XP Expert

Recomendações para abril e produção industrial brasileira em destaque na semana

ISM nos EUA e PMI das economias são alguns dos temas de maior destaque nesta segunda-feira, 01/04/2024

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Ouça no Spreaker


IBOVESPA +0,33% | 128.106 Pontos

CÂMBIO +0,74% | 5,02/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

O Ibovespa fechou a semana passada em alta de 0,8% em reais e 0,6% em dólares, aos 128.106 pontos. Porém, o índice teve performance de -0,7% em março e -4,5% no trimestre, ambos em reais, abaixo do desempenho dos mercados globais, que tiveram mais um mês positivo e sobem 7,7% no ano.

Na semana, as maiores altas da Bolsa brasileira foram São Martinho (SMTO3; +9,3%), que subiu após anúncio do programa de recompra de ações, e 3R Petroleum (RRRP3; +9,1%), seguindo a alta de +2,4% no Brent.

Já as maiores quedas foram Petz (PETZ3; -11,9%), impactada por movimento técnico, e CVC (CVCB3; -11,0%), que reportou resultados fracos no 4T23. Clique aqui para acessar o Resumo Semanal da Bolsa.

No Raio XP deste mês, mantivemos nosso valor justo para o Ibovespa em 149 mil pontos, e fizemos várias mudanças em nossas Carteiras recomendadas XP para abril. Confira aqui.

Renda Fixa

No comparativo semanal, a curva de juros encerrou em alta, principalmente do miolo em diante. O diferencial entre os contratos com vencimento em janeiro 2026 e 2034 saiu de 96,5 pontos-base na sexta-feira passada para 101,0 pontos nesta semana. A curva, portanto, apresentou aumento de inclinação. O movimento acompanhou a maior volatilidade das Treasuries ao longo da semana, com os agentes ainda à espera de confirmações sobre o início do ciclo de cortes de juros nos EUA. DI jan/25 fechou em 9,92% (-1,6bps no comparativo semanal); DI jan/27 em 10,16% (7,2bps); DI jan/29 em 10,67% (10,2bps); DI jan/33 em 11,04% (11,6bps); DI jan/37 em 11,06% (7bps).

Mercados globais

Nesta segunda-feira, os mercados operam em alta nos Estados Unidos (S&P 500: 0,4%; Nasdaq 100: 0,5%), após divulgação no feriado do deflator PCE, medida de inflação preferida pelo Federal Reserve, que veio em linha com as expectativas. Ao longo dessa semana, serão divulgados importantes indicadores de emprego nos EUA referentes a março.

Na Europa, os mercados operam em alta (Stoxx 600: 0,2%). Na China, os índices fecharam em alta (HSI: 0,9%, CSI 300: 1,7%), após dados de índices de gerentes de compras (PMI) da indústria mais fortes que o esperado.

Economia

Nos Estados Unidos, o resultado de inflação na sexta alimentou as expectativas de cortes de juros. O resultado ficou em linha com o esperado, e com uma composição favorável. A inflação de serviços, a preocupação maior do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), parece estar recuando. Os números do mercado de trabalho esta semana serão fundamentais. Um resultado fraco consolidaria as apostas de que o Fed irá realizar o seu primeiro corte de juros em junho.

A atividade industrial da China em março expandiu-se pelo seu ritmo mais forte em mais de um ano. O índice de gerentes de compras (PMI) do setor industrial Caixin/S&P Global China foi de 51,1 em março – o mais forte desde fevereiro de 2023 – depois de ter atingido 50,9 em fevereiro.

No Brasil, a produção industrial sai na quarta-feira. Serão os primeiros dados de atividade econômica de fevereiro, depois de um conjunto muito forte de indicadores de janeiro. Além disso, os investidores estarão atentos às discussões no Congresso que possam afetar o equilíbrio fiscal, em especial os temas constantes da Medida Provisória 1.202 editada pelo governo no final do ano passado.

