XP Expert

PEC da Transição promulgada; nos EUA, sinal de alívio inflacionário

Aprovação da PEC da Transição é o tema de maior destaque nesta quinta-feira, 22/12/2022

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +0,5% | 107.433 Pontos

CÂMBIO +0,0% | 5,20/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

O índice de confiança do consumidor dos Estados Unidos atingiu em dezembro o patamar mais elevado em oito meses. No Brasil, o Congresso promulgou, ontem à noite, a “PEC da Transição. Na agenda econômica desta quinta-feira (22), destaque para a divulgação de outros indicadores de atividade nos Estados Unidos: Índice de Atividade Nacional do Fed de Chicago (CFNAI) e Indicadores Antecedentes do instituto Conference Board referentes a novembro; pedidos de seguro-desemprego na semana encerrada em 17/dez; e resultados do PIB do 3º trimestre (terceira e última leitura, com expectativa de taxa de variação de 2,9% em termos anualizados).

Brasil

O principal índice da bolsa brasileira encerrou o pregão da quarta-feira (21) com uma alta de 0,5%, aos 107.433 pontos. Enquanto o dólar subiu 0,02% frente ao real, encerrando o pregão aos R$ 5,20. As taxas futuras de juros fecharam em leve queda com a aprovação do texto-base da PEC da Transição, em segundo turno, pela Câmara. Os agentes financeiros seguem monitorando o noticiário vindo de Brasília e aguardam os novos ministros da área econômica, que podem ser divulgados nesta semana pelo presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva. DI jan/24 foi para 13,75%; DI jan/25 encerrou em 13,25%; DI jan/27 fechou em 13,10%; e DI jan/29 foi para 13,08%.

Mundo

Mercados globais amanhecem sem movimentos expressivos (EUA +0,1% e Europa 0%) após fecharem no positivo, nesta quarta-feira, com uma retomada acima do esperado na confiança do consumidor americano. Dados apontaram que o índice de confiança do consumidor atingiu 108,3 pontos, seu patamar mais alto dos últimos 8 meses, superando as estimativas de 101 pontos do consenso. O aumento na confiança também veio acompanhado de uma redução na expectativa de inflação dos consumidores para 6,7% neste mês, o valor mais baixo desde setembro de 2021, fortalecendo a narrativa de que a inflação segue desacelerando no país. Na Europa, o PIB do Reino Unido contraiu 0,3% trimestre contra trimestre, levemente abaixo das estimativas do consenso de uma queda de 0,2%. Economistas seguem projetando uma nova contração do PIB britânico para o próximo trimestre, o que colocaria a região em uma recessão técnica. Na China, o índice de Hang Seng (+2,7%) encerra em alta, após o país sinalizar mais medidas pró-crescimento, para estabilizar a economia em meio às esperanças de reabertura, e o banco central prometeu novas medidas para neutralizar os riscos do setor imobiliário. Além disso, um alívio nas tensões geopolíticas também contribuiu para o tom mais positivo dos investidores na região. A China disse que está disposta a negociar com a Rússia para acabar com a guerra na Ucrânia e sinalizou que está pronta para melhorar os laços com a Austrália após uma disputa comercial amarga nos últimos dois anos.

Atividade econômica EUA

Ainda sobre a atividade econômica dos Estados Unidos, as vendas de moradias existentes despencaram 7,7% em novembro ante outubro, chegando a 4,09 milhões de unidades com base em dados anualizados e dessazonalizados. Com exceção à queda observada durante a primeira onda da pandemia de Covid-19, a leitura de novembro representou o nível mais baixo desde novembro de 2010. As vendas residenciais recuaram em todas as regiões acompanhadas. Houve queda de 35,4% entre janeiro e novembro de 2022 em comparação ao mesmo período de 2021. Em média, os preços das moradias permanecem cerca de 37% acima dos níveis pré-pandêmicos. Por sua vez, a taxa média de juros das hipotecas de 30 anos chegou a superar 7% há alguns meses, o maior patamar desde 2002 (as últimas estatísticas apontam para taxa média em torno de 6,3%)

PEC da transição

O Senado validou, em dois turnos, as mudanças que foram promovidas pela Câmara dos Deputados na terça-feira. A versão final prevê a elevação do teto de gastos em R$ 145 bilhões, somente no exercício de 2023, além de liberar investimentos em até R$ 23 bilhões decorrentes de “receitas extraordinárias” (ou seja, custo fiscal total de até R$ 168 bilhões). Apesar de avaliarmos as mudanças na PEC como positivas, o impacto fiscal ainda é bastante elevado. Ademais, acreditamos que o aumento de despesas – majoritariamente obrigatórias – será permanente e, neste sentido, não vemos efeito econômico significativo da alteração do prazo de vigência da emenda constitucional, de dois anos para um ano. Em entrevista sobre a aprovação da PEC, o futuro Ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou que pretende enviar ao Congresso um projeto de lei complementar com o novo arcabouço fiscal – para substituir o teto de gastos –  ainda no primeiro semestre do ano que vem. Na última etapa de tramitação na Câmara dos Deputados, o novo governo foi capaz de derrubar um destaque do Partido Novo que exigia emenda à Constituição ao envio do novo arcabouço fiscal. Nesta quinta-feira, o Presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, deverá anunciar 18 ministros em pronunciamento oficial. Além disso, o Congresso tentará votar o projeto de lei orçamentária para 2023 (PLOA 2023).  

