XP Expert

Semana com uma série de indicadores importantes, enquanto a reforma tributária deve seguir no radar

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -1,7% | 127.256 Pontos

CÂMBIO -0,4% | 4,93/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Os mercados devem continuar a repercutir a divulgação da segunda fase da reforma tributária nos próximos dias, que traz ajustes no imposto de renda para empresas, pessoas físicas e investimentos, e não foram muito bem recebidos por investidores na sexta-feira. Além disso, teremos uma série de indicadores importantes como a inflação medida pelo IGP-M de junho, resultados fiscais, e dados de mercado de trabalho. Lá fora, os mercados vão ficar atentos a discussões sobre o pacote de infraestrutura nos EUA e o relatório de desemprego americano que será divulgado na sexta-feira.

Na semana passada, o Ibovespa foi na direção contrária dos mercados globais. As ações brasileiras recuaram com medidas da reforma tributária. Dentre as principais preocupações, se destacam a tributação em 20% dos dividendos, o término do juros sobre capital próprio, além da cobrança de imposto de renda sobre fundos de investimentos imobiliários. Com isso, a Bolsa brasileira caiu -0,9% na semana aos 127.256 pontos, enquanto outras Bolsas globais subiram; o índice de fundos imobiliários IFIX caiu -2,0% na sexta-feira.

Nessa manhã, os mercados globais amanhecem mistos (EUA 0% e Europa -0,3%) após o S&P 500 fechar em patamar recorde na sexta-feira, marcando a melhor semana para a bolsa americana desde fevereiro. O deflator PCE de maio, medida favorita de inflação do Federal Reserve, saiu um pouco abaixo das expectativas e reforçou a tese de que o choque é temporário.

O pacote de infraestrutura de USD 1,2 trilhão acordado entre a Casa Branca dos EUA e um grupo de senadores permanece em destaque. Após dúvidas geradas por suas falas, Joe Biden clarificou que não vetaria o projeto se um segundo pacote com ênfase em políticas sociais não fosse aprovado em paralelo. A declaração foi interpretada positivamente por republicanos e amplia a chance de aprovação do projeto de infraestrutura.

Na Europa, preocupações com a variante Delta do coronavírus prejudicam ações de lazer e turismo, que puxam a baixa do Eurostoxx 600. E o Bitcoin mantém-se próximo dos US$ 34 mil após criptocorretora Binance ser proibida de operar no Reino Unido.

No Brasil, diante da comunicação recente do Copom, elevamos nossa projeção para a Selic para 6,75% (antes 6,50%). Também revisamos a taxa de câmbio para 4,9 reais por dólar neste ano e no próximo, e reduzimos nossa projeção para o IPCA de 2022 de 3,8% para 3,6%.

Do lado de empresas, estamos iniciando a cobertura de Allied (ALLD3) com recomendação de Compra e um preço alvo de R$38,0/ação (25% potencial de valorização). Nós temos visão construtiva uma vez que (i) a Allied está bem posicionada em seu negócio de distribuição, alavancando sua escala e capilaridade nacional para entrar no varejo (físico e digital) direto ao consumidor, o qual é mais lucrativo; e (ii) enxergamos um valuation atrativo, uma vez que a empresa está negociando a 11,7x Preço/Lucro para 2022, em linha quando comparado aos distribuidores globais “puros” (~11x P/L) e bem abaixo dos varejistas locais (a ~26x P/L).

Tópicos do dia

Acesse aqui o relatório internacional

Economia

  1. Senadores dos EUA reforçaram o acordo de infraestrutura após a declaração do presidente Biden no sábado. O deflator PCE, medida favorita de inflação do Fed, reforçou a tese de que o choque é temporário. No Brasil, o governo enviou ao Congresso o segundo turno de sua reforma tributária propondo mudanças importantes no imposto de renda, imposto sobre dividendos e sobre investimentos. Diante da comunicação recente do Copom, elevamos nossa projeção para a Selic para 6,75% (antes 6,50%). Também revisamos a taxa de câmbio para 4,9 reais por dólar neste ano e no próximo, e reduzimos nossa projeção para o IPCA de 2022 de 3,8% para 3,6%
  2. Boletim FOCUS

