XP Expert

PIB no Brasil e nos EUA e dados do mercado de trabalho na agenda da semana

Resultado da Bolsa e estabilidade da curva de juros são alguns dos temas de maior destaque nesta segunda-feira, 26/02/2024

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Ouça também no Spreaker


IBOVESPA -0,63% |
129.419 Pontos

CÂMBIO +0,77% | 4,99/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

Continuando o desempenho positivo da semana anterior, o Ibovespa teve leves ganhos de 0,5% em reais e 0,3% em dólares, terminando a semana aos 129.419 pontos. Em uma agenda menos movimentada de dados macroeconômicos, o destaque foi o resultado acima do esperado da Nvidia, que impulsionou o S&P 500 para uma nova máxima histórica.

A maior alta da semana foi Carrefour Brasil (CRFB3, +10,6%) após a divulgação de resultados acima das expectativas, e Eztec (EZTC3, +10,2%), sem nenhuma notícia específica afetando a ação. As maiores baixas da semana foram CSN (CSNA3, -6,9%), após uma queda nos preços do minério de ferro em meio a preocupações com a atividade econômica chinesa, e Cosan (CSAN3, -6,3%) explicada pela queda nos preços do gás natural.

Clique aqui para acessar o Resumo Semanal da Bolsa.

Renda Fixa

No comparativo semanal, a curva de juros encerrou perto da estabilidade ao longo de toda a sua estrutura a termo. O diferencial entre os contratos com vencimento em janeiro 2026 e 2033 saiu de 83,9 pontos-base na sexta-feira passada para 86,5 pontos nesta semana. A curva, portanto, apresentou um ganho singelo na inclinação. Os principais acontecimentos da semana foram: (i) a ata do Federal Reserve com tom hawkish; (ii) incertezas acerca da dinâmica da economia norte-americana; e (iii) perspectivas mais positivas para o cenário fiscal doméstico. DI jan/25 fechou em 10,02% (-2,2bps no comparativo semanal); DI jan/27 em 10,04% (-0,2bps); DI jan/29 em 10,47% (1,1bps); DI jan/33 em 10,81% (1,8bps); DI jan/37 em 10,88% (3,1bps).

Mercados globais

Nesta segunda-feira, os mercados operam em leve queda nos Estados Unidos (S&P 500:-0,1%; Nasdaq 100: -0,1%) no aguardo de semana repleta de dados econômicos, incluindo a divulgação da medida de inflação preferida pelo Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano), o deflator do índice de consumo pessoal, que irá prover sinais mais claros dos passos da autoridade monetária adiante. No campo político, o ex-presidente Donald Trump derrotou a ex-governadora da Carolina do Sul Nikki Haley nas primárias presidenciais do partido Republicano. A perda em seu estado natal sinaliza que Nikki Haley não deve conseguir uma nomeação caso o julgamento da Suprema Corte decida em favor de manter o nome de Trump nas urnas.

Na Europa, os mercados operam em queda nesta manhã (Stoxx 600: -0,4%), após encerrar a semana anterior na máxima histórica (conforme comentamos no Top 5 Temas Globais). Na China, os índices fecharam o dia em queda (HSI: -0,5%, CSI 300: 1,0%), no aguardo de série de dados econômicos no país.

Economia

Agenda econômica cheia nesta semana, no Brasil e no mundo, com destaque à divulgação de indicadores de atividade e inflação. No exterior, a segunda estimativa do PIB dos Estados Unidos no 4º trimestre será conhecida (4ª-feira). A primeira leitura apresentou crescimento robusto de 3,3% em comparação ao 3º trimestre, em termos dessazonalizados e anualizados. A medida de inflação favorita do Fed – o núcleo do deflator das despesas de consumo pessoal – referente a janeiro (5ª-feira) e a leitura preliminar da inflação ao consumidor da zona do euro em fevereiro (6ª-feira) também estarão no centro das atenções. Além disso, diversos membros dos comitês de política monetária do Fed e do BCE falarão publicamente, podendo emitir sinais adicionais sobre a trajetória dos juros de referência.     

