XP Expert

Ata do Copom, contas públicas e temporada de resultados em foco

Temporada de resultados e ata do Copom são alguns dos temas de maior destaque nesta terça-feira, 06/02/2024

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +0,32% | 127.593 Pontos

CÂMBIO +0,26% | 4,98/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

O Ibovespa fechou em leve alta na segunda-feira, aos 127.592 pontos (+0,3%). No domingo, Jerome Powell, presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), reiterou comentários feitos na última reunião do banco central de cautela em relação a cortes de juros. Nesta semana, o mercado aguarda positivamente o resultado de bancos, que apresentam seus balanços do quatro trimestre de 2023.

Os principais movimentos ontem foram (SOMA3, -6,7%) e (ARRZ3, -5,5%) após confirmação da fusão, e com investidores precificando os papéis após anúncio de que investidores da ARRZ3 teriam 55% da participação da nova empresa, enquanto detentores de SOMA3 teriam 45%. Do outro lado da ponta, Itaú (ITUB4, +1,9%) subiu com expectativa do resultado, e acabou reportando acima do consenso. Veja todos os resultados do 4º trimestre de 2023.

Renda Fixa

As taxas futuras de juros fecharam o pregão perto da estabilidade. Após a elevação relevante dos rendimentos (yields) dos títulos públicos norte-americanos (Treasuries), os agentes financeiros encontraram espaço para aumentar as suas posições aplicadas, afastando as taxas das máximas registradas no pregão. A percepção de uma atividade econômica forte nos Estados Unidos foi reforçada por indicadores na segunda-feira e, por consequência, gerou discussões acerca de uma taxa neutra mais elevada no país, o que provocou um ajuste altista nos juros globais e locais. DI jan/25 fechou em 9,97% (-1bps vs. pregão anterior); DI jan/26 em 9,71% (+1bps); DI jan/27 em 9,87% (+1bps); DI jan/29 em 10,305% (+0,5bps).

Mercados globais

Nesta terça-feira, os mercados operam em leve alta nos Estados Unidos (S&P 500: 0,0%; Nasdaq 100: 0,2%), após queda motivada pela redução da probabilidade de cortes de juros nas próximas reuniões. Hoje, a farmacêutica Lilly e a montadora Ford divulgam seus resultados do 4° trimestre de 2023.

Na Europa, os mercados operam mistos, enquanto o índice pan-europeu permanece estável (Stoxx 600: 0,0%). A petroleira BP (que faz parte da nossa carteira top 10 ações internacionais) sobe cerca de 5% após a divulgação dos resultados, com guidance forte e aumento das recompras.

Na China, os índices fecharam em alta (CSI 300: 3,5%; HSI: 4,0%), com o anúncio de uma série de medidas do governo para melhorar o sentimento de mercado após a queda recente, motivada pela falta de estímulos para a atividade econômica.

Economia

O índice S&P PMI de Serviços dos EUA aumentou de 50,9 pontos em dezembro para 52,0 pontos em janeiro e os dados desagregados sugerem que a atividade no setor de serviços permanece resiliente. Divulgado hoje, o PMI da Construção da zona euro caiu ainda mais, de 43,6 pontos em dezembro para 41,3 pontos em janeiro. Além disso, as vendas no varejo registraram queda mensal de 1,1% em dezembro. No Reino Unido, o índice PMI da Construção melhorou de 46,8 para 48,8, embora permaneça em território contracionista (abaixo de 50). No geral, os dados das economias europeias continuam a apontar para uma atividade econômica fraca.

No Brasil, a conta corrente registrou déficit de US$ 5,8 bilhões em dezembro de 2023 (XP: -US$ 6,0 bilhões; Consenso: -US$ 7,3 bilhões). O saldo em transações correntes encerrou 2023 em -US$ 28,6 bilhões (-1,32% do PIB), vindo de -US$ 48,3 bilhões em 2022 (-2,47% do PIB). Pelo lado da conta financeira, os ingressos líquidos de IDP despencaram em dezembro, para -US$ 0,4 bilhão, significativamente abaixo das expectativas (XP: US$ 5,2 bilhões; consenso: US$ 5,5 bilhões). O IDP totalizou US$ 62,0 bilhões em 2023 (2,85% do PIB), abaixo do patamar registrado em 2022 (US$ 74,6 bilhões ou 3,82% do PIB).

