XP Expert

Mercados em alta de olho no teto da dívida nos EUA; no Brasil, PIB é destaque do dia

Votação do teto da dívida nos EUA e PIB brasileiro são alguns dos temas de maior destaque nesta quinta-feira, 01/06/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0.58% | 108.335 Pontos

CÂMBIO +0,60% | 5,07/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaques do dia

Mercados amanhecem positivos após a aprovação, na Câmara dos Deputados americana, do projeto de lei para aumentar o limite da dívida e os gastos do governo dos Estados Unidos. Na agenda internacional de hoje (1), destaque para o índice de gerente de compras (PMI) da indústria do mês de maio nos EUA. No Brasil, destaque para a divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) do 1º trimestre de 2023.

Teto da dívida nos Estados Unidos

O projeto de lei para aumentar o limite da dívida e limitar os gastos do governo foi aprovado na Câmara dos EUA por ampla margem. A aprovação aconteceu cinco dias antes do fim do prazo para evitar um calote. O projeto segue agora para o Senado, controlado pelos democratas, onde os líderes de ambos os lados querem aprová-lo em 48 horas.

Mercados globais

Mercados abrem em alta nesta sessão, com os futuros americanos S&P 500 e Nasdaq subindo 0,2% e 0,1%, respectivamente.

A Alibaba (ticker: BABA) anunciou que integrará seu sistema de inteligência artificial (AI) em seu aplicativo de mensagens DingTalk (semelhante ao Slack) e em um assistente de reunião chamado Tingwu, entrando na corrida para oferecer um concorrente ao ChatGPT no mercado chinês.

Na Europa, os mercados operam em alta, refletindo não apenas o otimismo em relação ao teto da dívida americana na Câmara, mas também uma série de indicadores econômicos positivos. Na zona do euro, a inflação diminuiu mais do que o esperado, caindo de 7% em abril para 6,1% em maio, atingindo o nível mais baixo desde fevereiro de 2022. Além disso, os dados divulgados na quarta-feira (31) mostraram que a inflação anual na Alemanha e na França caiu mais do que o previsto em maio.

Já na Ásia, os principais mercados encerraram o pregão sem direção definida. O índice dos gerentes de compras (PMI) chinês superou as projeções, retornando ao território de expansão, com uma alta de 49,5 pontos em abril para 50,9 em maio. Na Índia, o PMI registrou seu nível mais alto desde outubro de 2020, alcançando 58,7, superando as expectativas da agência Reuters.

Mercado no Brasil ontem

O Ibovespa fechou ontem em queda de 0,58%, aos 108.335 pontos. O dólar, por sua vez, fechou o dia em R$ 5,07 após alta de 0,6%.

As taxas futuras de juros fecharam próximas aos níveis de fechamento do pregão anterior com viés de alta no miolo da curva, à medida que os agentes financeiros ajustam posições em torno da magnitude do ciclo de afrouxamento monetário pelo Banco Central. DI jan/24 oscilou de 13,19% para 13,225%; DI jan/25 subiu de 11,44% para 11,52%; DI jan/26 avançou de 10,87% para 10,915%; e DI jan/27 passou de 10,91% para 10,945%.

Veja todos os detalhes

Economia

Destaque para a divulgação do PIB brasileiro do 1º trimestre, para qual a XP espera alta de 1,4% t/t; nos Estados Unidos, Câmara aprovou a suspensão do teto da dívida, que passa ao Senado

