Tensões no setor imobiliário da China preocupam o Fed. Nos EUA, os mercados irão monitorar a inflação PPI hoje. No Brasil, o projeto da PEC dos Precatórios provavelmente será votado hoje na Câmara

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Clique para ouvir

IBOVESPA -0,0% | 104.781 Pontos

CÂMBIO +0,0% | 5,54/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa fechou praticamente no zero, com leve queda de -0,04% aos 104.781 pontos, após ter oscilado entre o terreno negativo e positivo até o final do pregão. A sessão foi dividida entre o bom desempenho de ações ligadas a commodities e incertezas sobre o futuro da PEC dos Precatórios e o Projeto de Emenda à Constituição que pretende abrir espaço no orçamento público para o financiamento do Auxílio Brasil, substituto do Bolsa Família. O dólar iniciou a sessão dessa segunda feira em alta de mais de 1%, mas terminou o dia com ganhos moderados. O dólar comercial fechou com alta de +0,33% cotado no patamar de R$ 5,541. As taxas futuras de juros fecharam o dia de ontem em queda nos vencimentos mais longos, enquanto as taxas de prazos mais curtos tiveram movimento de alta, resultando em perda de inclinação na curva de juros. Este movimento, que leva a um desenho incomum na curva, indica maior expectativa de elevação da Selic (após revisões para cima de IPCA e Selic no Focus e falas de Bruno Serra sobre elevação mais forte no Copom de dezembro) ao mesmo tempo em que se espera aprovação da PEC dos Precatórios na Câmara, reduzindo os riscos fiscais. DI jan/22 fechou em 8,79%; DI jan/24 encerrou em 12,26%; DI jan/26 foi para 12,01%; e DI jan/28 fechou em 12,02%.

Bolsas internacionais amanhecem sem movimentos expressivos (EUA 0% e Europa +0,2%) após o índice S&P 500 encerrar em máxima histórica pela 8ª vez consecutiva, sua maior sequência de recordes desde 1997. Investidores agora aguardam a divulgação dos dados do PPI (inflação aos produtores) americano que ocorrerá nesta manhã. Na China (0%), o mercado de ações encerra em território neutro, mas temores com o mercado de crédito continuam escalando ao passo que títulos de dívida considerados de maior qualidade também começam a sofrer com a venda generalizada. O Bitcoin (+1,4%) amanhece negociando acima dos US$ 68 mil após atingir novo recorde no pregão de ontem, impulsionado pela aprovação da sua primeira atualização operacional em 4 anos, Taproot, que irá aprimorar a eficiência e privacidade das transações da criptomoeda.

Do lado de economia, o Fed dos EUA publicou ontem seu Relatório de Estabilidade Financeira. O documento alerta que as tensões no setor imobiliário da China representam um risco para o sistema financeiro dos EUA. As empresas imobiliárias chinesas altamente endividadas, como a Evergrande, têm sido uma preocupação para analistas de mercado nos últimos meses.  Ainda no campo norte-americano, vale destacar que a inflação PPI de outubro será publicada ainda hoje, esse indicador é importante para o aumento da inflação de custos que vem sendo reportada por empresas recentemente. No Brasil, a Câmara dos Deputados deve votar pela segunda vez hoje a “PEC dos Precatórios”, emenda constitucional que altera o teto de gastos para permitir o aumento dos gastos sociais no próximo ano. Por se tratar de uma mudança na Constituição, a Câmara precisa votar duas vezes (a primeira votação aconteceu na semana passada). Se for aprovado, o projeto vai para o Senado. A PEC é um elemento chave para o governo elaborar o Orçamento 2022.

