XP Expert

Atenções voltadas para as novas taxas de juros no Brasil e nos EUA              

Ajustes nas taxas de juros no Brasil e EUA e onda de Covid-19 na China são alguns dos temas de maior destaque nesta quarta-feira, 16/03/2022

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,8% | 108.959 Pontos

CÂMBIO +0,8% | 5,16/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

Na agenda de hoje, grande destaque para a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos) e para decisão do COPOM no Brasil. Os agentes de mercado estarão bastante atentos às expectativas dos membros do Fed sobre a trajetória de aperto monetário nos Estados Unidos. Além disso, a agenda traz a divulgação de vários indicadores (sobretudo de atividade) da economia americana: nível de estoques empresariais; vendas no varejo; preços de importação/exportação; resultados do setor de habitação.

Brasil

Com um movimento fortemente impactado pela queda no preço das commodities, a Bolsa brasileira descolou do mercado internacional nesta terça feira (14), encerrando o pregão aos 180.959 pontos com uma baixa de 0,88%. Enquanto isso, o dólar voltou a se valorizar perante o real, fechando com uma alta de 0,76% aos R$ 5,15. Os juros futuros recuaram em movimento de baixa nos preços das commodities, principalmente do petróleo. A pressão para novos repasses da Petrobras para os combustíveis diminuiu, podendo dar alívio nas expectativas de inflação e de manobras fiscais. A probabilidade de elevação em 1% na taxa Selic na decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de amanhã continua sendo o consenso e a expectativa para a próxima reunião reduziu na curva. DI jan/23 fechou em 13,085%; DI jan/24 foi para 12,935%; DI jan/25 encerrou em 12,43%; e DI jan/29 fechou em 12,34%.

Mundo

Bolsas internacionais amanhecem positivas (EUA +1,1% e Europa +2,1%) enquanto investidores aguardam a decisão do Federal Reserve sobre a taxa de juros americana. O mercado precifica um aumento de 0,25% nesta quarta-feira e 7 novos aumentos ao longo do ano. Na China, o índice de Hang Seng (+9,1%) encerra em sua maior alta desde outubro de 2008 após o governo afirmar que dará suporte a estabilidade dos ativos financeiros no país e estimulará o crescimento econômico futuro. Reguladores chineses também reportaram negociações em tom positivo com órgãos reguladores americanos em relação às ações de empresas chinesas listadas nos EUA. Por fim, o petróleo (-0,8%) segue negociando abaixo dos US$ 100/barril com uma possível queda na demanda global pela commodity devido ao avanço dos casos da Covid-19 na China.

Taxa de Juros EUA

Os agentes de mercado estarão bastante atentos às expectativas dos membros do Fed sobre a trajetória de aperto monetário nos Estados Unidos. O último “gráfico de pontos” (reúne as projeções dos dirigentes da instituição sobre os juros locais), publicado em dezembro, mostrava 3 altas tanto em 2022 quanto 2023, seguidas por 2 altas em 2024 (logo, a taxa de referência para o patamar de 2%). Embora a taxa de juros terminal não deva sofrer mudanças substanciais, a expectativa mediana do mercado para o “gráfico de pontos” a ser divulgado hoje consiste em 5 elevações de juros em 2022 (muitos agentes acreditam em 6) e 4 elevações em 2023, ou seja, aceleração do processo de aperto monetário na economia americana. Enquanto isso, a taxa de juros de longo prazo deve permanecer em 2,5%, segundo grande parte dos analistas.

COPOM

O time econômico da XP e grande parte do mercado esperam que o COPOM (Comitê de Política Monetária do Banco Central) eleve a taxa Selic em 1 p.p., de 10,75% para 11,75%. Há grande expectativa em torno da discussão do comitê a respeito dos próximos passos do aperto de juros, especialmente sobre eventual sinalização do ritmo de alta no próximo encontro, a ser realizado em maio, ou opção por maior cautela (“portas abertas”) diante do aumento das incertezas no cenário global recentemente. Ademais, o IBGE publicará nesta manhã os resultados da PMS (Pesquisa Mensal de Serviços) de janeiro. A projeção do time econômico da XP e a mediana do mercado indicam avanço de 0,3% do faturamento real do setor de serviços em comparação a dezembro.

Rússia e Ucrânia

As negociações seguem sem grandes resoluções, enquanto os líderes encaminham-se para novas conversas nesta quarta-feira. Segundo Sergei Lavrov, diplomata russo, há esperanças sobre um possível acordo entre os países, mas o progresso das negociações segue complicado.