  • Ontem tivemos combo de dados de emprego no Brasil. A PNAD mostrou queda da taxa de desemprego para 8,5% no trimestre móvel encerrado em abril, abaixo dos 8,8% projetados pela XP e pelo mercado. A população ocupada total subiu 0,2% em abril ante março, o quarto ganho consecutivo, chegando assim a 98,6 milhões. Por sua vez, a PEA – População Economicamente Ativa – recuou 0,15% na base de comparação mensal (-0,7% na comparação interanual), a quinta queda consecutiva. Com isso, a força de trabalho totalizou 107,2 milhões. A taxa de participação (PEA/PIA) situou-se 1,7 pp abaixo do nível pré-pandemia (61,7% versus 63,4%) e 1,1 pp abaixo do pico prévio registado em julho de 2022 (62,8%). Ademais, a recuperação dos rendimentos reais do trabalho prossegue: o rendimento médio real efetivo do trabalho cresceu 0,6% em abril, após virtual estabilidade nos dois meses anteriores;
  • O relatório do CAGED registrou criação líquida de 180,0 mil empregos formais em abril, exatamente em linha com a nossa expectativa (180,0 mil) e um pouco abaixo do consenso de mercado (187,0 mil). De acordo com as nossas estimativas dessazonalizadas, o saldo de emprego recuou de 285 mil em março para 137 mil em abril. Em linhas gerais, o relatório reforça a avaliação de que o emprego formal desacelera de forma mais suave do que se pensava inicialmente, trazendo viés de alta para o PIB de 2023;
  • Do lado fiscal, o setor público consolidado registrou superávit primário de R$ 20,3 bilhões em abril, acima do consenso de mercado (R$ 16,3 bilhões) e nossa projeção de R$ 19,4 bilhões), mas muito abaixo de abril de 2022 (superávit de R$ 40,3 bilhões em termos reais). É o pior resultado para o mês desde 2020. Em 12 meses, o setor público acumula superávit de R$ 56,2 bilhões, ou 0,6% do PIB, queda de quase 0,2 pp. em relação a março. A Dívida Bruta do Governo Geral (DBGG) atingiu 73,2% do PIB em abril, ante 73,0% em março, enquanto a Dívida Líquida do Setor Público (DLSP) manteve-se estável em 57,2% do PIB. Esperamos que o saldo primário do governo central continue em queda nos próximos meses devido ao aumento das despesas relacionadas ao salário-mínimo e à queda das receitas devido ao desempenho econômico mais fraco. Por outro lado, como as variações do ICMS sobre energia elétrica e combustíveis implementadas no ano passado serão parcialmente revertidas, vemos uma estabilização nos governos subnacionais, principalmente no segundo semestre deste ano;
  • Destaque hoje para a divulgação do PIB do 1º trimestre de 2023. A XP espera alta de 1,4% t/t (3,4% a/a) e o mercado, 1,2% t/t (2,8% a/a). A safra recorde de grãos explica grande parte do forte crescimento do PIB no 1T23. PIB da Agropecuária disparou aproximadamente 12% no trimestre, de acordo com nossos cálculos. O PIB da indústria deve registrar a segunda queda consecutiva, ainda que moderada. No entanto, a recuperação consistente na indústria de mineração é uma notícia positiva. Por sua vez, o PIB de Serviços continua em trajetória ascendente, apesar de ter perdido fôlego nos últimos trimestres. Vale ressaltar que, diante de dados recentes, atribuímos um leve viés positivo à nossa projeção de crescimento de 1,4% para o PIB de 2023;
  • Na seara internacional, conforme antecipado aqui ontem, a Câmara dos Estados Unidos aprovou o acordo para a suspensão do teto da dívida até 2025; a matéria seguirá ao Senado. Nos indicadores, tivemos a divulgação do relatório JOLTS de abertura de vagas de emprego nos Estados Unidos acima das expectativas (10,1 milhões vs 9,4 milhões), reforçando a robustez do mercado de trabalho americano. Durante a tarde, o Livro Bege do Fed foi divulgado, trazendo uma perspectiva levemente mais negativa sobre o crescimento da economia, após as divulgações dos dados de atividade de abril e maio;
  • Na China, o PMI Caixin de manufatura avançou para 50,9 pontos em maio, acima da expectativa de mercado (49,5). Na Zona do Euro, o CPI preliminar de maio desacelerou para 6,1% a/a (exp. 6,3%), tendo seu núcleo cedido para 5,3% (exp. 5,5%.). Trata-se da melhor divulgação de inflação da região desde o início do processo de desinflação;
  • Na agenda de indicadores internacionais, destaque nos EUA para as divulgações da criação líquida de empregos no setor privado de maio (ADP) às 9:15 (exp. 170k), do PMI (índice de gerentes de compras) industrial final de maio às 10:45, para qual o mercado espera para 48,5 pontos, e do ISM também de manufatura às 11:00, que registra expectativas em 47,0 pontos.

Empresas

BRF (BRFS3) anuncia follow-on apoiada por Marfrig (MRFG3) e SALIC; positivo

  • A BRF anunciou hoje a intenção de captar até R$ 4,5 bi em um follow-on com garantia firme da Marfrig (sem efeito de alavancagem na empresa) e da SALIC. Acreditamos que a operação aconterá, mas os riscos não são irrelevantes, pois uma parcela relevante dos acionistas deve concordar com a retirada do poison pill. Vemos o follow-on como positivo para BRF e Marfrig, pois:
    • a SALIC é um investidor estratégico e a parceria pode e deve melhorar as operações da BRF;
    • os recursos da Marfrig virão de seu acionista controlador, não prejudicando, portanto, a alavancagem da Marfrig; e
    • uma potencial desalavancagem trará um importante alívio no fluxo de caixa da BRF, também positivo para a Marfrig.
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Data Expert | Carrinho XP – Falando com stakeholders do varejo alimentar