Ainda no campo político, o destaque desta terça-feira é a tentativa de conclusão da votação da PEC dos Precatórios pelo plenário da Câmara – a sessão está convocada para as 9h. Ontem, 405 dos 513 deputados estiveram presentes, e a expectativa é de que hoje o quórum seja maior, suficiente para a deliberação. A votação começa pelos destaques ao texto inicial, antes do segundo turno. Mesmo com pressão de partidos como PDT, PSB e PSDB contra a proposta e com a decisão do Supremo de suspender as emendas de relator, a perspectiva dos líderes aliados a Arthur Lira é a de que a proposta deva ir a voto e possa ser aprovada. Sobre as emendas de relator, o Supremo já conta quatro votos favoráveis à suspensão – os quatro já eram esperados. Um grupo de ministros articula a construção de um voto médio, mantendo a execução das emendas, mas com exigências maior de transparência. Ontem, o presidente Arthur Lira foi ao Supremo acompanhado de outros parlamentares explicar a execução desse tipo de emenda. A mensagem é que a manutenção da suspensão pode ampliar desgaste entre os poderes.

Tópicos do dia

Agenda de resultados

Aeris (AERI3): após o fechamento
Aura Minerals (AURA33): após o fechamento
Atacadao (CRFB3): após o fechamento
Raia Drogasil (RADL3): após o fechamento
Santos Brasil (STBP3): após o fechamento
Vulcabras (VULC3): após o fechamento

Calendário do 3T21

Temporada de resultados do 3º trimestre 2021 – o que esperar?

Economia

  1. O Fed alertou que as tensões no setor imobiliário da China representam um risco para o sistema financeiro dos EUA. Os mercados irão monitorar a inflação PPI dos EUA hoje. No Brasil, o projeto do Pec dos Precatórios provavelmente será votado hoje na Câmara

Política

  1. Câmara tem PEC dos Precatórios na pauta desta terça-feira

Empresas

  1. Banco do Brasil (BBAS3): Bons resultados em todas as áreas | Revisão 3T21
  2. São Martinho (SMTO3): trimestre forte com preços mais altos compensando a menor produtividade agrícola
  3. CBA (CBAV3): Resultados do 3T menores que o esperado com pressão de custos
  4. Yduqs: Resultados mistos no 3T21; números ajustados acima das nossas estimativas
  5. Blau (BLAU3) – 3T21: Resultados neutros; lucro acima das nossas expectativas
  6. Direcional (DIRR3) – 3T21: Forte margem bruta apesar das pressões de custos
  7. Porto Seguro e Cosan formam JV para locação de veículos; Neutro para locadoras
  8. Principais notícias dos setores

Mercados

  1. Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Berkshire e PayPal reportam

ESG

  1. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | XX/11

Veja todos os detalhes

Economia

O Fed alertou que as tensões no setor imobiliário da China representam um risco para o sistema financeiro dos EUA. Os mercados irão monitorar a inflação PPI dos EUA hoje. No Brasil, o projeto do Pec dos Precatórios provavelmente será votado hoje na Câmara

  • O Fed dos EUA publicou ontem seu Relatório de Estabilidade Financeira. O documento alerta que as tensões no setor imobiliário da China representam um risco para o sistema financeiro dos EUA. As empresas imobiliárias chinesas altamente endividadas, como a Evergrande, têm sido uma preocupação para analistas de mercado nos últimos meses;
  • A inflação PPI de outubro dos EUA será publicada ainda hoje. O indicador é importante para o aumento da inflação de custos que vem sendo reportada por empresas recentemente;
  • No Brasil, a Câmara dos Deputados deve votar pela segunda vez hoje a “PEC dos Precatórios”, emenda constitucional que altera o teto de gastos para permitir o aumento dos gastos sociais no próximo ano. Por se tratar de uma mudança na Constituição, a Câmara precisa votar duas vezes (a primeira votação aconteceu na semana passada). Se for aprovado, o projeto vai para o Senado. A PEC é um elemento chave para o governo elaborar o Orçamento 2022.

