Bolsa brasileira descola dos mercados globais com temores sobre a inflação

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Clique para ouvir

IBOVESPA -1.8% | 104.404 Pontos

CÂMBIO +0,8% | 5,50/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa encerrou a sessão da última terça-feira (17/11) com queda de 1,82% aos 104.404 pontos, enquanto isso, o dólar fechou com alta de 0,83% aos R$ 5,50. As taxas futuras de juros encerraram a sessão de ontem em alta com maior intensidade na ponta longa da curva, em meio às incertezas sobre a tramitação da PEC dos Precatórios no Senado, desvalorização das moedas emergentes frente ao dólar e leilão do Tesouro com aumento na oferta de papéis. DI jan/22 fechou em 8,52%; DI jan/24 foi para 12,00%; DI jan/26 encerrou em 11,74%; e DI jan/28 fechou em 11,74%.

Nesta quarta-feira, bolsas internacionais amanhecem sem movimentos expressivos (EUA 0% e Europa +0,1%) após dados sobre as vendas do varejo virem acima do esperado em outubro (+1,7% vs.+ 1,2% do consenso), seu maior crescimento desde março. Na Europa, o destaque fica por conta da divulgação dos dados da inflação ao consumidor na zona do euro. Por fim, no Japão (-0,4%), o mercado encerra em campo negativo em consequência dos dados de exportações que apresentaram uma desaceleração em outubro (+9,4% vs. +13% em setembro), fortemente impactados pela queda de -36,7% no volume de veículos exportados.

Em economia, do lado de indicadores internacionais, dados divulgados hoje na Europa renovam a percepção de que a inflação no mundo veio para ficar. Os dados de inflação equivalente da zona do euro subiram para mais do que o dobro da meta do Banco Central Europeu em outubro, mas em linha com uma estimativa anterior do Eurostat. O Banco Central Europeu adota postura ainda paciente em termos de aumento das taxas, e espera que o crescimento dos preços diminua durante 2022, mas já admitiu que vai demorar mais do que o inicialmente esperado. No Brasil, jornais destacam o desejo de Bolsonaro de reajustar o salário de ‘todos os servidores’ com os recursos abertos pela PEC dos Precatórios. Mas o governo está impedido de realizar reajustes em 2021, por conta da PEC emergencial. Caso seja realizado em 2022, a lei impede que a revisão ultrapasse a inflação medida dentro do mesmo ano da eleição. Nesse caso, o reajuste seria apenas feito sobre a inflação acumulada entre janeiro e março do próximo ano. Reajustes a carreiras pontuais, porém, não são descartados. Pelas contas do governo, reajuste de 1 pp. a servidores geram despesas na ordem de R$ 3 bilhões.

Além disso, em política internacional, o destaque desta quarta-feira é fala do presidente americano, Joe Biden, que prometeu anunciar sua escolha para presidente do Federal Reserve “nos próximos quatro dias”. O atual presidente, Jerome Powell, que está no cargo desde 2018, é o favorito, mas compete pela vaga com Lael Brainard, diretora e membro do conselho do banco central americano. Brainard seria a escolha predileta da ala mais à esquerda do partido democrata.

Por fim, na frente ESG, as principais organizações multilaterais do mundo vão lançar uma nova iniciativa na próxima semana com o objetivo de desenvolver um sistema de padrões para empresas, investidores e instituições financeiras para mensurar seu impacto na sustentabilidade global: a Plataforma de Gestão de Impacto, fundada por quatro agências da ONU, a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e o Banco Mundial. Além disso, a XP Asset lançou ontem três fundos de índice (ETF, na sigla em inglês) que permitem ao investidor ter exposição ao desempenho de ações de empresas ao redor do mundo com iniciativas ESG (de melhores práticas sociais, ambientais e de governança), negociados sob os códigos “ESGE11”, “ESGD11” e “ESGU11”.