Veja todos os detalhes

Economia

Resultado de inflação benigna na sexta alimenta as expectativas de cortes de juros nos EUA. Os números do mercado de trabalho esta semana serão fundamentais

Divulgado na sexta-feira passada, o núcleo do deflator dos gastos de consumo nos EUA (deflator PCE) – o indicador de inflação preferido do Fed, o banco central local – aumentou 0,26% em fevereiro, em linha com as expectativas (consenso: 0,3%). A variação anual recuou para 2,78% em fevereiro, ante 2,88% em janeiro. Entre seus componentes, o índice de bens aumentou ​​0,49% m/m, depois de ter registado quatro leituras negativas consecutivas -e, portanto, não representa grande problema. Já o índice de serviços – que tem sido a principal fonte de preocupação do Fed – ficou em 0,26%, desacelerando de 0,65% no mês passado. Sua taxa anual caiu de 3,95% para 3,80%. O resultado relativamente benigno da inflação levou os mercados a acreditar que o Fed poderá iniciar um ciclo de cortes de juros já em Junho;

O destaque desta semana serão os números do mercado de trabalho dos EUA de março, na sexta-feira. Um resultado fraco consolidaria as apostas de que o Fed irá realizar o seu primeiro corte de juros em Junho. A Pesquisa ISM de Manufatura (hoje) e de Serviços (quarta-feira) também será importante para ajudar os analistas de mercado a avaliar quão fortes estão a demanda interna e as pressões de custos no país;

A atividade industrial da China em março expandiu-se pelo seu ritmo mais forte em mais de um ano. O índice de gerentes de compras (PMI) do setor industrial Caixin/S&P Global China foi de 51,1 em março – o mais forte desde fevereiro de 2023 – depois de ter atingido 50,9 em fevereiro. Os economistas esperavam 51, de acordo com uma pesquisa da Reuters. A marca de 50 pontos separa expansão de contração. A economia chinesa parece estar finalmente reagindo aos estímulos fiscais e monetários fornecidos pelo governo nos últimos trimestres;

A Bolsa dos EUA e os preços do petróleo estão positivos esta manhã, enquanto do ouro atingiu a máxima histórica, como resposta às expectativas de taxas de juros mais baixas nos EUA e de um crescimento mais forte na China;

Semana será movimentada no calendário de política monetária da América Latina. As atas de decisão política monetária serão divulgadas na Colômbia (hoje) e no México (quinta-feira), enquanto o banco central chileno realiza sua reunião política na terça-feira. A inflação de preços ao consumidor de março na Colômbia será publicada na sexta-feira;

No Brasil, a produção industrial sai na quarta-feira. Serão os primeiros dados de atividade econômica de fevereiro, depois de um conjunto muito forte de indicadores de Janeiro. Além disso, os investidores estarão atentos às discussões no Congresso que possam afetar o equilíbrio fiscal, em especial os temas constantes da Medida Provisória 1.202 editada pelo governo no final do ano passado.


Commodities

Data Expert | Oferta e Demanda de Grãos Brasil: Milho | Soja | Farelo | Óleo – Mar/24

  • Preços de milho ainda não refletem nosso otimismo com a safrinha. Com fortes chuvas no radar, o prêmio de risco climático deve diminuir e exportadores vão capitalizar. Nos níveis atuais, o milho já proporciona margens positivas para o mercado doméstico, etanol e ração;
  • Embora a Seara (JBS) ainda esteja atrasada devido a gargalos internos, achamos que a BRF é quem mais deve se beneficiar dos preços mais baixos do milho. Modelamos COGs/kg diminuindo a um dígito baixo A/A no 2S23, mas o desenvolvimento positivo da safrinha poderia levar a um EBITDA ajustado e FCFE acima do esperado;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Empresas

Cruzeiro do Sul (CSED3) – 4T23: Resultados positivos, com crescimento sólido e expansão de margem

  • A Cruzeiro do Sul (CSED3) apresentou resultados positivos no 4T23, com um lucro líquido ajustado de R$11 milhões:
    • A receita aumentou 14,8% A/A, impulsionada pelos fortes ciclos de captações e taxas de retenção ao longo do ano, em conjunto com a estabilidade do ticket médio;
    • A margem EBITDA ajustada aumentou 1,9 p.p. A/A, principalmente devido à base de comparação fraca de dissídios, eficiências com pessoal e melhorias na PDD, sendo parcialmente compensadas por pagamentos de polos e despesas com marketing;
    • O lucro líquido continua a ser pressionado pelas despesas financeiras, dado que a empresa encerrou o ano com uma alavancagem ajustada de 3,0x.
  • O resultado reforça nossa visão positiva em relação ao setor e à empresa e, portanto, reiteramos nossa recomendação de Compra para a ação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Hapvida (HAPV3) – 4T23: Resultados positivos, mas amplamente esperados

