XP Expert

Política monetária na Inglaterra e PMIs encerram semana de importantes dados econômicos

Taxa de juros na Inglaterra e PMIs na Europa e EUA são alguns dos temas de maior destaque nesta sexta-feira, 21/06/2024

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Ouça no Spreaker


IBOVESPA +0,15% | 120.446 Pontos

CÂMBIO +0,39% | 5,46/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

Na quinta-feira, o Ibovespa fechou em alta de 0,2%, aos 120.446 pontos, com os investidores digerindo a decisão do Copom, da manutenção da taxa Selic em 10,5% ao ano, com unanimidade. O comunicado destacou a incerteza no cenário macroeconômico global, enquanto o panorama doméstico segue marcado por atividade econômica sólida, elevação das projeções de inflação e desancoragem das expectativas, requerendo maior cautela.

O principal destaque positivo da sessão foi a PetroRecôncavo (RECV3, +4,9%), devido a um movimento técnico de recuperação. A ação sobe 6,8% nos últimos 2 dias, e vinha de uma queda de 16,8% desde o começo do mês. Já o principal destaque negativo foi a Azul (AZUL4, -4,1%), continuando o momento negativo do papel, caindo 18,4% em junho até o momento.

Para o pregão de sexta-feira, teremos as prévias de PMIs de manufatura e serviços nos EUA e na Zona do Euro, ambas referentes ao mês de junho.

Renda Fixa

Os juros futuros encerraram a sessão de quinta-feira (20) com fechamento nos vértices curtos e intermediários, e abertura nos longos. Com a decisão unânime de manutenção da taxa Selic por parte do Copom, o mercado logo passou a reduzir a precificação de risco nos ativos locais. No entanto, preocupações com a trajetória fiscal do Brasil, e com a mudança no comando do Banco Central, acabaram por mitigar esse movimento. Nos EUA, o tom mais restritivo do presidente do Federal Reserve de Minneapolis em discurso, aumentou o sentimento de aversão ao risco por parte dos investidores, afetando o câmbio, que subiu para R$ 5,46/US$. Por lá, os rendimentos das Treasuries – títulos soberanos americanos – de 2 anos fecharam em 4,70% (+1,0bps) e as de 10 anos em 4,25% (+3,0bps). DI jan/25 fechou em 10,62% (queda de 9bps vs. pregão anterior); DI jan/26 em 11,23% (queda de 12bps); DI jan/27 em 11,6% (queda de 7bps); DI jan/29 em 12,03% (estável, 0bps); DI jan/33 em 12,17% (alta de 10bps).

Mercados globais

Nesta sexta-feira, os futuros nos Estados Unidos abrem negativos (S&P 500: -0,2%; Nasdaq 100: -0,2%). Hoje, o mercado espera uma série de dados de atividade econômica, com destaque para os índices de gerentes de compras nos EUA e na Zona do Euro. Na Europa, as bolsas operam em queda (Stoxx 600: -0,8%). No Reino Unido, vendas ao varejo superaram as estimativas. Na China, as bolsas fecharam em queda (CSI 300: -0,2%; HSI: -1,7%), na expectativa de novos estímulos do governo à atividade econômica.

Economia

O Banco Central da Inglaterra manteve a taxa de juros estável em 5,25%, em decisão dividida, conforme o esperado. Na Europa e nos Estados Unidos, a semana se encerra com a divulgação dos PMIs – índice de gerente de compras – referentes a junho. No Brasil, agenda de indicadores vazia nessa sexta-feira – destaque para notícias que mostram disposição do governo em revisar gastos com benefícios sociais.

