XP Expert

IPCA-15, resultado primário no Brasil e confiança do consumidor nos EUA no radar

Prévia da inflação no Brasil e confiança do consumidor nos EUA são alguns dos temas de maior destaque nesta terça-feira, 28/11/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +0,17% | 125.731 Pontos

CÂMBIO +0,04%| 4,90/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

O Ibovespa encerrou a sessão de segunda-feira em leve alta de 0,2%, fechando em 125.731 pontos. Os índices globais fecharam em leve queda, dando uma pausa no rali das últimas quatro semanas. O dólar ficou praticamente de lado, a R$ 4,90. 

O pregão foi marcado por volatilidade, liderado pela valorização de papéis de educação, como Yduqs (YDUQ3, +10,7%) e Cogna (COGN3, +7,2%). Isso foi uma reação dos setores mais sensíveis às variações dos juros futuros – o Boletim Focus, divulgado pelo Banco Central, anunciou uma expectativa menor do IPCA para o final de 2023, o que acabou estimulando o apetite de risco de investidores. Na outra ponta, ações de commodities fecharam em queda, liderados por Raízen (RAIZ4, -5,1%) e 3R Petroleum (RRRP3, -4,3%), após notícias de extensão no cessar-fogo entre Israel e Hamas, de divergências entre membros da OPEP, e de desaceleração econômica na China.

Renda Fixa

As taxas futuras de juros fecharam em queda, acompanhando os rendimentos (yields) dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos (Treasuries). Enquanto aguardam a divulgação dos dados do IPCA-15 no Brasil e a continuidade da tramitação da agenda econômica no Congresso Nacional, o pregão teve um volume de negociação inferior à média observada ao longo de 2023. DI jan/25 fechou em 10,415% (-2,5bps vs. pregão anterior); DI jan/26 em 10,085% (-8,5bps); DI jan/27 em 10,21% (-12bps); DI jan/29 em 10,63% (-13,5bps).

Mercados globais

Nos Estados Unidos, os futuros operam em leve queda (S&P 500: 0,0%; Nasdaq 100: -0,1%). O mercado se atenta para dados de vendas na Black Friday e Cyber Monday, que algumas companhias divulgam independentemente. Hoje, discursos de dirigentes do Federal Reserve, índices de preços de moradias e confiança do consumidor são os principais destaques do lado econômico.

Na Europa, os mercados operam em queda (Stoxx 600: -0,6%), com a maioria dos setores no campo negativo. Na China, os índices fecharam em queda (CSI 300: 0,2%; HSI: -1,0%).

Economia

Publicada ontem, a arrecadação tributária federal foi de R$ 215,6 bilhões em outubro, acima do consenso de mercado (R$ 212,3 bilhões) e da nossa projeção (R$ 213,1 bilhões). Na Europa, discurso público proferido pela presidente do BCE, Cristine Lagarde, alertou que “este não é o momento de começar a declarar vitória” no combate contra a inflação, e que as taxas de juros podem permanecer estáveis ​​durante os próximos trimestres.

Na agenda brasileira de hoje, o destaque é a divulgação do IPCA-15 de novembro. Projetamos variação mensal de 0,30%. Do lado fiscal, será divulgado o resultado primário do governo central de outubro no Brasil, para a qual esperamos um superávit de R$ 15,4 bilhões. Na agenda internacional, alguns membros dos bancos centrais das principais economias desenvolvidas falarão publicamente hoje (Fed, BCE, e Banco da Inglaterra).