Tópicos do dia

Economia

  1. Inflação mais alta no Reino unido consolida expectativa de alta de juros na reunião de dezembro

Política

  1. Biden deve anunciar escolha para o FED no fim de semana
  2. Câmara dos EUA pode votar Build Bak Better Act de USD 1,75 trilhão ainda nesta semana

Empresas

  1. Rebalanceamento do Ibovespa: Positivo (POSI3) o mais provável para entrar no índice em 2022
  2. Mosaico reporta resultados de 3T21 fracos; Cashback acelerando
  3. Boa Safra (SOJA3) 3T21: recordes em todas as frentes
  4. Iochpe-Maxion (MYPK3) 3T21: Veículos Comerciais Impulsionando Forte Desempenho Operacional; Positivo
  5. Hidrovias do Brasil (HBSA3) 3T21: Resultados Fracos de Curto Prazo, Atenuados por Resiliência dos Contratos Take-or-Pay
  6. Locadoras de Automóveis: A Saga de Aumentar Tarifas (e Manter Yields) – Analisamos os Resultados do 3T21 e Atualizamos Estimativas
  7. BR Partners (BRBI11): Resultados sólidos | Revisão 3T21
  8. Méliuz (CASH3): Despesas acima do esperado pesam | Revisão 3T21
  9. Rumo (RAIL3): Tracker Mensal de Ferrovias – Dados de Volume de Outubro -12%A/A
  10. Mills (MILS3): Mudança no conselho de administração
  11. Principais notícias dos setores

Mercados

  1. Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Walmart e Sea reportam resultados

ESG

  1. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 17/11

Veja todos os detalhes

Economia

Inflação mais alta no Reino unido consolida expectativa de alta de juros na reunião de dezembro

  • Os preços ao consumidor no Reino Unido subiram 4,2% no ano em outubro, atingindo a maior alta em 10 anos. Isso representa um salto acentuado de 3,1% no mês anterior e é mais do que o dobro da meta de médio prazo do banco central de 2%. O Banco da Inglaterra deve se tornar o primeiro dos principais bancos centrais do mundo a aumentar as taxas desde a pandemia do coronavírus, com este resultado consolidando as expectativas para a reunião de dezembro;
  • Os dados de inflação equivalente da zona do euro subiram para mais do que o dobro da meta do Banco Central Europeu em outubro, com mais da metade do salto devido a uma alta nos preços de energia. O Eurostat disse que a inflação nos 19 países que compartilham o euro subiu 0,8% mês a mês em outubro, para um aumento ano a ano de 4,1%, em linha com uma estimativa anterior do Eurostat, mas o Banco Central Europeu adota postura ainda paciente em termos de aumento das taxas;
  • As vendas no varejo nos EUA aumentaram em outubro, enquanto os americanos começavam ansiosamente suas compras de Natal mais cedo para evitar prateleiras vazias em meio à escassez de alguns produtos por causa da pandemia em curso, dando à economia um impulso no início do quarto trimestre. As vendas no varejo saltaram 1,7% no mês passado, o maior ganho desde março, após alta de 0,8% em setembro. Foi o terceiro avanço mensal consecutivo e superou as expectativas dos economistas de alta de 1,4%. As vendas aumentaram 16,3% com relação ao ano anterior em outubro e estão 21,4% acima do nível pré-pandêmico. Vários dos principais varejistas dos EUA esta semana notaram um início mais precoce das compras de Natal. Embora isso possa levar a quedas em novembro e dezembro, economistas e varejistas esperam que as vendas neste ano sejam as melhores em algum tempo;
  • A produção nas fábricas dos EUA se recuperou mais do que o esperado em outubro, conforme a resistência do furacão Ida diminuiu e a produção de veículos motorizados aumentou, mas a manufatura continua sendo limitada pela escassez de matérias-primas e mão de obra. A produção industrial subiu 1,2% no mês passado para seu nível mais alto desde março de 2019, após cair 0,7% em setembro, o Federal Reserve disse na terça-feira. Economistas ouvidos pela Reuters previam aumento de 0,7% na produção industrial. A manufatura, que responde por 12% da economia dos EUA, está sendo sustentada por empresas desesperadas para reconstruir estoques esgotados;
  • No Brasil, jornais destacam o desejo de Bolsonaro de reajustar o salário de ‘todos os servidores’ com os recursos abertos pela PEC dos Precatórios. Mas o governo está impedido de realizar reajustes em 2021, por conta da PEC emergencial. Caso seja realizado em 2022, a lei impede que a revisão ultrapasse a inflação medida dentro do mesmo ano da eleição. Nesse caso, o reajuste seria apenas feito sobre a inflação acumulada entre janeiro e março do próximo ano. Reajustes a carreiras pontuais, porém, não são descartados. Pelas contas do governo, reajuste de 1 pp. a servidores geram despesas na ordem de R$ 3 bilhões;
  • O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) divulgado ontem recuou 0,27% em setembro ante agosto, praticamente em linha com nossa expectativa (-0,4%) e com o consenso de rua (-0,3%). Portanto, a proxy mensal do Banco Central para o PIB caiu 0,1% no Q321 em comparação com o Q221 (aumento de 3,9% em relação ao Q320). Estimamos que o PIB do Brasil permaneceu estável no 3T.