Hoje, a agenda econômica está relativamente calma. No Brasil, destaque para a ata da reunião de janeiro do Copom que será publicada esta manhã. Além disso, membros de bancos centrais dos países desenvolvidos falarão publicamente hoje, incluindo Loretta Mester (Fed) e Tiff Macklem (Banco do Canadá).

Veja todos os detalhes

Economia

EUA resilientes, Europa enfraquecendo, e setor externo robusto no Brasil

  • Divulgado ontem, o índice S&P PMI de Serviços dos EUA aumentou de 50,9 pontos em dezembro para 52,0 pontos em janeiro. De alta relevância, a subcategoria Emprego de Serviços recuperou de 43,8 pontos para 50,5 pontos, voltando ao território positivo (acima de 50). Dezembro parece ter sido uma leitura negativa pontual, aliviando as preocupações de uma inflexão no mercado de trabalho. Por último, o índice de Preços dos Serviços aumentou significativamente de 57,4 pontos para 64,0 pontos, o seu nível mais elevado desde fevereiro de 2023. Ao todo, os dados sugerem que a atividade no sector de serviços permanece resiliente nos EUA;
  • Divulgado hoje, o PMI da Construção da zona euro caiu ainda mais, de 43,6 pontos em dezembro para 41,3 pontos em janeiro, entrando ainda em território contracionista. Ademais, as vendas no varejo registraram queda mensal de 1,1% em dezembro (-0,8% em relação ao mesmo mês do ano anterior). No Reino Unido, o índice PMI da Construção melhorou de 46,8 para 48,8, embora permaneça em território contracionista (abaixo de 50). No geral, os dados das economias europeias continuam a apontar para uma atividade econômica fraca;
  • No Brasil, o déficit em conta corrente encerra 2023 no nível mais baixo desde 2017, na esteira do superávit comercial recorde. A conta corrente brasileira registrou déficit de US$ 5,8 bilhões em dezembro de 2023 (XP: -US$ 6,0 bilhões; Consenso: -US$ 7,3 bilhões). O saldo em transações correntes encerrou 2023 em -US$ 28,6 bilhões (-1,32% do PIB), vindo de -US$ 48,3 bilhões em 2022 (-2,47% do PIB). A balança comercial atingiu US$ 80,5 bilhões em 2023, muito acima dos US$ 44,2 bilhões registrados em 2022 e da média histórica. Pelo lado da conta financeira, os ingressos líquidos de IDP despencaram em dezembro, para -US$ 0,4 bilhão, significativamente abaixo das expectativas (XP: US$ 5,2 bilhões; consenso: US$ 5,5 bilhões).O IDP totalizou US$ 62,0 bilhões em 2023 (2,85% do PIB), abaixo do patamar registrado em 2022 (US$ 74,6 bilhões ou 3,82% do PIB). Em resumo, o balanço de pagamentos do Brasil permanece sólido, na esteira do superávit comercial recorde e, consequentemente, do déficit em transações correntes muito abaixo da média histórica;
  • Hoje, a agenda econômica está relativamente calma. No Brasil, destaque para a ata da reunião de janeiro do Copom que será publicada esta manhã. Além disso, membros de bancos centrais dos países desenvolvidos falarão publicamente hoje, incluindo Loretta Mester (Fed) e Tiff Macklem (Banco do Canadá).