Veja todos os detalhes

Economia

Semana termina com divulgação de PMIs nas principais economias

  • O Banco da Inglaterra (BoE) decidiu manter sua taxa de juros estável em 5,25% em junho. Mais uma vez, tivemos uma decisão dividida, pois dois membros do Comitê de Política Monetária (MPC) votaram por reduzir a taxa de juros do banco em 0,25 pp., repetindo o placar da última reunião. No geral, o BoE continuou sinalizando sua intenção de cortar as taxas em agosto. Os dados de inflação de junho serão fundamentais e acreditamos que, a menos que vejamos outra leitura alta, o BoE cortará os juros em sua próxima reunião.
  • Na zona do euro, o PMI – índice de gerentes de compras – caiu para 45,6 em junho no indicador industrial (exp. 47,9), e para 52,6 em serviços (exp. 53,4). Destaque para a Alemanha, cujo PMI industrial passou de 45,4 para 43,4 (exp. 46,4) e o de serviços, de 54,2 para 53,5 (exp. 54,4). Vale lembrar que valores abaixo de 50 pontos mostram contração da atividade. Os dados, portanto, reiteram visão de arrefecimento da economia na região, o que pode implicar redução adicional nas taxas básicas de juros pelo Banco Central Europeu adiante.
  • Ontem, os pedidos semanais de seguro-desemprego vieram levemente acima do esperado nos Estados Unidos (238k). Hoje, o mercado prestará atenção na divulgação do PMI preliminar de junho, a ser divulgado às 10:45.
  • No Brasil, o Supremo começou a julgar nesta semana um conjunto de ações que questionam a Reforma da Previdência aprovada em 2019, em especial sobre os gatilhos a serem usados em caso de déficit. Como apontou nosso time político e econômico em nota, o impacto fiscal total seria de R$ 497,9 bilhões caso todos os pedidos fossem acatados pelo STF, em linha com o reportado nos jornais e como consta o anexo de riscos fiscais. Mas ressaltamos que essa conta considera também processos que estão fora da pauta do STF neste momento, não se limitando, portanto, ao que foi avaliado até o pedido de vista de anteontem.
  • Também na seara fiscal, jornais apontam que o governo pretende fazer revisões em benefícios sociais, como o Bolsa Família e o BPC, e assim economizar de R$ 20 bi a R$ 30 bi em despesas no próximo ano.

Empresas

Mineração & Siderurgia, Papel & Celulose e Bens de Capital: O que os investidores estrangeiros estão olhando?

  • Na semana passada, visitamos investidores nos EUA para discutir nosso universo de cobertura.
    • Embora os investidores estivessem em geral preocupados (e decepcionados) com o ambiente macroeconômico do Brasil, os níveis de valuation dos nomes expostos ao mercado doméstico como Randon e Marcopolo chamaram a atenção.
    • Ao mesmo tempo, o perfil defensivo da WEG e suas melhores perspectivas de crescimento a fizeram o papel discutido com maior otimismo durante nossas reuniões.
    • O potencial acordo da Suzano com a IP talvez tenha sido o principal tema debatido, embora a maioria dos investidores permaneçam céticos com a ação devido a preocupações com o balanço se o negócio for assinado (SUZB3 -19% desde que a notícia foi divulgada em 7 de maio).
    • Além disso, embora a Vale tenha sido frequentemente descrita como barata, as preocupações com o setor imobiliário da China foram recorrentes.
    • Finalmente, embora a narrativa de crescimento para a Embraer tenha sido um consenso, notamos opiniões divergentes sobre a atratividade dos níveis atuais de valuation.
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Papel e Celulose: Empresas de celulose devem apresentar melhor desempenho relativo no 2T24E; Futuros para Jul’24 a US$730/t

  • Nesta semana, notamos:
    • Receita preliminar da Suzano no 2T24E de +17% T/T, enquanto a receita preliminar da Klabin deve aumentar +11% T/T e Irani +8% T/T;
    • Os futuros chineses da BHKP estão atualmente em US$ 730/t para Jul’24 (estável S/S) e abaixo dos preços spot da BHKP de US$ 740/t na China e, finalmente,
    • A Suzano está sendo negociada a 5,0x EV/EBITDA forward quando excluído Cerrado, um desconto de 29% quando comparada à sua média histórica de 7,0x e -4% de desconto em relação aos players do mercado de celulose.
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Vale (VALE3): Um plano estratégico detalhado com valor potencial a ser desbloqueado – Avaliação da Revisão de Ativos da Vale Metais Básicos

  • A Vale realizou o webinar de Revisão de Ativos de Metais Básicos com o presidente da VBM da Vale, Mark Cutifani, a diretora comercial da VBM, Tina Litzinger, e o diretor de RI da Vale, Thiago Lofiego. As principais conclusões foram:
    • Um plano estratégico detalhado para os ativos de Metais Básicos, com várias oportunidades para aumentar a capacidade de produção de cobre em 100 ktpy e níquel em 40 ktpy até 2028E+;
    • Melhoria de volumes potenciais (~5-10%) e redução de custos (~10%) impulsionando melhor desempenho operacional, com ganhos iniciais implicando um EBITDA incremental de ~US$ 400 milhões até 2026E e ~US$ 1,3 bilhão até 2028E em diante; e
    • Expectativas de um mercado apertado para cobre e níquel, dada a demanda acelerada de veículos elétricos, baterias e energia renovável, com adições de capacidade limitadas;
    • Mantemos nossa recomendação de Compra para Vale, enquanto esperamos que o valor da Metais Básicos seja desbloqueado assim que o desempenho operacional melhorar;
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Data Expert | A Beleza dos Dados – 3ª Edição

