XP Expert

Mercados monitoram de perto a tensão na Ucrânia

No cenário geopolítico internacional, as tensões geradas pela ação militar da Rússia na fronteira ucraniana estão entrando em uma semana potencialmente decisiva

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +0,2% | 113.572 Pontos

CÂMBIO +0,1% | 5,25/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque da Semana

Nesta semana,  o principal destaque no cenário internacional deverá ser a escalada das tensões na Ucrânia e seus impactos sobre os preços das principais commodities. Ao final da sexta-feira, os Estados Unidos alertaram que a Rússia estaria concentrando mais tropas ao redor da Ucrânia e que uma invasão poderia acontecer. Com isso, a volatilidade nos mercados teria aumentado novamente, com preços do petróleo avançando rapidamente. Já na seara de dados econômicos, nesta semana, teremos as divulgações da inflação de janeiro nos EUA (ao produtor) e na China (ao produtor e ao consumidor), além de dados de atividade econômica em países desenvolvidos. Já no cenário doméstico, o destaque vai para a negociação dos projetos de desoneração de combustíveis.

Mundo

Hoje, Bolsas Internacionais amanhecem negativas (EUA -1,1% e Europa -2,8%), em um movimento de aversão ao risco, enquanto investidores monitoram os possíveis impactos de uma invasão da Rússia na Ucrânia, ao passo que as tensões escalam na região. Na China, o índice de Hang Seng encerra em campo negativo (-1,4%) em consequência das tensões geopolíticas internacionais e do avanço no número de casos da Covid-19 na região. Hong Kong registrou mais de 6,5 mil casos na última semana, um salto de 524% versus a semana anterior. Por fim, o petróleo e o gás natural amanhecem em alta de 0,2% e 5,5% respectivamente, diante do risco de um desbalanço ainda maior na cadeia de abastecimento global.

Ucrânia

No cenário geopolítico internacional, as tensões geradas pela ação militar da Rússia na fronteira ucraniana estão entrando em uma semana potencialmente decisiva. Jake Sullivan, conselheiro de segurança nacional dos Estados Unidos, disse no domingo que um ataque da Rússia contra a Ucrânia pode começar “a qualquer momento”. No mesmo dia, Joe Biden disse ao presidente ucraniano que os EUA e seus aliados responderiam “rápida e decisivamente” a qualquer agressão russa. Já o chanceler alemão Olaf Scholz viaja para Moscou na terça-feira, em um novo esforço para impedir uma invasão à Ucrânia. O aumento dos riscos geopolíticos estaria atingindo os mercados de ações, levando o índice Stoxx 600 da Europa ao nível mais baixo em três semanas.

Economia

No Brasil, poucas notícias econômicas no fim de semana. O presidente Bolsonaro disse no sábado que vem discutindo com a Petrobras como reduzir os preços dos combustíveis, mas descartou uma mudança na política de preços da empresa. No campo macroeconômico, a perspectiva de inflação piorou e o discurso do Copom tornou-se (ainda) mais duro: o Comitê estaria revelando a sua preferência por um ajuste antecipado. Agora, projetamos a taxa Selic terminal em 12,75% (versus 11,75% antes), com alta de 1,0 pp em março, 0,75 pp em maio e 0,25 pp em junho. Com a Selic em um patamar tão contracionista, ainda vemos espaço para o início do ciclo de flexibilização que ocorreria em dezembro.

Ações

Desde a sexta-feira à noite, o time de Ações publicou uma série de relatórios, dentre eles: (i) Mineração, Siderurgia, Papel e Celulose: O que podemos esperar para os resultados do quarto trimestre? Clique aqui; (ii) Elétricas e Saneamento – Prévia de resultados do 4T21 (parte 1): O fim de um ano de pesadelo – Clique aqui; (iii) Usiminas (USIM5): Ainda com resultados sólidos no quaro trimestre, mas margens começam a normalizar – Clique aqui; (iv) Allied (ALLD3): entenda por que os preços das ações podem cair nos próximos dias – Clique aqui.

