XP Expert

Mercados positivos, atentos ao avanço da temporada de resultados americana

Orçamento fiscal do reino unido e IGP - 10 são alguns dos temas de maior destaque nesta Terça-feira,18/10/2022

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Áudio disponível em breve.


IBOVESPA +1,38% | 113.624 Pontos

CÂMBIO -0,83% | 5,28/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

O mercado local tem mais um dia de agenda fraca e deve continuar sensível à reação externa aos indicadores dos Estados Unidos, como a produção industrial em setembro. Nos Estados Unidos teremos também a divulgação denomes relevantes como Goldman Sachs, Johnson & Johnson e Netflix.

Brasil

O Ibovespa começou a semana no positivo, acompanhando o mercado externo, impulsionado pelo bom resultados dos bancos nos Estados Unidos e o anúncio da reversão parcial do pacote fiscal no Reino Unido. Nesse cenário, o índice local subiu 1,38%, fechando aos 113.624 pontos, enquanto o dólar apresentou queda de 0,83%, cotado a R$5,28. Já as taxas futuras de juros iniciaram a semana em queda, reverberando a menor aversão ao risco pelo mercado. No ambiente doméstico, foi divulgado o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central), que caiu 1,13% em agosto na comparação mensal, acima do previsto pelo consenso do mercado de 0,50%. Da mesma forma, o Boletim Focus do Banco Central apontou redução na inflação esperada para 2022 pela 16ª semana seguida, de 5,71% para 5,62%, assim como para 2023 e 2024. DI jan/23 fechou em 13,678%; DI jan/24 foi para 12,84%; DI jan/25 encerrou em 11,645; DI jan/27 fechou em 11,49%; e DI jan/29 foi para 11,63%.

Ainda sobre Brasil, o IGP-10 de outubro teve deflação de 1,04%, em linha com expectativa. Ainda, o preço médio dos combustíveis volta a subir na bomba, segundo a ANP, após 15 semanas seguidas de queda; e segue a pressão para reajustes pela Petrobras.

Mundo

Hoje, mercados globais amanhecem positivos (EUA +1,5% e Europa +0,5%) enquanto investidores acompanham o avanço da temporada de resultados americana. Até o momento os balanços dos bancos superam as expectativas no agregado, contribuindo para um tom mais positivo nos mercados. Hoje teremos nomes relevantes como Goldman Sachs, Johnson & Johnson e Netflix. Na Europa, o ministro das finanças, Jeremy Hunt, anunciou nesta segunda-feira que irá reverter as propostas para cortes de impostos e reduzir parte do plano para controlar os preços de energia. Na China, o índice de Hang Seng (+1,8%) encerra em alta, acompanhando os pares globais. Em Hong-Kong, rumores indicam novos possíveis incentivos ao mercado imobiliário e as ações das construtoras sobem.

Orçamento fiscal do Reino Unido

O mercado segue observante aos desdobramentos fiscais e financeiros no Reino Unido. Ontem o novo ministro das Finanças no Reino Unido, Jeremy Hunt, descartou quase todas as medidas de impostos e gastos anunciadas anteriormente pela primeira-ministra Liz Truss, reduzindo as preocupações sobre o tamanho do aumento dos empréstimos necessários para financiar os planos. Isto pode levar o Banco da Inglaterra a não aumentar as taxas de juros em novembro tanto quanto o previsto anteriormente. Nessa manhã, porém, o Banco Central inglês disse que rumores ventilados na imprensa sobre a postergação de seu plano aperto quantitativo são falsos, fazendo a libra trocar de sinal e depreciar novamente contra o dólar.

Mercado em Gráfico

A carteira tradicional americana conhecida como “60/40”, composta por 60% de Bolsa americana e 40% de renda fixa do país, vem registrando seu pior desempenho em anos e acumula perda de 20,7% ate agora em 2022. O retorno de ações e da renda fixa tem sido severamente afetado pelo postura mais hawkish – dura – do Federal Reserve de aumento nas taxas de juros para tentar conter a inflação persistente. Para a renda variável, juros mais altos significam custo de capital maior, e ativos de risco sofrem nesse tipo de ambiente. Já a renda fixa tem sofrido pela marcação ao mercado, a medida que os juros sobem, o preço dos títulos também caem. Embora os retornos deste ano tenham apresentado uma queda acentuada, um declínio de dois dígitos na carteira 60/40 não é inédito – como em 2008, por exemplo, quando a carteira 60/40 caiu 20,1%. No entanto, os investidores que foram pacientes com seus portfólios muitas vezes foram recompensados ​​com uma recuperação. Nos anos seguintes “a queda de 2008, os retornos anuais terminaram o ano positivos. Portanto, reforçamos que se manter investido no longo prazo segue sendo a melhor estratégia, mesmo passando por períodos de maior volatilidade e quedas acentuadas.

