XP Expert

Varejista Ross é mais uma do setor a reportar resultados fracos e corte nas projeções, as ações despencam- 🌎Radar Global

Xiaomi decepciona mercado com resultados abaixo das expectativas, Nio estreia na Bolsa de Singapura e ação da Ross despenca com resultados fraco.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

MACRO

Bolsas internacionais amanhecem positivas (EUA +1,0% e Europa +1,7%) devolvendo parte das perdas registradas na semana, que colocaram o S&P 500 perto do território de bear market, e impulsionadas pelo corte na taxa de juros para empréstimos na China. Nos EUA, ontem a Ross reportou resultados aquém do esperado e as ações despencaram -25% no pós-mercado. Os resultados e projeções futuras da companhia reforçaram a mensagem passada pelos balanços do Walmart e Target, mais cedo nesta semana, de queda no consumo americano à medida que a inflação deteriora o poder de compra dos consumidores. Na China, ambos os índices CSI 300 (+2,0%) e Hang Seng (+3,0%) encerraram em alta após corte na taxa de juros de referência para empréstimos de longo prazo (LPR) de 4,6% para 4,45%, seu maior corte desde 2019 e acima das expectativas de uma redução de 10 bps do consenso, segundo a Bloomberg. O movimento vem para dar suporte à economia chinesa, que por sua vez passa por forte desaceleração devido às restrições para conter os casos da Covid-19, e estimular a demanda imobiliária no país.

Coronavírus: Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos recomendaram na quinta-feira um reforço da Pfizer Covid para crianças de 5 a 11 anos pelo menos cinco meses após a primeira dose de vacinação, já que as infecções estão aumentando em todo o país e a imunidade das duas primeiras doses diminui.

Inscreva-se aqui para receber o nosso conteúdo diário.

EMPRESAS

Xiaomi decepciona mercado com resultados abaixo das expectativas devido a lockdowns na China: A Xiaomi foi uma das gigantes chinesas que reportou seus resultados nessa última semana, com uma receita de ¥ 73,4bi vs. ¥ 72,5bi projetados pelo mercado, o LPA foi de ¥ 0,10 vs. ¥ 0,11 esperado pelos analistas. A empresa vendeu 38,5 milhões de unidades de smartphones globalmente no trimestre de março, uma queda de -10,5% a/a. Sua receita de smartphones chegou a ¥ 45,8bi, uma queda de -11% em relação ao ano anterior. Wang Xiang, CEO da Xiaomi, disse na call de resultados que a pandemia na China teve um impacto muito grande na produção e logística, e que muitas lojas da companhia ainda estão fechadas devido aos novos lockdowns.

Olhando para o futuro, Xiang fez alguns comentários sobre o segundo trimestre de 2022. Ele disse não ter certeza de como esse período terminará para a empresa, mas espera que os resultados sejam melhores. Por um lado, aponta que a escassez de chips está sendo resolvida aos poucos, para que a Xiaomi possa impulsionar sua produção e posterior venda. Xiang mencionou que a empresa gastou ¥ 3,5bi em Pesquisa & Desenvolvimento durante o primeiro trimestre de 2022 com o objetivo de desenvolver melhores dispositivos e experiências para o usuário de seus celulares, tablets e outros dispositivos.

Ação da varejista Ross despenca com resultados fraco e corte nas projeções de vendas: A Ross Stores (NASDAQ: ROST, BDR: ROST34), varejista norte-americana, reportou seus resultados do primeiro trimestre de 2022, com uma receita de US$ 4,3bi vs. US$ 4,5bi esperado pelo mercado, e Lucro por Ação (LPA) de US$ 0,97 vs. US$ 1,00 do consenso dos analistas. As ações da loja de departamento caíram acentuadamente no pós-mercado de Nova York, depois que a varejista de desconto cortou suas perspectivas. Segundo a companhia, as métricas de vendas devem cair entre 2% e 4% no ano, contra a perspectiva anterior de um ganho de até 3%. A empesa também reduziu sua previsão de lucro por ação. Os resultados mostram a rapidez com que o panorama está mudando, à medida que a inflação acelerada consome o poder de compra da população e corrói os lucros das empresas. A revisão negativa de perspectivas da Ross segue movimentos semelhantes desta semana pela Kohl’s (NYSE: KSS, BDR: K1SS34), Target (NYSE: TGT, BDR: TGTB34) e Walmart (NYSE: WMT, BDR: WALM34). A tendência sugere que o boom de consumo do período de pandemia está perdendo força rapidamente.