Veja todos os detalhes

Economia

Expectativas de inflação nos EUA em trajetória de queda; no Brasil, Congresso promulga PEC da Transição

  • Segundo dados do instituto Conference Board publicados na quarta-feira (21), o índice de confiança do consumidor dos Estados Unidos aumentou de 101,4 em novembro para 108,3 em dezembro, o nível mais elevado desde abril. Este resultado veio acima do consenso de mercado (101,0). Em relação aos dados desagregados, as expectativas de inflação de 12 meses cederam de 7,1% para 6,7% no período, a leitura mais baixa desde setembro de 2021. Essa redução é consistente com a dinâmica recente dos preços ao consumidor, que mostram sinais de alívio. O subíndice de situação presente, baseado na avaliação dos consumidores sobre as condições atuais do mercado de trabalho e dos negócios, subiu de 138,3 para 147,2. Já o subíndice de expectativas, baseado nas perspectivas de curto prazo dos consumidores, aumentou de 76,7 para 82,4. Porém, de acordo com o instituto, patamares próximos a 80 são geralmente associados a quadros recessivos;
  • Ainda sobre a atividade econômica dos Estados Unidos, as vendas de moradias existentes despencaram 7,7% em novembro ante outubro, chegando a 4,09 milhões de unidades com base em dados anualizados e dessazonalizados. Com exceção à queda observada durante a primeira onda da pandemia de Covid-19, a leitura de novembro representou o nível mais baixo desde novembro de 2010. As vendas residenciais recuaram em todas as regiões acompanhadas. Houve queda de 35,4% entre janeiro e novembro de 2022 em comparação ao mesmo período de 2021. Em média, os preços das moradias permanecem cerca de 37% acima dos níveis pré-pandêmicos. Por sua vez, a taxa média de juros das hipotecas de 30 anos chegou a superar 7% há alguns meses, o maior patamar desde 2002 (as últimas estatísticas apontam para taxa média em torno de 6,3%);
  • Na agenda econômica desta quinta-feira (22), destaque para a divulgação de outros indicadores de atividade nos Estados Unidos: Índice de Atividade Nacional do Fed de Chicago (CFNAI) e Indicadores Antecedentes do instituto Conference Board referentes a novembro; pedidos de seguro-desemprego na semana encerrada em 17/dez; e resultados do PIB do 3º trimestre (terceira e última leitura, com expectativa de taxa de variação de 2,9% em termos anualizados);
  • No Brasil, o Congresso aprovou (e promulgou), ontem à noite, a “PEC da Transição”. O Senado validou, em dois turnos, as mudanças que foram promovidas pela Câmara dos Deputados na terça-feira. A versão final prevê a elevação do teto de gastos em R$ 145 bilhões, somente no exercício de 2023, além de liberar investimentos em até R$ 23 bilhões decorrentes de “receitas extraordinárias” (ou seja, custo fiscal total de até R$ 168 bilhões). Apesar de avaliarmos as mudanças na PEC como positivas, o impacto fiscal ainda é bastante elevado. Ademais, acreditamos que o aumento de despesas – majoritariamente obrigatórias – será permanente e, neste sentido, não vemos efeito econômico significativo da alteração do prazo de vigência da emenda constitucional, de dois anos para um ano. Em entrevista sobre a aprovação da PEC, o futuro Ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou que pretende enviar ao Congresso um projeto de lei complementar com o novo arcabouço fiscal – para substituir o teto de gastos – ainda no primeiro semestre do ano que vem. Na última etapa de tramitação na Câmara dos Deputados, o novo governo foi capaz de derrubar um destaque do Partido Novo que exigia emenda à Constituição ao envio do novo arcabouço fiscal. Nesta quinta-feira, o Presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, deverá anunciar 18 ministros em pronunciamento oficial. Além disso, o Congresso tentará votar o projeto de lei orçamentária para 2023 (PLOA 2023);
  • Conforme publicado pelo Banco Central, o saldo em transações correntes do Brasil foi deficitário em US$ 60 milhões em novembro, resultado melhor que o consenso de mercado (-US$ 2,1 bilhões) e as leituras de novembro de 2021 (-US$ 8,5 bilhões) e outubro de 2022 (-US$ 4,6 bilhões). Logo, o saldo em conta corrente acumulado nos últimos 12 meses mostrou déficit de US$ 52,4 bilhões (-2,78% do PIB), uma redução ante os US$ 60,8 bilhões em outubro (-3,26% do PIB) e US$ 47,5 bilhões em novembro de 2021 (-2,89% do PIB). Do lado da conta financeira, os ingressos líquidos de IDP (Investimento Direto no País) totalizaram US$ 8,3 bilhões em novembro de 2022, acima dos US$ 5,0 bilhões registrados em novembro de 2021 e do consenso de mercado em US$ 7,3 bilhões. Considerando o período de 12 meses até novembro, o IDP atingiu US$ 77,1 bilhões (4,09% do PIB), montante superior aos US$ 73,8 bilhões até outubro (3,96% do PIB) e bem melhor que os US$ 52,7 bilhões até novembro de 2021 (3,20% do PIB). Em resumo, a dinâmica favorável das contas externas brasileiras persiste, apesar das incertezas globais e domésticas. Projetamos que o déficit em transações correntes atingirá US$ 57,8 bilhões ao final de 2022 (-3,0% do PIB) e US$ 60,5 bilhões ao final de 2023 (-3,0% do PIB). Por sua vez, prevemos que o IDP alcançará US$ 84,5 bilhões este ano (4,4% do PIB) e US$ 77,0 bilhões no ano que vem (3,9% do PIB);
  • A arrecadação tributária federal atingiu R$ 172,0 bilhões em novembro deste ano, uma elevação real de 3,3% em relação ao mesmo mês de 2021. O resultado veio um pouco acima do consenso de mercado (R$ 171,5 bilhões) e da nossa projeção (R$ 170,2 bilhões), representando o melhor número desde 2014. Com isso, a arrecadação acumulada entre janeiro e novembro registrou expansão de 8,8% em termos reais, chegando ao maior patamar da série histórica. Mais uma vez, o principal fator de alta da arrecadação foram as receitas atreladas à lucratividade das empresas, que cresceram 15,2% em comparação ao mesmo mês do ano passado. No que diz respeito à abertura setorial, as principais contribuições para o desempenho da arrecadação total entre janeiro e novembro vieram de combustíveis, serviços financeiros, extração de petróleo e gás, fabricação de máquinas e equipamentos, e serviços de informática. Em síntese, as receitas tributárias federais continuam em níveis bastante elevados, mas há sinais de desaceleração na margem, em linha com o recuo da inflação e o enfraquecimento da atividade econômica.

