Allied Tecnologia (ALLD3): Uma plataforma de varejo emergindo; iniciando com Compra

Estamos iniciando a cobertura de Allied (ALLD3) com recomendação de Compra e um preço alvo de R$38,0/ação (25% potencial de valorização). Nós temos visão construtiva uma vez que (i) a Allied está bem posicionada em seu negócio de distribuição, alavancando sua escala e capilaridade nacional para entrar no varejo (físico e digital) direto ao consumidor, o qual é mais lucrativo; e (ii) enxergamos um valuation atrativo, uma vez que a empresa está negociando a 11,7x Preço/Lucro para 2022 com um CAGR de lucro estimado em 21,2% entre 2021-24, em linha quando comparado aos distribuidores globais “puros” (~11x P/L) e bem abaixo dos varejistas locais (a ~26x P/L).


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Estamos iniciando a cobertura de Allied (ALLD3) com recomendação de Compra e um preço alvo de R$38,0/ação (25% potencial de valorização). Nós temos visão construtiva uma vez que (i) a Allied está bem posicionada em seu negócio de distribuição, alavancando sua escala e capilaridade nacional para entrar no varejo (físico e digital) direto ao consumidor, o qual é mais lucrativo; e (ii) enxergamos um valuation atrativo, uma vez que a empresa está negociando a 11,7x Preço/Lucro para 2022 com um CAGR de lucro estimado em 21,2% entre 2021-24, em linha quando comparado aos distribuidores globais “puros” (~11x P/L) e bem abaixo dos varejistas locais (a ~26x P/L).

Um distribuidor experiente crescendo no varejo

Distribuição como a espinha dorsal do varejo físico e digital. A Allied é a maior distribuidora de eletroeletrônicos do Brasil e está alavancando sua escala na compra de produtos e capilaridade nacional para impulsionar sua divisão de varejo direto ao consumidor. Com essa estratégia, o varejo já representa 25% da receita e 47% do lucro bruto, números que devem chegar a 45% e 70% em 2024, respectivamente. Estimamos um CAGR¹ de lucro líquido de 21,2% entre 2021-24, com margem líquida atingindo 4,7% em 2024 (de 3,7% em 2021e), à medida que o varejo (um negócio de margem mais alta vs distribuição pura) aumenta sua relevância para a empresa.

Facilitador de soluções para o varejo digital. A Allied tem sido capaz de desenvolver serviços e soluções para melhor servir seus clientes enquanto explora novos caminhos de crescimento com margens lucrativas dentro de seu ecossistema de varejo. Entre essas soluções estão SAV/Wooza (plataforma de venda de produtos e serviços), Soudi (plataforma digital de crédito e pagamento), Mobcom (vendedor de e-commerce e marketplace), “Iphone para sempre” (parceria com Itaú e Apple para a venda de iPhones para clientes Itaú), bem como uma plataforma omnicanal plugada em seu canal de varejo (lojas físicas integradas às digitais). Esse ecossistema deve continuar apoiando o crescimento do varejo.

Fonte: Companhia e XP Investimentos

Valuation atrativo mesmo após o rali de +64% das ações em junho: as ações da Allied começaram a ser negociadas em 12 de abril de 2020, após um IPO que levantou R$180 milhões. Mesmo após a alta de 68,5% desde então, enxergamos vários caminhos de crescimento que devem impulsionar a lucratividade da empresa à medida que aumenta sua exposição ao varejo – o qual deverá representar 70% do lucro bruto em 2024. Como resultado, enxergamos um valuation atrativo, uma vez que a empresa está negociando a 11,7x Preço/Lucro para 2022 com um CAGR de lucro estimado em 21,2% entre 2021-24, em linha quando comparado aos distribuidores globais “puros” (~11x P/L) e bem abaixo dos varejistas locais (a ~26x P/L), quando, na verdade, acreditamos que a Allied deveria negociar com um prêmio para os distribuidores, dado seu robusto e crescente negócio de varejo.

