FED anima mercados (como de costume)

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Clique para ouvir

IBOVESPA 1,4% | 121.053 Pontos

CÂMBIO -1,97% | 5,34/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa encerrou o pregão de quarta-feira em alta de 1,39% e fechou o dia a 121.053 pontos. O índice acelerou os ganhos após a decisão de política monetária do Banco Central dos EUA, o Fed, que manteve as taxas de juros no intervalo entre 0% e 0,25% ao ano. Apesar de esperada, a decisão foi bem recebida pelo mercado já que prolonga o ritmo de estímulos na economia americana. O principal destaque do Ibovespa foi o setor de bancos: ITUB4 +4,32, BBDC3/BBDC4 +4,8%, BBAS3 +1,78% e SANB11 +8,1% após a divulgação de resultados do 1º trimestre de 2021.

As taxas futuras de juros fecharam o dia com viés de alta. Apesar do vento externo a favor, o movimento na curva foi suavizado pela continuidade no risco econômico e político local: DI jan/22 fechou em 4,625%; DI jan/24 foi para 7,17%; DI jan/26 encerrou em 8,08%; e DI jan/28 fechou em 8,59%. Já o dólar caiu 1,86% no mercado a vista e atingiu R$ 5,361, a mínima desde o dia 2 de fevereiro, quando fechou o pregão cotado a R$ 5,356, com o real liderando ganhos entre as principais moedas no mundo.

Nesta manhã, bolsas internacionais renovam alta (EUA +0,7% e Europa +0,4%) após decisão do Fed de continuar estimulando a economia em meio à recuperação do crescimento econômico e do mercado de trabalho. Esperamos início do processo de redução gradual de estímulos no terceiro trimestre de 2022, e primeiro aumento da taxa de juros no início de 2024. Destaque hoje para a divulgação do PIB do primeiro trimestre dos EUA, que deve mostrar forte expansão (+6,6% a/a).

Ainda nos EUA, em discurso realizado ontem, o presidente norte americano, Joe Biden, promoveu seu plano econômico e enfatizou a retomada da liderança da comunidade internacional. Em tom moderado, ressaltou compromisso de providenciar vacinas contra a Covid-19 para o resto do mundo e abordou temas já discutido na campanha presidencial, como ampliação da cobertura de seguros de saúde, redução do preço de medicamentos, reforma imigratória e restrições para compra de arma de fogo. A fala não surpreendeu. Assista o discurso aqui. E leia o texto na íntegra aqui.

No Brasil, o governo estuda a antecipação do FGTS para injetar R$ 40 bilhões na economia, e a ala política do Planalto estuda mudanças no orçamento para acomodar gastos em obras e meio ambiente. Já o Ministro da Economia tenta atenuar os impactos nas receitas do governo de decisão esperado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) hoje sobre o uso de ICMS na base de cálculo do PIS/Cofins.

No lado das empresas, a CSN e a CSN Mineração reportaram os resultados referentes ao primeiro trimestre de 2021 ontem à noite. A CSN reportou fortes resultados no 1T21, com o EBITDA consolidado atingindo a máxima histórica. O EBITDA ajustado de R$5,8 bilhões foi impulsionado por maiores volumes de vendas e melhores preços realizados nos segmentos de siderurgia e mineração. A geração de caixa livre recorde no trimestre foi de R$3,5 bilhões devido ao forte EBITDA. Como consequência, a razão Dívida Líquida/EBITDA diminuiu para 1,29x (de 2,23x no 4T), perto do guidance da empresa de 1,0x. Já a CSN Mineração também reportou fortes números no trimestre, com volumes acima do esperado, compensando parcialmente as despesas operacionais por tonelada mais altas. Clique aqui para acessar nossa análise completa.

Além da divulgação do PIB dos EUA, destaque também para o resultado primário de março do governo central no Brasil.

Tópicos do dia

Acesse aqui o relatório internacional

Agenda de resultados

Omega (OMGE3): antes da abertura
CTEEP (TRPL3): após o fechamento
Calendário do 1T21
Temporada de resultados do 1º trimestre 2021 – o que esperar?

