XP Expert

Resultados corporativos e dados de inflação direcionam os mercados

IPCA-15 e prévias dos resultados corporativos são alguns dos temas de maior destaque nesta quarta-feira, 25/01/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Áudio disponível em breve.


IBOVESPA +1,16% | 113.028 Pontos

CÂMBIO -1,10% | 5,14/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

Em dia de agenda esvaziada de indicadores econômicos, tanto no exterior quanto no Brasil, as atenções devem estar voltadas à divulgação de resultados corporativos das empresas.

Além disso, os mercados acompanham os dados de inflação publicados na véspera que, no geral, indicaram desaceleração dos preços. Nos EUA, fica no radar dos agentes financeiros uma possível recessão no país.

No campo político, está prevista a ida do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o Uruguai, após passar dois dias na Argentina, no intuito de buscar uma saída diplomática para preservar o Mercosul – Mercado Comum do Sul.

Brasil

Na contramão do mercado externo, o Ibovespa registrou ganho de 1,16% no pregão de ontem (25), aos 113.028 pontos. Em um dia de recuperação de ativos, os destaques foram os bancos e as varejistas, compensando a queda da Petrobras, que anunciou aumento da gasolina e a aprovação do Compliance para o senador Jean Paul Prates assumir a Presidência.

O dólar caiu -1,10% para R$ 5,14. Da mesma forma, as taxas futuras de juros fecharam em queda, após quatro sessões consecutivas de alta. O movimento reflete, principalmente, os sinais de desaceleração da atividade global e a perspectiva de redução no ritmo de aperto monetário pelo Federal Reserve. Do lado doméstico, o único fator favorável foi uma leitura positiva da abertura do IPCA-15 de janeiro. DI jan/24 oscilou de 13,56% para 13,49%; DI jan/25 recuou de 12,855% para 12,69%; DI jan/26 caiu de 12,835% para 12,655% e DI jan/27 passou de 12,915% para 12,73%.

No caso Americanas, a empresa entregou à Justiça a lista de credores nesta quarta-feira (25), relacionando débitos no valor de R$ 41,2 bilhões e 7.967 nomes. Além disso, em mais um embate entre a Americanas e os bancos credores, a Companhia conseguiu a liberação na Justiça do valor de R$ 1,2 bilhão em aplicações bloqueadas pelo BTG, tendo sido determinado que seja utilizado exclusivamente para a atividade fim da Companhia. Na mesma linha, após a restituição de recursos pelo Itaú e Bradesco, os bancos Safra e Votorantim deverão depositar judicialmente os recursos que haviam sido retidos, até uma decisão final.

Mundo

Mercados globais amanhecem negativos (EUA -0,8% e Europa -0,8%) após projeções aquém do esperado da Microsoft ativarem um movimento de aversão ao risco no mercado.

Na Europa, o índice de clima de negócios na Alemanha melhorou pelo quarto mês consecutivo e alcançou 90,2 pontos vs. 88,6 do mês anterior. A resiliência da economia tem melhorado as expectativas dos negócios locais e, economistas começam a ponderar se o país conseguirá escapar de uma recessão. No Reino Unido, a inflação ao produtor (PPI) recuou -0,8% mês a mês e registrou uma variação anual de 14,7% em dezembro.

Na China, as bolsas locais permanecerão fechadas por conta do feriado de Ano Novo Lunar.

Inflação no Brasil (IPCA-15)

Conforme divulgado ontem (24), o IPCA-15 – prévia da inflação mensal – subiu 0,55% em janeiro ante dezembro, ligeiramente acima da nossa estimativa (0,53%) e do consenso de mercado (0,51%). No entanto, as medidas de núcleo e difusão da inflação vieram abaixo das expectativas, reforçando o cenário de desinflação gradual na economia brasileira.