No ambiente doméstico, o IPCA-15 de fevereiro será publicado amanhã, com estimativa de elevação mensal acima de 0,80%, refletindo o aumento do ICMS sobre combustíveis e reajustes nas mensalidades escolares. Ademais, destaque para a publicação das estatísticas do mercado de trabalho referentes a janeiro (5ª-feira) e para os resultados do PIB do 4º trimestre (6ª-feira). Em relação ao último, estimamos ligeira alta de 0,1% ante o 3º trimestre, compatível com expansão de 3,0% em 2023.  

Veja todos os detalhes

Economia

Agenda econômica semanal repleta de indicadores de atividade e inflação, no Brasil e no mundo                       

  • Agenda econômica internacional cheia nesta semana. As sondagens empresariais PMI de fevereiro serão divulgadas nos Estados Unidos, China, zona do euro, Reino Unido e Japão. O índice PMI baseia-se em uma pesquisa com empresários sobre as condições econômicas e de negócios nos países. Ademais, diversos membros dos comitês de política monetária do Federal Reserve (Fed) e do Banco Central Europeu (BCE) falarão publicamente, podendo emitir sinais adicionais sobre a trajetória dos juros de referência nos Estados Unidos e na Europa. Hoje, destaque para a divulgação da inflação ao consumidor do Japão em fevereiro. Na 4ª-feira, atenções voltadas à segunda estimativa do PIB dos Estados Unidos no 4º trimestre de 2023. A primeira leitura apresentou crescimento robusto de 3,3% em comparação ao trimestre imediatamente anterior, em termos dessazonalizados e anualizados. Na 5ª-feira, a medida de inflação favorita do Fed – o núcleo do deflator das despesas de consumo pessoal (PCE) – referente a janeiro estará no centro das atenções. Por fim, a leitura preliminar da inflação ao consumidor da zona do euro em fevereiro será anunciada na 6ª-feira; 
  • No Brasil, indicadores de atividade e inflação também serão protagonistas. O IPCA-15 de fevereiro será publicado na 3ª-feira, com estimativa de elevação mensal acima de 0,80%, refletindo o aumento do ICMS sobre combustíveis e reajustes nas mensalidades escolares. Os analistas de mercado estarão atentos à dinâmica dos preços de serviços, que surpreenderam para cima nas últimas divulgações. Além disso, destaque para a publicação das estatísticas do mercado de trabalho referentes a janeiro (Pnad Contínua), na 5ª-feira, e para os dados do PIB do 4º trimestre de 2023 na 6ª-feira. Em relação ao último, estimamos ligeira alta de 0,1% ante o 3º trimestre, compatível com expansão de 3,0% em 2023. O resultado primário do governo central em janeiro também deve ser divulgado nesta semana (data a ser definida).     

Empresas

Construção Civil: Monitor de indicadores de mercado de fevereiro de 2024

  • Do lado positivo, destacamos:
    • Fortes perspectivas para moradias de baixa renda, impulsionadas pelas concessões do MCMV em um ritmo mais forte, atingindo 9,8% do orçamento anual em jan/24 (vs. 4. 8% na média de 8 anos);
    • São Paulo tem um destaque em termos de concessões de FGTS, atingindo 18,2% do orçamento anual de 2024 em janeiro (vs. 4,5% em jan/23);
    • Lançamentos em São Paulo diminuíram 3% A/A, mas as vendas líquidas tiveram um crescimento sequencial (+10% A/A) em 76 mil unidades;
  • Do lado negativo, continuamos a ver saques significativos de cadernetas de poupança no início de 2024, com saídas líquidas totalizando R$16 milhões em Jan/24, o que poderia continuar pressionando as taxas de juros de financiamento imobiliário;
  • Nossa preferência continua sendo pelo segmento de baixa renda, dada a combinação positiva de um cenário de forte demanda e um momento positivo de resultados;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Irani (RANI3): Resultados do 4T23 – Resultados mais suaves, embora em linha; Normalização de Margens e Preços

