XP Expert

Bolsas hoje: Mercados à espera do relatório de emprego nos Estados Unidos

Relatório de emprego nos EUA e IGP-DI no Brasil são alguns dos temas de maior destaque nesta sexta-feira, 05/04/2024

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Ouça no Spreaker


IBOVESPA +0,09% | 127.428 Pontos

CÂMBIO +0,20% | 5,05/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

O Ibovespa fechou em leve alta de 0,1% na quinta-feira, encerrando o dia aos 127.428 pontos. O índice subiu apesar da queda de seus maiores papeis: Petrobras (PETR3, -0,5%; PETR4, -1,4%) e Vale (VALE, 1,1%). O papel da estatal teve bastante volatilidade ao longo do dia, repercutindo notícias sobre o pagamento de dividendos extraordinários, e uma possível troca do atual CEO, Jean-Paul Prates, pelo atual presidente do BNDES, Aloizio Mercadante. Quanto à Vale, a mineradora caiu depois um banco de investimentos projetar um primeiro trimestre negativo.

Na outra ponta, Magazine Luiza (MGLU3; +4,7%) e Alpargatas (ALPA4; +3,8%) subiram com um maior apetite por risco. Ainda dentro do setor de Varejo, ações do Grupo Casas Bahia (BHIA3; -4,4%) e Arezzo (ARZZ3; -3,0%) registraram as maiores quedas do pregão. 

Renda Fixa

A curva de juros interrompeu a trajetória altista e apresentou alívio nas taxas futuras no pregão de hoje. O mercado manteve a correlação com as Treasuries, que cederam ao longo dia após os dados de seguro-desemprego superiores à expectativa nos EUA. DI jan/25 fechou em 9,945% (-1bps vs. pregão anterior); DI jan/26 em 9,935% (-3,5bps); DI jan/27 em 10,24% (-3,5bps); DI jan/29 em 10,815% (-1,5bps).

Mercados globais

Nesta sexta-feira, os mercados operam em alta nos Estados Unidos (S&P 500: 0,3%; Nasdaq 100: 0,3%), após sessão volátil na quinta-feira, que pode ser atribuída a incertezas geopolíticas (conflito entre Irã e Israel), e a falas mais duras de dirigentes do Federal Reserve. O mercado segue à espera da divulgação dos dados de emprego dos Estados Unidos (nonfarm payroll).

Na Europa, os mercados operam em queda (Stoxx 600: -1,1%) com todos os setores no negativo. Na China, as bolsas de Xangai e Hong Kong permanecem fechadas até a próxima semana devido a um feriado.

Economia

No Brasil, o Banco Central divulgará a nota de estatísticas fiscais de fevereiro. Os agentes continuam acompanhando de perto também os próximos passos da flexibilização da política monetária brasileira.

Destaque desta sexta-feira será a divulgação do relatório de emprego nos Estados Unidos, que trará os dados mais aguardados da semana.

Veja todos os detalhes

Economia

Relatório de emprego nos Estados Unidos será o destaque de hoje

  • No Brasil, as estatísticas de setor externo de fevereiro decepcionaram. O déficit em transações correntes do Brasil foi superior ao previsto em fevereiro, principalmente devido a despesas mais elevadas na balança de serviços. No entanto, o déficit em 12 meses manteve-se em 1,1% do PIB (US$ 24,7 bi), muito abaixo da média histórica. Os ingressos líquidos (voláteis) de Investimentos Diretos também ficaram aquém das estimativas, totalizando US$ 5 bi, contra US$ 7,2 bi um ano antes. Prevemos uma recuperação gradual dos investimentos à frente, resultando em US$ 70 bi (3,0% do PIB) até ao final de 2024;
  • Na agenda de hoje, há a divulgação das estatísticas fiscais referentes a fevereiro pelo Banco Central. A expectativa da XP é que o resultado primário do setor público consolidado seja deficitário em R$ 47,6 bi. – Na seara internacional, o grande destaque do dia (e da semana) será a divulgação do relatório de emprego (payroll) de março nos Estados Unidos. A expectativa do mercado é de geração de 214 mil vagas de emprego, que a taxa de desemprego recue de 3,9% para 3,8% e que salários cresçam 0,3% m/m. Tais indicadores são de suma importância para a condução da política monetária e devem movimentar preços de ativos após a publicação, marcada às 9:30.

