XP Expert

Otimismo com dados de atividade na zona do euro e recuperação após fala de assessor da Casa Branca

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -1,28% | 95.336 Pontos

CÂMBIO 1,08% | 5,25/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa encerrou o pregão de ontem em queda de -1,28%, aos 95.336 pontos, interrompendo uma sequência de altas por uma realização de lucros em meio a temores de uma segunda onda do coronavírus e o aumento da tensão política. A curva DI apresentou ontem alta principalmente na parte mais longa, como efeito de investidores se antecipando a novas emissões de títulos públicos após anúncio do Tesouro Nacional de leilões no segundo semestre. Já na ponta curta, as taxas tiveram leve alta, à espera de informações sobre a política monetária e potencial novo corte na taxa Selic. DI jan/21 abriu 2 bps para 2,04%; DI jan/23 foi para 4,17% de 4,14% na sexta-feira e jan/25 encerrou o dia em 5,9%, de 5,82% no fechamento anterior.

Novamente houve descolamento da nossa bolsa frente aos índices globais, com o S&P 500 e o Dow Jones subindo 0,59% e 0,66% e o Nasdaq encerrando o pregão em alta de 1,11%. Nesta manhã, mercados globais operam em alta generalizada, com o futuro do S&P subindo +0,74% e bolsas europeias operando em alta entre 1,5% a 2,0%. Tal movimento reflete o otimismo com os dados do PMI composto da zona do euro, que engloba os setores industrial e de serviços e que subiu de 31,9 em maio para 47,5 em junho. Tal é o maior patamar para o dado em quatro meses e superou a expectativa de mercado coletada pelo The Wall Street Journal, de 40,9. A leitura abaixo de 50 ainda indica que a atividade econômica do bloco segue em ritmo de contração, mas reforça a mensagem de que os piores efeitos da pandemia sobre a economia foram concentrados nos primeiros meses do ano.

A alta dos índices globais também reflete um movimento de recuperação após uma volatilidade inicial causada pelo assessor comercial da Casa Branca Peter Navarro, que afirmou a um veículo de notícias de que o acordo comercial entre Estados Unidos e China haveria “acabado” em vista da falta de transparência do outro país sobre a pandemia do coronavírus. No entanto, o próprio Navarro se retratou pouco tempo depois, afirmando que sua fala foi tirada “fora de contexto”, e o presidente americano Donald Trump afirmou em sua conta do Twitter que o acordo comercial com a China está “completamente intacto”.

Indo para o Brasil, o presidente Jair Bolsonaro descartou ontem a manutenção do auxílio emergencial no valor de R$ 600 por mais de três meses, contrariando a opinião do presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Segundo o presidente, a alternativa mais viável é o pagamento de mais duas parcelas em uma quantia menor do que a atual.

De acordo com o Valor Econômico, após reuniões com o ministro da Economia e com o presidente do Senado, a presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Senadora Simone Tebet, afirmou que o governo deve abandonar a PEC emergencial e aproveitar alguns de seus pontos na proposta do chamado Pacto Federativo. A ideia é unificar as duas propostas em um formato mais enxuto, em que medidas consideradas “controversas” sejam excluídas, como a extinção de municípios menores e com arrecadação própria inferior a 10% do orçamento. O senador Marcio Bittar, relator da PEC do Pacto Federativo, ficará com a proposta unificada, que ainda está em discussão pelo governo.

Na política, senadores discutem hoje proposta de adiamento das eleições municipais — ainda sem certeza de aprovação posterior entre deputados. Caso a data seja mesmo alterada, cria-se uma janela maior no início do segundo semestre para discussão no Congresso da agenda pós-pandemia. Ontem, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, falou que pretende ter o texto da reforma tributária pronto para ser discutido e votado na comissão especial de deputados até o meio de julho.

Finalmente, do lado das commodities, os preços de celulose de fibra curta na China tiveram mais uma queda na semana (-US$1,3/t), para US$464,1/t. Mantemos nossa visão positiva no longo prazo com recomposição de margens dos produtores de papel na China. Esperamos uma reação negativa das ações de Suzano e Klabin no pregão de hoje.

Tópicos do dia

Coronavírus

O caso para se comprar Brasil: Rumo aos 110 mil
Medidas econômicas para combater o coronavirus no Brasil

Para ler mais conteúdos, clique aqui.

Agenda de resultados

Temporada de resultados 1° tri 2020: o que esperar?
Clique aqui para acessar nossa visão sobre a temporada de resultados
Clique aqui para acessar o calendário de resultados do 1T20

Internacional

Empresas

  1. Papel & Celulose: Queda no preço da celulose de fibra curta na China
  2. Setor Elétrico: ANEEL deve desistir de regulamentar ativo regulatório no pacote de socorro ao setor elétrico
  3. Shoppings (IGTA3, MULT3): Suspensão das atividades de shoppings reabertos
  4. Frigoríficos (JBSS3, BRFS3): Justiça autoriza reabertura gradual do complexo da BRF em Goiás, e fecha planta da JBS em Rondônia de novo


Veja todos os detalhes


Empresas

Papel & Celulose: Queda no preço da celulose de fibra curta na China

  • Os preços de celulose de fibra curta na China tiveram queda na semana (-US$1,3/t), para US$464,1/t. Mantemos nossa visão positiva no longo prazo com recomposição de margens dos produtores de papel na China;
  • Esperamos uma reação negativa das ações de Suzano e Klabin no pregão de hoje. Temos recomendação de Compra para ambos os nomes, com preço-alvo de R$47 e R$22/ação para Suzano e Klabin, respectivamente.

