XP Expert

Bolsas mistas à espera da decisão do Banco Central Europeu

Decisão de política monetária pelo Banco Central Europeu é o tema de maior destaque nesta sexta-feira, 21/07/2022

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +0,04% | 98.286 Pontos

CÂMBIO +0,7% | 5,46/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

O principal destaque será a decisão de política monetária pelo Banco Central Europeu, com expectativas de que subirá a taxa de juros pela primeira vez em mais de uma década. Mercados também repercutem a renúncia do primeiro-ministro da Itália, Mario Draghi, nesta manhã. Nos Estados Unidos, o mercado também aguarda as próximas divulgações da temporada de resultados do 2º trimestre. No Brasil, o destaque corporativo é a divulgação da produção trimestral da Petrobras.

Na agenda de indicadores econômicos nesta quinta-feira, destaque para algumas publicações nos Estados Unidos: (I) Índice de Atividade do Fed de Filadélfia referente a julho; (II) Indicadores Antecedentes relativos a junho; e (III) Pedidos iniciais de seguro-desemprego na última semana. No Brasil, a Receita Federal divulgará os resultados da arrecadação tributária federal no mês passado.

Brasil

O Ibovespa fechou a quarta-feira estável, com leve alta de 0,04%, aos 98.286 pontos. Enquanto isso, o dólar voltou a ganhar força, e subiu 0,7%, a R$ 5,46. Na renda fixa, os juros futuros fecharam em queda, ajustando uma parte pequena do acumulado de altas dos últimos dias. Após um pregão de volatilidade, os prêmios reduziram mesmo com a piora do câmbio. O movimento esteve relacionado ao desempenho favorável dos mercados internacionais em mais um dia de agenda e noticiário esvaziados. O recuo das taxas foi mais intenso no “miolo” da curva (vencimentos intermediários), com a ponta longa mais resistente diante das incertezas fiscais e do risco eleitoral presente. DI jan/23 fechou em 13,93%;  DI jan/24 em 13,87%; DI jan/25 em 13,295%; DI jan/27 encerrou em 13,24%; e DI jan/29 em 13,36%.

Mundo

Os mercados globais amanhecem sem direção definida (EUA +0,1% e Europa -0,1%) com o foco voltado para a reunião de política monetária do Banco Central Europeu e novas divulgações de resultados nos EUA. Até o momento, das 60 empresas presentes no S&P 500, que reportaram seus resultados, 78,3% superaram as estimativas de lucro, segundo a Refinitiv. As divulgações dos balanços seguem hoje nos EUA com AT&T, Snap, American Airlines e Domino’s Pizza. Na Europa, investidores aguardam a provável primeira alta de juros do Banco Central Europeu desde 2011. Na China, o índice de Hang Seng (-1,5%) encerrou em baixa à medida que a crise imobiliária persiste e impacta duramente as ações das incorporadoras e bancos locais. O sentimento negativo foi levemente compensado pelas esperanças de um fim do escrutínio regulatório da China sobre as empresas de tecnologia com a conclusão das investigações da Didi. 

Política monetária no Japão inalterada

Conforme amplamente esperado, o Banco do Japão (BoJ) não alterou sua política monetária ultra expansionista. O banco central manteve as taxas de juros de curto prazo em -0,1% e as taxas de referência de 10 anos em torno de zero. O Presidente do BoJ, Haruhiko Kuroda, descartou as chances de aperto monetário nos próximos meses. O iene já acumula depreciação de 17% frente ao dólar em 2022. Em relação às projeções macroeconômicas, a instituição espera inflação de 2,3% no atual ano fiscal, que termina em março de 2023, acima da meta de 2,0% e da expectativa anterior de 1,9%. Para o ano fiscal encerrado em março de 2024, por sua vez, o BoJ estima desaceleração para 1,4%.

Atenção para o Banco Central Europeu

Os agentes de mercado estarão bastante atentos, nesta manhã, ao anúncio da decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE). A autoridade aumentará a taxa de juros de referência pela primeira vez em 11 anos. A comunicação recente do BCE aponta para elevação de 0,25pp, mas há apostas de aumento de 0,5pp como resposta ao quadro de inflação historicamente alta na zona do euro.