  • A Irani reportou resultados mais suaves, porém em linha, com EBITDA de R$ 112 milhões, -16% T/T e -2% XPe, implicando em margem EBITDA de 29,1% (comparado a 32,7% no 3T23, em linha com XPe). Os principais destaques foram:
    • (i) volumes de papelão ondulado abaixo do esperado (-10% vs. XPe), apesar da melhora vs. 3T23 (+2% T/T), e
    • (ii) volumes acima do esperado de papel flexível (+22% XPe). A dívida líquida/EBITDA manteve-se estável em 2,07x no 4º trimestre.
  • Destacamos a normalização dos preços e margens do papelão ondulado, que esperamos estabilizar nos próximos trimestres. Mantemos nossa recomendação Neutra para Irani e preço alvo de R$ 12,00/ação.
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

M. Dias Branco (MDIA3) | Revisão dos resultados do 4T23: Lucro por Ação acima do esperado e forte FCL; desempenho operacional encorajador.

  • Os resultados foram sólidos em todos os setores. O LPA ficou em R$ 1,06, 54% acima do XPe e 37% acima do Consenso BBG, com resultados financeiros melhores do que o esperado, principalmente após a desalavancagem da MDIA (caixa líquido em 2023), mas também devido a um benefício de R$ 31,7 milhões em juros sobre créditos fiscais (sem efeito caixa);
  • Os volumes foram fortes, com um aumento de 6% T/T, apesar da sazonalidade negativa, liderados (i) pela estratégia de gestão de receita do MDIA (preços 4,8% T/T); (ii) melhores números operacionais (veja detalhes abaixo); e (iii) a recuperação da demanda de varejo (estoques de varejo de volta aos níveis do 4T22);
  • O forte desempenho de volume levou à liberação do capital de giro e impulsionou o FCL para R$584 milhões (XPe de R$310 milhões). Se sustentado, o desempenho de volume é um importante risco de upside para 2024. Em suma, os resultados do 4T23 devem trazer de volta o momentum das ações, em nossa opinião. Reiteramos a recomendação de COMPRA com base do valuation atraente e no desempenho operacional/lucrativo encorajador;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Oferta pública de aquisição de ações da Cielo é suspensa em razão de acionistas convocarem assembleia (Valor);
    • Mercado avalia o impacto das novas regras da CVM para emissores de CRI e CRA (InfoMoney);
    • Impacto do Desenrola nas despesas da B3 pode se repetir no 1° tri, diz diretor (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Vivo, Claro e TIM somam receita de R$ 121 bilhões em 2023, alta de 8,5% (TELETIME);
    • Na V.tal, do BTG, um novo cliente (e um velho problema) (NeoFeed);
    • TIM prepara a entrada no mercado de energia (NeoFeed);
    • Relatório mostra crescimento do marketplace e categorias que puxaram as vendas de janeiro de 2024 (ecommercebrasil);
    • Clique Aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Empresas do varejo têxtil pressionam STF contra benefício a sites chineses (Folha);
    • Liminar livra Pernambucanas de limite em compensações (Valor);
    • Em expansão, mídia de varejo atrai mais empresas no Brasil (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Alimentos
      • Da listagem em NY à expansão na Europa: os planos da JBS (TheAgriBiz);
      • Surto de gripe aviária mata 4 mil aves no Peru (Globo Rural).
    • Agro
      • Funds post all-time CBOT corn short and extend record soy selling streak (Reuters);
      • Incêndio no Porto de Paranaguá fecha três berços, dizem agências marítimas (InfoMoney).
    • Biocombustíveis
      • Brasil pretende aproveitar G20 para avançar em certificações de sustentabilidade de biocombustíveis (epbr).
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Saúde: XP Daily | Sua dose diária de notícias
    • Hemobrás tem nova diretora de produtos estratégicos e inovação (Ministério da Saúde);
    • Dengue: atendimentos em hospitais da Rede D’Or pelo país crescem 38% em uma semana (Guia da Farmácia);
    • Radar Gestora reduz participação na Qualicorp para 4,82% das ações ordinárias (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • Os bastidores da ‘fusão’ entre Eneva e Vibra (Valor Econômico);
    • Joint venture entre Innova e Unipar negocia compra bilionária de fábrica de termoplásticos nos EUA (O Globo);
    • Preço da ureia e ciclo de baixa da petroquímica explicam crise da Unigel. (Valor Econômico);
    • Ataques israelenses atingem Baalbek, no Líbano, pela primeira vez desde a guerra de Gaza (Arab News);
    • Qatar aumentará a capacidade de exportação de GNL, apostando na demanda asiática (Financial Times)
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • XP Daily: As principais notícias do setor Imobiliário
    • Sondagem da construção aponta otimismo apesar da queda de índices (CBIC);
    • CBIC, Caixa e SNH esclarecem processo de contratação do MCMV (CBIC);
    • Retirada de dinheiro na poupança pode afetar o custo do crédito imobiliário (UOL);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Estratégia

