XP Expert

Atenções voltadas para a ata do Fomc; no Brasil, foco será tramitação da PEC de Benefícios

Situação fiscal, ata do Fomc, política zero-Covid na China são alguns dos temas de maior destaque nesta quinta-feira, 07/07/2022

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +0,4% | 98.719 Pontos

CÂMBIO +0,8% | 5,43/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

A ata do Fomc mostra que o Fed vê a inflação arraigada como um “risco significativo” para a economia dos EUA. No Brasil, atenção se volta para a PEC de benefícios sociais.

Brasil

Em um dia marcado pela volatilidade, o principal índice da bolsa brasileira encerrou o pregão desta quarta-feira (6) no positivo, aos 98.718 pontos com uma alta de 0,43%. Enquanto o dólar avançou 0,60% frente ao real, encerrando o pregão aos R$ 5,42.  Os juros futuros fecharam o dia de ontem com ligeira alta, influenciados pelo comportamento da reação da curva dos Treasuries – títulos de dívida norte-americanos – à ata do Federal Reserve, com disparada dos rendimentos em uma leitura de aperto monetário mais restritivo. A queda nas cotações das commodities e o fato de as taxas locais já terem subido bastante nas últimas duas semanas ajudaram a amortecer o impacto negativo do exterior. DI jan/23 fechou em 13,76%;  DI jan/24 em 13,565%; DI jan/25 em 12,91%; DI jan/27 encerrou em 12,86%; e DI jan/29 em 13%.

Mundo

Bolsas internacionais amanhecem positivas (EUA +0,2% e Europa +1,7%) após a divulgação, feita ontem, da ata da última reunião do Federal Reserve. Autoridades do Fed reiteraram uma postura dura contra a inflação, dizendo que outra alta de 50 ou 75 pontos-base “provavelmente seria apropriada” na reunião de 26 a 27 de julho. Ainda assim, as preocupações com a recessão continuam a pairar em Wall Street e os participantes do mercado anteciparam o que muitos esperam ser uma temporada de lucros volátil este mês. Na China, os índices CSI 300 (+0,3%) e Hang Seng (+0,3%) fecharam em alta, mesmo com sinais de novas infecções de Covid no país. Xangai registrou o maior número de infecções por Covid desde o final de maio, alimentando a preocupação de que possa voltar aos bloqueios impostos por sua política de Covid Zero. A cidade de Pequim disse que as vacinas contra a Covid serão necessárias para entrar em centros esportivos, locais de entretenimento e muito mais a partir da próxima semana.

A Ata do Fomc mostrou que o banco central americano está preocupado em que a inflação mais elevada no presente possa afetar as expectativas de inflação, tornando-se mais arraigada. Nesse sentido, destacaram que uma política monetária mais restritiva que o esperado pode ser necessária, indicando elevações de juros até o começo do ano que vem e chegando a 3,75%, com cortes esperados apenas em 2024. Os diretores do Fomc mostraram ainda preocupação com a credibilidade do Fed em estabelecer uma política monetária adequada. Por fim, a Ata indicou que as taxas de juros podem subir novamente em 0.5 ou 0.75 na próxima reunião, a depender da evolução dos dados econômicos, especialmente de inflação.. Na agenda do dia, teremos a divulgação da Ata do BCE.

Economia Brasil

No Brasil, é divulgada a inflação de junho medida pelo IGP-DI. Um aumento de 0,6% é esperado, abaixo dos 0,69% de maio. O Banco Central (BC) retoma a divulgação de dados que haviam sido suspensos por causa da greve, incluindo o IBC-Br. Ainda há expectativa de votação da PEC nº 1/22 (PEC de Benefícios) na Comissão Especial da Câmara dos Deputados.

Mercado em Gráfico

Uma queda em todos os tipos de preços de commodities, como petróleo, milho e trigo, está despertando esperanças de que uma fonte significativa da pressão inflacionária possa estar começando a diminuir. O petróleo caiu de máximas acima de US$ 123 o barril para terminar em torno de US$ 98. Trigo e milho acabaram mais baratos do que no final de março. As commodities permanecem com preços historicamente altos, ainda afetadas pelas questões de oferta e demanda no pós pandemia, porém o mercado começa a ver as reversões nos gráficos de seus preços no segundo trimestre como um sinal de que os esforços do Federal Reserve para desacelerar a economia estão causando uma perspectiva de redução da demanda. Nesta quarta-feira (06), o banco central americano liberou a ata de sua última reunião, deixando em aberto que uma alta de juros entre 0,5 ou 0,75 ponto deve ocorrer na próxima reunião. O Fed está tentando domar a inflação mais alta desde o início da década de 1980, reduzindo a demanda para conduzir a economia americana à uma leve desaceleração.