Veja todos os detalhes

Agenda de resultados

Banco do Brasil (BBSA3): Após o fechamento
Banco do Estado do Rio Grande do Sul (BRSR6):  Após o fechamento
Engie Brasil SA(EGIE3): Após o fechamento
São Martinho (SMTO3): Após o fechamento

Calendário do 4T21

Temporada de resultados do 4º trimestre 2021 – o que esperar?

Economia

Os mercados monitoram de perto a tensão na Ucrânia. No Brasil, projetamos a taxa Selic chegando a 12,75% agora, na esteira do discurso mais duro do Banco Central

  • As tensões geradas pela ação militar da Rússia na fronteira ucraniana estão entrando em uma semana potencialmente decisiva. Jake Sullivan, conselheiro de segurança nacional dos EUA, disse no domingo que um ataque da Rússia contra a Ucrânia pode começar “a qualquer momento”. No mesmo dia, o presidente dos EUA, Joe Biden, disse ao presidente ucraniano que os EUA e seus aliados responderiam “rápida e decisivamente” a qualquer agressão russa contra seu país. O chanceler alemão Olaf Scholz viaja para Moscou na terça-feira, em um novo esforço para impedir uma invasão à Ucrânia. O aumento dos riscos geopolíticos está atingindo os mercados de ações, levando o índice Stoxx 600 da Europa o nível mais baixo em três semanas. O petróleo bruto Brent está sendo negociado a quase 95 dólares por barril, 22% acima do início do ano. O gás natural sobe 5,5% hoje;
  • Outros destaques desta semana são as atas do FOMC (comitê de política monetária dos EUA) e os números da inflação na China, ambos na quarta-feira. Além disso, membros do banco central americano (Loretta Mester, James Bullard) e a presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, farão discursos durante a semana;
  • No Brasil, poucas notícias econômicas no fim de semana. O presidente Bolsonaro disse no sábado que vem discutindo com a Petrobras como reduzir os preços dos combustíveis, mas descartou uma mudança na política de preços da empresa;
  • O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) – uma proxy mensal para o PIB do Brasil – aumentou 0,3% mês a mês em dezembro, abaixo da nossa estimativa e do consenso de mercado (0,6% e 0,5%, respectivamente). Ainda assim, o indicador avançou 1,3% em relação a dezembro de 2020, praticamente em linha com as expectativas (XP: 1,2%; consenso: 1,0%). Nosso monitor de alta frequência para o crescimento do PIB no quarto trimestre aponta para 0,3% no trimestre (1,3% no ano), levando a um aumento de 4,5% no ano de 2021 e um efeito estatístico de +0,1pp para o crescimento do PIB em 2022. Projetamos o PIB do Brasil ficando estável este ano (0%) e se recuperando moderadamente no próximo ano (1,2%);
  • A perspectiva de inflação piorou e o discurso do Copom tornou-se (ainda) mais duro. O Comitê está revelando a preferência por um ajuste antecipado. Projetamos agora a taxa Selic terminal em 12,75% (11,75% antes), com alta de 1,0 pp em março, 0,75 pp em maio e 0,25 pp em junho. Com a Selic em patamar tão contracionista, ainda vemos espaço para o início do ciclo de flexibilização que ocorre em dezembro.

Boletim FOCUS – data de referência: 11 de fevereiro

  • Destaque: Mercado aumenta projeção para a Selic de 2022;
  • No campo da inflação, a mediana das expectativas do mercado para a variação do IPCA em 2022 aumentou de 5,44% na semana passada para 5,50% na divulgação de hoje, marcando a quinta elevação consecutiva (estava em 5,09% há 1 mês). Enquanto isso, a previsão para o IPCA de 2023 permaneceu em 3,50%, enquanto a projeção para 2024 subiu ligeiramente de 3,00% para 3,04%;
  • Em relação à política monetária, o consenso de mercado para a taxa Selic subiu de 11,75% para 12,25% no final de 2022, ficou estável em 8,00% para o final de 2023, e ascendeu de 7,00% para 7,25% no final de 2024;
  • Pelo lado da atividade econômica, o consenso para o crescimento real do PIB em 2022 ficou estável em 0,30%, ao passo que a mediana das previsões para 2023 exibiu ligeiro recuo de 1,53% para 1,50%. A projeção de mercado para o PIB de 2024 continuou em 2,00%;
  • Por fim, o consenso para a taxa de câmbio no final de 2022 caiu marginalmente de R$/US$ 5,60 para R$/US$ 5,58. O boletim FOCUS também mostrou queda na projeção para o final de 2023 (de R$/US$ 5,50 para R$/US$ 5,45).