Crise energética na Europa

Destaque ainda para a retomada do funcionamento do gasoduto russo Nord Stream 1, após manutenção programada de 10 dias (embora com capacidade reduzida). Isto posto, muitas incertezas permanecem a respeito do fluxo de gás da Rússia para a Europa no curto prazo. Neste sentido, a União Europeia propôs, ontem, uma meta voluntária para que os países membros do bloco reduzam o consumo de gás em 15% até março do ano que vem.

Mercado em Gráfico

Preço sobre Lucro (P/L) é um indicador que relaciona o valor de mercado de uma ação com o lucro apresentado ou projetado pela empresa em questão. Esse múltiplo é um dos principais números que os investidores levam em consideração ao analisarem sua carteira de ativos e as futuras operações na bolsa, já que ele é um indicativo de quão disposto o mercado está a pagar pelos resultados da companhia. O P/L projetado para os próximos 12 meses do Ibovespa atualmente está em 6x, um desconto de mais de 40% em relação à média dos últimos 15 anos – 11,2x. Ao calcularmos a média de retornos cumulativos de quando o Ibovespa atingiu o P/L de 6x, podemos concluir que os retornos para os próximos anos, conforme indicado no gráfico, seguem em números atrativos. Com isso, podemos concluir que a Bolsa brasileira segue como um investimento interessante, e com retornos relevantes, na perspectiva de longo prazo.

Veja todos os detalhes

Economia

Banco Central Europeu (BCE) volta a elevar taxa de juros após 11 anos, enquanto Banco do Japão (BoJ) não altera sua política monetária ultra-expansionista

  • As vendas de moradias existentes nos Estados Unidos contraíram pelo quinto mês consecutivo, atingindo o menor patamar em dois anos. A forte elevação das taxas de juros e dos preços de venda dos imóveis vêm pesando sobre a demanda das famílias. Conforme divulgado ontem (20) pela Associação Nacional dos Corretores de Imóveis, as vendas de moradias recuaram 5,4% entre junho de 2022 e o mesmo mês do ano passado, totalizando 5,12 milhões de unidades em termos anualizados e dessazonalizados, o nível mais baixo desde junho de 2020. Este resultado frustrou a projeção mediana do mercado, que apontava para 5,38 milhões de unidades. O preço médio dos imóveis residenciais saltou 13,4% na comparação interanual, renovando a máxima histórica (US$ 416 mil). Enquanto isso, a taxa de juros média das hipotecas de 30 anos avançou para quase 6% em junho, muito acima dos 3,3% registrados no início do ano;
  • Segundo leitura preliminar divulgada ontem pela Comissão Europeia, a confiança do consumidor da zona do euro despencou de -23,8 em junho (revisado de -23,6) para -27,0 em julho. A mediana das previsões do mercado estava em -24,9. Com isso, o indicador ficou abaixo dos patamares vistos no início da crise da Covid-19, atingindo o valor mínimo da série histórica de dados;
  • Conforme amplamente esperado, o Banco do Japão (BoJ) não alterou sua política monetária ultra-expansionista. O banco central manteve as taxas de juros de curto prazo em -0,1% e as taxas de referência de 10 anos em torno de zero. O Presidente do BoJ, Haruhiko Kuroda, descartou as chances de aperto monetário nos próximos meses. O iene já acumula depreciação de 17% frente ao dólar em 2022. Em relação às projeções macroeconômicas, a instituição espera inflação local (excluindo os itens de alimentação) de 2,3% no atual ano fiscal, que termina em março de 2023, acima da meta de 2,0% e da expectativa anterior de 1,9%. Para o ano fiscal encerrado em março de 2024, por sua vez, o BoJ estima desaceleração para 1,4%. Enquanto isso, houve revisão baixista na previsão para o crescimento do PIB do Japão no ano fiscal corrente, de 2,9% para 2,4%. A expectativa de expansão da atividade econômica no ano fiscal seguinte ficou em 2,0%;
  • Os agentes de mercado estarão bastante atentos, nesta manhã, ao anúncio da decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE). A autoridade aumentará a taxa de juros de referência pela primeira vez em 11 anos. A comunicação recente do BCE aponta para elevação de 0,25pp, mas há apostas de aumento de 0,5pp como resposta ao quadro de inflação historicamente alta na zona do euro. Destaque ainda para a retomada do funcionamento do gasoduto russo Nord Stream 1, após manutenção programada de 10 dias (embora com capacidade reduzida). Isto posto, muitas incertezas permanecem a respeito do fluxo de gás da Rússia para a Europa no curto prazo. Neste sentido, a União Europeia propôs, ontem, uma meta voluntária para que os países membros do bloco reduzam o consumo de gás em 15% até março de 2023. Pelo lado encorajador, há sinalização do governo russo no sentido de um acordo para restabelecimento das exportações de grãos da Ucrânia;
  • Em relação à agenda de indicadores econômicos nesta quinta-feira, destaque para algumas publicações nos Estados Unidos: (I) Índice de Atividade do Fed de Filadélfia referente a julho; (II) Indicadores Antecedentes relativos a junho; e (III) Pedidos iniciais de seguro-desemprego na última semana. No Brasil, a Receita Federal divulgará os resultados da arrecadação tributária federal no mês passado.