Veja todos os detalhes

Economia

A ata do Fomc mostra que o Fed vê a inflação arraigada como um “risco significativo” para a economia dos EUA. No Brasil, atenção se volta para a PEC de benefícios sociais

  • Diretores do Federal Reserve acham que a inflação arraigada é um “risco significativo” para a economia dos EUA e temem que uma política monetária mais apertada seja necessária se o crescimento dos preços exceder suas expectativas, de acordo com o relato de sua reunião mais recente. A Ata da reunião de junho do Banco Central dos EUA também mostrou que os formuladores de políticas agora apoiam o aumento das taxas de juros até o ponto em que a atividade econômica seja contida, com a possibilidade de se tornarem “ainda mais restritivas” se os dados justificarem. “Muitos participantes julgaram que um risco significativo agora enfrentado pelo comitê era que a inflação elevada poderia se tornar arraigada se o público começasse a questionar a determinação do comitê de ajustar a postura da política conforme justificado”, dizia a ata. A reunião de junho também apresentou previsões revisadas, que sugeriram que as autoridades vejam as taxas subindo para o que Powell disse ser um “nível modestamente restritivo” até o final do ano de pouco menos de 3,5%. Novos aumentos de juros que empurram a taxa básica para 3,75% são esperados no próximo ano, antes dos cortes em 2024. Em resumo, o Fed sinalizou que pode aumentar as taxas em 0,5 ou 0,75 novamente a depender dos dados de inflação;
  • O setor de serviços dos EUA desacelerou menos do que o esperado em junho, mas uma medida do emprego em serviços caiu para o menor nível em dois anos, sugerindo que a demanda por mão de obra pode estar diminuindo à medida que o Federal Reserve adota uma postura de política monetária mais restritiva. O Institute for Supply Management (ISM) disse na quarta-feira que seu índice de atividade não industrial caiu para 55,3 no mês passado, de uma leitura de 55,9 em maio. A terceira queda mensal consecutiva empurrou o índice para seu nível mais baixo desde maio de 2020, quando a economia estava lutando contra a onda inicial da pandemia de COVID-19. Economistas previam que o índice de não-manufatura diminuiria para 54,3. Uma leitura acima de 50 indica expansão no setor de serviços, que responde por mais de dois terços da atividade econômica dos EUA. O setor está sendo sustentado por mudança nos gastos de bens para serviços. A moderação do crescimento está em linha com os dados recentes que mostram o aumento das taxas de juros reduzindo a demanda. Os gastos do consumidor aumentaram modestamente em maio, enquanto a construção de casas, licenças de construção e produção de fábricas diminuíram;
  • A produção industrial da Alemanha subiu em maio, apesar de uma grande queda na produção de energia, já que a maior economia da Europa enfrenta uma crise de oferta cada vez mais severa. A produção cresceu 0,2% no mês, abaixo dos 0,4% esperados. No entanto, como os números de abril foram revisados ​​para mostrar um ganho de 1,3% em vez dos 0,6% originalmente relatados, o nível de produção ficou amplamente em linha ou até um pouco acima das expectativas. Os números mostraram o impacto do agravamento da crise no abastecimento de energia, com a produção de energia caindo 5,8% no mês, mesmo após ajustes para efeitos sazonais. A produção de bens de consumo também caiu 0,9%, indicando uma nova mudança nos padrões de gastos de volta ao seu caráter pré-pandêmico. A produção de bens de capital, por sua vez, cresceu 2,2% e a de construção, 0,4%. No geral, a produção caiu 1,5% no ano;
  • Na agenda do dia de hoje, a ata da mais recente reunião do Banco Central Europeu (BCE) que deverá apresentar os próximos passos do BCE. No Brasil, é divulgada a inflação de junho medida pelo IGP-DI. Um aumento de 0,6% é esperado, abaixo dos 0,69% de maio. O Banco Central (BC) retoma a divulgação de dados que haviam sido suspensos por causa da greve, incluindo o IBC-Br. Ainda há expectativa de votação da PEC nº 1/22 (PEC de Benefícios) na Comissão Especial da Câmara dos Deputados.