Empresas

Bens de capital: O que o mundo está dizendo? 4T23

  • No 4T23, vemos indicações mistas quando analisamos os pares globais de Bens de Capital.
    • Olhando para (i) nomes eletroeletrônicos industriais e de energia, vemos um tom sólido no 4T23, com receitas crescendo A/A e margens de dois dígitos definindo o segmento como o destaque positivo. No entanto, olhando para o futuro, os players continuam indicando a normalização da demanda por produtos de ciclo curto, enquanto a demanda por produtos de grade de ciclo longo permanece forte.
    • Na (ii) divisão aeroespacial, vemos problemas de qualidade duradouros (ilustrados pelo incidente da Boeing), mas uma perspectiva relativamente melhor para a Airbus (incluindo a aceleração de novos pedidos para o A220).
    • A qualidade permanece no centro também dos nomes de (iii) energia eólica, com restrições contínuas da cadeia de suprimentos (mas expectativas ligeiramente melhores para 2024).
    • Por fim, olhando para (iv) o setor automotivo, vemos que os baixos preços das matérias-primas continuam impactando os fornecedores de Autopeças dos veículos leves, enquanto para os veículos pesados vemos a normalização da demanda (com a desaceleração da renovação da frota).
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Papel e Celulose: Interrupções no fornecimento de celulose em destaque; Futuros de maio de 2024 a US$ 697/t

  • Nesta semana, observamos:
    • (i) Interrupções no fornecimento de celulose se intensificaram em Mar’24; 
    • (ii) Os preços de aparas aumentaram 2% M/M em Mar’24; 
    • (iii) Desempenho preliminar da receita líquida da Suzano no 1T24E de +14% T/T, enquanto a receita líquida da Klabin deverá aumentar 9% T/T e Irani estável T/T; 
    • (iv) Os futuros chineses de BHKP estão atualmente em US$ 697/t para maio de 24 (S/S estável) e ligeiramente acima dos preços spot de BHKP de US$ 695/t na China; e por fim, 
    • (v) A Suzano está negociando a 6,1x EV/EBITDA forward excluindo o Cerrado, um desconto de 13% quando comparado à sua média histórica de 7,0x e um desconto de 4% em comparação aos players de celulose de mercado;
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Analisando a Concessão “BR-040/MG (BH-JF)”; Leilão será na próxima semana

  • O próximo leilão de rodovias do Brasil, BR-040/MG (BH-JF), está marcado para a próxima semana, 11 de abril (as propostas de licitação serão apresentadas dia 08 de abril);
  • É um projeto brownfield, com extensão total de 232 km e investimento de R$ 5,0 bilhões;
  • Vemos potencial para o projeto atrair concorrência, devido:
    • Perfil de tráfego bem conhecido, por se tratar de um leilão de parte da Via040 (anteriormente de propriedade da Invepar);
    • Capex relativamente reduzido de R$ 5,0 bilhões;
    • Perfil de retorno mais elevado (TIR real do governo de 9,88%);
  • Vemos espaço para retornos acrescidos e observamos um perfil FCF saudável do projeto (reduzindo potencialmente os níveis de alavancagem dos participantes listados);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Utilities: Data Expert | A Força Solar; Mês fraco para geração solar

  • Este relatório mensal acompanha o desempenho operacional dos complexos solares pertencentes às empresas sob nossa cobertura.
  • Os dados são coletados do ONS (Operador Nacional do Sistema).
  • Em março, a geração de energia solar foi fraca, com o desempenho consolidado dos complexos solares das empresas sob nossa cobertura diminuindo -7% em relação ao ano anterior;
  • Reforçamos que esta geração fraca pode refletir não apenas recursos solares, mas também possíveis restrições por parte do ONS.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Cade aprova aquisição da Guide Investimentos pelo Safra (Valor);
    • BB já renegociou R$ 2 bilhões na Faixa 1 do Desenrola (Valor);
    • Nubank lança função de ‘chamada verificada’ que ajuda a combater golpe da falsa central telefônica (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Transação tributária das subvenções e juros sobre o capital próprio (Valor Econômico);
    • Sephora vai inaugurar quatro lojas no Brasil em 2024 (Valor Econômico);
    • Com produção diária de 18 mil pares, Democrata apresenta nova tecnologia para calçados (Exame);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Bebidas
      • Setor de embalagem surpreende no início do ano (Valor);
    • Alimentos
      • Bird Flu Should Make Us Worried — But Not Panicked (Bloomberg);
      • Exportações de carne bovina cresceram 25% no primeiro trimestre (GloboRural);
    • Agro
      • Huge Chinese, Brazilian corn crops may limit US exports into 2025 (Reuters);
      • No tanque da Microgeo, biológicos e vendas se multiplicam, mesmo em ano complicado (AgFeed);
    • Biocombustíveis
      • Novas metas do RenovaBio (Udop);
      • Southwest adquire empresa que produz etanol para converter em SAF (NovaCana);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo
  • Saúde: XP Daily | Sua dose diária de notícias
    • No pacote de remuneração da Oncoclínicas, uma revisão chama atenção (Exame);
    • Kora Saúde (KRSA3) pretende implementar o grupamento das ações (Finance News);
    • Mendonça afasta decisão do TCU e libera licitação para aquisição de medicamento (Jota);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • XP Daily: As principais notícias do setor Imobiliário
    • Custos dos insumos se estabilizaram, em patamar muito elevado, e a mão de obra preocupa a médio prazo (CBIC);
    • Construção e mercado imobiliário reclamam atenção na reforma tributária (CBIC);
    • STF adia retomada do julgamento sobre correção do FGTS (Infomoney);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • União quer ao menos quatro assentos na Eletrobras (Folha de S. Paulo);
    • PIPELINE: Por que a Actis ficou de fora da oferta da Serena (Valor Econômico);
    • Proposta de plebiscito para venda da Sabesp apoiada por Boulos pode virar enquete em bairros (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Estratégia