Em um comunicado, diretores da Ross disseram que o conflito Rússia-Ucrânia exacerbou a inflação, enquanto a redução dos pagamentos de estímulo do ano anterior também prejudicou o desempenho. Frente as incerteza em torno das condições econômicas e geopolíticas, a companhia afirmou ser “prudente adotar uma perspectiva mais conservadora para o balanço do ano”. Como varejista de descontos, a Ross procura manter um desconto em relação aos varejistas tradicionais, mas acabou perdendo margem. A margem operacional no período foi de 10,8%, abaixo dos 14,2% do ano anterior, com a empresa citando maiores despesas com fretes e salários. Por fim, os diretores veem um cenário desafiador para o setor “as compras discricionárias (não essenciais) para o cliente de gastos baixos estão sendo espremidas”.

Nio estreia na Bolsa de Singapura: A fabricante chinesa de carros elétricos, Nio (NYSE: NIO), estreou Bolsa de Singapura, possibilitando aos investidores um terceiro mercado para negociar suas ações, depois de Nova York e Hong Kong. A Nio optou por uma listagem por meio de introdução, o que significa que não passou por um processo tradicional de oferta pública inicial (IPO) e não arrecadou recursos. As ações secundárias de Singapura são totalmente fungíveis com as americanas listadas na Bolsa de Valores de Nova York.

A companhia de veículos elétricos se junta a uma série de empresas já negociadas em outros lugares que optaram por listar suas ações na Ásia por meio de um mecanismo mais rápido e barato do que um IPO. Ter ações disponíveis em Hong Kong e Singapura dá à empresa uma proteção contra o risco de ser deslistada nos Estados Unidos devido a questões regulatórias. A Nio disse em 5 de maio que se esforçaria para manter seu status de listagem nos EUA e em Hong Kong.

ANÁLISE

Fonte: Goldman Sachs

O S&P 500 contraiu cerca de -24% do pico ao vale em períodos de recessão desde a Segunda Guerra Mundial: O gráfico acima, do Goldman Sachs, mostra que em 12 recessões desde a Segunda Guerra Mundial, o índice S&P 500 contraiu do pico ao vale em uma mediana de 24%. Um declínio dessa magnitude em relação ao pico do S&P 500 de quase 4.800 em janeiro de 2022 traria o S&P 500 para aproximadamente 3.650 (11% abaixo dos níveis atuais). A queda média de 30% reduziria o S&P 500 para 3360 (18% abaixo dos níveis atuais). Em um relatório publicado, o Goldman afirma que os economistas do banco estimam uma probabilidade de 35% de que a economia dos EUA entre em recessão nos próximos dois anos e acreditam que a curva de juros está precificando uma probabilidade semelhante de contração. As rotações no mercado de ações dos EUA indicam que os investidores estão precificando chances elevadas de uma desaceleração em comparação com a força dos dados econômicos recentes. Além disso, o mercado de futuros de dividendos implica que os dividendos do S&P 500 cairão quase -5% em 2023. Durante os últimos 60 anos, os dividendos do S&P 500 não diminuíram fora de uma recessão.

Quer saber mais sobre criptomoedas? Acesse aqui nosso relatório semanal.

Gostou do conteúdo? Compartilhe nosso link de cadastro e nos avalie abaixo:

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório foi preparado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins do artigo 1º da Instrução CVM nº 598/2018. Este relatório tem como objetivo único fornecer informações macroeconômicas e análises políticas, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra/venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra/venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados. As opiniões, estimativas e projeções expressas neste relatório refletem a opinião atual do responsável pelo conteúdo deste relatório na data de sua divulgação e estão, portanto, sujeitas a alterações sem aviso prévio. A XP Investimentos não tem obrigação de atualizar, modificar ou alterar este relatório e de informar o leitor. O responsável pela elaboração deste relatório certifica que as opiniões expressas nele refletem, de forma precisa, única e exclusiva, suas visões e opiniões pessoais, e foram produzidas de forma independente e autônoma, inclusive em relação a XP Investimentos. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida a sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. Para maiores informações sobre produtos, tabelas de custos operacionais e política de cobrança, favor acessar o nosso site: www.xpi.com.br.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.