Antecipação 13° aposentados e pensionistas INSS

Por fim, o governo federal deve antecipar o pagamento do 13º salário de aposentados e pensionistas do INSS. A medida faz parte de um pacote que também inclui uma linha de microcrédito digital de R$ 3 bilhões e a liberação de saques do FGTS de até R$ 1 mil, que pode atingir 40 milhões de pessoas e liberar até R$ 30 bilhões na economia.  Ademais, o IBGE publicará nesta manhã os resultados da PMS (Pesquisa Mensal de Serviços) de janeiro. A mediana das projeções indica modesto crescimento de 0,3% ante dezembro. 

Veja todos os detalhes

Agenda de resultados

Alliar (AALR3): Após o fechamento
Bemobi ( BMOB3) Após o fechamento

Calendário do 4T21

Temporada de resultados do 4º trimestre 2021 – o que esperar?

Economia

Decisão de política monetária nos Estados Unidos e no Brasil no centro das atenções

  • Conforme publicado ontem (15) pelo Departamento de Trabalho, o PPI (Índice de Preços ao Produtor) dos Estados Unidos mostrou aumento de 10% nos últimos 12 meses, a taxa anual mais elevada desde 2010 (início da série histórica). O índice avançou 0,8% entre janeiro e fevereiro, um pouco abaixo da alta de 1% observada na leitura anterior e em linha com o consenso de mercado. Por sua vez, a medida de núcleo do PPI – exclui itens como alimentos e energia – subiu 6,6% em 12 meses, ante inflação acumulada de 6,9% até janeiro e abaixo da expectativa do mercado de 7,3%. As próximas divulgações mensais devem mostrar pressão adicional sobre os preços ao produtor, tendo em vista o impacto da guerra na Ucrânia sobre as cotações de commodities e novas restrições à mobilidade na China como resposta à ampliação de casos de Covid-19. Enquanto isso, a sondagem industrial Empire State do Fed de Nova York recuou de 3,1 em fevereiro para -11,8 em março, o patamar mais baixo desde maio de 2020. O resultado ficou muito aquém da estimativa mediana do mercado, de 7,0. Em relação aos dados desagregados, o componente de novos pedidos despencou 12,6 pontos (chegando a -11,2 em março), enquanto o componente de embarques piorou de 2,9 para -7,4 no período. Além disso, o subíndice de tempo de entrega ascendeu de 31,6 para 32,7 no mesmo período. Em linhas gerais, prazos de entrega mais longos, prolongamento dos gargalos nas cadeias de suprimentos e forte elevação dos custos de produção apontam para enfraquecimento da atividade manufatureira dos Estados Unidos nos próximos meses;
  • Na agenda econômica internacional de hoje, grande destaque para a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos). Além disso, haverá divulgação de vários indicadores (sobretudo de atividade) da economia americana: nível de estoques empresariais em janeiro; vendas no varejo em fevereiro; preços de importação/exportação em fevereiro; e índice do setor de habitação – NAHB – de março. Em relação à decisão do Comitê Federal de Mercado Aberto do Fed (FOMC, na sigla em inglês), o Presidente Jerome Powell sinalizou de forma bastante clara, durante seu último pronunciamento oficial, sobre a elevação do juro básico americano em 0,25 p.p. na reunião de março (o primeiro movimento de alta desde 2018). Além da decisão per se, os agentes de mercado estarão bastante atentos às expectativas dos membros do Fed sobre a trajetória de aperto monetário nos Estados Unidos. O último “gráfico de pontos” (reúne as projeções dos dirigentes da instituição sobre os juros locais), publicado em dezembro, mostrava 3 altas tanto em 2022 quanto 2023, seguidas por 2 altas em 2024 (logo, a taxa de referência para o patamar de 2%). Embora a taxa de juros terminal não deva sofrer mudanças substanciais, a expectativa mediana do mercado para o “gráfico de pontos” a ser divulgado hoje consiste em 5 elevações de juros em 2022 (muitos agentes acreditam em 6) e 4 elevações em 2023, ou seja, aceleração do processo de aperto monetário na economia americana. Enquanto isso, a taxa de juros de longo prazo deve permanecer em 2,5%, segundo grande parte dos analistas;
  • No Brasil, destaque também para a decisão de política monetária. O time econômico da XP e grande parte do mercado esperam que o COPOM (Comitê de Política Monetária do Banco Central) eleve a taxa Selic em 1 p.p., de 10,75% para 11,75%. Há grande expectativa em torno da discussão do comitê a respeito dos próximos passos do aperto de juros, especialmente sobre eventual sinalização do ritmo de alta no próximo encontro, a ser realizado em maio, ou opção por maior cautela (“portas abertas”) diante do aumento das incertezas no cenário global recentemente. Ademais, o IBGE publicará nesta manhã os resultados da PMS (Pesquisa Mensal de Serviços) de janeiro. A projeção do time econômico da XP e a mediana do mercado indicam avanço de 0,3% do faturamento real do setor de serviços em comparação a dezembro. Por fim, o governo federal deve antecipar o pagamento do 13º salário de aposentados e pensionistas do INSS. A medida faz parte de um pacote que também inclui uma linha de microcrédito digital de R$ 3 bilhões e a liberação de saques do FGTS de até R$ 1 mil, que pode atingir 40 milhões de pessoas e liberar até R$ 30 bilhões na economia.   