Veja todos os detalhes

Economia

Mercado reage bem após a inversão de impostos no Reino Unido

  • O mercado segue observante aos desdobramentos fiscais e financeiros no Reino Unido. Ontem o novo ministro das Finanças no Reino Unido, Jeremy Hunt, descartou quase todas as medidas de impostos e gastos anunciadas anteriormente pela primeira-ministra Liz Truss, reduzindo as preocupações sobre o tamanho do aumento dos empréstimos necessários para financiar os planos. Isto pode levar o Banco da Inglaterra a não aumentar as taxas de juros em novembro tanto quanto o previsto anteriormente. Nessa manhã, porém, o Banco Central inglês disse que rumores ventilados na imprensa sobre a postergação de seu plano aperto quantitativo são falsos, fazendo a libra trocar de sinal e depreciar novamente contra o dólar;
  • Na Alemanha, o instituto de pesquisa econômica ZEW anunciou que seu índice de confiança econômica cresceu ligeiramente em outubro, para -59,2, de -61,9 em setembro, superando a previsão de analistas consultados pela Reuters de uma leitura de -65,7. Mesmo com aumento em outubro, atual situação econômica avaliada como significativamente pior do que no mês anterior deixa pouco espaço para otimismo;
  • Na China, dados-chave da economia doméstica, como o PIB do terceiro trimestre, tiveram a divulgação adiada para depois do congresso do Partido Comunista. Nos EUA, os resultados das empresas seguem no radar em dia de divulgação dos dados de produção industrial;
  • No Brasil, o IGP-10 de outubro teve deflação de 1,04%, em linha com expectativa, com manutenção da queda de preços industriais ao produtor e aprofundamento da deflação de produtos agrícolas. E o preço médio dos combustíveis volta a subir na bomba, segundo a ANP, após 15 semanas seguidas de queda; e segue a pressão para reajustes pela Petrobras.

Empresas

Vale (VALE)| 3Q22 production and sales report: An important turning point for base metals

  • A produção de minério de ferro totalizou 89,7 Mt (+21% QoQ, 1% A/A) e a produção de pelotas atingiu 8,3 Mt (-5% QoQ, -1% A/A);
  • A produção melhorou no trimestre, refletindo a estação seca no Sistema Norte e maiores compras de minério de terceiros no Sistema Sul;
  • No entanto, as vendas de finos e pelotas de minério de ferro ficaram abaixo da produção, refletindo os estoques transitórios em toda a cadeia de suprimentos.
  • Os principais destaques foram a produção e vendas de níquel (+51% QoQ, +13% QoQ, respectivamente) e produção e vendas de Cobre (+33%QoQ, +37% QoQ, respectivamente);
  • Os resultados estiveram em linha com as nossas expectativas e ligeiramente melhores do que o consenso. A recuperação em metais básicos parece ser um importante ponto de virada para uma divisão que vem lutando nos últimos trimestres para entregar a produção (e parece estar fechada para um evento de monetização).
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Natura&Co. (NTCO3): Anúncio de possível IPO ou separação da Aesop

  • A Natura&Co. (NTCO3) acabou de anunciar que seu Conselho de Administração autorizou a sua administração a iniciar um estudo comparativa entre uma oferta pública inicial (IPO) da Aesop ou a sua separação do grupo, possivelmente seguida de uma oferta pública, para financiar o crescimento da Aesop;
  • Acreditamos que essa transação destravaria valor, uma vez que enxergamos a NTCO negociando a um valuation assimétrico, com a operação da Natura&Co. LatAm negociando a um desconto de 40% (8,5x EV/EBITDA) aos pares globais, assumindo que todas as outras unidades de negócio (Avon Internacional, The Body Shop e Aesop) tem seu valor zerado;
  • Além disso, enxergamos esse comunicado como o primeiro movimento de reorganização da nova gestão da NTCO, possivelmente abrindo caminho para novos anúncios. Reiteramos nossa recomendação de compra
  • Clique aqui para o relatório completo.

