XP Expert

Destaques da semana incluem temporada de balanços, dados da China, COPOM e IPCA-15

Temporada de resultados, COPOM e política zero-Covid na China são alguns dos temas de maior destaque nesta segunda-feira, 24/10/2022

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +2.35% | 119.928 Pontos

CÂMBIO -1.33% | 5.14/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Agenda da semana

No cenário internacional, os investidores vão ficar de olho na divulgação do balanços das big techs americanas: Apple, Amazon, Microsoft e Alphabet irão divulgar os resultados do terceiro trimestre. Na agenda econômica, destaque para as divulgações de dados de PMI, PIB do terceiro trimestre e o deflator do PCE dos EUA. Na Europa, além do PMI, teremos decisão de juros pelo Banco Central Europeu.

Já no Brasil, a temporada de resultados do terceiro trimestre também começa a ganhar força, com nomes como Vivo, WEG, Vamos, Vale e Ambev divulgando seus balanços nos próximos dias. A semana também será marcada por mais um anúncio do Comitê de Política Monetária (COPOM) do Banco Central, que deverá vir sem grandes novidades. De dados econômicos, teremos semana repleta de indicadores com destaque ao IPCA-15 amanhã, para qual é esperada interrupção da sequência de deflações.

Resumo da semana anterior

Em semana de alta nos mercados globais, o Ibovespa encerrou com ganhos de 7,0%, quase aos 120 mil pontos. Dentre as ações que registraram os maiores movimentos ao longo dos dias, destaque para ações da Natura (NTCO3) que saltaram quase 18% após a companhia anunciar um possível IPO ou separação da Aesop. E Banco do Brasil (BBAS3) também subiu 14%, refletindo expectativas quanto às eleições. Na outra ponta, Americanas (AMER3) e MRV (MRVE3) foram as ações que mais caíram com uma piora nas expectativas do resultados para o terceiro trimestre.

Já o Dólar fechou a semana com queda de -3,05% em relação ao Real, em R$ 5,16/US$. Na Renda Fixa, as taxas futuras de juros fecharam a semana anterior perto da estabilidade à medida que os investidores reagiram aos sinais de que as autoridades do Federal Reserve (Fed) podem iniciar uma discussão para reduzir o ritmo atual de alta nas taxas de juros americanas na reunião de dezembro. DI jan/23 fechou em 13,684%; DI jan/24 foi para 12,825%; DI jan/25 encerrou em 11,64%; DI jan/27 fechou em 11,49%; e DI jan/29 foi para 11,63%.

Mercados hoje

As bolsas internacionais amanhecem positivas (EUA +0,2% e Europa +1,2%) enquanto investidores aguardam novas divulgações de resultados. Esta semana será marcada pelos balanços das big techs: Microsoft, Alphabet, Meta, Apple e Amazon reportarão seus números. Até o momento das 99 empresas do S&P 500, que já reportaram seus resultados, 75% superaram as expectativas de lucro do consenso, segundo a Refinitiv. Na Europa, a prévia do PMI composto da Zona do Euro registrou 47,1 pontos vs. 47,5 das estimativas, sugerindo que a atividade econômica da região está contraindo no ritmo mais rápido dos últimos 2 anos e caminha para uma recessão. Ainda em solo Europeu, o ex-ministro das finanças Rishi Sunak, poderá ser anunciado como o novo primeiro-ministro do Reino Unido ainda nesta segunda-feira. Na China, o índice de Hang Seng (-6,4%) encerrou em uma nova mínima dos últimos 13 anos, após o presidente Xi Jinping ser confirmado no poder com novos aliados para cargos de liderança, além disso também sinalizou que não haverá trégua no escrutínio de empresas privadas. Os ruídos políticos compensaram a surpresa positiva no PIB chinês, que cresceu 3,9% a.a. vs. 3,4% do consenso da Reuters.

Temporada de resultados do terceiro trimestre

No Brasil, a temporada de resultados do terceiro trimestre de 2022 (3T22) se iniciou no dia 13 de outubro de 2022, e os mercados vão avaliar os impactos da inflação global em alta, a economia brasileira resiliente e riscos crescentes de uma recessão nos balanços das empresas brasileiras. Em relação ao mesmo período de 2021, o mercado espera um crescimento do Lucro por Ação (LPA) das empresas do Ibovespa em 19%, provavelmente explicado pela recuperação no cenário doméstico e a maior capacidade de repasse da inflação aos consumidores. Já em relação ao Lucro Operacional (EBITDA) das empresas, o mercado espera +25% de crescimento. Para ver os detalhes, veja o relatório completo.