Commodities

Comentário Semanal Agro | Janeiro acumula movimentos fortes de preço

  • Grãos. A demanda de soja segue fraca, mas com Brasil competitivo absorvendo grande parte do volume. Nos EUA, ritmo de exportações é lento, mas esmagamento de soja recorde em dez/23;
  • Carnes. Consumo de alimentos é normalmente menos elástico à variação econômica, mas o mercado de suínos na China parece ser uma exceção à regra, e a queda de preços no país traz sinais de demanda enfraquecida no curto prazo. As exportações de carne do Brasil em jan/24 tiverem volume estável, mas queda de preços vs. dez/23;
  • Açúcar e Etanol. No açúcar, a produção da Índia cai 3,1% A/A, mas preços estáveis. Mesmo com outra semana de alta do etanol no Brasil, açúcar tem 10¢/lp de vantagem;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Empresas

Bancos: Oferta Pública de Aquisição da Cielo pelo Bradesco e Banco do Brasil

  • O Banco do Brasil e o Bradesco, detentores de 58,71% das ações CIEL3, anunciaram a intenção para adquirir até a totalidade das ações da Cielo S.A. – Instituição de Pagamento. O valor de mercado atual da Cielo é de aproximadamente R$13 bi (~7x P/L), e a oferta pode movimentar até R$5,6 bi. Apesar de não cobrirmos Cielo, vemos a transação como positiva, alinhada aos movimentos recentes de Itaú e Santander integrando ainda mais a Rede e a Getnet. Sob a ótica dos contradores, o preço oferecido parece modesto (6,4% em relação ao preço de fechamento em 05/02/2024);
  • Outros pontos positivos incluem a possível flexibilidade na tomada de decisão sem acionistas minoritários, a redução do nível de disclosure com a deslistagem e consequente acesso pelos concorrentes, o desenho da OPA que não transforma a Cielo em uma Estatal e a redução da necessidade de lucro como companhia fechada, possibilitando a oferta de produtos integrados para alavancar o business de crédito em diferentes frentes;
  • Destacamos a ausência de acionistas com participação relevante (acima de 5%) em CIEL3 e a falta de poison pill, não descartando a possibilidade de um investidor influenciar o preço da OPA ou impedir o fechamento de capital;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Natura&Co. (NTCO3): Fortalecendo o foco no core

  • Hoje, a Natura&Co. divulgou fato relevante anunciando que o Conselho autorizou o estudo de uma potencial separação entre Natura&Co. LatAm e Avon em duas companhias listadas, separadas e independentes;
  • O anúncio reforça a estratégia da companhia de simplificar sua estrutura corporativa e destravar valor, enquanto estimamos que o movimento deva levar o P/L da Natura (excl. Avon) a cair em 2024;
  • Baseado nos últimos anúncios, a Natura materializou todos seus estudos numa janela de tempo relativamente curta, desbloqueando valor para seus acionistas. Assim, mantemos nossa recomendação de Compra;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Itaú Unibanco (ITUB4): Fortes resultados e guidance modesto. Finalmente, dividendos extraordinários! | Revisão 4T23

  • Itaú reportou resultados sólidos, com um lucro líquido recorrente de R$9,4 bilhões (em linha com nossas estimativas; ROE de 21,2%), um aumento de 4% T/T e 23% A/A. Os números gerais seguiram uma tendência positiva, e o guidance foi parcialmente cumprido, com exceção do crescimento da carteira de crédito, com tímidos 3,1% A/A, portanto abaixo do low-end do guidance (5,7%-8,7%). A qualidade dos ativos manteve-se forte, com o NPL > 90 diminuindo para 2,8% (-20 bps T/T), atingindo o nível mais baixo dos últimos cinco trimestres;
  • O NII acelerou em comparação com o trimestre anterior, atingindo R$27,1 bilhões no 4T23 (aumento de 9% A/A, mas 1% abaixo do XPe). O banco divulgou seu guidance anual, que não trouxe surpresas significativas, mas pareceu um pouco cauteloso em relação ao crescimento do portfólio no próximo ciclo. O tão esperado dividendo extraordinário foi divulgado em R$ 11 bilhões, elevando o payout do ano para aproximadamente 60%;
  • Além disso, o banco introduziu um programa de recompra de ~R$2,5bn. Reiteramos ITUB4 como top pick, nossa recomendação de compra e nosso preço alvo de R$35,0/ação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Shoppings e Propriedades Comerciais: O que esperar da temporada de resultados do 4T23