Fleury (FLRY3): Acelerando o Crescimento

  • O Fleury anunciou um aumento de capital que pode variar entre R$603M para R$1,2B, a ser subscrito pelos atuais acionistas;
  • Segundo a empresa, a transação financiará ainda mais o crescimento e a desalavancagem financeira;
  • Vemos o plano de diversificação da empresa com cautela, pois não temos clareza sobre os retornos marginais e a lucratividade que os ativos adquiridos podem entregar;
  • Por fim, consideramos como negativa a sinalização do aumento de capital, devido ao atual nível de preços. Mantemos a nossa visão neutra em relação ao papel devido ao seu potencial de crescimento orgânico e rentabilidade;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Rumo (RAIL3): Tracker Mensal de Ferrovia – Dados de Volume de Setembro

  • A Rumo registrou volumes sólidos (+39% A/A em Set’22 e +24% A/A no 3T22), sustentados especialmente por uma forte temporada de milho (volumes +148% A/A em Set’22 e +83% A/A em 2022 até então);
  • Esperamos fortes volumes para o 4T22 (sustentando o guidance da Rumo para 2022), suportados por: (i) sólidas perspectivas para a colheita de milho no MT; e (ii) melhoria da competitividade tarifária da rota de exportação Sorriso-Santos (11% mais barata que o Arco Norte [Sorriso-Barcarena]);
  • Em uma base UDM¹, a Rumo continuou a ganhar participação de mercado (46% em Set’22 UDM, vs. 42% em 2021 e 40% em 2020), com o Arco Norte (incluindo HBSA) perdendo participação ligeiramente em 30% (vs. 31% em 2021 e 34% em 2020);
  • Reiteramos nossa perspectiva positiva para as exportações de grãos do Centro-Oeste do Brasil e as recomendações de Compra para RAIL3 e HBSA3;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Varejo: Feedback do Roadshow; Setor não está barato, mas há espaço para aumentar exposição

  • Tivemos mais de 30 reuniões nos últimos dias com investidores institucionais em São Paulo e no Rio para discutir nossa cobertura;
  • No geral, as principais posições se mantém as mesmas, mas notamos um aumento de exposição em SOMA e LREN, enquanto o segmento de e-commerce volta à pauta de discussões. Olhando para os nomes isolados, LREN, ARZZ, SOMA e ASAI se destacaram como as empresas mais discutidas, enquanto NTCO e AMER estão sob o radar dos investidores;
  • Clique aqui para o relatório completo.  

Sala de Espera XP (Parte 2): Prévia de resultados do 3T22

  • Na segunda parte da nossa prévia de resultados do setor de saúde, apresentamos as nossas expectativas para o segmento de laboratórios: Fleury e Pardini;
  • No geral, esperamos que ambas as empresas apresentem resultados neutros, com os testes Covid-19 perdendo importância por mais um trimestre, tornando-se muito pouco relevantes na receita total das empresas;
  • Portanto, não esperamos grandes surpresas tanto em relação ao crescimento quanto às margens;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Aperto monetário começa a pesar no resultado financeiro de empresas (Valor);
    • Balanços dos grandes bancos dos EUA não indicam recessão à vista (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Oi vai reduzir em 50 vezes o número de ações circulando no mercado (Telesíntese);
    • Velocidade da banda larga móvel dispara no 3º tri com o 5g “puro” (Telesíntese);
    • Claro, TIM e Telefônica tentam no STJ derrubar liminar favorável à Oi (Valor);
    • Cabo óptico para Infovia 01 do Norte Conectado chega a Manaus (Teletime);
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Conselho da Natura &Co autoriza estudos para IPO ou separação da Aesop (Valor Investe);
    • Guararapes recruta CFO da Qualicorp  (Brazil Journal);
    • Quanto e como os consumidores querem gastar na Black Friday da Shopee (O Globo);
    • Shein salta para a revenda (Retail Dive);
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • USDA: Em 2023 Brasil responderá por cerca de 25% das exportações mundiais de carnes – Avisite;
    • Preços na China sobem em setembro no ritmo mais rápido desde abril de 2020 – Suinocultura Industrial;
    • Logística melhora no Mississippi, e milho cai em Chicago – Valor;
    • Payly: A nova fintech da Raízen pode trazer R$ 500 milhões ao Ebitda – Pipeline;
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Investimento em fonte solar acelera e chega a R$ 25,9 bi. (Valor Econômico);
    • Tarifa extra, ‘Fio B’ custa em média 28% da conta de luz. (Valor Econômico);
    • Gasolina volta a subir nos postos após 15 sem. (Valor Econômico);