Economia

  1. Comitê de Política Monetária do FED não traz nenhuma novidade nos Estados Unidos, enquanto Guedes tenta evitar prejuízo bilionário na decisão do STF no Brasil

Política

  1. CPI vota plano de trabalho; ala do governo pressiona pela recomendação de Orçamento
  2. Política internacional: Em discurso no Congresso Biden promoveu plano econômico e enfatizou a retomada dos EUA da liderança internacional

Empresas

  1. Santander (SANB11): Positivo, mas investidores devem se manter cautelosos | Revisão do 1T21
  2. CSN (CSNA3) e CSN Mineração (CMIN3): Fortes resultados com melhores preços e volumes
  3. Omega Geração (OMGE3): Fortes resultados do 1T21 devido a uma forte safra de ventos
  4. Multiplan (MULT3) – 1T21: Resultados abaixo do esperado em razão das maiores provisões e despesas não-recorrentes
  5. LOG CP (LOGG3) – 1T21: Trimestre sólido impulsionado pela demanda aquecida do e-commerce
  6. Grupo Pão de Acúcar (PCAR3): Aprovada distribuição de dividendos e juros sobre o capital próprio
  7. Notícias Diárias do Setor Financeiro
  8. Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

ESG

  1. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 29/04

Veja todos os detalhes

Economia

Comitê de Política Monetária do FED não traz nenhuma novidade nos Estados Unidos, enquanto Guedes tenta evitar prejuízo bilionário na decisão do STF no Brasil

  • Em reunião encerrado ontem, o Comitê de Política Monetária do FED (FOMC) manteve ontem as taxas de juros e programa de compra de ativos inalterados, como largamente esperado. No comunicado e pronunciamento após a decisão, a autoridade monetária destacou a natureza transitória da alta de preços recente, puxada por desequilíbrios nas cadeias produtivas e pelo efeito base. Apesar de um discurso levemente mais positivo em relação a recuperação econômica em andamento, o Comitê segue frisando os riscos trazidos pela pandemia. Mantemos nossa visão de início de redução da compra de ativos apenas no terceiro trimestre de 2022, e de alta de juros no início de 2024;
  • No Brasil, governo estuda diferir o FGTS dos próximos quatro meses e, com isso, injetar R$ 40 bilhões na economia. Haverá também a antecipação do 13º salário de aposentados pensionistas entre maio e junho, o que anteciparia mais R$ 56 bilhões para a população. Sem valor definido, mas estimado entre R$ 10 bilhões e R$ 20 bilhões, o novo Pronampe (programa de crédito subsidiado para pequenas e médias empresas) deve ser lançado em breve. Medidas de simplificação trabalhista e de incentivo ao trabalho formal são estudadas para o segundo semestre;
  • Também é destaque a decisão esperada pelo STF sobre a cobrança de ICMS sobre a base de cálculo do PIS/ Cofins. O ministro Paulo Guedes se reuniu com o Ministro Luiz Fux para discutir o tema. Guedes deseja que a regra seja válida apenas futuramente e que a União não seja penalizada em mais de R$ 220 bilhões ao devolver o valor arrecadado, se aplicado retroativamente. A decisão será tomada pelo plenário do STF provavelmente ainda hoje;
  • Após vetos ao Orçamento de 2021, integrantes da ala política do governo estudam cortar R$ 2.5 bilhões previstos no orçamento final acordado em gastos no BPC, seguro-desemprego e subvenções para financiar obras públicas, o programa Casa Verde e Amarela, gastos com o meio ambiente e desenvolvimento de vacinas para Covid-19;
  • Na seara de indicadores, o resultado do CAGED (mercado de trabalho formal) publicado ontem voltou a mostrar expansão de vagas em março, embora a um ritmo mais suave em relação à divulgação anterior. A contração da atividade doméstica no período recente, devido aos impactos econômicos da pandemia, deverá manter esta tendência de arrefecimento ao longo do 2º trimestre. Para a segunda metade do ano, entretanto, acreditamos que a geração de vagas voltará a acelerar, na esteira da normalização de um conjunto bem mais amplo de atividades;
  • Na agenda do dia, destaque para a divulgação do PIB do primeiro trimestre nos EUA e do resultado primário do governo central (de março) no Brasil.