Política

  1. Proposta de reforma na tributação sobre renda começa a tramitar no Congresso
  2. Governo inicia semana sob pressão pelas suspeitas em torno da compra da Covaxin
  3. Política internacional:  o pacote de infraestrutura permanece em destaque

Empresas

  1. Allied Tecnologia (ALLD3): Uma plataforma de varejo emergindo; Iniciando com Compra e preço alvo de R$38,0/ação para o final de 2021
  2. Simpar (SIMH3): Simpar Propõe Fundir suas Operações de Aluguel de Carros
  3. Varejo: Data Expert | Carrinho XP: M&A no foco; Analisando os potenciais candidatos da nossa cobertura
  4. Notícias Diárias do Setor Financeiro
  5. Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional
  6. Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias de hoje do setor

ESG

  1. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 28/06

Veja todos os detalhes

Economia

Senadores dos EUA reforçaram o acordo de infraestrutura após a declaração do presidente Biden no sábado. O deflator PCE, medida favorita de inflação do Fed, reforçou a tese de que o choque é temporário. No Brasil, o governo enviou ao Congresso o segundo turno de sua reforma tributária propondo mudanças importantes no imposto de renda, imposto sobre dividendos e sobre investimentos. Diante da comunicação recente do Copom, elevamos nossa projeção para a Selic para 6,75% (antes 6,50%). Também revisamos a taxa de câmbio para 4,9 reais por dólar neste ano e no próximo, e reduzimos nossa projeção para o IPCA de 2022 de 3,8% para 3,6%

  • Um grupo de senadores republicanos afirma que o acordo de Biden com a infraestrutura será mantido, depois que o presidente esclarecer que o plano não está vinculado a um programa de aumento de impostos. Biden tinha dito que o acordo alcançado com um grupo de senadores de ambos os partidos na semana passada dependia de o Congresso também aprovar um plano muito maior de gastos sociais e fiscais. No sábado, porém, o presidente emitiu um comunicado dizendo que “certamente não era minha intenção”;
  • O deflator do US Core PCE para maio, o indicador de inflação favorito do Fed, saiu um pouco abaixo das expectativas na sexta-feira passada. O resultado apóia a tese da “natureza transitória” e deve reduzir parte da angústia no mercado sobre a possibilidade de as expectativas de inflação se tornarem ainda mais poluídas pelos choques de oferta em curso e pelas ineficiências de preços relacionadas à reabertura;
  • As incertezas da Covid continuam a criar volatilidade no mercado. Os mercados do sudeste asiático tiveram um desempenho mais fraco hoje por conta da extensão dos lockdowns na Malásia. A Tailândia e a Austrália também tomaram medidas adicionais de restrição;
  • No Brasil, o governo enviou ao Congresso o segundo turno de sua reforma tributária. O projeto de lei propõe redução do imposto de renda para pessoas físicas e jurídicas, compensada pelo aumento do imposto sobre dividendos. O texto também define um imposto único de 15% para fundos, altera o período de impostos sobre a negociação de ações de mensal para trimestral;
  • O índice de preços ao consumidor IPCA-15 divulgado na última sexta-feira subiu 0,83% em junho, resultado ligeiramente acima de nossa estimativa (em + 0,82%) e abaixo da mediana das expectativas de mercado (em 0,85%). Não houve desvios significativos da projeção, mas na desagregação vemos encomendas de bens industriais ligeiramente abaixo do previsto, enquanto os serviços subiram acima das expectativas. O resultado reforça nossa visão de que a inflação ainda está pressionada no curto prazo, em função do repasse de custos aos produtos industrializados e da aceleração dos preços dos serviços. Por ora, mantemos a projeção do IPCA para junho em 0,63% e para o ano em 6,2%;
  • Diante da comunicação recente do Copom, elevamos nossa projeção de Selic para 6,75% (6,50% antes), com duas altas de 100 pontos-base nas próximas reuniões do Copom e uma última de 50 pontos-base em novembro. Também revisamos a taxa de câmbio para 4,9 reais por dólar neste ano e no próximo, e reduzimos nossa projeção para o IPCA de 2022 de 3,8% para 3,6%;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Boletim FOCUS: Expectativas para Inflação e Crescimento do PIB em 2021 ainda em trajetória de elevação