Política

Biden deve anunciar escolha para o FED no fim de semana

  • Na seara internacional, o destaque desta quarta-feira (17) é fala do presidente americano, Joe Biden, que prometeu anunciar sua escolha para presidente do Federal Reserve “nos próximos quatro dias”. O atual presidente, Jerome Powell, que está no cargo desde 2018, é o favorito, mas compete pela vaga com Lael Brainard, diretora e membro do conselho do banco central americano. Brainard seria a escolha predileta da ala mais a esquerda do partido democrata.  

Câmara dos EUA pode votar Build Bak Better Act de USD 1,75 trilhão ainda nesta semana

  • Na Câmara, apesar de alerta de republicanos sobre possíveis efeitos inflacionários do Build Back Better Act de USD 1,75 trilhão, democratas centristas mantém alinhamento com a liderança do partido e planejam votação ainda nesta semana. Já no Senado, o panorama seria mais complexo, devido ao receio dos senadores Joe Manchin e Krysten Sinema.

Empresas

Rebalanceamento do Ibovespa: Positivo (POSI3) o mais provável para entrar no índice em 2022

  • Fizemos um novo estudo para identificar as possíveis candidatas na próxima revisão das ações que compõem o principal índice brasileiro. O próximo rebalanceamento será realizado no dia 3 de janeiro, mas, antes a B3 publicará a primeira prévia no dia 1 de dezembro;
  • Identificamos como possíveis candidatos de compor o índice: Positivo (POSI3) com probabilidade média, além de CSN Mineração (CMIN3), Cia Energética de São Paulo (CESP6) e Porto Seguro (PSSA3) com probabilidade baixa. Não identificamos nenhuma saída do índice;
  • Estimamos os possíveis pesos que cada ação estreante poderá ter no índice: CMIN3 (0,3%), CESP6 (0,2%), PSSA3 (0,2%) e POSI3 (0,03%);
  • Mudanças de peso para ações no índice: também estimamos os possíveis pesos que cada ação deverá ter no índice, com base na capitalização de mercado do free float de cada companhia. As principais mudanças projetadas foram para: 1) VALE3 (de 10,8% para 14,4%), 2) RDOR3 (de 0,90% para 2,5%), 3) PETR4 (de 5,90% para 5,40%);
  • Performance antes e depois do rebalanceamento: Olhamos as entradas e saídas do Ibovespa nos últimos 5 anos, período na qual foram adicionados 34 nomes e 3 nomes foram removidos. Verificamos que: as ações incluídas no índice valorizaram, na média, +10,4% nos 30 dias antes do rebalanceamento. Logo após a inclusão no índice, a média dos preços das ações tenderam a cair ou andar de lado. Veja mais detalhes no relatório;
  • Clique aqui para o relatorio.