Política

CPI vota plano de trabalho; ala do governa pressiona pela recomendação de Orçamento

  • A CPI da Pandemia tem na agenda de hoje sessão para votar o plano de trabalho apresentado por Renan Calheiros. A perspectiva é que o ministro Marcelo Queiroga e seus antecessores sejam ouvidos na semana que vem. Enquanto isso, Rodrigo Pacheco se reuniu com Jair Bolsonaro e sinalizou a possibilidade de que o Senado discuta uma agenda econômica para não ficar preso à CPI;
  • A ala política do governo pressiona pela recomposição de recursos do Orçamento vetados ou bloqueados pelo presidente Jair Bolsonaro, mediante redução de gastos com despesas obrigatórias. O caso que ganha mais atenção é dos recursos destinados à construção de unidades habitacionais, mas há pressão também da Polícia Federa, Ministério do Meio Ambiente e de Infraestrutura. A equipe econômica não deu aval à ideia;
  • O Supremo tem na pauta de hoje julgamento que vai decidir se a exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS Cofins vale daqui em diante ou se será retroativa. A conta para a União, caso a decisão seja retroativa, ultrapassa os R$ 200 bilhões.

Política internacional: Em discurso no Congresso Biden promoveu plano econômico e enfatizou a retomada dos EUA da liderança internacional

  • Em discurso no Congresso dos Estados Unidos nesta quarta-feira (29), presidente Joe Biden promoveu seu plano econômico e enfatizou a retomada da liderança da comunidade internacional. Em tom moderado, ressaltou compromisso de providenciar vacinas contra a Covid-19 para o resto do mundo e abordou temas já discutido na campanha presidencial, como ampliação da cobertura de seguros de saúde, redução do preço de medicamentos, reforma imigratória e restrições para compra de arma de fogo. A fala não surpreendeu. Assista o discurso aqui: https://bit.ly/3vvpusl. E leia o texto na íntegra aqui: https://bit.ly/2QwDaVd;
  • Na exposição, Biden reiterou que o projeto de Infraestrutura de USD 2.3 trilhões e o projeto das Famílias Americanas de USD 1.8 trilhão, que compõe seu plano econômico, são chave para combater a “ameaça” representada pela China e reduzir injustiças sociais no país. Os temas devem ser abordados repetidamente ao longo do ano com intuito de ampliar a pressão para aprovação das propostas sobre aqueles parlamentares que se mostram resistentes às iniciativas, entre eles democratas como os Senadores Bob Melendez e Joe Manchin, que resistem certos aumentos tributários propostos pelo presidente (https://on.wsj.com/2PBiN8O);
  • No lado da política externa, detalhou que, uma vez que todos os americanos forem vacinados, o estoque de vacinas contra a Covid-19 dos EUA devem se tornar “arsenal” para o resto do mundo (https://bit.ly/3t227VI);
  • E a União Europeia e os EUA estão negociando tarifas para promover reaproximação entre os poderes (https://bloom.bg/335mRkx).

Empresas

Santander (SANB11): Positivo, mas investidores devem se manter cautelosos | Revisão do 1T21

  • O Santander Brasil reportou ontem fortes números no 1T21, com lucro operacional 16% acima de nossa expectativa. O lucro líquido veio em linha com nossas estimativas e R$ 300 milhões acima do consenso da Bloomberg (média das análises do mercado) atingindo um valor de R$ 4 bilhões (implicando num ROE -retorno sobre o patrimônio- de 20%);
  • O resultado é especialmente bom se considerarmos a melhora de 10% T/T no lucro operacional, dado que o 1T é sazonalmente um trimestre mais fraco. O resultado foi impulsionado principalmente por: i) maior margem financeira (NII); e ii) por maiores volumes;
  • No geral, o mercado reagiu positivamente aos resultados, no entanto, reiteramos nossa recomendação Neutra e preço-alvo de R$32, pois acreditamos que o banco pode ter que fazer mais provisões no médio prazo (vs. possível reversão nos pares). Clique aqui para acessar o relatório completo.