Política

Câmara tem PEC dos Precatórios na pauta desta terça-feira

  • O destaque desta terça-feira é a tentativa de conclusão da votação da PEC dos Precatórios pelo plenário da Câmara – a sessão está convocada para as 9h. Ontem, 405 dos 513 deputados estiveram presentes, e a expectativa é de que hoje o quórum seja maior, suficiente para a deliberação. A votação começa pelos destaques ao texto inicial, antes do segundo turno. Mesmo com pressão de partidos como PDT, PSB e PSDB contra a proposta e com a decisão do Supremo de suspender as emendas de relator, a perspectiva dos líderes aliados a Arthur Lira é a de que a proposta deva ir a voto e possa ser aprovada;
  • Sobre as emendas de relator, o Supremo já conta quatro votos favoráveis à suspensão – os quatro já eram esperados. Um grupo de ministros articula a construção de um voto médio, mantendo a execução das emendas, mas com exigências maior de transparência. Ontem, o presidente Arthur Lira foi ao Supremo acompanhado de outros parlamentares explicar a execução desse tipo de emenda. A mensagem é que a manutenção da suspensão pode ampliar desgaste entre os poderes.

Empresas

Banco do Brasil (BBAS3): Bons resultados em todas as áreas | Revisão 3T21

  • O Banco do Brasil registrou resultados muito acima do esperado no 3T21, com Lucro Líquido de R$ 5,1 bilhões, aumento de 48% A/A e 13% acima de nossas estimativas, impulsionado principalmente por uma maior Margem Financeira (“MFB”), devido ao crescimento de sua carteira de crédito, enquanto as despesas permaneceram estáveis apesar do aumento da massa salarial e da expansão da carteira;
  • Além disso, o banco manteve um índice de cobertura sólido de 323% (+62 p.p A/A e apenas -3 p.p T/T), enquanto apresentou um forte ROE de 14% (vs 12,6% esperado pela XP);
  • Por fim, o Banco do Brasil divulgou um novo guidance para o ano, aumentando sua expectativa tanto para MFB quanto para o Lucro Líquido, sendo o novo Lucro estimado entre R$19-21bilhões, acima de nossa estimativa de R$18,8 bilhões. Por fim, reiteramos nossa recomendação de compra e preço alvo de R$52,0/ação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

São Martinho (SMTO3): trimestre forte com preços mais altos compensando a menor produtividade agrícola

  • A São Martinho registrou bons números no 2T22 (FY 3T21), apesar da queda na produtividade agrícola devido à seca e geadas, com preços mais altos para açúcar, etanol e energia também compensando custos mais altos;
  • O lucro bruto aumentou 92,3% para R$ 636,6mi, enquanto o EBIT ficou abaixo da nossa projeção de R$ 549,8mi (-11,9% A/A e -28,1% vs. XPe), uma vez que esperávamos que os créditos da Copersucar fossem pagos neste trimestre, seguindo o mesmo cronograma de 20/21. No entanto, o EBIT excluindo-se o pagamento da Copersucar aumentou 138,2% A/A;
  • Com o fim da safra e perspectiva de demanda resiliente para os combustíveis, em nossa opinião ainda há espaço para aumento do preço do etanol, apesar dos preços do açúcar já terem sido travados (hedge), portanto continuamos otimistas com o setor de A&A;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

CBA (CBAV3): Resultados do 3T menores que o esperado com pressão de custos

  • A CBA reportou números operacionais ligeiramente piores do que o esperado no 3T. O EBITDA ajustado de R$ 304 bilhões ficou -11% abaixo de nossas estimativas e -10% abaixo do consenso. A margem EBITDA ajustada foi de 14% no 3T21 (-5p.p T/T e + 3p.p A/A). A receita líquida de R$ 2,3 bilhões atingiu novo recorde trimestral (+ 12% vs XPe, + 20% T/T, + 55% A/A);
  • Os principais destaques foram os maiores preços de venda, devido ao aumento do alumínio na LME, e maiores volumes de vendas, especialmente para produtos transformados. Do lado negativo, os custos aumentaram, pressionados pela alta de preços de diversos insumos, inclusive a energia elétrica. A dívida líquida atingiu R$ 2,3 bilhões (de R$ 2,5 bilhões no 2T21), enquanto a Dívida Líquida / EBITDA diminuiu para 1,9x vs 2,36x no 2T;
  • Reiteramos nossa recomendação de Compra;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Yduqs: Resultados mistos no 3T21; números ajustados acima das nossas estimativas