Notas: (1) CAGR = Taxa de crescimento anual composta; (2) Excluindo MGLU3, ENJU3, BTOW3 e WEST3

Fonte: Companhia e XP Investimentos

Nossa tese de investimento em poucas palavras

Distribuição como a espinha dorsal do varejo físico e digital

Um distribuidor de longa data no setor e um parceiro de escolha dos maiores fabricantes…

A Allied é um dos maiores distribuidores de eletrônicos do Brasil com mais de 2 mil SKUs¹, 30 marcas renomadas em seu portfólio (Apple, LG, HP, Samsung, Motorola, Microsoft etc.) e 3,4 mil clientes – de pequenos varejistas a grandes regionais e nacionais, tais como Magazine Luiza, C&A, Via Varejo, Havan, entre outros. Além disso, a empresa chega a 5 mil municípios brasileiros por meio de cinco centros de distribuição. Como a maioria dos fabricantes tem recursos limitados de logística e planejamento de vendas, a Allied é vista como um parceiro estratégico para que eles alcancem todo o potencial de suas marcas.

…com escala e capilaridade para entrar no varejo direto ao consumidor…

A Allied está usando sua escala na compra de produtos e capilaridade nacional para impulsionar a divisão de varejo direto ao consumidor. A Allied opera por meio de três modelos diferentes no varejo físico: 1) lojas Samsung, 2) quiosques Samsung e 3) quiosques de outras marcas dentro de lojas de terceiros (SiS ou Store-in-Store, na sigla em inglês) – vale ressaltar que a Allied é responsável por ~35% das vendas das lojas da marca Samsung no Brasil. Esperamos que o crescimento venha de M&A² (à medida que a empresa adquire mais lojas e quiosques da marca Samsung) e orgânico (à medida que a empresa adiciona novas SiS em novos parceiros ou aumenta a penetração nos parceiros atuais). Além do canal de varejo físico, a Allied também possui o seu próprio e-commerce além de ser vendedor em diversas plataformas de marketplace.

e embora haja riscos na distribuição e no varejo, ambos vêm crescendo …

Apesar do risco de concorrência no varejo e desintermediação na distribuição, o marketplace da Allied cresceu 178% e a distribuição +27% em 2020. Acreditamos que isso se deve à sólida execução da empresa aliada ao seu ecossistema de serviços e soluções com seu e-commerce e plataforma de marketplace (Mobcom), crédito ao consumidor (Soudi), plataforma de venda de serviços (SAV) e parcerias estratégicas (“Iphone para Sempre” e “Carro Conectado”).

que irá impulsionar o crescimento e aumentar a lucratividade no futuro.

Esperamos que o canal de varejo (físico e digital) cresça sua receita líquida a um CAGR de ~25,0% entre 2021-24, sendo que o físico deve crescer a um CAGR de 25,3%, enquanto o digital +24,0%. Com isso, o varejo deve atingir 45% das vendas e 70% do lucro bruto em 2024, já que suas margens são 18 a 20 pontos percentuais superiores às do canal de distribuição.

Notas: (1) SKU seria o equivalente a item na tradução livre para o português; (2) M&A é a sigla para Mergers and Acquisitions em inglês, que na tradução livre para o português seria “Fusões e Aquisições”

Uma empresa líder em distribuição com sólidas perspectivas de crescimento no varejo

Estimamos um crescimento de lucro de 21,2% ao ano entre 2021-24e, que é suportado pela aceleração da expansão (orgânica e inorgânica) das lojas e quiosques e crescimento do varejo digital. Além do crescimento de receita, incorporamos uma expansão de margem impulsionada pelo aumento da participação do varejo no resultado, que tem uma margem superior à distribuição.

Varejo digital (55% das vendas brutas no varejo de 2021e)

Fonte: Companhia e XP Investimentos

Estimamos um crescimento de lucro de 21,2% ao ano entre 2021-24e

Fonte: Companhia e XP Investimentos

Destaques da tese

Fonte: Companhia e XP Investimentos

Valuation

Nosso preço-alvo implica uma valorização de 25% das ações

Nosso preço alvo de R$38,0 por ação oferece uma valorização de 25% em relação aos preços atuais, com aproximadamente 42% desse valor em sua perpetuidade.

