XP Expert

Dados de inflação e emprego no Brasil, Livro Bege nos EUA e mais: saiba o que esperar nesta semana

Nesta segunda-feira, os mercados permanecem fechados nos Estados Unidos devido ao feriado de Memorial Day. Veja destaques de hoje, 27/05/2024

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Ouça no Spreaker


IBOVESPA -0,34% | 124.306 Pontos

CÂMBIO +0,25% | 5,17/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

O Ibovespa teve sua pior semana desde março de 2023, caindo 3,0% em reais e 3,8% em dólares, fechando aos 124.306 pontos.

Globalmente, os destaques da semana foram a ata da reunião do Federal Reserve de 1º de maio, divulgada na quarta-feira e interpretada como mais dura, e o PMI composto americano, divulgado na quinta-feira, que atingiu seu maior nível dos últimos 25 meses, enquanto as expectativas eram de um leve recuo. Ambos os dados pressionaram mercados globais, apesar de um balanço do 1T24 positivo pela Nvidia, divulgado na quarta-feira e que impulsionou o índice Nasdaq a mais um recorde histórico.

No Brasil, o foco foi na projeção da taxa Selic e dados de inflação maiores que o esperado no Boletim Focus, divulgado na segunda-feira, indicando uma deterioração do macro doméstico e reforçando o tom mais duro da ata da última reunião do Copom, divulgada no dia 14.

A maior alta da semana foi Yduqs (YDUQ3, +5,7%), após a empresa estabelecer uma projeção de longo prazo para os principais itens do balanço em seu Investor Day (leia a nossa análise aqui).

Por outro lado, a maior queda da semana foi Magazine Luiza (MGLU3, -17,0%), após o governo federal afirmar que irá vetar a taxação de compras internacionais de até US$ 50, mas está aberta a discussão. Clique aqui para acessar o Resumo semanal da Bolsa.

Renda Fixa

No comparativo semanal, os juros futuros encerraram em movimento de alta, com destaque para a forte alta dos vértices intermediários. O diferencial entre os contratos com vencimento em janeiro 2026 e 2034 saiu de 109,3 pontos-base na sexta-feira passada para 93,5 pontos na última semana. A curva, portanto, apresentou nova diminuição na inclinação.

A semana teve como centro das atenções o cenário fiscal brasileiro, que mesmo com forte arrecadação por parte do governo em abril, levou a uma nova precificação de risco na curva de juros. Nos Estados Unidos, a aceleração do PMI de manufatura corroborou com discursos mais restritivos de membros do Federal Reserve de que a economia americana está aquecida, aumentando a incerteza acerca de cortes de juros por lá. DI jan/25 fechou em 10,42% (alta de 5,1bps no comparativo semanal); DI jan/26 em 10,85% (alta de 19bps); DI jan/27 em 11,15% (alta de 14,5bps); DI jan/29 em 11,57% (alta de 6,8bps); DI jan/34 em 11,78% (alta de 3,2bps).

Mercados globais

Nesta segunda-feira, os mercados permanecem fechados nos Estados Unidos devido ao feriado de Memorial Day. O evento impacta a liquidez ao redor do mundo, que fica reduzida.

Na Europa, as bolsas operam em alta, com leve avanço do índice pan-europeu (Stoxx 600: 0,1%), enquanto a Bolsa do Reino Unido fica fechada devido ao feriado bancário. Na China, as bolsas fecharam em forte alta (CSI 300: 1,0%; HSI: 1,2%) após dados fortes da indústria e redução da taxa de hipotecas.

Economia

Publicado na sexta-feira pelo banco central , a conta corrente brasileira apresentou déficit maior do que o esperado em abril (efetivo: US$ 2,5 bilhões; XP: US$ 1,2 bilhões; mercado: US$ 1,4 bilhões). No lado da conta financeira, os ingressos líquidos de IDP acumulados em 12 meses atingiram US$ 67,2 bilhões em abril (3,0% do PIB). Também no Brasil, o Índice de Confiança do Consumidor da FGV caiu consideravelmente para 89,2 pontos em maio, de 93,2 pontos em abril. O Índice da Situação Atual permaneceu em 80,6 pontos, enquanto o Índice de Expectativas recuou 6,7 pontos, para 95,5. Publicado na última sexta-feira nos EUA, as novas encomendas de bens duráveis ​​nos Estados Unidos aumentaram 0,7% em abril em relação ao mês anterior, acima das expectativas do mercado, de uma redução de 0,8%.