  • A Yduqs reportou lucro líquido ajustado de R$146M no 3T21 (-25% A/A; 78% acima de nossa estimativa)
    • A receita aumentou 12,5% A/A, com os segmentos premium e digital ganhando relevância sobre o segmento presencial, e a aquisição QConcursos – consolidada desde julho – contribuindo com receitas estimadas de R$47,4M;
    • Os descontos obrigatórios diminuíram R $ 59M A / A, para apenas R $ 8,8M no 3T21; e
    • As despesas financeiras líquidas aumentaram R$16M A/A devido ao aumento da taxa Selic e ao aumento de 23% da dívida líquida no período.
  • Nossa visão sobre os resultados é mista, embora reiteremos nossa classificação de compra, pois vemos a empresa sendo negociada a um múltiplo P/L de 10,1x para 2022E (vs. média de 12,8x nos últimos 36 meses).
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Blau (BLAU3) – 3T21: Resultados neutros; lucro acima das nossas expectativas

  • Blau registrou lucro líquido de R$94M no 3T21 (20% acima de nossa estimativa)
    • A receita aumentou 5,5% A/A com crescimento em todas as linhas de negócios, exceto biológicos, devido a fatores externos que afetam as vendas de imunoglobulina e alfaepoetina;
    • A margem EBITDA caiu 3,3 p.p. A/A principalmente devido a aumentos nas despesas G&A e P&D necessárias para que a empresa esteja preparada para continuar crescendo; e
    • O resultado financeiro melhorou o lucro devido a resultado de derivativos de R$19M e uma mudança da posição de dívida líquida no 3T20 para uma posição de caixa líquido no 3T21;
  • Consideramos os fatores que afetaram negativamente o desempenho da receita em relação ao 2T21 como transitórios e, portanto, reiteramos nossa visão positiva em relação à empresa.
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Direcional (DIRR3) – 3T21: Forte margem bruta apesar das pressões de custos

  • A Direcional apresentou resultados sólidos no 3T21, impulsionados pela forte margem bruta ajustada de 36,0% (-0,20 pp A/A), bem acima das nossas expectativas de 34,6%, e positivamente impactada pelo preço mais alto e melhor mix de venda vindo do segmento da Riva. Riva foi o destaque, representando 37% das vendas totais, levando a uma velocidade de vendas robusta de 21% no 3T21, alimentada por lançamentos recordes de R$621 milhões no 3T21 (+230% T/T);
  • EBITDA ajustado recorde, atingindo R$101 milhões no 3T21 vs. R$ 90 milhões no 2T21, explicado por ganhos de eficiência com despesas gerais e administrativas estáveis T/T (7% da receita bruta total), levando o lucro líquido para R$ 47 milhões no 3T21 (+65% A/A) vs. nossa estimativa de R$50 milhões;
  • Além disso, a queima de caixa atingiu -R$ 23 milhões no 3T21 vs. -R$29mn no 2T21, impactada por lançamentos que aumentaram significativamente (129% em 9M21 vs. 9M20);
  • Por fim, a receita líquida aumentou 21% A/A (-8% abaixo de nossas estimativas), atingindo R$453 milhões no 3T21 vs. R$376 milhões no 3T20, impulsionados por (i) vendas robustas (divulgadas anteriormente em outubro) de R$ 1,08 bilhão, aumentando 88% A/A (ii) lançamentos fortes em 9M21, atingindo R$ 2,44 bilhões vs. R$ 1,065 bilhão em 9M20 (+129% A/A). Dito isso, reiteramos nossa visão positiva para a empresa com base em uma interessante combinação de (i) crescimento; (ii) avaliação atrativa, negociando a 6,0x P/E em 2022.