Nosso valuation é calculado com base no modelo de fluxo de caixa descontado para a firma (FCFF, na sigla em inglês), em que nossas principais premissas incluem: (i) 4% de taxa de crescimento de longo prazo,  (ii) 1,5% de taxa livre de risco, (iii) 10% de dívida na relação dívida/(dívida + patrimônio líquido) e (iv) beta de 1,3x, o que implica em um WACC¹ nominal (custo médio ponderado de capital) de 13,3%, um custo de capital de 11,6% e custo de dívida de 10,6%.

Como referência, a ação a empresa está negociando a 11,7x Preço/Lucro para 2022 com um CAGR de lucro de 21,2% entre 2021-24, em linha quando comparado aos distribuidores globais “puros” (~11x P/L) e bem abaixo dos varejistas locais (a ~26x P/L), quando, na verdade, acreditamos que a Allied deveria negociar com um prêmio para os distribuidores, dado seu robusto e crescente negócio de varejo.

Cenários otimista e pessimista: (1) premissas do cenário-base: (i) margem EBITDA de longo prazo de 8,6%; (ii) CAGR de lucro de 21,2% ‘21-24; (2) premissas do cenário otimista: (i) margem EBITDA de longo prazo de 9,2%; (ii) CAGR de lucro de 24,2% ‘21-24; (3) premissas do cenário pessimista: (i) margem EBITDA de longo prazo de 6,6%; (ii) CAGR de lucro de 4,1% ‘21-24.

Fonte: Companhia e XP Investimentos; Notas: (1) Sigla para Weighted Average Cost of Capital; (2) Excluindo MGLU3, ENJU3, BTOW3 e WEST3

Fonte: Companhia e XP Investimentos

Uma plataforma de varejo emergindo

Modelo de negócios da Allied

Fonte: Companhia e XP Investimentos

Diversificando a receita e focando em rentabilidade

A distribuição representa 75% da receita, enquanto o varejo (físico e digital) o restante. Apesar disso, o varejo representa 42% do EBITDA por apresentar margens superiores à distribuição

Fonte: Companhia e XP Investimentos

#1. A distribuição é um negócio de margem inferior, mas fornece escala e capilaridade, o que permite que a Allied oferecer melhores para o varejo, o qual possui maior margem e maiores perspectivas de crescimento.

#2. A divisão de varejo tem dois segmentos distintos: (i) físico, no qual a Allied opera lojas e quiosques em três formatos diferentes, e (ii) digital, não apenas por meio de sua própria marca de e-commerce e marketplace (Mobcom), mas também como vendedor online oficial para Apple e Google nos principais marketplaces brasileiros.

#3. O varejo direto ao consumidor representa 25% das vendas líquidas da Allied e a Allied está se concentrando em aumentar essa participação nos próximos anos, o que impulsionará o crescimento e a lucratividade, uma vez que o varejo já representa 42% do EBITDA.

Distribuição como a espinha dorsal do varejo físico e digital

A Allied é uma das maiores distribuidoras de eletrônicos do Brasil com mais de 2 mil SKU¹s, 30 marcas renomadas em seu portfólio (Apple, LG, HP, Samsung, Motorola, Microsoft etc) e 3,4 mil clientes – de pequenos varejistas a grandes regionais e nacionais, tais como Magazine Luiza, C&A, Via Varejo, Havan, entre outros. Além disso, a empresa chega a 5 mil municípios brasileiros por meio de cinco centros de distribuição.

Fonte: Companhia e XP Investimentos; Notas: (1) últimos 12 meses até 2º trimestre de 2019

Como a maioria dos fabricantes tem recursos limitados de logística e planejamento de vendas, a Allied é vista como um parceiro estratégico para que eles alcancem todo o potencial de suas marcas.

A estratégia de crescimento em distribuição é aumentar a participação de mercado nos produtos que a Allied já comercializa, bem como oferecer produtos em diferentes categorias, seja nas marcas com as quais já se relaciona, seja em novas marcas.

Fonte: Companhia e XP Investimentos

Fonte: Companhia e XP Investimentos

Esperamos que esta unidade de negócios cresça em linha com o PIB nominal no futuro, mas é importante notar que a distribuição cresceu receita a um CAGR de 15,7% entre 2017-20.

