XP Expert

CPI dos EUA, renúncias na Americanas e tudo que impacta os mercados hoje

Divulgação de dados de inflação nos EUA e renúncia do CEO na Americanas são alguns dos temas de maior destaque nesta quinta-feira, 12/01/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +1,5% | 112.517 Pontos

CÂMBIO -0,8% | 5,16/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

Na agenda, o governo deve anunciar pacote de medidas para melhorar o resultado fiscal, conforme reportou o time XP Política ontem. Segundo a Folha, Haddad deve apresentar hoje um total de BRL 321,55 bi em cerimônia no Planalto com Simone Tebet e Rui. E Lula deve segurar o reajuste adicional do mínimo. Do lado de indicadores, o IBGE divulga a pesquisa mensal de Serviços de novembro, cuja expectativa é de leve avanço de 0,2% no mês.

Brasil

O principal índice da bolsa brasileira encerrou o pregão da quarta-feira (11) com uma alta de 1,5%, aos 112.517 pontos, esse é o sexto pregão de alta consecutiva. Enquanto o dólar recuou 0,8% frente ao real, encerrando o pregão aos R$ 5,16. As taxas futuras de juros fecharam em queda, estendendo o movimento dos últimos dias. O pregão refletiu a continuidade de apostas de investidores estrangeiros na queda das taxas locais. Além disso, agentes seguem aguardando o anúncio de medidas econômicas pelo novo governo, que devem abranger a volta dos tributos federais sobre a gasolina e o etanol a partir de março. DI jan/24 saiu de 13,60% para 13,525%; DI jan/25 de 12,695% para 12,53%; DI jan/26 passou de 12,505% para 12,31% e o DI jan/27 passou de 12,50% para 12,265%.

Atividade econômica EUA

Mercados globais amanhecem mistos (EUA -0,1% e Europa +0,5%), com foco total na divulgação dos dados da inflação ao consumidor (CPI) nos EUA. Os investidores chegam a precificar que o Federal Reserve diminua o ritmo de seus aumentos nas taxas de juros na próxima reunião no início de fevereiro, mas os formuladores de políticas têm feito questão de deixar claro que tal decisão depende de dados. Com isso, esse índice de preços ao consumidor será um indicador-chave de seu progresso no controle da inflação. Espera-se que o número suba 6,5% em relação ao ano anterior, de 7,1% no mês anterior. Para o mês, a inflação deve permanecer estável. O núcleo da inflação, que exclui preços de alimentos e combustíveis, deve ser de 5,7%, ante 6% no mês anterior, e 0,3% no mês, ante 0,2% em novembro.

China

Na China, o índice de Hang Seng (+0,4%) encerra em alta. O índice de preços ao consumidor chinês permaneceu estável em dezembro em relação ao mês anterior, ligeiramente melhor do que as expectativas. Em uma base anual, a inflação ao consumidor ficou em linha com as expectativas de um aumento de 1,8% e foi ligeiramente superior à leitura de novembro de 1,6%. Já o índice de preços ao produtor desacelerou em dezembro para 0,7%, ante 1,3% no mês anterior. Economistas esperavam um declínio de 0,1%, refletindo a interrupção da indústria por um grande número de casos de COVID-19 no final de 2022. Mas, embora o levantamento dos bloqueios tenha causado alguma melhora na atividade econômica e aumento de preços, também resultou no pior surto do vírus na China. Os mercados temem que o aumento de infecções possa impedir uma recuperação econômica maior no curto prazo.

Americanas (AMER3)

Em fato relevante divulgado nesta quarta-feira (11), a Americanas (AMER3) anunciou a renúncia de Sergio Rial ao cargo de CEO e de André Covre à posição de CFO e Diretor de Relações com Investidores, por inconsistências contábeis. De acordo com a companhia, o impacto foi avaliado em R$ 20 bilhões, mas com efeito limitado no caixa. Contudo, acreditamos que o comunicado adiciona várias incertezas para a tese de investimento na empresa, além de trazer pouca visibilidade sobre o que de fato aconteceu e quais são os impactos dessas medidas nos demonstrativos financeiros da companhia. Nesse sentido, estamos colocando nossa recomendação em Americanas sob revisão.

Mercado em Gráfico

Nos últimos meses de 2022, o governo chinês passou a flexibilizar as restrições impostas pela política zero-Covid no país. Esse processo de reabertura gradual do país e a retomada de suas atividades econômicas – adicionados à incentivos do governo – devem oferecer suporte para uma retomada da demanda e melhora no cenário econômico interno. Essa reabertura gradual da China pode ter implicações importantes para os preços de commodities e para a economia global. Além disso, o mercado brasileiro também se beneficia da retomada econômica chinesa, uma vez que commodities representam cerca de 38% do peso do Ibovespa e algumas empresas brasileiras tem exposição relevante à atividade chinesa. No gráfico, mostramos o desempenho das ações com maior exposição à China em termos de receita. A partir de novembro, quando iniciaram-se os primeiro sinais de flexibilização na China, vemos uma forte subida desses papeis a medida que as perspectivas de demanda tornaram-se mais positivas. Para saber mais sobre nossa visão de China, veja China: uma luz no fim do túnel? Fim da política de zero-Covid deve marcar o início de uma recuperação.