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Bank of America supera estimativas com taxas de juros mais altas

  • Bank of America supera estimativas com taxas de juros mais altas;
  • BYD mais de 5% após prever salto nos lucros;
  • Resultados da Charles Schwab superam estimativas, com fluxo recorde proveniente dos investidores de varejo;
  • Expectativas dos economistas para uma recessão nos Estados Unidos aumentam;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

Criptoativos

Hoje em Criptos | Ripple lança sidechain compatível com a Ethereum

  • Lei do Japão pode exigir que exchanges compartilhem informações de clientes (BeInCrypto);
  • Mastercard ajudará bancos a oferecer negociação de criptomoedas (Cointelegraph);
  • Ripple lança sidechain compatível com a Ethereum (Decrypt);
  • Konami entrará nos setores de metaverso e Web3 (Livecoins);
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Renda Fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Balanços dos grandes bancos dos EUA não indicam recessão à vista (Valor Econômico);
  • Sebrae cria fintech de crédito com capital de R$ 600 milhões (Valor Econômico);
  • Caixa lança linha de crédito de R$ 1 bi para mulheres MEIs (Valor Econômico);
  • Família Pinheiro planeja abrir mão do controle da financeira BRK (Valor Econômico);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Real Investor: case de sucesso em tempos de incertezas

  • Qual o segredo dos fundos de ações que conseguiriam se manter resilientes em meio as ondas de incertezas dos últimos 36 meses? Quais aspectos de gestão e alocação foram responsáveis por uma performance positiva contra outros cases da indústria? Abordaremos esse assunto com mais detalhe analisando a performance do fundo Real Investor FIC FIA BDR Nível I;
  • Neste relatório, abordaremos as diferentes janelas de performance do fundo Real Investor FIC FIA BDR Nível I, bem como as diferentes fontes de retorno do fundo. Confira a Real Investor conseguiu passar com resiliência pelos desafios macroeconômicos recentes;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
  • HCTR11, MXRF11: Fundos imobiliários distribuirão rendimentos hoje (Suno);
  • HGLG11: Taxa de Vacância em Alta É Sempre um Risco? (The Capital Advisor);
  • Fundo imobiliário pretende investir até R$ 86 mi em ativos; Ifix sobe (MoneyTimes);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

ESG

Brasil deve atingir alta de 7% nas emissões de metano até 2030, mas poderia reduzir 36% | Café com ESG, 18/10

  • O mercado fechou o pregão de segunda-feira em território positivo, com o Ibov e o ISE em alta de +1,4%;
  • No Brasil, (i) uma análise divulgada ontem pelo Observatório do Clima mostrou que, apesar do comprometimento do país com a meta mundial de redução de 30% nas emissões de gás metano até 2030, no ritmo atual, deve chegar ao fim da década com uma alta de 7% nas emissões desse gás – o trabalho considerou também o potencial de redução de emissões de uma série de medidas já disponíveis no país e concluiu que, se elas forem adotadas amplamente, levariam a uma redução de 36% do problema; e (ii) a Caixa Econômica Federal e a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) assinaram uma parceria para ampliar a oferta de linhas de crédito para geração de energia solar fotovoltaica, o que irá viabilizar novos investimentos em projetos de geração distribuída;
  • No internacional, Ren Jingdong, diretor do Gabinete Nacional de Administração Energética, durante coletiva de imprensa ocorrida durante o Congresso do Partido Comunista da China, informou que o país pretende manter incentivos à produção interna de carvão até 2025 como uma maneira de garantir que a China não sofra com apagões, como os ocorridos neste ano em decorrência de uma forte seca que afetou a produção energética do país por hidrelétricas – ao continuar a incentivar o uso do carvão, a China se distancia de sua meta para reduzir suas emissões de carbono até 2030. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.