  • Neste relatório, estamos divulgando nossa prévia de resultados do 4T23 para os shoppings e propriedades comerciais dentro de nossa cobertura (MULT3, IGTI11, ALOS3, LOGG3 e JHSF3);
  • Destacamos:
    • As prévias de vendas dos lojistas dos shoppings mais fortes do que o esperado (crescimento das vendas dos lojistas em novembro para Iguatemi e Multiplan em +15,1% A/A e +14,1% A/A, respectivamente) devem impulsionar o crescimento positivo da receita de aluguel, apesar dos efeitos do ajuste do IGP-M/DI sob pressão;
    • Uma combinação de forte fluxo de visitantes e taxas de estacionamento robustas deve gerar um crescimento robusto da receita de estacionamento (média de +12% A/A para a cobertura da XP);
    • Taxas de ocupação gradualmente mais altas T/T e níveis de inadimplência líquida sob controle devem apoiar a expansão do EBITDA (média de +14% A/A para a cobertura da XP);
  • Esperamos que Multiplan e Iguatemi sejam os destaques da temporada, mantendo nossa preferência por MULT3 (preço alvo de R$ 33,00/ação), seguido por IGTI11 (preço alvo de R$ 28,00/unit);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Data Expert | Carrinho XP: Folia ou cinzas? Entenda como o Carnaval pode afetar o varejo

  • Nesta edição do Carrinho XP, compartilhamos nossas percepções sobre as expectativas dos varejistas em relação às tendências do varejo para o Carnaval de 2024. Em relação à demanda, apesar do cenário macro desafiador, a Confederação Nacional do Comércio (CNC) espera que as vendas cresçam 10% A/A, atingindo R$ 9 bilhões e superando os níveis pré-pandemia pela primeira vez;
  • Quanto às categorias, notamos que empresas de vestuário como a CEAB, GUAR e LREN lançaram coleções temáticas, ao passo que, no setor da beleza, a NTCO oferece descontos de até 50%;
  • Em relação ao varejo alimentar, o Carnaval promete ser um vento positivo, gerando um maior reabastecimento do canal B2B e potencialmente maiores volumes para os players de atacarejo, com Muffato, Atacadão e Roldão com ofertas dedicadas ao evento;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

TMT Brasil: Prévia de resultados do 4T23

  • Neste relatório trazemos nossas estimativas para os resultados do 4T23 na cobertura de TMT: TIMS3, VIVT3, DESK3, FIQE3, BRIT3, ELMD3, POSI3, TOTS3, LWSA3, BMOB3, INTB3, ALLD3 e ZENV;
  • Para os ISPs no setor de telecom, destacamos os desafios impostos por um ambiente macroeconômico ainda desafiador e pelo aumento da concorrência, que dificultam o repasse de preços para os consumidores;
  • No setor de Tecnologia/Mídia, esperamos que a Eletromidia seja o destaque positivo tanto em crescimento de receita quanto em rentabilidade;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

BTG Pactual (BPAC11): Mais um forte trimestre, levando a recorde anual; Revisão 4T23

