5 anos em 5 minutos – Dezembro 2020

Conheça nossas expectativas de retornos por classe de ativos e portfólios. Nesse mês revisamos mais profundamente os retornos da bolsa global.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Retornos esperados para os portfólios nos próximos 5 anos

Desde 30 de novembro, quando soltamos nossa última edição mensal deste, os mercados ao redor do mundo passaram por uma alta moderada, com investidores animados com o início das campanhas de vacinação e um novo pacote de estímulos nos Estados Unidos.

O Brasil foi muito beneficiado pela percepção positiva para mercados emergentes, dadas expectativas de uma política externa americana menos truculenta sob Biden. A dívida brasileira de curto prazo também foi melhor equacionada, o que deu um belo fôlego às expectativas.

Neste mês vamos focar nas perspectivas para a bolsa global, onde houve uma melhora da visibilidade.

Retornos esperados para a bolsa global

Quando falamos da “bolsa global” estamos nos referindo ao MSCI All Country World Index (MSCI ACWI, em tradução livre: MSCI Mundo – Todos os Países). A composição do índice está resumida a seguir.

Os retornos esperados dependente de 5 fatores cruciais:

  • Preço atual: 24,3x, baseado no índice de Preço/Lucro
  • Preço daqui a 5 anos: 16,2x, assumindo que o Preço/Lucro retorna para sua média histórica dos últimos 10 anos: isso é uma contração de 7,7% ao ano.
  • Dividendos: 2,1% ao ano (estimativa Bloomberg para os próximos 2 anos)
  • Depreciação do dólar vs. cesta mundial: 0,6% ao ano.
  • Crescimento dos lucros: 12,2% ao ano, o que parece forte, mas reflete a saída da crise, com uma reversão da contração de lucros de 2020.

Com isso temos uma retorno esperado de 6,3% ao ano em dólares. Mas como isso fica em reais? Há duas maneiras de o investidor acessar essa classe de ativos:

  1. Com exposição cambial: aqui o investidor soma a variação do câmbio entre Real e Dólar ao resultado. Nesse caso, esperamos entre 2% e 12% ao ano em reais (veja mais nos gráficos abaixo). Importante que esse resultado é maior nos cenários em que a bolsa brasileira passa por dificuldades.
  2. Sem exposição cambial (com hedge): aqui o investidor imuniza o risco cambial, trocando os juros em dólares por juros em reais. Como os juros aqui são maiores, há um ganho nessa operação: os retornos são esperados entre 9 e 10% ao ano.

Como isso impacta a alocação dos portfólios

À primeira vista, nossa carteira de renda variável deveria estar mais concentrada na bolsa brasileira, que possui maior retorno esperado (11,6% ao ano, no cenário neutro). Mas essa não é nossa principal variável decisória: sempre devemos levar o risco em conta.

A verdade é que a bolsa global é menos arriscada que a brasileira, como mostra o gráfico a seguir. Observe que a bolsa global (RV Global – Hedge) está acima da linha pontilhada que liga CDI/Selic à bolsa brasileira.

Não é visível no gráfico, mas a baixa correlação das bolsas globais com a brasileira (e demais classes de ativos), também aumentam sua importância.

No final, esperamos ter ao longo dos próximos meses, maior exposição à renda variável global do que à brasileira.

Prêmios de crédito

Os fundos de crédito continuaram obtendo bons resultados ao de outubro, os prêmios de crédito se mantendo estáveis na parcela de debêntures atreladas ao CDI. Nas debêntures de infraestrutura, atreladas à inflação, houve um forte fechamento.

O spread de crédito para a classe de Pós-Fixados com base no índice IDA-DI, divulgado pela ANBIMA e na taxa disponível para papéis bancários na plataforma da XP está hoje em torno de 1,43% ao ano, 0,05% menor do que no relatório passado, devido ao fechamento dos prêmios das debêntures e maior prêmio dos ativos bancários na plataforma.

Conheça o XP Top FIRF CP LP para se aproveitar dos prêmios em CDI

No espaços de inflação, onde utilizamos o IDA IPCA Infraestrutura para estimar o prêmio de crédito, estamos em 0,9% ao ano acima da NTN-B de mesmo duration, um aumento de 0,20% ao ano.

Como os ativos são isentos, esse prêmio de crédito sobe para 2,2% ao ano quando a comparação é feita líquida de IR.

