XP Expert

Bolsas em alta; balanço da Nvidia e dados de serviços e indústria nos EUA em destaque

Ata do FOMC e PMIs nos EUA são alguns dos temas de maior destaque nesta quinta-feira, 22/02/2024

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Ouça também no Spreaker


IBOVESPA +0,09% | 130.032 Pontos

CÂMBIO +0,14% | 4,94/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

O Ibovespa rompeu os 130 mil pontos ontem, fechando aos 130.031 pontos, mas ficou praticamente de lado (+0,1%). O destaque foi a ata do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), que acabou vindo sem grandes surpresas.

A maior alta do dia foi das ações da WEG (WEGE3, +6,9%), impulsionadas por um balanço do 4º trimestre de 2023 bem-recebido pelo mercado. Já Hapvida (HAPV3, -4,5%) foi a maior baixa, continuando momento negativo deste ano até agora. Confira todos os resultados do 4º trimestre de 2023.

Renda Fixa

As taxas futuras de juros fecharam o pregão perto da estabilidade e com uma oscilação contida. DI jan/25 fechou em 9,985% (0,5bps vs. pregão anterior); DI jan/26 em 9,775% (-2bps); DI jan/27 em 9,925% (-3,5bps); DI jan/29 em 10,36% (-1,5bps).

Mercados globais

Nesta quinta-feira, os mercados operam em forte alta nos Estados Unidos (S&P 500: 1,1%; Nasdaq 100: 2,0%) após o balanço de Nvidia ter vindo mais positivo que o esperado (as ações sobem cerca de 14% na negociação pré-mercado) e a ata do comitê de política monetária do Fed ter dado uma sinalização mais dura, mas em linha com o que está precificado atualmente em termos de expectativas de corte de juros.

Na Europa, os mercados operam em alta (Stoxx 600: 0,6%), impulsionados pelo movimento dos EUA e em dia de novos dados de atividade. Na China, os índices fecharam o dia em alta (HSI: 1,5%, CSI 300: 0,8%).

Economia

No Brasil, destaque para a divulgação do Boletim Focus. Ainda nos Estados Unidos, teremos a divulgação dos índices de gerentes de compras (PMIs) de serviços e indústria. Na zona do euro, dados de inflação vêm em linha com o esperado, enquanto PMIs trazem sinais mistos.

Veja todos os detalhes

Economia

Ata do FOMC reforça que cortes de juros virão mais adiante; na agenda de hoje, destaque para a divulgação de PMIs nos Estados Unidos

  • No Brasil, agenda esvaziada de indicadores conta com o Boletim Focus às 8:30.
  • Nos Estados Unidos, tivemos ontem a divulgação da ata do último FOMC (comitê de política monetária), cuja decisão havia deixado o limite superior da taxa dos fundos da Reserva Federal inalterado em 5,5%. Pela primeira vez, o comunicado eliminou a menção da possibilidade de uma subida adicional das taxas de juros, indicando claramente que seu próximo passo é de reduzir as taxas.
  • A ata foi, em nossa opinião, ligeiramente mais dura. Os participantes pareciam mais preocupados com o risco de cortar as taxas apressadamente do que com o risco de esperar demais, o que significa que o FOMC ainda não está confiante de que a inflação cairá para a meta de 2%. Destacamos que o documento está consideravelmente desatualizado, uma vez que muitos indicadores relevantes foram divulgados desde então. A reação do mercado foi relativamente fraca e as taxas das treasuries mantiveram-se praticamente inalteradas.
  • Nosso cenário base considera o início do corte de juros em maio, mas vemos hoje viés de que ocorra mais adiante. Acreditamos que, dada a atividade econômica robusta e o mercado de trabalho apertado, não há razão para a Fed ter pressa em reduzir suas taxas.
  • Hoje teremos a divulgação dos índices de gerentes de compras (PMIs) nos EUA. O mercado espera recuo do PMI industrial de 50,7 para 50,2 pontos e de 52,5 para 52,0 para o PMI de serviços.
  • Na Zona do Euro, a inflação ao consumidor (CPI, em inglês) apresentou queda de 0,4% m/m em janeiro, condizente com 2,8% em doze meses, em linha com o esperado. O núcleo de inflação, que exclui itens de alimentação e energia, ficou em 3,3% a/a, estável em relação a última leitura.
  • Também na região, o PMI de serviços deste mês marcou alta para 50,0 pontos (antes 48,4), enquanto o PMI industrial recuou para 46,1 pontos (antes 46,6). Vale lembrar que leituras abaixo de 50 pontos significam retração na atividade. A relativa fraqueza da economia europeia e a inflação em trajetória cadente impõem que o Banco Central Europeu deva reduzir suas taxas básicas de juros nas próximas reuniões.