Empresas

Usiminas (USIM5): Resultados do quarto trimestre – Ainda com resultados sólidos, mas margens começam a normalizar

  • Destaques Financeiros: A Usiminas apresentou um EBITDA Ajustado de R$2.458 milhões no trimestre, porém este número inclui um ganho não recorrente de R$ 619 milhões em créditos tributários e reversões de provisões de fundos de pensão. Excluindo este efeito, temos um EBITDA Recorrente Ajustado de R$ 1.839 milhões;
  • Siderurgia: Os volumes totais caíram 10,5% no trimestre devido a menores vendas domésticas de 792 mil toneladas (kt) (-27% contra o trimestre anterior “T/T”, e -27,5% contra o ano anterior “A/A” ) parcialmente compensadas por maiores exportações de 272kt (+161,5% T/T. +580% A/A). Os preços realizados caíram -7,5% T/T em dólares, mas foram ajudados pelo melhor câmbio. Adicionalmente, os menores volumes e maiores preços do carvão contribuíram para um aumento de 14,8% T/T no custo caixa por tonelada, pressionando a margem EBITDA Ajustada Recorrente para 20,9% (vs 25,8% no 3T21 e 14,5% no 4T20). Em termos absolutos, este EBITDA Recorrente Ajustado foi de R$ 1.443 milhões -29,6% T/T e +138,5% A/A;
  • Mineração: Embora os volumes tenham aumentado 7,6% T/T e contribuído para a redução do custo por tonelada, não foi suficiente para compensar uma queda acentuada nos preços realizados de 38,9% T/T, devido tanto aos preços de referência mais baixos quanto ao aumento do desconto para a referência. Isso resultou em um EBITDA de R$ 256 milhões, -63% inferior ao trimestre anterior e 49% abaixo da nossa estimativa;
  • Nossa Visão: Vemos o resultado da Usiminas como um pouco negativo, pois veio em linha com as expectativas do mercado, mas com tendência de queda de margens. Embora ainda vejamos uma margem EBITDA recorrente historicamente alta para a Usiminas de 22,8%, o maior custo caixa no segmento siderúrgico deve continuar pressionando as margens no 1T22 e maiores descontos nos preços spot de minério devem pressionar o faturamento do segmento de mineração. Mantemos nossa recomendação Neutra em USIM5 com TP de R$15,5/ação;
  • Para mais detalhes, acesse o relatório completo aqui.

Elétricas e Saneamento – Prévia de resultados do 4T21 (parte 1): O fim de um ano de pesadelo

  • Apesar do último semestre ter sido marcado pela recuperação da hidrologia e redução do isolamento social, esperamos que as elétricas apresentem resultados de neutros a negativos no 4T21. Nossa expectativa se baseia no fato de que como medida preventiva para poupar os reservatórios o GSF permaneceu baixo no período (66%) e a geração de fontes eólicas e solares foi impactada negativamente pelo aumento das chuvas. Em relação à demanda de energia, houve de acordo com a CEEE uma redução de (1,4%) A/A;
  • Do lado das distribuidoras de energia, os resultados do 4T21, apesar de melhores que no mesmo período de 2020, ainda devem desapontar com volumes de venda de energia pressionados por temperaturas mais baixas e pelo crescimento econômico limitado devido à pandemia;
  • Quanto às geradoras, esperamos que apesar do maior volume de chuvas no período, as medidas tomadas pelo governo para preservar reservatórios desincentivando a demanda e aumentando o despacho de térmicas impactem negativamente os resultados, que podem ser compensados por estratégias de comercialização de cada companhia;
  • Por fim, não deverá haver grandes surpresas no segmento de transmissão de energia. Quanto às companhias de saneamento, os resultados devem ser impactados negativamente por custos com energia elétrica mais elevados e volumes ligeiramente mais fracos A/A. Clique aqui para acessar o relatório completo.

