Ruídos fiscais seguem pressionando mercados; projeto de autonomia do Banco Central pode ser votado e aprovado ainda hoje

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:


Clique para ouvir

IBOVESPA -0,50% | 119.696 Pontos

CÂMBIO -0,36% | 5,36/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Pressionado pelas ações da Petrobras e bancos e pelo noticiário mais negativo tanto do lado corporativo quando do lado político, o Ibovespa fechou em queda de 0,50% nesta segunda-feira (08/01), a 119.696 pontos. O dólar comercial, por sua vez, caiu 0,36%, a R$ 5,36.

As taxas futuras de juros fecharam o dia com viés de alta nos vencimentos longos, levando a ganho de inclinação. Continua sendo foco a percepção de risco fiscal, tendo sido reflexo ontem da fala do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, que defende a solução para o auxílio emergencial em função da urgência da pandemia, sem vinculá-la à PEC. A segunda-feira foi marcada ainda pela espera de importantes indicadores na semana, como o IPCA, que será divulgado na manhã de hoje. DI jan/22 fechou em 3,40%; DI jan/24 encerrou em 5,85%; DI jan/26 foi para 6,81%; e DI jan/28 fechou em 7,26%.

As bolsas internacionais amanhecem em leve queda hoje (EUA -0,1% e Europa -0,3%), pausando a recente sequência de 6 dias de alta que elevou o S&P 500 ao recorde de 3.915 pontos. O petróleo ultrapassa os US$ 60/barril, enquanto o Bitcoin sobe 18,5% nas últimas 24h após a Tesla anunciar US$ 1,5bi em investimento na criptomoeda.

No cenário internacional, o Senado americano dará início hoje ao julgamento de impeachment de Donald Trump. No lado do pacote de estímulo, democratas continuam definindo detalhes do texto a ser votado. O partido apresentou nesta segunda-feira (8) um limite de renda para beneficiários dos cheques de USD 1.400 e um crédito tributário para famílias com crianças, cujo principal risco, segundo críticos, é a extensão permanente.  O projeto deve ser votado na Câmara na semana do dia 22 de fevereiro e enviado ao Senado em seguida.

Na esteira da sólida retomada global (especialmente na China e nos Estados Unidos) e da ampla liquidez nos mercados, os preços de commodities continuam em alta. Como comentamos, o petróleo tipo Brent avançou para além de $60 dólares, indicando pressão de inflação adiante. Neste ambiente, alguns analistas de mercado começam a questionar quanto realmente é necessário de estímulos adicionais.

No Brasil, o presidente da Câmara, Artur Lira, sinalizou que o projeto de independência do Banco Central pode ser votado e aprovado ainda hoje. Ao mesmo tempo, a discussão por uma nova rodada do Auxílio Emergencial se intensifica. A equipe econômica insiste em medidas de corte de gastos acompanhando o eventual novo programa, dada a situação fiscal delicada do país. A discussão, no entanto, permanece aberta.

Do lado econômico, as atenções nesta manhã devem estar voltadas para o IPCA de janeiro (XP: 0,34%; BBG 0,31%). Será particularmente importante avaliar se a recente alta das commodities e o real mais fraco já contaminam os preços ao consumidor.

Na política, além das atenções concentradas nas discussões sobre nova rodada de auxílio emergencial e na possibilidade de votação do projeto que confere autonomia ao Banco Central, a Câmara pode tentar concluir também a votação da Lei Cambial. O Senado realiza reunião de líderes pela manhã para definir a pauta da semana. Há negociações para instalação também hoje da Comissão Mista de Orçamento.

Por fim, estamos assumindo a cobertura do setor de e-commerce, com Lojas Americanas, para a qual temos recomendação de compra e preço alvo de R$36,0/ação (de R$44,0 antes), como nossa preferência no setor, B2W com recomendação de compra e preço alvo de R$121,0/ação (de Neutro e R$135,0 antes), Magazine Luiza com recomendação neutra e preço alvo de R$27,0/ação (de R$20,0 antes) e Via Varejo com recomendação neutra e preço alvo de R$20,0/ação (de Compra e R$28,0 antes). Além do nosso overview setorial, onde destacamos os principais pontos que sustentam nossa visão positiva para o setor, sendo o principal a nossa expectativa de uma demanda estruturalmente superior no “novo normal” do que antes da pandemia, nós também publicamos o Radar ESG, em que destacamos quais os fatores ESG que vemos como os mais importantes para o setor e analisamos como as empresas sob a cobertura da XP estão posicionadas no tema.