Veja todos os detalhes

Economia

Destaque para o CPI dos EUA hoje, um peça chave para a próxima decisão do FED em fevereiro

  • O índice de preços ao consumidor chinês permaneceu estável em dezembro em relação ao mês anterior, com desempenho ligeiramente melhor do que as expectativas de queda de 0,1% e queda de novembro de 0,2%. Em uma base anual, a inflação do IPC ficou em linha com as expectativas de um aumento de 1,8% e foi ligeiramente superior à leitura de novembro de 1,6%. Já o índice de preços ao produtor (IPP) desacelerou em dezembro para 0,7%, ante 1,3% no mês anterior. Economistas em uma pesquisa da Reuters esperavam um declínio de 0,1%, refletindo a interrupção da indústria por um grande número de casos de COVID-19 no final de 2022. Mas, embora o levantamento dos bloqueios tenha causado alguma melhora na atividade econômica e aumento de preços, também resultou no pior surto de COVID-19 da China. Os mercados temem que o aumento de infecções possa impedir uma recuperação econômica maior no curto prazo;
  • Na agenda internacional, destaque para a divulgação do índice de preços ao consumidor dos EUA de dezembro. Os investidores chegam a precificar que o Federal Reserve diminua o ritmo de seus aumentos nas taxas de juros na próxima reunião no início de fevereiro, mas os formuladores de políticas têm feito questão de deixar claro que tal decisão depende de dados. Com isso, esse índice de preços ao consumidor será um indicador-chave de seu progresso no controle da inflação. Espera-se que o número suba 6,5% em relação ao ano anterior, de 7,1% no mês anterior. Para o mês, a inflação deve permanecer estável. O núcleo da inflação, que exclui preços de alimentos e combustíveis, deve ser de 5,7%, ante 6% no mês anterior, e 0,3% no mês, ante 0,2% em novembro;
  • As vendas no varejo ampliado registraram queda mais acentuada do que o esperado em novembro. Em relação à quebra, seis das dez atividades caíram mensalmente. A queda nas vendas de Combustíveis e Lubrificantes chamou a atenção, possivelmente refletindo alguma influência da Copa do Mundo (menor mobilidade) e uma alta marginal de preços após vários meses de queda. As vendas no varejo excluindo automóveis e materiais de construção (núcleo) caíram 0,6% em novembro ante outubro, um pouco pior do que nossa estimativa (-0,4%) e do consenso de rua (-0,3%). Esse resultado encerrou uma sequência de três ganhos mensais consecutivos. O núcleo do índice de varejo aumentou 1,5% em relação ao ano anterior (XP: 1,7%; previsão do mercado: 1,9%). As vendas no varejo incluindo automóveis e materiais de construção (índice amplo) também caíram 0,6% MoM em novembro e surpreenderam para baixo (XP: 0,1%; projeção de mercado: 0%). A recuperação do mercado de trabalho – apesar do avanço mais brando do emprego nos últimos meses – aliada a estímulos fiscais de curto prazo significam um “efeito amortecedor” para as vendas reais no varejo à frente. No entanto, espera-se que as vendas reais dos mais sensíveis ao crédito apresentem tendência de queda, em linha com as condições monetárias mais restritivas e o elevado índice de serviço da dívida das famílias;
  • Na agenda, o governo deve anunciar pacote de medidas para melhorar o resultado fiscal, conforme reportou o time XP Política ontem. Segundo a Folha, Haddad deve apresentar hoje um total de BRL 321,55 bi em cerimônia no Planalto com Simone Tebet e Rui. E Lula deve segurar o reajuste adicional do mínimo. Do lado de indicadores, o IBGE divulga a pesquisa mensal de Serviços de novembro, cuja expectativa é de leve avanço de 0,2% no mês.