O CDI continua valendo a pena? | Gráfico da Semana

  • O CDI de 1% ao mês é um símbolo do investidor brasileiro: (quase) risco zero, e uma rentabilidade anualizada sólida de 12,7% devido ao efeito de juros composto;
  • Porém, desde 2023, iniciamos um novo ciclo de afrouxamento monetário, e com isso, temos visto a taxa mensal do CDI cair, com março sendo 0,83%, ou seja, já deixando de render 1% ao mês;
  • Como esperamos que este ciclo de queda de juros continue, com o nosso time de Economia projetando uma taxa terminal em 9,0%, esta tendência de queda no CDI deve continuar. Lembrando que o CDI caminha junto com a taxa Selic;
  • A bolsa é uma alternativa atrativa: na média dos últimos 20 anos, quando houve 6 ciclos de queda de juros, o Ibovespa valorizou 35% nos períodos em que a taxa Selic foi cortada, equivalente a quase três vezes o rendimento do CDI nos mesmos períodos;
  • Clique aqui para acessar o Gráfico da Semana.

Renda fixa

Tudo sobre Renda Fixa no mês (e o que esperar)

  • A curva de juros encerrou o mês de março com leve baixa nos vencimentos curtos e em alta nos vértices intermediários e longos, com novo ganho de inclinação. Nas próximas semanas, os mercados devem seguir mais cautelosos acerca das discussões sobre as medidas fiscais domésticas e política monetária nos EUA;
  • No mercado primário, as emissões de crédito privado totalizaram R$ 33,3 bilhões em março (último dado disponível), apresentando um crescimento robusto frente ao mesmo período do ano anterior. Em relação aos títulos públicos federais, os leilões de março arrecadaram um volume total de R$ 163,5 bilhões (+58% m/m);
  • No mercado secundário de crédito privado, destacamos o mês de abril com a maior concentração de debêntures a vencer dentro dos próximos doze meses, com cerca R$ 11 bilhões. Em nossa visão, parte deste volume pode ser refinanciada;
  • Acerca dos spreads, notamos uma tendência de convergência das taxas para a média histórica, tanto para ativos comuns quanto isentos;
  • Quanto aos ratings corporativos, em março, houve um maior equilíbrio em relação às movimentações de notas de crédito realizadas pelas agências para os emissores, com número de downgrades (rebaixamentos) próximo ao de upgrades (elevações);
  • Em nossa visão, mesmo com as recentes mudanças do CMN, é possível encontrar boas oportunidades na Renda Fixa. Contudo, passam a ser ainda mais importantes a seletividade e o comparativo entre as rentabilidades de papéis isentos e não isentos;
  • Acesse aqui o relatório completo.

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • U.S. Treasury yields tick higher ahead of key jobs report (CNBC);
  • Galípolo: Mercado de trabalho apertado e atividade aquecida podem levar a um processo de desinflação mais lento (Valor);
  • Movida confirma emissão de US$ 500 milhões em bônus no exterior (Valor);
  • Fitch Afirma Ratings do Banco Fibra em ‘B+’/‘BBB+(bra)’ e Revisa Perspectiva para Negativa (Fitch);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Melhor opção para resolver caso do XPPR11 é vender imóvel ao CPOF11, diz gestor (InfoMoney);
    • Fundo imobiliário cogita “incorporar” 3 outros FIIs da mesma gestora; entenda a operação (FIIs);
    • Índice de fundos imobiliários renova recorde e deixa o Ibovespa comendo poeira (Valor Investe);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Margem Equatorial: Estados da região querem criar fundo soberano com parte dos recursos de royalties | Café com ESG, 05/04

  • O pregão de quinta-feira terminou em território misto, com o IBOV andando de lado (0,08%), enquanto o ISE subiu 0,55%;
  • Na política, (i) Marina Silva, Ministra do Meio Ambiente e Mudança do Clima, estabeleceu as regras para que os municípios, localizados no Bioma Amazônia, façam adesão a programa que tem como objetivo reduzir o desmatamento e incêndios florestais – segundo portaria publicada ontem no Diário Oficial da União, os municípios que aderirem à iniciativa poderão ser priorizados nas ações do governo federal relacionadas ao apoio à regularização ambiental e fundiária; e (ii) sob liderança do Maranhão e do Amapá, os estados da região amazônica (exceto o Pará) querem levar ao governo Lula a sugestão de criar um fundo soberano com parte dos recursos de royalties e participações especiais, na tentativa de destravar o processo de licenciamento para exploração de petróleo na Foz do Amazonas – uma das finalidades seria utilizar o dinheiro do petróleo para reinvestimento em ações diretas de órgãos ambientais como o Ibama e o ICMBio;
  • No lado das empresas, a saída de Jean Paul Prates da presidência da Petrobras é dada como certa, cada vez mais, no Palácio do Planalto – segundo o Valor, nos bastidores, auxiliares do presidente Lula admitem que a situação dele é considerada “sensível” e “ruim”;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG. 

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.