XP Expert

Bolsas em queda: alta dos juros dos títulos do Tesouro dos EUA, eleição na Argentina e resultados no radar

Temporada de resultados e eleição na Argentina são alguns dos temas de maior destaque nesta segunda-feira, 23/10/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,74% | 113.155 Pontos

CÂMBIO -0,47% | 5,03/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

O Ibovespa fechou a semana passada em baixa de 2,2% em reais e 1,6% em dólares, aos 113.155 pontos. O movimento veio em linha com as quedas nos índices globais, que tiveram mais uma semana de queda com os avanços nos juros lá fora e preocupações com o conflito no Oriente Médio. Clique aqui para acessar o resumo semanal da Bolsa.

Renda Fixa

Ao final da semana, a curva de juros encerrou em queda singela nos vértices curtos e em alta nos vencimentos médios e longos, com o cenário global sendo a principal influência nas movimentações. O diferencial entre os contratos com vencimento em janeiro 2025 e 2033 saiu de 87,5 pontos-base na sexta-feira passada para 85,5 pontos nesta semana. DI jan/24 fechou em 12,14% (-6,7bps no comparativo semanal); DI jan/25 em 11,08% (8,2bps); DI jan/27 em 11,21% (21,1bps); DI jan/33 em 11,93% (6,2bps); DI jan/37 em 11,96% (2,1bps).

Mercados globais

Nos Estados Unidos, os futuros abrem a semama em queda (S&P 500: -0,6%; Nasdaq 100: -0,8%), em resposta à abertura de taxas: os juros das treasuries de 10 anos voltaram a avançar para o patamar de 5%, enquanto os juros de 30 anos chegaram a alcançar 5,17%. Nesta semana, o mercado aguarda divulgação de resultados que representam cerca de 38% da capitalização do S&P 500, incluindo as big techs Alphabet, Amazon, Meta e Microsoft. Confira no Top 5 Temas Globais da Semana como tem sido a temporada de resultados e o calendário das próximas divulgações.

Em resposta ao aumento de juros nos EUA, os ativos de risco caem ao redor do mundo. Na Europa, os mercados operam em queda (Stoxx 600: -0,7%), liderada pelo setor de Metais e Mineração. Na China, o índice de Xangai atingiu sua mínima desde fevereiro de 2019 (CSI 300: -1,0%;).

Economia

A alta dos juros dos títulos do Tesouro dos EUA continua pressionando os preços dos ativos financeiros. Os juros dos títulos de 10 anos alcançaram 5,0%, elevando os custos dos empréstimos em todo o mundo e testando a valoração das ações.

O Banco Central Europeu e o Banco do Canadá realizam reuniões de política monetária esta semana e, embora não sejam esperados aumentos, os investidores estarão sensíveis às sinalizações sobre movimentos futuros. No Brasil, o índice de preços ao consumidor de meio de mês IPCA-15 será publicado na quinta-feira. Esperamos outro número benigno, mas não o suficiente para convencer o Banco Central a acelerar o ritmo de cortes de juros.

Veja todos os detalhes

Economia

Os juros dos títulos de 10 anos do Tesouro dos EUA atingem 5,0%

  • A alta dos juros dos títulos do Tesouro dos EUA continua pressionando os preços dos ativos financeiros. Os juros dos títulos de 10 anos alcançaram 5,0%, elevando os custos dos empréstimos em todo o mundo e testando a valoração das ações. O conflito Israel-Hamas acrescenta incerteza ao cenário;
    No calendário econômico dos EUA, os destaques desta semana são a primeira leitura do PIB do terceiro trimestre na quinta-feira, e os números das Despesas de Consumo Pessoal (PCE, na sigla em inglês) de setembro, na sexta-feira. O mercado prestará atenção ao deflator PCE, um importante indicador de inflação;
    O Banco Central Europeu e o Banco do Canadá realizam reuniões de política monetária esta semana e, embora não sejam esperados aumentos, os investidores estarão sensíveis às sinalizações sobre movimentos futuros;
    Os preços do petróleo recuaram um pouco na ausência de risco iminente de interrupção do abastecimento proveniente do Médio Oriente. O petróleo Brent cai esta manhã 1%, para US$ 91,28 o barril, enquanto o petróleo do tipo brent recua 1,2%, para US$ 87,04;
    O ministro da economia da Argentina, Sergio Massa, superou as expectativas ao obter mais de 36% dos votos nas eleições presidenciais de domingo, colocando-o no segundo turno com o candidato de direita Javier Milei, que alcançou 30%;
    No Brasil, o índice de preços ao consumidor de meio de mês IPCA-15 será publicado na quinta-feira. Esperamos outro número benigno, mas não o suficiente para convencer o Banco Central a acelerar o ritmo de cortes de juros, considerando os efeitos dos riscos globais sobre a taxa de câmbio.