Mosaico reporta resultados de 3T21 fracos; Cashback acelerando

  • O Mosaico reportou resultados do 3º trimestre fracos, com GMV caindo 24% A/A e receita -14% A/A devido a uma forte base de comparação e forte competição com players de cashback. Dessa forma, o EBITDA ajustado foi quase neutro (em R$1,1 milhão) enquanto o lucro líquido ajustado foi R$2,3 milhões, beneficiado pela receita financeira dos recursos levantados no IPO;
  • A companhia destacou que está acelerando sua operação de cashback, atingindo R$50 milhões de GMV em transações com cashback no mês de Setembro com 60% do GMV elegível a cashback . Ainda, a companhia anunciou o início da sua operação de serviços financeiros através do cartão buscapé (parceria com Banco Pan) a partir do dia 31/out e lançamento do marketplace in-app para clientes do PAN através da plataforma Buscapé no dia 19/nov;
  • Nós não temos recomendação para o papel uma vez que que as ações não devem negociar de acordo com fundamento após a sua fusão com o Banco Pan em 4/out, o que deve ser concluído no 1º trimestre de 2022.

Boa Safra (SOJA3) 3T21: recordes em todas as frentes

  • A Boa Safra entregou um trimestre forte com a primeira receita real do ano, já que é no 3T que o agricultor inicia o plantio da soja, e entregou recordes em todas as métricas;
  • A receita líquida aumentou 56% nos últimos 12 meses findos no 3T21, um pouco acima da nossa estimativa, enquanto o EBITDA foi de R$ 152 milhões no mesmo período (+46% A/A e -5% vs. XPe);
  • Além do recorde de receita, a carteira de pedidos aumentou 9,9% A/A, então vemos espaço para um 4T21 também e esperamos uma reação positiva do mercado para ação;
  • Nós reiteramos nossa visão positiva e recomendação de Compra em SOJA3, atualmente negociando em 3,5x EV/EBITDA para 2022YE, abaixo do múltiplo que avaliamos como justo de 4,9x;
  • Clique aqui para ler o relatório completo.

Iochpe-Maxion (MYPK3) 3T21: Veículos Comerciais Impulsionando Forte Desempenho Operacional; Positivo

  • A Iochpe-Maxion reportou bons resultados no 3T21, com EBITDA ajustado de R$455 milhões + 81% A/A e + 12% T/T (+12% vs. nossa estimativa);
  • Vemos o 3T21 como um reforço positivo do modelo de negócios diversificado da Iochpe, com crescimento da receita de 43% A/A (+ 13% T/T) refletindo um forte desempenho de veículos comerciais (+ 85% A/A; + 22% T/T) e compensando um desempenho relativo mais fraco de veículos leves (+17% A/A; + 5% T/T), ainda impactados pela escassez de semicondutores;
  • Em termos de rentabilidade, destacamos a margem EBITDA ajustada em um nível sólido de 12,7% (+2,7p.p. A/A; estável T/T), apesar do forte aumento nos custos de matéria-prima ao longo do 3T21 (+46% A/A; + 18% T/T);
  • Reiteramos nossa recomendação de Compra para a Iochpe-Maxion e preço-alvo de R$27,00/ação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Hidrovias do Brasil (HBSA3) 3T21: Resultados Fracos de Curto Prazo, Atenuados por Resiliência dos Contratos Take-or-Pay

  • A Hidrovias do Brasil reportou resultados fracos no 3T21, conforme esperado devido à quebra de safra no norte e restrições hidrológicas no sul (o EBITDA ajustado de R$139 milhões caiu 30% A/A), principalmente devido aos níveis de eficiência abaixo do ideal no Corredor Sul por restrições de navegabilidade (EBITDA ajustado de R$24 milhões -68% A/A), que deve começar a reverter apenas na última parte do 4T21;
  • Do lado positivo, notamos a resiliência da lucratividade do Corredor Norte, com contratos take-or-pay permitindo que o EBITDA ajustado tenha crescido 5% A/A chegando a R$104 milhões, apesar da queda de volume de ~40% A/A, evitando o que poderia ter sido um resultado significativamente pior para a empresa;
  • Reiteramos nossa recomendação de compra e visão positiva de longo prazo para a Hidrovias do Brasil, principalmente apoiados por uma perspectiva positiva de longo prazo para as exportações de grãos do Brasil;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Locadoras de Automóveis: A Saga de Aumentar Tarifas (e Manter Yields) – Analisamos os Resultados do 3T21 e Atualizamos Estimativas

