    • Petróleo fecha em alta superior a 2,5% em dia de dólar fraco no exterior. (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Número de investidores pessoas físicas na Bolsa continua crescendo apesar de incertezas no mercado – XP Monitor

  • Em abril, o número de investidores pessoas físicas (PFs) na Bolsa brasileira (B3) atingiu 5.079.690. Em relação a março, houve um aumento de 44.406 investidores PFs, equivalente a um crescimento mensal de +0,9%;
  • A maioria dos investidores da Bolsa encontram-se na faixa etária dos 26 a 35 anos, com 1.695.673 contas ativas em março, representando 33,4% de todas as contas. Continuando a tendência vista desde 2013, dados mais antigos disponibilizados, as pessoas estão começando a investir cada vez mais jovens;
  • Em relação à regiões, ainda há uma concentração de investidores no Sudeste do país. Os estados de SP, RJ e MG juntos possuem 56,6% do total de investidores, 39,6 pontos percentuais (p.p.) à frente de PR, RS e SC somados (16,9%);
  • O número de investidoras na Bolsa alcançou 1.206.251 em abril, o que corresponde a 23,7% do número total de investidores pessoas físicas. Apesar de uma representatividade ainda pequena, o número de mulheres vêm crescendo em ritmo acelerado, com alta de +42,4% desde 2020;
  • Por fim, observa-se um grande aumento no número de investidores com interesse em BDRs: são 1,4 milhão representando 26% do estoque. Além disso, em termos relativos, esse foi o produto que mais cresceu nos últimos 12 meses, registrando um aumento de +532% no número de CPFs cadastrados;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Transformação digital: como investir no futuro de tudo – Conexão Global

  • A digitalização do trabalho, das interações pessoais e do lazer é um caminho sem volta. Cada vez mais termos como hardware, armazenamento na nuvem e software fazem parte do nosso dia a dia;
  • A relevância da transformação digital também aparece no mercado de ações, com o setor de Tecnologia da Informação sendo o de maior peso nos índices globais; 
  • No cenário atual de mercado, as empresas tech têm sofrido com o momento macroeconômico, combinado com os desafios do setor;
  • Entretanto, apesar das complexidades, entendemos que a Tecnologia da Informação é uma tese sólida, embasada na (i) mudança estrutural, (ii) exposição aos principais temas globais e (iii) demanda crescente; 
  • Clique aqui para acessar o relatório completo e entender porque reforçamos a importância do tema para o investidor.

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Varejista Ross é mais uma do setor a reportar resultados fracos e corte nas projeções, as ações despencam

  • Xiaomi decepciona mercado com resultados abaixo das expectativas devido aos lockdowns na China;
  • Ações da varejista Ross despencam com resultados fracos e corte nas projeções de vendas;
  • Nio estreia na Bolsa de Singapura;
  • O S&P 500 contraiu, em média, cerca de -24% do pico ao vale em períodos de recessão desde a Segunda Guerra Mundial;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • FII Galápagos (GCRI11) prevê captar R$ 48,9 milhões; Ifix encerra estável; veja destaques (MoneyTimes);
    • Carteira de FIIs: Conheça a sugestão para maio (Valor);
    • FII IRDM11 foca em desempenho e não fará emissões de cotas neste semestre (Suno);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

ESG

Governo Federal publica o decreto oficial para regulamentar o mercado de crédito de carbono no país | Café com ESG, 20/05

  • O mercado fechou o pregão de quinta-feira em território positivo, com o Ibov e o ISE em alta de +0,7% e +0,2%, respectivamente;
  • No Brasil, o governo federal publicou ontem, em edição extraordinária do “Diário Oficial da União” (DOU), o decreto oficial para regulamentar o mercado de crédito de carbono no país – segundo o governo, o foco da regulamentação será a exportação de créditos, especialmente a países e empresas que precisam compensar emissões para cumprir com compromissos de neutralidade de carbono;
  • Ainda no campo climático, (i) o G7 espera cumprir a meta de financiamento da mudança climática de US$100bn para países em desenvolvimento até 2025, disseram chefes de finanças do grupo em um esboço de comunicado de uma reunião na Alemanha; e (ii) a Shell assinou um memorando de entendimento com a Prumo Logística para desenvolver um projeto de produção de hidrogênio verde no Porto do Açu, norte do Estado do Rio de Janeiro – o hidrogênio verde é visto como um dos combustíveis que vai ajudar a reduzir as emissões de carbono no setor de energia nos próximos anos e o objetivo da Shell será usar a planta piloto no norte fluminense como um laboratório de pesquisa. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.