  • A Hapvida (HAPV3) reportou resultados positivos no 4T23, com um Lucro Líquido Ajustado XP de R$172 milhões:
    • A receita líquida aumentou 6,7% A/A, uma vez que a empresa continua a promover a rentabilidade em detrimento do crescimento de volume, melhorando a qualidade do portfólio de planos de saúde para reduzir a sinistralidade, em 69,3% (-3,6 p.p. A/A; -2,6 p.p. T/T);
    • Além disso, em relação às despesas, a empresa continua a colher sinergias da aquisição do GNDI;
    • A margem EBITDA ajustada XP aumentou 5,9 p.p. A/A (+3,5 p.p. T/T) como resultado das melhorias na sinistralidade e nas despesas, e esperamos que as melhorias na sinistralidade e nas despesas aumentem ainda mais as margens nos próximos trimestres;
    • A alavancagem permanece alta, em 3,5x o EBITDA Adj. XP, embora notemos que ela está diminuindo rapidamente.
  • Embora vejamos os resultados de forma positiva, acreditamos que eles já eram amplamente esperados pelo mercado;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Utilities: Resultado do Leilão de Transmissão 01/2024; A Eletrobras está de volta ao jogo

  • O leilão de transmissão 01/2024 realizado hoje encerrou com um deságio médio sobre a receita anual permitida (RAP) de 37,4%;
  • Os principais players desse leilão foram Eletrobras, EDP e Fundo Warehouse, que juntos arremataram 10 dos 15 blocos ofertados;
  • Outros nomes listados, Alupar e Energisa, também foram vencedores;
  • O retorno da Eletrobras foi o principal destaque, o que parece alinhado com a estratégia da companhia;
  • O principal desafio é otimizá-los para alcançar uma TIR acertiva;
  • Para a Alupar, a aquisição é mais uma de uma série de projetos obtidos recentemente no Brasil e na América do Sul, que podem se beneficiar de sinergias entre eles, que parecem facilitar o trabalho de geração de valor;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Papel e Celulose: Mercado de celulose segue forte no curto prazo; Futuros para mai’24 a US$697/t

  • Nesta semana, observamos:
    • (i) Mensagem positiva em relação ao mercado de celulose após a Shanghai Pulp Week;
    • (ii) Os estoques portuários de celulose da Europa diminuíram 10% em fev’24;
    • (iii) o desempenho preliminar da Suzano no 1T24E de +12% T/T, enquanto a receita da Klabin deve aumentar 9% T/T e Irani estável T/T;
    • (iv) Os futuros chineses da BHKP estão atualmente em US$ 697/t para mai’24 (+6% S/S) e ligeiramente acima dos preços spot da BHKP de US$ 695/t na China e, finalmente,
    • (v) A Suzano está sendo negociada a 6,0x EV/EBITDA a termo quando excluído Cerrado, um desconto de 14% quando comparado à sua média histórica de 7,0x e 1% de desconto em relação aos players de celulose de mercado.
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Ambipar (AMBP3): Resultados do 4T23; Gerando crescimento orgânico

  • Os resultados da Ambipar no 4T23 superaram nossas expectativas;
  • Environment teve uma expansão impressionante da margem EBITDA A/A, atribuída principalmente à sinergia operacional e substituição de contratos;
  • Por outro lado, Response teve uma redução de 1,7% na margem EBITDA A/A devido ao aumento de +16,6% nas linhas de custos;
  • O Capex diminuiu de 16,8% no 3T23 para 12,2% da receita líquida;
  • Mantemos nossa recomendação de Compra na Ambipar com preço alvo de R$ 33/ação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Azul (AZUL4): 4T23 – Sólido Desempenho Operacional; Guidance Positivo para 2024