Varejo físico como a principal via de crescimento

A Allied opera três modelos diferentes no segmento de varejo físico:

Fonte: Companhia e XP Investimentos

Fonte: Companhia e XP Investimentos

Facilitador de soluções para o varejo digital

Esperamos que as receita do varejo físico cresçam a um CAGR de 25,3% entre 2021-24; 150 novas lojas potenciais já mapeadas.

Fonte: Companhia e XP Investimentos

O varejo digital completa e amplia o potencial de vendas da Allied.

Fonte: Companhia e XP Investimentos

Esperamos que as vendas no varejo digital cresçam a um CAGR de 24,0% entre 2021-24.

Fonte: Companhia e XP Investimentos

Fonte: Companhia e XP Investimentos

Visão geral da indústria

O Brasil é um mercado no qual os celulares são vendidos pelo varejo o que beneficia a Allied, a qual, contudo, está diversificando seu mix de produtos.

Fonte: Companhia e XP Investimentos; Notas: IDC (Rastreamento de celulares 2T19); (1) Dados de vendas americanas de celulares

A legislação brasileira proíbe as operadoras de bloquear telefones celulares exclusivamente para sua operadora, portanto, elas não têm incentivos para subsidiar o cliente

O Brasil vem passando por um movimento de digitalização e aumento da população conectada.

Fonte: Companhia, XP Investimentos, Abinee, TIC Domiciles, UNTCAD e Euromonitor

Fonte: Companhia, XP Investimentos, Abinee, TIC Domiciles, UNTCAD e Euromonitor

Fonte: Companhia e XP Investimentos

Endereçando os riscos

Execução, competição e benefícios fiscais como os maiores riscos

Benefício fiscal: A Allied recebe incentivos fiscais do COMPETE/ES (incentivo de ICMS, imposto de vendas, para operações de atacado e varejo não presentes no Estado do Espírito Santo), que representa ~0,7% das vendas brutas (ou ~27% do lucro líquido de 2020a). Em nossas estimativas, assumimos que os benefícios serão renovados em 2023, mas os retiramos na perpetuidade. A não renovação implicaria em um preço-alvo de R$35,0. É importante ressaltar que esse benefício é concedido à indústria, não sendo específico da Allied. Na verdade, a Allied foi uma das últimas empresas a ter acesso a esse incentivo e já era competitiva antes, dada a sua escala. Além disso, caso o benefício não seja renovado, acreditamos que a indústria repassaria o aumento aos consumidores, o que poderia impactar negativamente os volumes.

Execução no varejo direto ao consumidor/M&A: Esperamos que a Allied continue procurando oportunidades de M&A no canal de varejo das lojas Samsung, enquanto também desenvolve o conceito de varejo Store-in-Store (SiS) organicamente. Assim, observamos que existem riscos de valuation e execução associados a M&A e varejo direto ao consumidor.

Competição com empresas puramente digitais: O mercado de varejo digital enfrenta a concorrência de empresas como Magazine Luiza, Mercado Livre, B2W e Via – por meio de marketplaces. Embora haja riscos de concorrência, vemos a Allied como parceira desses varejistas, pois opera 29 lojas online, 12 das quais são lojas oficiais da Apple, Google e HyperX, nesses marketplaces.

Concorrência de novos fabricantes: Dado que grande parte das receitas da Allied virá da expansão das lojas físicas e quiosques da Samsung, é essencial que a marca se mantenha forte e prevaleça à medida que novos fabricantes entram no mercado. Vemos a Huawei, marca chinesa que está abrindo uma planta industrial no estado de São Paulo, como um fabricante a ser monitorado de perto.

Liquidez das ações: A ação atualmente possui cerca de 13,6% de free float (ações em circulação). Até maio a liquidez média diária era de R$1,7 milhões, mas aumentou para R$13,8 milhões em junho.

Múltiplos e comparáveis

Fonte: Companhia, Reuters e XP Investimentos; Notas (1) Consenso Reuters; (2) Cobertura feita pela analista de varejo Danniela Eiger; (3) Médias setoriais ponderadas pelo valor de mercado

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.