  • Na edição deste mês do Carrinho XP, compartilhamos os principais feedbacks do cenário do varejo alimentar com base em nossas conversas mais recentes com diferentes players (varejistas não listados e da indústria);
  • As principais mensagens foram: i) Aumento da concorrência em São Paulo sendo sentido em todo o setor; ii) Players menores/regionais da indústria apoiando o segmento do varejo por meio de melhores condições de compra; iii) Varejo como formato estratégico para branding da indústria; e iv) Os players já estão percebendo a profissionalização do Grupo Mateus;
  • Mantemos recomendação de Compra para o Grupo Mateus (GMAT3) e Assaí (ASAI3) e Neutra para o Carrefour Brasil (CRFB3) e GPA (PCAR3);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Telecom Brasil: Data Expert | Monitor Anatel; Resultados de Abril de 2023

  • Hoje (31 de maio), a Anatel divulgou o banco de dados de assinantes referente a abril de 2023;
  • Os principais destaques foram:
    • (i) no que diz respeito à banda larga (todas as tecnologias incluídas), entre os ISPs listados, a Brisanet continua apresentando o melhor desempenho em termos de crescimento orgânico, adicionando cerca de 19,2 mil clientes. A Desktop reportou uma adição líquida de +6,8 mil assinantes em abril, e neste mês a Unifique adicionou +8,3 mil clientes (+1,3 mil organicamente, devido à aquisição da Brick Telecom, que adicionou 7 mil acessos ao longo do mês);
    • (ii) no segmento móvel, a Claro conquistou o maior número de clientes pós-pagos (excluindo M2M) em abril, adicionando cerca de 167,8 mil clientes, e aumentou em 53,3 mil conexões líquidas no pré-pago ao longo do mês. A Vivo aumentou o número de clientes pós-pagos (excluindo M2M) em +137,1 mil, mas desconectou -386,4 mil clientes no pré-pago. Neste mês, a TIM conectou +87 mil clientes pós-pagos (excluindo M2M), mas desconectou -538,9 mil clientes no pré-pago, o que ainda pode ser justificado pela migração de clientes da Oi Móvel.
  • A Vivo atualmente possui uma participação de mercado de 39,0% (pré-pago + pós-pago), enquanto a Claro tem 33,1% e a TIM 24,4%;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Porto Seguro anuncia Paulo Kakinoff como presidente no lugar de Roberto Santos (Valor);
    • Santander faz acordo com SAP voltado a grandes empresas (Valor);
    • Pix assume liderança nos pagamentos digitais em 2022 (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • TIM liga rede 5G em Juiz de Fora (telesintese);
    • Viasat conclui a compra da Inmarsat (telesintese);
    • HP supera expectativas de lucro no 2º trimestre fiscal, mas receitas ficam abaixo do esperado (Valor);
    • App Store, da Apple, gerou US$ 1,1 trilhão em vendas e cobranças (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Logística é a menina dos olhos da Natura (Diário do Comércio);
    • Varejo articula mudanças no Farmácia Popular (Panorama Farmacêutico);
    • Shein planeja reforçar executivos de compliance e logística para o mercado dos EUA (Reuters);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Alimentos e Bebidas
      • Contra margens apertadas, Ambev e Heineken avisaram governo que preços sofrerão alta – Valor;
      • Salic aproxima Molina do controle da BRF – mas desafia fusão com Marfrig – Pipeline.
    • Agro
      • Brasil faz venda de soja rara para os EUA, mostram dados de embarques – Notícias Agrícolas;
      • Atrasos na semeadura de beterraba na UE ameaçam recuperação da produção de açúcar – Novacana.
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • CVM aprova pedido da EDP Brasil para fechar capital, com leilão previsto para 11 de julho. (Valor Econômico);
    • Eletrobras deterá 100% da UHE Baguari. (Canal Energia);
    • Ataque a Eletrobras cheira a confisco. (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • Petrobras inicia produção da plataforma flutuante Almirante Barroso, no Campo de Búzios (Valor Econômico);
    • Polo Potiguar pode estreitar parceria entre 3R e PetroReconcavo (Petróleo Hoje);
    • Petrobras investe R$ 600 milhões em megacampanha sísmica na Bacia de Santos (EPBR);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Estratégia

Raio-XP: É hora de voltar para as Small Caps?