Empresas

Ambipar (AMBP3): Desbloqueado crescimento para Ambipar Response

  • A Ambipar divulgou na quarta-feira (06/jul) um fato relevante informando os termos da fusão da Ambipar Response com a HPX – SPAC listada na NYSE sob o código HPX e após a operação sob o código AMBI;
  • Os termos da transação parecem ser muito favoráveis ​​à Ambipar, que teve seu braço Response avaliado em R$ 1,8 bilhão pré capitalização. O valor pós capitalização da empresa, considerando a capitalização mínima esperada de US$ 168 milhões, seria de R$ 2,9 bilhões. Isto representa uma valorização de 11,1x EV/EBITDA LTM, comparado ao atual múltiplo de negociação da controladora de 7,4x EV/EBITDA LTM;
  • De acordo com a empresa, a transação deve ser concluída até 22 de setembro e pode chegar a US$ 415 milhões;
  • A empresa adotará uma estrutura de capital de duas classes de ações sob a qual a Ambipar detém todas as ações ordinárias Classe B com 10 vezes mais direitos de voto do que a outra classe. Nessa estrutura, se atingida apenas a capitalização mínima, a Ambipar Participações terá 71,8% de participação na empresa, representando 96,2% do capital votante (muito espaço para capitalizações adicionais no futuro);
  • Saiba mais clicando aqui.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Com fim da greve dos servidores, BC retoma publicações e divulga cronograma (Valor);
    • Itaúsa vende 7 milhões de ações da XP por cerca de R$ 665 milhões (Valor);
    • Mercado ainda vê alta para o Ibovespa em 2022 (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Custo da cesta básica aumenta em nove de 17 capitais brasileiras, aponta Dieese (Estadão);
    • Boticário inaugura segunda loja da marca com projeto-piloto de produtos a granel (Mercadoeconsumo);
    • Magalu atinge a marca de 200 mil sellers no marketplace (Ecommerce);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Após mudar rota, Heineken cresce no Brasil (Valor);
    • Importação de fertilizantes pelo Brasil cresce 13% no 1º semestre, diz Cargonave (Notícias Agrícolas);
    • India restringe exportações de farelo de trigo (Reuters);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Privatização da Eletrobras termina com valor de R$ 33,6 bi (Canal Energia);
    • Neoenergia fecha contrato com Ambev para fornecer energia eólica por uma década (Valor Econômico);
    • Petrobras fará recompra de títulos globais no total de US$ 1,5 bilhão (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | GM divulga piores vendas na China desde o início da pandemia

  • GM divulga piores vendas na China desde o início da pandemia: A General Motors divulgou nesta quarta-feira suas piores vendas trimestrais na China desde o início da pandemia de coronavírus, em meio ao ressurgimento de casos de Covid-19 no país e problemas contínuos na cadeia de suprimentos global;
  • Hulu e Disney enfrentam problemas à medida que o acordo de aquisição de parte da Comcast se aproxima: A gigante do entretenimento havia adquirido a participação de 33% da Fox no Hulu como parte de uma aquisição de US$ 71 bilhões. Agora, Comcast pode forçar a Disney a comprar seus 33% do Hulu até janeiro de 2024;
  • Mercado revive otimismo com o Alibaba: Algumas das maiores gestoras e bancos do mundo estão reforçando sua visão otimista para o Alibaba, uma vez que a estimativa de consenso para o lucro por ação da varejista para os próximos 12 meses subiu mais de 7% em relação à mínima de três anos no final de maio
  • Ações chinesas devem apresentar boa performance no restante do ano;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Quais FIIs renderam mais nos últimos 12 meses? Valorização chega a 30%; confira lista (InfoMoney);
    • Fundos imobiliários: qual tipo rende mais? Qual é mais arriscado? (Uol);
    • Os FIIs mais recomendados pelos analistas para comprar em julho; BRCO11 lidera pelo 11º mês e HGCR11 amplia preferência (InfoMoney);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

ESG

Parlamento Europeu passa a considerar energia a gás e energia nuclear como fontes sustentáveis | Café com ESG, 07/07

  • O mercado fechou o pregão de quarta-feira em território positivo, com o Ibov e o ISE em alta de +0,4% e +1,0%, respectivamente;
  • Do lado das empresas, (i) uma pesquisa realizada pela USP, ITA e a startup Deep ESG mostrou que as companhias de capital aberto na B3 já estão fazendo inventário de emissões de gases do efeito estufa para estar em conformidade com os critérios ESG – 80% das companhias analisadas disseram fazer inventários de emissões, entretanto, 27% delas ainda não têm registro público seguindo o programa brasileiro GHG Protocol; e (ii) a Ambipar está levantando US$ 168 milhões para financiar o plano de crescimento da Response, sua unidade de prevenção de acidentes e atendimentos a emergências ambientais, numa operação que deve levar à abertura de capital na Bolsa de Nova York;
  • No internacional, o Parlamento Europeu aprovou ontem uma resolução que considera fontes de energia a gás e energia nuclear como matrizes energéticas “limpas”, abrindo espaço para maiores investimentos privados nestas fontes, apesar das críticas dos ambientalistas – a proposta foi feita pela Comissão Europeia no início do ano como parte de seus planos para atingir a neutralidade da emissão de carbono. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.