Empresas

Varejo: Data Expert | Carrinho XP – O que esperar do Natal para as varejistas?

  • Nesta edição do Carrinho XP, trazemos um mapeamento das nossas expectativas para as vendas de Natal e de final de ano. Analisamos pesquisas com consumidores e notamos um cenário de incerteza à frente, com uma temporada de compras como nenhuma outra, dada a sobreposição de eventos importantes (Black Friday, Copa do Mundo e Natal) combinada com um cenário macro desafiador;
  • Apesar da intenção de compra dos consumidores ter caído de forma generalizada vs. 2021, o menor volume de vendas pode ser parcialmente compensado por maiores tickets médios;
  • Esperamos que os varejistas de alta renda e alimentares se destaquem, enquanto as plataformas de e-commerce/bens duráveis devem se beneficiar do impulso da Copa do Mundo, e potencialmente também suportadas por suas estratégias de concessão crédito aos consumidores;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Omega Energia (MEGA3): O Sonho Americano; Atualizando estimativas e reiterando recomendação de Compra

  • Estamos atualizando nossas estimativas para incorporar o projeto em desenvolvimento nos EUA (Goodnight 1), a incidência mais fraca de recursos eólicos em 2022 e rolando nosso preço-alvo para 2023. Reiteramos nossa recomendação de Compra e preço-alvo de R$ 17/ação;
  • Permanecemos construtivos em relação à Omega, pois: (i) acreditamos que sua estratégia de expandir para os EUA abre uma avenida de crescimento com retornos atraentes; (ii) vemos como positiva a sua capacidade de mitigar os impactos negativos do ciclo de recursos eólicos desfavorável; e (iii) enxergamos potenciais opcionalidades como créditos de carbono, autoprodução e plataforma de comercialização que não estão incluídas em nossos números;
  • Por fim, vemos a ação sendo negociada a uma TIR real de 12,8%, o que consideramos atraente;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Autopeças: Respondendo Às Perguntas Que Você Pode Ter

