O Ibovespa renova a máxima histórica

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Clique para ouvir

IBOVESPA 0,5% | 126.216 Pontos

CÂMBIO -0,1% | 5,22/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Apesar das preocupações com o cenário hídrico, o otimismo deu o tom na sessão da segunda-feira e o Ibovespa fechou o dia com uma alta de +0,5%, renovando a máxima histórica aos 126.216 pontos. Enquanto isso, o dólar caiu -0,1% a R$5,22. No mês de maio, o índice acumulou ganhos de +6,2%, e o Real valorizou +3,8% frente ao dólar. No mercado de juros, as taxas futuras de juros fecharam o dia de ontem em alta, o que foi visto como um movimento de correção em dia de baixa liquidez devido ao feriado nos EUA e após forte baixa na semana anterior. Além disso, o mercado se prepara neste início de semana para série de indicadores que serão divulgados nos próximos dias, como PIB do primeiro trimestre e produção industrial de abril. DI jan/22 fechou em 5,09%; DI jan/24 encerrou em 7,47%; DI jan/26 foi para 8,626%; e DI jan/28 fechou em 8,68%.

Lá fora, as Bolsas internacionais amanhecem em alta (EUA +0,5% e Europa +1,1%) após S&P 500 fechar quarto mês consecutivo com desempenho positivo. Depois do feriado de ontem, os democratas e republicanos entram na reta final das negociações pelo pacote de infraestrutura. Em meio ao recesso parlamentar da semana, Biden deve se reunir com o partido de oposição. Apesar do cenário mais provável continuar sendo de avanço do projeto sem coordenação bipartidária, a recente aproximação das propostas dos partidos ampliam chances de acordo.

Nessa manhã, foram divulgados dados positivos de atividade divulgados na China e na Europa, que reforçam o sentimento otimista com a reabertura da atividade no mundo. E inflação na Europa atinge 2% em maio, impulsionada pelos custos de energia mais altos. Apesar da expectativa de continuar acelerando nos próximos meses, o Banco Central Europeu já deixou claro que esse não é o tipo de inflação que está procurando depois de quase uma década sem atingir sua meta, de modo que a política continuará frouxa nos próximos anos.

No Brasil, dados fiscais de abril revelaram, assim como em meses anteriores, um quadro marcado por receitas robustas e despesas abaixo do patamar histórico, nos levando a revisar as projeções para o déficit primário de 2021 para 2,6% do PIB (ante 3,2%) e da relação dívida bruta/PIB para 84,5% (antes 87%). 

No cenário político, o Congresso faz ajustes finais em acordo para a votação de projetos orçamentários nessa terça-feira. Depois de encaminhar um acordo sobre os projetos de lei que recompõem recursos do Orçamento de 2021, líderes de bancada no Congresso têm mais uma reunião nesta manhã para tentar um acordo com o governo sobre vetos, que também previstos para a sessão de hoje, que começa às 10h. O governo quer, finalmente, virar a página da questão orçamentária.

Em commodities, o petróleo sobe 2% em US$70,7/barril em meio ao otimismo com a recuperação econômica e em antecipação da reunião da OPEP+ que ocorre hoje, que já prevê para o segundo semestre estoques limitados. E os futuros de minério de ferro sobem pela terceira sessão consecutiva, em alta de +5% hoje, por conta de relatórios emitidos pela autoridade ambiental da cidade de Tangshan, na China, em que planejam diminuir a necessidade de cortes de produção em suas siderúrgicas locais. No mês passado, diversas autoridades em Tangshan alertaram seus produtores de aço para conter a produção e que investigariam comportamentos ilegais, além de punir as empresas consideradas culpadas. No entanto, o plano de corte de produção para reduzir as emissões ainda está sob discussão e ainda não foi aprovado, segundo notícia da Reuters.

Do lado das empresas, estamos atualizando nosso preço-alvo em AmBev para R$20/ação, reiterando recomendação de Compra. Seguimos otimistas com a capacidade da empresa de capturar mais valor por meio de inovação tecnológica (Zé Delivery e BEES) e mix de portfólio (lançamentos de novos produtos e via marcas consagradas no exterior), apesar do processo lento de reabertura de bares e restaurantes e constante pressão cambial e dos preços altos das commodities.

Por último, publicamos o nosso Raio-XP da Bolsa para o mês de junho. Mantemos o target do Ibovespa em 145.000 pontos para o final de 2021. Além disso, fizemos mudanças em todas as nossas carteiras recomendadas: a Top 10 XP, a Top Dividendos XP e a Top Small Caps XP. Veja os detalhes no relatório completo.