  • Nesse mês, a Bolsa brasileira voltou a apresentar bons ganhos. Em maio, a combinação de taxas mais baixas de juros futuras e uma maior visibilidade em relação aos gastos fiscais trouxeram um tom mais otimista para os ativos brasileiros, com o Ibovespa subindo 3,7% em reais, e +1,8% em dólares. Enquanto isso, os mercados globais tiveram um desempenho ligeiramente negativo, pressionados por preocupações em torno do teto da dívida dos EUA. O S&P 500 encerrou o mês com um leve ganho de 0,2%, enquanto o Nasdaq-100 teve um forte rali de 7,6%, impulsionado por ações relacionadas à inteligência artificial;
  • Setorialmente, as principais altas no mês passado foram nos setores sensíveis às taxas de juros. Podemos observar que setores como Educação (+55,3%), Construtoras (+27,4%) e Varejo (+13,9%) estiveram entre os que tiveram melhor desempenho. Enquanto isso, o setor de Mineração & Siderurgia (-9,6%) continuou em queda após dados econômicos decepcionantes vindos da China. Ao analisarmos os Fatores, também podemos observar que o estilo de Alto Crescimento (+17,9%) e Baixa Qualidade (+18,1%) tiveram um desempenho forte também;
  • Ações de Small Caps começam a apresentar uma performance melhor no Brasil. Como reflexo de um rali forte em ações de maior risco, também começamos a observar um desempenho sólido das “Small Caps” (empresas de baixa capitalização de mercado). Desde as mínimas, o índice Small Caps subiu +20%, em comparação com +9% do índice Mid-Large Caps das empresas maiores. O desempenho sólido das Small Caps, assim como do Ibovespa, é explicado pelas taxas de juros futuras menores;
  • O valuation das Small Caps tem subido, mas segue abaixo das médias. Com um P/L em 10,8x, as Small Caps ainda são negociadas com um desconto em relação à média histórica. Em comparação, o índice Mid Large Caps atualmente possui um P/L de 7,0x. Embora isso signifique que as Small Caps estão “mais caras” do que as Large Caps, a diferença entre elas está em linha com a média histórica. Além disso, a recente alta das Small Caps fez com que os múltiplos se expandissem, mas a relação P/L ainda está 1 desvio-padrão abaixo da média;
  • A Bolsa brasileira continua atrativa. As ações brasileiras continuam atrativas, com uma relação de P/L de 7,4x, abaixo da média histórica de 11,0x. Nesse mês, atualizamos o valor justo do Ibovespa para 130.000 pontos para o final de 2023, de 128.000 pontos projetados anteriormente, devido à melhora nas taxas de juros futuras. Em nossas carteiras, decidimos adicionar mais risco para o mês de junho, reduzindo algumas posições de ações defensivas e adicionando um pouco de beta;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Fundos de crédito começam a reagir, diz Rio Bravo (Valor Econômico);
  • ​​​​​​​PIB do 1º trimestre, inflação desacelera na Europa e o que mais move o mercado (Exame);
  • ​​​​​​​Americanas já tem data prevista para divulgar resultados das demonstrações financeiras de 2022 (Valor Econômico);
  • Ainda sem acordo com credores, Tok&Stok detalha sua crise em ação na Justiça (Valor Econômico);
  • Fitch Afirma Ratings ‘AAA(bra)’ da Copel e de Suas Subsidiárias (Fitch);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

ESG

CVM revê regras para fundos de investimento | Café com ESG, 01/06

  • O mercado encerrou o pregão de quarta-feira no negativo, com o Ibov e o ISE em leves quedas de -0,57% e -0,21%, respectivamente;
  • No Brasil, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) acaba de fazer uma grande reforma nas regras de fundos de investimento e já começa a se preparar para uma provável nova rodada de mudanças em 2024 – o regulador sinalizou que está aberto a receber sugestões do mercado para alterações em fundos de investimento em participações (FIPs) imobiliários (FIIs) e fundos de índice (ETFs);
  • No internacional, (i) Xangai está construindo o maior centro de bioenergia do mundo, com previsão de conclusão até maio de 2025 – o projeto deverá lidar com 4.500 toneladas de resíduos úmidos por dia, se tornando a maior base de reciclagem profunda de resíduos úmidos do mundo; e (ii) segundo um estudo publicado ontem na revista Nature pelo grupo internacional de cientistas Earth Comission, o planeta Terra ultrapassou sete dos oito limites de segurança cientificamente estabelecidos e entrou na “zona de perigo”, não só para um planeta superaquecido que está perdendo áreas naturais, mas também para o bem-estar das pessoas que o habitam;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.