XP Expert

‘Superquarta’, Payroll, balanços nos EUA e PIB na Zona do Euro na agenda da semana

Resultado primário no Brasil e tensões no Oriente Médio são alguns dos temas de maior destaque nesta segunda-feira, 29/01/2024

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +0,62% | 128.967 Pontos

CÂMBIO -0,26% | 4,91/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

O Ibovespa teve uma recuperação após 3 semanas consecutivas de perdas, subindo 1,04% em reais e 1,31% em dólares em 128.967 pontos. A semana foi impactada por notícias macro importantes: o governo anunciou uma política industrial (veja nossa análise nas implicações para a cobertura de Bens de Capital); PMI e PIB do 4º trimestre de 2023 americano acima do consenso (economia forte) e estímulo chinês anunciado (uma leitura positiva para empresas de mineração, como a Vale).

No micro, Vale foi impactada pela condenação do colapso da barragem de Mariana (veja a nota do nosso analista), e um aumento na pressão política do governo de colocar Guido Mantega como CEO, seguido por um abandono do plano na tarde de sexta-feira. Além disso, o avanço no PL de fundo de financiamento para companhias aéreas beneficiou a Azul (+8,8%).

Para saber mais, veja o nosso resumo semanal da bolsa.

Renda Fixa

Ao final da semana, a curva de juros encerrou perto da estabilidade, com um viés de queda nos vértices médios e longos. O diferencial entre os contratos com vencimento em janeiro 2025 e 2033 saiu de 56,1 pontos-base na sexta-feira anterior para 63,0 pontos. A curva, no entanto, apresentou aumento da inclinação. Os principais acontecimentos foram: (i) a percepção de piora nos riscos quanto à condução da economia do Brasil no início da semana; (ii) o otimismo e apetite ao risco dos investidores globais devido à leitura positiva dos dados do PIB e inflação dos EUA; e (iii) IPCA-15 abaixo das expectativas do mercado. DI jan/25 fechou em 9,96% (-16bps no comparativo semanal); DI jan/27 em 9,79% (-11,1bps); DI jan/29 em 10,24% (-9,1bps); DI jan/33 em 10,59% (-9,1bps); DI jan/37 em 10,64% (-11,5bps).

Mercados globais

Nesta segunda-feira, os mercados apresentam alta nos Estados Unidos (S&P 500: 0,0%; Nasdaq 100: 0,2%), na expectativa de divulgação de resultados na semana mais cheia da temporada. Nos próximos dias, o comitê de política monetária do Federal Reserve também se reúne, e espera-se que dê alguma pista sobre próximos passos e chances de cortes nas próximas reuniões. No domingo, ataques de grupos ligados ao Irã vitimaram três soldados americanos na Jordânia. A promessa de retaliação por parte dos EUA e a escalada de tensões na região causou alta de cerca de 0,6% no petróleo.

Na Europa, os mercados operam mistos, e o índice pan-europeu permanece estável (Stoxx 600: 0,0%). Na China, os índices fecharam mistos (CSI 300: -0,9%; HSI: 0,8%). A negociação de ações da Evergrande foi suspensa, após um tribunal de Hong Kong ordenar a liquidação da companhia, em crise desde 2021.

Economia

No Brasil, o IPCA-15 veio abaixo das expectativas, mas com composição mista. Na semana, destaque para a decisão do Copom na quarta-feira.

Na seara internacional, o deflator do consumo pessoal veio em linha com o esperado nos EUA. Nesta semana, destaque para a decisão de política monetária do Fed e para a divulgação do relatório de emprego americano na sexta-feira.