Na agenda do dia, temos a divulgação do PMI e ISM dos EUA. Domesticamente, o destaque vai ser o PIB do 1T21, na qual a nossa equipe econômica esperamos crescimento de 1,1% T/T e 0,8 A/A.

Tópicos do dia

Acesse aqui o relatório internacional

Economia

  1. Dados de atividade positivos no exterior; Expectativa de divulgação do PIB do 1T21 no Brasil

Política

  1. Congresso faz ajustes finais em acordo para votar vetos e projetos orçamentários nesta terça
  2. Política internacional: democratas e republicanos entram em reta final das negociações pelo pacote de infraestrutura

Commodities

  1. Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+

Empresas

  1. Raio-XP da Bolsa: Não há Brasil sem as commodities
  2. AmBev (ABEV3): atualizando preço-alvo para R$ 20 por ação; reiteramos recomendação de Compra
  3. Itaú (ITUB4): Fed aprova cisão das ações da XP Inc.
  4. Lojas Americanas (LAME4) e B2W (BTOW3): Apresentando a AMER3; Fusão pode destravar reavaliação das ações
  5. Potencial M&A da Vivara (VIVA3)
  6. LOG CP (LOGG3): Anúncio de venda do ativo BTS Extrema
  7. Notícias Diárias do Setor Financeiro
  8. Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

ESG

  1. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 01/06

Veja todos os detalhes

Economia

Dados de atividade positivos no exterior; Expectativa de divulgação do PIB do 1T21 no Brasil

  • Na China, o índice de gerentes de compras (PMI) subiu para 52,0 no mês passado, o nível mais alto desde dezembro e avançando em relação aos 51,9 de abril. Os novos pedidos aumentaram no ritmo mais forte até agora este ano e um indicador para pedidos de exportação foi o mais alto desde novembro, mas a leitura da produção, embora ainda sólida, foi um pouco menor do que no mês anterior;
  • A atividade manufatureira da zona do euro expandiu-se em um ritmo recorde em maio, de acordo com a leitura final do PMI da IHS Markit, que subiu para 63,1 em maio de 62,9 de abril, acima de uma estimativa inicial de 62,8 e a leitura mais alta desde a pesquisa começou em junho de 1997. A pesquisa sugeriu que o crescimento teria sido ainda mais rápido sem gargalos de abastecimento que levaram a um aumento sem precedentes nos custos de insumos;
  • A inflação nos 19 países que compartilham o euro acelerou para 2% em maio de 1,6% em abril, impulsionada pelos custos de energia mais altos para sua taxa mais rápida desde o final de 2018 e acima da meta do BCE de “abaixo, mas perto de 2%”. Maio é improvável para ser o pico, no entanto. Ainda assim, superar esse período é mais um exercício de comunicação para o BCE. O banco já deixou claro que esse não é o tipo de inflação que está procurando depois de quase uma década sem atingir sua meta, de modo que a política continuará frouxa nos próximos anos;
  • Na agenda do dia, PMI e ISM nos EUA;
  • No Brasil, os resultados fiscais de abril revelaram um quadro marcado por receitas robustas e despesas abaixo do patamar histórico. Dessa forma, revisamos as projeções para o déficit primário de 2021 para 2.6% do PIB (ante 3.2%) e da relação dívida bruta/PIB para 84.5% (antes 87%). Só o deflator do PIB deve reduzir a relação em 8.1 p.p., ante queda total de 4.3 p.p.;
  • E o destaque da agenda doméstica é a divulgação do PIB do 1T21 às 9:00. Esperamos crescimento de 1.1% q/q e 0.8 y/y, enquanto o consenso de mercado tem crescimento de 0.9% q/q e 0.7% y/y.

Política

Congresso faz ajustes finais em acordo para votar vetos e projetos orçamentários nesta terça

  • Depois de encaminhar acordo sobre os projetos de lei que recompõem recursos do Orçamento de 2021, líderes de bancada no Congresso têm mais uma reunião nesta manhã para tentar um acordo com o governo sobre vetos, que também previstos para a sessão de hoje, que começa às 10h. O governo quer, finalmente, virar a página da questão orçamentária.