Veja todos os detalhes

Economia

IPCA-15 e resultado primário do governo central são destaque no Brasil hoje

  • No Brasil, o Boletim Focus divulgado na manhã de ontem apresentou algumas revisões. A mediana das projeções para a variação do IPCA de 2023 caiu para 4,53% (antes em 4,55%). Para 2024 e 2025, as projeções se mantiveram em 3,91% e 3,50%, respectivamente. Com a divulgação do resultado do 3T23 na próxima semana, as estimativas do mercado para a variação real do PIB em 2023 cederam novamente, de 2,85% para 2,84%. Para 2024 e 2025, as projeções permanecem em 1,50% e 1,93%. Em relação à política monetária, as expectativas para taxa Selic continuam em 11,75% para o final de 2023, 9,25% para o final de 2024 e 8,75% para o final de 2025. Em relação à taxa de câmbio, as apostas para o dólar se mantiveram em R$/US$ 5,00 para 2023, R$/US$ 5,05 para 2024 e R$/US$ 5,10 para 2025;
  • Publicada ontem, a arrecadação tributária federal registrou R$ 215,6 bilhões em outubro, acima do consenso de mercado (R$ 212,3 bilhões) e da nossa projeção (R$ 213,1 bilhões), aumentando 0,1% A/A em termos reais. No acumulado doze meses, a arrecadação de impostos registrou R$ 1.907,5 bilhões, representando queda de 0,7% A/A em termos reais, e, em doze meses, atingiu R$ 2.289,7, queda de 0,1% (comprado com a alta de 0,6% em setembro). A arrecadação federal apresentou alta em outubro, impulsionada pelas medidas de aumento de arrecadação implementadas desde meados de 2023 como a reversão da redução de impostos PIS/Cofins sobre gasolina e etanol, a exclusão dos créditos de ICMS da base de cálculo do PIS/Cofins, entre outros. Continuamos esperando que a arrecadação de impostos perca força nos próximos meses, impulsionada pela queda nas receitas tributárias empresariais. No entanto, a implementação de novas medidas, como a tributação de fundos exclusivos, os investimentos offshore e a mudança nos subsídios do ICMS, deverão melhorar a arrecadação de impostos em 2024, mas não o suficiente para satisfazer as necessidades da meta de défice zero. Portanto, estimamos uma receita bruta de R$ 2,328 bilhões no ano de 2023, um crescimento de apenas 0,5% em termos reais, e de R$ 2,603 ​​bilhões em 2024, um aumento de 7,6% em termos reais;
  • Na Europa, a presidente do BCE, Cristine Lagarde, alertou que “este não é o momento de começar a declarar vitória” no combate contra a inflação, e que as taxas de juros podem permanecer estáveis ​​durante os próximos trimestres. Apesar dos últimos dados de preços terem vindo mais benignos do que o esperado, a inflação permanece acima da meta, exigindo que a política monetária permaneça restritiva. Por outro lado, tornam-se mais claros os sinais de enfraquecimento da atividade econômica, o que poderá em breve pesar no sentido contrário. Ainda acreditamos que as taxas de juros permanecerão estáveis ​​até a quarta ou quinta reunião de 2024, quando o BCE iniciará um ciclo de flexibilização gradual;
  • Na agenda brasileira de hoje, o destaque é a divulgação do IPCA-15 de novembro. Projetamos variação mensal de 0,30%. Se as nossas projeções estiverem corretas, a inflação anual diminuirá de 5,05% em outubro para 4,81% em novembro. Já expressando alguma redução de preços pela Black Friday, os bens industriais devem apresentar deflação no mês, assim como os preços da gasolina, puxando o índice para baixo. Por outro lado, serviços devem acelerar devido à forte variação em passagens aéreas, enquanto preços alimentícios apresentarão aceleração devido ao clima mais adverso no mês. Do lado fiscal, será divulgado o resultado primário do governo central de outubro no Brasil, para a qual esperamos um superávit de R$ 15,4 bilhões;
  • Na agenda internacional, alguns membros dos bancos centrais das principais economias desenvolvidas falarão publicamente hoje. Entre eles, Goolsbee, Waller, Bowman e Barr do Fed; McCaul, Lane e a Presidente Lagarde do BCE; e Haskel do Banco da Inglaterra. Estes discursos poderão fornecer orientações adicionais sobre a condução futura da política monetária nestas economias.