Empresas

Brasil TMT: Prévia de resultados do 2T22

  • O segundo trimestre de 2022 foi desafiador para a maioria das empresas sob nossa cobertura, principalmente devido à deterioração do cenário macro no Brasil. Em Tech, esperamos resultados predominantemente neutros, enquanto no setor de telecomunicações temos uma visão mista para os resultados do 2T22. Por um lado, as ISPs estão enfrentando um cenário desafiador em relação a adições líquidas orgânicas na base de clientes, já em relação as Grandes Telcos (TIM e Vivo), estas devem ser os destaques positivos do trimestre;
  • Tecnologia: Esperamos que as empresas brasileiras de tecnologia sob nossa cobertura (LWSA3, TOTS3, BMOB3, G2D, INTBL3, ALLD3 e POSI3) apresentem resultados neutros em meio a um cenário macro desafiador no segundo trimestre. Acreditamos que os melhores desempenhos neste trimestre, principalmente em termos de dinâmica de crescimento de receita, serão TOTVS e Intelbras. O primeiro sendo impactado positivamente pela dinâmica favorável de expansão das vendas em ERP/Gestão e sua capacidade de repasse de inflação em seus contratos. A Intelbras deverá manter seu ritmo de crescimento impulsionado principalmente pelos segmentos de energia solar e segurança. Esse será o primeiro trimestre consolidando dois meses de Renovigi;
  • Telecom: Dentro do setor de telecomunicações, temos uma visão positiva para as big telcos, TIM e Vivo deverão reportar resultados sólidos refletindo um cenário competitivo mais racional com a consolidação de mercado após a compra da Oi móvel. Ambas as companhias estão conseguindo fazer aumentos de preço sem muito churn. Sobre as ISPs da nossa cobertura (BRIT3, FIQE3 e DESK3), destacamos um ambiente macroeconômico desafiador, além de uma concorrência mais acirrada, o que tem impactado negativamente o ritmo de adições orgânicas líquidas;
  • Clique aqui para conferir o conteúdo completo.