Usiminas (USIM5): O que podemos esperar para os resultados do quarto trimestre?

  • Mineração: O quarto trimestre deve mostrar resultados mais fracos para o segmento de minério de ferro, devido aos menores preços da commodity (média de US$ 111/t, -33% contra o trimestre anterior) compensados ​​pelo menor custo de frete (rota C3 Tubarão-Qingdao caiu – 15% contra o trimestre anterior). O destaque positivo será a produção sazonalmente maior que pode ajudar a diluir os custos fixos no trimestre. Investidores devem ficar atentos às teleconferências para avaliar o impacto da situação recente na China, uma vez que os cortes de produção no setor industrial aliados às incertezas em torno do segmento de construção civil afetaram fortemente os preços do minério de ferro. No entanto, políticas fiscais recentes podem estimular a atividade e os preços do minério de ferro reagiram no final de dezembro (atualmente em torno de US$ 150/t);
  • Siderurgia: As siderúrgicas ainda devem apresentar números fortes, embora mais fracos que o 3T21. Dado os preços realizados ligeiramente mais baixos, juntamente com volumes mais baixos e preços de carvão mais altos, começa a se refletir nos resultados. No Brasil, os volumes de aços planos e longos retraíram 17% no trimestre, com preços em queda e preços mais altos de carvão e sucata. Embora as margens devam começar a se contrair no 4T21, elas permanecerão em níveis historicamente elevados. Os investidores devem ficar atentos aos volumes e preços no Brasil, dada a atividade mais lenta;
  • Papel e Celulose: Os preços de celulose apresentaram queda relevante no 4T (média de BKHP China a US$ 570/t, -12% QoQ), impactado principalmente pelo aumento da oferta da nova planta de celulose da Bracell e pela desaceleração na produção de papel na China devido aos impactos da covid. Os investidores devem estar atentos às Teleconferências para avaliar o impacto desses projetos de expansão e outros (projeto MAPA da Arauco e nova fábrica da UPM no Uruguai) nos preços da celulose, juntamente com a retomada da atividade na China. Em papel e embalagens, os volumes devem diminuir um pouco, mas a demanda resiliente deve manter os preços mais elevados. No entanto, as margens devem contrair devido ao aumento dos custos de produção no trimestre;
  • Para mais detalhes, acesse o relatório completo aqui.

Allied (ALLD3): entenda por que os preços das ações podem cair nos próximos dias

  • Na última sexta-feira à noite (11), a Allied anunciou via Fato Relevante que ela espera reconhecer dois efeitos não recorrentes relacionados a impostos no seu resultado do quatro trimestre de 2021 (4T21). Combinados, ambos os efeitos devem reduzir o lucro líquido do trimestre em cerca de 48 a 55 milhões de reais – sendo que a média desses valores equivale a praticamente dois terços do lucro líquido que a companhia esperava para o 4T21. Em outras palavras: anteriormente, a Allied esperava ter um lucro líquido entre 72 e 83 milhões de reais no trimestre, mas agora este valor deve ser reduzido para algo entre 17 e 35 milhões devido aos dois efeitos não recorrentes. Clique aqui para ler o relatório completo;
  • Vale ressaltar que a Allied acredita que outras empresas do setor devem ser afetadas pela mesma decisão judicial que gerou grande parte do efeito recorrente não negativo no seu resultado. Nesse sentido, a companhia entende que a indústria como um todo já teria começado a aumentar preços numa tentativa de repassar tais efeitos negativos, sendo que o ecommerce é o canal primordialmente afetado pela decisão fiscal. Por um lado, tais eventos de fato parecem ter implicações negativas relevantes para os resultados da Allied no curto prazo; por outro lado, entendemos que se trata de um acontecimento pontual que não altera significativamente os fundamentos operacionais de longo prazo da companhia.