CSN (CSNA3) e CSN Mineração (CMIN3): Fortes resultados com melhores preços e volumes

  • A CSN reportou fortes resultados no 1T21, com o EBITDA consolidado atingindo a máxima histórica. O EBITDA ajustado de R$5,8 bilhões (+23% T/T, em linha com o nosso) foi impulsionado por maiores volumes de vendas e melhores preços realizados nos segmentos de siderurgia e mineração.
  • Do lado da CSN Mineração, o EBITDA ajustado do segmento de mineração em R$3,7 bilhões ficou -9% abaixo do nosso. Vemos o segmento de mineração com um balanço forte e bem posicionado para os projetos de expansão: produção de ~60 milhões de toneladas em 2024E, em nossa visão. Além disso, a média dos preços realizados teve alta de +28% no trimestre, como consequência dos preços spot mais fortes (US$167/t, +25% T/T).
  • Reiteramos nossa recomendação de Compra para CSNA3 (preço-alvo de R$55/ação) e CMIN3 (preço-alvo de R$14/ação).
  • Para mais detalhes sobre nossa análise dos resultados, clique aqui.

Omega Geração (OMGE3): Fortes resultados do 1T21 devido a uma forte safra de ventos

  • Em 29 de abril, antes da abertura do mercado, a Omega Geração (OMGE3) divulgou seus resultados do 1T21. O prejuízo líquido foi de R$ (91,3) milhões, um desapontamento em relação a nossa estimativa de R$ (62,3) milhões;
  • O EBITDA ajustado (incluindo o EBITDA pró-rata em participações minoritárias) foi de R$ 196,7 milhões, muito acima (+31,0%) das nossas expectativas de R$ 150,2 milhões, refletindo uma combinação de: (i) uma melhor incidência de ventos nos Complexos Eólicos Delta e Assuruá, (ii) a contribuição de Assuruá 3, cuja aquisição foi concluída em 30 de março de 2020, e (iii) a contribuição do primeiro trimestre completo de Chuí e Ventos da Bahia 1 e 2 como parte do portfólio da Omega;
  • Temos uma avaliação positiva dos resultados da Omega no 1T21, dado que o EBITDA ajustado veio muito acima das nossas expectativas. Além disso, destacamos como positivo a normalização do perfil de ventos nos complexos Delta e Assuruá. Continuamos a acreditar que a Omega é uma das companhias de melhor risco-retorno no setor elétrico, e continuamos a considerar a ação como nossa preferida no setor. Mantemos nossa recomendação de Compra das ações OMGE3, com um preço-alvo de R$ 50/ação.

Multiplan (MULT3) – 1T21: Resultados abaixo do esperado em razão das maiores provisões e despesas não-recorrentes