Dados fracos na Europa; Reino Unido deve anunciar um novo primeiro ministro

Dados econômicos divulgados nesta manhã mostraram que o setor manufatureiro alemão recuou ainda mais em território de contração, com o Índice de gerentes de compras (PMI) industrial do país caindo para 45,7 em outubro, de 47,8 no mês anterior. E no Reino Unido, o Partido Conservador deve selecionar um novo líder que se tornará primeiro-ministro, o quinto do país em seis anos, ainda nesta segunda-feira. O ex-chanceler Rishi Sunak é o favorito depois que o ex-primeiro-ministro Boris Johnson desistiu da disputa no domingo.

China cresce mais do que esperado, mas reitera política de zero-Covid

A China se recuperou em um ritmo mais rápido do que o esperado no terceiro trimestre, crescendo 3,9% em relação ao ano anterior, superando a previsão de 3,4%, e mais rápido do que o crescimento de 0,4% em o segundo trimestre. No entanto, a demanda doméstica diminuiu no final do trimestre, à medida que um surto de casos de coronavírus levou a bloqueios, enquanto o crescimento das exportações desacelerou e o principal setor imobiliário esfriou ainda mais, apontando para uma recuperação difícil. E a China parece pronta para continuar com suas políticas rígidas de COVID endossadas pelo Partido Comunista.

Resumo da Semana

Nos EUA, os índices tiveram mais uma semana positiva, apesar da temporada de resultados do 3T22 mista até agora. Como destaque positivo na semana temos o Netflix, que subiu mais de +14%, reportando uma surpresa tanto no crescimento de sua base de usuários quanto em termos de lucratividade. Na ponta negativa temos a Tesla e o Snap, caindo -6,3% e -28% após as divulgações dos balanços. Em relação à Tesla, o mercado reagiu às expectativas mais fracas sobre a demanda futura dos veículos após a empresa decepcionar levemente as projeções de faturamento. Já o Snap apresentou seu menor crescimento de receitas desde o IPO, impactadas por menores gastos de propagandas, o que derrubou também outras empresas de tech americanas.

O rumo da política monetária continuou no radar e as taxas de juros das Treasuries de 10 anos chegaram a atingir quase o maior nível desde 2008. As taxas voltaram a cair com sinais de que o Federal Reserve pode começar a moderar as altas de juros em algum momento. Com isso, os índices americanos registraram um forte rali na sexta-feira e terminaram mais uma semana em território positivo.

Veja todos os detalhes

Economia

PMIs em contração na Europa; PIB chinês melhor que esperado não anima mercado

  • Na Alemanha, o mostrou o índice composto de gerentes de compras (PMI) caiu para 44,1, de 45,7 em setembro, a menor desde maio de 2020, quando o país estava sob bloqueio da COVID. Os altos custos de energia foram um fator importante, especialmente na manufatura, onde a taxa de contração foi a mais rápida em dois anos e meio, embora a manufatura também tenha sido afetada pela demanda mais fraca, disse a S&P Global. O PMI de manufatura flash caiu para 45,7 de 47,8 no mês anterior;
  • No Reino Unido, o PMI caiu mais do que o esperado para 47,2 em outubro, seu nível mais baixo desde março de 2021, depois que uma tentativa de cortar impostos da então primeira-ministra Liz Truss que prejudicou a libra e os mercados de títulos do Reino Unido, elevando as cotações de juros do mercado;
  • O Índice de Gerentes de Compras (PMI) composto da zona do euro, visto como um bom guia para a saúde econômica geral, caiu para 47,1 de 48,1 em setembro, abaixo das expectativas de 47,5 em uma pesquisa da Reuters. Outubro foi o quarto mês abaixo da marca de 50 que separa crescimento de contração e foi a leitura mais baixa desde novembro de 2020. As fábricas foram particularmente atingidas pelos aumentos dos preços da energia e devido às cadeias de suprimentos ainda se recuperando da pandemia de coronavírus, atingidas pela invasão da Ucrânia pela Rússia;
  • Já a China se recuperou em um ritmo mais rápido do que o esperado no terceiro trimestre, crescendo 3,9% em relação ao ano anterior, superando a previsão de 3,4%, e mais rápido do que o crescimento de 0,4% em o segundo trimestre. No entanto, a demanda doméstica diminuiu no final do trimestre, à medida que um surto de casos de coronavírus levou a bloqueios, enquanto o crescimento das exportações desacelerou e o principal setor imobiliário esfriou ainda mais, apontando para uma recuperação difícil;
  • Na agenda, nos EUA, PMIs de manufatura (exp. 51,0), serviços (exp. 49,5) e composto (exp. 49,3) de outubro;
  • No Brasil, teremos semana repleta de indicadores com destaque ao IPCA-15 amanhã, para qual é esperada interrupção da sequência de deflações, e à decisão do Copom na quarta-feira, que deverá vir sem grandes novidades.

