XP Expert

Privatização da Sabesp, PIB da zona do euro, emprego nos EUA: o que move os mercados hoje

PIB da zona do euro e atividade econômica dos EUA são alguns dos temas de maior destaque nesta quinta-feira, 07/12/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -1,01% | 125.623 Pontos

CÂMBIO -0,47% | 4,90/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

Impactado pela queda de setores de commodities, o Ibovespa fechou o pregão em queda de 1,0%, aos 125.623 pontos na quarta-feira. O destaque do dia foi a queda das petroleiras, como Petrobras (PETR4), que recuou 3,6%, após a desvalorização do Brent. Além disso, a queda do preço do açúcar levou à performance negativa de São Martinho (SMTO3), de 4,4%. Por outro lado, papéis sensíveis a juros, como Pão de Açúcar (PCAR3) e CVC (CVCB3), tiveram desempenho positivo, subindo 3,9% e 2,8%, respectivamente. 

Renda Fixa

As taxas futuras de juros fecharam em queda, em dia marcado pelo aumento das apostas na antecipação do início do ciclo de afrouxamento monetário em países desenvolvidos e pela queda firme do petróleo. DI jan/25 fechou em 10,325% (-5bps vs. pregão anterior); DI jan/26 em 9,995% (-5bps); DI jan/27 em 10,1% (-6bps); DI jan/29 em 10,53% (-7bps).

Mercados globais

Nos Estados Unidos, os futuros operam sem direção definida (S&P 500: 0,0%; Nasdaq 100: 0,2%) após o terceiro dia seguido de queda do índice S&P 500, em semana repleta de dados de emprego, refletindo a cautela dos investidores.

Na China, os índices fecharam em queda (CSI 300: -0,2%; HSI: -0,7%), após dados indicarem queda nas importações do país, sinalizando demanda interna mais fraca. Na Europa, os mercados operam em queda (Stoxx 600: -0,2%), seguindo a tendência global e no aguardo da divulgação final do PIB do 3° trimestre. O petróleo teve alta após atingir a mínima desde junho, em meio à incerteza quanto ao efeito dos cortes de produção da OPEP+.

Economia

Conforme divulgado ontem pela empresa de recrutamento ADP, houve criação líquida de 103 mil empregos no setor privado dos EUA em novembro, abaixo da expectativa do mercado, de 128 mil. Além do crescimento mais moderado do emprego, os salários subiram 5,6% na base de comparação anual, a menor taxa de variação desde setembro de 2021. O relatório ADP antecede a publicação do Nonfarm Payroll do Departamento de Trabalho, o principal relatório de emprego da economia americana (os dados para novembro serão conhecidos amanhã). A desaceleração do emprego e dos salários é um fator-chave para que o Federal Reserve (Fed, banco central americano) inicie um ciclo de flexibilização da política monetária.  