  • Multiplan reportou resultados abaixo do esperado referente ao primeiro trimestre de 2021, em grande parte devido aos impactos da recente rodada de restrições durante o trimestre e maiores provisões em razão do aumento da inadimplência. Para os próximos trimestre, esperamos que os resultados melhorem à medida que a capacidade operacional dos shoppings volte ao normal (o portfólio está operando com cerca de 77% de sua capacidade). Embora esperamos uma reação negativa do mercado, continuamos vendo valor de longo prazo nas ações e mantemos nossa recomendação de compra e preço-alvo de R$25,0/ação;
  • Os números operacionais foram amplamente impactados pela nova rodada de restrições comerciais e fechamento dos shopping centers durante o trimestre (O portfólio da Multiplan operou aproximadamente 63% de sua capacidade no trimestre). Taxa de vacância atingiu 5,4% (+120 bps contra o trimestre passado e +330 bps ano contra ano) e o custo de ocupação atingiu 14,6% (+60 bps ano contra ano). Ainda, as vendas nas mesmas lojas (SSS) e aluguéis nas mesmas lojas (SSR) caíram 26,8% e 15,2% ano contra ano, respectivamente. Do lado positivo, as locações se mantiveram altas com a Multiplan registrando recorde de 2,1% de turnover ou troca de lojistas (equivalente 16.594 m²), indicando uma demanda resiliente por shoppings dominantes e de alta qualidade;
  • Receita líquida atingiu R$266 milhões (-18% ano contra ano), em linha com nossas estimativas (-2% vs. nossa projeção). Ebitda atingiu R$131 milhões (-62% ano contra ano), significativamente abaixo de nossas estimativas em razão de uma provisão de inadimplência acima do esperado, despesas com vacância e uma despesa não recorrente de R$12,4 milhões relacionada às campanhas de marketing para a conscientização e prevenção contra a COVID-19. No balanço patrimonial, a companhia registrou uma leve queima de caixa de R$23 milhões, levando sua alavancagem para 1,9x dívida líquida/Ebitda, que consideramos saudável.

LOG CP (LOGG3) – 1T21: Trimestre sólido impulsionado pela demanda aquecida do e-commerce

  • LOG reportou resultados positivos referente ao primeiro trimestre e amplamente em linha com nossas estimativas. Sua performance positiva deveu-se principalmente à forte demanda por ativos logísticos, em grande parte impulsionada pela demanda crescente de empresas relacionadas ao comércio eletrônico (e-commerce);
  • No lado operacional, a LOG reportou uma absorção bruta recorde de 213 mil m² de ABL no trimestre e uma baixa taxa de vacância de 2,6%, impulsionada pela forte demanda de empresas relacionadas ao e-commerce (47% da sua área bruta locável);
  • A tendência positiva levou a LOG a registrar um FFO de R$28 milhões, bastante em linha com nossas estimativas e 60% superior A/A. No balanço patrimonial, a companhia registrou uma leve queima de caixa de R$34 milhões, implicando em 2,8% dívida líquida/patrimônio líquido, o que continuamos vendo como saudável e deixando espaço para dar suporte ao seu robusto plano de crescimento para os próximos anos (“Todos por 1.4”);
  • Apesar dos números sólidos e da perspectiva positiva para a companhia, matemos nossa visão conservadora às ações dado o valuation (mantemos recomendação Neutra e preço-alvo de R$40,4/ação).

Grupo Pão de Acúcar (PCAR3): Aprovada distribuição de dividendos e juros sobre o capital próprio

  • O Grupo Pão de Açúcar aprovou a distribuição de dividendos e juros sobre o capital próprio de aproximadamente R$583 milhões ou R$ 2,2/ação, o que implica em um dividend yield de 6%. As ações serão negociadas ex-dividendos a partir do dia 06 de maio;
  • O montante de R$ 127 milhões (~R$ 0,47/ação) será pago a título de dividendos, enquanto o valor (bruto) de R$ 456 milhões (~R$ 1,70/ação) será pago como JCP. O pagamento será efetuado em 15 de junho de 2021;
  • Vemos o anuncio como positivo e ressaltamos que o montante distribuído superou nossas estimativas e veio além da média histórica da companhia (30% de payout historicamente, enquanto chega a 99% do lucro para 2020).

Notícias Diárias do Setor Financeiro

  • Acesse este relatório com notícias do setor financeiro que complementam nossos comentários publicados no Morning Call, mas que não consideramos relevantes o suficiente para serem analisadas. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

  • Nesta publicação diária, trazemos as principais notícias do setor de varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.) nacional e internacional, complementando nossa visão sobre as tendências e acontecimentos mais importantes do dia. Além disso, o relatório contém um resumo dos múltiplos e recomendações para as empresas de nossa cobertura.
  • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 29/04

  • Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo falam sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança;
  • Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance histórica do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP;
  • Por que essas informações são importantes? Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

Corretora Home Broker Autorregulação Anbima - Ofertas Públicas Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Certificação B3

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.