Política

As negociações entre a Rússia e Ucrânia devem retomar nesta quarta-feira, em meio a intensificação do bombardeio de Kiev

  • Segundo negociador e assessor da presidência da Ucrânia Mykhailo Podoliak as negociações com a Rússia existem diferenças “fundamentais” entre os dois lados, o que dificulta um acordo imediato. No entanto, o presidente Volodymyr Zelensky observou que as demandas russas teriam se tornado mais “realistas”;
  • Vale notar ainda que Zelensky reconheceu nesta terça-feira que o país não poderá aderir à Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), algo que na prática já parecia haver sido descartado, mas não no discurso ou papel. A questão permanece uma das principais demandas russas;
  • Apesar da clara política de não envolvimento, a Ucrânia continua recebendo sinais de apoio de países membros da OTAN. Por exemplo, nesta terça-feira, os primeiros-ministros da Polônia, Mateusz Morawiecki, da República Tcheca, Petr Fiala, e da Eslovênia, Janez Jansa, visitaram Kiev e se reuniram com Zelensky em mostra de apoio ao país;
  • Joe Biden deve viajar a Bruxelas no dia 24 de março para se discutir sanções contra Rússia, medidas de apoio a Ucrânia e a situação na Polônia com líderes da União Europeia e OTAN.

Empresas

CBA (CBAV3): Resultados do 4T21 – Altos Preços de Alumínio dando o Tom do Trimestre, O Melhor Ainda por Vir

  • A CBA apresentou bons resultados, conforme o esperado. A CBA reportou um EBITDA Ajustado de R$ 501 milhões, 6% acima do nosso número e 10% acima do consenso. Porém, se excluirmos a repactuação do GSF (R$ 144 milhões) e os efeitos de hedge (-R$ 286 milhões) chegamos a um EBITDA recorrente de R$ 643 milhões, um crescimento de 19% contra o trimestre anterior e 119% na comparação anual (A/A);
  • O bom resultado foi uma combinação de melhores preços de alumínio, menor custo de energia (devido à melhor hidrologia no trimestre) e despesas administrativas abaixo do esperado (R$ 125 milhões vs R$ 168 milhões XPe);
  • O fluxo de caixa livre foi de R$ 389 milhões (yield anualizado de 13,5%), auxiliado por R$ 180 milhões de capital de giro (puxado pela utilização de créditos fiscais);
  • O volume de alumínio primário + reciclado permaneceu estável no trimestre, deixando o crescimento de receita de 5% no trimestre devido aos preços mais altos do alumínio, mas em linha com nossas expectativas;
  • A Dívida Líquida atingiu R$ 1,7 bilhão (de R$ 2,3 bilhões no terceiro trimestre de 2021), enquanto a alavancagem caiu para 1,1x Dívida líquida/EBITDA vs 1,9x no 3T21;
  • Vemos esses resultados como marginalmente positivos para a CBA. Ressaltamos que os resultados devem melhorar bastante nos próximos trimestres, dada a eliminação gradual da política de hedge (que reduziu o EBITDA ao longo de todo 2021) e a melhora da hidrologia no Brasil, associada aos altos preços que o alumínio vêm apresentando. Mantemos nossa recomendação de compra em CBA;
  • Acesse o relatório completo aqui.