Empresas

Pague Menos (PGMN3): Feedback do Investor Day; Integração em foco

  • A Pague Menos realizou seu Investor Day na sexta-feira (21/10) para fornecer uma atualização de sua estratégia e perspectivas de negócio;
  • As principais mensagens foram: i) o foco no curto prazo é na integração da Extrafarma, com o guidance de sinergias evoluindo conforme esperado e, inclusive, com indicações positivas para eventualmente até superarem as expectativas; ii) expansão orgânica continua, principalmente através das lojas discount nas regiões Norte / Nordeste; e iii) o Hub de saúde é uma alavanca estratégica, com o management vendo muita oportunidade de melhorar a jornada de saúde dos consumidores através de uma proposta de valor mais balanceada e acessível;
  • Nós reiteramos nossa recomendação de Compra e preço alvo de R$7,0 por ação;
  • Clique aqui para o relatório completo.

Saúde: Destaques do NDR do Analista

  • Durante a última semana realizamos um non-deal roadshow (NDR) com investidores de São Paulo e Rio de Janeiro. Os principais destaques de nossas reuniões foram:
    • A maioria dos investidores vê negativamente o cenário atual para as empresas de saúde, principalmente considerando as mudanças regulatórias e aparente deslocamento na demanda;
    • Em geral, os buy-sides têm baixa convicção e uma visão mais neutra sobre as large caps; e
    • Embora alguns investidores vejam algumas small caps específicas como subvalorizadas, a falta de gatilhos de curto prazo os impede de investir nesses nomes.
  • No geral, o sentimento do mercado é de maior cautela em relação às empresas de saúde, e esperamos que os resultados positivos do 3T22, bem como uma resolução definitiva para as mudanças regulatórias e legislativas, possam aumentar significativamente o otimismo do mercado;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • BNDES usará FIDC para financiar empresas menores (Valor);
    • Com robô, Órama busca escala em tíquete menor (Valor);
    • ‘TENHO MAIOR CONVERGÊNCIA COM O ATUAL GOVERNO’, DIZ BANQUEIRO RICARDO (Broadcast);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • TIM registra 2 TB de tráfego com 5G no Maracanã (Teletime);
    • Procon-SP volta a notificar teles por ICMS (Valor);
    • Cade aprova compra de prédio da Oi por empreendedoras (Telesíntese).
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Assaí prevê faturamento de R$ 100 bilhões em 2024 devido ao plano de expansão (Valor);
    • No GPA, “degustação” do balanço desperta apetite dos investidores (Neofeed);
    • Carter’s abre mais 4 lojas em São Paulo e ultrapassa a marca de 40 unidades no Brasil (Mercadoeconsumo);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Alimentos e Bebidas
      • O que a Minerva viu na Austrália para dobrar a aposta – Pipeline
      • Ações de frigoríficos ficam baratas e mercado enxerga upside – Brazil Journal
    • Agro
      • Plantio de soja atinge 37,6% da área no Brasil e supera 2021, diz Pátria AgroNegócios – Notícias Agrícolas
      • Série de quedas faz algodão testar “limite de segurança” – Valor
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Consumo de energia deve encerrar outubro com alta de 0,5%, diz ONS. (Valor Econômico);
    • Petrobras atinge valor de mercado recorde de R$ 520,6 bilhões. (Valor Econômico);
    • ANP estabelece preços de produção do petróleo e gás natural. (Petróleo Hoje).
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Temporada de resultados do 3º trimestre 2022 – o que esperar?

  • Em relação ao mesmo período de 2021, o mercado espera um crescimento do Lucro por Ação (LPA) das empresas do Ibovespa em 19%, provavelmente explicado pela recuperação no cenário doméstico e a maior capacidade de repasse da inflação aos consumidores. Já em relação ao Lucro Operacional (EBITDA) das empresas, o mercado espera +25% de crescimento. E para a receita, o consenso também espera sólido crescimento de +23%. Por fim, em relação ao trimestre anterior, o mercado espera certa estabilidade em receita e EBITDA;
  • Durante essa temporada de balanços, investidores irão analisar os impactos da inflação e das disrupções nas cadeias de suprimentos globais, e se as empresas estão conseguindo repassar custos maiores adiante. Para exportadores de commodities, preços menores desses materiais durante o terceiro trimestre podem ter um impacto negativo, que pode ser parcialmente compensado pelo dólar mais forte;
  • Dentre as empresas que cobrimos na XP, esperamos que os seguintes setores sejam destaques: Bancos, Varejo alimentar, Varejistas de alta renda, Papel e Celulose, Shoppings e Telecom;
  • Com riscos maiores de uma recessão econômica nas principais economias do mundo, as projeções de Lucro por Ação para os próximos 12 meses, 2023 e 2024 caíram levemente durante o trimestre. Ao longo do período, as projeções de lucros foram revisados para baixo entre 0,2%-1,8%.
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Verizon frustra em crescimento de novos assinantes

  • Toyota alerta que pode não atingir a meta de produção por falta de chips
  • Mesmo batendo as expectativas, ações da AmEx reagiram em queda com aumento de provisões
  • Verizon decepciona mercado com o crescimento de novos assinantes
  • Setor de saúde vem apresentando performance superior dentro do S&P 500
  • Acesse aqui o relatório internacional.