Política internacional: democratas e republicanos entram em reta final das negociações pelo pacote de infraestrutura

  • Após o feriados nos EUA, democratas e republicanos entram em reta final das negociações pelo pacote de infraestrutura. Em meio ao recesso parlamentar da semana, Biden deve se reunir com os principais negociadores do partido de oposição. Apesar do cenário mais provável continuar sendo de avanço do projeto sem coordenação bipartidária, a recente aproximação das propostas dos partidos ampliam chances de acordo;
  • Emmanuel Macron e Angela Merkel se reuniram para discutir relatos de espionagem de líderes europeus pelos Estados Unidos. “Se a informação estiver correta, isso é inaceitável entre aliados, e menos ainda entre aliados europeus”, disse o presidente da França. Os relatos surgem em meio a viagem de uma equipe de negociação alemã aos EUA nesta semana, com uma agenda que provavelmente inclui a remoção de tarifas impostas durante a presidência de Trump e cooperação entre os países;
  • E a União Europeia deve remover restrições para vacinados a partir de julho.  

Commodities

Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+

  • Nesta manhã de terça-feira os preços do petróleo (Brent) estão operando em território positivo, em alta de -2,0% em US$70,7/barril em meio ao otimismo sobre as perspectivas de crescimento da demanda. A alta foi impulsionada à medida que a economia global se recupera antes de uma reunião da OPEP+, que ocorrerá hoje, na qual o grupo deverá discutir seus níveis de produção;
  • A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados, grupo conhecido como OPEP +, deve se reunir no final do dia. Espera-se que o grupo continue a reduzir gradualmente as restrições ao fornecimento conforme planejado nos próximos dois meses;
  • Investidores, porém, também continuam monitorando negociações para a possível restauração do acordo nuclear do Irã, o que abriria o caminho para o país do Oriente Médio ampliar sua oferta.

Empresas

Raio-XP da Bolsa: Não há Brasil sem as commodities

  • Nos últimos anos, quando o ciclo de commodities estava fraco e ninguém queria tocar nessas ações, tornou-se comum analisar a bolsa brasileira “sem as commodities”;
  • No entanto, em 2020-2021, o ciclo das commodities se tornou bastante favorável novamente com a economia global se recuperando de forma robusta, em meio a taxas de juros ainda baixas, estímulos monetários e fiscais massivos, e a corrida em direção a ativos reais;
  • Mas não há Brasil sem commodities. O crescimento do PIB brasileiro é fortemente correlacionado com o ciclo de commodities. E apesar de estimativas oficiais do IBGE mostrarem que apenas 8% da economia é composta por commodities, o setor representa mais da metade das exportações, e muito mais quando se consideram os impactos indiretos também;
  • Estimativas do Banco do Brasil mostram que apenas o agronegócio é responsável por 27% do PIB, quando toda a cadeia do Agro é considerada. A realidade é que o interior do Brasil “é movido pelo agro”. Os varejistas vendem mais se os preços da soja, milho e boi estão altos, simples assim;
  • Menor risco: A bolsa brasileira não estão somente baratas no absoluto e no relativo, mas elas também estão com menor risco. As empresas do Ibovespa desalavancaram significativamente ao longo dos anos e, hoje, têm balanços muito mais sólidos do que no passado, além de continuarem a oferecer retornos atrativos;
  • Estamos mantendo o target para o Ibovespa em 145.000 pontos para o final de 2021, impulsionado pelo forte aumento nas expectativas de lucros das empresas do índice. Além disso, a redução dos riscos fiscais nos últimos dois meses, vacinação contra a Covid-19 em andamento, e dados econômicos melhores do que esperado finalmente devem permitir investidores a focar menos nas preocupações Macro e  mais nos fundamentos;
  • Nesse mês fizemos uma troca na Carteira Top 10 Ações XP, uma troca na Carteira Top Dividendos XP e três mudanças na Carteira Top Small Caps XP. Veja o relatório completo.

AmBev (ABEV3): atualizando preço-alvo para R$ 20 por ação; reiteramos recomendação de Compra

  • Já se passaram 7 meses desde que iniciamos a cobertura da AmBev com recomendação de Compra e preço-alvo de R$ 17,15 para o final de 2021. Na época, as ações estavam sendo negociadas em torno de R$ 13; pouco tempo depois os preços caíram para cerca de R$ 12, conforme as preocupações com a segunda onda da Covid-19 ganharam força. No entanto, desde então, houve uma forte alta do papel, atingindo o nível atual de R$ 18 por ação;
  • Acertamos na recomendação, mas reconhecemos que chegamos aqui por um caminho diferente do que imaginávamos;
  • Os principais pilares da nossa recomendação para AmBev eram: (i) retomada do consumo de bebidas com base na reabertura de bares e restaurantes – nosso principal erro de leitura; (ii) ganho de preço via maior participação de marcas de valor agregado no portfólio; (iii) maior eficiência comercial devido ao crescimento de inovações como os aplicativos Zé Delivery e BEES;
  • Permanecemos otimistas com a capacidade da AmBev de capturar ainda mais valor por meio de inovação tecnológica e mix de portfólio, apesar de estarmos mais cautelosos com o ritmo de reabertura de bares e restaurantes e seguirmos preocupados com as pressões de custo que a empresa deve enfrentar neste ano;
  • Reiteramos nossa recomendação de Compra e aumentamos nosso preço-alvo de R$ 17,15 por ação para R$ 20 por ação, após incorporarmos o 1T21 nos nossos números e atualizarmos os dados macroeconômicos. Clique aqui para o relatório completo.