Commodities

Comentário Semanal Agro | Safras em 2º plano na Argentina

  • Grãos. Feriado nos EUA encurtou a semana de negociações nas bolsas americanas, mas trouxe volatilidade para o mercado. Grãos começaram a semana em alta, mas devolveram movimento com melhora de mapas de chuva no Brasil e vendas para exportação mais fracas nos EUA;
  • Carnes. Preços lateralizados com sinais  mistos da exportação no Brasil mas mercado em alerta com problemas sanitários relevantes, como gripe aviária no Hemisfério Norte, e os 2 focos de peste suína em Hong Kong;
  • Açúcar e Etanol. O açúcar ficou próximo de novo recorde, mas também devolveu alta com movimento técnico e de perspectiva de aumento da produção de açúcar na Europa apesar de problemas na França;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Empresas

Data Expert | Enchendo o Tanque: acompanhamento dos dados mensais do setor de distribuição de combustíveis da XP

  • Estamos lançando o Enchendo o Tanque, o compilado de gráficos Mensal do setor de Distribuição de Combustíveis da XP, um guia completo com dados de distribuição de combustíveis no Brasil;
  • Os dados preliminares da ANP para outubro mostram que os volumes do mercado permanecem fortes, embora o ciclo otto ajustado tenha desacelerado (+1,2% mensal A/A, +1,5% nos últimos 3 meses A/A, +7,5% nos UDM A/A), enquanto Diesel permaneceu em uma trajetória forte (+2,2% no mês A/A, +4,6 % nos últimos 3 meses A/A, +3% nos UDM A/A);
  • Olhando tanto para os últimos 3 meses quanto para os 12 meses, as vendas de Diesel B+ Ciclo Otto ajustado permanecem fortes em relação ao PIB. Por sua vez, o preço relativamente baixo do Etanol Hidratado em relação à gasolina finalmente provocou uma mudança no mix relativo no Centro-Oeste, embora este ainda não seja o caso no Sudeste;
  • A Petrobras ganhou 2pp de participação no fornecimento de Gasolina A no mês (menos 1pp em uma base de média móvel de 3 meses ) e +5pp em Diesel A (menos 1pp em uma base de média móvel de 3 meses). Levando em conta os biocombustíveis, o mercado mais amplo da Petrobras foi de 63%, acima dos 61% de um mês atrás e abaixo dos 68% de um ano atrás;
  • Em termos de participação de mercado, os dados preliminares de outubro mostraram um pequeno aumento para Ipiranga e Raízen e uma pequena queda para Vibra em termos mensais. A Raízen teve a variação marginal de “melhor qualidade” na participação de mercado (melhoria em postos bandeirados e consumidores finais);
  • Clique aqui para o relatório completo.

Petrobras (PETR3/PETR4)|Petrobras Day 2023

  • Executivos da Petrobras apresentam para investidores seu Plano Estratégico (PE) de 2024/28+;
  • Foi questionado o conservadorismo da empresa com sua curva de produção, pois não há expectativa de altas taxas de depleção ou de interrupção nos próximos anos;
  • Vemos um volume entre 2,3 até 2,35mbbld para 2024, acima dos 2,2mbbld que está no guia;
  • O novo PE reduz o share de E&P, setor que possui a maior taxa de retorno na Petrobras;
  • Sentimos que muitos investidores estão vendo mais produção e menos Capex em 2024 se comparado com o PE;
  • Consideramos uma leve mudança negativa no PE se comparado com o plano anterior. Se os números forem perto do planejado pela empresa, o preço da ação poderá sofrer;
  • Clique aqui para o relatório completo.

Assaí (ASAI3): Feedback do Assaí Day

  • Hoje, o Assaí organizou seu primeiro Investor Day para disponibilizar atualizações sobre a estratégia da companhia;
  • Os principais destaques foram: i) Desalavancagem começando no próximo ano; ii) Ainda tem espaço para crescer, com a companhia compartilhando seu guidance de expansão para 2024-25; iii) M&A pode ser um tema no médio-prazo; iv) Expansão do portfólio, phygital e serviços financeiros como avenidas de crescimento. Finalmente, aproveitamos para incorporar os resultados do 3T no nosso modelo, com ajustes mínimos nas nossas estimativas, exceto pela remoção das subvenções fiscais de 2024 e um ajuste no cálculo da dívida líquida de acordo com o guidance fornecido (abaixo de 3,5x até o fim de 2024);
  • Mantemos nossa recomendação de compra na medida que vemos melhores resultados pro nome, com bem sucedido histórico de execução e oportunidades de crescimento a frente;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