  • Após resultados recentes positivos, estamos atualizando nossa cobertura do setor de Aluguel de Carros no Brasil com recomendações de Compra para Localiza (preço-alvo de R$68/ação, potencial de valorização de 32%), Movida (preço-alvo de R$26/ação, potencial de valorização de 52%) e Unidas (preço-alvo de R$36/ação, potencial de valorização de 56%).
  • Dos resultados do 3T21 das empresas listadas, destacamos:
    • (i) desempenho impressionante de receita no Rent-a-Car (RaC) (tarifas/volumes de aluguel +12/13% T/T); e
    • (ii) bons resultados operacionais (EBITDA +20% T/T).
  • Nossa visão positiva do setor está reiterada, principalmente devido a: (i) sólidos fundamentos do setor que suportam a demanda saudável por RaC e aluguel de frotas; (ii) o forte impulso do Seminovos deve persistir até 2022; e (iii) apesar do desafio imposto pelos preços mais altos de carros novos (exigindo tarifas de aluguel mais altas), esperamos uma normalização suave da atual escassez de fornecimento da indústria automobilística (projetamos um crescimento de lucro líquido médio anual de 25% entre 2019 e 2023e);
  • Clique aqui para ler o relatório completo.

BR Partners (BRBI11): Resultados sólidos | Revisão 3T21

  • A BR Partners apresentou bons resultados no terceiro trimestre de 2021 (3T21), com faturamento de R$ 42 milhões (vs. R$ 35 milhões no 2T21 e R$ 21 milhões no 3T20), o que implica um bom ROE de 27% no trimestre;
  • O resultado foi impulsionado principalmente por: i) Sales & Trading, que saltou 530% A/A e 131% T/T para R$ 24 milhões, impulsionado pela maior demanda e maior capital regulatório após o IPO; e ii) Mercado de Capitais, com crescimento de 24% A/A em R$ 22,5 milhões. Por outro lado, as despesas com pessoal veio pior do que o esperado mais uma vez, aumentando 176% A/A e 15% T/T para R$ 25,5 milhões, implicando em um índice de remuneração de 26% (vs. 25% nos 9M21 e nossa estimativa de 22% para 2021) embora seu índice de eficiência tenha melhorado 3pps T/T e 8pps A/A em 31%;
  • Com isso, reiteramos nossa recomendação de Compra e preço alvo de R$ 29,00/ação, dado que a companhia foi capaz de apresentar bons resultados mesmo em um cenário macroeconômico mais desafiador;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Méliuz (CASH3): Despesas acima do esperado pesam | Revisão 3T21

  • Méliuz publicou resultados praticamente em linha com o esperado no terceiro trimestre de 2021 (3T21), com receita líquida de R$ 59 milhões (vs. R$ 61 milhões do consenso VisibleAlpha), implicando em um crescimento de 8% T/T e 129% A/A;
  • A receita líquida mais fraca do que o esperado foi explicada principalmente pelo segmento de serviços financeiros, impactado pelo fim das campanhas pagas de marketing relacionadas ao cartão co-branded. Por fim, o lucro foi de R$ 3 milhões (-39% A/A), uma vez que as maiores despesas de pessoal foram apenas parcialmente compensadas pelas despesas de cashback menores do que o esperado. O índice de cashback sobre a comissão foi de 53%, o que vemos um índice saudável, dado que esperamos margens mais pressionadas no curto prazo para manter esse índice de crescimento;
  • Mantemos nossa recomendação de Compra e preço alvo de R$ 8,0/ação, pois vemos a empresa como um ótimo veículo para capturar a competição agressiva no e-commerce e com opcionalidades ainda não precificadas;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Rumo (RAIL3): Tracker Mensal de Ferrovias – Dados de Volume de Outubro -12%A/A

  • A Rumo reportou volumes fracos, embora melhores do que o esperado, em outubro (-12% A/A);
  • Previa-se que os volumes de exportação de grãos seriam fracos no 2S21 devido à quebra da safra de milho do Brasil;
  • Porém, os dados de Outubro mostram ganhos de participação de mercado em Santos (rota de transporte da Rumo), o qual ajudou a compensar o desempenho mensal da ferrovia (as exportações de grãos de Santos caíram 26% A/A vs. uma queda total no Mato Grosso de 50% A/A);
  • Nos últimos dozes meses a Rumo continuou a ganhar participação de mercado (41% em Outubro UDM, vs. 40% em 2020), enquanto o Arco Norte (incluindo Hidrovias do Brasil) perdeu 1p.p. para 33% (em parte devido aos menores volumes de milho do mês passado);
  • Reiteramos nossa visão positiva para as exportações de grãos do Centro-Oeste do Brasil e recomendações de compra para RAIL3 e HBSA3;
  • Clique aqui para ler o relatório completo.