Veja todos os detalhes

Economia

Super quarta-feira é o destaque da semana

  • No Brasil, IPCA-15 de janeiro subiu 0,31% na base mensal, bem abaixo das expectativas de mercado (0,47%). No acumulado em 12 meses, a inflação caiu para 4,47% em janeiro de 4,72% em dezembro. A composição da inflação, no entanto, ainda preocupa. Produtos industrializados estão em forte queda, em linha com o que acontece no resto do mundo. E a inflação de serviços segue resistente e relativamente elevada. De toda forma, os resultados do IPCA-15 deste mês reforçam que o Banco Central continua com espaço para seguir reduzindo a taxa Selic nos próximos meses;
  • Nos EUA, o deflator dos gastos com consumo – medida de inflação favorita do Fed, o banco central do país – variou 0,2% em dezembro, e 2,6% em 2023. O resultado é bem próximo à meta de 2,0%, o que deve encorajar o Fed a iniciar um ciclo de cortes de juros ainda neste primeiro semestre. Em nosso cenário, projetamos início do ciclo de cortes na reunião de maio;
  • No final de semana, destaque para ataques de grupos radicais islâmicos sobre uma base militar americana na Síria. Dois militares americanos morreram e a escalada dos conflitos se refletiu em altas nas cotações de petróleo. O barril do tipo Brent chegou a ser negociado próximo dos US$ 85, embora agora opere estável. A alta da commodity gera preocupação sobre seu impacto na inflação;
  • Nessa semana, o principal destaque será a decisão de política monetária no Brasil e nos Estados Unidos na ‘super’ 4ª-feira. Em relação ao banco central americano, esperamos manutenção dos juros no intervalo de referência em 5,25%-5,50%, enquanto para o Brasil, esperamos corte de 0,50 p.p. e acreditamos que os membros do Copom não irão alterar o seu plano de voo de remover gradualmente o grau de restrição da política monetária. Além disso, importantes dados de atividade serão publicados no Brasil na 3ª-feira (saldo de empregos formais – CAGED), 4ª-feira (taxa de desemprego – PNAD) e 6ª-feira (produção industrial);
  • Também nos EUA, indicadores de emprego serão divulgados ao longo da semana, como a abertura de empregos (JOLTS) a criação líquida de empregos no setor privado (ADP) na 4ª feira e, em destaque, o relatório de emprego (Payroll) na 6ª feira. Na zona do euro, conheceremos o PIB do 4º trimestre na 3ª feira e a inflação preliminar de janeiro na 5ª feira. No Reino Unido, o Banco da Inglaterra (BoE, em inglês) divulgará sua decisão sobre a taxa básica de juros na 5ª feira. Por fim, a China publicará os seus PMIs de janeiro na 3ª feira e 4ª feira – os PMIs são sondagens com empresas que servem como termômetros para a economia.

Empresas

Magazine Luiza (MGLU3): Aumento de capital privado anunciado

  • Ontem, a Magazine Luiza anunciou a aprovação de um aumento de capital privado de R$1,25bi, com os acionistas controladores garantindo a subscrição de até R$1bi e o Banco BTG Pactual se comprometendo a subscrever até R$250mi em ações, a um preço base de R$1,95/ação;
  • O aumento de capital tem como objetivos suportar os investimentos da empresa em tecnologia (Luiza Labs, Magalu Ads, Magalu Cloud e fullfilment) e otimizar a estrutura de capital da companhia;
  • Apesar do reforço em sua estrutura de capital, mantemos nossa recomendação Neutra e preço-alvo de R$2,5/ação, uma vez que continuamos enxergando um cenário macro desafiador para a demanda de bens duráveis, além de um cenário competitivo pressionado, com expansão de players estrangeiros no país.

3Tentos (TTEN3) | Prévia dos resultados do 4T23: receita mais forte, mas lucro mais fraco