Empresas

Americanas (AMER3): CEO e CFO renunciam após inconsistências contábeis; Recomendação sob revisão

  • Em fato relevante divulgado nesta quarta-feira (11), a Americanas (AMER3) anunciou a renúncia de Sergio Rial ao cargo de CEO e de André Covre à posição de CFO e Diretor de Relações com Investidores, por inconsistências contábeis;
  • De acordo com a companhia, o impacto foi avaliado em R$ 20 bilhões, mas com efeito limitado no caixa. Contudo, acreditamos que o comunicado adiciona várias incertezas para a tese de investimento na empresa, além de trazer pouca visibilidade sobre o que de fato aconteceu e quais são os impactos dessas medidas nos demonstrativos financeiros da companhia;
  • Nesse sentido, estamos colocando nossa recomendação em Americanas sob revisão;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

AmBev (ABEV3) Prévia dos Resultados no 4T22: faltavam só 4 minutos…

  • Os dados fortes da indústria de bebidas aliados a uma Copa do Mundo podem ter gerado boas expectativas no início do 4T. No entanto, o clima não ajudou com temperaturas abaixo da média e com um volume considerável de chuva, além do Brasil ter sido desclassificado precocemente mesmo vencendo o jogo faltando quatro minutos para o fim;
  • Os custos das commodities ainda devem ser um vento contrário e, embora esperemos uma melhora sequencial, ainda estamos projetando margens menores A/A e um EBITDA ligeiramente menor de R$ 6,7 bilhões (-1% A/A). Custo de hedge na Argentina deve continuar impactando o resultado e estimamos lucro líquido de R$ 2,1 bi (-38% A/A);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Credores da Americanas (AMER3), bancos veem situação delicada, mas contornável (Valor);
    • Taxa cobrada de lojista por uso de ‘maquininha’ volta a subir após 6 anos (Valor);
    • Em ano difícil, Neon tem crescimento de 35% na base de clientes (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Brasileiro gasta US$ 1,3 bilhão em apps em 2022 (Mobile time);
    • Gamers brasileiros consumiram US$ 600 milhões em jogos móveis em 2022 (Mobile Time);
    • Para Associação Neo, acordo entre Vivo e Winity busca afastar novas operadoras móveis (Teletime);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • BREAKING: Americanas descobre rombo de R$ 20 bi; CEO e CFO renunciam (Brazil Journal);
    • Assaí contrata financiamento de R$ 400 mi com Rabobank (Folha);
    • Guararapes encerra em queda de 6,75%, após anunciar fechamento de fábrica em Fortaleza (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Alimentos e Bebidas
      • Setor cervejeiro cresce 6% em 2022, mas deve ter freio em 2023, estima CervBrasil – Guia da Cerveja;
      • Japão chega a patamar recorde em abates por influenza aviária – Avicultura Industrial;
    • Agro
      • Satélites sugerem safra na Argentina no menor nível desde 2018 – Bloomberg;
      • Vendas de etanol cresceram 18,8% no Centro-Sul em dezembro – Valor;
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Produção da 3R ultrapassa a PetroRecôncavo; ação dispara (Brazil Journal);
    • Copasa vai acelerar aportes para atingir metas (Valor Econômico);
    • Celg Distribuição vai emitir R$ 7 bi em debêntures para refinanciar dívidas (Valor Econômico).
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Expansão da Tesla para a Indonésia

  • Expansão da Tesla para a Indonésia;
  • BYD lançará sedã elétrico de luxo na Índia neste ano;
  • Verily, organização de pesquisa da Alphabet, anunciou que cortará 15% da sua equipe de trabalho;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Mercados
    • Após ‘boom’ na pandemia, crédito deve desacelerar % (Valor Econômico);
    • Aéreas comemoram redução de imposto sobre combustível de aviação em SP e anunciam 150 novos voos (Valor Econômico).
  • Noticiário Corporativo
    • Bomba na Americanas: Sergio Rial renuncia após achar rombo de R$ 20 bi (Valor Econômico);
    • Em despedida, Ribeiro diz que BB é ‘trem bala’ e que sucessora é competente e dedicada (Valor Econômico).
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • CTXT11, CCLB11, ALZR11 e RECT11: Confira novidades no setor de FIIs; IFIX recua (Investing);
    • RBRR11 pagará novos dividendos na próxima terça (17); confira os valores (Suno);
    • XPLG11 revela expectativa de distribuição de dividendos para o semestre (FIIs);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Lula indica Belém para sediar a COP30 em 2025 | Café com ESG, 12/01

  • O mercado encerrou o pregão de quarta-feira em campo positivo, com o Ibov e o ISE em alta de +1,5% e +1,6%, respectivamente;
  • No Brasil, (i) com potencial para reduzir a pegada ambiental de setores intensivos em carbono e alavancar o processo de transição energética, o hidrogênio é visto por muitos como o combustível do futuro – o entusiasmo é pela versão sustentável, e cuja produção o Brasil tem condições de liderar globalmente; (ii) o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai propor Belém, a capital do Pará, como sede da COP30, prevista para 2025 – em sua passagem pela mais recente conferência do clima, no Egito, Lula tinha afirmado que ofereceria o país para receber o evento;
  • No internacional, o presidente do Banco Central americano, Jerome Powell, afirmou que não cabe ao Federal Reserve fazer política climática, num discurso nessa semana – a responsabilidade de promover a descarbonização da economia e a transição energética compete aos legisladores, segundo Powell, e o papel do Fed é monitorar eventuais riscos que a mudança climática possa trazer ao sistema financeiro;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.