Semana com cenário político em foco; no exterior, destaque para dados de inflação e atividade

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Clique para ouvir

IBOVESPA -0,9% | 114.286 Pontos

CÂMBIO +0,9% | 5,25/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Nessa semana que começa, o cenário político continuará no radar, e indicadores importantes serão divulgações. No Brasil, em meio ao ambiente ainda turbulento, o foco se volta para a discussão de precatórios no Congresso. Entre os indicadores econômicos, destaque para o IBC-Br, proxy mensal do PIB do Banco Central, e a Pesquisa Mensal de Serviços. De destaques internacionais, teremos a divulgação da inflação ao consumidor nos EUA, que deverá calibrar as expectativas sobre a remoção de estímulos monetários. Teremos também a divulgação de dados de atividade econômica na China, e a inflação na Zona do Euro.

A semana passada foi marcada pelas manifestações do dia 7 de setembro, na qual discursos do presidente Bolsonaro elevaram as tensões entre os poderes constitucionais. No dia após o feriado, o Ibovespa registrou uma queda de -3,8%, perdas que foram parcialmente recuperadas depois da nota do presidente em um tom mais conciliador levando o índice brasileiro a fechar a semana com uma queda de -2,3% aos 114.286 pontos. Além disso, destacou-se a divulgação da inflação medida pelo IPCA, que veio acima das expectativas em 9,68% no acumulado de 12 meses. Enquanto isso, o Dólar fechou a semana com uma alta de +1,04% em relação ao Real, em R$ 5,25/USD. E no mercado de juros, as taxas futuras de juros avançaram na semana por toda a estrutura da curva repercutindo a escalada dos riscos políticos e a divulgação da inflação acima das expectativas.

Hoje, as Bolsas internacionais amanhecem positivas (EUA +0,5% e Europa +0,4%) ao passo que casos da variante Delta do coronavírus desaceleram nos EUA: a média de 7 dias atual está em 136 mil em comparação aos 150 mil registrados no final de agosto. Além disso, investidores agora aguardam os dados da inflação americana a serem divulgados nesta terça-feira, na qual o consenso espera uma alta de +5,3% em agosto. Na China (-0,4%), o setor de veículos elétricos registrou queda após pronunciamento do ministro Xiao Yaqing afirmando a necessidade de consolidação na indústria em virtude do seu grande número de empresas. O Alibaba caiu -4,2% após sinalização do governo em separar o Alipay, forçando a criação de um novo aplicativo de empréstimos. O petróleo (+1,3%) sobe na medida em que preocupações com a produção nos EUA continuam após o furacão Ida.

Em política internacional, o Senado americano retorna às atividades nesta segunda-feira (13). Um número de comissões tem agenda cheia e devem detalhar mais detalhes sobre o texto do Plano das Famílias Americanas até quarta-feira. Apesar da resistência de moderados, lideranças continuam pressionando para avançar com o valor de USD 3.5 trilhões, conforme defendido pelo ala mais à esquerda do partido. Vale lembrar que serão necessários 100% dos 50 votos democratas (mais o voto especial da vice-presidente Kamala Harris) para aprovar a iniciativa.

Por último, publicamos um e-book especial Navegando águas incertas: onde investir em tempos voláteis para ajudá-lo a investir em tempos de alta volatilidade causada por riscos riscais e políticos, que trazem incertezas, mas também oportunidades. Veja nesse link.

Tópicos do dia

Economia

  1. A inflação determinará o ritmo da redução monetária nos mercados desenvolvidos. Em EM, muitos bancos centrais já estão aumentando as taxas. No Brasil, o foco volta para a discussão de precatórios no Congresso
  2. Boletim FOCUS

Política

  1. Senado americano retorna às atividades nesta segunda-feira
  2. A menos de duas semanas da eleição alemã, Olaf Scholz se posiciona como claro favorito

Empresas

  1. Navegando águas incertas: onde investir em tempos voláteis
  2. Atualização de notícias sobre a proposta de fusão entre Localiza+Unidas
  3. Notícias Diárias do Setor Financeiro
  4. Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional
  5. Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias de hoje do setor

Internacional

  1. Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Apple vs. Epic

ESG

  1. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 13/09

Veja todos os detalhes

Economia

A inflação determinará o ritmo da redução monetária nos mercados desenvolvidos. Em EM, muitos bancos centrais já estão aumentando as taxas. No Brasil, o foco volta para a discussão de precatórios no Congresso