PetroReconcavo (RECV3) | Dando as boas-vindas ao futuro CEO: Histórico favorável para enfrentar os desafios atuais da empresa

  • Hoje, a PetroReconcavo realizou uma teleconferência para apresentar seu futuro CEO, Sr. José Firmo;
  • Ele acredita que os principais desafios da PetroReconcavo estão na alocação de capital, na capacidade de desenvolvimento e entrega de projetos (reduzindo OPEX e otimizando o CAPEX), bem como na melhoria da comunicação (dentro e fora da empresa);
  • Firmo e Marcelo Magalhães (atual CEO) disseram que outras mudanças na equipe de gestão não estão sendo consideradas;
  • A longa e diversificada experiência do Sr. Firmo em serviços de campos de petróleo, infraestrutura e logística está alinhada com a estratégia de verticalização da empresa. Suas observações iniciais estão em linha com as recentes demandas dos investidores e indicam um começo promissor;
  • Clique aqui para o relatório completo.

Oncoclínicas (ONCO3): Uma máquina muito bem construída

  • Na semana passada, tivemos a oportunidade de visitar as operações da Oncoclínicas (ONCO3) no Rio de Janeiro e nos reunir com executivos. As principais conclusões das visitas e reuniões foram:
    • Há espaço para aumentar a eficiência de custos, mesmo em algumas das operações mais maduras;
    • A empresa tem feito grandes esforços – e com sucesso – para manter um forte relacionamento tanto com oncologistas quanto com pagadores; e
    • É mais provável que ocorra a expansão por meio de novas parcerias com pagadores, em vez de aquisições.
  • Retornamos das conversas com uma visão ainda mais positiva das operações e estratégia da empresa, e, portanto, reiteramos a nossa escolha como a nossa favorita no setor de saúde;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Troca na presidência deflagra mudanças na cúpula do Bradesco (Valor);
    • BTG quer vender térmicas à Vibra-Eneva (Pipeline);
    • B3: saldo de recursos estrangeiros deve ser o maior para novembro desde 2020 (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Locaweb aponta aumento de 24,8% nas vendas on-line na Black Friday 2023 (Valor);
    • Para viabilizar projeto móvel com Huawei, Veloso.NET utiliza espectro secundário (TELETIME);
    • Vendas de produtos de consumo massivo crescem 75% no fim de semana da Black Friday (Valor);
    • Minoritária da Surf Telecom vai recorrer de decisão da Anatel (Valor);
    • Clique Aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • A Shein, gigante da moda rápida, abre o capital (WSJ);
    • Assaí corta capex pela metade; quer alavancagem abaixo de 3,5x no final de 2024 (Brazil Journal);
    • Exclusivo: Alpargatas terá troca de comando nas próximas semanas para acelerar reestruturação (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Saúde: XP Daily | Sua dose diária de notícias
    • Seguros Unimed aciona Justiça para deixar de ser fiadora da Unimed-Rio (Valor Econômico);
    • Brasil deve registrar 704 mil casos de câncer ao ano entre 2023 e 2025 (Agência Brasil);
    • IPC-Fipe acelera com pressão em saúde (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • Vibra (VBBR3) e Eneva (ENEV3) caem com proposta de acordo (InfoMoney);
    • Dynamo considera que os termos não são razoáveis para a Vibra (Pipeline Valor);
    • Petrobras pede ao Cade renegociação de acordo sobre venda de refinarias (Valor Econômico);
    • Petrobras rescinde contrato de venda da refinaria Lubnor; compradora diz que foi ‘surpreendida’ (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Estratégia