Porto Seguro e Cosan formam JV para locação de veículos; Neutro para locadoras

  • Notícia do Valor Econômico dá conta de que o negócio irá incorporar o braço de assinatura de veículos da Porto Seguro, chamado Carro Fácil, que hoje conta com 9,2 mil veículos e a Cosan fará aporte de capital inicial de R$300 milhões. O foco inicial, segundo a reportagem, será no novo mercado de carro por assinatura. Em segundo lugar viria a locação de frotas B2B, e só por ultimo a nova empresa pensaria na locação diária;
  • Nossa visão é neutra para as locadoras incumbentes e listadas em bolsa. Apesar dessa JV adicionar concorrência ao mercado, vemos o mercado de carro por assinatura ainda bastante incipiente, e com espaço significativo para todos os players atuais crescerem de forma relevante. Notamos que já há diversas empresas atuando no ramo além das locadoras tradicionais (como locadoras atreladas aos bancos das montadoras, por exemplo), portanto esse não é um movimento totalmente novo;
  • O crescimento desse segmento de dará, em nossa opinião, atrelado ao aculturamento da locação de longo prazo na população. E notamos que novos players atuando no segmento, inicialmente podem até acelerar esse movimento, portanto não impactando negativamente a dinâmica competitiva;
  • Reiteramos nossa visão positiva com o setor de locação de veículos, com recomendações de compra para Localiza, Unidas e Movida.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • BB tem lucro de R$ 5,1 bi no 3º tri e supera projeções. Margem financeira subiu 9% no período; tesouraria teve alta de 65%. (Valor);
    • BB Seguridade tende a se beneficiar da melhora do resultado financeiro, diz presidente. “Nós esperamos uma volta forte do resultado financeiro nos próximos trimestres”, declara Ulisses Assis. (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Imaginarium, Puket e Casa MinD passam a ser marcas próprias da Americanas (Mercado & Consumo);
    • Marisa amplia vendas e tem lucro (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • U.S. Beef Craze Gives Brasil’s Meatpackers Relief Amid China Ban (Bloomberg);
    • Big U.S., Brazil Harvests, slow China demand ease crop shortage fears (Reuters);
    • São Martinho tem quebra de safra, mas lucra R$ 368 milhões (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Consumo de energia cai 5,7% em outubro, afirma CCEE. (Canal Energia);
    • Petróleo fecha em alta e gás avança com incertezas sobre abastecimento na Europa. (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Berkshire e PayPal reportam

  • Berkshire Hathaway reporta crescimento de dois dígitos em lucro operacional, impulsionada pela reabertura econômica;
  • Paypal supera o consenso em lucros e anuncia parceria com a Amazon para 2022;
  • Walmart inicia testes com veículos autônomos;
  • Indicador de inflação PCE, utilizado pelo Federal Reserve, americano atinge máxima dos últimos 30 anos;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

ESG

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 09/11

  • Ontem o mercado encerrou em território levemente negativo, com o Ibov e o ISE em queda de -0,04% e -0,7%, respectivamente;
  • o Brasil, do lado das empresas, a Embraer anunciou projetos para uma família de aeronaves conceito, com quatro novas tecnologias de propulsão por energia renovável, que foi concebida para ajudar a indústria a atingir a meta de zero emissões líquidas de carbono até 2050;
  • No internacional, os olhos continuam voltados para a COP26: (i) institutos de pesquisa do Brasil e Reino Unido se juntaram e anunciaram ontem em Glasgow o maior experimento já projetado para medir a resposta da floresta amazônica à mudança climática – após uma espera de sete anos, o Amazon Face deve começar em 2021 a construção de torres gigantes que vão bombear CO2 sobre a floresta e observar como as árvores reagem; e (ii) após a adesão do Brasil ao Acordo do Metano na COP26, o chefe-geral da Embrapa Pecuária Sudeste, Alexandre Berndt, afirmou que é possível alcançar a neutralidade da emissão de gases de efeito estufa na pecuária brasileira com a ampliação da adoção de tecnologias nos sistemas produtivos, com uma estratégia que envolve reduzir, diluir e compensar o lançamento dos poluentes na atmosfera com técnicas consolidadas e viáveis para os bolsos de todos os pecuaristas. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.