Valorização da Nvidia em um dia supera valor das 4 maiores empresas do Ibovespa | Gráfico da Semana

  • No dia 22 de fevereiro, a Nvidia (NVDA) subiu 16,4% após sua divulgação de resultados do 4º trimestre de 2023, com ganhos de R$ 277 bilhões em valor de mercado;
  • No gráfico desta semana, comparamos essa valorização de um único pregão com a soma do valor de mercado das quatro maiores empresas no Ibovespa: Petrobras; Vale; Itaú; Bradesco;
  • No geral, vemos que a valorização da Nvidia no pregão da última quinta-feira foi superior à soma do valor de mercado das quatro maiores empresas no Ibovespa, que juntas representam 37,7% do índice;
  • Isso reforça a importância de diversificação geográfica em uma carteira de renda variável. Com um mundo cada vez mais globalizado, economias conseguem maiores benefícios ao focarem em uma especialidade na qual possuem vantagem competitiva em relação aos demais países. Por isso, há certas tendências mundiais, como o desenvolvimento de semicondutores, que são mais bem-refletidas em outras bolsas.
  • Clique aqui para acessar o Gráfico da Semana

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Estoque do Tesouro Direto avança 1,5% em janeiro, para R$ 130 bi (Valor);
  • Quais setores serão beneficiados pelo plano Nova Indústria Brasil do governo federal (Estadão);
  • Light protocola aditamento ao plano de recuperação judicial (Valor);
  • AgroGalaxy contrata Santander para buscar parceiro para negócio de sementes (Globo Rural);
  • Fitch Rebaixa Rating da Kora para ‘A(bra)’; Perspectiva Estável (Fitch);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • FIIs ainda não podem usar imóvel para contrair dívidas, alerta CVM (InfoMoney);
    • RECT11: fundo imobiliário assina distrato com inquilino e vacância chega a 11% (FIIs);
    • HSML11 conclui venda parcial de ativo em Maceió (Clube FII)
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Governo lança programa de proteção cambial, mirando capital estrangeiro para financiar o Plano de Transformação Ecológica | Café com ESG, 26/02

  • Nessa semana, o Ibovespa registrou ganho de 0,54%, enquanto o ISE também subiu 0,97%. Já o pregão de sexta-feira terminou em território negativo, com o IBOV e o ISE em queda de 0,63% e 0,88%, respectivamente.
  • Do lado das empresas, (i) o presidente da Vale, Eduardo Bartolomeo, afirmou na sexta-feira (23) que os próximos anos serão cruciais para o negócio de metais de transição energética – durante teleconferência sobre os resultados do 4T23, Bartolomeo lembrou que, em 2023, a mineradora constituiu da Vale Base Metals (VBM), que agrupou os negócio de metais da transição energética da Vale; e (ii) a maior cooperativa agrícola do país, chamada Coamo, planeja um investimento bilionário nos próximos anos para entrar na corrida do etanol de milho – no fim do ano passado, os cooperados aprovaram um aporte de R$1,6 bilhão na implantação de uma usina em Campo Mourão, no centro-oeste do Paraná, com capacidade de produzir 250 milhões de litros de combustível por ano.
  • Na política, com o objetivo de atrair investimento estrangeiro em escala para financiar o Plano de Transformação Ecológica, o Ministério da Fazenda e o Banco Central anunciam hoje um grande programa de proteção cambial – a iniciativa, que já contava com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), agora também terá participação do Banco Mundial e do Reino Unido, o que deve aumentar o montante inicialmente previsto de US$ 3,4 bilhões.
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG. 

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.