  • O principal indicador econômico esta semana é o IPC de agosto dos EUA, que sai amanhã. É um elemento-chave para definir o ritmo da redução monetária do Fed. Esperamos que o Fed anuncie um calendário de redução gradual dos estímulos em sua próxima reunião de política monetária, na semana que vem;
  • Esta semana também serão divulgados a inflação ao consumidor na França, Itália e Reino Unido. Na semana passada, o BCE reduziu o ritmo de seu programa de compra de ativos. As expectativas de inflação a termo de cinco anos na Área do Euro atingiram 1,8% nesta manhã, o nível mais alto desde 2017;
  • A inflação e as expectativas de inflação também estão em alta nos mercados emergentes. Muitos bancos centrais já estão aumentando as taxas de juros, como Brasil, Rússia, Chile, Peru e República Tcheca;
  • No Brasil, em meio ao ambiente político ainda turbulento, o foco se volta para a discussão de precatórios no Congresso. Segundo notícias da Bloomberg, a equipe econômica quer negociar um limite anual para esses pagamentos – que aumentaram 80% frente ao ano passado – para resolver  o impasse no orçamento de 2022. Proposta, que estava em negociação com o STF, seria incluída em projeto de lei que já tramita na Câmara dos Deputados.

Boletim FOCUSData de Referência: 10/09/21

  • Destaque: Expectativas para Inflação e Taxa Selic seguem em elevação, enquanto as projeções para o PIB continuam em queda;
  • A mediana das projeções do mercado para a variação do IPCA em 2021 segue em trajetória de alta, variando de 7,58% na semana passada para 8,00% na divulgação de hoje (estava em 7,05% há quatro semanas). No mesmo sentido, o consenso para o IPCA de 2022 registrou elevação de 3,95% para 4,03% (3,90% há 1 mês), ficando ainda mais distante da meta estabelecida para o próximo ano (3,50%). Com base em atualizações nos últimos 5 dias úteis, a previsão para o IPCA de 2021 ascendeu de 7,76% para 8,20%, enquanto a mediana para 2022 também subiu, de 3,98% para 4,10%;
  • Por sua vez, a expectativa do mercado para o crescimento real do PIB em 2021 segue recuando, ao variar de 5,15% para 5,04% (estava em 5,28% há 4 semanas). Para o PIB de 2022, por sua vez, a previsão saiu de 1,93% e caiu para 1,72% (estava em 2,04% há 1 mês);   
  • As medianas das expectativas para a taxa Selic permaneceram em tendência altista. Para o final de 2021, elevação de 7,63% para 8,00% (7,50% há 4 semanas); para o final de 2022, aumento de 7,75% a.a. para 8,00% a.a. (estava em 7,50% a.a. há 4 semanas);
  • Por fim, a projeção do mercado para a taxa de câmbio no final de 2021 continua a subir, de R$/US$ 5,17 na semana passada para R$/US$ 5,20 na publicação de hoje. Para o final de 2022, a mediana das expectativas permanece estável em R$/US$ 5,20.

Política

Senado americano retorna às atividades nesta segunda-feira

  • Na seara internacional, o Senado americano retorna às atividades nesta segunda-feira (13). Um número de comissões tem agenda cheia e devem detalhar mais detalhes sobre o texto do Plano das Famílias Americanas até quarta-feira. Apesar da resistência de moderados, lideranças continuam pressionando para avançar com o valor de USD 3.5 trilhões, conforme defendido pelo ala mais à esquerda do partido;
  • Vale lembrar que serão necessários 100% dos 50 votos democratas (mais o voto especial da vice-presidente Kamala Harris) para aprovar a iniciativa;

A menos de duas semanas da eleição alemã, Olaf Scholz se posiciona como claro favorito

  • No lado das eleições alemãs, o partido de centro-esquerda SPD se mantém na liderança das pesquisas e amplia a margem sobre o CDU/CSU de Angela Merkel para 4% (25% a 21%), segundo o agregador Politico. Os partidos são seguidos pelos Verdes (16%), FDP (12%), AfD (11%) e Die Line/Esquerda (6%). A menos de duas semanas da eleição, Olaf Scholz se posiciona como claro favorito.  

Empresas

Navegando águas incertas: onde investir em tempos voláteis

  • Enquanto os mercados mundiais se recuperam, alguns deles praticamente em linha reta e com pouca volatilidade, como é o caso dos Estados Unidos, a Bolsa brasileira amarga queda de 4,2% até agora no ano em reais e 6,6% em dólares, mesmo diante de um cenário micro favorável às empresas. Por falar em dólar, o real já desvalorizou 2,4% em relação à moeda americana em 2021;
  • Na frente política, um clima de tensão entre os poderes toma conta do noticiário. O desentendimento entre Executivo, Judiciário e Legislativo também dificulta a resolução de questões econômicas (como o imbróglio dos precatórios e o avanço de reformas e privatizações no Congresso) e agrava o risco fiscal, que já era alto, e faz disparar os juros futuros e os prêmios da Renda Fixa;
  • Nesse caso, há chances de que o aumento da tensão do clima político não se dissipe rapidamente, uma vez que as eleições presidenciais se aproximam, e historicamente carregam consigo mais volatilidade para as bolsas;
  • Mas, mesmo se estivéssemos diante de um cenário temporário, a verdade é que as crises seguirão acontecendo, e sempre serão pouco previsíveis. Não existe a possibilidade de investir de maneiras completamente diferentes em períodos de tempestade e de calmaria: é necessário ter um portfólio constantemente preparado para as tempestades;
  • O momento é de ter cautela, mas não de tomar decisões precipitadas. Mantenha o foco e confie em um portfólio diversificado, que possa garantir maior tranquilidade para conseguir levar o barco devagar e aproveitar as oportunidades trazidas pelo mar mais agitado. Neste ebook especial, você aprende como fazer isso;
  • Veja aqui o link para o e-book completo.