  • A Azul reportou resultados operacionais positivos no 4T23, com EBITDA reportado de R$ 1,5 bilhão (+34% A/A);
  • Destaques positivos:
    • Demanda recuperada (RPKs +9% A/A);
    • Melhor ambiente de rentabilidade (+4% A/A). ); e
    • Aumento do fator de utilização (+1,9p.p. A/A).
  • Por outro lado, notamos maior pressão de CASK (+9% T/T), decorrente principalmente do aumento nos preços dos combustíveis (CASK Fuel +15% T/T).
  • Guidance revisto para 2024, implicando perspectivas ligeiramente melhores no médio prazo.
  • Reiteramos nossa classificação Neutra.
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Mater Dei (MATD3) – 4T23: Resultados ligeiramente negativos, alavancagem permanece alta

  • A Mater Dei (MATD3) reportou resultados ligeiramente negativos no 4T23, com um lucro líquido ajustado de R$46 milhões:
    • A receita aumentou 5,7% A/A (-4,8% T/T), principalmente devido a um aumento nos volumes e no ticket médio, em função de mix e aumentos de preços;
    • Adicionalmente, notamos um aumento T/T das glosas em relação à receita bruta durante o trimestre;
    • A margem EBITDA diminuiu 3,0 p.p. A/A (-3,4 p.p. T/T), principalmente devido aos impactos de maiores custos com serviços médicos, manutenção e outros;
    • A alavancagem ajustada continua alta, a 3,1x o EBITDA ajustado 12m.
  • Embora a empresa tenha registrado melhorias na receita, vemos a dinâmica do mercado, a deterioração da margem e a alavancagem como pontos de preocupação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

DASA (DASA3) – 4T23: Resultados negativos, com a alavancagem como principal preocupação

  • A DASA apresentou resultados negativos no 4T23, com um prejuízo líquido ajustado de R$ 517 milhões:
    • A empresa divulgou uma série de ajustes com o objetivo de esclarecer a situação atual da operação;
    • A receita aumentou 1,2% A/A, impulsionada pela leve melhora da receita da BU1, combinada com a receita estável da BU2;
    • O EBITDA ajustado diminuiu 1,2 p.p. A/A, uma vez que a queda na margem bruta ajustada da BU1 foi parcialmente compensada por uma melhora nas despesas-caixa ajustadas;
    • A alavancagem permanece em um nível preocupante, de 5,6x EBITDA ajustado 12m, comprometendo os resultados operacionais da empresa com despesas financeiras.
  • Estamos cada vez mais céticos em relação à ação, especialmente devido à forte compressão da margem na BU1 e ao endividamento da empresa;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Pix dá novo fôlego a boleto como opção de pagamento de contas (Valor);
    • Estrangeiros sacam R$ 23,6 bilhões da bolsa no ano (Valor);
    • Corretora do Banco do Brasil nos EUA terá novo CEO (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Shein vê seus lucros dobrarem e superarem US$ 2 bi à espera da abertura de capital ( O Globo);
    • Conselho da Natura &Co aprova distribuição de R$ 44,8 milhões em juros sobre capital próprio (Valor Econômico);
    • Presidente do conselho da Arezzo renuncia (Uol);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Bebidas
      • Como a Ambev busca o ‘erro da descoberta’ (Valor);
      • Regulamentação da reforma tributária opõe fabricantes de cervejas e destilados (Valor).
    • Alimentos
      • Governo autoriza renegociação de dívidas de produtores rurais que vencem este ano (Notícias Agrícolas);
      • Aqua Capital levanta US$ 450 milhões em novo fundo (TheAgriBiz).
    • Agro
      • Marfrig planeja investir até R$ 2 bilhões em gado próprio no Brasil (Globo Rural);
      • Casos raros de gripe aviária em bovinos preocupam pecuaristas nos EUA (AviSite).
    • Biocombustíveis
      • Nova fábrica de etanol e farelo vai adicionar R$ 1,5 bilhão no faturamento da Be8 (AgFeed);
      • ANP divulga metas definitivas das distribuidoras para o RenovaBio em 2024 (Nova Cana).
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Saúde: XP Daily | Sua dose diária de notícias
    • Em breve.
  • XP Daily: As principais notícias do setor Imobiliário
    • Construtoras se dão bem com reformulação do Minha Casa Minha Vida  (IstoÉ);
    • Uso de dinheiro de construtoras para prefeitura mudar bairros em SP dá sinais de esgotamento (O Globo);
    • Mudança de regra derruba emissões de LCI e LCA e aumenta de CRAs e CRIs (Folha);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Leilão de energia termina com oito vencedores e deságio médio passa de 40% (Valor Econômico);
    • MP das Renováveis ressurge com plano de redução de tarifa em 3,5% (Valor Econômico);
    • Privatização da Sabesp: Veja os principais pontos e os próximos passos do projeto do governo paulista (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Estratégia

Raio-XP: Brasil começa o 1º trimestre de 2024 para trás…o que está acontecendo?