  • Essa é a 3ª edição do nosso relatório, em que comparamos o portfólio de produtos e a estratégia de precificação da Avon, Natura e O Boticário;
  • Nesta edição, também introduzimos uma seção sobre inovações para mapear o resultado do recente aumento de investimentos da NTCO. Nossas principais conclusões foram;
  • A categoria de Casa e Estilo da Avon continua sendo ajustada, com o número de SKUs reduzido em ~37% em relação à nossa última análise (maio/23) e em ~45% em relação a setembro/21;
  • Tanto a Avon quanto a Natura estão reforçando seu posicionamento estratégico core (maquiagem e cuidados com o corpo, respectivamente);
  • A Avon está ajustando sua estratégia promocional, com um desconto médio por SKU mais alto, mas menos disseminado pelos SKUs vs. 2023;
  • A Natura e O Boticário estão se aventurando em novas categorias, enquanto a Avon está inovando através de novas opções de cores para produtos já existentes;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Jalles (JALL3) | Revisão dos resultados do 4T24 (ano fiscal 1T24): perspectivas animadoras

  • A Jalles reportou números do 4T24 em linha com nossas estimativas, com o EBITDA ajustado aumentando 80% em relação ao ano anterior (-3% vs. XPe). A estratégia da empresa de adiar as vendas de etanol para a entressafra foi assertiva. Entretanto, o lucro caixa foi negativo, o que acreditamos estar ligado às margens fracas de etanol na última temporada, algo a ser observado de perto em 2024/25;
  • Além disso, os estoques vieram ligeiramente maiores e tentaremos obter mais informações sobre a estratégia de venda durante o 1T25. Olhando para o futuro, vemos números encorajadores devido ao hedge do açúcar com preços atrativos (+30% A/A) e ao guidance em grande parte em linha com a XPe;
  • O cenário de investimento da Jalles continua sendo de crescimento garantido + valuation atrativo (2,7x EV/EBITDA para 2024/25). No entanto, não vemos catalisadores claros devido à incerteza em torno dos preços de S&E (embora a empresa já tenha feito hedge de 100% de seu açúcar disponível para 2024/25), enquanto as ações de baixa liquidez estão sendo deixadas de lado pelos investidores;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • iFood incorpora Zoop e cria banco digital para restaurantes que já nasce com 140 mil contas (Valor);
    • Bancos vão padronizar extratos a partir de 8 de julho (Valor);
    • Anbima aposta em ‘tokenização’ para conexão ao Drex (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Shopee ultrapassa Amazon no Brasil em tráfego online no Mês das Mães (E-commerce);
    • “Je suis” Atacadão. Carrefour Brasil exporta seu atacarejo para a França (Neofeed);
    • STJ nega uso de créditos de PIS e Cofins decorrentes de gastos com o ICMS-ST (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Bebidas
      • Drinks maker Britvic rejects $3.93 billion takeover proposal from Carlsberg (Reuters);
    • Alimentos
      • Em 2024 produção mundial de carnes deve permanecer quase estável em relação a 2023, prevê a FAO (Avisite);
      • Diferença entre preços das carnes suína e bovina é a menor desde novembro de 2020 (Agrimídia);
    • Agro
      • US Opens Way for Brazil Used Cooking Oil in Blow for Farmers (Bloomberg);
      • Dólar muda o ritmo de vendas de soja no Brasil e na Argentina (GloboRural);
    • Biocombustíveis
      • BP to buy out Bunge’s stake in Brazilian biofuels JV in $1.4 bln deal (Reuters);
      • São Martinho vê recuperação de preço de etanol no segundo semestre (NovaCana);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Saúde: XP Daily | Sua dose diária de notícias
    • Planos de saúde: relator resiste a contrato sem internações e propõe novo cálculo para reajuste na modalidade coletiva (O Globo);
    • Com custos no limite, setor de saúde passa por mudanças (Valor Econômico);
    • Ministério da Saúde divulga edital de vagas remanescentes no Programa Mais Médicos (Ministério da Saúde);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • XP Daily: As principais notícias do setor Imobiliário
    • Justiça nega pedido de suspensão da nova revisão da Lei de Zoneamento de SP (Folha de SP);
    • Construção reafirma pleito de neutralidade na reforma tributária (Sinduscon);
    • Selic a 10,50%: Como a taxa de juros impacta o mercado imobiliário (Money Times);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Governo anuncia decreto com diretrizes para novos contratos de distribuição de energia (CNN Brasil);
    • Privatização da Sabesp entra em fase final, e Governo de SP define preço mínimo de ação (Folha de SP);
    • Indústria eólica vive crise e governo promete conjunto de medidas emergenciais (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório.


Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Treasury yields retreat after data hints at slowing economy (CNBC);
  • Custo da Selic para empresas chega a R$ 78 bi (Valor Econômico);
  • Com custos no limite, setor de saúde passa por mudanças (Valor Econômico);
  • Rating do Banco Mercantil elevado para ‘brAA-’ por melhoria no desempenho financeiro; perspectiva alterada para estável (S&P Global);
  • Clique aqui para acessar o clipping.

Análise (Crédito): FS Bio

  • A FS foi a primeira indústria brasileira a produzir etanol a partir do milho;
  • A queda abrupta do preço do insumo (estoque mais caro que o preço de venda) e os preços mais baixos para o etanol levaram ao aumento da dívida líquida/EBITDA para 4,1x. Seu covenant de alavancagem ≤3,0x restringe determinadas captações e distribuição de dividendos, sem resultar em default ou aceleração do vencimento dos empréstimos;
  • A FS realizou alongamentos em seu passivo bancário e reduziu o montante de capex previsto para suportar o atual momento de maior alavancagem sem comprometer o seu negócio;
  • Em nossa visão, é necessária a rápida retomada da rentabilidade nos meses adiante, que deve ser impulsionada pela normalização gradual dos preços de seu estoque de milho, para a recuperação de suas métricas de crédito em patamar confortável;
  • Clique aqui para acessar a análise.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Interrupção de cortes da Selic vai beneficiar FIIs de papel, mostra estudo da XP (Valor Econômico);
    • XPLG11 anuncia quanto já captou na 7ª emissão de cotas; veja o valor (FIIs);
    • FIIs têm dia de oscilação no pós-Copom, mas IFIX fecha em alta de 0,04% (FIIs);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Manutenção da Selic em 10,50%: Como ficam os FIIs?
    • O Copom decidiu manter a taxa Selic estável em 10,50% a.a. Esta mudança de ritmo de cortes na política monetária tem implicações diretas sobre os retornos e estratégias de investimento dos fundos imobiliários. Por isso, vale lembrar alguns conceitos e entender o comportamento do IFIX;
    • A abertura da curva de juros real e a piora das expectativas para a continuidade dos cortes na taxa Selic podem resultar em performances negativas dos fundos imobiliários, especialmente os fundos de tijolos;
    • Os fundos de papel, por outro lado, tendem a ser menos sensíveis aos movimentos da taxa Selic, o que pode proporcionar melhor performance em cenários de maior incerteza;
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Brasil capta US$ 2 bi em 2ª emissão de título ESG | Café com ESG, 21/06

  • O mercado encerrou o pregão de quinta-feira em território misto, com o IBOV subindo 0,15%, enquanto o ISE caiu 0,11%.
  • Na política, o Tesouro Nacional captou nesta quinta-feira US$2 bilhões no mercado internacional com sua segunda emissão de títulos sustentáveis – o rendimento do título ficou em 6,375%, valor abaixo da referência inicial e também inferior ao da primeira emissão de títulos sustentáveis do país, de 6,50%, no ano passado.
  • Do lado das empresas, (i) a Ambiental, unidade de negócios da JBS que atua na gestão de resíduos, reciclagem de plásticos e obtenção de novos produtos a partir do material, se prepara para uma nova rodada de expansão -segundo executivos da companhia, a operação vem ganhando musculatura com a procura crescente por parte de grandes empresas por soluções de economia circular; (ii) a norueguesa Equinor anunciou ontem a decisão final de investimento de um complexo solar na Bahia que será construído na mesma área de usinas eólicas da empresa, configurando o primeiro projeto híbrido de geração renovável da petroleira no mundo – o início da construção do novo complexo solar está previsto para setembro, e a operação comercial é esperada até o final de 2025.
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.