Apesar dos sinais benignos advindos da leitura do IPCA-15, a equipe econômica da XP revisou para cima sua previsão para o IPCA de 2023, de 5,4% para 5,7%, com os preços de emplacamento e licenciamento de veículos vieram muito acima do projetado, e o anúncio da Petrobras de um reajuste de 7,4% no preço da gasolina.

A projeção de alta do IPCA em 2024 permaneceu em 4,0%.

Inflação nos EUA (PMI)

Nos Estados Unidos, o Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) Composto subiu de 45,0 pontos em dezembro para 46,6 pontos em janeiro, alimentando a narrativa de uma possível recessão no país.

Embora o índice tenha atingido o nível mais alto em três meses, os respondentes da pesquisa ainda relataram arrefecimento da demanda e inflação alta como “ventos contrários” relevantes à atividade econômica local. Leituras abaixo de 50,0 pontos indicam contração da atividade.

Esses resultados reforçam o quadro de desaceleração da economia dos Estados Unidos – sobretudo devido a condições monetárias mais apertadas –, mas há dúvidas se haverá recessão em 2023. Neste sentido, os índices prospectivos da pesquisa da S&P Global sugerem melhoria na confiança dos agentes econômicos no curto prazo.

Prévias de Resultados Corporativos no Brasil

O time de Equities XP segue acompanhando a divulgação de resultados trimestrais das empresas. Acompanhe todas as análises aqui.

Veja todos os detalhes

Economia

XP eleva projeção de inflação em 2023, de 5,4% para 5,7%

  • Conforme divulgado ontem (24), o IPCA-15 – prévia da inflação mensal – subiu 0,55% em janeiro ante dezembro, um pouco acima da nossa estimativa (0,53%) e do consenso de mercado (0,51%). Os resultados desagregados do IPCA-15 trouxeram surpresas relevantes. Os principais desvios altistas em relação às nossas projeções vieram dos preços de “Comunicação” (0,10pp) e “Passagens Aéreas” (0,04pp). Por outro lado, os principais desvios baixistas vieram de “Combustíveis” (-0,05pp), “Vestuário” (-0,04pp) e “Recreação” (-0,03pp). A média de núcleos da inflação avançou 0,58% em janeiro frente a dezembro, abaixo da nossa expectativa de 0,64%. De acordo com nosso ajuste sazonal, a média móvel de 3 meses anualizada – importante para o acompanhamento da tendência de curto prazo – recuou de 5,78% para 5,50%. De forma semelhante, o componente de serviços subjacentes subiu 0,50% na base de comparação mensal, também abaixo da nossa estimativa (0,69%). A média móvel de 3 meses anualizada deste componente cedeu de 5,99% para 4,97%. Além disso, o índice de difusão do IPCA-15 aumentou ligeiramente de 66% para 67%, muito abaixo da nossa projeção de 89%. Esses indicadores corroboram nosso cenário de desinflação gradual na economia brasileira. Apesar dos sinais benignos advindos da leitura do IPCA-15, a equipe econômica da XP revisou para cima sua previsão para o IPCA de 2023, de 5,4% para 5,7%. Em primeiro lugar, os preços de emplacamento e licenciamento de veículos registraram elevação mensal muito acima do projetado (1,61% ante 0,83%), cujo impacto será observado ao longo de todo o ano (contribuição de 0,20pp sobre o IPCA total). Além disso, após a divulgação do IPCA-15 de janeiro, a Petrobras anunciou um reajuste de 7,4% no preço da gasolina – estimamos contribuição de 0,17pp sobre o índice geral, o que considera um repasse de aproximadamente 50% ao consumidor final. O cenário básico da XP já considerava a volta da cobrança de tributos federais (PIS/COFINS) sobre gasolina e etanol, com impacto ao redor de 0,50pp. A projeção de alta do IPCA em 2024 permaneceu em 4,0%;
  • Ainda no Brasil, a arrecadação tributária federal atingiu R$ 210,2 bilhões em dezembro de 2022, um aumento real de 2,5% em relação ao mesmo mês de 2021. Esse resultado veio ligeiramente acima do consenso de mercado (R$ 210,0 bilhões) e da nossa estimativa (R$ 207,1 bilhões). A arrecadação federal totalizou R$ 2,218 trilhões em 2022, uma expansão real de 8,2% ante 2021 que representou um recorde histórico. No entanto, as receitas tributárias vêm desacelerando no período recente, em linha com o enfraquecimento da atividade doméstica e cortes de impostos incidentes sobre preços administrados. Em linhas gerais, projetamos que a arrecadação tributária federal continuará a crescer este ano, porém em ritmo muito menor comparado ao ano passado – prevemos R$ 2,331 trilhões em 2023;
  • O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) Composto dos Estados Unidos subiu de 45,0 pontos em dezembro para 46,6 pontos em janeiro, segundo estimativa preliminar divulgada ontem pela S&P Global. Embora o índice tenha atingido o nível mais alto em três meses, os respondentes da pesquisa ainda relataram arrefecimento da demanda e inflação alta como “ventos contrários” relevantes à atividade econômica local. Leituras acima (abaixo) de 50,0 pontos indicam expansão (contração) da atividade. O componente da Indústria avançou sutilmente de 46,2 para 46,8 pontos no período, superando também a mediana das previsões do mercado (46,0 pontos). Por sua vez, o componente de Serviços aumentou de 44,7 para 46,6 pontos, acima do consenso de mercado de 45,0 pontos. Esses resultados reforçam o quadro de desaceleração da economia dos Estados Unidos – sobretudo devido a condições monetárias mais apertadas –, mas ainda há dúvidas se haverá recessão em 2023. Neste sentido, os índices prospectivos da pesquisa da S&P Global sugerem melhoria na confiança dos agentes econômicos no curto prazo;
  • A agenda de indicadores econômicos desta quarta-feira (25) está relativamente vazia. Na Alemanha, o Índice de Clima de Negócios IFO subiu de 88,6 pontos em dezembro para 90,2 pontos em janeiro, em linha com a estimativa do mercado. Esse resultado significa o maior nível em sete meses. Em relação aos dados desagregados, o componente de Situação Atual recuou de 94,4 para 94,1 pontos no período, abaixo do consenso (95,0 pontos). No entanto, o componente de Expectativas – que reflete perspectivas das empresas para os próximos seis meses – saltou de 83,2 para 86,4 pontos entre dezembro e janeiro, superando a mediana das previsões (85,0 pontos). No Brasil, destaque para a publicação da Sondagem do Consumidor da FGV referente a janeiro.