  • A mediana das expectativas do mercado para o crescimento real do PIB em 2021 subiu de 5,00% na semana passada para 5,05% na publicação de hoje (estava em 3,96% há 4 semanas). Para o PIB de 2022, por sua vez, a previsão do mercado aumentou ligeiramente de 2,10% para 2,11%;
  • Em relação à inflação, o consenso de mercado para a variação do IPCA este ano ascendeu de 5,90% para 5,97% (estava em 5,31% há 1 mês).Já a mediana para o IPCA de 2022 permaneceu em 3,78% pela segunda semana consecutiva (estava em 3,68% há 4 semanas). Com base nas atualizações de expectativas nos últimos 5 dias úteis, a previsão para o IPCA de 2021 exibiu elevação de 5,93% para 6,00%, enquanto a mediana para 2022 recuou de 3,74% para 3,71%;
  • No que diz respeito à política monetária, as medianas para a taxa Selic no final de 2021 e final de 2022 ficaram estáveis em 6,50%;
  • Por fim, as projeções para a taxa de câmbio no final de 2021 e final de 2022 permaneceram em R$/US$ 5,10 e R$/US$ 5,20, respectivamente (as expectativas estavam em R$/US$ 5,30 há 4 semanas, para ambos os anos).

Política

Proposta de reforma na tributação sobre renda começa a tramitar no Congresso

  • Depois da entrega do projeto de lei com a segunda fase da reforma tributária, que trata das questões relativas à renda, a Câmara deve dar os passos iniciais da tramitação – o que deve acontecer em paralelo à do projeto entregue no ano passado, que unifica PIS e Cofins. A proposta é prioritária para o governo, principalmente a parte que trata da ampliação da faixa de isenção do imposto de renda da pessoa física, mas as discussões sobre os demais pontos que vão compensá-la não devem ser simples.

Governo inicia semana sob pressão pelas suspeitas em torno da compra da Covaxin

  • O governo federal inicia a semana pressionado pelos desdobramentos das negociações para a compra da Covaxin, depois de o deputado Luis Miranda e seu irmão, funcionário do Ministério da Saúde, terem relatado “pressões atípicas” para a aquisição do imunizante. À CPI da Pandemia, a dupla disse ter alertado o presidente, que teria se referido ao episódio como um “rolo” de seu líder na Câmara, deputado Ricardo Barros. O episódio deve permanecer em evidência e contaminar o ambiente político.

Política internacional: o pacote de infraestrutura permanece em destaque

  • Na seara internacional, o pacote de infraestrutura de USD 1,2 trilhão acordado entre a Casa Branca e um grupo de senadores permanece em destaque. Após dúvidas geradas por suas falas, Joe Biden clarificou que não vetaria o projeto se um segundo pacote com ênfase em políticas sociais não fosse aprovado em paralelo. A declaração foi interpretada positivamente por republicanos e amplia a chance de aprovação do projeto de infraestrutura;
  • No entanto, incertezas permanecem diante da insistência de uma ala do partido Democrata por um pacote de ‘infraestrutura social’. A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, inclusive atrelou o andamento do primeiro projeto na Câmara ao andamento do segundo. Será essencial que a Casa Branca negocie com sua base parlamentar para avançar os dois pacotes, atendendo tanto as demandas de responsabilidade fiscal de moderados, quanto aquelas por maior gasto social da ala mais à esquerda – um processo que não deve ser finalizado até o segundo semestre;
  • Destacamos que, apesar das incertezas e obstáculos a frente, Biden deve procurar avançar o pacote acordado com senadores com intuito de se mostrar como uma figura conciliadora em Washington, o que foi relevante parte de sua campanha eleitoral e deve ser significativo também nas eleições parlamentares de 2022.