Na agenda internacional, os principais dados da semana se concentrarão na sexta-feira. Na Europa, será divulgada a leitura preliminar da inflação ao consumidor referente a maio. Nos EUA, será publicado o deflator dos gastos de consumo (PCE deflator, em inglês) referente a abril.

Na quarta-feira, será divulgado o Livro Bege nos EUA. Além disso, teremos a segunda leitura do PIB dos EUA do primeiro trimestre na quinta-feira. Por fim, diversos dirigentes de bancos centrais de países desenvolvidos falarão publicamente ao longo da semana, incluindo Fed nos EUA, BCE na Europa, e Banco da Inglaterra no Reino Unido.

No Brasil, o destaque será a publicação do IPCA-15 de maio na terça-feira. Além disso, haverá divulgações de indicadores relevantes sobre mercado de trabalho, com o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) na terça-feira e a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) na quarta-feira – ambos os dados referentes a abril. Por fim, as estatísticas fiscais do setor público consolidado do último mês serão publicadas na sexta-feira pelo Banco Central.

Veja todos os detalhes

Economia

Dados importantes de inflação no Brasil e no mundo

  • Publicado na sexta-feira pelo banco central , a conta corrente brasileira apresentou déficit maior do que o esperado em abril (efetivo: US$ 2,5 bilhões; XP: US$ 1,2 bilhões; mercado: US$ 1,4 bilhões). A surpresa foi principalmente devido ao maior déficit em Renda Primária, dadas as maiores despesas com rendas de investimento direto. Os dados também mostram que a balança comercial segue robusta. No lado da conta financeira, os ingressos líquidos de IDP (Investimento Direto no País) acumulados em 12 meses atingiram US$ 67,2 bilhões em abril (3,0% do PIB). Os ingressos líquidos em IDP mantêm trajetória de recuperação e o balanço de pagamentos brasileiro, robusto. Nossa projeção para 2024 é de US$ 67,0 bilhões, equivalente a 2,9% do PIB. Para a conta corrente, projetamos déficit de US$ 33,5 bi ou 1,5% do PIB.
  • Também no Brasil, o Índice de Confiança do Consumidor da FGV caiu consideravelmente para 89,2 pontos em maio, de 93,2 pontos em abril. O Índice da Situação Atual permaneceu em 80,6 pontos, enquanto o Índice de Expectativas recuou 6,7 pontos, para 95,5.
  • Publicado na última sexta-feira nos EUA, as novas encomendas de bens duráveis ​​nos Estados Unidos aumentaram 0,7% em abril em relação ao mês anterior, após um aumento revisado para baixo de 0,8% em março, e acima das expectativas do mercado de uma redução de 0,8%. Isto marcou o terceiro avanço mensal consecutivo nas encomendas de bens duráveis. Apesar dos resultados positivos, a atividade econômica nos EUA tem desacelerado gradualmente em meio à política monetária restritiva.
  • Na agenda internacional, os principais dados da semana se concentrarão na sexta-feira. Na Europa, será divulgada a leitura preliminar da inflação ao consumidor referente a maio. Nos EUA, será publicado o deflator dos gastos de consumo (PCE deflator, em inglês) referente a abril – o indicador de inflação preferido do Fed. Na quarta-feira, será divulgado o Livro Bege nos EUA – publicação periódica pelo banco central que oferece uma visão detalhada das condições econômicas em cada um dos 12 distritos do Fed. Além disso, teremos a segunda leitura do PIB dos EUA do primeiro trimestre na quinta-feira (a leitura preliminar registrou variações trimestral anualizada de 1,6%). Por fim, diversos dirigentes de bancos centrais de países desenvolvidos falarão publicamente ao longo da semana, incluindo Fed nos EUA, BCE na Europa, e Banco da Inglaterra no Reino Unido.
  • No Brasil, o destaque será a publicação do IPCA-15 de maio na terça feira, cuja expectativa é de alta relevante em bens monitorados, especialmente gasolina e produtos farmacêuticos. Preços livres, no entanto, devem apresentar dinâmica bem-comportada, embora com reversão da queda vista nos últimos meses em passagem aérea. Esperamos que os impactos das chuvas no Rio Grande do Sul serão tímidos nessa leitura. Além disso, haverá divulgações de indicadores relevantes sobre mercado de trabalho, com o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) na terça-feira e a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) na quarta-feira – ambos os dados referentes a abril. Por fim, as estatísticas fiscais do setor público consolidado do último mês serão publicadas na sexta-feira pelo Banco Central.