Hapvida (HAPV3): Crescendo em regiões importantes

  • A Hapvida anunciou a aquisição de 100% do Grupo Smile por R$300M:
    • O Grupo é uma operadora de planos de saúde com 80 mil vidas em Maceió (AL), João Pessoa (PB) e Brasília (DF) e um hospital em João Pessoa com 39 leitos;
    • Assumindo que o EV por leito (considerando o imóvel do hospital) seja de R$1,2M – o valor pago pela GNDI na aquisição do seu último hospital -, e, portanto, estimamos que o EV de R$46,8M apenas do hospital;
    • Deduzindo o EV do hospital dos R$300M, estimamos que o EV por beneficiário de saúde de R$3.165, o qual consideramos como justo considerando o tamanho da aquisição.
  • Apesar de a Hapvida não ter divulgado nenhuma métrica financeira do Grupo Smile, nós consideramos a aquisição como estrategicamente positiva, dado que fortalece a presença da Hapvida em regiões relevantes.

Pague Menos (PGMN3): CADE declara a análise de Extrafarma como complexo

  • A companhia publicou um comunicado a mercado na sexta-feira (11/02) à noite, informando que a Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (“SG-CADE”) declarou a análise da aquisição da Extrafarma como complexa. O parecer final deve levar 60-90 dias, de modo que o fechamento da operação ficaria para meados do 2T22;
  • Trata-se de uma etapa comum em aquisições como essa com outros deals tendo passado pelo mesmo processo. Alguns exemplos são: CRFB e Grupo BIG, Ultrapar e Alesat, BMF&Bovespa e Cetip, venda da Oi Móvel, Hapvida e Notre Dame, Ambev e Red Bull (distribuição). Desses, apenas Ultrapar e Alesat não foi aprovado;
  • Dessa forma, não vemos o anúncio como um motivo para preocupação com a aprovação do deal. No entanto, pode aumentar o risco da recomendação de remédios. Mantemos recomendação de Compra e preço alvo de R$13,0 por ação;
  • Veja nosso relatório aqui.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Setor de cartões tenta evitar teto para tarifa de pré-pagos (Valor);
    • Bancos veem ano menos animador (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Presidente do BC alerta que pior momento da inflação ainda virá: entre abril e maio. (Estadão);
    • Tensão na Ucrânia pressiona cotação do petróleo e inflação. (Estadão);
    • Sem Carnaval e com Copa do Mundo só no 2º semestre, varejo de moda terá período atípico. (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Commodities: Tensão Rússia-Ucrânica volta a impulsionar o trigo em Chicago. (Valor);
    • Conab corta safra de soja em 15 milhões de toneladas e descarta recorde. (Avisite);
    • Exportações de carne bovina dos EUA ultrapassam USD 10bi pela primeira vez. (Euromeat);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Falta de linhas de transmissão é desafio para projetos de energia solar. (Estadão);
    • Tensão na Ucrânia pressiona cotação do petróleo e inflação. (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Intel vs. AMD

  • Under Armour reporta bons resultados, mas projeções futuras impactaram negativamente as ações;
  • Intel perde participação no lucrativo segmento de chips para servidores;
  • Youtube investe no metaverso;
  • Deterioração do cenário macroeconômico deverá limitar o retorno do S&P 500 em 2022;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

ESG

SEC avança com proposta obrigatória de risco climático para empresas listadas nos EUA | Café com ESG, 14/02

  • Na sexta-feira, o Ibov fechou em leve alta +0,2%, enquanto o ISE recuou -0,7%. Na semana, o Ibov encerrou em território positivo (+1,2%), enquanto o ISE ficou de lado;
  • No Brasil, a migração para o sistema de plantio direto (SPD) de alta qualidade, expansão da adoção de sistemas integrados e utilização da tecnologia de fixação biológica de nitrogênio (FBN) são fundamentais para que a produção de soja continue a avançar no Brasil sem aumento das emissões de gases de efeito estufa;
  • No internacional, (i) o chefe da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) disse nesta sexta-feira que está trabalhando “de perto” com comissários para definir detalhes da proposta obrigatória de risco climático da agência; e (ii) os novos planos de energia renovável da China se concentrarão no Gobi e em outras regiões desérticas, à medida que acelera a construção de novas bases de energia eólica e solar e aumenta sua capacidade de transmissão, disseram os reguladores em novo documento;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.