Empresas

Saúde: A Noite é Mais Escura Antes do Amanhecer | Atualizando Estimativas

  • Estamos atualizando as estimativas de Rede D’Or, Oncoclínicas, Mater Dei e Kora Saúde, e introduzindo novos preços-alvo para as ações para o final de 2023;
  • Estamos ficando cada vez mais céticos em relação ao desempenho dos prestadores hospitalares ao longo de 2023. Nossa visão é baseada em:
    • Os níveis persistentemente altos de sinistralidade apresentados pelas fontes pagadoras;
    • A lenta redução do ritmo de crescimento do mercado de planos de saúde; e
    • O recente aumento do custo de capital combinado com altos índices de alavancagem.
  • De modo geral, temos uma visão conservadora em relação aos prestadores de serviços de saúde, mas vemos potencial de valorização em algumas ações – como ONCO e MATD;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Orizon (ORVR3): Agenda de crescimento inorgânico continua

  • A Orizon divulgou o preço pago pela aquisição do aterro sanitário de Porto Velho, anunciado em 18 de janeiro;
  • A empresa pagou R$ 10 milhões por uma participação de 51% em um aterro sanitário privado na cidade de Porto Velho, o que implica uma TIR real de 46% ( VPL de R$ 0,61/ação);
  • A transação marca a entrada da Orizon no Norte do Brasil, que é um forte mercado endereçável para expandir suas operações, potencialmente rendendo EBITDA adicional nos próximos anos;
  • Reiteramos nossa recomendação de Compra na Orizon, com preço-alvo de  R$43/ação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Tech Brasil: Prévia de resultados do 4T22