  • O Ibovespa teve mais um mês negativo, caindo 0,7% em reais e 1,4% em dólares em março. Em 2024, o índice acumula perdas de 7,4% em dólares. Porém, os mercados globais tiveram seu melhor 1º tri desde 2019, subindo 7,7%, com o desempenho positivo de tech expandindo para outros setores;
  • Já o Brasil foi afetado pelo micro ainda desafiador, com uma temporada de resultados do 4T23 não tão positiva e nomes grandes do índice pressionados por ruídos políticos;
  • Neste relatório analisamos:
    • (i) as melhoras de qualidade no índice MSCI Brasil ao longo dos anos;
    • (ii) o Brasil comparado a outras alternativas relevantes em mercados emergentes: México e Índia;
    • (iii) o posicionamento em cíclicos domésticos, com resultados começando a melhorar enquanto preços estão para trás.
  • Mantemos nosso valor justo para o Ibovespa em 149k pontos, e fizemos várias mudanças em nossas Carteiras recomendadas XP para abril.
  • Clique aqui para acessar o relatório

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Companies rush to issue bonds to forestall market volatility ahead of US election (Financial Times);
  • Demanda alta provoca queda de taxa de título brasileiro no exterior (Valor);
  • Arteris apresenta a investidores oferta de R$ 1 bilhão em debêntures  (Valor);
  • Fitch Eleva Ratings da Natura para ‘BB+’/‘AAA(bra)’; Perspectiva Estável (Fitch);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Menos voláteis, FIIs fecham 1º Tri no azul enquanto ações caem; o que explica? (InfoMoney);
    • Após maior dividendo em 7 meses, FII HCTR11 sobe 21% e tem melhor desempenho de março (InfoMoney);
    • HGBL11 anuncia nova oferta para captação de R$ 375 milhões; veja quem pode participar (FIIs);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Petrobras (PETR4) avança em pesquisas na Margem Equatorial | Café com ESG, 01/04

  • Na semana passada, o Ibovespa e o ISE registraram alta de 0,85% e 0,33%, respectivamente. Já o pregão de sexta-feira terminou em território misto, com o IBOV em alta de 0,32% e o ISE em queda de 0,14%;
  • Do lado das empresas, a Petrobras afirma que os estudos na bacia da Foz do Amazonas, na Margem Equatorial, com a publicação de resultados preliminares da comunidade científica, têm se confirmado – segundo a estatal, as modelagens apontam que as correntes marítimas naquela região seguem em sentido contrário à costa brasileira, o que pode facilitar a concessão da licença de exploração pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama);
  • Na política, (i) a Prefeitura de Maricá, município do Rio de Janeiro, assinou memorando de parceria com empresas privadas do Brasil e da França interessadas na produção de ônibus híbridos elétrico-hidrogênio desenvolvidos e financiados pelo município – o acordo, com a francesa HYFIT e a brasileira Ydrogênio, foi celebrado durante o 8º Fórum Econômico Brasil-França; e (ii) o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) assinaram um acordo para captar cerca de R$ 1 bilhão (200 milhões de euros), com o recurso destinado a financiamentos de projetos verdes e de infraestrutura sustentável na Amazônia Legal e nas regiões Norte e Nordeste;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG. 

Governança em destaque: VIVA3 e ASAI3 passam por mudanças | Brunch com ESG 

  • Pensando em melhor auxiliar os investidores, o Brunch com ESG é um relatório publicado pelo time ESG do Research da XP que busca destacar os principais tópicos da agenda na semana;
  • Nesta edição, destacamos: (i) Vivara (VIVA3) muda novamente o CEO; Reorganização positiva; e (ii) Assaí (ASAI3) anuncia novo plano de remuneração da companhia;
  • Clique aqui para ler o conteúdo completo.  

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.