  • O BTG divulgou fortes resultados no 4T23, em linha com nossas estimativas. Esse desempenho se deve principalmente ao aumento das receitas em empréstimos corporativos e PMEs, que cresceram +1.187% A/A, +26% em Wealth Management, +24% em Sales & Trading e +18% em Asset management. Vale ressaltar que a linha de empréstimos corporativos no 4T22 foi impactada pelo evento de crédito da Americanas. Com exceção do Investment Banking, que foi impactado pelo ambiente mais restritivo do mercado de capitais, o banco registrou receitas recordes em todas as linhas de negócio;
  • É importante destacar que o segmento de Investment Banking teve uma evolução importante no número de transações neste trimestre, possivelmente sinalizando um 2024 melhor. O NNM atingiu R$ 41 bilhões, levando os Ativos sob Gestão (AuM/WuM) a R$ 1,6 trilhão (+25% A/A). No lado das despesas, o banco reportou uma redução na relação entre custo e receita, que ficou em 36,0%, abaixo dos níveis históricos. Como resultado, o lucro líquido totalizou R$ 2,8 bilhões (+61% A/A e +5% em relação à estimativa da XP) com ROAE de 23,4%;
  • No geral, foi mais um trimestre com bons números, no entanto, considerando o recente rally, os múltiplos elevados atuais representam um desafio para que os resultados sejam vistos como um gatilho para as ações. (Neutro, preço-alvo de R$40,0);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Banco do Brasil e Bradesco farão oferta para tirar a Cielo da Bolsa (Valor);
    • Itaú lucra R$ 9,4 bi no 4º tri e mostra otimismo com 2024 (Valor);
    • Bradesco promove novas mudanças na diretoria após troca de CEO (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Ano Legislativo 2024 começa com prioridades das teles em pauta (telesintese);
    • Oi x Anatel: prazo da busca por consenso se esgota em março (telesintese);
    • Anatel já prepara próximo leilão de espectro (telesintese);
    • Em dois anos, ‘Big Techs’ aumentam lucro em US$ 10 bi (Valor);
    • Clique Aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Natura &Co avaliará separação da Natura e Avon em empresas independentes de capital aberto (Valor)
    • Arezzo e Grupo Soma confirmam fusão; companhia terá faturamento próximo de R$ 12 bilhões (Valor);
    • STJ afirma: ICMS-ST é custo de aquisição para fins da apuração dos créditos de PIS e Cofins (Migalhas);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Alimentos
      • Novo registro no Espírito Santo eleva para 152 o número de casos de IAAP no País (AviSite)
      • Preço dos alimentos caiu 1% em janeiro, diz FAO (PecSite)
    • Agro
      • Com Américas jogando contra, FMC tem queda de quase 30% nas receitas em 2023 (AgFeed);
      • Plantio de milho mais rápido da história no centro-sul é bom sinal, diz AgRural (Notícias Agrícolas).
    • Biocombustíveis
      • PL Combustível do Futuro é o principal item da ‘pauta verde’ do Congresso em 2024 (Notícias Agrícolas);
      • Indústria de biodiesel elevará demanda por soja em 28% (Globo Rural).
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Saúde: XP Daily | Sua dose diária de notícias
    • Fleury mantém interesse em aquisições, diz CEO (Folha);
    • CEO da Oncoclínicas vende R$ 30 mi em ações para amortizar dívida (Valor Econômico);
    • Farmacêutica limita entrega da vacina contra dengue à rede particular para suprir demanda do SUS (Folha);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • Unipar confirma indicação de Rodrigo Cannaval como novo diretor-presidente (Valor Econômico);
    • Com o fim da negociação pela Braskem, a Unipar vai partir para novas prospecções, principalmente no exterior (Pipeline Valor);
    • Superávit da conta-petróleo do Brasil bate recorde (O Globo);
    • Sem obter acordo para reestruturar dívida de R$ 3,7 bilhões, a Unigel prepara seu pedido de recuperação judicial. (Valor Econômico);
    • Ataques dos EUA e do Irã no Oriente Médio ameaçam grandes aumentos nos preços do petróleo (Oil Price);
    • Grandes petrolíferas sem grandes amores no mercado apesar dos retornos recordes dos acionistas (Oil Price);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • XP Daily: As principais notícias do setor Imobiliário
    • Dólar e taxas de Treasuries disparam com PMIs fortes, Kashkari e Powell; bolsas de NY caem (Valor);
    • OCDE vê inflação do Brasil na meta de 3% no ano que vem (Folha);
    • SindusCon-SP repudia tentativas de aumentos abusivos de preços de fornecedores da construção (Sinduscon);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Itaipu estuda destinar R$ 1 bilhão para promover saneamento em Belém para sediar COP30 (Valor Econômico);
    • Serena recebe US$ 184,7 milhões para pagamento de custos do projeto Goodnight Wind I (Canal Energia);
    • Governo pede apoio do Congresso para PLs da pauta verde (Canal Energia);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Estratégia