Mills (MILS3): Mudança no conselho de administração

  • A Mills anunciou ontem (16) em comunicado ao mercado a renúncia de Jesper Rhode Andersen ao cargo de membro do Conselho de Administração, bem como a eleição de Pedro Chermont como conselheiro independente;
  • Chermont é sócio-fundador e CIO da Leblon Equities e foi membro do conselho da Mills duas vezes entre 2008 e 2013, além de outras empresas, como Priner e BR Home Centers;
  • O conselho mantém a proporção de 2/8 de membros independentes, com Eduardo Luiz Wurzmann deixando de ser conselheiro independente;
  • Vemos a notícia como neutra, visto que todos os executivos possuem experiência ampla e em diferentes empresas e reiteramos nossa recomendação de Compra com preço-alvo de R$8,20 para MILS3.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • O Pix completou ontem o primeiro ano de funcionamento com mais de R$ 4 trilhões transferidos em aproximadamente sete bilhões de transações. (Valor);
    • O volume transacionado com cartões de crédito, débito e pré-pagos totalizou R$ 687,3 bilhões no terceiro trimestre, um crescimento de 35,8% na comparação com igual período do ano passado. (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Black Friday: Intenção de compra dá sinais de reação, diz pesquisa. (Valor);
    • Shoppings têm, em outubro, vendas acima do nível pré-pandemia pela primeira vez (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Exportações do agro bateram recorde em outubro (Valor);
    • Na Boa Safra, os pedidos viraram vendas (Brazil Journal);
    • China Buying More Brazil Sou in Sign of Shifting Trade Flows (Bloomberg);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Chuva acima do prevista afasta risco de racionamento e apagão, diz diretor geral do NOS. (Estadão);
    • Retomada de combustível só em 2022. (Valor Econômico);
    • País pode estar em ciclo de aproximadamente 20 anos de predominância de La Niñas. (Agência Infra);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Walmart e Sea reportam resultados

  • Walmart registra forte crescimento em vendas e supera as projeções do consenso;
  • Sea Limited, dona da Shopee, registra prejuízo maior que o esperado em virtude dos altos gastos com marketing e logística;
  • Nike poderá sofrer com as consequências das paralisações de fábricas no Vietnã até 2022;
  • Dados apontam uma desaceleração no crescimento do e-commerce na China;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

ESG

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 17/11

  • Ontem, o mercado encerrou em território negativo, com o Ibov e o ISE em queda de -1,8% e -1,4%, respectivamente;
  • No Brasil, (i) a Petrobras informou que voltará a integrar o índice Dow Jones de Sustentabilidade Global (DJISI World) após seis anos fora da carteira, principalmente, por ter obtido nota máxima em quatro critérios da avaliação anual para composição do índice: materialidade, relatório ambiental, riscos relacionados à água e relatório social; e (ii) a XP Asset lançou ontem três fundos de índice (ETF, na sigla em inglês) que permitem ao investidor ter exposição ao desempenho de ações de empresas ao redor do mundo com iniciativas ESG (de melhores práticas sociais, ambientais e de governança), negociados sob os códigos “ESGE11”, “ESGD11” e “ESGU11”;
  • No internacional, as principais organizações multilaterais do mundo vão lançar uma nova iniciativa na próxima semana com o objetivo de desenvolver um sistema de padrões para empresas, investidores e instituições financeiras para mensurar seu impacto na sustentabilidade global: a Plataforma de Gestão de Impacto, fundada por quatro agências da ONU, a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e o Banco Mundial;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.