Empresas

Bens de Capital: Prévia dos resultados do 3T23 | Tupy e Marcopolo são os destaques do trimestre

  • Prevemos um 3T23 misto para as empresas de Bens de Capital;
  • Do lado positivo, esperamos:
    • (i) que a Tupy seja o destaque, com melhores receitas e potenciais sinergias levando a uma melhor rentabilidade após resultados fracos nos últimos trimestres; com
    • (ii) Marcopolo e Kepler Weber apresentando melhora após um 2T23 pressionado; e
    • (iii) a Frasle mantendo os resultados fortes (embora em desaceleração).
  • Olhando para a WEG, vemos uma perspectiva mista,  com a demanda constante levando a um crescimento contínuo de receita (embora desacelerando), com as margens potencialmente contraindo, levando a discussões sobre rentabilidade no futuro;
  • Por fim, esperamos que a Iochpe-Maxion seja o destaque do lado negativo, principalmente devido à piora dos níveis de rentabilidade no 3T23;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Mercado de Capitais: O que esperar da temporada de resultados do 3T23?

  • Esperamos um terceiro trimestre misto para B3 e BTG;
  • Apesar da atividade mais aquecida do que o esperado no final do segundo trimestre, durante o terceiro trimestre as atividades dos mercado de capitais esfriaram novamente;
  • Como resultado, vemos menos negócios de Renda Variável (ECM) e volumes de negociação mais fracos. Já o segmento de Emissão de Dívidas (DCM), no entanto, apresentou uma dinâmica mais forte após um 1S23 lento devido aos eventos adversos de crédito que ocorreram no início deste ano;
  • Antecipamos um trimestre pouco inspirador para a B3;
  • Em relação ao BTG, este deve ser outro trimestre forte, liderado por comissões mais fortes em negócios de DCM e outro resultado sólido em Sales & Trading;
  • No geral, não esperamos que os resultados do terceiro trimestre sejam um catalisador para os papéis destas empresas;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Lojas Renner (LREN3): Feedback da visita ao novo Centro de Distribuição

  • Na última sexta-feira, a Renner organizou uma visita e reunião com seus executivos no seu novo centro de distribuição (CD), localizado em Cabreúva.
  • A principal mensagem que tiramos da visita foi que o centro de distribuição pode ser transformacional para a empresa, com potencial de destravar diversas alavancas em diferentes áreas (logística, sortimento em loja, escala do e-commerce, etc.), que juntas podem melhorar a rentabilidade consolidada em até 2p.p. Além disso, a migração para o CD está evoluindo como o previsto, apesar das margens de curto prazo permanecerem pressionadas por conta de custos em duplicidade.
  • Mantemos nossa recomendação de compra e preço-alvo de R$19. Clique aqui para o relatório completo.

TMT Brasil: Prévia de resultados do 3T23

  • Neste relatório trazemos nossas estimativas para os resultados do 3T23 na cobertura de TMT: TIMS3, VIVT3, DESK3, FIQE3, BRIT3, ELMD3, POSI3, TOTS3, LWSA3, BMOB3, INTB3, ALLD3 e ZENV. Para os ISPs no setor de telecomunicações, destacamos os desafios apresentados por um ambiente macroeconômico desafiador e uma concorrência acirrada, levando a dificuldades em repassar aumentos de preços aos consumidores;
  • O destaque positivo vai para o crescimento da receita da Desktop, enquanto a Unifique decepciona mais uma vez. Em relação às principais empresas de telecomunicações (Vivo e TIM), esperamos que as estratégias da Vivo nos segmentos pós-pagos e fixos e as iniciativas de crescimento da receita da TIM entreguem resultados fortes;
  • No setor de tecnologia, esperamos que a TOTVS seja o destaque positivo devido à sua geração de caixa e resiliência nos linhas de negócios, mas com Techfin enfrentando incertezas macroeconômicas do cenário vigente. A Intelbras deve ser o destaque negativo do trimestre;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Sala de Espera XP (Parte 1): Prévia de resultados do 3T23