Factor Pulse: O jogo virou (até o momento)

  • Neste relatório, atualizamos nossos modelos de fatores e apresentamos uma lista atualizada de cestas de fatores, resultados do nosso modelo proprietário, oferecendo insights sobre seus desempenhos recentes;
  • Os principais destaques incluem:
    • (i) apesar da incerteza no cenário macroeconômico tenha impactado os mercados ultimamente, nossas estratégias fatoriais (long & short) vêm mostrando bom desempenho no ano; 
    • (ii) Momentum é o fator com melhor desempenho até agora neste ano, seguido por Baixo Risco e Qualidade, à medida que um movimento de aversão ao risco se intensifica; e
    • (iii) vários fatores que tiveram desempenho fraco em 2023 são agora os líderes no acumulado do ano, como baixo Beta e Momentum.
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Renda fixa

CMN traz mais mudanças para a renda fixa. O que muda?

  • O ano de 2024 começou com algumas novidades para a renda fixa, como a criação das debêntures de infraestrutura e, mais recentemente, as Resoluções nº 5.118 e 5.119, do Conselho Monetário Nacional (CMN);
  • Estas últimas, publicadas no primeiro dia de fevereiro, tratam de alterações em regras para emissões de títulos isentos como LCIs, LCAs, LIGs, CRIs e CRAs;
  • Acesse aqui o relatório completo, o qual apresenta as mudanças e potenciais impactos para os investidores.

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Treasury yields dip as uncertainty over rate cut outlook persists (CNBC);
  • País teve 1,4 mil pedidos de recuperação judicial em 2023, alta de 68,7% em um ano (Estadão);
  • Debêntures devem chegar mais a pequeno investidor – mas será preciso observar taxas (Infomoney);
  • Unigel prepara pedido de recuperação judicial após impasse com credores, dizem fontes (Bloomberg Línea);
  • Ratings ‘brAAA’ da UTE Pampa Sul reafirmados com atualização do plano de capex; perspectiva negativa (S&P Global);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Perspectivas para o mercado de fundos imobiliários (Valor Econômico);
    • Quatro FIIs deixam de ser negociados na B3 e serão liquidados; entenda (FIIs);
    • 51 FIIs pagam dividendos acima da Selic, e fundo de hotéis lidera; veja maiores pagadores (InfoMoney);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Câmara Temática de Agrocarbono Sustentável é criada no Brasil | Café com ESG, 06/02

  • O mercado encerrou o pregão de segunda-feira em território misto, com o IBOV registrando alta de 0,32%, enquanto o ISE recuou 0,11%;
  • Do lado das empresas, uma das maiores investidoras de infraestrutura no mundo, a gestora canadense Brookfield Asset Management anunciou nesta segunda-feira que conseguiu levantar US$10 bilhões no primeiro fechamento da captação de seu segundo fundo focado em transição energética, o Global Transition Fund II – lançado no ano passado, o veículo dá sequência a um primeiro fundo também dedicado a investimentos de transição energética, que captou US$15 bilhões e teve a captação encerrada em julho de 2022;
  • Na política, (i) o Diário Oficial da União publicou ontem informações sobre a Câmara Temática de Agrocarbono Sustentável, que entrará em vigor a partir de março e cujo objetivo será debater soluções para a promoção do agronegócio, aliadas às baixas emissões de gases de efeito estufa – com 74 titulares, a câmara reunirá representantes de associações de diferentes setores rurais, bancos financiadores, instituições científicas, organizações não governamentais, representações sociais e órgãos do governo; e (ii) o Parlamento Europeu espera chegar a um acordo hoje sobre novas regras para promover a produção doméstica de equipamentos para energia solar e eólica, células de combustível e outras tecnologias limpas para garantir que seu setor possa competir com os concorrentes chineses e norte-americanos – o bloco pretende estabelecer uma meta para 2030 de produzir domesticamente 40% dos produtos necessários para reduzir as emissões de gases de efeito estufa;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG. 

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.