  • Neste relatório trazemos nossas estimativas para os resultados do 4T22 na cobertura de Tech Brasil: POSI3, TOTS3, LWSA3, BMOB3, INTB3, ALLD3 e ZENV;
  • Esperamos que a maioria das empresas apresente resultados sólidos em meio a um quarto trimestre desafiador. Acreditamos que os destaques positivos serão: TOTS3 e POSI3;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

M. Dias Branco (MDIA3): custos de commodities atingem o pico no 4T22

  • Projetamos que a a MDIA reporte resultados fracos no 4T22, pois esperamos que os custos das commodities da empresa (principalmente trigo e óleo de palma) atinjam seu pico no final do ano. Além disso, um ambiente de consumo desafiador com varejo retraído reduziu os volumes no trimestre, em nossa opinião;
  • No geral, prevemos que o aumento na receita impulsionado por preços mais altos não deve compensar as pressões de custo. Portanto, projetamos um EBITDA de R$ 153mi (-16% A/A e -54% T/T), traduzindo em uma margem fraca de 6,0% (queda de 2,5 pb A/A e 5,2 pb T/T). Esperamos que 2023 seja um ano de recuperação de margem;
  • No entanto, vemos a melhora já precificada e, portanto, reiteramos nossa classificação Neutra para MDIA3;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo

3Tentos (TTEN3): resultados fortes em todas as linhas no 4T22

  • Esperamos que a 3Tentos apresente bons resultados em todos os segmentos no 4T, não apenas devido aos preços mais altos, mas em linha com a estratégia de crescimento assertivo da empresa, da qual a mesma deve continuar se beneficiando nos próximos trimestres, em nossa visão;
  • No consolidado, prevemos EBITDA no 4T de R$ 302 milhões (+70% A/A), enquanto projetamos lucro líquido de R$ 225 milhões (+35% A/A). Para 2023, apesar dos preços mais baixos de grãos e insumos, projetamos a continuidade do bom momentum nos resultados, impulsionados pela estratégia de crescimento da empresa de expandir seu ecossistema para o Mato Grosso;
  • Projetamos a TTEN3 negociando atualmente a 5,2x EV/EBITDA para 2023, abaixo de nosso múltiplo alvo de 6,4x para 2024. Portanto, reiteramos nossa recomendação de compra para TTEN3;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Americanas consegue R$ 1,2 bilhão bloqueado pelo BTG na Justiça (Uol);
    • Bradesco Asset cria área para unir pesquisa e inovação (Valor);
    • Estrangeiros sacam R$ 1,34 bilhão da Bolsa em 20 de janeiro (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Vivo assume posto de 5G mais rápido; Claro vence na média das tecnologias (Teletime);
    • Na contramão do mercado, Totvs mostra fôlego para novos M&As em 2023 (Neofeed);
    • Conexões 5G em IoT chegarão a 116 milhões até 2026 (Mobile Time);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Lista de credores da Americanas traz 7.967 nomes e dívida total de R$ 41,235 bilhões (Valor);
    • Magalu: o balanço de Fred Trajano sobre 7 anos como CEO e o plano em detalhes para 23 (Exame);
    • Medicamentos devem ter reajuste duplo em 2023 (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Alimentos e Bebidas
      • High-rise pig farms put China’s insatiable pork demand in conflict with climate and animal activism – foodingredients
      • Brasil cai para o 24ºlugar no consumo per capita de cerveja, aponta pesquisa – Guia da Cerveja
    • Agro
      • Will fading La Nina boost prospects for the 2023 U.S. corn crop? – Reuters
      • Com a bioeconomia, um impulso de US$ 284bi – Valor
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Eduardo Fucs é o novo diretor para o setor de geração de energia da Alupar (Canal Energia);
    • Integração com Argentina inclui gás, offshore e hidrelétricas binacionais (Canal Energia);
    • Petrobras aumenta gasolina e deve aprovar CEO na quinta (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Projeções aquém do esperado da Microsoft revertem os ganhos das ações no período pós-mercado