Atualização de notícias sobre a proposta de fusão entre Localiza+Unidas

  • Na última terça-feira, a superintendência geral do CADE (órgão técnico do Conselho Antitruste do Brasil) recomendou oficialmente a aprovação da proposta de fusão da Localiza-Unidas mediante a assinatura de um acordo de concentração (incluindo remédios). Vimos esta notícia como positiva para RENT3 e LCAM3, uma vez que as soluções pareciam razoáveis ​​para nós (embora ainda não devessem ser totalmente devidas);
    • Constatamos que o mercado também fez uma leitura positiva desta notícia com as ações superando o IBOV de forma significativa na quarta-feira (RENT3 + 8%, Unidas + 7%, vs. IBOV -4%).
  • Após o anúncio positivo, no entanto, a mídia relatou possíveis próximos passos com um tom negativo, sugerindo que a decisão judicial final do CADE poderia aumentar a severidade dos remédios para finalmente aprovar a fusão proposta;
    • As ações sofreram no final da semana (ainda superando o IBOV desde as notícias positivas de terça-feira).
  • Reiteramos nossa visão positiva tanto das ações da RENT3 + LCAM3 (e do setor de aluguel de carros), pois continuamos acreditando que as sinergias potenciais do negócio (XPe = R $ 7,8 bilhões) ainda não foram precificadas pelo mercado;
    • Além disso, receberíamos notícias da mídia com cautela, pois observamos que a grande maioria das notícias tem sido negativa (embora a evolução do CADE tenha sido mais positiva, embora a decisão final já tenha sido tomada).
  • Veja aqui o relatório completo.

Notícias Diárias do Setor Financeiro

  • Acesse este relatório com notícias do setor financeiro que complementam nossos comentários publicados no Morning Call, mas que não consideramos relevantes o suficiente para serem analisadas. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

  • Nesta publicação diária, trazemos as principais notícias do setor de varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.) nacional e internacional, complementando nossa visão sobre as tendências e acontecimentos mais importantes do dia. Além disso, o relatório contém um resumo dos múltiplos e recomendações para as empresas de nossa cobertura;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias de hoje do setor

  • Quais tópicos costumamos abordar? Notícias relevantes para os segmentos de proteínas (bovina, suína e frango); açúcar & etanol; milho e soja; exportações brasileiras; dentre outras. Confira os destaques de hoje:
    • Surging Chinese fish prices stir up food supplies (Reuters)
    • Bigger Grain Stockpiles Signal Relief for Global Food Inflation (Bloomberg)
    • Em nova safra de soja, clima volta a concentrar atenções (Valor)
  • Clique aqui para acessar o relatório completo: Clipping XP Agro, Alimentos e Bebidas.

Internacional

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Apple vs. Epic

  • Apple perdeu processo contra Epic Games e permitirá que aplicativos redirecionem usuários para outras opções de pagamento além da App Store;
  • Amazon anunciou o lançamento de aparelhos de TV;
  • General Motors afirma que o impacto da escassez de chips será mais intenso do que o planejado anteriormente;
  • A rápida digitalização econômica da China causou forte transformação no setor de tecnologia, mídia e telecomunicações;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

ESG

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam |13/09

  • Na sexta-feira o mercado operou levemente negativo, com o Ibov encerrando o pregão em queda de -0,9% e o ISE de -0,6%. Na semana, o Ibov recuou -3%, enquanto o ISE segurou parte das perdas, caindo -2%;
  • No Brasil, a B3 se prepara para uma emissão externa de dívida que conta com metas de diversidade, reforçando a tendência de títulos ESG, e contará com dois compromissos: (i) um da porta para dentro: ter 35% de mulheres em cargos de liderança até dezembro de 2026 (vs. 27,2% no fim de 2020); e (ii) um para estimular maior equidade da porta para fora: criação de um índice de diversidade até o fim de 2024;
  • No internacional, (i) os preços globais dos painéis solares subiram +16% neste ano, em grande parte devido ao aumento dos custos do polissilício e da prata, o que, segundo a Rystad, pode ameaçar tornar mais lenta a transição para as energias limpas, necessária para conter as mudanças climáticas; e (ii) a universidade de Harvard anunciou que não vai mais investir em combustíveis fósseis, colocando os US$ 42 bilhões de seu endowment, um dos maiores e mais tradicionais do mundo, em linha com grandes gestoras que estão pulando fora de indústrias poluentes. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.