  • A TTEN deve apresentar resultados mistos no 4T23, com números encorajadores provenientes da receita, com a receita líquida aumentando 38% A/A, liderada por volumes mais altos em todas as linhas;
  • Estimamos que a TTEN esteja ganhando participação de mercado, enquanto os volumes provenientes da nova planta de esmagamento de soja em MT também devem impulsionar a primeira linha. Do lado negativo, projetamos que a margem bruta e a margem EBITDA ajustada sejam menores, com despesas de vendas acima do histórico, o que deve levar o EBITDA ajustado a R$ 211 (-28% A/A);
  • É difícil dizer como o mercado lerá os resultados do 4T23, mas vemos a comunicação e a divulgação da gestão em relação às despesas de vendas como fundamentais e sem espaço para erros. Apesar de suas muitas partes móveis, mantemos nossa visão positiva e a recomendação de Compra;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • FT: O ano passado foi o pior para os bancos desde 2008, entenda o motivo (Valor);
    • Captação líquida da XP tem forte queda no 4º trimestre (Valor);
    • Estrangeiros sacam R$ 363,4 milhões da Bolsa em 24 de janeiro (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Governo da Itália terá poder de veto na NetCo do Grupo TIM (telesintese);
    • Oi recebe US$ 125 milhões de empréstimo emergencial (telesintese);
    • Risco de demanda mais fraca da indústria de semicondutores testa bom momento das fabricantes de chips com Inteligência Artificial (Valor);
    • Portabilidade soma 90 milhões de números trocados em 15 anos (TELETIME);
    • Clique Aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Magazine Luiza anuncia aumento de capital de R$ 1,25 bi com emissão de novas ações (Folha)
    • Exclusivo: Carrefour vai integrar área de Varejo com Sam’s Club e terá novo CEO da área (Valor);
    • ICMS sobe em 9 estados e no DF e pode impactar alimentos e combustível (Metropoles);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Bebidas
      • Rémy Cointreau shares jump despite firmer FY sales guidance – Just Drinks;
      • AB InBev fecha 1ª artesanal de Miami e cervejaria em Sacramento – Guia da Cerveja;
    • Alimentos
      • US Chicken Prices to Fall at Last Thanks to Green Fuel Boom – Bloomberg;
      • Tyson Foods recebe mais um “aperto” de investidores para zerar desmatamento – AgFeed;
    • Agro
      • Funds continue cultivating massive CBOT grain, oilseed short – Reuters;
      • Açúcar recua mais de 1% nesta 6ª em NY e Londres, mas acumula alta semanal – Notícias Agrícolas;
    • Biocombustíveis
      • XP diz que Vibra pode subir 40% – Brazil Journal;
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Saúde: XP Daily | Sua dose diária de notícias
    • Projeto dá cinco dias para plano de saúde efetivar idoso e pessoa com deficiência (Senado);
    • 82% das empresas que não exportam dispositivos médico pretendem começar em 2024 (Saúde Business);
    • Retomada firme do setor privado de saúde só deve ocorrer em 2025 (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • Combustíveis: XP diz que Vibra pode subir 40% (Brazil Journal);
    • Distribuidoras reduzem peso do petróleo dentro do preço do gás, através do uso do índice Henry Hub (epbr);
    • Vibra é o terceiro maior credor sem garantia da Gol, com US$91,4 milhões. (Valor Econômico);
    • Petrobras atinge meta de produção em 2023, com alta de 3,7% (Valor Econômico);
    • Petrobras conclui 2023 com 10,9 bi de barris em reservas provadas (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • XP Daily: As principais notícias do setor Imobiliário
    • Agenda de mercados: Decisões de juros no Brasil e nos EUA são os destaques da semana (Valor);
    • Sondagem da construção aponta otimismo dos empresários para 2024 (CBIC);
    • Confiança da construção tem queda em janeiro, mostra FGV (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Silveira sugere que Brasil será ‘rigoroso’ em negociações sobre Itaipu (Valor Econômico);
    • Equatorial Energia tem crescimento de 11,5% em energia injetada no 4º trimestre (Valor Econômico);  
    • ‘Venda’ da Cemig, Copasa e Codemig para abater dívida de Minas pode levar 2 anos (O Tempo);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Plummeting Inflation Raises New Risk for Fed: Rising Real Interest Rates (The Wall Street Journal);
  • Cenário é positivo para déficit zero em 2024, diz secretário (Valor);
  • Justiça de NY aceita pedido de recuperação judicial da Gol (Valor);
  • Magazine Luiza anuncia aumento de capital de R$ 1,25 bilhão, em operação bancada pelo BTG (Valor);
  • Ratings da Gol rebaixados para ‘D’ devido a pedido de Chapter 11 (S&P Global);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • XPLG11 anuncia valorização de imóveis em dezembro de 2023 (Clube FII);
    • Fundo de logística BTLG11 mira captação de até R$ 1,2 bilhão; Ifix fecha em alta de 0,22% (InfoMoney);
    • FII TRBL11 conclui operação de R$ 246 milhões envolvendo venda de dois ativos; veja detalhes (FIIs);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Apenas 7% dos projetos globais de hidrogênio verde devem estar em operação até 2030, diz AIE | Café com ESG, 29/01