  • Estamos atualizando nossas estimativas para as empresas brasileiras de Autopeças, elevando nossa recomendação para Marcopolo para Comprar e rebaixando a de Iochpe-Maxion para Neutra;
  • Embora esperemos um 2023 desafiador para algumas empresas, dado o cenário macro (especialmente doméstico), vemos os baixos níveis de valuation criando oportunidades;
  • Nesse sentido:
    • (i) estamos colocando a Marcopolo como nossa top-pick, pois não vemos o mercado precificando sua melhora em receita e lucratividade que esperamos no curto prazo (múltiplo EV/EBITDA de 2023 está -50% abaixo da sua média histórica; e
    • (ii) estamos rebaixando nossa recomendação para Iochpe-Maxion para Neutra, com piores perspectivas de receita para 2023 implicando em um EBITDA -22% versus consenso (embora os níveis de valuation descontados nos impeçam uma visão mais pessimista).
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Em ano sem IPOs, bolsa perde 14 empresas e mais de R$ 190 bi em valor de mercado (Valor);
    • BNDES inovará para que crédito chegue para pequenas e médias empresas, diz Abreu (Valor);
    • Carteira de crédito ao agronegócio do Banco do Brasil (BBAS3) chega a R$ 300 bilhões (InfoMoney);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Migração do cobre para a fibra é mais um desafio para fim das concessões de telefonia fixa (Teletime);
    • Reclamações de usuários de telecom caem 29% em novembro (Telesíntese);
    • Competição acirrada no segmento de cabos submarinos (Telesíntese);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Carrefour Brasil avança em plano de conversão do Grupo Big e encerra o ano com 91 novas lojas (Valor);
    • Assaí abre CD em ponto estratégico do Rio de Janeiro para suportar expansão no Estado (Mercadoeconsumo);
    • Shein avança em modelo no país, cria taxa de 10% e reforça logística (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
  • Alimentos e Bebidas
    • Indústria de saúde animal deve fechar o ano com faturamento recorde – Valor;
    • Casos de gripe aviária em crescimento – Euromeat;
  • Agro
    • Trigo sobe mais de 2% em Chicago com frio extremo nos EUA – Valor;
    • Defensivos biológicos conquistam produtores – Valor;
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Volta da Petrobras à Margem Equatorial vai ficar para 2023 (Valor Econômico);
    • Com aporte de grandes grupos, Beenx busca oportunidades no mercado livre (Valor Econômico); 
    • Petrobras antecipa a P-71 (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Multa bilionária do Wells Fargo

  • Micron anuncia corte de funcionários em 2023, em virtude da queda na demanda por semicondutores;
  • Wells Fargo pagará multa bilionária por condutas que prejudicaram clientes;
  • YouTube está em negociações pelos direitos do pacote Sunday Ticket da NFL;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Mercados
    • Congresso promulga PEC da Transição, que expande teto de gastos para acomodar promessas de Lula (Valor Econômico);
    • Mercadante confirma Nelson Barbosa e Tereza Campello na diretoria do BNDES (InfoMoney).
  • Noticiário Corporativo
    • Volta da Petrobras à Margem Equatorial vai ficar para 2023 (Valor Econômico);
    • Conselho da Copel aprova estudos para renovar concessões via possível oferta de ações (Valor Econômico).
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Por que o mercado de FIIs derreteu na reta final do ano? (Estadão);
    • Fundo imobiliário tenta captar R$ 25 milhões para comprar ativos; Ifix volta ao patamar perdido (MoneyTimes);
    • Aprendizados do mercado imobiliário e perspectivas para 2023 (Monitormercantil);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Empresas avançam em iniciativas na agenda ESG; Votorantim, 3M e Nippon Steel são destaque | Café com ESG, 22/12

  • O mercado fechou o pregão de quarta-feira em território levemente positivo, com o Ibov e o ISE em alta de +0,5% e +0,1%, respectivamente;
  • No Brasil, (i) os fornos da fábrica da Votorantim Cimentos na fábrica em Primavera (PA) são abastecidos com um combustível, a princípio, inusitado: caroços de açaí – eles já substituem mais da metade do combustível fóssil necessário para aquecer a mistura de calcário, argila, areia e minério de ferro que entra nas fornalhas, em minha com a estratégia da empresa de reduzir suas emissões; (ii) a 3M anunciou, nesta terça-feira, que irá eliminar gradualmente a produção dos chamados “químicos eternos” PFAS, usados em produtos do dia a dia, diante do endurecimento da regulamentação devido a seus efeitos nocivos à saúde;
  • No internacional, a japonesa Nippon Steel Corp planeja começar a fabricar matérias-primas com baixo teor de carbono, como “ferro reduzido” produzido com hidrogênio, para atender à crescente demanda pelo chamado aço verde – à título de referência, a produção de aço responde por cerca de 7% a 9% das emissões globais de dióxido de carbono;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.