Empresas

Gerdau (GGBR4): Resultados do 4T23 – Resultados fracos (e em linha) com perspectivas de melhora para 2024E

  • A Gerdau reportou resultados fracos no 4T23, como amplamente esperado, com EBITDA adj. de R$ 2,0 bilhões -39% T/T (e em linha com o consenso e ligeiramente abaixo do XPe). Destacamos:
  • (i) resultados fracos no BD Brasil, com rentabilidade impactada negativamente por menores receitas unitárias, embora parcialmente mitigada por menores custos (com margem EBITDA de 8,5% +120bps vs. XPe);
  • (ii) volumes sazonalmente mais fracos no BD América do Norte contribuindo para uma queda de rentabilidade (margem EBITDA de 19,1% -100bps vs. XPe); e
  • (iii) resultados piores do que o esperado no BD América do Sul, impactados por menores volumes de vendas (-16% T/T) e pelos efeitos da hiperinflação na Argentina (detalhes sobre inflação e câmbio na página 2). Reiteramos nossa classificação de Compra para Gerdau.

Aura (AURA33): Resultados do 4T23 – Trimestre decente; Ramp-Up da Almas impulsionando um aumento da produção em 2024E

  • A Aura reportou resultados melhores do que o esperado, com EBITDA de US$ 41 milhões +36% T/T (+11% XPe) refletindo:
    • (i) Melhores resultados em EPP (EBITDA +365% T/T), devido a maiores volumes de vendas (+54% T/T) e menores custos caixa (impactados pelo processamento de minério de menor qualidade no 3T23); e
    • (ii) Resultados decentes em San Andres (EBITDA +47% T/T), suportados por menores custos caixa (-12% T/T).
  • A empresa também divulgou seu guidance para 2024, com:
    • (i) Um aumento nos volumes de ~14% A/A (faixa média) impulsionado pelo aumento de produção da Almas;
    • (ii) Custos caixa ligeiramente mais elevados (principalmente em EPP e Aranzazu); e
    • (iii) Maior capex da Borborema;
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

WEG (WEGE3): Revisão do 4T23 – De volta ao cronograma: rentabilidade impulsionando resultados melhores que o esperado

  • A WEG apresentou resultados do 4T23 melhores do que o esperado, com níveis de rentabilidade duradouros e um trimestre sazonalmente mais forte para receita, impulsionando resultados recorrentes de +7% T/T e +18% A/a (+3-4% vs. consenso e XPe, respectivamente).
    • Depois de uma decepção após a divulgação dos resultados do 3T23 em outubro (WEGE3 -10% naquele dia), acreditamos que a batida de expectativas de lucros de hoje deve fornecer algum alívio para as preocupações quanto ao momento de resultados da WEG olhando para frente.
    • No entanto, com o desempenho das receitas de +7% A/A corroborando nossa visão de desaceleração do crescimento de receita para 2024E, reiteramos nossa recomendação Neutra, com espaço limitado para reavaliação dos múltiplos (P/L de 2024E de ~28x em níveis altos, em nossa visão).
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Camil (CAML3) | O almoço está pronto. É hora do banquete.

  • A Camil realizou seu Investor Day hoje, reunindo investidores locais e o C-level da Companhia. A Companhia passou por um ano difícil, digerindo muitas aquisições feitas em um curto período, o que acabou aumentando a alavancagem, que poderia ter sido pior se não fosse o aumento de ~35% A/A nos preços do arroz;
  • Para o ano fiscal de 2023 (fechamento em 24 de fevereiro), projetamos que o processo de desalavancagem começará com a liberação do capital de giro, caso a Camil cumpra seu covenant de final de ano;
  • Olhando para o futuro, vemos muitas sinergias a serem capturadas (complementos de portfólio dentro dos clientes, benchmark de prêmio de marca entre Camil e União), o que deve aumentar a desalavancagem da Companhia, atuando como impulsionadores positivos para o patrimônio em nossa visão. Portanto, reiteramos a recomendação de Compra;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Data Expert | La Niña no horizonte?