Conheça o XP Debêntures Incentivadas FIRF para aplicar nos prêmios de IPCA

Cenário neutro

Entendemos que ainda há um ambiente pró-reformas no Brasil, que tende a fazer com que as engrenagens da economia deslizem com mais facilidade, trazendo crescimento e mais eficiência.

No entanto, estamos longe de um ambiente político harmônico: o executivo federal e o congresso têm um diálogo truncado e existe muita resistência à agenda de reformas por grupos organizados e influentes.

Cenário pessimista

Ainda que esse não seja nossa visão, não podemos ignorar que, dadas as instabilidades políticas, existe a chance de que piore a relação entre o Executivo e o Congresso. Isso faria com que as Reformas empacassem, com o país falhando em desbloquear um novo ciclo de crescimento.

O baixo crescimento pode abrir os ouvidos da população para políticos populistas, que queiram desfazer reformas como a do Teto de Gastos e talvez até mesmo a Reforma da Previdência.

A Renda Variável Global é nossa principal defesa em um cenário adverso:

Cenário otimista

Mesmo com a articulação truncada, podemos ser surpreendidos pelo alinhamento do Congresso em entregar as reformas, e as privatizações. O crescimento da economia nos próximos anos seria mais forte do que conseguimos agora antecipar, ao mesmo tempo em que a taxa de juros neutra seria mais baixa.

Nesse cenário os lucros das empresas cresceriam mais, e com taxas de juros mais baixas, haveria maiores ganhos nos papéis de renda fixa.

Glossário

Publicações anteriores

A XP Asset Management é uma marca que inclui a XP Gestão de Recursos Ltda. (“XPG”), XP PE Gestão de Recursos Ltda. (“XPPE”), XP Allocation Asset Management Ltda. (“XP Allocation”) e a XP Vista Asset Management Ltda. (“XPV”). A XPG, XPPE, XPV e XP Allocation são gestoras de recursos de valores mobiliários autorizadas pela Comissão de Valores Mobiliários – CVM e constituídas na forma da Instrução CVM n° 558/15. Todas as regras regulatórias de segregação são observadas pelas gestoras. Os fundos de estratégias de investimentos de Renda Variável e Multimercado são geridos pela XPG. Os fundos de estratégias de investimentos de Renda Fixa e Estruturados são geridos pela XPV. Os fundos de Previdência podem ser geridos tanto pela XPG quanto pela XPV, a depender da estratégia do fundo. Os fundos de private equity são geridos pela XPPE. A XP Allocation atua na gestão de fundos de investimentos e fundos de cotas de fundos de investimentos, com foco em Alocação (asset Allocation, fund of funds, acesso) e Indexados. A XPPE, XPG, XP Allocation e a XPV não comercializam nem distribuem quotas de fundos de investimento ou qualquer outro ativo financeiro. As informações contidas neste site são de caráter meramente informativo e não constituem qualquer tipo de aconselhamento de investimentos, não devendo ser utilizadas com este propósito. Nenhuma informação contida neste site constitui uma solicitação, material promocional ou publicitário, oferta ou recomendação para compra ou venda de quotas de fundos de investimento, ou de quaisquer outros valores mobiliários. Este site não é direcionado para quem se encontrar proibido por lei a acessar as informações nele contidas, as quais não devem ser usadas de qualquer forma contrária à qualquer lei de qualquer jurisdição. A XPG, XPPE, XP Allocation e a XPV, seus sócios e funcionários isentam-se de responsabilidade sobre quaisquer danos resultantes direta ou indiretamente da utilização das informações contidas neste site. PARA AVALIAÇÃO DA PERFORMANCE DE UM FUNDO DE INVESTIMENTO, É RECOMENDÁVEL A ANÁLISE DE, NO MÍNIMO, 12 (DOZE) MESES. FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. INVESTIMENTOS NOS MERCADOS FINANCEIROS E DE CAPITAIS ESTÃO SUJEITOS A RISCOS DE PERDA SUPERIOR AO VALOR TOTAL DO CAPITAL INVESTIDO. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA A RENTABILIDADE DIVULGADA NÃO É LÍQUIDA DE IMPOSTOS. LEIA O PROSPECTO, O FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES, LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS E O REGULAMENTO ANTES DE INVESTIR. DESCRIÇÃO DO TIPO ANBIMA DISPONÍVEL NO FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.