Empresas

Orizon (ORVR3): Transformando resíduos em riqueza; Biometano como combustível para o crescimento

  • Estamos atualizando nossas estimativas de Orizon (ORVR3) incorporando:
    • a JV com a Compass para produção de biometano no Ecoparque Paulínia;
    • a JV com a Gás Verde para exploração de biometano nos Ecoparques Nova Iguaçu e São Gonçalo; e
    • a aquisição de um aterro sanitário em Juazeiro – CE.
  • Como resultado, estamos aumentando nosso preço-alvo para R$ 56,0/ação de R$ 47,0/ação anteriormente e reiterando nossa recomendação de Compra;
  • Nossa visão baseia-se:
    • na oportunidade única da Orizon construir uma operação pioneira de biometano;
    • no potencial de crescimento orgânico e inorgânico no negócio de aterros;
    • no desenvolvimento de novos negócios, como fertilizantes verdes, UTE e processamento de resíduos; e  
    • monetização de créditos de carbono.
  • Finalmente, vemos uma TIR real de 14,6% ou 7,8x EV/EBITDA para ORVR3;

Clique aqui para acessar o relatório completo.

Raízen (RAIZ4): Destaques da visita à nova planta de etanol de segunda geração

  • Na sexta-feira (24), participamos da cerimônia de inauguração da nova planta de etanol de 2ª geração (E2G) da Raízen no Bioparque Bonfim, com a presença de Ricardo Mussa (CEO), lideranças da companhia, além do Presidente Lula e demais representantes do governo;
  • As principais mensagens foram: (i) ganhando uma boa vantagem competitiva; (ii) perspectiva positiva de demanda; e (iii) expansão adicional de capacidade de produção de E2G adiante;
  • Voltamos da visita com uma visão positiva sobre o potencial da Raízen em alavancar sinergias de novas construções, ao mesmo tempo em que a velocidade de escala para colocar toda a produção rodando (nossa principal preocupação) permanece incerta;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Ambipar (AMBP3): Feedback do Investor Day 2024; Comprometidos com a redução da alavancagem

  • A Ambipar realizou ontem seu primeiro Investor Day desde seu IPO;
  • O evento contou com a participação de diretores, do controlador (Sr. Tércio) e conselheiros;
  • Em relação à alavancagem, a empresa assumiu o compromisso de atingir 2,5x EV/EBITDA até 2026 (vs. 3,1x atualmente); 
  • Até então, a empresa não fará novas aquisições;
  • Além disso, mencionaram que pretendem aumentar a utilização dos ativos existentes, explorar a venda cruzada de serviços, finalizar integrações, cortar custos, focar na desalavancagem e reinvestir organicamente no negócio;
  • Acreditamos que foi importante o foco na redução da sua alavancagem, embora acreditemos que 2026 possa estar muito longe;
  • Vemos também outros elementos da sua estratégia, como a integração de recentes fusões e aquisições e a alocação de capital, como questões relevantes na agenda do investidor;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • XP sela a compra de fatia minoritária da Manchester (Valor);
    • Em seis meses, ‘open investment’ já chega a 360 milhões de trocas de informações (Valor);
    • Nubank chega a R$ 290 bi em valor de mercado e volta a passar Itaú após dois anos (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Agenda de política: Deputados tentam destravar projeto de taxação de compras até US$ 50 (Valor Econômico);
    • Josué e a isenção de US$ 50 para compras internacionais (O Globo);
    • Desafio é criar ambiente menos hostil para a produção brasileira (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Saúde: XP Daily | Sua dose diária de notícias
    • Possível fusão com Amil em hospitais estaria em linha com ações operacionais e estratégicas, diz Dasa (Valor Econômico);
    • Planos de saúde: de janeiro a abril, ANS recebeu quase 6 mil reclamações por cancelamento unilateral de contratos (O Globo);
    • Rede D’Or diz que oscilação das ações pode estar ligada ao noticiário envolvendo empresa (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • XP Daily: As principais notícias do setor Imobiliário
    • Campos Neto vê ‘notícia ruim’ em projeções de inflação (Infomoney);
    • Votação para aprovação do projeto de reoneração gradual deverá ser no começo de junho, após debate sobre medidas compensatórias (Sinduscon);
    • Crédito imobiliário do SBPE alcança R$ 15,7 bilhões em abril, o melhor resultado do ano (Abecip);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Distribuidoras de energia criticam pontos de decreto e colocam em dúvida renovação das concessões (CNN Brasil);
    • Brasil quer concluir antes do prazo acordo com Paraguai sobre Itaipu (Estadão);
    • Silveira diz que R$ 15 bilhões em subsídios na conta de luz deveriam ir para o Orçamento (Estadão).
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Bullet;