Bens de Capital – Acompanhamento Mensal do Setor Automotivo

  • No Acompanhamento Mensal do Setor Automotivo de junho, destacamos:
    • Vendas de veículos leves ainda em níveis baixos no Brasil (resultando em revisões para baixo para 2022E), U.E. e EUA (-22-28% vs. Jun’19), com a China em níveis fortes após o relaxamento das restrições de confinamento no mês passado;
    • As vendas de reboques permaneceram abaixo dos números de 2021, com desempenho de 6,9 ​​mil unidades vendidas em jun’22 -14% A/A (escassez de componentes impedindo maiores volumes de vendas de caminhões nos últimos meses); e
    • Sólido desempenho de receita da Randon e da Fras-le em jun’22 (+37% A/A e +52% A/A, respectivamente), embora vejamos a rentabilidade como um risco para a Randon no 2T22 (link para o nosso relatório de Prévia do 2T’22 de Bens de Capital).
  • Reiteramos a Iochpe como nossa principal escolha, apoiada por um valuation atrativo e perspectivas positivas de médio prazo, à medida que os veículos leves se recuperam progressivamente;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Klabin (KLBN11): Projeto Figueira

  • Ontem (20), a Klabin anunciou a aprovação da construção de uma nova fábrica de papelão ondulado. A unidade deve fornecer 240 mil toneladas de papelão ondulado e custar R$ 1,57 bilhão de capex;
  • Destacamos dois tópicos: (i) as discussões realizadas durante a reunião do conselho levantaram algumas preocupações sobre alocação de capital e retorno financeiro do projeto; (ii) além de maiores preços a serem pagos pelo capex do projeto (R$ 6,1 mil/ton), que deve incluir inflação de custos;
  • Esperamos reação negativa do mercado e aguardamos mais informações sobre a decisão de investimento. Mantemos nossa recomendação de Compra na ação (preço-alvo de R$31,2/ação);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Vitrine XP – O que esperar dos resultados do 2T22

  • Nós esperamos que o 2T22 seja novamente um trimestre de resultados mistos para o setor, porém com uma dinâmica semelhante ao 1T22;
  • Vemos alta renda e atacarejo como os destaques positivos enquanto as farmácias devem recuperar margens frente ao reajuste de preço anual do setor;
  • Em relação aos destaques negativos, esperamos que o e-commerce continue a apresentar desaceleração de crescimento e prejuízo mas com melhora de margem, enquanto NTCO e MLAS devem reportar resultados fracos por conta de desafios relacionados ao macro;
  • Clique aqui para o relatório completo.

WEG (WEGE3) Resultados 2T22: Forte Desempenho de Receita Ofuscado por Contração do ROIC

  • A WEG apresentou bons resultados no 2T22, em nossa visão, com EBITDA de ~R$ 1,25 bilhão +15% A/A e +4% T/T (em linha com nossas estimativas e consenso);
    • Vemos a melhora do faturamento como o principal destaque positivo, com receita líquida de ~R$ 7,2 bilhões ainda refletindo a forte perspectiva para fontes renováveis ​​no Brasil (segmento GTD doméstico permanecendo em níveis elevados), com indicações positivas do mercado externo (+ 20% A/A e +12% T/T em dólares);
    • Por outro lado, vemos a contração dos retornos como o principal fator de preocupação dos resultados (o que ajuda a explicar a performance negativa das ações após a divulgação dos resultados), com ROIC de 26,9% abaixo dos 29,7% reportados no 1T22 e 32,2% no 2T21, seguindo a contínua queda das margens desde o 2T21 (que esperamos recuperação no 4T22 -2023).
  • Reiteramos nossa recomendação de Compra na WEG;
  • Clique aqui para ler o relatório completo.