Veja todos os detalhes

Economia

Sinais adicionais de desaceleração no mercado de trabalho dos EUA                    

  • Conforme divulgado ontem pela empresa de recrutamento ADP, houve criação líquida de 103 mil empregos no setor privado dos EUA em novembro, abaixo da expectativa do mercado de 128 mil. Além do crescimento mais moderado do emprego, os salários subiram 5,6% na base de comparação anual, a menor taxa de variação desde setembro de 2021. Todas as adições de vagas no mês vieram de atividades de serviços, já que indústria e construção registraram perdas líquidas. Outro sinal de arrefecimento no mercado de trabalho dos EUA apareceu na última terça-feira, quando o relatório JOLTS mostrou que o total de vagas disponíveis recuou para 8,73 milhões em outubro, o nível mais baixo desde março de 2021. O relatório ADP antecede a publicação do Nonfarm Payroll do Departamento de Trabalho, o principal relatório de emprego da economia americana – os dados para novembro serão conhecidos amanhã, com o consenso de mercado apontando para geração de 180 mil postos. A desaceleração do emprego e dos salários é um fator-chave para que o Federal Reserve (Fed, banco central americano) comece a cortar sua taxa de juros de referência;
  • No Brasil, o setor público consolidado registrou superávit primário de R$ 14,8 bilhões em outubro, após déficit de R$ 18,1 bilhões em setembro e superávit de R$ 27,1 bilhões em outubro de 2022. O resultado veio abaixo da mediana de projeções do mercado (R$ 17,0 bilhões) e da nossa estimativa (R$ 16,9 bilhões). O setor público apresentou déficit de R$ 114,2 bilhões no acumulado em 12 meses até outubro (1,1% do PIB). A Dívida Bruta do Governo Geral (DBGG) aumentou de 74,4% do PIB em setembro para 74,7% do PIB em outubro. O indicador subiu 1,8 p.p. no acumulado do ano, devido sobretudo aos maiores pagamentos de juros nominais. A despeito da leitura positiva em outubro, acreditamos que o resultado primário do setor público continuará em rota de deterioração no curto prazo;
  • Na agenda econômica desta quinta-feira, destaque para a divulgação de indicadores de atividade econômica nos EUA: pedidos iniciais de auxílio desemprego na semana passada, além das vendas no atacado e concessões de crédito ao consumidor referentes a outubro. Ademais, de acordo com a terceira (e última) estimativa do PIB da zona do euro do 3º trimestre, já publicada nesta manhã, a economia da região recuou 0,1% em comparação ao 2º trimestre (houve alta de 0,1% contra o mesmo período do ano passado). Esses resultados confirmaram a expectativa do mercado e as leituras anteriores.  

Commodities

Exportações sinalizam tendências positivas

  • Recorde de volume exportado de carne bovina e frango em novembro, impulsionado pelo mercado de bovinos apertado nos EUA e risco global com gripe aviária;
  • Preços e volumes de carne bovina subiram, contrariando a sazonalidade, aproveitando a baixa produção nos EUA, enquanto preços de frango melhoraram ao longo do mês, refletindo preços domésticos firmes e indicando um dezembro mais positivo;
  • Com o aumento de casos de Influenza Aviária (HPAI) na Europa e na América do Norte, menor oferta de aves no Brasil e nos EUA e preços domésticos firmes, vemos espaço para otimismo na divisão Internacional da BRF;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Empresas

Sabesp (SBSP3): Projeto de Lei da Privatização é aprovado pela Assembleia do Estado

  • A Assembleia do Estado de São Paulo aprovou o projeto de lei que autoriza a privatização da Sabesp. Embora esperado, é um evento relevante na agenda de privatização, que, apesar dos prazos desafiadores, tem conclusão prevista para meados de 2024;
  • Com esta aprovação, os próximos passos para a privatização são: i) definição de novo modelo regulatório; ii) aprovação final pelos municípios da adesão à URAE (especialmente no legislativo da cidade de São Paulo) iii) regras de governança da Sabesp privatizada iv) formato da oferta no mercado secundário de capitais;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Aeris Energy (AERI3): Falta de visibilidade de receita em meio a um mercado desafiador

  • Estamos atualizando nossas estimativas para a Aeris (AERI3) para refletir uma perspectiva mais incerta para a energia eólica no Brasil, rebaixando nossa recomendação para Neutra e introduzindo um preço-alvo para o final de 2024 de R$ 1,00/ação;
  • Nossa visão cautelosa para a Aeris é apoiada por:
    • (i) uma perspectiva de mercado desafiadora para incremento de capacidade eólica no Brasil nos próximos anos (com projeções de demanda sendo revisadas para baixo e potenciais novos entrantes), agravada por
    • (ii) falta de visibilidade de receita, com a carteira de pedidos da empresa em uma tendência preocupante de queda, enfatizando fortemente a necessidade de novos contratos/extensões dos contratos atuais.
  • Apesar de vermos com bons olhos a conclusão da oferta primária da Aeris (mitigando os riscos de liquidez de curto prazo), continuamos vendo retornos estruturais em níveis sub-ótimos, limitando o potencial de valorização para o papel;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Data Expert | Tracking Semanal de Papel e Celulose da XP