Tópicos do dia

Agenda de resultados

Aeris Energy (AERI3): após o fechamento
LOG Commercial Properties (LOGG3): após o fechamento
Temporada de Resultados do 4° Trimestre – O que esperar?
Calendário do 4T20

Clique aqui para saber mais

Internacional

  1. Política internacional: Impeachment de Trump e pacote de estímulo à economia americana em destaque
    Acesse aqui o relatório internacional

Empresas

  1. Porto Seguro (PSSA3): Ritmo de sinistralidade ainda beneficia | Revisão 4T20
  2. Petrobras (PETR4): Anuncia aumentos nos preços dos combustíveis e atualizações do processo de venda de refinarias
  3. Batalha de Titãs: O que esperar do setor de e-commerce e nossas recomendações
  4. Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes


Veja todos os detalhes

Internacional

Política internacional: Impeachment de Trump e pacote de estímulo à economia americana em destaque

  • O Senado americano dará início hoje ao julgamento de impeachment de Donald Trump. Para que o ex-presidente seja condenado, é preciso que 17 senadores republicanos votem a favor de sua condenação. No entanto, uma votação prévia sobre a realização do processo indicou falta de apoio entre republicanos. Ademais, o foco do Senado se encontra dividido com pressões pela rápida aprovação de um pacote de estímulo a economia. Portanto, acreditamos que Trump não será condenado e que o processo deve ser concluído até o fim do mês;
  • No lado do pacote de estímulo, democratas continuam definido detalhes do texto a ser votado. O partido apresentou nesta segunda-feira (8) um limite de renda para beneficiários dos cheques de USD 1.400 e um crédito tributário para famílias com crianças, cujo principal risco, segundo críticos, é extensão permanente;
  • Com resoluções orçamentarias aprovadas nas duas Casas, o pacote poderá ser aprovado por reconciliation, medida que permite aprovação de pautas por maioria simples (ao invés dos 60 votos geralmente requeridos no Senado), ou seja, não será necessário obter apoio republicano. O governo Biden inicialmente buscava um acordo bilateral, mas mostrou-se mais favorável à manobra nesta semana;
  • Vale lembrar que os democratas precisam que 100% de seus senadores votem a favor do projeto para que ele seja aprovado. Portanto, as divergências entre as diferentes alas do partido são de alta relevância. Um dos principais temas em debate é o aumento do salário mínimo a USD 15 por hora, medida que segundo os cálculos de especialistas do Congresso aumentaria o déficit do país por USD 54 bilhões em dez anos;
  • O projeto deve ser votado na Câmara na semana do dia 22 de fevereiro e enviado ao Senado em seguida. Seguido esse calendário, o projeto poderia ser aprovado em meados de março.

Empresas

Batalha de Titãs: O que esperar do setor de e-commerce e nossas recomendações

  • Estamos cautelosamente otimista pois, apesar de ainda vermos espaço para continuidade do crescimento do setor, esperamos ver um cenário competitivo muito mais acirrado em 2021, uma vez que as empresas estão vendo a aceleração da digitalização causada pela crise da Covid-19 como uma oportunidade para se consolidarem no mercado;
  • Nós destacamos a Lojas Americanas como nossa preferência no setor, com recomendação de Compra e preço alvo de R$36,0 por ação (de R$44,0 antes), por vermos a empresa bem posicionada e com uma estratégia clara para se tornar um ecossistema e negociando a um valuation muito atrativo, além de esperarmos que a B2W seja o destaque da nossa cobertura em 2021 em termos de ganhos de participação de mercado;
  • Também estamos assumindo cobertura de B2W (BTOW3) com recomendação de Compra e preço alvo de R$ 121,0 para o fim de 2021 (vs. Neutro e R$135,0 antes), Magalu (MGLU3) com recomendação Neutra e preço alvo de R$ 27,0 para o fim de 2021 (vs. R$20,0 antes) e Via Varejo com recomendação Neutra e preço alvo de R$ 20,0 para o fim de 2021 (vs. Compra e R$28,0 antes);
  • Em nosso relatório, discutimos os seis principais temas a serem monitorados no setor: (i) nossa estimativa de crescimento para 2021, (ii) competição – espere ser o principal tema em 2021, (iii) marketplaces de nicho, (iv) varejo físico deixa de ser o patinho feio; (v) serviços financeiros se tornando uma parte essencial do ecossistema; e (vi) uma análise ESG dessas gigantes. Clique aqui para ler o relatório completo.

Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes

  • As vendas do e-commerce no Brasil cresceram consideravelmente nos últimos anos, ao mesmo tempo em que a COVID-19 impulsionou o aumento das compras online, e esperamos que pelo menos uma parte desses novos comportamentos de consumo permaneça após a pandemia. No entanto, olhando através das lentes ESG, também esperamos que esse movimento leve ao surgimento de potenciais desafios e acreditamos que vale a pena ter isso em mente. Para as empresas de e-commerce, vemos o pilar Social como o mais importante, seguido pelo de Governança e Meio Ambiente, respectivamente;
  • Vemos a B2W e a Via Varejo se destacando em relação aos pares, principalmente na frente Social, enquanto também destacamos (i) a melhoria na governança da VVAR após a reestruturação da gestão ocorrida em meados de 2019 e (ii) as operações neutras em carbono da BTOW. Para a Magazine Luiza vemos a governança corporativa da empresa como um diferencial e destacamos os grandes esforços da Magalu para abraçar a igualdade de gênero por meio de mulheres na liderança. Por fim, reconhecemos positivamente os compromissos da Americanas na agenda ESG, no entanto, vemos espaço para melhorias adicionais, principalmente na frente de Governança;
  • Neste relatório, destacamos os principais tópicos ESG que vemos como os mais importantes para o setor e analisamos como as empresas sob o universo de cobertura da XP (VVAR3, MGLU3, LAME4 e BTOW3) se posicionam quando o tema é ESG. Clique aqui para ler o conteúdo completo.

Porto Seguro (PSSA3): Ritmo de sinistralidade ainda beneficia | Revisão 4T20

  • A Porto Seguro reportou ontem resultados em linha com o esperado no último trimestre de 2020 (4T20), com lucro líquido de R$ 407 milhões (vs. R$ 392 milhões do consenso Bloomberg);
  • Destaque para o crescimento da receita com seguros que expandiu 9,3% no trimestre e 7,2% no período para R$ 4,5 bilhões já superando os níveis pré-pandemia, impulsionado pelo crescimento de prêmios nos segmentos Auto e Patrimonial. Enquanto o índice de sinistralidade ainda retoma em ritmo inferior ao crescimento de receitas;
  • Mantemos nossa recomendação Neutra e preço-alvo de R$ 57,00/ação devido ao crescimento gradual da sinistralidade com a retomada da atividade econômica. Clique aqui para acessar o relatório completo.

Petrobras (PETR4): Anuncia aumentos nos preços dos combustíveis e atualizações do processo de venda de refinarias

  • A Petrobras anunciou ontem (08 de fevereiro) que vai implementar reajustes nos preços do diesel e da gasolina a partir de 09 de fevereiro de 2021. Os reajustes foram: (i) Diesel: novos preços na refinaria de R$ 2,24/litro, o que significa um reajuste de +5,8% em relação aos níveis anteriores de preços; (ii) Gasolina: novos preços na refinaria de R$ 2,25/litro, o que se traduz em um reajuste de +8,0% em relação aos níveis anteriores;
  • Embora vejamos como positivo que a Petrobras anunciou um aumento nos preços do diesel, observamos que os preços dos combustíveis da companhia no nível da refinaria ainda continuam abaixo níveis necessário para viabilizar importações com margem de lucro. Com base em nossas estimativas, a Petrobras ainda teria que implementar (1) um reajuste de + 3,1% nos preços do diesel para convergir às referências internacionais de preços de combustíveis (Costa do Golfo) e (2) um reajuste de +13,5% para retornar as importações aos níveis de paridade de importação;
  • Adicionalmente, a Petrobras informou que foi aprovada a proposta vinculante apresentada pela Mubadala Capital para a aquisição da Refinaria Landulpho Alves (RLAM), no estado da Bahia. O valor da transação foi de US$ 1,65 bilhão. A transação ainda está sujeita à aprovação das autoridades regulatórias competentes;
  • Analisamos os recentes reajustes do preço do combustível e o desinvestimento da RLAM. Confira em no relatório completo. Mantemos recomendação NEUTRA nas ações da Petrobras, com preços-alvo de 12 meses de R$32/ação para PETR4 e PETR3.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências previstas na Instrução CVM nº 598, de 3 de maio de 2018, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

Receba nosso conteúdo por email

Seja informado em primeira mão, não perca nenhuma novidade e tome as melhores decisões de investimentos

Corretora Home Broker Autorregulação Anbima - Ofertas Públicas Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Certificação B3

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.