XP Expert

Economia em destaque: Seu resumo semanal do cenário econômico internacional e doméstico

-

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Cenário Internacional

No cenário internacional, o início da semana foi marcado pela divulgação do Balanço de pagamentos da China. Os dados confirmaram a forte recuperação, e agora já crescimento robusto, da economia asiática, com exportações superando largamente as expectativas e crescendo 21,1% na comparação anual de novembro, principalmente devido a forte demanda de países desenvolvidos por produtos médicos e farmacêuticos, além de eletrônicos. Já as importações cresceram 7,5% no ano/ano, levando a um superávit comercial de US$ 593 bilhões em termos anualizados – outro recorde histórico em termos nominais.

Já nos EUA, os dados do mercado de trabalho desapontaram as expectativas de mercado, com pedidos de seguro desemprego subindo para 853 mil n semana, comparado com 716 mil na semana passada. Com isso, crescem as pressões para a aprovação de um novo pacote fiscal ainda esse ano. Apesar de a proposta bipartidária de US$ 908 bilhões discutida no Congresso ter ganhado força nos últimos dias, ainda parece improvável que haja um consenso entre as partes envolvidas no curto prazo.

Enquanto isso, na Zona do Euro alguns indicadores antecedentes já apontam para a volta gradual da confiança na região diante do avanço das vacinas e a efetividade de medidas de isolamento em reduzir os números da covid-19. Na Alemanha, o índice Zew, que mede as expectativas dos empresários quanto ao crescimento econômico futuro, veio acima do esperado para dezembro. Por outro lado, segue a preocupação sobre a recuperação de países mais afetados pela covid-19, como Itália e Espanha, além de incertezas acerca da saída do Reino Unido do mercado comum europeu e da união aduaneira – a consolidação do Brexit.

Nesse contexto, o Banco Central Europeu decidiu manter inalteradas suas principais taxas de juros, ao mesmo tempo em que anunciou um significativo aumento do volume do Programa de Compras de Emergência na Pandemia (PEPP, na sigla em inglês). A compra de ativos aumentará em EUR 500 bilhões, atingindo EUR 1,85 trilhões, e será expandido em pelo menos novo meses além do inicialmente programando, chegando em março de 2022. Foram ampliadas também as operações de refinanciamento de longo prazo, até junho de 2022. Enquanto isso, na frente fiscal, o Parlamento Europeu anunciou acordo entre os países membro para a implementação do fundo de recuperação econômica de EUR 750 bilhões emitido por parte do bloco (em conjunto), em um movimento sem precedentes na história do bloco.

Enquanto isso, no Brasil

A semana foi marcada pela decisão do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom). Em decisão unânime, o Copom manteve a taxa Selic em 2,00% ao ano, com decisão em linha com o esperado pela XP Investimentos e pelo mercado. O comunicado manteve as principais mensagens da reunião anterior, avaliando que o regime fiscal não mudou desde a sua última reunião e que a inflação, apesar de elevada, mantém características de choques temporários.  Entendemos que o comunicado é consistente com nosso cenário de que a política monetária começará a se normalizar gradualmente ano que vem, mas aponta que o processo pode se iniciar antes do esperado. Esperamos a retirada do FG possivelmente já na próxima reunião do Copom, e seguimos com a expectativa – que mantemos desde junho – de elevação da Selic a partir do segundo semestre de 2021, até 3% no final do ano.

A semana teve também divulgações do resultado mensal referente a outubro do comércio e de serviços.

O varejo brasileiro continuou forte em outubro, acelerando 8,3% a/a e 0,9% m/m. Artigos farmacêuticos, de uso pessoal e doméstico e veículos foram os setores que mais surpreenderam as expectativas, mas também chamaram a atenção as vendas nos supermercados, que continuaram acelerando mesmo com a redução do auxílio emergencial no período. Para 2021, acreditamos que essa dinâmica de crescimento do setor varejista brasileiro pode perder força, especialmente em meio ao fim do AE. Mas a criação de uma “poupança circunstancial” durante a pandemia pode ajudar a atravessar esse período de troca de marcha na economia brasileira As expectativas para o setor, portanto, ainda são positivas.

o setor de serviços brasileiro desacelerou 7,4% a/a e acelerou 1,7% m/m em outubro, abaixo tanto das nossas expectativas (-6,8% a/a e +2,3% m/m) quanto do consenso de mercado (-6,9% a/a). Apesar da fragilidade do setor devido à pandemia, o nosso índice de difusão aponta que mais de 55% dos serviços tem se recuperado de forma significativa nos últimos 6 meses – um número que tem gradualmente se tornado maior nos últimos meses como reflexo da reabertura das atividades econômicas. Os principais destaques positivos foram os serviços prestados às famílias (+4,6% m/m) e os serviços de informação e comunicação (+2,6% m/m). Por outro lado, “outros serviços” perderam ímpeto no mês, enquanto os serviços de transporte vieram bem abaixo do que esperávamos.

Não é surpresa que o setor de serviços esteja se recuperando a passos muito graduais quando comparado com o varejo e com a indústria, especialmente porque o setor é muito intensivo em mão de obra e depende muito da confiança dos consumidores – e ambos foram amplamente fragilizados durante a pandemia. Ainda assim, a “poupança circunstancial” que as famílias mais ricas fizeram durante a pandemia, além da expectativa de chegada de uma vacina eficaz nos próximos meses, podem ajudar o setor de serviços no médio prazo. Por outro lado, no curto prazo, o aumento no número de casos de Covid-19 no Brasil deve continuar contribuindo negativamente para o setor.

Diante dos resultados, nós esperamos que o IBC-Br (índice de atividade econômica do Banco Central) desacelere em -2,0% a/a em outubro, o equivalente a uma expansão de 1,1% m/m.

Por fim, destaque também para o mega leilão de títulos prefixados (LTN e NTN-F) realizados pelo Tesouro Nacional nessa quinta-feira. O leilão foi maior inclusive que o de setembro (já considerado de magnitude elevada) e a oferta foi integralmente absorvida. Com isso, o Tesouro soma R$ 286 bilhões em emissões de títulos públicos entre o início de novembro e hoje, incrementando seu colchão prudencial e reduzindo as preocupações sobre o gerenciamento da dívida no curto -médio prazo.

O que esperar?

O índice de atividade econômica do Banco Central referente a outubro, a ata da última reunião de política monetária do BC (Copom) e o relatório trimestral de inflação serão os principais destaques da agenda econômica nacional da próxima semana. No cenário internacional, os principais destaques serão as decisões de política monetária, os índices de inflação (CPI e PPI) e o PMI de dezembro das principais economias.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório foi preparado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins do artigo 1º na Resolução CVM 20/2021. Este relatório tem como objetivo único fornecer informações macroeconômicas e análises políticas, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra/venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra/venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados. As opiniões, estimativas e projeções expressas neste relatório refletem a opinião atual do responsável pelo conteúdo deste relatório na data de sua divulgação e estão, portanto, sujeitas a alterações sem aviso prévio. A XP Investimentos não tem obrigação de atualizar, modificar ou alterar este relatório e de informar o leitor. O responsável pela elaboração deste relatório certifica que as opiniões expressas nele refletem, de forma precisa, única e exclusiva, suas visões e opiniões pessoais, e foram produzidas de forma independente e autônoma, inclusive em relação a XP Investimentos. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida a sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. Para maiores informações sobre produtos, tabelas de custos operacionais e política de cobrança, favor acessar o nosso site: www.xpi.com.br.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.