Rumo (RAIL3): Tracker Mensal de Ferrovia – Dados de Volume de Fevereiro

  • A Rumo registrou volumes positivos em fevereiro (+22% A/A), principalmente apoiados por (i) fortes volumes transportados de soja (~3,8 bilhões de TKUs vs. 2,9 bilhões em Fev’21), refletindo também um (ii) ramp-up positivo de Malha Central (~0,8 bilhão de TKUs vs. ~0,3 bilhão em Jan’22);
  • Embora os preços possam não ter compensado totalmente os preços mais altos do diesel (conforme detalhado em nosso relatório recente), vemos os dados de fevereiro como uma indicação positiva do posicionamento da Rumo em meio às exportações de Mato Grosso ao longo de 2022;
  • Em uma base UDM, a Rumo continuou ganhando participação ( 43% em fev’22 UDM, vs. 42% em 2021 e 40% em 2020), enquanto o Arco Norte (incluindo a Hidrovias) manteve seus 31% (vs. ~34% em 2020);
  • Reiteramos nossa perspectiva positiva para as exportações de grãos do Centro-Oeste do Brasil e as recomendações de Compra para RAIL3 e HBSA3;
  • Cliquei aqui para acessar conteúdo completo.

Iguatemi (IGTI11) – Resultado 4T21: Forte resultado impulsionado por receita de aluguel e inadimplência líquida sob controle

  • A Iguatemi apresentou resultados acima do esperado no 4T21, impulsionados pelo crescimento do SSR (+27,8% vs. 4T19), levando a uma receita com aluguéis de R$ 212 milhões (+30,1% vs. 4T19), impulsionada principalmente pelo efeito do reajuste do IGP-M e redução dos descontos para lojistas. Além disso, a inadimplência líquida manteve níveis saudáveis atingindo 1,4% (vs. 9,3% no 4T20). A Iguatemi também destacou janeiro e fevereiro de 2022, com vendas aumentando 6% e 15% em relação a jan e fev de 2019, respectivamente, impulsionadas por restaurantes e entretenimento, apesar das preocupações com a Omicron. Assim, reiteramos nosso rating de compra e TP de R$28,0/ação;
  • A receita líquida foi de R$ 315 milhões, bem acima das nossas estimativas (+28% vs. nossa projeção). O Ebitda também ficou acima de nossas estimativas (+16% vs. nossa projeção). Além disso, o FFO ficou praticamente em linha com nossas estimativas atingindo R$ 123 milhões (-4% vs. nossa projeção), explicado por despesas financeiras acima do esperado. Em relação ao balanço, a Iguatemi apresentou menor alavancagem financeira (dívida líquida/EBITDA) atingindo 2,57x no 4T21 vs. 2,82x no 3T21;
  • No 4T21 a Iguatemi passou a reportar dados financeiros do I-Retail e Iguatemi 365 com recorde de vendas. A receita líquida foi sólida, atingindo R$ 33 milhões (+115,2% A/A), impulsionada pela expansão geográfica da Iguatemi 365 e o portfólio mais forte, com 407 marcas ativas (83% A/A) e 22,4 mil SKUs (+38% A/A). Custos e despesas atingiram R$ 42 milhões (+99 A/A), levando a um EBITDA negativo de -R$ 8 milhões (+37,5% A/A);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Trisul (TRIS3) – Resultados 4T21: Fraco em todas as frentes

  • Trisul apresentou resultados fracos no 4T21, prejudicados por uma receita líquida abaixo do esperado de R$ 171 milhões (-10% T/T e -32% A/A) vs. nossa projeção de R$ 301 milhões. Além disso, a margem bruta ajustada atingiu 34,1% (-5,5 p.p T/T e -2,8 p.p. vs. XPe). Como consequência, o lucro líquido atingiu R$ 17 milhões (-49% T/T e -70% A/A) vs. nossas estimativas de R$ 56 milhões, e a margem líquida ficou em 9,9% (-7,5 p.p. T/T e -12 p.p. A/A);
  • Apesar das despesas comerciais, gerais e administrativas estáveis ​​em relação ao 3T21, o EBITDA ajustado foi de R$ 29 milhões (-35% T/T e -57% A/A). Em relação ao balanço, a empresa apresentou queima de caixa de R$ 6,7 milhões, levando a um aumento da dívida líquida/patrimônio líquido para 20% vs. 16% no 3T21.
  • Assim, podemos ver uma reação negativa dos papéis;
  • Clique aqui para ler o relatório completo.