  • Os efeitos do La Niña não são garantidos e nem fáceis de prever, mas, se presentes, poderão afetar as companhias em nossa cobertura, como TTEN (negativamente), SLCE e AGRO (positivamente) e SMTO, Jalles e RAIZ (negativamente). Neste relatório, discutimos a previsão atual e os principais destaques para entender o fenômeno ENOS (El Niño Oscilação Sul);
  • Embora seja cedo para assumir um novo cenário, especialmente considerando a alta variabilidade entre os modelos, a previsão de fevereiro mostra uma alta probabilidade de La Niña no segundo semestre, mas a habilidade das previsões tem dificuldade em prever o fenômeno nesta época do ano;
    Clique aqui para acessar o relatório completo.

TIM (TIMS3): O Céu Azul na móvel deve continuar; Feedback do NDR com o CEO da TIM e atualização das estimativas

  • Durante esta semana, realizamos um Non-Deal Roadshow (NDR) com a TIM: Alberto Griselli (CEO) e Vicente Ferreira (IRO). Os principais destaques foram: (i) dinâmica competitiva favorável no setor móvel, permitindo aumentos contínuos de preço;
  • (ii) continuidade da estratégia asset-light em FTTH, com baixo interesse em M&A no curto prazo; e (iii) crescimento da receita combinado com eficiências em Opex/Capex impulsionando um aumento no fluxo de caixa. Também aproveitamos a oportunidade para atualizar nossos números, incorporando os resultados do 4T e novo guidance de curto a médio prazo;
  • Reiteramos a TIM como nossa top-pick no setor de Telecom e mantemos nossa recomendação de Compra, enquanto aumentamos nosso TP para YE24 para R$24,0/ação (de R$21,0/ação);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Bens de Capital: Pesquisa XP | Investidores veem resultados melhores do que o esperado, embora permaneçam pessimistas em relação a WEGE3

  • Esta é nossa mais recente edição do Resumo Semanal de Bens de Capital, onde discutimos indicadores recentemente divulgados, níveis de valuation e outros temas-chave. Nesta semana, destacamos:
    • (i) a percepção consensual dos investidores sobre os resultados do 4T23 melhores do que o esperado para a WEG (94% dos participantes viram os resultados como uma surpresa positiva, de acordo com nossa Pesquisa XP), embora não estruturalmente forte o suficiente para mudar a visão em direção a um lado mais otimista (83% dos investidores não veem os resultados do 4T23 como um gatilho de compra) e
    •  (ii) divulgação recente dos dados da Fabus (produção -9% vs. jan’20, com Marcopolo -14%) e das fracas receitas mensais de Randon e Frasle.
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Assaí (ASAI3): Resultados sólidos no 4T23

  • O Assaí divulgou resultados sólidos, com dinâmica positiva de SSS e níveis melhores de rentabilidade;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

GPA (PCAR3): Resultados do 4T23 mistos

  • O GPA reportou resultados mistos no quarto trimestre, com desempenho de vendas em linha e melhoria na rentabilidade, enquanto o prejuízo permanece pressionado pela alta alavancagem e pelas contingências relacionadas ao Hiper;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Brazil Ports: Key Takeaways From Meeting with BTP Management

Link: https://researchxp1.s3.sa-east-1.amazonaws.com/2024+02+21+Key+Takeaways+From+Meeting+with+BTP+Management.pdf