Mills (MILS3): Mills anuncia aquisição estratégica em linha amarela; positivo

  • A Mills anunciou a aquisição da Triengel, empresa do segmento de locação de máquinas (Linha Amarela) com frota de 245 ativos. Ademais, a empresa aprovou capex adicional de R$225 milhões para aquisição de máquinas nesse novo segmento de atuação;
  • Vemos a transação como positiva para Mills;
  • Bastante em linha com a estratégia de crescimento que vinham comunicando bem ao mercado. A estratégia é a de virar uma plataforma multi-produto (desconcentrando da auação em locação de plataformas de elevação), entrando em Linha Amarela via M&A pra adquirir know-how e acelerar posteriormente o crescimento também de forma orgânica. Essa dinâmica fica bem clara com o anúncio do M&A em conjunto com a aprovação de capex futuro de R$225 milhões para o segmento;
  • A empresa tem intenção de manter a alta gestão da adquirida (com experiência de 20 anos no setor) valida, em nossa opinião, a estratégia de entrada no segmento via M&A (e não de forma orgânica) uma vez que traz know-how além de sistemas de manutenção importantes pra essa nova linha de produto;
  • Vemos forte sinergia comercial com a base de clientes da Mills. Eles tem uma base de clientes que possuem número significativo de máquinas que podem passar a ser locados pela Mills no futuro;
  • Em termos de valuation, nos parece uma aquisição atrativa: 4.8x EV/EBITDA LTM, que compara, por exemplo, com 14.6x da Vamos no 1Q22.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Bancos dos EUA se preparam para maior inadimplência (Valor);
    • Fintechs atacam custo de captação para navegar alta dos juros (Estadão);
    • Indenizações de seguro rural da BB Seguros cresceram 49% no outono (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Varejo de SP recua 8% na 1ª quinzena de julho ante mesmo período pré-pandemia (Exame);
    • Varejo facilita crédito e retoma carnê para atrair consumidor de volta (Folha);
    • Os desafios de Fábio Barbosa na Natura (Brazil Journal);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Previsão de chuva nos EUA pressiona soja e milho em Chicago (Valor);
    • Sob incertezas, preços dos CBios ‘derretem’ (Valor);
    • Cervejarias miram equilibrar finanças à espera da alta e avaliam novos mercados (Guia da Cerveja);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Wilson Ferreira Jr. deixa Vibra e volta para Eletrobras em agosto (Valor Econômico);
    • Governo federal insiste em indicar nomes rejeitados ao conselho da Petrobras (Valor Econômico);
    • Preço da gasolina teria que cair à metade para ficar entre as 20 mais baratas do mundo (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Tesla surpreende em lucros mesmo com produção reduzida

  • ASML diminui previsões de crescimento de receita;
  • Aumento de custos pesa no balanço da United Airlines;
  • Tesla surpreende em lucros mesmo com produção reduzida;
  • Esforços da Europa e Estados Unidos para terem suas próprias fábricas de baterias não eliminarão dependência da China;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • FIIs: novas regras para ofertas públicas podem trazer mais liquidez ao mercado e maior transparência para os cotistas (InfoMoney);
    • FIIs de hotéis, Fiagro e outras apostas de André Bacci, que se aposentou aos 33 anos com fundos imobiliários (InfoMoney);
    • IRDM11 quer nova emissão de cotas para “turbinar” caixa; entenda os planos do fundo (Suno);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Maior parte dos fundos globais estão expostos a empresas que não cumpriram metas climáticas | Café com ESG, 21/07

  • O mercado fechou o pregão de quarta-feira em território neutro, com o Ibov e o ISE em alta de +0,0% e +0,8, respectivamente;
  • No Brasil, a Petrobras recebeu um maior grau de risco em questões relacionada a aspectos de ESG, de acordo com um relatório da agência de classificação de riscos Fitch – a agência classifica a Petrobras no nível 4 em seu “score de relevância de crédito ESG” para direitos humanos, relações comunitárias, acesso e capacidade de pagamento, devido ao possível efeito de pressões sociais em futuras políticas de preços, o que tem um impacto negativo em seu perfil de crédito e é relevante para os ratings em conjunto com outros fatores;
  • No internacional, os fundos de investimento globais e os principais índices de mercado estão amplamente expostos a empresas que não cumpriram uma metas climáticas, conforme mostra uma nova pesquisa da provedora de dados ESG Book – mais de 70% dos ativos em cerca de 35.000 fundos de investimento contribuirão para o aquecimento global acima de 1,5ºC até 2050, sem reduções significativas de emissões; e (ii) a Costa Rica vai receber mais de US$ 400 milhões em financiamento para seu plano nacional de descarbonização, de acordo com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que está contribuindo com um empréstimo de US$ 250 milhões, um financiamento fundamental para tornar o país neutro em carbono até 2050;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.