Setor Elétrico: ANEEL deve desistir de regulamentar ativo regulatório no pacote de socorro ao setor elétrico

  • Segundo o Broadcast, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) pretende desistir de propor a regulamentação de um ativo regulatório referente ao socorro para as distribuidoras de energia (Conta-COVID). A recomendação de suprimir o artigo 15 da minuta de resolução proposta pela relatora original do caso, Elisa Bastos Silva, teria vindo da área técnica da agência reguladora;
  • A proposta de reconhecimento de um ativo regulatório para registro no balanço das distribuidoras de energia foi alvo de diversos questionamentos. A importância de tal registro é que seria uma forma das distribuidoras minimizarem o risco de violação de cláusulas restritivas (ou covenants) de financiamentos, o que poderia desencadear o vencimento antecipado de dívidas ou penalização dos custos. Porém, houve diversos receios com a possibilidade de que tal ativo poderia configurar reconhecimento prévio do direito a revisão tarifária extraordinária. Assim, após apresentarem os pedidos, as distribuidoras considerariam o registro prévio como piso dos futuros reajustes;
  • Além disso, o relator do pedido de vista, Efrain Pereira da Cruz, pretende propor que as revisões tarifárias ex-distribuidoras da Eletrobras e duas ouras distribuidoras (Energisa Tocantins e a DMED de Poços de Caldas, MG) também possam ter parte de seus efeitos incorporados na Conta-COVID, de modo a aliviar a pressão do aumento de tarifas para consumidores. Por fim, sobre as revisões tarifárias, ainda não há consenso sobre como a diretoria vai votar. A reunião da Aneel que vai definir o tema está marcada para hoje (23) às 9h.
  • Independente da solução de curto prazo para o setor de distribuição de energia, mantemos uma visão negativa para o setor no médio prazo em vista da potencial deterioração de resultados e indicadores como perdas não técnicas e inadimplência com a deterioração da economia, da renda das famílias e do desemprego.

Shoppings (IGTA3, MULT3): Suspensão das atividades de shoppings reabertos

  • A Iguatemi e a Multiplan informaram ontem a suspensão da atividade de alguns de seus shoppings que já haviam sidos reabertos. As companhias também informaram que os shoppings na cidade de Porto Alegre/RS continuam abertos somente para as atividades consideradas essenciais, em horário reduzido;
  • A Iguatemi informou o fechamento do Iguatemi Campinas e Shopping Galleria (Campinas/SP), Iguatemi Esplanada (Sorocaba/SP) e I Fashion Outlet Novo Hamburgo (Novo Hamburgo/RS). Todos estarão abertos apenas para atividades essenciais. Os empreendimentos representam cerca de 31% da ABL de shoppings e ~25% da Receita de Aluguel de 2019;
  • Já a Multiplan informou a suspensão das atividades não consideradas essenciais do ParkShopping Canoas (Canoas/RS). O ativo representa ~6% da ABL de Shoppings e correspondeu a ~2% da Receita de Aluguel de 2019;
  • Para acompanhar os shoppings que já tiveram suas atividades retomadas, bem como a data de abertura, a representatividade na receita e a operadora, acesse nosso relatório de acompanhamento, que será sempre atualizado conforme novos ativos forem reabertos.

Frigoríficos (JBSS3, BRFS3): Justiça autoriza reabertura gradual do complexo da BRF em Goiás, e fecha planta da JBS em Rondônia de novo

  • Segundo o Valor Econômico, a BRF retomou nesta segunda-feira (22) a produção no complexo industrial de Rio Verde, em Goiás. A unidade ficou duas semanas fechada por determinação da prefeitura e é uma das principais da empresa. Em nota, a empresa informou que a retomada é gradativa, e a planta ainda não estaria operando a plena capacidade. Em Rio Verde, a BRF tem mais de 8,5 mil funcionários, e todos foram testados para covid-19;
  • Em outra notícia do setor, segundo o G1, o Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região (TRT-14) suspendeu, pela segunda vez, as atividades de uma planta da JBS em São Miguel do Guaporé (Rondônia) devido ao aumento da contaminação na cidade. A unidade já havia sido fechada no dia 27 de maio após registro de surto de covid-19 entre funcionários, mas o local foi reaberto em 5 de junho. Procurada pela reportagem, a JBS disse ‘não comentar processos judiciais em andamento’. Até o último boletim da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), São Miguel do Guaporé tinha 677 casos de Covid-19, sendo que destes, 532 pacientes já estão recuperados;
  • Como destacamos no nosso último relatório sobre o setor de proteínas, tais aberturas e fechamentos de plantas podem vir a aumentar a volatilidade das margens do setor no curto prazo. No médio-longo prazo, porém, mantemos nossa visão positiva, com recomendação de Compra para as três empresas, com preço-alvo de R$ 35 para JBS, R$ 30 para BRF e R$ 18 para Marfrig.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.