Itaú (ITUB4): Fed aprova cisão das ações da XP Inc.

  • O Itaú anunciou ontem que o Banco Central dos EUA, Federal Reserve (FED), aprovou a cisão da participação do Itaú nas ações da XP;
  • Caso a fusão da XP Inc. com a XPart seja concretizada, os acionistas do Itaú receberão ações da XP Inc na mesma proporção por elas detidas pela companhia;
  • Em nossa visão, o movimento foi positivo uma vez que acreditamos que deva destravar valor para os acionistas de itaú em uma perspectiva de soma das partes. Sem a XP Inc, o Itaú negociaria a atrativos 1,7x P/PL e 12,7x P/L. Clique aqui para acessar o relatório completo.

Lojas Americanas (LAME4) e B2W (BTOW3): Apresentando a AMER3; Fusão pode destravar reavaliação das ações

  • Em abril, a Lojas Americanas deu mais detalhes quanto à sua fusão com a B2W. Em resumo, o caixa e os ativos operacionais da LAME serão incorporados pela BTOW3, em troca de ações da nova companhia, Americanas S.A., ou AMER3;
  • Nós acreditamos que a fusão poderá destravar a reavaliação do múltiplo da AMER3 uma vez que não entendemos porque o mercado não utiliza o múltiplo EV/GMV para analisar o valuation da Americanas, e utiliza a B2W (100% digital) como uma empresa comparável a players como Magalu e Via (empresas omnichannel);
  • Com isso, atualizamos nossos preços-alvos para LAME4 e BTOW3 para R$30,0/ação e R$94,0/ação, respectivamente e apresentamos um preço-alvos de R$28/ação para LAME3 e R$82,0/ação para AMER3, incorporando os resultados recentes e maior custo de capital. Acesse a análise completa aqui.

Potencial M&A da Vivara (VIVA3)

  • De acordo com notícias, a Vivara está próxima de selar sua primeira grande transação de M&A em uma fusão com uma das mais tradicionais joalherias do país, a H.Stern, fundada em 1945, no Rio de Janeiro, por Hans Stern;
  • Se confirmado, veríamos o movimento como positivo pois reforçaria nossa tese de consolidação, enquanto removeria um importante competidor do setor. Mantemos recomendação de compra e preço alvo de R$33,0 por ação.

LOG CP (LOGG3): Anúncio de venda do ativo BTS Extrema

  • Ontem, a LOG CP anunciou a venda do galpão BTS Extrema com uma área bruta locável de aproximadamente 77 mil m² para o fundo imobiliário BLMG11 (gerido pela BlueMacaw) pelo montante total de R$273 milhões (ou R$3.547/m²), implicando em uma sólida margem bruta de 44%;
  • O pagamento será realizado em duas parcelas: i) R$192 milhões já pago; ii) R$81 milhões a ser pago nos próximos cinco meses, mediante a conclusão das obras;
  • Apesar de vermos a venda como positiva e em linha com a estratégia do fundo de desenvolver e depois reciclar o portfólio como forma de financiar o robusto plano de crescimento (“Todos por 1.4”), mantemos nossa visão mais conservadora com a ação dado o valuation e continuamos com recomendação neutra e preço-alvo de R$40,4/ação.

Notícias Diárias do Setor Financeiro

  • Acesse este relatório com notícias do setor financeiro que complementam nossos comentários publicados no Morning Call, mas que não consideramos relevantes o suficiente para serem analisadas. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

  • Nesta publicação diária, trazemos as principais notícias do setor de varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.) nacional e internacional, complementando nossa visão sobre as tendências e acontecimentos mais importantes do dia. Além disso, o relatório contém um resumo dos múltiplos e recomendações para as empresas de nossa cobertura.
  • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 01/06

  • Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo falam sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança;
  • Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance histórica do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP;
  • Por que essas informações são importantes? Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.