Empresas

Allied Tecnologia (ALLD3): Uma plataforma de varejo emergindo; Iniciando com Compra e preço alvo de R$38,0/ação para o final de 2021

  • Estamos iniciando a cobertura de Allied (ALLD3) com recomendação de Compra e um preço alvo de R$38,0/ação (25% potencial de valorização);
  • Nós temos visão construtiva uma vez que (i) a Allied está bem posicionada em seu negócio de distribuição, alavancando sua escala e capilaridade nacional para entrar no varejo (físico e digital) direto ao consumidor, o qual é mais lucrativo; e (ii) enxergamos um valuation atrativo, uma vez que a empresa está negociando a 11,7x Preço/Lucro para 2022, em linha quando comparado aos distribuidores globais “puros” (~11x P/L) e bem abaixo dos varejistas locais (a ~26x P/L);
  • A Allied é a maior distribuidora de eletroeletrônicos do Brasil e está impulsionando sua divisão de varejo direto ao consumidor. Com essa estratégia, o varejo já representa 25% da receita e 47% do lucro bruto, números que devem chegar a 45% e 70% em 2024, respectivamente;
  • Estimamos um CAGR de lucro líquido de 21,2% entre 2021-24, com margem líquida atingindo 4,7% em 2024 (de 3,7% em 2021e), à medida que o varejo (um negócio de margem mais alta vs distribuição pura) aumenta sua relevância para a empresa;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Simpar (SIMH3): Simpar Propõe Fundir suas Operações de Aluguel de Carros

  • Em um movimento já antecipado, a Simpar (Recomendação de Compra e Preço-Alvo de R$59,00/ação) propôs incorporar a operação de aluguel de frotas da CS Brasil (CS Frotas) à Movida (Recomendação de Compra e Preço-Alvo de R$23,00/ação). A transação está pendente de aprovação pelos acionistas da Movida (AGE agendada para 26 de julho de 2021, onde a Simpar concordou em acompanhar o voto da maioria dos minoritários);
  • Embora já esperada (a intenção de incorporação foi anunciada em 21 de fevereiro), damos as boas-vindas à transação potencial, pois: (i) faz sentido estratégico para Simpar e Movida; e (ii) o valuation implícito parece justo também para ambos os grupos de acionistas;
  • Reiteramos nossa visão positiva (e recomendações de Compra) para Simpar e Movida;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Varejo: Data Expert | Carrinho XP: M&A no foco; Analisando os potenciais candidatos da nossa cobertura

  • Nós estamos lançando um novo produto, o Carrinho XP, onde vamos trazer os principais indicadores a serem monitorados nos diferentes segmentos da nossa cobertura assim como nossa visão sobre um tema em voga no setor;
  • Nessa edição, nós analisamos as potenciais transações de fusões e aquisições (M&A) que podem acontecer em cada segmento da nossa cobertura e destacamos que M&A deve seguir como um tema central no setor no curto prazo;
  • Clique aqui para ver o relatório completo.

Notícias Diárias do Setor Financeiro

  • Acesse este relatório com notícias do setor financeiro que complementam nossos comentários publicados no Morning Call, mas que não consideramos relevantes o suficiente para serem analisadas. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

  • Nesta publicação diária, trazemos as principais notícias do setor de varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.) nacional e internacional, complementando nossa visão sobre as tendências e acontecimentos mais importantes do dia. Além disso, o relatório contém um resumo dos múltiplos e recomendações para as empresas de nossa cobertura;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias de hoje do setor

  • Quais tópicos costumamos abordar? Notícias relevantes para os segmentos de proteínas (bovina, suína e frango); açúcar & etanol; milho e soja; exportações brasileiras; dentre outras; Confira os destaques de hoje:
  • Na China, governo deve realizar compras para abastecer estoques estatais e sustentar preços (Reuters);
  • EUA supera Austrália e se torna o quinto maior fornecedor de carne bovina para a China (Euromeat News);
  • No Brasil, com redução da moagem de cana, usinas preservam oferta de etanol anidro (Valor Econômico);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo: Clipping XP Agro, Alimentos e Bebidas, edição #35

ESG

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 28/06

  • Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo falam sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança;
  • Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance histórica do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP;
  • Por que essas informações são importantes? Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.