  • Projeções aquém do esperado da Microsoft revertem os ganhos das ações no período pós-mercado;
  • Crescimento do número de assinantes da Verizon desacelera e projeções desanimam os investidores;
  • Lucros da Johnson & Johnson superam estimativas, mas ações encerram o dia sem movimentos expressivos;
  • Grandes bancos dos Estados Unidos faturam quase US$ 4 bilhões com operações ligadas a inflação;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Mercados
    • Fator China’ muda a dinâmica do mercado de milho (Valor Econômico);
    • Agências reguladoras perdem até 70% da força de trabalho e serviços podem colapsar (Estadão).
  • Noticiário Corporativo
    • Lista de credores da Americanas traz 7.967 nomes e dívida total de R$ 41,235 bilhões (Valor Econômico);
    • Petrobras aumenta preço da gasolina em 7,5% para distribuidoras (Valor Econômico). 
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Fundo imobiliário fecha contrato de aluguel; Ifix renova mínima do ano com FII ampliando sequência de queda (MoneyTimes);
    • IFIX cai 0,14% e TORD11 lidera quedas; BTLG11 e XPML11 pagam dividendos amanhã (25) (Suno);
    • Quais são as expectativas para emissões de fundos imobiliários em 2023? (FIIs);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Hidrogênio Verde (H2V): O combustível do futuro? Um mercado promissor, mediante desafios a serem superados

  • À medida em que o mercado se movimenta na direção de encontrar soluções de baixo carbono, o hidrogênio verde (H2V) vem se tornando uma das soluções mais visadas devido ao seu processo de produção com baixa emissão de gases de efeito estufa (GEEs) e aplicação válida em indústrias de alta intensidade energética, principalmente em setores cuja descarbonização dificilmente será atingida por soluções alternativas;
  • Enquanto esse mercado ainda está sendo desenvolvido, vemos uma crescente demanda por investimentos em projetos de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) visando acelerar a produção do combustível. Embora os desafios pesem mais do lado da oferta, acreditamos que o H2V tem potencial de desempenhar um papel crucial na transição energética, com o Brasil bem posicionado para se tornar um grande produtor, com destaque para três empresas brasileiras listadas que vemos como boas escolhas para o investidor estar exposto ao tema: (i) EDP (ENBR3); (ii) Raízen (RAIZ4); e (iii) AES Brasil (AESB3);
  • Clique aqui para ler o relatório completo.

Potencial do Brasil em energia verde em destaque | Café com ESG, 25/01

  • O mercado encerou o pregão de terça-feira em território positivo negativo, com o Ibov e o ISE  subindo +1,0% e +1,8%, respectivamente;
  • No Brasil, (i) estudo da McKinsey estima que os mercados de energia renovável, energia e materiais de base biológica e mercados de carbono devem movimentar mais de US$ 124 bilhões no Brasil até 2040, mostrando que o Brasil é uma das grandes apostas quando o assunto é energia verde; (ii) Klabin começa a fazer parte de uma das listas mais esperadas por quem acompanha sustentabilidade: a “A List”, elaborada pelo Carbon Disclosure Project (CDP), organização internacional considerada por muitos o “Oscar da Sustentabilidade”;
  • No internacional, os líderes da União Europeia darão autorização em fevereiro para trabalhar em um novo financiamento da UE para a indústria de tecnologia verde para contrabalançar os subsídios nos Estados Unidos e na China – as conclusões mostraram que os líderes também pedirão procedimentos de permissão mais simples para investimentos verdes, já que o bloco de 27 nações se esforça para permanecer atraente para empresas de tecnologia limpa;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.