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Em breve.

Alocação & Fundos

Estamos reiterando a nossa recomendação Compra para o JSRE11

  • Os principais pontos da tese são: 
  • Boa qualidade dos imóveis do fundo; 
  • Expectativa de redução de vacância; 
  • Valuation com potencial de valorização;
  • Clique aqui para baixar o relatório completo.

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • AFHI11, KNCR11: Veja a agenda de ofertas de fundos imobiliários desta semana (Suno);
    • FIIs interrompem série de quedas, mas IFIX cai 0,39% no acumulado da semana (FIIs);
    • ALZR11 fecha acordo para comprar 3 imóveis por R$ 151,75 milhões; como isso impacta os dividendos? (FIIs);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Cresce a oferta e o patrimônio líquido de fundos ‘verdes’ em 2024, diz Anbima | Café com ESG, 27/05

  • Pressionado por macro global e doméstico, o Ibovespa teve sua pior semana desde março de 2023, caindo 3,0%. No mesmo período, o ISE caiu 2,98%. O pregão de sexta-feira também terminou em queda, com o IBOV e o ISE recuando 0,33% e 0,45%, respectivamente;
  • No Brasil, (i) o aumento da oferta de fundos chamados ‘verdes’ e do seu patrimônio líquido mostram que a sustentabilidade pauta cada vez mais o mercado de investimentos – dados da Anbima indicam 91 fundos IS (investimento sustentável) e 39 que integram aspectos ESG em março/24 (vs. 41 e 13 respectivamente em dez/22) e patrimônio líquido somados de R$ 13,4bi contra R$7,4bi no fim de 2022; e (ii) o fenômeno meteorológico La Niña, cuja principal característica é prolongar os períodos secos do ano, deve atrasar a retomada das chuvas nos reservatórios das hidrelétricas no período úmido e pressionar a oferta e a demanda de energia, segundo informações da Climatempo – no país, o setor hídrico já começou a tomar medidas emergenciais para evitar uma situação mais drástica no fim do ano;
  • No internacional, segundo a Bloomberg, o governo americano deve apresentar essa semana um conjunto de diretrizes gerais para incentivar o uso de créditos de carbono como parte das estratégias climáticas corporativas – a ideia é promover os créditos de alta integridade, que apresentam reduções reais, adicionais e permanentes de emissões que não teriam ocorrido de outra forma;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG. 

Receita de carbono, Faria Lima discute clima e Brasil busca emissão de 2° título ESG | Brunch com ESG 

  • Pensando em melhor auxiliar os investidores, o Brunch com ESG é um relatório publicado pelo time ESG do Research da XP que busca destacar os principais tópicos da agenda na semana;
  • Nesta edição, destacamos: (i) Precificação de carbono rende US$104bi em 2023, aumento de 9,5% em relação ao ano anterior; (ii) Finanças sustentáveis e mudanças climáticas em alta na Faria Lima; e (iii) Após 1ª emissão de títulos verdes, Brasil se prepara para mais uma;
  • Clique aqui para ler o conteúdo completo.  

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.