Factor Pulse: Taxas em Queda, Risco em Alta

  • Nesta edição, focamos em comentar sobre o desempenho recente dos fatores e nos drivers que influenciam esses retornos.
  • Além disso, compartilhamos nossas baskets de fatores, com as ações mais e menos expostas a determinado fator de risco, com base em nosso modelo proprietário. Nosso modelo inicial abrange quatro principais estilos: Valor, Qualidade, Momentum e Baixo Risco;
  • Os principais destaques do relatório incluem:
    • Nas últimas duas semanas, nossos fatores de estilo enfrentaram dificuldades em meio ao movimento mais risk-on e novas quedas nas taxas. Ações mais voláteis e de menor qualidade dispararam no período;
    • Apesar dos ventos contrários, o nosso fator Valor manteve a liderança de performance em novembro. Já fatores de Momentum, Qualidade e Baixo Risco registraram retornos significativamente negativos no mês;
    • Nosso fator de Valor continua liderando tanto no mês quanto no acumulado do ano, mantendo baixa correlação com movimentos nas taxas brasileiras, contribuindo para seu sucesso;
    • Do ponto de vista das ações, os papéis que apresentaram os melhores desempenhos foram concentrados no quintil mais baixo do nosso fator de Baixo Risco, refletindo o recente rali de maior risco. Múltiplas ações também mostraram exposição negativa a outros fatores. Os underperformers são predominantemente papéis mais baratos (alto Valor) e nomes de alta Qualidade.
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Do suspense com a inflação aos sinais do Fed: os eventos que movem os mercados (Bloomberg);
  • Americanas assina acordo com 35% da dívida e espera mais bancos (Pipeline);
  • S&P Global Ratings atribui rating ‘brA-’ ao Banco Pine S.A.; perspectiva estável (S&P Global);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • FII de logística negocia compra de três imóveis em SP por R$ 760 milhões (InfoMoney);
    • Fundo Imobiliário de Condomínios Logísticos Urbanos (Last Mile) divulga sua 3ª oferta de cotas; saiba como participar (FIIs);
    • Fundo imobiliário revela novos valores de venda de imóvel em SP; DEVA11 derrete (Money Times);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Petrobras mira quadruplicar capacidade de produção de biocombustíveis até 2030 | Café com ESG, 28/11

  • O mercado encerrou o pregão de segunda-feira em território positivo, com o IBOV e o ISE registrando alta de +0,17% e +0,32%, respectivamente;
  • Do lado das empresas, o diretor de transição energética da Petrobras, Mauricio Tolmasquim, disse ontem que a empresa pretende ter 50% de participação de termelétricas e 50% de energia renovável no portfólio de produção de eletricidade até 2030 – segundo ele, a companhia pretende também quadruplicar a capacidade de produção de biocombustíveis em volume até 2030;
  • Na política, (i) a Abrace Energia, entidade que representa o setor eletrointensivo, segmento industrial que responde por 40% do consumo de gás natural e energia elétrica do país, alertou para o aumento de custo em R$28 bilhões por ano para os consumidores se for aprovado o texto do marco legal das eólicas offshore no Brasil – a proposta de regulamentação das eólicas offshore faz parte da agenda verde que o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira, quer aprovar na Casa antes da COP28, que ocorrerá no início de dezembro em Dubai; e (ii) o presidente Lula embarcou ontem para a Arábia Saudita, primeira escala de uma viagem de sete dias por três países do Oriente Médio e Alemanha, comparecendo a COP28 – o presidente levará a tentativa de afirmar o protagonismo ambiental do Brasil e muitos projetos do Novo PAC para vender aos árabes;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG

Destaques da reunião com a S&P Global sobre o mercado de renda fixa sustentável

  • Com as discussões sobre títulos verdes ganhando força, o time ESG do Research XP, ao lado da equipe de Renda Fixa, realizou uma reunião para investidores institucionais com Diretores de Finanças Sustentáveis da S&P Global Ratings;
  • As principais conclusões foram: (i) mercado de emissões verdes se prepara para um maior crescimento; (ii) títulos soberanos em destaque; (iii) emissões corporativas em vias de recuperação; (iv) explorando a relação entre títulos soberanos e privados; e (v) tendências a serem monitoras adiante. De forma geral, saímos da reunião com uma perspectiva positiva para este mercado, impulsionada pelo crescimento esperado tanto nas emissões sustentáveis soberanas, quanto corporativas;
  • Clique aqui para ler o conteúdo completo.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.