  • Até o momento, esperamos que as empresas de saúde apresentem resultados mistos no 3T23;
  • Além da indústria farmacêutica, vemos o setor mostrando sinais mais claros de recuperação. Destacamos:
    • Aumentos de preços das operadoras e alguns resultados das iniciativas de redução de sinistralidade, com destaque para a Hapvida;
    • Os laboratórios podem se beneficiar de uma sazonalidade positiva;
    • A Hypera pode não entregar seu guidance de receita para 2023E, mas ainda deverá estar em linha para entregar o guidance de EBITDA e Lucro Líquido;
    • A Blau ainda deverá ser impactada por uma dinâmica difícil do mercado de imunoglobulina, parcialmente compensada pela aquisição da Bergamo e pelo ramp-up da P210; e
    • A Viveo deverá manter seu ritmo de crescimento principalmente sustentado pelas verticais de Hospitais, Vacinas e Varejo.
  • Dentre as empresas abordadas neste relatório, a Hapvida é a nossa candidata a ser o destaque positivo nesta temporada de resultados;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Boa Safra (SOJA3) – Prévia do 3T23: Trimestre forte em crescimento de receita e EBITDA.

  • Projetamos um trimestre forte para a Boa Safra, não apenas considerando seus resultados financeiros, mas especialmente levando em conta o momento difícil para os fornecedores de insumos agrícolas;
  • O nível de comercialização da safra está abaixo da média histórica, e os produtores estão adiando sua tomada de decisão em relação aos insumos o máximo que podem, empurrando a sazonalidade para a maioria das empresas de insumos agrícolas para o 4T;
  • No entanto, estimamos crescimento de receita e EBITDA impulsionado por maiores volumes e preços (maior adoção de tecnologia e TSI), abordando as preocupações dos investidores em relação a uma possível queda nos preços das sementes como resultado da queda nos preços da soja;
  • O negócio de sementes vem mostrando consistência e resiliência, e reforçamos nossa visão positiva sobre a tese de investimento;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

BrasilAgro (AGRO3) – Prévia do 1T24: fraco, ainda refletindo margens de safras passadas.

  • Estamos projetando que a BrasilAgro reporte resultados fracos no 1T24, refletindo margens baixas da safra velha de soja, embora melhores preços do açúcar já devam beneficiar a safra de cana-de-açúcar.;
  • No geral, estamos projetando receita líquida de R$ 267 milhões (-13% em relação ao ano anterior) e EBITDA ajustado de R$ 24 milhões (-78% em relação ao ano anterior), representando uma margem fraca de 8,9%. Olhando para frente, esperamos que as margens se recuperem (base fácil de comparação) e melhores margens de cana-de-açúcar e soja. No entanto, permanecemos Neutros, pois mantemos nossa visão baixista para os preços das commodities;
  • Além disso, vemos riscos subjacentes aos resultados da empresa considerando a próxima safra, notadamente o risco do El Niño (especialmente no estado da Bahia) e margens ruins na safra de milho;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Vittia (VITT3): 3T23 Prévia de Resultados – Recuperação pós momentum complicado.