  • O Ibovespa teve uma recuperação após 3 semanas consecutivas de perdas, subindo 1,04%, enquanto o ISE também registrou alta (1,12%). Já o pregão de sexta-feira terminou em território positivo, com o IBOV e o ISE subindo 0,62% e 0,16%, respectivamente;
  • No Brasil, a TotalEnergies apresentou mais quatro pedidos de licenciamento de parques eólicos offshore na costa brasileira (Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Piauí), que juntos, somam 12,1GW em capacidade instalada – a petroleira já possuía outros 9GW em três projetos de eólicas offshore em licenciamento;
  • No internacional, (i) segundo estudo da Agência Internacional de Energia, apenas 7% dos projetos de hidrogênio verde anunciados no mundo devem estar em operação até 2030 – além disso, o relatório mostra que a capacidade de energia renovável dedicada à produção de combustível à base de hidrogênio deve aumentar somente 45GW entre 2023 e 2028, sobretudo frente à lentidão na decisão dos investidores em concretizar as iniciativas e em custos de produção mais elevados; e (ii) as vendas de fundos mútuos climáticos caíram 75% em dois anos, à medida em que o mercado se debate com desafios que vão desde as elevadas taxas de juros ao fraco desempenho e a uma campanha política dos EUA contra o “woke investment” – esses fundos atraíram US$37,8 bilhões de novos investidores em 2023 (vs. o recorde de US$151 bilhões em 2021), de acordo com a Morningstar;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG. 

Nova Política Industrial no Brasil; BNDES destina recursos na agenda verde; Emissões de dívida ESG em alta | Brunch com ESG 

  • Pensando em melhor auxiliar os investidores, o Brunch com ESG é um relatório publicado pelo time ESG do Research da XP que busca destacar os principais tópicos da agenda na semana;
  • Na última semana, destacamos: (i) Nova política industrial destaca sustentabilidade e agenda de transição energética; e (ii) BNDES destina recursos para a sustentabilidade; Biocombustíveis em destaque; (iii) Mercado global de dívida ESG deve se recuperar em 2024, segundo Fitch;
  • Clique aqui para ler o conteúdo completo.  

Simpar (SIMH3): Destaques da reunião com CFO e RI; Desbravando oportunidades

  • Esta semana, o time de Research ESG da XP se reuniu com o CFO da Simpar, Sr. Denys Ferrez, e o Gerente de Relações com Investidores, Sr. Paulo Prado, durante a Conferência de Infraestrutura da XP;
  • As principais mensagens transmitidas na agenda ESG foram: (i) gerando valor ESG via concessões de gestão de resíduos (…); (ii) (…) ao mesmo tempo em que adiciona uma estratégia de geração de crédito de carbono; (iii) desbloqueando valor por meio do sustainability linked bond emitido em 2021; e (iv) avançando com melhorias na governança corporativa;
  • De forma geral, a reunião mostrou o posicionamento estratégico da Simpar na agenda ESG, com oportunidades importantes no horizonte;
  • Temos uma recomendação de Compra para a SIMH3, com preço-alvo de R$18,40/ação;
  • Clique aqui para ler o conteúdo completo.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.