Multilaser (MLAS3): Parceria com DJI

  • Ontem, a Multilaser informou que celebrou uma parceria com a DJI, empresa referência no mercado global de drones e estabilizadores, para a comercialização e distribuição dos produtos no Brasil;
  • A Multilaser atuará com a distribuição exclusiva dos produtos do segmento de varejo, que conta com drones de pequeno porte, câmeras de ação e estabilizadores de smartphones para foto e filmagem. A previsão é que os primeiros produtos para distribuição cheguem no 2T22;
  • Enxergamos o anúncio como positivo, por trazer uma alavanca para a diversificação do portfólio da Multilaser, e reforça o posicionamento da companhia como uma alternativa para empresas globais acessarem o mercado brasileiro. Mantemos nossa recomendação de Compra e preço-alvo de R$11,0.

Yduqs (YDUQ3): Resultados do 4T21 – Esperando um 2022 melhor

  • A Yduqs reportou resultados no 4T21, com lucro líquido ajustado de R$ 2M (96% abaixo da nossa estimativa);
    • A receita aumentou 9% A/A devido a (i) maturação das vagas de medicina, (ii) redução dos descontos obrigatórios e (iii) maturação dos polos de educação digital;
    • Embora a empresa tenha conseguido manter os custos e despesas sob controle, o EBITDA ajustado caiu 3,5% A/A, mesmo considerando que o 4T21 foi muito menos impactado pela pandemia em relação ao 4T20;
    • Despesas financeiras líquidas totalizaram R$150M (vs. R$ 106M no 4T20) devido ao aumento do endividamento e taxa de juros.
  • Apesar de considerar os resultados um pouco negativos, mantemos uma visão construtiva sobre a empresa, com expectativa positiva para a captação do 1S22;
  • Acesse o relatório completo aqui.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Clientes da NuInvest, do Nubank, relatam sumiço de dinheiro; banco diz que problema foi resolvido (Valor);
    • Porto inaugura oferta de ‘combos’ no setor (Valor);
    • Mercado Pago aumenta capital de sua financeira em R$ 300 milhões (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Lockdowns na China devem atrapalhar ainda mais as cadeias de suprimentos globais. (Estado);
    • AliExpress terá frete grátis e descontos de até 80% para comemorar aniversário de 12 anos. (Mercado&Consumo);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Argentina estuda medidas para coibir exportação de trigo e milho (Valor);
    • Empresa canadense pretende dobrar a produção de potássio em projeto próximo a terras indígenas do Brasil (Reuters);
    • Rússia continua a exportar trigo, mesmo em guerra (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Empréstimo dá alívio de apenas 2,7% na conta de luz. (Valor Econômico);
    • Petróleo fecha abaixo de US$ 100, com temores sobre surto de covid-19 na China. (Valor Econômico);
    • Bolsonaro cobra da Petrobras recuo em alta de combustíveis. (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Intel anuncia nova fábrica de chips na Alemanha

  • Investimento de US$ 88 bilhões da Intel na Europa;
  • Alta demanda por veículos elétricos impulsiona a Volkswagen;
  • Arm planeja cortar empregos após Nvidia abandonar sua aquisição;
  • Aumento no preço das commodities metálicas deve impactar veículos elétricos;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

Alocação & Fundos

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Como ficará o mercado imobiliário para vendas residenciais em 2022 (MoneyTimes);
    • Dia do Consumidor: descubra as oportunidades no mercado imobiliário (Estadão);
    • IFIX sobe 0,12%; 153 fundos imobiliários distribuem dividendos nesta terça (Suno);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

ESG

BNDES vai comprar créditos de carbono pela primeira vez | Café com ESG, 16/03

  • O Ibov fechou em território negativo nesta terça-feira, em leve queda de -0,9%, enquanto o ISE em alta de +0,1%;
  • No Brasil, (i) o BNDES vai comprar créditos de carbono pela primeira vez e a instituição abre, hoje, uma chamada pública para aquisição de até R$ 10 milhões desses certificados de sequestro ou redução de gases do efeito estufa por empresas ou projetos ambientais; e (ii) um investimento de impacto feito por grandes empresas brasileiras começa a tirar do papel hoje um projeto inédito de locação de moradia popular no centro de São Paulo totalmente concebido pelo setor privado;
  • No internacional, os países da União Europeia apoiaram, ontem, o plano do bloco de impor uma tarifa de emissões de dióxido de carbono pela primeira vez no mundo sobre as importações de produtos poluentes, embora os detalhes mais precisos precisem ser trabalhados nas próximas negociações – o plano inicial é introduzir custos de emissão a partir de 2026 nas importações de aço, cimento, fertilizantes, alumínio e eletricidade. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.