  • Estamos projetando que a Vittia reporte um trimestre fraco em comparações difíceis, pois o atraso na comercialização da safra deve trazer uma mudança na sazonalidade financeira da empresa, em nossa visão;
  • O principal destaque deve ser o crescimento em micronutrientes do solo (pois as vendas ainda devem se concentrar em produtos da fase de pré-plantio), enquanto esperamos que o ponto mais baixo seja a frustração no crescimento dos biológicos, que projetamos estável em relação ao ano anterior;
  • De acordo com nossas verificações de canal, a demanda por biológicos permanece sólida e esperamos uma recuperação nas vendas no 4T. Portanto, reiteramos nossa visão positiva no caso de investimento. No entanto, o 3T representa uma desvantagem em nossa opinião, pois uma possível nova desaceleração no ritmo de crescimento da Vittia poderia frustrar os investidores;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Bancos devem lucrar mais no 3º trimestre (Valor);
    • Em trégua, Febraban e Abrasel se reúnem para discutir rotativo do cartão (Valor);
    • Em 10 dias, Desenrola soma mais de R$ 1 bi de descontos nas dívidas renegociadas (O Globo);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Ligga vai expandir no Paraná utilizando rede da V.tal (telesintese);
    • “O 5G começará a entrar no Brasil profundo no próximo ano”, afirma Márcio Carvalho, CMO da Claro (telesintese);
    • Pouco espectro pressiona custo das redes na América Latina (telesintese);
    • FT: OpenAI, criadora do ChatGPT, busca avaliação de US$ 86 bilhões (Valor);
    • Clique Aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Black Friday terá disputa de Shein, Shopee e AliExpress contra Magalu, Riachuelo e Renner (Valor);
    • Alívio no bolso: famílias têm mais R$ 176 bi para gastar este ano em consumo extra (O Globo);
    • Receita usou alíquota de 28% em Remessa Conforme para estimar arrecadação de 2024 (Jota Info);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Bebidas
      • Festas de fim de ano: Planejamento reduz custos e alavanca vendas das cervejarias (Guia Da Cerveja);
    • Alimentos
      • Ten key take-homes from Anuga – the world’s largest red meat trade show (Beef Central);
      • Setor de pescado critica abertura do Brasil para tilápia do Vietnã (Globo Rural);
    • Agro
      • The US Is Losing the Race With Brazil for Soybean Dominance (Bloomberg);
      • Ritmo de plantio de soja supera média dos cinco anos em MT (Globo Rural);
    • Biocombustíveis
      • Mubadala raises stake in Brazilian ethanol producer Atvos (Reuters);
      • Petrobras não fará concorrência predatória com produtores de biodiesel, diz Prates (epbr);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Saúde: XP Daily | Sua Dose Diária de Notícias
    • Hypera (HYPE3) Divulga Resultados Nessa Quinta-feira, Dia 26/10;
    • Senadores Dizem que Texto da PEC do Plasma Não é o que foi Votado (Metrópoles);
    • Agenda política: Projeto das Offshores Está na Pauta de Votação da Câmara (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • Afinal, por que a Petrobras só aumentou o preço do diesel? Entenda (Valor Econômico);
    • Petrobras e PetroReconcavo garantem mais tempo de produção (Valor Econômico);
    • Como a guerra entre Israel e Hamas impacta o mercado de petróleo e quais os possíveis cenários  (EPBR);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Presidente do Fed de Cleveland defende nova alta de juros (Valor);
  • Cenário é de ‘ceticismo’ para atividade no 4º tri, aponta Boletim Macro (Valor);
  • Fitch Afirma Ratings da Açucareira Quatá S.A. em ‘A(bra)’; Perspectiva Estável (Fitch);
  • Moody’s Local atribui AAA.br à NU Financeira S.A.; perspectiva estável (Moody’s Local);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • FII de escritório descola do segmento e acumula valorização de 45% em 2023 (InfoMoney);
    • Fiagro VGIA11 encerra setembro com investimento de R$ 777,5 milhões em ativos (FIIs);
    • Fundo imobiliário vende ativo na Faria Lima por uma bolada; HCTR11 dispara com alívio após renegociação de CRIs (Money Times);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Brasil se aproxima de marco legal do hidrogênio de baixo carbono  | Café com ESG, 23/10

  • O mercado fechou a semana passada em território negativo, com o IBOV e ISE registrando queda de -2,2%, e -3,4%, respectivamente. Em linha com o movimento da semana, o pregão de sexta-feira também fechou em queda, com o IBOV recuando -0,74% e o ISE -0,31%;
  • Do lado das empresas, o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, divulgou que uma equipe de funcionários da petroleira encerrou ontem uma visita à Bolívia, em que foram discutidas questões sobre o suprimento de gás natural para o Brasil e novos investimentos em exploração e produção de petróleo e gás no país vizinho – Prates acrescentou que os técnicos da Petrobras reuniram-se ainda com integrantes do Ministério de Hidrocarbonetos e Energias, para conversas sobre energia renovável, fertilizantes e lítio;
  • Na política, (i) grupos na Câmara dos Deputados e no Senado pretendem votar nesta semana propostas para criar um marco legal do hidrogênio de baixo carbono no Brasil – embora a intenção seja levar esses textos para plenário o mais rápido possível, essa velocidade depende de negociações com o governo, que ainda elabora seu projeto internamente; e (ii) a bancada ruralista na Câmara está aberta a renegociar a exclusão do agronegócio do mercado de créditos de carbono – o presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, Pedro Lupion, reconheceu que sua equipe tem escutado especialistas para chegar a uma métrica justa para a participação do agronegócio no mercado de créditos, sem que o setor “pague a conta sozinho”;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.

Saneamento em destaque nas emissões verdes; Brasil sai na frente na divulgação ESG; Acordo Mercosul-UE| Brunch com ESG

  • Pensando em melhor auxiliar os investidores, o Brunch com ESG é um relatório publicado todos os domingos pelo time ESG do Research da XP que busca destacar os principais tópicos da agenda na semana;
  • Na última semana, destacamos: (i) Setor de saneamento no Brasil levanta capital para soluções climáticas; (ii) CVM assume a liderança na divulgação de sustentabilidade; Empresas têm um prazo de 2 anos para se adaptar; e (iii) Acordo Mercosul-União Europeia avança; Fundo de €12 bilhões em pauta;
  • Clique aqui para ler o conteúdo completo.  

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.