  • Estamos relançando nosso semanal de Papel e Celulose, consolidando vários dados do mercado para ações do setor, fornecendo uma análise detalhada de valuation das empresas sob nossa cobertura e estimando o impacto potencial do top-line usando os dados disponíveis do setor;
  • Nesta semana, observamos: (i) a perspectiva de mercado para a celulose permaneceu forte em novembro de 2023, com os recentes anúncios de aumentos de preços sendo efetivamente implementados em dezembro de 2023 (~US$ 640-660/t), embora os sinais de desaquecimento na China limitem o espaço para novos aumentos;
  • (ii) Os futuros da celulose de fibra curta em US$ 635/t para janeiro de 2024;
  • (iii) O desempenho preliminar de receita da Suzano no 4T23E de +12% T/T (top-pick da nossa cobertura);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

GPA (PCAR3): Feedback do Investor Day

  • O Grupo Pão de Açúcar realizou o seu Investor day para atualizar as perspectivas da empresa e a implementação do seu processo de turnaround;
  • Nossas principais conclusões foram:
    • Melhoria operacional é uma prioridade da empresa, com destaque para a revisão de portfólio, redução dos níveis de desabastecimento e melhoria dos níveis de serviço;
    • A categoria de perecíveis deve se manter como protagonista dentro das lojas;
    • As preocupações com a alavancagem estão sendo endereçadas, com mais desinvestimentos a caminho;
  • Modelos de proximidade desempenhando papéis fundamentais na próxima expansão. Por fim, ajustamos nossas estimativas para incorporar os resultados do 3T e a venda da Cnova, mas mantemos nosso preço-alvo e recomendação (Neutro) inalterados em função dos riscos de execução e alta alavancagem;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Assaí (ASAI3): Feedback da reunião com executivos

  • Hoje, organizamos uma reunião com o Sr. Belmiro Gomes, CEO do Assaí, e a Sra. Gabrielle Helu, diretora de RI, para atualizar as perspectivas da empresa;
  • Os principais pontos abordados foram: i) A tendências melhores devem se traduzir em uma inflexão do SSS (vendas mesmas lojas) no 4T; ii) A logística como um dos principais diferenciais; iii) A localização e a evolução do formato como alavancas para enfrentar a concorrência; iv) Novos passos em governança a frente; e v) A gestão de passivos em andamento;
  • Aproveitamos também para ajustar as nossas estimativas, mantendo a nossa recomendação de Compra, uma vez que vemos uma dinâmica melhor de lucros no curto prazo, junto a um histórico de execução comprovado e oportunidades de crescimento por vir;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Governo quer estender Desenrola e tornar programa permanente, diz secretário (Valor);
    • Crédito desacelera e pode ficar aquém de projeção (Valor);
    • C6 Bank registra primeiro lucro mensal em novembro (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • “Vamos crescer 104% na esteira comercial em 2024”, diz Fábio Abreu, VP para o B2B do grupo Alloha (telesintese);
    • 2023 foi um ano difícil e de adaptação, diz CEO da Allied (mobiletime);
    • Caso Winity/Vivo: Anatel ainda aguarda pedido de cumprimento de condicionantes (TELETIME);
    • Desenvolvimento de apps móveis está atrás de IA e segurança na nuvem das iniciativas das companhias da América Latina (mobiletime);
    • Clique Aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Permanece impasse em torno da MP das subvenções (Valor);
    • Proposta da Fazenda para JCP é desidratada após resistências (Folha)
    • GPA quer cortar 50% da alavancagem em um ano; expansão focará no Minuto Pão (Brazil Jorunal);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Bebidas
      • Permanece impasse em torno da MP das subvenções (Valor);
    • Alimentos
      • Bird flu found on another German poultry farm (Reuters);
      • Surto de gripe aviária impacta da avicultura ao consumo na África do Sul (Agrimídia);
    • Agro
      • Australia’s Top Sugar Producing State Braces for Severe Cyclone (Bloomberg);
      • Exportadores de grãos deixam de ganhar US$ 1,2 bi com fila no Porto de Santos (Globo Rural);
    • Biocombustíveis
      • Índia planeja desestimular produção de etanol para priorizar oferta de açúcar (Nova Cana);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Saúde: XP Daily | Sua dose diária de notícias
    • Depois de dois anos, venda da Amil está prestes a ser concluída (Metrópoles);
    • Unimed Nacional inaugura unidade assistencial em Salvador (Saúde Business);
    • Hapvida anuncia abertura de novo centro de pesquisa médica em Ribeirão Preto (SEGS);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • Petróleo recua cerca de 4% e fecha no menor nível desde o fim de junho. (Valor Econômico);
    • TCU revoga medida que impedia Petrobras de alterar estatuto. (Poder 360);
    • Governo Lula quer solução via Congresso para impasse sobre político em estatais. (O Globo);
    • Braskem: crise em Maceió afasta de vez a Unipar na compra da empresa. (O Globo);
    • Maceió pede a Braskem revisão de acordo para ajustar indenizações (Terra);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Here’s what it would take for the Fed to start slashing interest rates in 2024 (CNBC).
  • Debenturistas rejeitam acordo com Unigel e antecipam vencimentos (Pipeline).
  • Ratings ‘brA+’ da Vero reafirmados e da America Net elevados para ‘brA+’ após combinação de negócios; perspectiva estável (S&P Global). 
  • Fitch Rebaixa Ratings da Gol para ‘CCC–’/‘CCC–(bra)’ (Fitch).
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Cenário de transição exige portfólios equilibrados