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Pix freia cartão de débito em 2023, mas setor espera recuperação (Valor);
    • Acionistas da Cielo querem nova avaliação de ações para saída do Novo Mercado (Valor);
    • BC mantém zerada a exigência de adicional de capital contracíclico de bancos (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Nelson Tanure volta a ter posição relevante no capital da Oi, diz fonte (Valor);
    • XP dá à TIM Brasil o maior preço-alvo do sellside e diz que telcos merecem prêmio (Brazil Journal);
    • Telefônica registra no 4º trimestre a mais alta receita média por usuário dos últimos 4 anos (Valor);
    • Negociações sobre concessão da Telefônica no TCU vão até maio (telesintese);
    • Clique Aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Governo cede e vai propor reoneração da folha de pagamento por projeto de lei (Folha)
    • ‘Click to pay’ chega ao Brasil em 2024 para simplificar compras online (Folha);
    • A arma secreta da Zara na luta contra a Shein pelo fast-fashion (Reuters);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Alimentos
      • Trabalhos em frigoríficos só iniciarão após verificação de procedimentos em mais de 400 plantas (PecSite);
      • Camil Alimentos vai lançar café solúvel e cápsulas com a marca União (Globo Rural).
    • Agro
      • India’s Modi says committed to farmers’ welfare, protesting leaders call meeting (Reuters);
      • Aplicação de defensivos cresce (mas mercado cai) na próxima safra, diz Kynetec (AgFeed).
    • Biocombustíveis
      • CBIOs e energia ajudam Cerradinho Bio no terceiro trimestre da safra 2023/2024 (AgFeed).
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Saúde: XP Daily | Sua dose diária de notícias
    • Blau Farmacêutica anuncia Amaro Souza Jr como Diretor de Unidade de Negócios Non Retail, Hospitalar e Onco Hemato (Setor Saúde);
    • Hospitais privados registram alta de atendimentos por Covid no pós-Carnaval (Folha);
    • Por reajuste maior, operadoras de saúde cortam 90% dos planos familiares (UOL);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • Para salvar Unigel, família Slezynger vai entregar 50% das ações (Pipeline Valor);
    • Cade tende a liberar Petrobras da venda de refinarias (Valor Econômico);
    • O governo Biden aprovará a expansão da gasolina E15 a partir de 2025, segundo fontes (Reuters);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • XP Daily: As principais notícias do setor Imobiliário
    • Governo deve acatar proposta de Pacheco e enviar ao Congresso projeto sobre reoneração da folha (Estadão);
    • Ata do Fomc: diretores do Fed mostraram preocupação em cortar juros muito cedo (Infomoney);
    • CBIC destaca a recomposição do mercado imobiliário com queda da poupança (CBIC);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Governo quer usar antecipação da privatização da Eletrobras para baratear contas de luz, diz ministro (CNN Brasil);
    • André Augusto Telles Moreira renuncia ao cargo de diretor-presidente da Taesa (Valor Econômico);
    • Serena Energia tem lucro líquido de R$ 145 milhões no 4º trimestre, alta de 6% em base anual (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Novas regras para títulos isentos elevam riscos para bancos pequenos, aponta Fitch (Valor).;
  • Ata do Fed ressalta riscos inflacionários e condições financeiras menos restritivas (Valor);
  • Credores podem ficar com 50% da Unigel em troca de dívidas (Valor);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Fundos imobiliários: dados da B3 mostram consolidação do mercado (FIIs);
    • Demanda aumenta e escritórios dão sinais de recuperação; é hora de apostar em fundos imobiliários de lajes? (Money Times);
    • Fiagros têm captação líquida de R$ 20,5 mi em janeiro e PL chega a R$ 34,4 bi, diz Anbima (Investing)
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Petrobras e BNDES desenvolvem fundo de apoio à inovação para startups | Café com ESG, 22/02

  • O mercado encerrou o pregão de quarta-feira em território misto, com o IBOV andando de lado (0,08%), enquanto o ISE caiu 0,18%.
  • No Brasil, com a finalidade de apoiar micro, pequenas e médias empresas de tecnologia e inovação na área de transição energética, a Petrobras e o BNDES iniciaram estudos para estruturar um fundo de Corporate Venture Capital (CVC) – na fase inicial, as organizações vão identificar os setores mais promissores para este tipo de investimento;
  • No campo político, (i) o programa nacional de Mobilidade Verde e Inovação (Mover), cujo objetivo é impulsionar a descarbonização do setor automotivo, sendo uma ampliação do escopo do Rota 2030, pretende expandir os investimentos em eficiência energética, incluir limites mínimos de reciclagem na fabricação dos veículos e cobrar menos imposto de quem polui menos, criando o IPI Verde – ao todo, o programa alcançará mais de R$ 19 bilhões em créditos concedidos; e (ii) o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira (PSD), afirmou nesta quarta (21/2) que projetos relacionados à produção de minerais críticos para a transição energética poderão emitir debêntures incentivadas – segundo Silveira, o tema já tem o aval inclusive do Ministério da Fazenda;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG. 

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.