Criptoativos

  • Hoje em Criptos | Hong Kong revela projeto de CBDC
    • Hong Kong revela projeto de CBDC (Cointelegraph);
    • Reino Unido quer transformar mercado cripto em indústria regulamentada (InfoMoney);
    • Gavin Wood deixa o cargo de CEO da Parity (Valor);
    • X2Y2 lança empréstimos de NFTs (The Defiant);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Renda fixa

Semana na Renda Fixa

  • Ao longo dos últimos dias, as taxas esperadas de juros apresentaram um leve aumento. A semana foi marcada por receios relacionados ao processo de aperto monetário nas economias desenvolvidas devido, principalmente, a pressão inflacionária registrada em muitos países;
  • No Brasil, os investidores locais aguardam o desfecho do segundo turno da eleição presidencial, em um cenário em que o IGP-10 de outubro registra deflação e o IBC-BR (proxy do PIB do Banco Central) de agosto apresenta queda da atividade econômica local;
  • Para semana que vem, no cenário internacional, o destaque será a divulgação dos dados de PMI e confiança do consumidor para os EUA, Zona do Euro e Alemanha. Além disso, venda de novas moradias, PIB, renda pessoal e deflator do PCE são os destaques para os EUA. Na Alemanha, será divulgado o CPI, PIB, e vendas no varejo. Por fim, há a expectativa da divulgação dos dados de PIB chinês, além de outros dados importantes relacionados à atividade do país, e a decisão de juro na Europa. Já no Brasil, teremos a divulgação do IPCA-15 de outubro, a decisão do Copom acerca da taxa de juros Selic, taxa de desemprego da PNAD contínua, criação de empregos formais do CAGED, o IGP-M de outubro, dados fiscais e dados relacionados ao setor externo;
  • Acesse o relatório completo aqui.

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Mercados
    • Decisões de juros no Brasil, Japão e zona do euro são destaques da semana (Valor Econômico);
    • Maioria prevê início de cortes na taxa Selic a partir de junho (Valor Econômico).
  • Noticiário Corporativo
    • Semana tem Vale, Carrefour e Ambev entre destaques dos balanços nacionais (Valor Econômico);
    • Petrobras tem valor recorde, mas até onde pode ir o rali? (Valor Econômico).
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Semana FIIs e Dividendos: aprenda a melhor forma de obter renda passiva (Suno);
    • Veja os 10 fundos imobiliários de ‘tijolo’ e de ‘papel’ com maior retorno no ano (Valor);
    • FIIs: cinco livros para maratonar no fim de semana e aprender mais sobre os fundos imobiliários (InfoMoney);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

ESG

10% das empresas globais medem suas emissões de gases de efeito estufa, diz BCG | Café com ESG, 24/10

  • O mercado fechou o pregão de sexta-feira em território positivo, com o Ibov e o ISE em alta de +2,4% e +1,7%, respectivamente. Na semana, o Ibov fechou subindo +7,0%, enquanto o ISE +5,0%;
  • No Brasil, (i) fabricantes e varejistas do setor têxtil estão reagindo à pressão para diminuir o uso de recursos naturais, poluir menos e fazer gestão mais eficiente de resíduos – segundo a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção, em 2019 foram descartadas 170 mil toneladas de resíduos têxteis de maneira inadequada em aterros sanitários no país, entretanto, em 2021, das 963 mil toneladas de tecidos usados na produção de vestuário, cerca de 10% foram descartados como resíduos dos cortes; e (ii) segundo especialistas, o Brasil é peça fundamental para figurar como protagonista dos debates, projetos e programas na COP27, no intuito de trazer soluções baseadas na natureza para combater o aquecimento global e os desafios climáticos, de forma concertada, colaborativa e impactante;
  • No exterior, uma pesquisa divulgada pela consultoria BCG com mais de 1.600 respondentes de 18 países mostrou que apenas 10% das empresas mediram suas emissões de gases de efeito estufa de forma abrangente (escopo 1, 2 e 3) em 2022, percentual que se compara com 9% em 2021. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.