  • A correlação entre a renda fixa e a renda variável americana vem perdendo seu padrão recente de comportamento historicamente negativo.
  • Estamos vivendo um novo regime no comportamento das 2 principais classes de ativos globais, o que nos deixa mais cautelosos para tomar decisões estruturais de longo prazo nos portfólios.
  • No Brasil, a correlação entre os retornos da renda variável e os retornos da renda fixa não aparenta estar passando pela mesma mudança estrutural.
  • Para exemplificar o efeito da diversificação em um portfólio, trouxemos a “tabela periódica”, que mostra os retornos ano a ano das principais classes de ativos que utilizamos.
  • Confira aqui o relatório completo

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Pátria Investimentos compra área de fundos imobiliários do Credit Suisse (Valor Econômico);
    • Fundos imobiliários planejam captação (Valor Econômico);
    • Compra da CSHG pelo Pátria com ‘porteira fechada’ preserva equipe de gestão: ‘Nada muda para cotista’ (InfoMoney);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Banco da Amazônia faz acordo internacional para financiar desenvolvimento sustentável | Café com ESG, 07/12

  • O mercado encerrou o pregão de quarta-feira em território negativo, com o IBOV e o ISE registrando queda de -1,0% e -0,38%, respectivamente;
  • No Brasil, (i) segundo relatório da Climate Bonds Initiative (CBI), o mercado de dívida sustentável brasileiro no primeiro semestre de 2022 teve quase 20% dos recursos captados nas emissões utilizados para financiar as atividades de agricultura, pecuária e silvicultura, que estão incluídas no segmento de Uso da Terra, refletindo a crescente importância das práticas agrícolas sustentáveis no país; e (ii) de acordo com estudo realizado pela consultoria Bain & Company, a amônia verde, feita a partir do hidrogênio verde, tende a substituir parte ou até mesmo todo o insumo importado pelo Brasil em algum momento entre 2035 e 2050, possuindo tanto vantagens econômicas quanto ambientais;
  • Na COP28, o BID Invest e a IFC, integrante do Grupo Banco Mundial, assinaram um acordo para trabalhar em conjunto com o Banco da Amazônia, visando facilitar a colaboração de investimento entre as três instituições para promover o desenvolvimento sustentável na região amazônica no Brasil, por meio do programa Amazônia Sempre;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG

Reunião da XP com o Tesouro Nacional: O que a emissão do 1° título soberano verde nos diz?

  • Com o recente lançamento da 1ª emissão do título soberano sustentável do Brasil, o time de Research ESG da XP, junto com as equipes de Política e Economia, aproveitaram a oportunidade para realizar uma reunião com lideranças do Tesouro Nacional brasileiro visando um maior detalhamento dessa agenda;
  • As principais conclusões foram: (i) liderança, diversificação e referência para o setor privado como as principais forças motoras por trás da emissão; (ii) notável interesse e alta demanda por parte dos investidores; (iii) transparência como uma característica chave; e (iv) tendências a serem mapeadas olhando para frente;
  • De modo geral, saímos da reunião com uma visão positiva do compromisso do Tesouro Nacional em acessar o mercado de finanças sustentáveis, com a 1° emissão abrindo caminho para um futuro promissor;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.